Você está na página 1de 38

Check control e sensores

DESCRIÇÃO

Este modelo de Check-Control é constituído de um módulo eletrônico de supervisão


e indicadores instalados no centro do painel de instrumentos.
O módulo eletrônico informa ao usuário, através de indicadores luminosos as seguintes situações:

1) Indicador de lâmpadas de posição dianteiras.


2) Indicador porta dianteira direita “ABERTA”.
3) Indicador porta dianteira esquerda “ABERTA”.
4) Indicador porta traseira direita “ABERTA”.
5) Indicador porta traseira esquerda “ABERTA”.
6) Indicador de lâmpadas de posição traseiras.
7) Indicador de lâmpada de freio esquerda.
8) Indicador de lâmpada de freio direita.
9) Indicador de lâmpada de placa.

FUNCIONAMENTO

Ligando-se a chave de ignição nas posições AVV ou MAR, os indicadores deverão permanecer
“APAGADOS”, se o veículo estiver com os circuitos monitorados em perfeitas condições.

No caso de existir alguma anomalia, o indicador “ACENDERÁ” sinalizando o local da falha.


INDICADOR DE LÂMPADAS DE POSIÇÃO DIANTEIRAS/TRASEIRAS

Ao se ligar a chave de ignição na posição MAR e o circuito de lâmpadas de posição


dianteiras/traseiras apresentar alguma anomalia, o indicador correspondente acenderá.

O indicador somente apresentará a anomalia se as lâmpadas de posição estiverem ligadas.

OBSERVAÇÃO
1) Não fechar o circuito (curto-circuito) das luzes de iluminação ou de freio.
Ex.: Verificação da presença de corrente no soquete das lâmpadas, através de faiscamento ou
introdução de uma chave de fenda, que causará danos ao módulo Check-Control.

2) A substituição de qualquer lâmpada de posição deverá obedecer a potência especificada


(dianteira - 3W e traseira - 5W), para não interferir na indicação.
Remoção - recolocação do módulo de controle eletrônico e monitor do Check-Control

Remover a moldura do quadro de instrumentos, conforme instruções no Grupo 55.


Desligar os conectores elétricos do módulo do Check-Control.
Retirar os quatro parafusos de fixação do módulo, removê-lo e substituí-lo.

TABELA DE DIAGNÓSTICOS DE INCONVENIENTES DO CHECK-CONTROL


(Módulo separado do quadro de instrumentos)

SERVIÇO ASSINALADO
Check-Control não acende a luz verde ao se ligar chave de ignição ou a luz
vermelha quando é assinalado qualquer anomalia.

CONDIÇÃO P/QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


Chave de ignição na posição MAR.

CAUSAS
- Fusível de “serviço” queimado

INTERVENÇÃO
- Substituir o fusível por outro de valor especificado.

SERVIÇO ASSINALADO
Luz de posição e luz de placa.

CONDIÇÃO P/QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


- Chave ignição na posição MAR
- Interruptor das luzes externas ligado.

CAUSAS
- Um ou dois fusíveis das luzes externas queimados.
- Uma ou mais lâmpadas das luzes de posição (dianteira ou traseira) queimadas ou
com potência diferente da especificada.
- Cabo de ligação do circuito de luzes externas do módulo de controle interrompido
ou com mau contato.

INTERVENÇÃO
- Substituir o fusível por outro de valor especificado
- Substituir a lâmpada por outra de potência especificada.
- Controlar a integridade dos cabos em questão, terminais e conexões.

SERVIÇO ASSINALADO
Luz de freio.

CONDIÇÃO P/QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


- Chave ignição na posição MAR.
- Pedal de freio desacionado.
- Pedal de freio acionado (*)

CAUSAS
- Fusível do acendedor de cigarros queimado.
- Um ou dois terminais menores de ligação do interruptor de freio desligado.
- Interruptor do freio com inconveniente.

- (*)Cabo de ligação do circuito de luzes de freio ao módulo de controle oxidado ou desligado nas
conexões sobre o módulo de controle ou sobre a caixa
de fusíveis do sistema elétrico.
- (*)Uma ou duas lâmpadas de freio queimadas ou com potência diferente da
especificada.
- (*)Um ou dois terminais maiores de ligação do interruptor do freio desligado.
- (*)Interruptor do freio com inconveniente.

- Cabos de ligação do circuito de luzes do freio ao módulo de controle interrompido


ou com mau contato.

INTERVENÇÃO
- Substituir o fusível por outro de valor especificado.
- Fazer uma “ponte” nos terminais menores. Se a luz piloto apagar, substituir o
interruptor do freio.
- Controlar as conexões do módulo de comando atrás do quadro de instrumentos.
Controlar as conexões de saída da caixa de fusíveis.
Controlar continuidade dos cabos.
- Substituir a lâmpada por outra de valor de potência especificada.

- Religar o terminal.

- Fazer uma “ponte” nos terminais maiores. Se a luz piloto apagar, substituir o
interruptor do freio.
- Controlar a integridade dos cabos em questão, terminais e conexões.

SERVIÇO ASSINALADO
- Luz de freio assinalação momentânea durante o acionamento do pedal de freio.

CONDIÇÃO P/QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


- Chave de ignição na posição MAR.
- Pedal de freio acionado lentamente

CAUSAS
- Interruptor do freio com deficiência nos contatos internos.

INTERVENÇÃO
- Substituir interruptor do freio.

SERVIÇO ASSINALADO
- Fechamento das portas.

CONDIÇÃO P/QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


- Chave de ignição na posição MAR.
- Portas bem fechadas.

CAUSAS
- Microinterruptor com folga na fixação à carroceria.

- Microinterruptor com a haste de acionamento empenada ou com mau contato.

- Microinterruptor não compatível.


OBS: neste caso a assinalação cessa ao abrir a porta.

- Cabo de ligação do microinterruptor ao chicote ao módulo de controle desligado ou com mau


contato.

INTERVENÇÃO
- Veículos em garantia: - substituir a fechadura.
Veículo fora de garantia: - substituir microinterruptor.
- Veículos em garantia: -substituir a fechadura.
Veículos fora da garantia: - rebitar novamente o microinterruptor.
- Com a porta fechada, medir com um ohmímetro a resistência nos terminais
do microinterruptor. A resistência deverá ser infinito. Caso contrário substituir a fechadura.
- Controlar a integridade dos cabos em questão, terminais e conexões.
NOTA
- Nunca fazer um curto-circuito com chave de fenda ou qualquer objeto nas sedes das lâmpadas
para verificar a existência de energia no local. Utilizar sempre um voltímetro.
- Não deixar nenhum dos fios do chicote elétrico de qualquer sensor encostar no motor ou na
carroceria, pois um curto com a massa poderá danificar seriamente o módulo de controle.
- Em caso de dúvida sobre localização de sensores e manutenção do Check-Control, consultar as
informações específicas contidas neste SGR.

DESCRIÇÃO

É um sistema de controle de funcionamento de alguns importantes circuitos elétricos e de vários


serviços do veículos.

O sistema é composto de:


1. Um módulo eletrônico de controles dos circuitos, localizado na parte traseira do quadro de
instrumentos.

Vista traseira do quadro de instrumentos com o módulo de controle do circuito das luzes (extraído
do conector).

1. Módulo eletrônico de controle do circuito das luzes do Check-Control

2. Um monitor eletrônico montado na parte inferior do quadro de instrumentos.


Este monitor fornece informações das seguintes funções:

- Nível do líquido de arrefecimento.


- Desgaste das pastilhas de freio.
- Fechamento das portas laterais do veículo.
- Estado das luzes de posição.
- Estado das luzes de freio.
- Nível de óleo do motor.
- Nível de fluido de freio.

NOTA
Os indicadores do freio de mão, dispositivo para partida a frio, insuficiência na pressão do óleo do
motor e recarga insuficiente da bateria, não são incluídas no Check-Control, mas entre os
indicadores comuns do quadro de instrumentos.

Quadro de instrumentos desmontado com o monitor do Check-Control parcialmente extraído.


2. Monitor eletrônico do Check-Control

A- Ligando-se a chave de ignição MAR, automaticamente irá acender a luz espia verde
por 2 ou 3 segundos, se o veículo estiver em perfeitas condições.

Isto significa que pode-se colocar o motor em movimento.

B- No caso de existir alguma anomalia, acenderá a luz espia vermelha e a luz piloto indicando o
local da falha.

Dependendo da falha o indicador permanecerá aceso, de modo contínuo ou quando houver


acionamento do serviço em questão, até a correção da anomalia. Com o veículo em movimento ou
com o motor funcionando, o dispositivo eletrônico controla todos os serviços solicitados, exceto o
nível de óleo do motor, que permanece memorizado na condição inicial, até que se desligue e
relique a chave de ignição. Isto para evitar que o movimento do óleo no cárter, provoque uma
informação errônea.

Como item de segurança e para evitar falhas na sinalizações de defeitos, por parte da lâmpada
espia vermelha ou na sinalização do controle do nível de fluido de freio é predisposto um botão no
quadro que, quando acionado, faz um teste neste indicador.
INCOVENIENTES

Ao se ligar a chave de ignição, com o interruptor das luzes externas desligado e o pedal de freio
não acionado, o sinal permanecer contínuo, podem estar ocorrendo os inconvenientes:

- Fusível de acendedor de cigarros queimado.


- Um ou dois terminais menores do interruptor do freio desligados.
- Caso a anomalia não seja encontrada, faça uma verificação em todo o chicote.
Quando há um sinal no momento em que se liga o interruptor dos faróis, podem estar ocorrendo
os inconvenientes:

- Fusíveis das luzes queimadas.


- Lâmpada(s) de luz de posição queimada(s) ou com potência diferente da especificada.
DESGASTE DAS PASTILHAS DE FREIO

Quando o dispositivo aplicado na pastilha estiver ligado à massa e junto do disco de freio durante a
frenagem, o sistema de controle assinala o defeito mediante o indicador 6 e a lâmpada espia
VERMELHA.
Ao se soltar o pedal de freio a anomalia não é mais visualizada no painel.
Assim que o desgaste prosseguir de maneira a danificar o condutor aplicado na pastilha, o defeito
aparecerá continuamente no painel.

Esquema do sensor da pastilha.

1 - 2 - Sensor sobre a pastilha do freio direito e esquerdo


3 - Módulo de controle do dispositivo multifunção

Nível do líquido de arrefecimento

O painel assinala mediante o indicador 2 e da lâmpada espia VERMELHA - com indicação contínua
- a falha, tanto com o motor ligado ou desligado.

Nível do líquido de freio

O painel assinala mediante o indicador 5 e da lâmpada espia VERMELHA - com indicação contínua
- a falha, tanto com o motor ligado ou desligado.

Nível de óleo do motor

O painel assinala, mediante o indicador 3 e da lâmpada espia VERMELHA a anomalia somente


com o motor desligado.
A eventual falha permanece memorizada também quando o motor for posto em funcionamento.

NOTA
Assim que o nível de óleo descer ao mínimo com o motor funcionando, a falha não será assinalada
pelo dispositivo enquanto o motor não for desligado.

CONSTITUIÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS SENSORES

Sensor do nível do líquido de freio

Composto de uma dupla de contatos elétricos, um bulbo de vidro (a) situado na tampa do
reservatório do líquido de freio e um magneto de comando (b) colocado sobre a extremidade
superior da bóia (e).

Quando a força hidrostática exercida pelo líquido (a nível normal) contra a bóia aproxima o
magneto nos contatos, o fluxo magnético gerado no bulbo fecha-o.

Quando ocorre uma perda do líquido no circuito hidráulico de freio e o nível sofre um abaixamento,
os contatos abrem-se porque, o magnético necessário para mantê-los fechados.
O indicador de anomalia em conseqüência acender-se-á.

a- Bulbo de vidro com 2 contatos


b- Magneto
c- Do monitor
d- Nível baixo contatos abertos
e- Bóia
Sensor da pastilha de freio

Trata-se de uma cápsula de material isolante inserida na guarnição de freio.


Na cápsula está contido um condutor elétrico que, através de duas conexões, está ligado ao
módulo de controle do Check-Control.
O indicador do painel do monitor demonstra que é necessário substituir imediatamente as pastilhas
de freio.

Sensor com pastilha de freio nova e usada.

Somente para 1.5 e 1.6R


SENSOR DO NÍVEL DO LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO

O sensor está localizado no reservatório lateral do radiador.


Composto de dois contatos elétricos inseridos em um bulbo de vidro, mantidos fechados pelo fluxo
magnético de um magneto, instalado na bóia do sensor. Quando o nível do líquido refrigerante
abaixa, o magneto se afasta dos contatos, cortando o fluxo magnético e conseqüentemente estes
contatos se abrem, assinalando no painel o baixo nível do líquido refrigerante.

Sensor do nível do líquido de arrefecimento do 1.5R.

Sensor do nível do líquido de arrefecimento do 1.6R.

Sensor do nível do líquido de arrefecimento com motor ligado (nível insuficiente)

Os contatos se abrirão quando o nível do líquido de arrefecimento do motor abaixar-se.


Afastando o magneto do bulbo os contatos se abrirão visto que o fluxo magnético que os mantém
fechados, ficará enfraquecido.
Substituição do sensor do nível do liquido de arrefecimento

Durante a substituição do sensor, tomar cuidado no momento de retirá-lo do radiador.


Antes de retirá-lo, puxá-lo devagar e dar um giro de 180º a partir da sua posição inicial e então
retirá-lo.

Para substituir o sensor do 1.6R, empregar a ferramenta A. 20132.

NOTA
Na remontagem do novo sensor, untá-lo com vaselina neutra.
SENSOR DE CONTROLE DO NÍVEL DE ÓLEO DO MOTOR

Está localizado sobre a extremidade imersa da vareta de verificação do nível de óleo do motor e é
constituído de dois contatos elétricos posicionados na extremidade de uma lâmina bimetálica
aquecida por uma resistência elétrica. Parte do calor produzido pela corrente que passa na
resistência do sensor é dissipado no óleo do motor (mesmo se a temperatura do óleo for superior a
100º). de forma que a lâmina bimetálica não se encurve suficientemente e os contatos
permaneçam fechados.
Assim que o nível de óleo diminua mais que o limite, a dissipação do calor não terá a mesma
intensidade e os contatos se abrirão pela ação expansiva exercida pelo encurvamento da lâmina
bimetálica e no painel aparecerá a sinalização de anomalia.

OBS.: com o motor em funcionamento, o controle do nível não mais funcionará, evitando que a
simples movimentação do óleo dentro do cárter possa ocasionar indicação indevida.
Todavia, o indicador de óleo (no painel de instrumentos) permanecerá funcionando para assinalar
eventuais anomalias.

CONTROLE DOS SENSORES

Quando o painel assinalar anomalias inexistentes, verificar as ligações elétricas do sistema, os


vários sensores, os circuitos de luz interessados e a central eletrônica.
Quando uma conexão estiver interrompida ou solta (ou excessivamente oxidada) isto virá
assinalado pelo dispositivo como anomalia do serviço relativo, dado que este último é equipado por
um sensor do tipo normalmente fechado.
Se os controles em questão não assinalam os defeitos, verificar os sensores dos serviços
interessados segundo a modalidade indicada abaixo.
Quando o cabo de alimentação do interruptor da luz de freio (localizado sob o pedal) desligar-se ou
interromper-se, o painel indicará ANOMALIA no circuito.

SENSOR DE CONTROLE DO NÍVEL DO LÍQUIDO DE FREIO

Verificar se o nível está correto.


Posicionar o comutador de ignição em MARCHA.
Pressionar a tampa do reservatório onde está localizado o sensor a fim de abrir os contatos;
se a indicação de ANOMALIA aparecer no painel, o sensor está bom.
Em caso contrário, substituí-lo.
SENSOR DO NÍVEL DO LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO

Verificar se o nível no reservatório lateral do radiador está correto. Em caso positivo, quando o
painel indicar ANOMALIA, o defeito poderá ser do sensor (2) que deverá ser substituído. Para
controlar o sensor depois de havê-lo desmontado do radiador, utilizar um ohmímetro mantendo a
bóia em posição de nível correto; colocando a bóia em posição de nível baixo verifica-se a
interrupção da corrente elétrica.

NOTA
Desligando a conexão (1), o painel deverá assinalar ANOMALIA. Em caso contrário, proceder à
substituição do monitor do Check-Control.

1. Conexão
2. Sensor

SENSOR DO NÍVEL DE ÓLEO DO MOTOR

Verificar o nível de óleo do motor. Se estiver correto, proceder do seguinte modo:


- Desligar o conector do sensor da vareta medidora do nível de óleo e inserir em seu lugar uma
resistência de 12 OHm como na figura.
- Posicionar o comutador de ignição em MARCHA.
- Observar no painel se a lâmpada VERMELHA se apaga. Em caso positivo o defeito é no sensor e
este deverá ser substituído. Se a lâmpada VERMELHA permanecer acesa, o defeito estará na
central eletrônica que deverá ser substituída.

Verificação do funcionamento do sensor do nível de óleo.


1. Conector do sensor
2. Sensor

NOTA
Não provocar curto-circuito nos cabos de alimentação do sensor pois isto danificará
irremediavelmente a central eletrônica.
Quando o defeito for devido à insuficiência do nível de óleo, após efetuar o reenchimento, voltar o
comutador de ignição à posição TRAVA a fim de cancelar a memorização, antes de rever o painel.
SENSOR DA PASTILHA DE FREIO

Certificar-se que o cabo de ligação do sensor não esteja desligado, excessivamente oxidado ou
interrompido.

SENSOR DE FECHAMENTO DAS PORTAS

Em caso de falha no funcionamento, certificar-se, depois de desmontar a fechadura, do correto


funcionamento dos contatos de cada um dos microinterruptores utilizando um ohmímetro a fim de
identificar o sensor defeituoso e substituí-lo.
Para desmontagem - montagem da fechadura e substituição do microinterruptor, ver instruções no
GRUPO 70.

TABELA DE DIAGNÓSTICOS DE INCONVENIENTES DO CHECK-CONTROL


(Módulo incorporado no quadro de instrumentos)

SERVIÇO ASSINALADO
Check-Control não acende a luz verde ao se ligar chave de ignição ou a luz vermelha quando é
assinalado qualquer anomalia.

CONDIÇÃO P/QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


Chave de ignição na posição MAR.

CAUSAS
- Fusível de “serviço” queimado

INTERVENÇÃO
- Substituir o fusível por outro de valor especificado.

SERVIÇO ASSINALADO
Luz de posição e luz de freio.

CONDIÇÃO P/ QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


Chave ignição na posição MAR.
Interruptor das luzes externas desligado e o pedal de freio desacionado.

CAUSAS
- Fusível do acendedor de cigarros queimado.
- Um ou dois terminais menores de ligação do interruptor de freio desligado.
- Interruptor do freio com inconveniente.
- Cabo de ligação do circuito de luzes de freio ao módulo de controle oxidado ou desligado nas
conexões sobre o módulo de controle ou sobre a caixa de fusíveis do sistema elétrico.

INTERVENÇÃO
- Substituir o fusível por outro de valor especificado.
- Religar o terminal.

- Fazer uma “ponte” nos terminais menores. Se a luz piloto apagar, substituir o interruptor do freio.
- Controlar as conexões do módulo de comando atrás do quadro de instrumentos.
- Controlar as conexões de saída da caixa de fusíveis.
- Controlar continuidade dos cabos.

SERVIÇO ASSINALADO
Luz de posição e luz de freio.

CONDIÇÃO P/ QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


Chave ignição na posição MAR.
Interruptor das luzes externas ligado (pedal freio desacionado).

CAUSAS
- Um ou dois fusíveis das luzes externas queimados.
- Uma ou mais lâmpadas das luzes de posição (dianteira ou traseira) queimadas ou com potência
diferente da especificada.
- Cabo de ligação do circuito de luzes externas do módulo de controle interrompido ou com mau
contato.

INTERVENÇÃO
- Substituir o fusível por outro de valor especificado.
- Substituir a lâmpada por outra de potência especificada.

- Controlar a integridade dos cabos em questão, terminais e conexões.

SERVIÇO ASSINALADO
Luz de posição e luz de freio.

CONDIÇÃO P/ QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


Chave ignição na posição MAR.
Pedal de freio acionado (interruptor das luzes externas desligados).

CAUSAS
- Uma ou duas lâmpadas de freio queimadas ou com potência diferente da especificada.
- Um ou dois terminais maiores de ligação do interruptor do freio desligado
- Interruptor do freio com inconveniente.

- Cabos de ligação do circuito de luzes do freio ao módulo de controle interrompido ou com mau
contato.

INTERVENÇÃO
- Substituir a lâmpada por outra de valor de potência especificada.

- Religar o terminal.

- Fazer uma “ponte” nos terminais maiores. Se a luz piloto apagar, substituir o interruptor de freio.
- Controlar a integridade dos cabos em questão, terminais e conexões.
SERVIÇO ASSINALADO
Luz de posição/freio assinalação momentânea durante o acionamento do pedal de freio.

CONDIÇÃO P/ QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


Chave de ignição na posição MAR.
Pedal de freio acionado lentamente.

CAUSAS
- Interruptor do freio com deficiência nos contatos internos.

INTERVENÇÃO
- Substituir interruptor do freio.

SERVIÇO ASSINALADO
Nível do líquido de arrefecimento do motor.

CONDIÇÃO P/ QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


- Chave de ignição na posição MAR - motor desligado (frio).
OBS: a assinalação pode cessar c/motor aquecido.

CAUSAS
- Nível do líquido do arrefecimento baixo.
- Sangria do sistema de arrefecimento mal executada.

INTERVENÇÃO
- Completar o sistema com água + Paraflu
- Efetuar sangria conforme instruções SGR 104-00

CONDIÇÃO P/ QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


- Chave de ignição posição MAR - motor em funcionamento ou não (frio ou quente).

- Nível do líquido
CAUSAS

- Cabo de ligação do sensor desligado do chicote do vão motor.


- Depósito de limalhas de ferro no imã do sensor.
- desprendimento da bóia do sensor.

INTERVENÇÃO
- Religá-lo
- Remover o sensor e limpá-lo.
- Retirar a bóia do fundo do reservatório de expansão com auxilio de um imã
amarrado a um cordão e instalar um novo sensor.

CONDIÇÃO P/ QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


Motor funcionando, aquecido e em alta rotação (aproximadamente 4000 rpm).

CAUSAS
- Chicote de ligação sensor ao módulo de controle interrompido, conexões
oxidadas ou desligadas.
- Sangria do sistema de arrefecimento mal executado.

INTERVENÇÃO
- Controlar a integridade do chicote em questão, conexões e terminais.
- Efetuar sangria conforme instruções SGR 104-00.

SERVIÇO ASSINALADO
Nível do óleo do motor.

CONDIÇÃO P/ QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


- Chave de ignição na posição MAR e com o motor desligado.
OBS: não ligar o motor - ver nota sobre funcionamento do sensor.

CAUSAS
- Cabo de ligação do sensor ao módulo de controle desligado ou com mau contato.
- Nível do óleo do motor baixo.
- Sensor defeituoso.

INTERVENÇÃO
- Controlar a integridade do cabo em questão, conexões e terminais.
- Completar o óleo do cárter.
- Verificar funcionamento e substituí-lo se necessário.

SERVIÇO ASSINALADO
- Fechamento das portas.

CONDIÇÃO P/QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


- Chave de ignição na posição MAR.
- Portas bem fechadas.

CAUSAS
- Microinterruptor com folga na fixação à carroceria.
- Microinterruptor com a haste de acionamento empenada ou com mau contato.
- Microinterruptor não compatível.
OBS: neste caso a assinalação cessa ao abrir a porta.
- Cabo de ligação do microinterruptor ao chicote ao módulo de controle desligado
ou com mau contato.

INTERVENÇÃO
- Veículos em garantia: - Substituir a fechadura.
Veículo fora de garantia: - substituir microinterruptor.
- Veículos em garantia: - substituir a fechadura.
Veículos fora da garantia: -rebitar novamente o microinterruptor.
- Com a porta fechada, medir com um ohmímetro a resistência nos terminais
do microinterruptor. A resistência deverá ser infinito. Caso contrário substituir a
fechadura.
- Controlar a integridade dos cabos em questão, terminais e conexões.
SERVIÇO ASSINALADO
Nível do fluído de freio do reservatório.

CONDIÇÃO P/ QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


Chave de ignição na posição MAR.

CAUSA
- Nível do fluído do freio irregular.
- Sensor defeituoso.
- Cabos de ligação do sensor ao módulo de controle interrompidos ou com mau contato.

INTERVENÇÃO
- Corrigir
- Verificar o funcionamento do sensor, pressionando sua parte superior. Caso cesse a assinalação,
substituir o sensor.
- Controlar a integridade dos cabos em questão, terminais e conexões.

SERVIÇO ASSINALADO
Desgaste das pastilhas de freio.

CONDIÇÃO P/ QUE SE VERIFIQUE CAUSA DA ANOMALIA ASSINALADA


Chave de ignição na posição MAR.

CAUSA
- Pastilhas com desgaste excessivo.
- Cabos do chicote de ligação do sensor da pastilha ao módulo de controle
interrompido ou fechado curto com a massa.
- Sensor em curto com a pastilha.

INTERVENÇÃO
- Substituir as pastilhas.
- Restaurar as ligações, limpar os terminais ou isolar os cabos da massa.
- Substituir a pastilha.

NOTA
- Nunca fazer um curto-circuito com chave de fenda ou qualquer objeto nas sedes das lâmpadas
para verificar a existência de energia no local. Utilizar sempre um voltímetro.
- Não deixar nenhum dos fios do chicote elétrico de qualquer sensor encostar no motor ou na
carroceria, pois um curto com a massa poderá danificar seriamente o módulo de controle.
- Em caso de dúvidas sobre localização de sensores e manutenção do Check-Control, consultar as
informações específicas contidas neste SGR.

APRESENTAÇÃO

O computador de bordo é composto basicamente por um microprocessador localizado no quadro


de instrumentos, destinado a receber informações dos sensores e fornecer dados extremamente
precisos sobre: consumo de combustível, velocidade média, distância percorrida e autonomia,
além de possuir um relógio e um cronômetro.

Km/l: Indica o consumo instantâneo do veículo.


Km/l Média: Indica o consumo médio, a partir do reset da função.
Litros consum: Indica o volume de combustível consumido desde o último reset.
Km Percor.: Indica a distância percorrida a partir do último reset.
Km Autonom.: Indica a distância que pode ser percorrida com o combustível existente no tanque.
Km/l Autonom.: Indica a média obtida nos últimos 1,6 l consumidos, utilizado p/ cálculo de
autonomia.
Km/h Média: Indica a média em km/h a partir do último reset, enquanto o veículo estiver ligado.
Hora: Fornecida por um relógio de 24 horas.
Data: Indica dia e mês, corrigido para os meses diferentes de 30 dias.
Cronômetro: Independente da ignição, mostra o tempo em min/seg ou hora/min.
Alarme: Dispara quando a autonomia é crítica (90, 50 e 30 km).
2.1 Sensor de fluxo

O sensor de fluxo é responsável pelo fornecimento da quantidade de combustível que entra no


carburador, ou seja, a quantidade de combustível, consumida pelo motor.
É ligado na tubulação de combustível, no trecho que vai da bomba ao carburador.
No veículo ele fica localizado no vão do motor, lado esquerdo, conforme figura.

2.2 Sensor de rotação

O sensor de rotação é responsável por informar ao microprocessador a distância percorrida pelo


veículo.
É ligado ao pinhão do velocímetro na caixa de mudanças.
2.3 Comando do indicador do nível de combustível

Também conhecido por “bóia do tanque”, destina-se a fornecer a quantidade de combustível


contida no reservatório.
Devido à precisão do computador de bordo, o comando do indicador do nível de combustível é
específico.

FUNÇÕES DO COMPUTADOR DE BORDO

Através das informações desses três sensores, o microprocessador efetua os cálculos da seguinte
maneira:

Km/l (consumo instantâneo)

É calculado pela distância, em km, percorrida pelo veículo (fornecida pelo sensor de rotação) por
uma determinada quantidade de combustível, em litros, consumida (fornecida pelo sensor de
fluxo).
O cálculo desse consumo é efetuado e apresentado a cada dois segundos.
Quando o veículo trafega em velocidades superiores a 10 km/h, o consumo é apresentado em
km/l, mas se o veículo estiver parado ou trafegando em velocidades inferiores a 10 km/h, o
consumo será apresentado em l/h (litros por hora) e nesse caso o LED da função fica intermitente.

Km/l Média (consumo médio)

Também é calculado pela distância percorrida pelo veículo por uma determinada quantidade de
combustível consumida.
O valor é recalculado a cada 10 ml de combustível consumidos e/ou a cada 10m percorridos.
O cálculo desse consumo é efetuado a partir de uma ZERAGEM. Para se zerar essa função,
pressionar simultaneamente as teclas (seta para cima e seta para baixo).
Quando essa função é zerada, zeram-se também as funções “litros consum.”, “km percor.” e “km
média”.

Litros consumidos

Nessa função é apresentada a quantidade de combustível consumida em litros (fornecida pelo


sensor de fluxo), a partir da zeragem efetuada na função km/l média.
O valor máximo da medição é de 6.500 litros, sendo que até 999,9 litros a variação é de 0,1 em 0,1
litros e a partir de 1000 litros consumidos a variação será de 1,0 em 1,0 litro.
Km percorridos

Nessa função é apresentada a distância percorrida pelo veículo, fornecida pelo sensor de rotação,
a partir da zeragem efetuada na função “km/l média”.
O valor máximo de medição é de 6500 km, sendo até 999,9 km a variação é de 100m em 100m e
após 1000 km rodados a variação será de 1,0 em 1,0 km.

Km/l Autonomia

É o consumo para cálculo da autonomia.


Este é calculado a partir da média de consumo de combustível considerando o espaço percorrido
durante os últimos 1,6 litros consumidos. Melhor explicando, o computador faz 8 médias de
consumo, sendo fixada uma quantidade de combustível consumida de 0,2 litros (quadro1).

Quando se consome mais de 0,2 litros além dos 1,6 o computador abandona a média (1) e com a
nova média (9) recalcula uma nova média geral (ver linhas tracejadas do quadro 2).

QUADRO1

Km percorridos km 1 km 2 km 3 km 4 km 5 km 6 km 7 km 8
Litros Consumidos 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2
Médias km/l M1 M2 M3 M4 M5 M6 M7 M8

Média Geral km/l Autonomia

QUADRO 2

Km percorridos km1 km2 km3 km4 km5 km6 km7 km8 km9
Litros Consum. 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2
Médias km/l M1 M2 M3 M4 M5 M6 M7 M8 M9

Média Geral km/l Autonomia


Nova Média Geral km/l Autonomia

Os sensores que fornecem informações para essa função são: o de rotação e de fluxo.
Essa função não pode ser zerada, pois permanece no computador para o cálculo da autonomia.

Km Autonomia

A autonomia é a distância, em km, que o veículo pode percorrer com a quantidade de combustível
contida no reservatório.
Para calcular a autonomia, o computador toma informação da quantidade de combustível contida
no reservatório, através do comando do indicador do nível de combustível, e do consumo para
autonomia(km/l Autonomia).
Com estas informações, ele calcula os dados a partir da fórmula abaixo:
Km Autonomia = volume contido no reservatório X consumo (km/l autonomia).

OBS.:
- devido as oscilações do comando indicador do nível de combustível, são efetuadas 8 leituras de
volume que são atualizadas a cada 2 segundos.
- Devido a variação da resistência do comando, quando o reservatório está vazio (pequena
variação, mas que pode influir na função), é necessário se ajustar o quadro com o comando toda
vez que se substituir um desses dois componentes.
- Essa função também não pode ser zerada, pois permanece constantemente na memória do
computador.
- O computador de bordo possui um alarme sonoro para lembrar o cliente a hora de reabastecer o
reservatório.
O alarme (BIP) soará, aparecendo a função km Autonomia nas seguintes condições:
. Quando a autonomia atingir 90, 50, 30 km.
. A cada minuto, com autonomia inferior a 30 km.
. Toda vez que a chave de ignição for ligada com a autonomia abaixo de 90 km.

Para interromper o alarme, selecione outra função ou, obviamente reabasteça o reservatório.

Km/h Média

É a velocidade media calculada desde a zeragem efetuada na função km/l média.


Essa velocidade é calculada através da quilometragem percorrida pelo veículo e o tempo gasto
para isso.
O tempo é tomado todas as vezes que se liga a chave de ignição. Por esse fato, se a chave de
ignição ficar ligada e o veículo permanecer parado, a velocidade média tenderá a diminuir.

Além das funções calculadas pelas informações dos sensores, o computador de bordo possui,
ainda, algumas funções que são independentes destes sensores:

Hora

O visor indica o horário; hora e minutos, variando de 00:00 até 23:59.


Esta é a única função que pode ser acionada com a chave de ignição desligada, bastando para tal
pressionar a tecla (seta para baixo), quando então o horário aparecerá no display por 4 segundos.
Ao se ligar a chave de ignição, a função hora será selecionada automaticamente.
Porém, caso haja pouco combustível no reservatório, o computador selecionará a função km
autonomia e será ativado o BIP.

Para se fazer o acerto de hora e data, proceder da seguinte maneira:

- Com a chave de ignição desligada, pressione a tecla (seta para baixo) e, mantendo-a
pressionada, ligue a chave de ignição e a função hora aparecerá no display. Solte a tecla e o valor
da hora estará pronto para ser atualizado.
- Com o LED da função hora aceso, pressione a tecla (seta para baixo) até surgir a hora correta.
- Pressione a tecla (seta para cima) até soar um BIP somente (o LED de hora permanecerá aceso)
e, logo após pressione a tecla (seta para baixo) até que surja o valor correto do minutos.
- Pressione a tecla (seta para cima) até soar um BIP e o LED de data acenderá. A seguir pressione
a tecla (seta para baixo) até que surja o valor correto do dia.
- Pressione a tecla (seta para cima) até soar um BIP (o LED de data permanecerá acesso) e, logo
depois pressione a tecla (seta para baixo) até que surja o mês correto.

NOTA
Pressionando a tecla (seta para cima) o display voltará a função hora, podendo-se iniciar o acerto,
conforme instruções acima. Para encerrar os ajustes, basta desligar a chave de ignição guando
completar a operação desejada.

Em resumo, no acerto do horário e data, após se efetuar a primeira operação, para selecionar a
função desejada, basta pressionar a tecla (seta para cima) e para fazer o ajuste pressionar a tecla
(seta para baixo).
Data

O visor indica a data em Dia: Mês.


O mês de fevereiro é considerado sempre com 29 dias. Nos demais meses a correção é
automática.

Cronômetro

Nesta função é apresentado o tempo decorrido desde o seu acionamento.


Na primeira hora, mostra minutos: segundos (de 00:00 até 59:59 ).
Depois de uma hora, o visor mostra o tempo em horas: minutos ( de 01:00 até 99:59 ) nas horas
subsequentes.
Pressionando-se simultaneamente as duas teclas seletoras de função, com a chave de ignição
ligada, obtém-se:
- Zeragem e reinicio.
- Parada do cronômetro.
- Zeragem e reinicio e assim sucessivamente.

NOTA
O cronômetro não é interrompido quando se desliga a chave de ignição.

QUADRO DE INSTRUMENTOS

Remoção

Proceder conforme instruções contidas neste manual seção 55.

Colocação

Proceder conforme instruções contidas neste manual, seção 55, e com a chave de ignição
desligada encaixar os conectores na seguinte ordem: B, C, D, E, A, F.
Após encaixado o conector F (preto) aparecerá no visor (display) do computador as indicações
00:00 durante 4 segundos, caso contrário, desligar o conector F, aguardar 5 segundos e reconectá-
lo. Persistindo o inconveniente verificar o sistema de alimentação do computador de bordo,
conforme esquema elétrico (seção 55).
COMANDO INDICADOR DO NÍVEL DE COMBUSTÍVEL (BÓIA)

Remoção e recolocação

Proceder conforme instruções deste manual, seção 55.

NOTA
Na substituição do quadro de instrumentos e/ou comando indicador do nível de combustível, é
necessário efetuar um ajuste na função km autonomia ( ver item AJUSTES E VERIFICAÇÕES).

SENSOR DE FLUXO

Remoção

Desligar o conector elétrico, as mangueiras e retirar sua porca de fixação.

Colocação

Ligar o conector elétrico, apertar a porca de fixação e conectar as mangueiras obedecendo a


marcação em seu corpo.
SENSOR DE VELOCIDADES

Remoção

Desconectar o cabo do velocímetro do lado do pinhão, o conector elétrico e remover o sensor


utilizando a ferramenta específica nº A. 89230.
AJUSTE E VERIFICAÇÕES

Ajuste da função km autonomia

NOTA
Este ajuste somente será necessário nos casos de substituição do quadro de instrumentos e/ou do
comando indicador de combustível.

- Retirar o comando indicador do nível de combustível (bóia) utilizando a ferramenta específica.


- Posicionar a haste do comando do indicador do nível de combustível simulando a situação de
reservatório de combustível vazio, flutuador totalmente para baixo.
- Colocar a chave de ignição na posição desligado (STOP).
- Desligar o conector F (cor preta) do chicote suplementar do quadro de instrumentos e após
alguns segundos reconectá-lo.

- Ligar a chave de ignição (MAR).


- Selecionar a função km/l autonomia.
- Verificar se o display apresenta 10,0, caso contrário desligar a chave de ignição (stop), retirar o
conector F, aguardar alguns segundos, recolocá-lo e ligar a chave de ignição (MAR).
- Selecionar a função km autonomia.

- Localizar o TRIM-POT, que é um parafuso com acesso através do furo localizado na parte
superior do quadro de instrumentos.

- Pressionar simultaneamente as teclas (seta para cima) e mantê-las pressionadas durante todo o
ajuste.
Aguardar a estabilização do valor.

NOTA
Prosseguir com o ajuste mesmo que o valor indicado no display seja 0.0.
NOTA
O TRIM-POT é um parafuso com cabeça de plástico. Para girá-lo deverá ser usada uma chave de
fenda fina e em bom estado.

- Girar lentamente o TRIM-POT no sentido horário, até o valor atingir aproximadamente 80.0. Em
seguida girar o TRIM-POT bem lentamente no sentido anti-horário até o valor 10.0, dê um leve
toque e aparecerá 0.0.
- Soltar as teclas (seta para cima e para baixo)
- Desligar a chave de ignição (STOP).
- Posicionar a bóia do tanque simulando a situação do reservatório cheio, flutuador
totalmente para cima.
- Ligar a chave de ignição (MAR).
- Selecionar a função km autonomia. Deverá aparecer o valor 550.
- Desligar a chave de ignição (STOP).
- Reinstalar o comando indicador do nível de combustível.
- Executar as verificações conforme título Verificação das Funções.
VERIFICAÇÃO DAS FUNÇÕES

Verificações com o motor desligado

Ligue a chave de ignição. Deverá aparecer no quadro a função hora e 00.00 no visor.
Selecione uma a uma as funções do computador, checando a indicação apresentada no visor com
as do quadro abaixo.

FUNÇÃO VISOR
km/l 0.0
Km/l média 0.0
Litros consumidos 0.0
Km percorridos 0.0
Km Autonomia 550 (Compatível com a quantidade de combustível no tanque)
Km/l Autonomia 5.0 (Compatível com a quantidade de combustível no tanque)
Km/l média 0.0
Hora Indicação qualquer.
Data 1.1

Cronômetro Pressione simultaneamente as teclas seletoras. O Visor indicará 0:0 e iniciará a


contagem em segundos.

CUIDADOS ESPECIAIS

- Nunca efetuar ligação de bateria adicional ao veículo, mesmo quando a sua bateria estiver
descarregada.
- Quando houver necessidade de efetuar soldagem elétrica no veículo, desligar os cabos da bateria
e o chicote do alternador.
- Evitar golpes ou quedas de qualquer um dos componentes do equipamento.
- Ao se desligar ou religar a bateria, o computador poderá ficar alterado. Nesse caso desligue o
conector F (preto) do chicote suplementar, localizado atrás do quadro de instrumentos , aguarde
alguns segundos e volte a conectá-lo.
- É obrigatório a utilização de velas resistivas e cabos resistivos nos veículos com computador de
bordo.

ELIMINAÇÃO DE INCOVENIENTES DO COMPUTADOR DE BORDO

- Para eliminação de algum inconveniente, é muito importante que se faça uma análise para
verificação da forma que ele se apresenta.
- No computador de bordo, um inconveniente em um dos sensores pode afetar várias das funções,
com exceção do indicador do nível de combustível que somente influi na função km Autonomia.
- Antes de se efetuar qualquer intervenção nos componentes do computador de bordo, deverá ser
feita uma conferência nas ligações dos conectores dos sensores e do quadro de instrumentos.

PRINCIPAIS INCOVENIENTES APRESENTADOS NO COMPUTADOR DE BORDO

Marcação incorreta das funções (exceto hora, data, cronômetro)

Para se verificar a veracidade das marcações do computador de bordo, basta conferir as funções
km percorridas e litros consumidos, que se detecta onde está o inconveniente.
A conferência dessas duas funções pode ser feita da seguinte maneira:
- Fazer uma zeragem da função km/l média.
- Efetuar uma rodagem de dez km com o veículo, tomando como base o hodômetro do
velocímetro.
- Selecionando-se a função km percorridos, o valor apresentado no display também deverá ser de
9,1 a 10 km.
- Selecionar a função litros consumidos.
O display deverá apresentar uma quantidade de combustível consumida representativa. Por
exemplo: Se o veículo rodou em transito livre (estrada a 80 km/h), a quantidade de combustível
consumida deverá estar próxima de 0,7 a 1,1 litros.
Se o veículo rodou em cidade (trânsito mais lento), a quantidade de combustível consumida deverá
estar próxima de 0,9 a 1,5 litros.

* Valores servem apenas como referência podendo variar com a maneira de condução do veículo,
tipo de estrada e outros fatores.
Na função km Autonomia, porém, o comando do indicador do nível de combustível também influi
no valor indicado.
Um ajuste dessa função, mal executado, também poderá provocar uma informação incorreta,
como por exemplo, o combustível esgotar-se do reservatório e o computador informar que ainda
restariam alguns quilômetros a serem percorridos.
Porém, se o comando do indicador do nível de combustível estiver com algum inconveniente,
fatalmente o marcador de combustível no quadro também estará afetado.

BIP acionado constantemente, mesmo com quantidade razoável de combustível no reservatório

Se o BIP estiver acionado constantemente, indica que a autonomia está baixa.


Isto pode ser provocado por:
- consumo muito alto de combustível, devido a regulagem incorreta do motor, bóia do carburador
encharcada, etc.
- Consumo muito alto devido a operações de regulagem no motor, ou seja, durante a regulagem de
um motor é normal que este fique funcionando por muito tempo com o veículo parado.
- Consumo muito alto devido a trânsito muito intenso (engarrafamento, etc.).
Neste caso, após uma rodagem com o veículo em trânsito livre a tendência é o BIP parar de
acionar e não há inconveniente algum nos componentes do computador de bordo (sensores,
quadro).

Para se eliminar essa situação mais rapidamente, basta desligar o conector F (preto) do chicote
suplementar do quadro de instrumentos, com a chave de ignição desligada, aguardar alguns
segundos e religá-lo.
Neste instante, selecionada a função km/l Autonomia, o display indicará o valor 10.0 e será
necessário efetuar o acerto de hora e data.

- Inconveniente no comando do indicador do nível de combustível. Nesse caso o marcador de


combustível no quadro também estará alterado.

No quadro de instrumento não acende o display e LEDs do computador

Deverão ser verificados os fusíveis das luzes de serviço e buzina.

NOTA
Quando o fusível da buzina está queimado, além das indicações não aparecerem, o computador
perde a memória os dados até então nele contidos.
Quando o fusível das luzes de serviço está queimado as indicações não aparecem, porém o
computador não perde a memória.