Você está na página 1de 41

Conteúdos de Física 9ª Classe

Escola Secundaria do Vale de Chitima

Prof: Paulo Catsossa

Disciplina: Física; Turmas: Todas; Data: /02/2019; Meios: M.B.E; Lição nr 2

1º Trimestre Objectivos:

 Distinguir os fenómenos térmicos na


natureza.
 Explicar a grandeza física temperatura.
Unidade I – Fenómenos Térmicos

1. Fenómenos térmicos. Conceito de temperatura.

Os fenómenos térmicos são aqueles que estão relacionados com a variação da temperatura.
Frequentemente usamos os termos frio, quente e morno para traduzir a sensação que temos ao entrar em
contacto com um corpo. Este modo de avaliar a temperatura não é correcto, varia de pessoa para pessoa.
O aquecimento, o arrefecimento, a fusão, a vaporização, etc são exemplos de fenómenos térmicos.
Uma característica general dos fenómenos térmicos é que existem corpos que cedem energia na forma de
calor (corpos quentes), e outros que são capazes de absorver energia (corpos frios).
Nota: O calor e a temperatura são duas grandezas diferentes.
A temperatura é a grandeza física que mede o estado de agitação das partículas de um corpo. Ela
caracteriza o estado térmico de um corpo (quente, frio ou morno). Por outras palavras, a temperatura é o
estado de aquecimento ou de arrefecimento de um corpo.
Calor é uma forma de energia em trânsito. Ela aparece quando existe uma diferença de temperatura entre
dois corpos. A temperatura é uma consequência do calor.
 Quando um corpo recebe calor, este aumenta a sua temperatura;
 Quando um corpo emite (transfere) calor, este diminui a sua temperatura.

Consolidação

1. Assinale com × a alternativa correcta.


1.1.Se colocarmos ao lume uma panela contendo agua,
a) (______) a água não receberá calor da chama;
b) (______) a água receberá menos calor, quanto mais tempo estiver ao lume;
c) (______) a elevação da temperatura que a agua irá sofrer não depende do calor cedido
pelo lume;
d) (______) nenhuma das alternativas acima apresentadas é correcta.
1.2.Temperatura é
a) (______) o calor;
b) (______) o estado de aquecimento e de arrefecimento de um corpo;
c) (______) o estado de aquecimento ou de arrefecimento de um corpo;
2. Professor:
Explique quando é que o nosso corpo cede calor, e quando é que recebe calor. Quando
Paulo Catsossa
temos a sensação de frio ou de quentura?
3. Por quê é que a unidade de calor joule?
4. Qual é a diferença entre calor e a temperatura?
5. Mencione 10 fenómenos térmicos.
Conteúdos de Física 9ª Classe

1º Trimestre Objectivos:

 Usar correctamente o termómetro na


medição da temperatura de um corpo.
Unidade I – Fenómenos Térmicos

2. Termómetro, constituição e funcionamento.


A temperatura caracteriza o estado térmico de um corpo (quente, frio ou morno). Por outras palavras, a
temperatura é o estado de aquecimento ou de arrefecimento de um corpo. Para que a sua medição seja
precisa, é necessário um instrumento de medida.
O termómetro é um instrumento que serve para medir a temperatura dos corpos. Isto é, avalia a
temperatura de um corpo no momento de equilíbrio entre si e o corpo em causa, quando postos em
contacto. O seu funcionamento baseia se na dilatação das substancias quando a temperatura aumenta.
 O termómetro clínico (mede a temperatura do corpo humano) é constituído por um tubo capilar
de vidro, graduado, sem ar, com um bolbo numa extremidade contendo mercúrio ou álcool.
 Para medir a temperatura coloca se o bolbo em contacto com o corpo. Por ser extremamente
sensível, o mercúrio ou álcool variará o seu volume.
 Quando o corpo estiver mais quente, o mercúrio irá aumentar o volume, expandindo se
gradualmente pelo tubo. Quando o corpo estiver menos quente, o volume do mercúrio irá
diminuir gradualmente.

Termómetro clínico Constituição do Termómetro clínico

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

A ________ B ___________________ C _____________ D ________________

Escola: ___________________________________________________________________________

Consolidação

1. Para que serve o termómetro?


2. Com que se mede a temperatura do corpo humano?
3. Faça a leitura dos termómetros A, B, C e D em graus célsius. Indica qual deles se refere a
temperatura de ebulição (PE) e qual se refere a temperatura de fusão (PF).

Nome: __________________________________________________; no _______; Turma: ______

Tarefa de casa - 1

1. Desenha um termómetro clínico, marca nele a temperatura normal do corpo humano.

2. Desenha um termómetro, marca nele a temperatura normal do ambiente, em CNTP.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

1º Trimestre Objectivos:

 Identificar os pontos fixos em diferentes


escalas termométricas.
 Converter unidades de temperatura de
Unidade I – Fenómenos Térmicos
uma escala termométrica para outra;

3. Escalas termométricas – Célsius, Fahrenheit e Kelvin

Escala Célsius
É a escala usada em maior parte dos países, foi oficializada em 1742 pelo astrónomo e físico sueco
Anders Celsius (1701-1744). Esta escala tem como pontos de referência a temperatura de congelamento
da água sob pressão normal (0°C) e a temperatura de ebulição da água sob pressão normal (100°C).

Escala Fahrenheit
Outra escala bastante utilizada, principalmente nos países de língua inglesa, criada em 1708 pelo físico
alemão Daniel Gabriel Fahrenheit (1686-1736), tendo como referência a temperatura de uma mistura de
gelo e cloreto de amónia (0°F) e a temperatura do corpo humano (100°F).
Em comparação com a escala Celsius:
0°C=32°F
100°C=212°F

Escala Kelvin
Professor: Paulo Catsossa
Conteúdos de Física 9ª Classe

Também conhecida como escala absoluta, foi verificada pelo físico inglês William Thompson (1824-
1907), também conhecido como Lorde Kelvin. Esta escala tem como referência a temperatura do menor
estado de agitação de qualquer molécula (0K) e é calculada a partir da escala Celsius.
Por convenção, não se usa "grau" para esta escala, ou seja 0K, lê-se zero Kelvin e não zero graus Kelvin.
Em comparação com a escala Celsius:
0°C=273K
100°C=373K

O Calor é a energia transferida de um corpo para o outro quando existe diferença de temperatura. Enquanto que a
temperatura é a medida de agitação das moléculas. Por exemplo: ao colocarmos gelo no suco, as moléculas do suco estão
mais agitadas do que as do gelo. Por isso dizemos que a temperatura do suco é maior que a do gelo ou que o suco é mais
quente que o gelo. Quando colocamos eles em contato ocorre transferência de energia. Consequentemente, o gelo esquenta e o
suco esfria.
Desenha num cartaz, três termómetros ampliados em três escalas termométricas diferente. Seja preciso na graduação.

1º Trimestre Objectivos:

 Identificar os pontos fixos em diferentes


escalas termométricas.
 Converter unidades de temperatura de
Unidade I – Fenómenos Térmicos
uma escala termométrica para outra;

3.1.Escalas termométricas – Relação entre escalas

Como se pode ver a disposição das três escalas termométricas nos permitem escrever as seguintes razoes:
Tc T  32 TK  273,15 Tc TF  32 TK  273,15
 F    
100 180 100 5 9 5

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Geralmente, para Converter unidades de temperatura de uma escala termométrica para outra usa se as
seguintes formulas:
De °C para K De K para °C De °F para °C De °C para °F

TK  Tc  273,15 Tc  TK  273,15
Tc 
5
TF  32 9
TF  Tc  32
9 5

Exemplos de transformações:

a) 100ºC = ? K b) 24 K = ? ºC c) 203 ºF = ? ºC d) 15ºC= ? oF


TK  Tc  273,15 Tc  TK  273,15
Tc  203  32
5 9
TF  Tc  32
TK = 100 + 273,15 9 5
TK = 373,15 K Tc = 24 – 273,15 Tc  95o C 9
TF   15  32
Tc = - 249,15 ºC 5
R: 100ºC =373,15K R: 203 ºF = 95 ºC TF  5o F
R: 24 K = - 249,15 ºC
R: 15ºC= -5 oF

Escola: ___________________________________________________________________________

Nome: __________________________________________________; no _______; Turma: ______

Tarefa de casa - 2

Foi pedido para você medir a temperatura de um líquido em grau Celsius, entretanto você só
dispõe de um termómetro de mercúrio sem a escala. O que você deve fazer para executar esta
tarefa?

____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________

Em 1964 a temperatura da aldeia de Oymyahon, na Sibéria, chegou a -71 oC. Qual é o valor desta
temperatura na escala Fahrenheit.

A maior temperatura registada oficialmente do Estado Unidos foi 134 oF, no vale da Morte, Califórnia.
Qual é o valor desta temperatura na escala Celsius?

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

O quadro monstra a previsão de tempo que se fez sentir na cidade de Maputo em graus célsius. Traduz
esta previsão nas escalas fahrenheit e na escala Kelvin.
Escala célsius Escala Kelvin Escala Fahrenheit
Data Max. Mín. Data Max. Mín. Data Max. Mín.
Seg: 01/12/2014 22° 12°
Ter: 02/12/2014 24° 9°
Qua: 03/12/2014 25° 8°
Qui: 04/12/2014 28° 12°
Sex: 05/12/2014 23° 14°
Sáb: 06/12/2014 21° 15°
Dom: 07/12/2014 21° 14°

1º Trimestre Objectivos:

 Relacionar as diferentes escalas


termométricas, fazendo a conversão de
unidades.
Unidade I – Fenómenos Térmicos
 Estimar a temperatura dos corpos

4. Exercícios de aplicação (trabalho em grupo)

Resolução dos exercícios das páginas 18 e 19 do livro de Ortígio e Estêvão, Física - 9ª classe; editor
Longman.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

1º Trimestre Objectivos:

 Exemplificar a dilatação térmica dos


Unidade I – Fenómenos Térmicos corpos sólidos, líquidos e gases.
5. Dilatação térmica dos sólidos, líquidos e gases.

A matéria é constituída por partículas muito pequenas (átomos, moléculas, iões, …), invisíveis a olho nu, entre as quais se
desenvolvem duas forças: coesão (aproxima as moléculas entre si) e repulsão (tende a afastá-las umas das outras). Na natureza
apresenta se nos estados sólidos, liquido e gasoso.

No estado sólido, o corpo tem forma e volume definidos, a força de coesão é muito forte, as moléculas é vibratório.

No estado líquido, a matéria tem forma variável e volume definido. As moléculas têm menos força de coesão do que nos
sólidos. Por isso, elas se deslocam mais.

No estado gasoso, a matéria tem forma e volume variáveis. As moléculas se movem livremente e com grande velocidade. A
força de coesão é nula e a força de repulsão é maior.

Imagina alunos bem concentrados na sala, de repente entra uma chama


de abelhas e começa atacar! É lógico que vão entrar em pânico, os seus
movimentos aumentam duma forma brusca, a sala de estudo vai se
tornar pequena uma vez que sairão correndo a busca de socorro.

O mesmo acontece com as partículas constituintes da matéria, quando


são aquecidos entram em “pânico”, aumentam os seus movimentos
caóticos.
Dilatação térmica é um fenómeno que consiste no aumento do volume da matéria quando submetida a
certa temperatura. (Dilatação = aumento do volume; térmica = temperatura).
Na natureza, os corpos sólidos, líquidos e gasosos dilatam-se quando a sua temperatura aumenta. Isto é, o
aumento da temperatura, aumenta a vibração das partículas, podendo romper a acção das forças de coesão

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

e adesão, aumentando a força de repulsão. Como consequência, as partículas tendem a se espalhar e o


corpo aumenta o seu volume.

A esfera metálica passa através de um anel A tinta está em equilíbrio no nível do O ar contido na garrafa quando
justo. Se for aquecido, já não pode passar orifício. Quando aquecido jorra aquecido pode encher o balão.
através deste. através deste. Os gases dilatam quando aquecidos.
Os sólidos dilatam quando aquecidos. Os líquidos dilatam quando aquecidos.

Consolidação

1. De que é constituída a matéria?


2. Descreve os estados físicos da matéria.
3. Explica o que acontece com as partículas da matéria quando são aquecidas?
4. Como é que se explica o fenómeno de dilatação?
Objectivos:
1º Trimestre
 Explicar as diferentes formas de
Unidade I – Fenómenos Térmicos transmissão de calor.

6. Transmissão de calor por condução, convenção e radiação.


O Calor é a energia transferida de um corpo para o outro quando existe diferença de temperatura. Seu
instrumento de medição é o calorímetro. A unidade de calo no SI é o joule (J) que mesmo com a unidade
de energia. Outra unidade de calor é caloria (cal). 1cal=4,186J
Existem três formas de como a energia calorífica pode transmitir de um corpo para o outro: Condução,
Convecção e Radiação.

- Transmissão por condução


Se aquecermos uma barra metálica numa das extremidades, a
velocidade média das suas partículas aumenta. Uma parte
desta energia, é transmitida para a região seguinte e assim
sucessivamente até a outra extremidade da barra.
Este processo de transmissão continuará, enquanto haver uma
diferença de temperatura entre as extremidades da barra.
Portanto, a maior parte dos sólidos, o transporte de calor O calor transmite se integralmente ao
de um ponto para outro, é feito por meio de condução. longo da barra.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

- Transmissão por convecção


Coloquemos um recipiente com água sobre a chama. Passado
algum tempo, notar-se-á a formação de correntes de
convecção.
Isso acontece porque a camada do líquido que se encontra no
fundo do vaso em contacto directo com a superfície aquecida,
recebe calor desta superfície e dilata-se, tornando se menos
denso (menos pesada). Esta sobe, enquanto a fria desce ao
longo das paredes do vaso. Aquecendo água numa panela, o calor
Portanto, nos fluidos (líquidos e gases) o transporte de calor é vai se transmitir de um ponto para o
feito por convecção. É por isso que depois de um dia muito outro, formando linhas de convecção.
quente se formam fortes correntes de ar (vento).
- Transmissão por radiação
Diariamente a terra recebe calor, a partir do sol, por via dos
raios solares.
Se a transmissão é feita dum corpo para o outro pelos raios,
diz-se que é transmissão radiação.
É o processo de transmissão pelo qual a energia não precisa
de um meio material para se propagar.
O sol aquece a terra pelos raios solares.

Consolidação
1. Dê três exemplos concretos de cada uma das formas de transmissão de calor.
2. Completa o quadro, indicando as formas de transmissão de calor:
Sólidos Fluidos (líquidos e gases) Vácuo e toda
matéria
Forma de
transmissão de
calor

1º Trimestre Objectivos:

Unidade I – Fenómenos Térmicos  Identificar fenómenos naturais que se


devem à energia calorífica.

7. Efeito de calor na natureza.

Se fornecer calor aos corpos sólidos, líquidos ou gasosos dilatam-se; a sua temperatura aumenta. A força
de repulsão entre partículas também aumenta. Como consequência, as partículas tendem a se espalhar e o
corpo aumenta o seu volume.
O Efeito de calor na natureza pode se explicar:

 A dilatação térmica destrói a estrutura sólida das ferrovias, das pontes, dos edifícios, podendo
causar acidentes com prejuízos enormes.
 Agravamento do efeito estufa, causa o super aquecimento do planeta tornando o ambiente não
favorável a vida.
 A dilatação dos fluidos (líquidos e gases) tem como consequências, estiagem, erosão, seca, morte,

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Consolidação
1. Mencione as diferentes formas de transmissão de calor.
2. Explica como o calor pode trazer efeitos negativos na natureza.
3. Completa o quadro, indicando exemplos de efeitos de calor:
Sólidos Fluidos (líquidos e gases) No meio ambiente

Efeitos de calor

4. Identifica fenómenos naturais que se devem à energia calorífica.

TPC – Resolver os exercícios 1 a 10 das paginas 25 a 27. Física – 9ª classe, Longman.

1º Trimestre Objectivos:

Unidade I – Fenómenos Térmicos  Explicar a troca de calor entre corpos


com base no equilíbrio térmico.

8. Equilíbrio térmico

Quando dois corpos à temperaturas diferentes são postos em contacto, o corpo de maior temperatura
(mais quente) vai ceder calor ao corpo de menor temperatura (menos quente). Em simultâneo, o corpo
mais quente baixa a sua temperatura e o corpo menos quente aumenta a sua temperatura.
A transferência de calor do corpo mais quente para o corpo menos quente cessa quando se atinge o
equilíbrio térmico.
Equilíbrio térmico é o estado em que dois corpos ou mais possuem mesma temperatura.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

O corpo A tem maior temperatura O corpo A transfere calor para B. Equilíbrio térmico: T A = TB .
em relação ao corpo B. T A > TB A T A diminui e a TB aumenta. Não há transferência de calor.

Lei zero da Termodinâmica

Se dois corpos A e B separados, cada um deles estiver em equilíbrio térmico com um terceiro corpo,
corpo C, então os dois corpos A e B também estão em equilíbrio térmico.

A e B separados. TA  TC e TB  TC Então: T A = TB

Consolidação
1. Para que haja equilíbrio térmico, é necessário que os corpos estejam em contacto?
Justifique.
2. Explica o funcionamento do termómetro.
3. O João diz que está a sentir frio. Explica o que está acontecer: o João estará a perder calor
para o meio ambiente ou a receber calor do meio ambiente?
4. A Maria diz ao Alfredo, o teu corpo está quente. Explica com base no equilíbrio térmico.
5. Qual é a função da manta que cobrimos durante a noite?

1º Trimestre Objectivos:

Unidade I – Fenómenos Térmicos  Explicar as diferentes formas de


transmissão de calor.
 Identificar fenómenos naturais que se
9. Exercícios de aplicação devem à energia calorífica.
 Explicar a troca de calor entre corpos
com base no equilíbrio térmico.

Resolução dos exercícios das páginas 25 a 27 do livro de Ortígio e Estêvão, Física - 9ª classe; editor
Longman.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

1º Trimestre Objectivos:

 Indicar as características de uma força.


Unidade II – Estática dos Sólidos

10. Revisão do conceito de força e seus elementos.

Física é a ciência que estuda os fenómenos Físicos que ocorrem na natureza. Os Ramos da Física são:
Mecânica (estuda movimentos dos corpos), Termodinâmica (estuda fenómenos térmicos); Óptica;
Oscilações e Ondas; Electromagnetismo; Física Moderna.

A Mecânica subdivide se em cinemática, estática e dinâmica.


Cinemática estuda movimentos dos corpos sem se preocupar com as causas.
Dinâmica estuda movimentos dos corpos relacionando os com as suas causas.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Estática estuda condições de equilíbrio dos corpos, fazendo a ligação causa – movimento.
Agora vamos introduzir o estudo da Estática dos sólidos.

Conceito de força
Força é o agente capaz de modificar o estado de repouso ou de movimento de um determinado corpo, ou
de lhe causar deformações.
Havendo possibilidades de aplicar uma força e não surtir nenhum efeito, há necessidade de redefinir este
conceito: Força é a medida de interacção entre dois ou mais corpos, com a tendência de modificar o
estado de repouso ou de movimento de um determinado corpo, ou de lhe causar deformações.
A força é uma das grandezas vectoriais porque tem direcção, sentido e módulo.

Elementos de uma força


Ponto de aplicação; Intensidade (módulo ou valor); Direcção – vertical, horizontal ou indicar o ângulo
em relação aos eixos vertical e horizontal; Sentido – de cima para baixo; de baixo para cima; da esquerda
para direita ou da direita para esquerda.
O → Ponto de aplicação da força F
20N → Intensidade (módulo) da força F
Horizontal → Direcção da força F
Esquerda para direita → Sentido da actuação de força F
→ Vector força

Consolidação
1. Explica por palavras tua o conceito Força. Dê exemplos.
2. Por que é que a força é uma grandeza vectorial?
3. Quais são os elementos de uma força?

Escola: ___________________________________________________________________________

Nome: __________________________________________________; no _______; Turma: ______

Tarefa de casa - 3

1. Indica a direcção, sentido, módulo e o ponto de aplicação da força:

a) b) c)

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Modulo: ___________________ Modulo: _________________ Módulo: _________________

Direcção: ___________________ Direcção: _________________ Direcção: ________________

___________________________ _________________________ _________________________

___________________________ _________________________ _________________________

___________________________ _________________________ _________________________

Sentido: ____________________ Sentido: __________________ Sentido: _________________

___________________________ _________________________ _________________________

___________________________ _________________________ _________________________

Ponto de aplicação: ___________ Ponto de aplicação: _________ Ponto de aplicação: ________

2. Explica por palavras tua o conceito Força. Dê exemplos.

____________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

___________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________

1º Trimestre Objectivos:

 Estimar a localização do centro de


gravidade de um corpo
Unidade II – Estática dos Sólidos

11. Centro de gravidade.


Na física, o centro de gravidade de um corpo é o ponto de aplicação da força de gravidade. Em geral, o
centro de gravidade fica próximo do ponto onde se encontra a maior parte da massa do corpo.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

As figuras que seguem mostram como podemos balancear um objecto conhecendo o seu centro de
gravidade.

O centro de gravidade de corpos planos determina se com ajuda de uma régua, traçando as diagonais.
O ponto central G onde se intersectam as diagonais é onde se localiza o centro de gravidade. A força P
representa a força de gravidade.

Consolidação
1. Explica porquê é que os corpos caem quando são soltos no espaço.
2. Quais são as características da força de gravidade?
3. O que é centro de gravidade?
4. Onde se localiza o centro de gravidade dos corpos?
5. Em que zona se localiza o centro de gravidade do nosso coro?
6. Determina o centro de gravidade das seguintes figuras:

1º Trimestre Objectivos:

 Identificar os tipos de equilíbrio


Unidade II – Estática dos Sólidos

12. Tipos de equilíbrio: estável, instável e indiferente.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Um corpo em equilíbrio pode se encontrar no estado de repouso ou de


Movimento rectilíneo Uniforme. Neste caso, é um corpo não
acelerado (aceleração é nula).
Por outro lado, um corpo se encontra em equilíbrio dinâmico quando
a soma do sistema de forças que actua sobre ele for nula.
FR  F1  F2  FP  FN

F1  F2 e FP  FN
F  0
 R
Equilíbrio estável de um corpo: após ter sido abandonado da sua posição de equilíbrio, volta novamente
a essa posição.
Equilíbrio instável de um corpo: após ter sido deslocado da sua posição de equilíbrio, o corpo não
consegue voltar por si só a essa posição.
Equilíbrio indiferente de um corpo: o centro de gravidade mantém se na mesma horizontal com o
plano de apoio.

O tipo de equilíbrio que um corpo tem depende do deslocamento vertical da posição de centro de
gravidade.

Consolidação
1. Complete as frase de indicando os tipos de equilíbrio:
a) __________ o corpo após ter sido abandonado da sua posição de equilíbrio volta novamente a essa posição.
b) __________ o corpo após ter sido deslocado da sua posição de equilíbrio não volta por si só a essa posição.
c) ____________ o corpo após ter sido deslocado duma posição, permanece em equilíbrio em qualquer posição.
2. Que tipo de equilíbrio se encontra a bola das figuras?

3. Assinala com V no verdadeiro e com F no falso:


a) O centro de gravidade de um corpo é o ponto de aplicação da força de gravidade. ____
b) O centro de gravidade é a medida de interacção entre dois ou mais corpos, com a tendência de modificar o
estado de repouso ou de movimento, podendo causar deformação. ___
 kg  m 
c) A unidade de força Newton (N) pode ser escrita como   . ________
 s 
2

4. Quais são os elementos de uma força?

1º Trimestre Objectivos:

 Explicar o efeito do momento de uma


força.
Unidade II – Estática dos Sólidos

13. Momento de uma força

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

O momento de uma força ou torque é a grandeza física que dá medida


da tendência de que uma força provoque rotação em torno de um
ponto (eixo).
F → força; b → braço de força; P → fulcro (ponto de rotação);
O momento de uma força F em relação a um eixo é uma grandeza
vectorial. O módulo do momento (M) é definido como sendo o
produto do módulo da força (F) pela distância (d) entre a linha de
acção da força e o eixo. M  F  b A unidade de momento de uma
força no sistema internacional de unidades é N  m .
Quanto maior for o braço, maior será o momento de força.
Isto é, com braço maior torna se fácil produzir a rotação do
corpo. M 1  M 2  M 3

Imagine uma situação de um mecânico dispor se das três


chaves apresentadas na figura ao lado. Qual delas escolheria
para desparafusar uma porca? Justifique.

Consolidação
1. Imagine uma situação de um mecânico dispor se das três chaves (M1, M2 e M3) com braços
b, 2b e 3b respectivamente. Qual delas escolheria para desmontar uma roda. Justifique.

2. Qual das figuras a força produz maior torque? Justifique.

3. Uma barra de 6 metros apoiada numa das extremidades, sofre a acção de uma força 10 N
perpendicular a barra, noutra extremidade. Faça o esquema e calcule o momento de força.

4. O canalizador da figura produz um momento de


força igual a 6Nm, quando aplica uma força de 20N
para montar os tubos. Qual deve ser o comprimento
(em cm) da chave que usa?

a) Se triplicar o braço e reduzir a metade a força, qual


será o valor do novo torque?

1º Trimestre Objectivos:

Unidade II – Estática dos Sólidos  Identificar os diferentes tipos de


alavancas.

14. Máquinas simples: Alavanca

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Na Física, o termo máquinas simples é reservado a pequenos objectos ou instrumentos que facilitam a
execução de diferentes afazeres do dia-a-dia. Um martelo, uma tesoura, uma alavanca, uma roldana, um
plano inclinado, carrinho de mão, etc.
Máquina simples é um dispositivo mecânico usado para alterar a intensidade ou a direcção da
força aplicada.
São exemplos de máquinas simples: alavanca, roldana e plano inclinado.

14.1. Alavanca

A alavanca é um objecto rígido que é usado com um ponto fixo (fulcro) para multiplicar a força potente
aplicada contara uma outra força resistente.
A alavanca é uma máquina simples que tem a função de facilitar a execução de um trabalho. Ela para
alem de braço, é constituída basicamente por: ponto fixo, força potente e força resistente.
Representação esquemática de uma
alavanca.

Tipos de alavancas
As alavancas classificam se de acordo com a localização central do ponto fixo, da força potente ou da
força resistente. Para tal, usa se o prefixo inter para a sua nomenclatura.
a) Alavanca inter-fixa: o ponto fixo (fulcro) localiza
se entre força potente e a força resistente.
Exemplo: tesoura, alicate, …
b) Alavanca inter-resistente: a força resistente
localiza se entre o fulcro e a força potente.
Exemplo: carrinho de mão, quebra-nozes, …
c) Alavanca inter-potente: a força potente localiza se
entre o fulcro e a força resistente.
Exemplo: pinça de gelo, corta unhas, braço, …

Consolidação
1. Identifique os tipos de alavanca (inter-fixa, inter-potente ou inter-resistente) nas situações abaixo

1º Trimestre Objectivos:

Unidade II – Estática dos Sólidos  Explicar as condições de equilíbrio na


Alavanca.

Máquinas simples: Condições de equilíbrio da Alavanca.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Veja que a alavanca gira em torno de um ponto fixo, sempre em direcção da força com maior intensidade.
Isso significa que essa força produz maior torque (momento de força).
Para que uma alavanca esteja em equilíbrio é necessário que os momentos de forças sejam iguais.
M P  M R → Momento da força potente é igual a Momento da força resistente.

M  FP  bP 
MP  MR P M P  M R  FP  bP  FR  bR MP  MR 
M R  FR  bR 
FP  bP  FR  bR
Vantagem mecânica de uma alavanca

FR b
Vantagem  ou Vantagem  P
FP bR
FR
Diz se que a alavanca é vantajosa quando a razão F for maior que uma unidade. Quanto maior for a
P
vantagem, menor será a força potente.

Consolidação
1. Qual o valor da força potente (P) aplicada a esta
alavanca inter-fixa a fim de se obter o equilíbrio?
Calcule a vantagem mecânica.

2. Para levantar 500Kg, emprega-se uma alavanca


de 1,50m. O ponto de aplicação e o ponto de
apoio distante 0,30m. Qual a força que se deve
aplicar na extremidade da alavanca para erguer a
pedra? Calcule a vantagem mecânica.

3. Um carrinho – de – mão (carriola) carrega um peso de 600 N, distante 40 cm do ponto de apoio


(roda). Qual a força que um homem deve exercer nos cabos da carriola para equilibrá-la,
sabendo que suas mãos distam 1,20 m do ponto de apoio? Calcule a vantagem mecânica.
4. Preencha os espaços.
a) As máquinas simples apresentam dois tipos de força que são:
a força ________________________________________________________
a força ________________________________________________________
b) As máquinas simples facilitam a realização de um ____________________________
c) As máquinas simples fundamentais são: __________________________________,
_____________________________ e _________________________________________________.

1º Trimestre Objectivos:

Unidade II – Estática dos Sólidos  Identificar os diferentes tipos de


roldanas.

14.2.Máquinas simples: Roldanas

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

As roldanas, também conhecidas como polias, são


máquinas simples utilizadas para facilitar a execução de um
trabalho. Na figura podemos ver que elas são constituídas por
um disco giratório feito de material rígido, metal ou madeira
que gira em torno de um eixo central. A roldana é accionada
por uma corda, fio ou corrente metálica, que é colocada sobre
seu eixo central, transferindo movimento e energia para um
objecto que se deseja levantar.

Tipos de roldanas
As roldanas podem ser classificadas em dois tipos: fixas ou móveis.

Roldana fixa: o eixo de rotação não sofre translação. Roldana móvel: o eixo de rotação sofre translação.

Uma pessoa deseja puxar água de dentro de um poço e, para isso, ela utiliza um balde em uma roldana. O
balde é colocado em uma extremidade da corda que passa pelo centro da roldana, e na outra extremidade
é aplicada uma força para puxar o balde cheio de água. A força aplicada para elevar o balde é a força
potente, e o peso do balde é a força resistente.
Na roldana fixa, o eixo central é preso a um suporte de tal forma que se estabelece um equilíbrio entre
as duas forças. Sendo assim, a força potente e a força resistente são iguais: FP  FR
Isso quer dizer que, para levantar um peso de 30 N através de uma roldana fixa, é necessário aplicar sobre
ela uma força de 30 N.
Já na roldana móvel o eixo pode ser deslocado com a força resistente. Nesse caso, para que se estabeleça
F
o equilíbrio, a força potente deve ser igual à metade da força resistente: FP  R
2
Dessa forma, para elevar um peso de 20 N, deve-se aplicar na corda uma força de 10N.

Consolidação
1. Calcula a intensidade da força necessária 2. Calcula o valor da força potente capaz de
para equilibrar a carga. equilibrar a carga.

1º Trimestre Objectivos:

 Calcular o momento de uma força


 Determinar as condições de equilíbrio das
Unidade II – Estática dos Sólidos
máquinas simples na resolução de
exercícios
 associados a situações reais
Professor: Paulo Catsossa
Conteúdos de Física 9ª Classe

15. Exercícios de aplicação (trabalho em grupo)

Resolução dos exercícios da página 46 a 50. do livro de Ortígio e Estêvão, Física - 9ª classe; editor
Longman.

1º Trimestre Objectivos:

 Identificar os diferentes tipos de máquinas


simples.
Unidade II – Estática dos Sólidos
Professor: Paulo Catsossa
Conteúdos de Física 9ª Classe

16. Máquinas simples: Talha, Cadernal, Plano inclinado e suas condições de equilíbrio.

Plano inclinado
P → força peso
F → força aplicada
h → altura do plano

Talha é uma associação de Cadernal é uma associação de O plano inclinado é uma


várias roldanas móveis e uma roldanas em que o número de máquina simples composto de
roldana fixa. O n indica o roldanas móveis é igual a número de uma superfície plana cujos
número de roldanas móveis. roldanas fixas. pontos de início e fim estão a
alturas diferentes.

Consolidação
1. Identifica a máquina simples que representa cada uma das figuras:

a) ________________________ b) ________________________ c) ________________________

d) _________________________ e) _________________________ f) _________________________

2. Indica o valor de n e identifica cada associação de roldanas:

1º Trimestre Objectivos:

 Explicar as condições de equilíbrio na


Talha.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Unidade II – Estática dos Sólidos

16.1.Máquinas simples: Talha e suas condições de equilíbrio.

Talha é uma associação de n roldanas móveis e uma roldana fixa.


Talha de 3 roldanas móveis F
A condição de equilíbrio é dada pela expressão: FP  Rn
2
Exemplo: Seja massa m da figura ao lado igual a 32 kg. Calcula a força
m
potente ( FP ) aplicada para equilibrar o peso ( FR ). Considere g  10 2 .
s
Dados Formula Resolução
FP = ? F F Fg m  g
FP  Rn FP  Rn  n  n
n3 2 2 2 2
FR = Fg FR  Fg  m  g 32 10 32 10
FP   FP 
m  32kg m g 2 3
8
 FP  n
m 2 F  40 N
g  10 2 P

s R: A força potente é igual a 40N.

Vantagem mecânica de uma talha


F 320
Vantagem  R  Vantagem   Vantagem  8
FP 40

Consolidação
1. Calcule em cada talha o valor da força potente ( FP ) capaz de equilibrar a carga de 640
quilogramas.

2. De acordo com os resultados obtidos no número 1, assinale com V as afirmações verdadeiras e


com F as falsas.
a) A força potente é directamente proporcional a potência de base 2 com expoente do número de
roldanas móveis da talha.
b) A força potente é inversamente proporcional a potência de base 2 com expoente do número de
roldanas móveis da talha.
c) Se manter a carga e aumentar o número das roldanas móveis a força potente diminui.
d) Se manter a carga e aumentar o número das roldanas móveis a força potente aumenta.
3. Calcula a vantagem em cada situação. Compara e tira as conclusões.

1º Trimestre Objectivos:

 Explicar as condições de equilíbrio


na Cadernal.
Professor: Paulo Catsossa
Conteúdos de Física 9ª Classe

Unidade II – Estática dos Sólidos

16.2.Máquinas simples: Cadernal e suas condições de equilíbrio.


Cadernal é uma associação de roldanas em que o número de roldanas móveis é igual a
Cadernal de 3 número de roldanas fixas.
roldanas móveis
F
A condição de equilíbrio é dada pela expressão: FP  R
2n
Exemplo: Seja massa m da figura ao lado igual a 32 kg. Calcula a força potente ( FP )
m
aplicada para equilibrar o peso ( FR ). Considere g  10 2 .
s
Dados Formula Resolução
FP = ?
FP 
FR F Fg m g 32  10
FP  R    FP 
n3 2n 2n 2n 2n 23
FR = Fg FR  Fg  m  g 320
FP   FP  53,33...N
m  32kg m g 6
 FP 
m 2n
g  10 2 R: A força potente é igual a 53,3(3)N.
s

Vantagem mecânica de uma talha


F 320
Vantagem  R  Vantagem   Vantagem  6
FP 53,33

Consolidação
1. Calcule em cada cadernal o valor da força potente ( FP ) capaz de equilibrar a carga de 640
quilogramas.

2. De acordo com os resultados obtidos no número 1, assinale com V as afirmações verdadeiras e


com F as falsas.
a) A força potente é directamente proporcional ao número de roldanas móveis do cadernal.
b) A força potente é inversamente proporcional ao número de roldanas móveis do cadernal.
c) Se manter a carga e aumentar o número das roldanas a força potente diminui.
d) Se manter a carga e aumentar o número das roldanas a força potente aumenta.
3. Calcula a vantagem em cada situação. Compara e tira as conclusões.

1º Trimestre Objectivos:

Unidade II – Estática dos Sólidos  Explicar as condições de equilíbrio


no Plano inclinado

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

16.3.Máquinas simples: Plano inclinado e suas condições de equilíbrio.

O plano inclinado é uma máquina simples composto de uma superfície


Plano inclinado plana cujos pontos de início e fim estão a alturas diferentes.
P → força peso (carga) O trabalho realizado para elevar a carga até a uma altura h é dado pela
F → força aplicada expressão: Wh  P  h . Por outro lado, o trabalho realizado para transladar a
h → altura do plano
carga até uma distancia d é dado pela expressão Wd  F  d como o trabalho
é o mesmo temos Wh  Wd  P  h  F  d
P d
A condição de equilíbrio é dada pela expressão: 
F h
Exemplo: Seja massa m da figura ao lado igual a 640kg, altura de 2 metros,
a uma inclinação de 30 graus. Calcula a força potente ( F ) aplicada para
m
elevar a carga ( P ) até altura h. Considere g  10 2 .
s
Dados Formula Resolução
F =? P d 2 2
 sen30   h   h  4m
P = Fg F h h sen30
m  640kg P  Fg  m  g m g h 640  10  2
F F
m Ph d 4
g  10 2 F
s d F  3200 N
R: A força potente é igual a 3200N.

Consolidação
1. Uma carga de 100N é empurrada ao longo de um plano inclinado de 4 metros de comprimento e
1,2 metros de altura. Qual é a força necessária para elevar a carga?

2. Um plano inclinado tem 3,2m de base de sustentação e 1,6 metros de altura pretende se
equilibrar um fardo de 204N paralelamente a base. Qual deve ser o valor da força potente?

1.
1º Trimestre Objectivos:

 Explicar a consequência da regra de


Ouro da Mecânica na construção de
máquinas que servem para aplicar
forças de grande valor.
Professor: Paulo Catsossa
Conteúdos de Física 9ª Classe

Unidade II – Estática dos Sólidos

17. Regra de Ouro da Mecânica “O que se ganha com a força compensa-se com a distância

Num plano inclinado, a intensidade da força que tem de ser exercida é inversamente
proporcional à distância que tem de ser percorrida.

Lembre se quanto maior for o braço, maior será o


momento de força. Isto é, com braço maior torna se
fácil produzir a rotação do corpo. M 1  M 2  M 3
É também uma das consequências da regra de ouro
da mecânica clássica.
Imagine uma situação de um mecânico dispondo se das três
chaves apresentadas na figura ao lado. Qual delas escolheria
para desparafusar uma porca? Justifique.

Consolidação
1. Segundo o manual da moto Honda CG125, o valor
aconselhado do torque, para apertar a porca do
eixo dianteiro, sem danificá-la, é 60 Nm. Usando
uma chave de boca semelhante à da figura, a força
que produzirá esse torque é:
a) 3,0 N b) 60,0 N c) 12,0 N d) 300,0 N e) 30,0 N

2. Para abrir uma porta, você aplica sobre a maçaneta, colocada a uma
distância d da dobradiça, conforme a figura abaixo, uma força de módulo
F perpendicular à porta. Para obter o mesmo efeito, o módulo da força
que você deve aplicar em uma maçaneta colocada a uma distância d/2 da
F
dobradiça desta mesma porta, é: a) b) F c) 2F d) 4F
2

3. O canalizador da figura produz um momento de


força igual a 6Nm, quando aplica uma força de 20N
para montar os tubos. Qual deve ser o comprimento
(em cm) da chave que usa?

b) Se triplicar o braço e reduzir a metade a força, qual


será o valor do novo torque?
4. Querendo-se arrancar um prego com um martelo, conforme
mostra a figura, qual das forças indicadas (todas elas de
mesma intensidade) será mais eficiente?
a) A b) D c) B d) E e) C

Escola: ______________________________________________________________________________

1º Trimestre
Objectivos:

Professor: Paulo Catsossa  Aplicar o conhecimento sobre


Fenómenos Térmicos e Estática dos
Sólidos.
Conteúdos de Física 9ª Classe

Unidade I e II

1. Teste 1 em grupo

Elementos do grupo

Nome Numero Turma Turno

Questões teóricas
1. Completa as frases preenchendo espaços em branco:

a) Os ______________________ são aqueles que estão relacionados com a variação da temperatura.

b) A ___________________ é a grandeza física que mede o estado de agitação das partículas de um

corpo. Ela caracteriza o estado térmico de um corpo (quente, frio ou morno).

c) Por outras palavras, a temperatura é o ____________________ de aquecimento ou de

arrefecimento de um corpo.

d) São exemplos de fenómenos térmicos: __________________________________________,

____________________________________ e ______________________________________.

e) O __________________ ________________ mede a temperatura do corpo humano.

f) O __________ é a energia transferida de um corpo para o outro quando existe diferença de

temperatura.

g) A transferência de calor do corpo mais quente para o corpo menos quente cessa quando se atinge

o _____________________ __________________________.

h) _____________________ ________________________ é o estado em que dois corpos ou mais

possuem mesma temperatura.

Questões práticas

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

1. A previsão do tempo do último dia do ano 2014 indicou 29º C máximo e 19º C mínimo para
Maputo Cidade. Traduz esses valores em outras escalas por ti estudado.

Célsius Kelvin Fahrenheit


Máximo
Mínimo

2. O canalizador da figura produz um momento de força


igual a 6Nm, quando aplica uma força de 20N para
montar os tubos. Qual deve ser o comprimento (em cm) da
chave que usa?
a) Se triplicar o braço e reduzir a metade a força, qual será o
valor do novo torque?

1. Um plano inclinado tem 3,2m de base de


sustentação e 1,6 metros de altura pretende se
equilibrar um fardo de 204N paralelamente a
base. Qual deve ser o valor da força potente?

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

2º Trimestre
Unidade III – Estática dos Fluidos

18. Densidade de uma substância.


m
A densidade absoluta de um corpo é dada pela expressão   . Se a massa (m) é medida em gramas e
V
o volume (V) em centímetros cúbicos, a densidade é obtida em gramas por centímetros cúbicos. Ex: Qual
a densidade de um corpo que tenha massa de 200 g e está ocupando um volume de 2000 cm cúbicos? É
de 0.1 g/cm3.

A densidade  é uma propriedade física de um fluido, dada como massa por unidade de volume, ou

......vale para qualquer corpo

A densidade representa nos fluidos o equivalente à massa nos sólidos. Outras unidades usadas na prática
são g/cm3 , kg/litro, etc. A sua dimensão é ML-3.

A densidade relativa de uma dada substância é a razão da densidade da substância sub pela densidade
da água água, ou

densidade relativa =

EXEMPLO 1

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Trinta mililitros de uma solução anestésica contida numa seringa de 5 g tem uma massa combinada de 80
g. Determine a densidade da solução anestésica,

SOLUÇÃO

A densidade da solução anestésica pode ser determinada de

onde é a densidade (g/cm3), ma é a massa (g) da solução e V é o volume (cm3 ou ml). A massa da
solução anestésica ma é a massa total mT menos aquela da seringa ms, ou

mT = ma + ms ma = mT – ms = 80 – 5 = 75 g

O volume V da solução anestésica contida na seringa é

V = 30 ml = 30 cm3

Assim, a densidade de uma solução anestésica pode ser determinada por

EXEMPLO 2

A densidade de um radiofármaco é 0,75 g cm-3. Determine a massa de 2,0 litros deste radiofármaco

Nota:- 1 litro = 1000 cm3

SOLUÇÃO

A massa de um líquido está relacionada à densidade e volume por

Rearranjando, e resolvendo para a massa m temos,

m= V = (0,75 g cm-3) (2000cm3) = 1500 g = 1,5 kg.

EXEMPLO 3

Determine o tamanho apropriado de um recipiente necessário para manter 0,7 g de éter que tem uma
densidade de 0,62 g . cm-3.

SOLUÇÃO

O volume de um líquido está relacionado à massa e a densidade por

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

V = m/ = (0,7 g)/(0,62 g cm-3) = 1,129 ml

EXEMPLO 4

Um cubo de alumínio sólido tem dimensões de 6 polegadas (6 in) de comprimento em cada lado. Dado
que a densidade do alumínio é 170 lb ft-3, determine a sua massa. Dado : 1 pé = 1 ft = 12 in = 30,48 cm

SOLUÇÃO

Por definição, m = . V. Sabemos também que 1 ft = 12 in. Então, O volume do cubo é:

V = 0,5 ft . 0,5 ft . 0,5 ft = 0,125 ft3

Portanto a massa é

m = (170 lb ft-3)(0,125 ft3) = 21,3 lb

EXEMPLO 5

O osso tem uma densidade de 1,06 g cm-3. Determine a densidade relativa do osso.

SOLUÇÃO

Por definição a densidade relativa é

densidade relativa = =

EXEMPLO 6

Como calculado no problema prévio, a densidade relativa do osso é 1,06. Determine a massa de 1 cm3 de
osso

SOLUÇÃO

A massa está relacionada à densidade relativa por

densidade relativa = 1,06 = m = 1,06 g

4.1.2 - PRESSÃO

A pressão P é definida como uma força F actuando perpendicularmente a uma superfície de área A e é
dada por

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

A pressão é uma quantidade escalar e é expressa em dimensões de ML-1T-2.

As unidades S.I. para pressão são Nm-2. Outras unidades são muito usadas na prática, a atmosfera (atm) e
o milímetro de mercúrio (mmHg) e a "libra" (lb/in2).

EXEMPLO 7

Tocando um disco, uma agulha de fonógrafo exerce 3,5 g dentro de uma área circular de 0,30 mm de
raio. Determine a pressão exercida pela agulha do fonógrafo no disco.

SOLUÇÃO

A pressão exercida pela agulha do fonógrafo pode ser determinada da definição de pressão:

p=

19. Pressão exercida por sólidos, líquidos e gases.

20. Pressão hidrostática e Pressão atmosférica (experiência de Torricelli).

Dois tipos específicos de pressão particularmente aplicável aos fluidos inclui pressão atmosférica e
pressão hidrostática.
PRESSÃO ATMOSFÉRICA - representa a pressão média exercida pela atmosfera terrestre ao nível do
mar e é definida numericamente como:
1 atm = 1,01 x 10 5 Nm-2 = 1,01 x 105 Pa = 760 mmHg .
Uma relação mais completa entre as várias unidades de pressão pode ser encontrada na Tabela 6.1
PRESSÃO HIDROSTÁTICA Phid - é a pressão de um fluido exercida numa profundidade h num fluido
de densidade e é dada por
Phid = g h
Aqui g representa a aceleração da gravidade. Na medicina a unidade mais usada é o mmHg. Por exemplo,
um pico de pressão sangüínea (sistólica) lida como 120 mmHg indica que uma coluna de mercúrio desta
altura tem uma pressão na sua base igual a pressão sangüínea sistólica do paciente. Desde que a
densidade do mercúrio é 13,6 g/cm3, uma coluna de água tem que ser 13,6 vezes maior que uma dada
coluna de mercúrio, afim de produzir a mesma pressão. É algumas vezes conveniente indicar diferenças
de pressão no corpo humano em termos da altura de uma coluna de água.
Se uma pressão externa Pext é exercida no fluido, então a pressão total P é a soma da pressão externa e da
pressão hidrostática.
P = Pext + g h
onde a pressão atmosférica, na maioria dos casos, é considerada uma pressão externa
Desde que vivemos num mar de ar com uma pressão de 1 atm, é mais fácil medir a pressão relativa à
pressão atmosférica do que medir a verdadeira pressão, ou pressão absoluta. Assim quando dizemos que a
pressão do pneu da bicicleta é 60 "libras" estamos falando do quanto temos além da atmosfera no pneu.

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

Esta pressão "a mais" é chamada de pressão manométrica. A menos que falemos em contrário, todas as
pressões usadas aqui são pressões manométricas.
Existem vários lugares no corpo humano onde as pressões são mais baixas do que a atmosférica, ou
negativas. Por exemplo quando inspiramos a pressão nos pulmões deve ser um pouco menor que a
pressão atmosférica senão o ar não fluiria para dentro do corpo. Quando alguém bebe um líquido através
de um canudo, a pressão na boca deve ser negativa por uma quantidade igual a altura da sua boca acima
do nível do líquido que ele está bebendo. Para ver outros exemplos de pressão negativa.

EXEMPLO 8
A pressão sangüínea sistólica normal na circulação humana é de 120 mmHg. Determine a altura
equivalente de uma coluna de água.
SOLUÇÃO
Para determinar a pressão hidrostática exercida por uma coluna de mercúrio de 120 mm:

P = g h = (13,6
Queremos agora determinar a altura de uma coluna de água requerida para exercer a mesma pressão que
120 mmHg:
1,6 x 105 dina . cm-2 = (1,0 g cm-3) (980 cm s-2) (altura em cm)
Resolvendo para h, temos
h = 163 cm H2O.
EXEMPLO 9
Assuma que a área de um pé de uma pessoa de 80 kg é 25 cm x 6 cm. Determine a pressão que a pessoa
exerce no chão enquanto está em pé.
SOLUÇÃO
A pressão é definida como a força por unidade de área, onde a força é o peso da pessoa W:
W = m.g = (80 kg) (9,8 m s-2) = 784 N
e a área é a área da seção transversal na qual esta força é exercida:
Apé = área de uma elipse = (0,25 m x 0,06 m)= 0,047 m2
Desde que a pessoa normalmente fica em pé sobre os dois pés, a área total é 2 Apé = 0,094 m2. Assim, a
pressão exercida pela pessoa sobre o chão é

EXEMPLO 10
Assumindo a densidade da água como 1 g/cm3, determine a pressão no fundo de uma piscina de
profundidade de (1) 60 cm, (2) 120 cm e (3) 180 cm
SOLUÇÃO
Existem dois componentes de pressão atuando no fundo de uma piscina: a pressão hidrostática devida a
água e a pressão atmosférica (1,0 atm = 1,013 x 105 N . m-2), assim conduzindo a uma pressão líquida ou
total de
ptotal = patm + phid = patm + . g . h
Numa profundidade de 60 cm, a pressão total exercida no fundo da piscina é
ptotal = patm + . g . h =
1,013 x 105 N.m-2 + (1000 kg.m-3).(9,8 m.s-2).(0,6 m) =
1,07 x 105 N.m-2
Numa profundidade de 120 cm, a pressão total exercida no fundo da piscina é
ptotal = patm + . g .h =
1,013 x 105 N.m-2 + (1000 kg.m-3) . (9,8 m.s-2) . (1,2 m) =
1,13 x 105 N.m-2
Numa profundidade de 180 cm, a pressão total exercida no fundo da piscina é:
ptotal = patm + . g .h =
1,013 x 105 N.m-2 + (1000 kg.m-3) . (9,8 m.s-2) . (1,8 m) =

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

1,19 x 105 N.m-2


Veja alguns outros exemplos ilustrativos
Mais sobre a pressão no corpo humano é só clicar aqui
Veja também os efeitos fisiológicos da pressão , os efeitos da pressão durante o mergulho e a terapia com
oxigênio hiperbárico (HOT).

21. Unidades de pressão: Pascal, atmosfera, bar, cmHg, mmg, e sua relação. Exercícios de aplicação.

22. Equação fundamental da hidrostática

23. Exercícios de aplicação.

24. Princípio de Pascal; Líquidos imiscíveis em vasos comunicantes.

4.1.3 – PRINCÍPIO DE PASCAL

O princípio de Pascal estabelece "uma pressão externa aplicada a um fluido confinado será transmitida
igualmente a todos os pontos dentro do fluido". Isto significa que a pressão transmitida não diminui à
medida que se propaga pelo interior do fluido. Este resultado torna possível uma grande multiplicação de
forças, como se fosse uma alavanca fluida.

O próximo exemplo mostra melhor o que estamos dizendo.

EXEMPLO 11

Um exemplo do Princípio de Pascal é visto no macaco hidráulico, mostrado na Figura abaixo. Se uma
força de 300 N é aplicada a um pistão de 1 cm2 de área transversal, determine a força de ascensão
transmitida a um pistão de área transversal de 100 cm2.

SOLUÇÃO

De acordo com o Princípio de Pascal, a pressão p1 exercida na coluna da esquerda de área 1 cm2 por meio
de uma força de 300 N deve ser igual a pressão p2 que aparece coluna da direita de área 100 cm2.
Professor: Paulo Catsossa
Conteúdos de Física 9ª Classe

Fazendo substituições apropriadas leva

F = 30.000 N

25. Aparelhos hidráulicos. A Prensa hidráulica, a Bomba hidráulica e os Manómetros de pressão.

26. Princípio de Arquimedes e força de impulsão ou empuxo.

O Princípio de Arquimedes estabelece "um corpo imerso inteiramente ou parcialmente num fluido está
sujeito a um empuxo que é igual em magnitude o peso do fluido deslocado pelo corpo", ou

EMPUXO = peso do fluido deslocado

Se o empuxo é igual ou maior que o peso do fluido deslocado, então o objeto permanece flutuando.
Entretanto, se o empuxo é menor que o peso do fluido deslocado, então o objeto afunda.

EXEMPLO 12

Uma baleia pesa 5,4 x 105 N. Determine o empuxo requerido para suportar a baleia no seu "habitat"
natural, o oceano, quando ela está completamente submersa. Assuma que a densidade da água do mar é
1030 kg m-3 e que a densidade da baleia baleia é aproximadamente igual a densidade da água ( água =
1000 kg m-3)

SOLUÇÃO

O volume da baleia pode ser determinado por

Resolvendo para V, temos

A baleia desloca 55,1 m3 de água quando submersa. Portanto, o empuxo E, que é igual ao peso da água
deslocada, é dado por

E = Págua do mar = água do mar . g . Vbaleia = (1030 kg m-3) (9,8 m s-2) (55,1 m3)

= 5,6 x 105 N
Professor: Paulo Catsossa
Conteúdos de Física 9ª Classe

EXEMPLO 13

Numa atração circense, pergunta-se para estimar o número de moedas submersas num grande
reservatório de água. Suponha que um reservatório de 1 litro estava cheio de moedas de massas m = 0,5
kg, tal que 0,5 litro de água fora deslocada. determine o número de moedas no reservatório, assumindo a
densidade da moeda como 8,9 g cm-3

SOLUÇÃO

Dado que a massa da moeda é m = 0,5 g e a densidade é = 8,9 g cm-3, o volume de uma única moeda é

O número de moedas é assim dado por

Dado que a massa da moeda é m = 0,5 g e a densidade é = 8,9 g cm-3, o volume de uma única moeda é

O número de moedas é assim dado por

27. Condições de flutuação dos corpos.

28. Exercícios de aplicação

Um agente anestésico tem uma densidade = 1,86 g . cm-3 e está num tubo de ensaio de volume V = 10
ml. Determine a massa do anestésico. Resp:- 18,6 g

Dado um volume de 5 ml de álcool etílico ( = 0,81 g cm-3), determine o volume de água ( = 1,00 g
cm-3) requerido para a massa igualar aquela do álcool etílico. Resp:- 4,05 ml

Determine a força exercida pela água no fundo de um tanque de aquário de 0,9 x 0,5 m se o nível de água
está a 0,85 m. Resp:- 4,95 x 104 N

Determine a pressão hidrostática devida a uma coluna de 50 cm de (1) água ( água= 1 g cm-3); e 92)
mercúrio ( Hg = 13,6 g cm-3). Resp:- (1) 4,9 x 104 dina cm-2; (2) 6,6 x 105 dina cm-2

Considere um barômetro de mercúrio ou um tubo de vidro de forma de U com uma extremidade ou braço
lacrada e cheio de mercúrio, como mostra a Fig 4. Determine a altura h da coluna de mercúrio se a
Professor: Paulo Catsossa
Conteúdos de Física 9ª Classe

pressão no braço da extremidade aberta é (1) pressão atmosférica e (2) 100 mHg. Resp:- (1) 760 mmHg
(2) 97 mmHg

Determine a pressão hidrostática e a pressão total numa profundidade de 4,0 m numa piscina. Resp:- 3,92
x 104 N m-2; 1,4 x 105 N m-2

Considere um pistão de área de secção transversal 10-2 m2 exercendo uma


força de 600 N num recipiente cheio de água de altura h = 0,8 m (ver Figura
5). Dada a densidade da água = 1.000 kg m-3, determine a pressão exercida
no fundo do recipiente de 10-1 m2. Resp:- 67,840 N m-2 .

Considere um cone invertido de altura h = 0,45 m e raio r = 0,15 m., cheio de


água. Determine o peso e a força do fluido atuando para baixo na base do
cone. Resp:- 103,8 N ; 311,6 N

Considere um tanque de aquário com uma base de 3,5 m por 2,0 m cheio de água até uma profundidade
de 4 m. Determine a pressão total exercida no fundo do tanque. Resp:- 2.367 N m-2

Determine a pressão requerida para elevar água ao topo de uma construção de 20 m de altura. Resp:- 1,96
x 105 N m-2

Um aneurisma pode ser aproximado por uma esfera elástica com uma pequena abertura pela qual o
sangue circula e exerce pressão contra a parede interna. Determine a força, em newtons, exercida pelo
sangue num aneurisma, dada uma pressão sangüínea de 150 mmHg e área de secção transversal de 25
cm2. Resp:- 49,8 N

Um tubo capilar de raio interno r = 0,2 mm está parcialmente submersa no álcool etílico. A tensão
superficial e densidade do álcool etílico são 22,3 dina cm-1 e 8 x 102 kg m-3, respectivamente. Dado que o
ângulo de contato é 0º, determine a altura da elevação do álcool etílico no tubo capilar. Resp:- 2,81 cm

Referindo-se ao conjunto de pistões do macaco hidráulico da Figura 3, determine a força requerida por
um pistão A1 = 1 cm2 para levantar um objeto de 1.200 N sobre uma área superficial A2 = 10 cm2. Resp:-
12 N

Um tubo capilar de 1,2 mm de diâmetro interno está parcialmente submerso em água. A água eleva-se no
capilar até uma altura de 18,5 mm. Dado que a densidade e a tensão superficial da água são 1,06 g cm -3 e
72,8 dina cm-1, respectivamente, determine (1) a força superficial e (2) o peso da água no tubo capilar.
Resp:- 13,7 dina (2) 13,7 dina

Para uma solução num tubo de ensaio, determine a pressão, a energia potencial gravitacional Ep e a
energia total Etotal em (1) no nível da superfície da solução (2) no fundo do tubo de ensaio. Resp:- (1) P =
Patm; Ep = 0; Etotal = Epatm (2) P = Patm + g h; Ep = - g h Etotal = Patm

Para a sua viagem ao redor do mundo, Billy Bob usará um balão cheio de hélio com um volume de 2.300
m3 e um peso total de 5.500 N. Dado que a densidade do hélio é 0,176 kg m-3, determine a carga máxima
que o balão pode levantar. Resp:- 1,96 x 104 N

Avaliação e Revisão

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

3º Trimestre
Unidade IV – Óptica Geométrica
29. Fontes de luz. Corpos luminosos e iluminados.

30. A propagação rectilínea da luz. Raio e feixe luminoso.

31. Sombra, penumbra e eclipses.

32. Reflexão da luz. Leis da reflexão.

33. Imagens produzidas por espelhos planos e suas características.

34. Reflexão de raios paralelos, focais e centrais num espelho côncavo.

35. Construção geométrica de imagens em espelhos côncavos.

36. Fenómeno da refracção da luz Leis da refracção. Índice de refracção

37. Refracção numa lente biconvexa (raio focal, paralelo e central).

38. Construção geométrica da imagem dada por uma lente biconvexa e suas características.

39. Instrumentos ópticos

40. O olho humano e suas deficiências (miopia e hipermetropia).

Avaliação e Revisão

1. Graus Celsius para Kelvin:

Professor: Paulo Catsossa


Conteúdos de Física 9ª Classe

a) 100ºC → 373,15 K b) 27 ºC → 300,15 K c) 89 ºC → 362,15 K d) -7ºC → 266,15 K

TK = TºC + 273,15 TK = TºC + 273,15 TK = TºC + 273,15 TK = TºC + 273,15


TK = 100 + 273,15 TK = 27 + 273,15 TK = 89 + 273,15 TK = 100 + 273,15
TK = 373,15 TK = 300,15 TK = 362,15 TK = 266,15

2. Kelvin para Graus Celsius:


a) 273,15 K → 0ºC b) 24 K → 249,15 ºC c) 0 K → 273,15 ºC d) 100 K → 173,15 ºC
TºC = 273,15 – 273,15 TºC = 24 – 273,15 TºC = 0 – 273,15
TºC = 0 TºC = - 249,15 TºC = 273,15 TºC = 100 – 273,15
TºC = 173,15 ºC

3. Fahrenheit para Graus Celsius:


a) 392 ºF → 0 ºC b) 32 ºF → 200 ºC c) 212 ºF → 100 ºC d) 100 K → 173,15 ºC

ºC = (ºF – 32) ºC = (ºF – 32) ºC = (ºF – 32) TºC = 100 – 273,15


1,8 1,8 1,8 TºC = 173,15 ºC
ºC = (392 – 32) ºC = (32 – 32) ºC = (212 – 32)
1,8 1,8 1,8
ºC = 200 ºC ºC = 0 ºC ºC = 100 ºC

Professor: Paulo Catsossa

Você também pode gostar