Você está na página 1de 27

DESENVOLVIMENTO DO

SISTEMA DIGESTÓRIO
DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DIGESTÓRIO

• 4ª SEMANA: intestino primitivo fechado – membrana


bucofaríngea e membrana cloacal

• Dobramento do corpo do embrião


• Tubo único: cranial e caudal em fundo cego
• Membrana orofaríngea e cloacal

• Endoderma originará o epitélio e as glândulas associadas


• Mesoderma originará o tecido conjuntivo e muscular (liso)

• Estomodeu (boca primitica) e proctodeu (fosseta anal)


DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DIGESTÓRIO
DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DIGESTÓRIO
DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DIGESTÓRIO
INTESTINO ANTERIOR
• Esôfago:
• Septo traqueoesofágico separa o esôfago da traquéia

divertículo laringotraqueal broto pulmonar

pregas traqueoesofágicas

septo traqueoesofágico
INTESTINO ANTERIOR
• Esôfago:

• Crescimento até o final da 7ª semana


• Endoderma: epitélio e glândulas da submucosa
• Mesênquima: musculatura
INTESTINO ANTERIOR
• Estômago:
• Estrutura tubular simples
• Dilatação fusiforme (4ª semana)
• Formação da curvatura maior e menor (5ª semana)
• Formação do fundo e infissura cárdica (7ª semana)
• Após crescer e adquirir a forma adulta o estômago sofre uma
lenta rotação - 90o
• Fica suspenso na parede dorsal da cavidade abdominal por
um mesentério dorsal – mesogástrio dorsal
• Fica preso ao duodeno e fígado pelo mesentério ventral –
mesogástrio ventral
INTESTINO ANTERIOR
• Estômago:
INTESTINO ANTERIOR
• Duodeno:
• Início da 4ª semana – a partir da porção caudal do intestino
anterior, da parte cefálica do intestino médio e do
mesênquima esplâncnico
• A fusão das 2 porções do duodeno da origem ao duto biliar
comum
• Fase de crescimento do duodeno
INTESTINO ANTERIOR
• Glândulas anexas: fígado e vesícula biliar
• Início da 4ª semana – a partir de uma evaginação ventral da
parte caudal do intestino anterior
• Divertículo hepático (broto do fígado): penetra no septo
transverso - massa de mesoderma entre o coração em
desenvolvimento e o intestino médio
• Primórdio do fígado: células endodérmicas proliferam
(cordões hepáticos entrelaçados em capilares sinusóides);
mesênquima originará os septos de tecido conjuntivo e as
células de Kupffer
• Crescimento até a 10ª semana (hematopoese - 6ª semana)
• Formação da bile: 12ª semana
INTESTINO ANTERIOR
• Glândulas anexas: fígado e vesícula biliar
INTESTINO ANTERIOR
• Glândulas anexas: fígado e
vesícula biliar
• Uma pequena parte da
porção caudal do fígado
originará a vesícula biliar
• O pedículo que conecta os
dutos hepáticos e císticos ao
duodeno tornam-se em
duto biliar
• A bile é lançada no duodeno
após a 13ª semana
INTESTINO ANTERIOR
• Glândulas anexas: pâncreas
• Início da 4ª semana – se desenvolve entre as camadas do
mesentério, origina-se dos brotos pancreáticos de células
endodérmicas
• Quando os brotos pancreáticos se fundem, seus dutos
anastomosam e o duto pancreático principal se estabelece
• Após a 10ª semana inicia-se a secreção de insulina; glucagon
após a 15ª semana
• Cápsula e septos desenvolvem-se a partir do mesênquima
INTESTINO MÉDIO
• Intestino delgado:
• 5ª semana
• Ao alongar-se o intestino médio, forma-se uma alça em U
(alça do intestino médio), que se mantém da parede
abdominal dorsal por um mesentério
• Projeção para o celoma extra-embrionário: formação da
hérnia umbilical fisiológica – 6ª semana (migração normal do
intestino para dentro do cordão umbilical) – até a 10ª semana
(retorno à cavidade abdominal do embrião)
• Ramo cefálico cresce e forma as alças do intestino delgado;
ramo caudal desenvolve o divertículo cecal
INTESTINO MÉDIO
INTESTINO MÉDIO
• A medida que o intestino aumenta e se alonga, assumem suas
posições finais
• Mesentério comprimido – fusão peritônio parietal
• Cólon aumentado comprime o duodeno a parede abdominal
posterior – mesentério é “absorvido”; se mantém apenas no
jejuno e íleo
• 6ª a 10ª semana: diferenciação do epitélio intestinal
Cólon ascendente Cólon descendente

Cólon ascendente

Cólon descendente
Estômago
Pâncreas

Duodeno
Cólon transverso
Parede dorsal do
abdome

Cólon transverso

Estômago
Pâncreas

Duodeno
Cólon transverso
Mesentério
INTESTINO POSTERIOR
• Junção do cólon transverso derivado do intestino médio com
o cólon transverso derivado do intestino posterior
• Cólon descendente torna-se retroperitonial quando seu
mesentério se funde com o peritônio na parede abdominal
posterior esquerda e desaparece
INTESTINO POSTERIOR
• Cloaca:
• É a porção terminal do intestino posterior
• É uma cavidade revestida por endoderma e está em contato
com o ectoderma da superfície da membrana cloacal
• Está dividida em parte dorsal e ventral por mesênquima:
septo urorretal – reto e a parte cefálica do canal anarretal,
seio urogenital
INTESTINO POSTERIOR
• Cloaca:
• 7ª semana: septo urorretal se funde com a membrana cloacal,
dividindo-a em membrana anal, dorsal e uma membrana
urogenital (maior e ventral)
• O septo urorretal também divide o esfíncter cloacal em
porção anterior e posterior
INTESTINO POSTERIOR
• Cloaca:
INTESTINO POSTERIOR
• Canal anal:
• 2/3 derivados do intestino posterior (endoderma); 1/3
derivado do proctodeu (ectoderma)
Intestino
caudal
Intestino Mesênquima
médio
e posterior

Cloaca

Proctodeu

Reto

Membrana cloacal
Membrana
urogenital

Reto
Reto
Canal anal
Membrana anal