Você está na página 1de 4

Trilha 1

São 13 km de caminhada de fácil acesso. O passeio começa perto da Vila do Marujá e tem
como destino a Cachoeira Ipanema, dentro da Mata Atlântica. Durante o percurso, é
possível observar pequenas dunas (2 m).

Trilha 2
Os principais atrativos desta caminhada, que vai até o Poço das Antas, são as lontras,
cágados e jacarés-de-papo-amarelo. O passeio tem um total de 8 km e seu ponto de partida
é o Núcleo Perequê, onde está a sede do Parque.

Trilha 3
São duas horas de caminhada pelo mangue, observando a diversidade de fauna que se
encontra nesse ecossistema. O passeio inicia-se próximo ao Núcleo do Perequê.

Trilha 4
Partindo das proximidades da Vila do Marujá, são apenas vinte minutos de caminhada. O
passeio termina numa límpida piscina natural de 2,5 m de profundidade ideal para banho.

Trilha do Poço das Antas

A planície litorânea, o Rio Perequê e parte da mata que encobre as encostas dos morros, são
as atrações dessa trilha de fácil caminhada, que tem 2,5 quilômetros de extensão,
percorridos de forma bem tranqüila em 3:30 hrs para ida e volta.

Trilha do Morro das Almas

De fácil caminhada e com extensão de 2 quilômetros, essa trilha leva o visitante a perceber
como a vegetação vai se modificando na medida em que se caminha pela planície litorânea
em direção às encostas da Serra do Mar. As bromélias são algumas das atrações dessa trilha
que o visitante leva cerca de 3:00 hrs para contemplar.

Trilha do Mangue

Chamados de berçários dos oceanos, os mangues são ambientes muito especiais, onde a
mistura das águas doce dos rios e salgada do mar cria uma vegetação diferenciada por
espécies, como a Rizophora Mangle e uma fauna rica e diversificada, o visitante observa
percorrendo 700 metros, com dificuldade média, que seguem o curso do Rio Perequê até a
Praia do Pereirinha, onde se pode tomar um belo banho de mar.

TrIlha do Sambaqui e do
Costão Rochoso

Uma aventura arqueológica, em que se descobre fragmentos de ossos, conchas e outros


objetos com milhares de anos, é a atração dessa caminhada que leva o visitante aos
sambaquis (sítios arqueológicos) que ficam no meio da mata. De dificuldade média, a trilha
percorre o interior da floresta de encosta e os costões rochosos. Uma hora e meia é o tempo
necessário para percorrer o passeio de 1 quilômetro.
Obs:

Além das trilhas, o Parque também oferece belos passeios para quem for caminhar até as
praias do Marujá, Enseada da Baleia, Cambriú, Pontal do Sul e Ipanema.
Em todas elas, o banho de mar é um convite irresistível.

E para quem gosta de um banho de cachoeira, estão à disposição: Cachoeira Grande,


Cambriú, Serra e Ipanema. Em algumas das praias, vivem comunidades tradicionais de
pescadores. Algumas famílias caiçaras oferecem pousada e refeições.

Além das praias e passeio de barco, Cananéia oferece outros roteiros e pontos turísticos
que podem ser visitado. Os roteiros das cachoeiras, por exemplo, são imperdíveis, mas
requer um preparo físico, trajes adequados e muito espírito de aventura.
Seguido pela estrada que liga o Bairro Itapitangui ao Bairro do Arirí há três cachoeiras. O
acesso, a partir de Cananéia se dá pela balsa que liga a cidade ao continente. Deve-se
seguir ate o bairro Itapitangui e perguntar aos nativos como se acessa as cachoeiras do
Pitu, Mandira, e Rio das Ostras.
A cachoeira do Pitu é a mais próxima de Cananéia (13 Km) e tambem a mais urbanizada.
Possui uma grande piscina Natural e locais onde se pode preparar um refeição rápida.
Durante o mês de Novembro as "mutucas" incomodam bastante. Leve repelente. O local
exibe uma vegetação densa (Mata Atlântica).
Seguindo pela estrada o Itapitangui em direção ao Arirí, 10Km adiante, caminhando por
uma trilha pelo lado direito da estrada, avista-se a cachoeira do Mandira. Em dias de
chuvas as águas da cachoeiras apresentam turbulências e fortes correntezas. Mais, se você
não sabe nadar, esqueça. A fauna e flora do local impressionam: há cutia, quati,
veadinhos, tamanduá e cobras.
Você deve acessar estes locais acompanhado por um monitor ambiental que conheça a
região e os caminhos das cachoeiras. Outra coisa: evite problemas, pois não há assistência
medicas próximas a região. Isso quer dizer o seguinte : use calçados especiais para
transpor as pedras escorregadias das cachoeiras, não leve maquina fotográfica pendurada
no pescoço e outros equipamento que vão dificultar a sua aminhada. Ah, ia esquecendo:
evite a estrada em dias de chuvas porque o barro vai atolar o seu carrinho.
Voltemos às cachoeiras. A mais selvagem de todas de todas elas é a cachoeira do rio das
Minas, 5km adiante da cachoeira do Mandira . O acesso é meio complicado, não leve
crianças, porque o passeio pode ficar pela metade diante das dificuldades .
O acesso se da sobre uma propriedade
particular e você só chega lá se o Sr.
Durval estiver por perto. Ha uma taxa de
R$ 3,00 por pessoa que o senhor Durval
cobra para fazer manutenção das trilhas
que colocam você diante de um raro
espetáculo proporcionado pela natureza
intocada do local.
Caminha-se da sede do sitio pouco mais
de 300 metros. Os visitantes seguem por
uma trilha que beira o morro. Há fortes
correntezas do leito do rio que podem
levá-lo a um mergulho inesperado na
água. Fique esperto. A cachoeira do rio
das Minas é uma das mais belas do Vale
do Ribeira. A piscina formada pela
cachoeira tem porte majestoso e forma
uma piscina olímpica. Nadador
inexperiente não deve-se aventurar.
Visitar essa cachoeira é uma experiência
inesquecível . Bom passeio!

DICAS - A ilha, pela sua exuberante natureza, é muito procurada por estudantes de
ciências naturais, tais como biólogos, oceanógrafos, ecológos, etc. Aproveite a
tranqüilidade da Ilha do Cardoso para fazer uma espécie de retiro espiritual. A Praia do
Kayan, entre Camboriu e Fole Pequeno, é o lugar ideal.

A base, para chegar a Ilha do Cardoso, é a cidade de Cananéia, a 272 km de São Paulo. Dali
partem barcos às segundas-feiras às 13 horas e quartas e quintas às 8 horas, com duração de
3 horas até a Ilha do Cardoso. Também é possível fazer de lancha. Informações na Marina
Cananéia, telefone (0xx13) 851 1105. O ponto de chegada é a Vila do Marujá (a capital
informal da ilha). Ali a hospedagem pode ser combinada tanto com os moradores nativos
como também na Pousada Ilha do Cardoso, telefone (0xx13) 851 1613.

Dois itinerários são bastante conhecidos dos praticantes de trekking: 1) Sul - de Marujá até
a Barra do Ararapira (15km). Caminhada por uma praia reta e batida, com pequena
dificuldade. 2) Norte - de Marujá até Cananéia. Caminhada mais radical, exige preparo
físico e dois dias por entre praias, trilhas da Mata Atlântica e Costões Rochosos, deve ser
feita com algum nativo ou guia.