Você está na página 1de 7

A história de Jiu Jitsu e a sua origem

A história do jiu jitsu diz-nos que há várias teorias sobre a verdadeira origem desta arte marcial, mas
aquela que cria mais consenso será que terá nascido na Índia e que era praticado pelos monges budistas.

Os monges budistas preocupados com a sua própria segurança terão então desenvolvido uma técnica
não violenta e baseada nos princípios do equilíbrio, do sistema de articulação do corpo e das alavancas,
evitando assim o uso da força e de armas. Com a expansão do budismo o jiu-jitsu percorreu o Sudeste
asiático, a China e, finalmente, chegou ao Japão, onde este rapidamente se desenvolveu e popularizou-
se.

O que é
Jiu Jitsu é a arte de mobilizar o adversário através de golpes nas articulações, nomeadamente nos braços
e tornozelos, e nos estrangulamentos. O Jiu Jitsu usa a força e o peso do seu adversário contra ele
mesmo.

Jiu Jitsu na Ásia


A história do Jiu Jitsu diz-nos que cerca de dois séculos depois da morte de Buda, o budismo, e por
conseguinte o Jiu Jitsu foram perdendo força e devido à forte influência das religiões locais, os monges
budistas foram obrigados a deixar a Índia, tendo que procurar refugio em países vizinhos como Ceilão,
a Birmânia, o Tibet, e mais tarde todo o sudeste da Ásia, China e finalmente Japão, onde ganhou força
e de onde foi levado para o ocidente.

Naquela altura no Japão, a divisão de classes sociais era muito evidente e muito marcada, os nobres e
os Samurais eram fortemente enaltecidos, e foi na classe dos samurais que o Jiu Jitsu ganhou força e
mais se desenvolveu.

O Jiu Jitsu era matéria obrigatória para os jovens e adolescentes que iriam se tornar Samurais um dia,
tal como a esgrima, a cavalaria, a pintura e a literatura.

No Japão
A história do jiu jitsu mostra-nos o quanto o jiu jitsu chegou a ser tão importante para o governo japonês
que chegou mesmo a proibido, com um decreto imperial, de ser ensinado fora do país ou para não
descendentes. E quem não cumprisse esta lei era severamente castigado.

Até ao aparecimento do Judo, o jiu-jitsu era a arte marcial mais praticada no Japão. Mas tal como todas
as outras, sofreu com a Era Meiji, que popularizou no país as armas de fogo em detrimento das lutas.
Foi assim que o jiu-jitsu começa a perder espaço para judo quando a polícia de Tóquio organiza uma
disputa entre as maiores escolas das duas artes marciais para saber qual seria ensinada para os oficiais.
O judo venceu com uma larga vantagem.

Jiu Jitsu para “inglês ver” – a origem do judo


A história do Jiu Jitsu mostra-nos que foi no início do século XX, e devido a uma invasão americana,
que o Japão que até então era fechado para o ocidente, foi obrigado a abrir seus portos e dar acesso aos
ocidentais, colocando em sério perigo o seu grande segredo: O Jiu Jitsu.

É aqui que se vai iniciar uma época de grandes modificações sociais no Japão. Em função desta
“ocidentalização”, a penetração de estrangeiros (principalmente europeus e americanos), trouxe um
grave problema para os Japoneses: como manter o Jiu Jitsu em segredo?

Os japoneses que são pessoas relativamente franzinas e de baixa estatura, quem soubesses Jiu Jitsu,
levavam real vantagem num combate corpo a corpo contra os Europeus e Americanos, que eram
pessoas de grande porte. Agora, se estes aprendessem Jiu Jitsu, esta vantagem deixaria de existir o que
originaria um problema ainda maior.

Foi então que o Governo Japonês, resolveu criar um falso Jiu Jitsu. Uma luta sem efetividade num
combate real, um Jiu Jitsu para “Inglês ver”, como se costuma dizer.

Na altura, quem foi escolhido para criar este falso Jiu Jitsu foi Jigoro Kano, que era funcionário do
ministério de cultura japonesa e professor de Jiu Jitsu.

Vai ser neste momento que vai nascer o sistema Kano de Jiu Jitsu, que mais tarde é batizado de Judo.
Arte baseada em projeções e imobilizações, com pouquíssimas finalizações. Desta forma, foi possível
esconder o verdadeiro Jiu Jitsu dos olhos dos ocidentais.

Naquela época ensinar o real Jiu Jitsu para estrangeiros, era considerado crime contra a pátria, sendo
somente permitido ensinar Judo, o qual foi exportado para o ocidente onde se tornou num desporto e
que foi sendo fortemente difundido.

INÍCIO » ESPORTES » A HISTÓRIA DO JIU JITSU

A história do jiu jitsu


A história de jiu jitsu mostra-nos que para além do karaté e do judo existe uma outra arte… o
JiuJitsu. Hoje vamos tentar descobrir uma pouco mais sobre a historia do jiu jitsu.
A história de Jiu Jitsu e a sua origem
A história do jiu jitsu diz-nos que há várias teorias sobre a verdadeira origem desta arte marcial, mas
aquela que cria mais consenso será que terá nascido na Índia e que era praticado pelos monges
budistas.

Os monges budistas preocupados com a sua própria segurança terão então desenvolvido uma técnica
não violenta e baseada nos princípios do equilíbrio, do sistema de articulação do corpo e das
alavancas, evitando assim o uso da força e de armas. Com a expansão do budismo o jiu-jitsu
percorreu o Sudeste asiático, a China e, finalmente, chegou ao Japão, onde este rapidamente se
desenvolveu e popularizou-se.

O que é
Jiu Jitsu é a arte de mobilizar o adversário através de golpes nas articulações, nomeadamente nos
braços e tornozelos, e nos estrangulamentos. O Jiu Jitsu usa a força e o peso do seu adversário contra
ele mesmo.

Jiu Jitsu na Ásia


A história do Jiu Jitsu diz-nos que cerca de dois séculos depois da morte de Buda, o budismo, e por
conseguinte o Jiu Jitsu foram perdendo força e devido à forte influência das religiões locais, os
monges budistas foram obrigados a deixar a Índia, tendo que procurar refugio em países vizinhos
como Ceilão, a Birmânia, o Tibet, e mais tarde todo o sudeste da Ásia, China e finalmente Japão,
onde ganhou força e de onde foi levado para o ocidente.
Naquela altura no Japão, a divisão de classes sociais era muito evidente e muito marcada, os nobres e
os Samurais eram fortemente enaltecidos, e foi na classe dos samurais que o Jiu Jitsu ganhou força e
mais se desenvolveu.

O Jiu Jitsu era matéria obrigatória para os jovens e adolescentes que iriam se tornar Samurais um dia,
tal como a esgrima, a cavalaria, a pintura e a literatura.

No Japão
A história do jiu jitsu mostra-nos o quanto o jiu jitsu chegou a ser tão importante para o governo
japonês que chegou mesmo a proibido, com um decreto imperial, de ser ensinado fora do país ou
para não descendentes. E quem não cumprisse esta lei era severamente castigado.

Até ao aparecimento do Judo, o jiu-jitsu era a arte marcial mais praticada no Japão. Mas tal como
todas as outras, sofreu com a Era Meiji, que popularizou no país as armas de fogo em detrimento das
lutas.

Foi assim que o jiu-jitsu começa a perder espaço para judo quando a polícia de Tóquio organiza uma
disputa entre as maiores escolas das duas artes marciais para saber qual seria ensinada para os
oficiais. O judo venceu com uma larga vantagem.

Jiu Jitsu para “inglês ver” – a origem do judo


A história do Jiu Jitsu mostra-nos que foi no início do século XX, e devido a uma invasão americana,
que o Japão que até então era fechado para o ocidente, foi obrigado a abrir seus portos e dar acesso
aos ocidentais, colocando em sério perigo o seu grande segredo: O Jiu Jitsu.

É aqui que se vai iniciar uma época de grandes modificações sociais no Japão. Em função desta
“ocidentalização”, a penetração de estrangeiros (principalmente europeus e americanos), trouxe um
grave problema para os Japoneses: como manter o Jiu Jitsu em segredo?

Os japoneses que são pessoas relativamente franzinas e de baixa estatura, quem soubesses Jiu Jitsu,
levavam real vantagem num combate corpo a corpo contra os Europeus e Americanos, que eram
pessoas de grande porte. Agora, se estes aprendessem Jiu Jitsu, esta vantagem deixaria de existir o
que originaria um problema ainda maior.

Foi então que o Governo Japonês, resolveu criar um falso Jiu Jitsu. Uma luta sem efetividade num
combate real, um Jiu Jitsu para “Inglês ver”, como se costuma dizer.

Na altura, quem foi escolhido para criar este falso Jiu Jitsu foi Jigoro Kano, que era funcionário do
ministério de cultura japonesa e professor de Jiu Jitsu.

Vai ser neste momento que vai nascer o sistema Kano de Jiu Jitsu, que mais tarde é batizado de Judo.
Arte baseada em projeções e imobilizações, com pouquíssimas finalizações. Desta forma, foi
possível esconder o verdadeiro Jiu Jitsu dos olhos dos ocidentais.

Naquela época ensinar o real Jiu Jitsu para estrangeiros, era considerado crime contra a pátria, sendo
somente permitido ensinar Judo, o qual foi exportado para o ocidente onde se tornou num desporto e
que foi sendo fortemente difundido.

No Brasil
Foi no início do século XX, que o jiu jitsu chegou ao Brasil, pelas mãos do professor de Jiu Jitsu
chamado Mitsuo Maeda (conhecido como Conde Koma), que era Cônsul do Japão no estado do Pará.

Foi então que na cidade de Belém do Pará, o professor Koma reune alguns amigos para ensinar as
técnicas do verdadeiro Jiu Jitsu, e entre esses amigos estavam os irmãos Carlos, Gastão e Oswaldo
Gracie.

Carlos Gracie, ensinou algumas técnicas de Jiu Jitsu a seu irmão mais novo Helio Gracie, que na
altura era muito franzino, e tinha muitos problemas de saúde. Hélio, depois de começar a praticar Jiu
Jitsu nunca mais sofreu com os problemas.

Carlos Gracie aos 19, mudou-se para o Rio de Janeiro com a família e adotou a profissão de lutador e
professor desta arte marcial. Viajou depois para Belo Horizonte e mais tarde para São Paulo, dando
aulas e vencendo adversários bem mais fortes que ele fisicamente.

Em 1925, voltou ao Rio de Janeiro, onde abriu a primeira Academia Gracie de Jiu-Jitsu. Convidou
seus irmãos Oswaldo e Gastão para ajudá-lo e passou ele a criar os irmãos mais novos George, com
14 anos, e Hélio, com 12.

A história do jiu jitsu no Brasil, passou a ser difundido com sangue e suor. Isto porque para provar a
superioridade da arte, os Gracie promoviam lutas com as mais diversas modalidades que existiam na
época, boxe, capoeira, Greco-Romana, e mais tarde com o Judo e o Karate, quando estes chegaram
ao Brasil. E com as sucessivas vitorias da família Gracie, a arte conseguiu ganhar o status de
invencível, tal era a sua superioridade entre as demais.

Com o tempo, e depois de muitas lutas e de muito estudo, foi então desenvolvido o estilo Brasileiro
de Jiu Jitsu, com o aprimoramento da luta de solo. Os Gracie logo adquiriram fama e notoriedade
nacional e Internacional

Roger Gracie, é atualmente o maior vitorioso da família, conhecido como o melhor lutador de Jiu
Jitsu de todos os tempos!

As técnicas do Jiu Jistu


A história do jiu-jitsu mostra-nos que este também é uma luta em que se utiliza muitas técnicas no
chão, ou seja, o combate é disputado na sua maioria com os oponentes em contato permanente com o
tatame. A luta pode ser decida com uma imobilização com os lutadores deitados.
Graduações
A história do jiu jitsu ensina-nos que as graduações no jiu-jitsu seguem o seguinte padrão de faixas:
Branca, Amarela , Laranja, Verde, Azul, Roxa, Marrom e Preta.
Os Dans são da cor preta até a 5ª graduação, passa a ser vermelha e preta nas três próximas e fica
toda vermelha nas duas últimas.

Os golpes
Os principais golpes do jiu-jitsu são:

 Queda e Triângulo
 Omoplata
 Mata-Leão
 Mão de Vaca
 Gravata técnica
 Estrangulamentos
 Chaves de braço e Armlock.

Herança e Filosofia
A história do jiu jitsu está intrinsecamente ligada à cultura e a religião japonesas, fazendo com que as
artes marciais façam parte da sua própria história.

O Budismo, Xintoísmo, Taoísmo e Filosofia confucionista coexistem no Japão, e as pessoas


geralmente se misturam e combinam para se adaptar. É isto que reflete a variedade de perspectivas
que se encontra nas diferentes escolas.

Jujutsu usa a filosofia de ceder à força de um oponente em vez de tentar opor-se a ela com força.
Manipular o ataque de um adversário usando sua força e direção permite ao jiujiteiro (jujutsuka)
controlar o equilíbrio de seu adversário e, portanto, evitar que o adversário resista ao contra-ataque.