Você está na página 1de 25

DTM relacionados com o disco I

4ª aula

Patrícia FonsecaDMD, PhD


MIMD - Unidade Curricular de Oclusão - UCL VII
2018/2019

2019-03-22
DTM relacionados com o disco

SUMÁRIO

Distúrbios Temporomandibulares relacionados com o disco

Deslocamento do disco
- Com redução espontânea
- Sem redução espontânea
- Irredutível
Fisiopatologia do deslocamento do disco
Sintomatologia
Terapêutica

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

A causa mais comum de disfunção mastigatória

É um distúrbio funcional da ATM

Os dois principais sintomas de problemas funcionais com ATM são:


- dor
- disfunção

Normalmente antes dos sintomas surgem sinais (ruídos


articulares), que pelo facto de não serem dolorosos são ignorados
pelos pacientes.
Patrícia Fonseca DMD, PhD
DTM relacionados com o disco

Quando presentes os distúrbios funcionais da ATM podem ser


divididos em três categorias:
• Relacionados com o complexo côndilo-disco
• Relacionados com as superfícies articulares
• De natureza inflamatória

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

Quando presentes os distúrbios funcionais da ATM podem ser


divididos em três categorias:
• Relacionados com o complexo côndilo-disco
• Relacionados com as superfícies articulares
• De natureza inflamatória

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

Sintomas de DTM relacionados com o disco


1. DOR

Dor em qualquer estrutura articular (incluindo as ATMs) é chamada


de artralgia.

Pareceria lógico que essa dor tivesse origem nas superfícies


articulares quando a articulação sofre uma carga exercida pelos
músculos.

MAS

Não há inervação das superfícies articulares – então como é que


surge a DOR?

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

Sintomas de DTM relacionados com o disco


1. DOR

- Ligamentos capsulares
Estimulação dos nocicetores
presentes nos tecidos moles - Ligamentos discais
(estiramento ou compressão)
- Tecidos retrodiscais

O paciente não consegue diferenciar entre as três estruturas,


desta forma qualquer nocicetor que seja estimulado irradiará
sinais que serão sentidos como dor articular.
Patrícia Fonseca DMD, PhD
DTM relacionados com o disco

Sintomas de DTM relacionados com o disco


1. DOR

• A estimulação dos nocicetores cria uma ação inibitória nos


músculos que movem a mandíbula.

• Portanto quando a dor é sentida repentinamente e de forma


inesperada, o movimento mandibular cessa imediatamente
(reflexo nocicetivo).

• Quando é sentida uma dor crónica, o movimento torna-se


limitado e muito deliberado (co-contração protetora).

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

Sintomas de DTM relacionados com o disco


1. DOR
• Artralgia das estruturas normais é uma dor aguda, repentina e
intensa que esta intimamente relacionada com o movimento
articular. Quando a articulação esta em repouso a dor passa
rapidamente.
• Se as estruturas normais e saudáveis entrarem em colapso,
surge a inflamação e a dor torna-se constante e agravada pelo
movimento

Pode originar destruição das superfícies articulares, gerando


dor - neste caso com origem no osso sub-articular
Patrícia Fonseca DMD, PhD
DTM relacionados com o disco

Sintomas de DTM relacionados com o disco


2. DISFUNÇÃO

• É comum nos distúrbios funcionais da ATM.


• Disfunção da ATM está sempre diretamente relacionada com o
movimento mandibular (a mandíbula pode travar).
• Normalmente apresenta-se como uma interrupção do
movimento normal do côndilo-disco com produção de sons
articulares.

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

Sintomas de DTM relacionados com o disco


2. DISFUNÇÃO

Sons articulares
Som único de curta duração - estalido

Se for alto pode ser chamado de estalo

Som múltiplo, áspero e de tom grave - crepitação

Ocorrem por causa das mudanças de relacionamento entre o


disco articular e o côndilo.
Patrícia Fonseca DMD, PhD
DTM relacionados com o disco

Fisiopatologia do deslocamento do disco

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

Fisiopatologia do deslocamento do disco


O disco está preso ao côndilo pelos ligamentos discais colaterais
(lateral e medial)

desta forma a translação na articulação só pode ocorre entre o


complexo côndilo-disco e a fossa articular.

O único movimento fisiológico que


pode ocorrer entre o côndilo e o disco
articular é a rotação.

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

Fisiopatologia do deslocamento do disco


O disco pode rodar sobre o côndilo em torno das inserções dos
ligamentos discais colaterais nos pólos dos côndilos.
1 – Disco articular
2 – Ligamento colateral lateral
3 – Ligamento colateral medial
4 – Ligamento capsular lateral
5 – Ligamento capsular medial
6 – Cavidade sinovial superior
7 – Cavidade sinovial inferior
8 – Côndilo
9 – Fossa mandibular
10 – Apófise espinhosa do esfenóide
Patrícia Fonseca DMD, PhD
DTM relacionados com o disco

Fisiopatologia do deslocamento do disco1 – Terço posterior do disco –3 mm


2 – Terço médio do disco – 1 mm
3 – Terço anterior do disco – 2 mm
A extensão do movimento 4 – Lâmina retrodiscal superior
rotacional é limitada 5 – Lâmina retrodiscal inferior
6 – Pterigoideu lateral superior
• pelo comprimento dos 7 – Pterigoideu lateral inferior
ligamentos discais colaterais 8 – Cápsula articular

• lâmina retrodiscal inferior


posteriormente (limita o
movimento anterior)
• ligamento capsular anterior
anteriormente (limitam o
movimento posterior)
Patrícia Fonseca DMD, PhD
DTM relacionados com o disco

Fisiopatologia do deslocamento do disco


1 – Ligamento colateral lateral
2 – Ligamento colateral medial
3 – Lig. capsular ântero-superior
5 7
11 4 - Lig. capsular ântero-inferior
6 5 – Lâmina retrodiscal superior
6 - Lâmina retrodiscal inferior
1
7 – Disco articular
10 8 – Pterigoideu lateral superior
8
9 - Pterigoideu lateral inferior
9 10 – Côndilo
11 – Eminência articular
4 3
Patrícia Fonseca DMD, PhD
DTM relacionados com o disco

Fisiopatologia do deslocamento do disco1 – Terço posterior do disco –3 mm


2 – Terço médio do disco – 1 mm
A quantidade de rotação do disco 3 – Terço anterior do disco – 2 mm
4 – Lâmina retrodiscal superior
no côndilo é também determinada 5 – Lâmina retrodiscal inferior
6 – Pterigoideu lateral superior
por: 7 – Pterigoideu lateral inferior
8 – Cápsula articular
• morfologia do disco,

• o grau de pressão intra-articular

• músculo pterigoideu lateral


superior

• a lâmina retrodiscal superior


Patrícia Fonseca DMD, PhD
DTM relacionados com o disco

Fisiopatologia do deslocamento do disco

• Numa articulação saudável, as


superfícies do côndilo, disco, e
fossa mandibular são suaves e
deslizantes, permitindo um
movimento fácil, sem atrito

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

Fisiopatologia do deslocamento do disco


• Quando a boca abre , o
côndilo move-se para a
frente e o disco roda
posteriormente sobre o
côndilo

• A lâmina retrodiscal
superior alonga-se
permitindo que o
complexo côndilo-disco
faça a translação para fora
da fossa articular

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

A pressão intra-articular (promovida pelos músculos elevadores)


mantém o côndilo na zona intermediária mais fina do disco articular e
impede que a porção anterior mais espessa, passe posteriormente,
através do espaço discal, entre o côndilo e a superfície articular da
eminência articular.

ABERTURA

• PLI puxa o côndilo


anteriormente, provocando um
estiramento na LRDS (fibras
elásticas)
• Pressão do côndilo sobre o
disco
• Côndilo no 1/3 médio do disco

Pressão intra-articular aumentada Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

Relativamente ao músculo PLS promove a rotação do disco para a


frente
Bordo posterior, mais espesso, mantém um íntimo contacto entre
as duas superfícies articulares
A lâmina retrodiscal superior é a única estrutura que pode retrair o
disco posteriormente.
FECHO
• PLI deixa de exercer acção
• PLS puxa o disco anteriormente,
contrariando a acção LRD (fibras
elásticas)
• Diminui a pressão do côndilo sobre
o disco
• Côndilo desloca-se posteriormente

Pressão intra-articular diminui Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

• O disco mantém a sua posição no côndilo, durante o movimento,


devido a sua morfologia e aos seus ligamentos.
• Relativamente a morfologia, os bordos anteriores e posteriores
mais espessos oferecem uma característica de autoposicionamento
que em conjunto com a pressão intra-articular, permite um
equilíbrio no côndilo.

Contacto constante das superfícies


articulares:
- Morfologia do disco
- Pressão intra-articular
- Movimentos rotacionais do disco

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco

• Para auxiliar esta capacidade de autoposicionamento temos os


ligamentos colaterais (medial e lateral) do disco, os quais não
permitem os movimentos de deslizamento do disco no côndilo.

Patrícia Fonseca DMD, PhD


DTM relacionados com o disco II
5ª aula

Patrícia FonsecaDMD, PhD


MIMD - Unidade Curricular de Oclusão - UCL VII
2018/2019

2019-03-29

Você também pode gostar