Você está na página 1de 12

ESTADO DO MARANHÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO


UNIDADE REGIONAL DE EDUCAÇÃO
CENTRO DE ENSINO SALIM BRAID
RECONHECIDO PELA RESOLUÇÃO N° 183/2009 CEE
Rua do Posto Médico n° 2002 – Estiva / São Luís – MA.

PROJETO POLÍTICO PEDAGOGICO

São Luís
2016

1
“Ensinar é um exercício de imortalidade.
De alguma forma continuamos
a viver naqueles cujos olhos aprenderam
a ver o mundo pela magia da nossa palavra.”
(Rubem Alves)

2
SUMÁRIO

1 IDENTIICAÇÃO ........................................................................................... 4
2 APRESENTAÇÃO ....................................................................................... 5
3 PRINCIPIOS NORTEADORES ............................................................................. 5
4 CONCEPÇAO DA ESCOLA ................................................................................. 5
5 MISSÃO DA ESCOLA ................................................................................. 5
6 VISÃO DA ESCOLA .................................................................................... 6
7 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS E METAS ............................................................ 6
7.1 Valores ..................................................................................................... 6
8 REGIMENTO ESCOLAR ...................................................................................... 6
8.1 Dos direitos e deveres ..................................................................................... 6
9 CURRICULO DO ENSINO .................................................................................... 8
10 AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM ................................................................... 9
12 QUADRO DE AÇÕES ....................................................................................... 10
12.1 Ações pedagógicas...................................................................................... 10
12.2 Ações administrativas ................................................................................. 11
13 REFERÊNCIAS ................................................................................................. 12

3
1- IDENTIFICAÇÃO

Escola: Centro de Ensino Salim Braid


Endereço: Rua do Posto Médico, nº 2002 – Estiva
Município: São Luís – MA
Telefone: 3241-4529/ 4530
Diretora: Carmem Duarte dos Santos
Secretária: Antônia Maria Miguens Costa Vieira
Turno de funcionamento: Matutino, Vespertino e Noturno

O C.E Salim Braid foi fundado em 1983 pelo Governador Luís Rocha, em
convênio com a Associação dos Moradores da Estiva, tendo como presidente o S.r.
Eider Aragão , com 835 m2 de área . Na ocasião, foi eleita a Prof.ª Carmem Duarte dos
Santos, para assumir a direção geral da escola, cujo funcionamento dava-se nos
turnos matutino e vespertino com o ensino fundamental de 1ª a 4ª série, reconhecido
pela resolução de nº 052/87 – CEE.
No ano de 1990 foi aprovada a mudança de denominação Escola Comunitária
Salim Braid para Unidade Integrada Salim Braid pela resolução 209/90. Ainda nesse
ano, foi autorizado o funcionamento do ensino fundamental de 5ª a 8ª série.
Em 2003, pelo Decreto nº 19.683, a escola passou também a oferecer o Ensino
Médio, e tornou-se o Centro de Ensino Fundamental e Médio Salim Braid (C.E.E.F.M),
funcionando no turno matutino - o ensino fundamental, no turno vespertino – ensino
fundamental e médio e no noturno- Viva Educação, projeto que já existia desde 2001
que oferecia o supletivo do ensino médio e que hoje trabalha com o projeto EJA-
Educação de Jovens e Adultos e Ensino médio regular.
No ano seguinte, 2004, foi editada a resolução 181/2004 – CEE, estabelecendo
a mudança de C.E.E.F.M para C.E (Centro de Ensino), e passou a vigorar apenas a
partir de 2007.
Atualmente, com a resolução nº 183/2009, a escola atua com as modalidades
do ensino fundamental, médio regular e Educação de Jovens e Adultos, funciona com
uma gestão participativa, na qual se envolvem todos os docentes, discentes e
comunidades. O espaço da escola é reduzido, o que inviabiliza algumas atividades
que requerem uma área maior para a prática de esportes e outras atividades.
Contudo, trabalham-se projetos interdisciplinares, feiras culturais, aulas práticas e
outras atividades educativas a fim de valorizar o processo de ensino-aprendizagem e
primar por uma educação de qualidade.

4
2- APRESENTAÇÃO
O ensino faz parte da educação básica, é parte da formação que todo brasileiro
jovem deve ter para enfrentar a vida adulta com maior segurança. Dessa forma
propõe-se um currículo baseado no domínio das competências básicas, com um
currículo que tenha vinculo com os diversos contextos da vida dos alunos, onde os
mesmo integram-se nas dimensões fundamentais da cidadania e do trabalho, que se
darão a partir das ações designadas pelas politica publicas e pedagógicas de forma
contextualizada e interdisciplinar na construção do conhecimento.
Nessa perspectiva, incorporam-se como diretrizes gerais e orientadoras da
proposta curricular, as quatro premissas apontadas pela UNESCO como eixos
estruturais da educação na sociedade contemporânea, que são: APRENDER A
CONHECER, APRENDER A FAZER, APRENDER A VIVER e APRENDER A SER, em
consonância com os PCNs.

3- PRINCIPIOS NORTEADORES
O C.E. Salim Braid elaborou seu projeto politico pedagógico respaldado nos
princípios da democracia, com igualdade de condições de acesso e permanência na
escola dento de uma gestão democrática, aprimorando a qualidade do ensino,
promovendo maior liberdade na divulgação de ideias e pensamentos, valorização dos
profissionais através de formação na própria escola nos dias de estudos e
planejamentos.

4- CONCEPÇAO DA ESCOLA
Na instituição C.E. Salim Braid trabalha-se com a concepção de construir uma
sociedade inclusiva, onde todos tenham seus direitos adquiridos e assegurados com
uma educação de qualidade que promova a constituição da cidadania. É uma escola
de aprendizagem significativa, com o currículo interdisciplinar e integrado e com
avaliação continua, processual e qualitativa. Contudo, a instituição precisa estar em
permanente construção de um coletivo forte com uma gestão participativa,
transparente e com ações inovadoras.

5- MISSÃO DA ECOLA
O C.E. Salim Braid tem como missão proporcionar um ensino de qualidade,
oportunizando o acesso e permanência dos alunos na escola, formando cidadãos
críticos, capazes de cooperar com a instituição em um ambiente de intensa
criatividade e respeito mútuo, objetivando agir na transformação da comunidade
escolar e da sociedade.

5
6- VISÃO DA ESCOLA
Ser reconhecida pela excelência, pelo compromisso e desempenho nas
atividades educacionais, exercendo a solidariedade e respeito com os alunos
juntamente com a comunidade, buscando dessa forma o seu desenvolvimento
integral.

7- OBJETIVOS ESTRATÉGICOS E METAS


 Elevar o desenvolvimento acadêmico dos alunos;
 Modernizar a gestão escolar;
 Envolver escola e comunidade.

7.1- Valores
 Respeito
 Solidariedade
 Igualdade
 Compromisso

8- REGIMENTO ESCOLAR
8.1- Dos direitos e deveres
SEÇÃO I
Do pessoal docente, técnico e apoio administrativo.
 São direitos do pessoal docente, técnico e administrativo:
I- Gozar de liberdade no exercício de suas atividades no que não contraria em
dispositivos legais;
II- Participar de reuniões ou cursos relacionados com as atividades que lhes são
pertinentes para o seu aperfeiçoamento de especialização ou atualização;
III- Requisitar todo material que for necessário ao desempenho de suas funções;
IV- Ser respeitado na sua autoridade e no seu desempenho de suas funções;
V- Sugerir providencia que favoreçam o pleno funcionamento da escola;

Constituem deveres do pessoal docente, técnico e apoio administrativo:


I- Desempenhar todas as atividades que por natureza são inerentes à função que
exerce;
II- Velar pela dignidade do educando, pondo-os a salvo de qualquer tratamento
desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.
III- Zelar pela conservação do material didático, dos equipamentos utilizados por si e
pelos alunos em sala de aula, laboratório e demais ambientes escolares;

6
IV- Incentivar os alunos e com eles participar ativamente nas comemorações cívicas e
atividades sociais e culturais realizadas pela escola;
V- Usar a linguagem condigna com os alunos, mantendo com eles um regime de
constante colaboração;
VI- Manter com os colegas, espirito de colaboração e solidariedade sendo
indispensável a eficiência da obra educativa realizada pela escola;
VII- Notificar a direção da escola a respeito da irregularidade na vida escolar dos
alunos, frequência ou mau relacionamento dos mesmos para que juntos aos pais
sejam tomados às providencias cabíveis;
VIII- Valorizar a cultura e a experiência extraescolar dos alunos, garantindo-lhes a
liberdade de criação, expressão, diálogo e acesso as fontes de cultura e o seu
aprimoramento como pessoa humana.

SEÇÃO II
DO PESSOAL DISCENTE
I- Receber em igualdade de condições as orientações necessárias para realizar suas
atividades;
II- Usufruir de todos os benefícios de caráter educativo, cultural, social e recreativo;
III- Ser considerado e valorizado em sua individualidade pelos seus educadores e
colegas sem discriminação de raça, cor, religião, classe social, politica ou outra;
IV- Defender-se quando acusado de qualquer falta, acompanhado por seu
representante legal, se necessário;
V- Receber seus trabalhos e provas devidamente corrigidas e avaliadas no tempo
hábil;

SEÇÃO III
DAS MEDIDAS SOCIO-EDUCATIVAS
As medidas sócias educativas serão aplicadas pelo ao cumprimento dos
deveres e obrigações estabelecidas por leis e normas regimentais que visão promover
o bom funcionamento dos trabalhos escolares, manutenção da ordem e da formação
do educando.
Pela inobservância de seus deveres e normas constantes deste regimento,
ficam o pessoal docente, técnico e apoio administrativo sujeitos às medidas sócias-
educativas previstas em lei.

Paragrafo único-

7
Compete a gestão, ouvir o colegiado, tomar as providencias cabíveis para a
aplicação das medidas referidas.
O aluno estará sujeito as seguintes medidas socioeducativas:
I - advertência verbal, particular ou escrita;
II - reparação de danos;
III - suspensão temporária de participação em qualquer tipo de atividade
escolar;
IV - transferência de turnos;
V – transferência para outro estabelecimento de ensino.
Estarão isentos das medidas indicadas anteriormente, os alunos maiores de 17
anos, pois para estes a aplicação das medidas será feita mediante o que for dito pelo
Colegiado Escolar, e será dado ao aluno o direito de defesa.
Qualquer medida socioeducativa aplicada ao aluno é de responsabilidade da
gestão, que dever dar conhecimento aos pais ou responsáveis quando for menor de
idade, não se sendo negado o direito de defesa.
Na reparação do dano, será levada em conta a capacidade de cumprir as
circunstancias e a gravidade do ato cometido numa ação conjunta, escola e família.
A suspensão do aluno não o isentará da apresentação dos trabalhos escolares
previamente determinados, bem como ser avaliado ao retornar a escola.
A transferência será imposta ao aluno somente quando, houver reincidência na
pratica de atos inteiramente incompatíveis com as normas dos bons costumes e
disciplinas.
Os atos acima mencionados serão registrados com validade para a escola,
mas poderão constar observações no histórico escolar do aluno.

9- CURRICULO DO ENSINO
Elaborado de acordo com o previsto na LDB nº 9.394/96
A proposta curricular é voltada para as competências básicas, com visão
orgânica do conhecimento no qual os conteúdos de ensino devem estar ligados as
situações de aprendizagem significativas e estabeleçam relações com o contexto da
vida social e pessoal.
Nesse sentido, é mais importante o desenvolvimento das competências e
habilidades, que a quantidade de informação sem a devida aplicabilidade na resolução
de situações de vida pratica e da competência cotidiana.
São princípios pedagógicos deste currículo, a contextualização e as
interdisciplinaridades, os quais devem ser aplicados nas diversas situações de
aprendizagem, permeando toda a prática avaliativa que deve contemplar os eixos de

8
competências próprias à área de conhecimento, os quais devem ser considerados em
cada instrumento e avaliação utilizada pelo professor, a saber:
I- Representação
II- Investigação
III- Contextualização sociocultural
O professor pode utilizar-se das seguintes metodologias: projetos, trabalhos em
grupos, seminários, feiras, gincanas culturais e esportivas, pesquisas, bibliografias,
relatórios, provas, exercícios, etc. primando sempre pelos aspectos qualitativos.

10- AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM


As avaliações devem funcionar das seguintes formas:
Ao aluno- para detectar falhas ou desvios de aprendizagem e a necessidade de
revitalização do processo aluno/ aprendizagem;
Ao professor- favorecer a oportunidade de reexaminar continuamente a sua
própria pratica, isto é, se as atividades, métodos, recursos e técnicas utilizadas, está
possibilitando o alcance dos objetivos;
A escola- de modo a apontar a necessidade de rever objetivos, metas ou
planos concebidos, tendo em vista a viabilidade e a validez da proposta pedagógica.
Paragrafo único: o conselho de classe procederá na analise do desempenho do
aluno e ocorrerá em quatro momentos, sendo um por bimestre o ultimo depois da
prova final, sempre com a presença do professor, diretor, coordenador pedagógico,
líder de turma, perfil do professor na visão do aluno (frequência, nota, atitude,
relacionamento, participação, etc.).

11- RELAÇÃO ESCOLA COMUNIDADE


A escola é para a comunidade uma oportunidade de ampliação de horizontes,
e todas as atividades realizadas na escola são bem aceitas por ela. Os projetos da
escola consistem nas ampliações de conhecimentos da mesma, fazendo com que
ambos expandam seus conhecimentos, também pretendendo buscar parcerias com
entidade que possam trabalhar atividades complementares como por exemplo, de
esportes e artes, melhorado a qualidade de vida de todos.

9
12- QUADRO DE AÇÕES

12.1 Ações pedagógicas

Nº AÇÕES PUBLICO PROCEDIMENTOS PERIODO


01 Analisar os
documentos ,
Jornada Gestores, projetos didáticos,
pedagógica Coordenadores e calendário escolar, Janeiro
Professores. PPP, Plano de Ação,
proposta curricular e
regimento escolar
02 Realizar Estudar assuntos
encontro Gestores, educativos para a
sobre o Pacto Coordenadores e melhoria da formação
Nacional pelo Professores. continuada dos Fevereiro
Fortalecimento do educadores.
Ensino Médio
03 Promover a leitura em
todos os segmentos da
escola, incentivar e
Alunos,
facilitar o acesso Todo o
Professores e toda
àqueles que têm ou
Projeto de leitura comunidade ano letivo
gostariam de
desenvolver o hábito
por ela.
04 Projeto junino Comunidade escolar Conhecer a origem das
festas juninas,
Junho
conhecer seus
símbolos e valorização
das tradições.
05 Gincana escolar Comunidade escolar Promover debates Setembro
sobre os temas da
atualidade
06 Halloween Comunidade escolar Conhecer a origem e
história do halloween,
seus personagens e
simbologias, tendo Outubro
desta forma uma
oportunidade de
vivenciar outras
culturas.
07 Reuniões Gestores,
Coordenadores e
pedagógicas
Professores.

10
12.2 Ações administrativas

Nº AÇÕES PUBLICO PROCEDIMENTOS PERIODO


01 Elaborar e Gestores, Será realizado na Janeiro
executar o coordenadores, jornada pedagógica a
calendário professores e equipe e colocado em Fevereiro
escolar administrativa. pratica durante o ano
02

03

04

11
13- REFERÊNCIAS

ALVES, José Matias. Organização, gestão e projeto educativo das escolas. Porto:
Edições Asa, 2013.

DEMO, Pedro. Educação e qualidade. Campinas: Papirus, 2014

FREIRE, Paulo. Educação como prática de liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra,
2012.

SAIANI, Demerval. Educação do senso comum à consciência filosófica. São Paulo:


Cortez, 2013.

SANTAMA, Flávia Matiaetal. Dimensões básicas do ensino. Rio de Janeiro: Livros


técnicos e científicos, 2011.

PADILHA, Paulo Roberto. Projeto Político Pedagógico: leitura do mundo e festa da


escola cidadã. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2002.

VEIGA, Lima Passos. Projeto Politico Pedagógico na escola: uma construção possível.
Campinas: Papirus, 2014

12