Você está na página 1de 4

DOMINÓ – FIGURAS DE LINGUAGEM (EXEMPLOS) 

28 PEÇAS COM 7 CATEGORIAS: METÁFORA, COMPARAÇÃO, METONÍMIA, 


ANTÍTESE, PARADOXO, HIPÉRBOLE E PROSOPOPEIA. 
 
Ser Poeta 
É ter fome, é t​ er sede de Infinito​!  
METÁFORA Florbela Espanca 

“Gosto da Noite imensa, triste e preta, 


METÁFORA Como esta estranha borboleta​” 
Florbela Espanca

“Eu possa me dizer do a


​ mor​ (que tive): 
Que não seja imortal, posto que é ​   ANTÍTESE
chama​” 
Vinícius de Moraes  

“Amor ​é fogo que arde sem se ver​, 


Camões   PARADOXO

“Os ratos já d
​ evoram toda história​, 
METÁFORA e avançam contra os cacos do presente,” 
Antônio Carlos Secchin

 
 
“Não és sequer razão de meu viver, 
METÁFORA Pois que t​ u és já toda a minha vida​”! 
Florbela Espanca 

“​É a vaidade​, Fábio, nesta vida, 


Rosa​, que da manhã lisonjeada,”   PROSOPOPEIA
Gregório de Matos 

“Que seja a tua mão branda c​ omo a neve​” 


COMPARAÇÃO Florbela Espanca

 
 
“​Recordar​? ​Esquecer​? Indiferente!... 
COMPARAÇÃO Prender​ ou ​desprender​? É m ​ al​? É ​bem​?...” 
Florbela Espanca 

“que seja a tua boca rubra ​como o 


sangue​”  PARADOXO
Florbela Espanca 
 

 
 
“A vós correndo vou, b
​ raços​ sagrados, 
COMPARAÇÃO Nessa cruz sacrossanta descobertos”. 
Gregório de Matos 

“Ela só viu as l​ ágrimas em fio​, 


Que de uns e de outros olhos derivadas, 
COMPARAÇÃO Juntando-se formaram largo rio​”. 
Camões

“Sobe-me à boca u ​ ma ânsia análoga à 


ansia  PROSOPOPEIA
      Que escapa da boca de um cardíaco​”. 
A
​ ugusto dos Anjos 

“De repente do ​riso​ fez-se o p


​ ranto​” 
Vinícius de Moraes  ANTÍTESE

“Repousa ​lá​ no ​Céu​ eternamente,  


E viva eu ​cá n
​ a terra sempre triste”.  PARADOXO
Camões 
 

“E das b
​ ocas unidas​ fez-se a espuma E das 
ANTÍTESE mãos espalmadas​ fez-se o espanto”. 
Vinícius de Moraes 
“E rir meu ​riso​ e derramar meu p​ ranto 
Ao seu p​ esar​ ou seu c​ ontentamento​”.  HIPÉRBOLE
Vinícius de Moraes  

Eu, filho do carbono e do amoníaco, 


Monstro de e ​ scuridão e rutilância​,”   PROSOPOPEIA
Augusto dos Anjos 

“É um andar s​ olitário entre a gente​;  


PARADOXO Én​ unca contentar-se de contente​;” 
Camões 

“Mas que seja i​ nfinito enquanto dure​”. 


Vinícius de Moraes   METONÍMIA

“é um c​ ontentamento descontente​, 
é dor que desatina sem doer”.   HIPÉRBOLE
Camões 

"Ah! Podem v
​ oar mundos​, morrer astros” 
PARADOXO Florbela Espanca

 
“Eu a
​ os Céus ultrajei​! O meu tormento 
Leve me torne sempre a terra dura” 
METONÍMIA Bocage 

“​E em mim converte em​ choro o


​ ​ doce 
canto”.  HIPÉRBOLE
Camões 

“A vós, pregados ​pés, por não deixar-me​, 


A vós, sangue vertido, para ungir-me”   PROSOPOPEIA
Gregório de Matos 
“Foste o
​ beijo melhor da minha vida​,  
HIPÉRBOLE Ou talvez o pior... Glória e tormento,” 
Olavo Bilac   

“mas o
​ s espelhos roubam​ nossa imagem” 
HIPÉRBOLE Mário Quintana 

“Deixa que o
​ olhar do mundo​ enfim 
PROSOPOPEIA devasse 
Teu grande amor que é teu maior 
segredo!” 
Olavo Bilac