Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM

Data: 23/01/2018
Hora: 14:02
IP: 192.168.42.17
Programa de Disciplina de Graduação

Dados da Disciplina
Departament DEPTO. ENFERMAGEM - EFM
Código: EFM2121 Carga Horária 300 Créditos 20
Nome: ENFERMAGEM NO CONTEXTO DO ADULTO EM SITUAÇÕES CRÍTICAS DE SAÚDE
Objetivos
Cuidar o adulto em situações mais complexas, de forma sistematizada, no atendimento de suas necessidades
pautadas nos princípios éticos e humanísticos, considerando o ser humano e suas relações no contexto social,
político, econômico e cultural em que está inserido.

Conteúdo Programático
UNIDADE 1 - A INSERÇÃO DO ACADÊMICO NOS DIFERENTES CENÁRIOS DO CUIDADO AO ADULTO
1.1 - Legislação pertinente ao cuidado às pessoas com necessidades crônicas, agudas e instáveis de saúde.
1.2 - Condições de saúde, sistemas de saúde, redes e percurso do usuário na Atenção à Saúde e níveis de complexidade de atenção à saúde.
1.3 - Estrutura física e gerencial (Resoluções de Diretorias Colegiadas - Agencia Nacional de Vigilância em Saúde) das unidades hospitalares:
Clínica Cirúrgica, Bloco cirúrgico, Sala de Recuperação Anestésica, Unidade de Terapia Intensiva e Internação Psiquiátrica e Serviços
Substitutivos de saúde.
1.4 - Articulação saberes com iniciativas multiprofissionais.

UNIDADE 2 - ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO ADULTO COM TRAUMATISMOS EM GERAL


2.1 - Contextualização da assistência ao adulto com traumatismo.
2.2 - Cuidado de enfermagem ao adulto com traumatismo.
2.3 - Atuação do enfermeiro e equipe frente à necessidade e prevenção de problemas de mobilidade e locomoção.
2.4 - Revisão anatômica e fisiopatológica do sistema músculo esquelético (SME).
2.4.1 - Estrutura e função do sistema esquelético, cuidados músculo esqueléticos (osso, tecido muscular esquelético, articulações).
2.5 - Condições anormais relacionadas ao SME.
2.6 - Fraturas (conceito, classificação, manifestações clínicas das fraturas, consolidação óssea, tratamento de fraturas e complicações).
2.7 - Cuidados de enfermagem ao portador de dispositivos de fixação externos (talas, tipóias, gesso, calha gessada, fixador externo, tração).
2.8 - Síndrome compartimental.

UNIDADE 3 - ENFERMAGEM NO CUIDADO AO ADULTO EM UNIDADE DE INTERNAÇÃO CIRÚRGICA


3.1 - Estrutura física e gerencial da UIC.
3.2 - O ambiente físico de unidade de internação cirúrgica: planta física, equipamentos, controle de infecção.
3.3 - O processo de cuidar em enfermagem nos períodos pré e pós-operatório em UIC (atenção imediata e mediata), conceitos, classificação das
cirurgias, avaliações, orientações e cuidados específicos pré e pós-operatórios, visitas e papel do enfermeiro.
3.4 - Terminologias científicas e cirúrgicas.
3.5 - Enfermagem no cuidado ao adulto na prevenção de riscos e complicações cirúrgicas nas cirurgias abdominais (conceitos, causas,
manifestações clinicas, assistência de enfermagem).
3.6 - Sistematização do processo de cuidar ao adulto submetido à intervenções cirúrgicas e seus familiares. Atuação multiprofissional.
3.7 - Enfermagem no cuidado ao adulto na prevenção e tratamento de lesões de pele, curativos e coberturas.
3.8 - Cuidado com ostomas (traqueostomias, ileostomias, colostomias, urostomias), drenos (sucção, penrose, tórax, kher) e sondas (gástrica,
nasoentérica, jejunostomias).
3.9 - Recepção, transferência e alta de pacientes.

UNIDADE 4 - ENFERMAGEM NO CUIDADO AO ADULTO EM UNIDADE DE CENTRO CIRURGICO E SALA DE


RECUPERAÇÃO ANESTÉSICA NO CONTEXTO HOSPITALAR
4.1 - Estrutura física e gerencial da unidade de Centro Cirúrgico e sala de recuperação anestésica.
4.1.1 - O ambiente físico de Cc e SRA: planta física, normas governamentais de construção, fluxograma de materiais e equipamentos, controle de
infecção (procedimentos e riscos, bioengenharia, áreas, zoneamento, iluminação, ventilação, temperatura, umidade e segurança).
4.1.2 - Sistema organizacional e administrativo das unidades de CC e SRA (filosofia, metas, finalidades, objetivos; dimensionamento de pessoal,
inter-relacionamentos, recursos humanos e materiais).
4.2 - Sistematização do processo de cuidar nas unidades de BC e SRA: sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória, marcos
teóricos, etapas, histórico, trajetória e operacionalização, complicações trans e pós-operatórias (posicionamento do paciente, tempos cirúrgicos,
anestesia e analgesia).
4.2.1 - A inserção do CC/SRA no cuidado a saúde.
4.2.2 - Cuidado de Enfermagem em Centro Cirúrgico.
4.2.3 - Cuidado de Enfermagem em Recuperação Anestésica.
4.2.4 - Tecnologia e humanização em CC e SRA.
4.2.5 - Aspectos éticos que envolvem a Enfermagem no cuidado frente aos procedimentos cirúrgicos e anestésicos.
4.2.6 - Comunicação verbal e não verbal - paciente cirúrgico e equipe de enfermagem.
4.2.7 - Recursos para a assistência de enfermagem em Centro Cirúrgico:hemostasia, bisturi elétrico, acessos cirúrgicos e riscos, posição
cirúrgica, tipos de anestesia, ação das principais drogas anestésicas,cuidados de enfermagem de acordo com as drogas administradas,
repercussão do trauma anestésico cirúrgico, assistência pós-operatória e anestésica, recursos tecnológicos, dor pós-

Autenticação: 61A4.08B6.230D.C159.1706.84C1.E3AF.2AAC consulte em http://www.ufsm.br/autenticacao Página: 1


Detalhes do documento em http://portal.ufsm.br/documentos
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM
Data: 23/01/2018
Hora: 14:02
IP: 192.168.42.17
Programa de Disciplina de Graduação
operatória.
4.2.8 - Critérios de avaliação e alta em RA.
4.3 - A saúde do trabalhador em unidade de Centro Cirúrgico e Recuperação Anestésica.
4.3.1 - Riscos ocupacionais em Centro Cirúrgico e Recuperação Anestésica;Ergonomia; Stress do enfermeiro em Centro Cirúrgico e Recuperação
Anestésica.
4.4 - Protocolo de cirurgia segura.
UNIDADE 5 - ENFERMAGEM NO CUIDADO AO ADULTO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
5.1 - Histórico das unidades de terapia intensiva e as inter-relações com as Políticas Públicas de Saúde - Política Nacional de Atenção ao
Paciente Crítico
5.2 - Conceito, estrutura e funcionamento de UTI.
5.2.1 - O ambiente físico de UTI: planta física, normas de construção, fluxograma de materiais e equipamentos, controle de infecção.
5.2.2 - Sistema organizacional e administrativo da unidade de terapia intensiva (filosofia, finalidades, objetivos; metas, dimensionamento de
pessoal, inter-relacionamentos, recursos humanos e materiais).
5.2.3 - Gerenciamento de enfermagem em UTI.
5.2.4 - Recursos humanos e materiais em UTI.
5.3 - O processo de cuidar em enfermagem em terapia intensiva
5.3.1 - Contextualização da Enfermagem no cuidado ao adulto em situação crítica e sua família.
5.3.2 - Sistematização do cuidado, principais conceitos, trajetória e operacionalização.
5.3.3 - Aspectos ético-legais que envolvem a Enfermagem no cuidado ao adulto em UTI. Gerenciamento e controle de riscos.
5.3.4 - O enfermeiro e a equipe multidisciplinar em UTI Adulto.
5.3.5 - Indicadores de qualidade e carga de trabalho em UTI.
5.3.6 - Sistemas de monitorização do adulto em situações críticas de vida.
5.3.6.1 - Monitorização hemodinâmica não invasiva.
5.3.6.2 - Monitorização hemodinâmica invasiva.
5.3.7 - O contexto do adoecimento por distúrbios cardiovasculares no Brasil e no mundo.
5.3.7.1 - Principais distúrbios cardiovasculares.
5.3.7.2 - Acidentes vasculares cerebrais.
5.3.8 - Reanimação cardiorrespiratória avançada.
5.3.9 - Choque.
5.3.10 - Distúrbios respiratórios graves e o uso de suporte tecnológico na terapêutica (ventilação mecânica.
5.3.11 - Doação e transplante de órgãos.

UNIDADE 6 - CUIDADO EM ENFERMAGEM NA SAÚDE MENTAL EM UNIDADE DE


INTERNAÇÃO(ENFERMAGEM NO CUIDADO AO ADULTO SOFRIMENTO PSIQUICO)
6.1 - InternacaÞo Psiquiaìtrica.
6.1.1 - InternacaÞo em Hospital Geral e em Hospital Especializado.
6.1.2 - Aspectos Eìticos e Legais da internacaÞo psiquiaìtrica.
6.1.4 - InterdicaÞo judicial, Benefiìcio LOAS.
6.2 - AtencaÞo Integral em Sauìde Mental.
6.2.1 - O processo de Acolher e Cuidar.
6.2.2 - RelacoÞes Interpessoais Terapeuticas.
6.2.3 - Sauìde Mental do Trabalhador.
6.3 - Abordagens em Psicopatologias durante a HospitalizacaÞo e Intervenção.
6.3.1 - Transtornos.
6.3.1.1 - Cuidado de enfermagem à pessoa com manifestações decorrentes de Transtornos de ansiedade.
6.3.1.2 - Cuidado de enfermagem à pessoa com manifestações decorrentes de Transtornos depressivos.
6.3.1.3 - Cuidado de enfermagem à pessoa com manifestações decorrentes de Transtornos do humor.
6.3.1.4 - Cuidado de enfermagem à pessoa com Transtornos de Personalidade.
6.3.1.5 - Cuidado de enfermagem à pessoa com manifestações decorrentes de Esquizofrenia.
6.3.2 - IntervencoÞes em Sauìde Mental
6.3.2.1 - Atividades terapêuticas grupais e Oficinas
6.3.2.2 - Psicofaìrmacos
6.3.2.5 - Psicoterapias
6.3.3 - Urgencias e Emergencias em Saúde Mental e a Enfermagem
6.3.3.1 - Quadro depressivo (Tentativa de Suicídio)
6.3.3.2 - Quadros Psicoìticos (Agitação Psicomotora)
6.3.3.3 - IntoxicacoÞes (Delirium Tremens)
6.4 - Abordagens em álcool e outras drogas
6.4.1 - Política nacional de álcool e outras drogas.
6.4.2 - Representações sociais da droga e do usuário de drogas.
6.4.3 - Atualidades sobre o perfil do usuário de crack, epidemiologia e impacto na saúde pública dos vários tipos de substâncias.
6.4.4 - Atitudes de profissionais de saúde frente ao usuário de drogas.
6.4.5 - Identificação e classificação de diferentes padrões de uso, com avaliação dos respectivos danos e riscos, e os encaminhamentos
adequados a cada situação.
6.4.6 - Opções de tratamento e atenção aos problemas decorrentes do uso de drogas.
6.4.7 - Estratégias de intervenção breve.
6.4.8 - Sofrimento psíquico do trabalhador no contexto da atenção a usuários de drogas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BARROS, ALBL e Cols Anamnese e exame físico: avaliação diagnóstica de enfermagem no adulto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed; 2011.
BRÊTAS ACP, Gamba MA. Enfermagem e saúde do adulto. Barueri (SP): Manole; 2006.
FLORES RG. Estar na condição de familiar acompanhante: vivências de enfermeiros. Mestrado. 2012. 102 f.
AMARANTE, P. Saude mental e atenção psicossocial. 2. ed. Rio de Janeiro, RJ : Ed. FIOCRUZ, 2008. 117 p.
VIEIRA BARRETO; PINHEIRO. Rotinas em terapia intensiva. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2002. 694p.
Autenticação: 61A4.08B6.230D.C159.1706.84C1.E3AF.2AAC consulte em http://www.ufsm.br/autenticacao Página: 2
Detalhes do documento em http://portal.ufsm.br/documentos
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM
Data: 23/01/2018
Hora: 14:02
IP: 192.168.42.17
Programa de Disciplina de Graduação

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
AMARANTE, P; LIMA, R (Coord.) Loucos pela diversidade: da diversidade da loucura à identidade da cultura.s.n. Disponível
em:<http://www.cultura.gov.br/site/wpcontent/uploads/2009/06/loucos_diversidade_final.pdf>. Acesso em: 12 ago 2009.
AMERICAN HEART ASSOCIATION. Destaques das Diretrizes 2010 para RCP e ACE.
AXILINE, VM. Dibs: em busca de si mesmo. 13 ed. Rio de Janeiro: Agir, 1986.
BARROS S, CLARO HG. Processo ensino-aprendizagem em saúde mental: o olhar do aluno sobre reabilitação psicossocial e cidadania. Rev Esc
Enferm USP. 2011Jun; 45(3):700-7.
BARROS LF. Memórias do delírio: confissões de um esquizofrênico. 2 ed. Rio de Janeiro: Imag; 1994.
BOTEGA, J. N. Prática psiquiátrica no hospital geral: interconsulta e emergência. 3 ed. Porto Alegre: Artmed;2011.
BRASIL. Agencia Nacional de Vigilancia Sanitária. RDC Nº 7, DE 24 de fevereiro de 2010.
BRASIL. Manual do Programa "De Volta Para Casa". Brasília: Ministério da Saúde; 2003.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. SVS/CN-DST/AIDS. A Política do Ministério da Saúde para Atenção Integral a
Usuários de Álcool e outras Drogas/Ministério da Saúde. 2.ed. rev. ampl.- Brasília:Ministério da Saúde, 2004.
BRASIL. Ministeìrio da Sauìde. Secretaria-Executiva. Direitos dos usuaìrios d os servicos e das acoÞes de sauìde no Brasil: legislacaÞo federal
compilada - 1973 a 2006/Ministeìrio da Sauìde, Secretaria-Executiva. - Brasiìlia: Editora do Ministeìrio da Sauìde, 2007. Disponiìvel em:
<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/direitos_usuarios_servicos_acoes_saude_brasil.pdf>
BRASIL. Ministério da Saúde. Organização Pan-Americana da Saúde. Prevenção do suicídio: manual dirigido profissionais da saúde da atenção
básica. Botega, Neury José (Coord.). 2009.
BRASIL. Ministeìrio da Sauìde. LegislacaÞo em Sauìde Mental: 2 ed., Brasiìlia, DF: novembro, 2004. Disponiìvel
em:<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/legislacao_mental.pdf>. Acesso em: 12 ago 2009.
BRASIL. Residências terapêuticas: o que são, para que servem. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.
BRASIL. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.
BERLINCK MT, MAGTAZ AC, TEIXEIRA M. A Reforma Psiquiátrica Brasileira: perspectivas e problemas. Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., São
Paulo, v. 11, n. 1, p. 21-28, março 2008.
BESSA JB, WAIDMAN MAP. Família da pessoa com transtorno mental e suas Necessidades na assistência psiquiátrica. Texto Contexto Enferm,
Florianópolis, 2013 Jan-Mar; 22(1): 61-70.
CADERNO DIDÁTICO. Anestesiologia: princípios básicos. UFSM: Centro de Ciências da Saúde; 2001.
CADERNO DIDÁTICO 6 : assistência de enfermagem ao paciente em estado critico / Santa Maria UFSM,CCS, Departamento de
Enfermagem/HUSM/CTISM 2002.
CARVALHO R, BIANCHI ERF. Enfermagem em centro cirúrgico e recuperação. Barueri: Manole; 2007.
CORTES LF,Terra MG; Pires Fb, Heinrich J, Machado KL, Weiller Th, Padoin SMM. Atenção a usuários de álcool e outras drogas e os limites da
composição de redes. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 16(1), p. 84-92, 2014.
Ely Gz <http://lattes.cnpq.br/6196606133527889>, Terra Mg, Silva AA <http://lattes.cnpq.br/6185937477546026>, Freitas F
<http://lattes.cnpq.br/7357973529721005>B, Padoin SMM, Lara MP. Internação psiquiátrica: significados para usuários de um centro de atenção
psicossocial. SMAD. Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em português), v. 10(1), p. 23-28, 2014.
GABATZ, Ruth Irmgard Bärtschi; JOHANN, Michele; TERRA, Marlene Gomes; PADOIN, Stela Maris de Mello; SILVA, Adão Ademir da
<http://lattes.cnpq.br/6185937477546026>; BRUM, J. L. . Percepção do usuário sobre a droga em sua vida. Escola Anna Nery, v. 17(3), p. 520-
525, 2013.
Gomes JRAA, Melanda VS. Elaboração de rotinas para uma enfermagem de excelência em centro cirúrgico. Rev. SOBECC. 2012; 17(2): 48-55.
FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisaÞo. Trad. Raquel Ramalhete. Petroìpolis: Vozes, 1987.
FOUCAULT, Michel. História da loucura: na idade clássica. São Paulo: Perspectiva, 2012.
JERICÓ MC, PERROCA MG, PENHA VC. Mensuração de indicadores de qualidade em centro cirúrgico: tempo de limpeza e intervalo entre
cirurgias Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2011;19(5):[08 telas]
JORGE, Maria Salete Bessa; PINTO, Diego Muniz; QUINDERÉ, Paulo Henrique Dias; PINTO, Antonio Germane Alves; SOUSA, Fernando Sérgio
Pereira de; CAVALCANTE, Cinthia Mendonça. Promoção da Saúde Mental - Tecnologias do Cuidado: vínculo, acolhimento, co-responsabilização
e autonomia. Ciência & Saúde Coletiva, 16(7):3051-3060, 2011.
KNOBEL, Elias (org). Terapia intensiva - enfermagem. São Paulo: Atheneu, 2009.
LEVIS, S., DIRKSEN, S.R., HEITKEMPER, M.M.,BUCHER,L., CAMERA, I.M.Tratado de enfermagem TRATADO DE ENFERMAGEM MÉDICO-
CIRÚRGICA. Avaliação e Assistência dos Problemas Clínicos. Elsevier Ed ltda, volume 1 e 2, 8 ed. 2013. Tratado de enfermagem médico-
cirúrgica: avaliação e assistência dos problemas clínicos / [Sharon L. Lewis et al.] ; [tradução Maiza Ritomy Ide] . - Rio de Janeiro : Elsevier, 2013.
LOURENÇO, MB, PENICHE ACG, COSTA ALS. Unidades de recuperação pós-anestésica de hospitais brasileiros: aspectos organizacionais e
assistenciais. Rev. SOBECC. 2013; 18(2): 25-32.
LUCCHESE R. A enfermagem psiquiátrica e saúde mental: a necessária constituição de competências na formação e na prática do enfermeiro.
Rev Eletr Enferm [online] 2007. [acesso 2012 Mar 23]; 9(3):883- 5. Disponível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fen/article/view/7527/5334
MACEDO, JM, KANO JÁ, BRAGA EM, GARCIA MA; Caldeira SM.cancelamento de cirurgias em um hospital Universitário: causas e tempo de
espera para Novo procedimento. Rev. SOBECC. 2013; 18(1): 26-34.
MATTIA AL,MAIA LF,SILVA, SS, OLIVEIRA, TC. Diagnósticos de enfermagem nas complicações em Sala de Recuperação Anestésica.
Enfermería Global. 2010.
MEEKER, MH. ALEXANDER - cuidados de enfermagem ao paciente cirurgico / 10. ed. Rio de Janeiro : Guanabara Koogan; 1997.
MENDOZA IYQ, PENICHE ACG, PÜSCHEL VAA. Conhecimento sobre hipotermia dos profissionais de Enfermagem do Centro Cirúrgico. Rev
Esc Enferm USP. 2012; 46(Esp):123-9.
MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria Nº 1721/GM de 13 de abril de 2005. Dispõe sobre a Política Nacional de Atenção ao Paciente Critico
MOREIRA, C.S., et. al. Esquizofrenia Paranoide: Relato de Caso e Revisão da Leitura. Revista Científica da FMC. Vol. 3, nº 2, 2008.
MORTON, Patricia; FONTAINE, Dorrie. Cuidados críticos de enfermagem: uma abordagem holistica. 9 ed. Guanabara koogan, 2011.
OLIVEIRA, Renata Marques; FACINA, Priscila Cristina Bim Rodrigues; SIQUEIRA JÚNIOR, Antônio Carlos. A realidade do viver com
esquizofrenia. Rev Bras Enferm, Brasilia 2012 mar-abr; 65(2): 309-16.
Práticas recomendadas da SOBECC - Associação Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e
Esterilização, 6. ed. São Paulo: Manole; 2013.
PORTARIA Nº 483, DE 1º DE ABRIL DE 2014. Redefine a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas no âmbito do Sistema
Único de Saúde (SUS) e estabelece diretrizes para a organização das suas linhas de cuidado.
Resolução - RDC nº 50, de 21 de fevereiro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento, programação, elaboração e
avaliação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde.

Autenticação: 61A4.08B6.230D.C159.1706.84C1.E3AF.2AAC consulte em http://www.ufsm.br/autenticacao Página: 3


Detalhes do documento em http://portal.ufsm.br/documentos
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM
Data: 23/01/2018
Hora: 14:02
IP: 192.168.42.17
Programa de Disciplina de Graduação
Resolução - RDC nº 15, DE 15 de março de 2012. Dispõe sobre requisitos de boas práticas para o processamento de produtos para saúde e dá
outras providências.
Resolução - RDC Nº 36, de 25 de julho de 2013. Institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências.
SANTOS, W. M. Dentro da chuva amarela. 2 ed. São Paulo: Geração Editorial, 2006.
SCHMIDT, Airton Luis; GABATZ, Ruth Irmgard Bärtschi; TERRA, Marlene Gomes; PADOIN, S. M. M.; LACCHINI, Annie Jeanninne Bisso
<http://lattes.cnpq.br/5806180139423756>; SILVA, Adão Ademir da <http://lattes.cnpq.br/6185937477546026>. Percepção dos usuários de crack
em relação ao uso e tratamento. Revista Gaúcha de Enfermagem (Online), v. 34, p. 140-146, 2013.
SILVA, Adão Ademir da <http://lattes.cnpq.br/6185937477546026>; TERRA, Marlene Gomes; LEITE, Marinês Tambara; FREITAS, Fernanda
Franceschi de <http://lattes.cnpq.br/7357973529721005>; ELY, Gabriela Zenatti <http://lattes.cnpq.br/6196606133527889>; XAVIER, M. S.
Enfermagem e cuidado de si no mundo do cuidado em psiquiatria. Revista de Pesquisa: Cuidado e Fundamental (Online), v. 7(1), p. 2011-2020,
2015.
SILVA, A. B. B. Mentes ansiosas: o medo além dos limites. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.
Soares AN, Silveira BV, Reinaldo AMS. Serviços de saúde mental e sua relação com a formação do enfermeiro. Rev Rene. 2010 Jul-Set;
11(3):47-56.
SOCCOL, Keity Laís Siepmann; Terra, Marlene Gomes; RIBEIRO, Danilo Bertasso <http://lattes.cnpq.br/3055594649588896>; PERLINI, Nara
Marilene Oliveira Girardon; SILVA, Cristiane Trivisiol da <http://lattes.cnpq.br/7667947894345542>. O cuidado familial ao indivíduo dependente de
álcool e outras drogas. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, v. 14(3), p. 549-557, 2013.
SOCCOL, Keity Laís Siepmann; TERRA, Marlene Gomes; RIBEIRO, Danilo Bertasso <http://lattes.cnpq.br/3055594649588896>;
MOSTARDEIRO, Sadja Cristina Tassinari de Souza <http://lattes.cnpq.br/6323200852612356>; TEIXEIRA, J. K. S.; SOUTO, V. T.; SILVA, E. T.
Sobrecarga financeira vivenciada por familiares cuidadores de indivíduos dependentes químicos. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 4(3), p.
602-611, 2014.
SOCCOL, Keity Laís Siepmann; TERRA, Marlene Gomes; RIBEIRO, Danilo Bertasso <http://lattes.cnpq.br/3055594649588896>; TEIXEIRA, J. K.
S. ; SIQUEIRA, D. F.; MOSTARDEIRO, Sadja Cristina Tassinari de Souza <http://lattes.cnpq.br/6323200852612356>. O Cotidiano das relações
familiares com indivíduo dependente químico. Cogitare Enfermagem, v. 19(1), p. 223-236, 2014
SOUZA, Paulo e MENDES, Valter(org). Segurança do paciente: conhecendo os riscos nas organizações de saúde. Rio de Janeiro,
EAD/ENSP.2014 <https://mail.google.com/mail/u/0/#label/LIVROS+online/14a334ce0465e02a?projector=1>
STEFANELLI, Maguida Costa; FUKUDA, Ilza Marlene Kuae; ARANTES, Evalda Cançado (Orgs. Enfermagem psiquiátrica em suas dimensões
assistenciais. São Paulo: Manole, 2008.
Tratado de enfermagem médico-cirúrgica: avaliação e assistência dos problemas clínicos / [Sharon L. Lewis … et al.] ; [tradução Maiza Ritomy
Ide] . - Rio de Janeiro : Elsevier; 2013
Urden, Linda Diann. Cuidados intensivos de enfermagem / Linda Urden; [tradução de Maria Inês Corrêa .. et al.]. - Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.
Popov DCS, Peniche ACG. As Intervenções do enfermeiro e as complicações em sala de recuperação anestésica. Rev Esc Enferm USP. 2009;
43(4)-953:61.
XAVIER, Mariane da Silva <http://lattes.cnpq.br/1286873438777593>; TERRA, Marlene Gomes; SILVA, Cristiane Trivisiol da
<http://lattes.cnpq.br/7667947894345542>; MOSTARDEIRO, Sadja Cristina Tassinari de Souza <http://lattes.cnpq.br/6323200852612356>;
SILVA, Adão Ademir da <http://lattes.cnpq.br/6185937477546026>; FREITAS, F Franceschi de <http://lattes.cnpq.br/7357973529721005>. O
significado da utilização de psicofármacos para indivíduos com transtorno mental em acompanhamento ambulatorial. Escola Anna Nery revista de
enfermagem, v. 18(2), p. 323-329, 2014.
XAVIER, Mariane da Silva <http://lattes.cnpq.br/1286873438777593>; TERRA, Marlene Gomes; SILVA, Cristiane Trivisiol da
<http://lattes.cnpq.br/7667947894345542>; SOUTO, V. T.; VASCONCELOS, R. O. A utilização de psicofármacos em indivíduos com transtorno
mental em acompanhamento ambulatorial. Enfermería Global, v. 36, p. 126-137, 2014.
Viana, Renata Andrea Pietro. Sepse para enfermeiros. São Paulo: Atheneu; 2009.
Viana RAP; Whitaker IY. Enfermagem em terapia intensiva: práticas e vivencias. São Paulo: Atheneu; 2011.
VIEIRA, Letícia Becker; CORTES, Laura Ferreira; PADOIN, S.M.M.; SOUZA, IVIS EMÍLIA DE OLIVEIRA; PAULA, Cristiane Cardoso de
<http://lattes.cnpq.br/8247264269439154>; TERRA, Marlene Gomes. Abuse of alcohol and drugs and violence against women: experience
reports. Revista Brasileira de Enfermagem (Impresso), v. 67, p. 366-372, 2014.

Documento originado com base no ementário do Projeto Pedagógico do Curso. Página: 4


Autenticação: 61A4.08B6.230D.C159.1706.84C1.E3AF.2AAC consulte em http://www.ufsm.br/autenticacao
Detalhes do documento em http://portal.ufsm.br/documentos