Você está na página 1de 11

UEMA - NCESSIN - GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA

ARMANDO PAULO DA SILVA 06BI9001

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO II

Relatos e Experiência

Pindaré Mirim – MA

2009

ARMANDO PAULO DA SILVA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO II

Relatos e Experiência

Relatório apresentado a
Universidade Estadual do
Maranhão UEMA/CESSIN para
obtenção de nota parcial do
Estágio Supervisionado.

Orientadora. Selma Pereira Nunes

Pindaré Mirim - MA

2009

1 IDENTIFICAÇÃO

ALUNO: Armando Paulo da Silva.

CÓDIGO: 06BI9001.

ENDEREÇO: Rua do Ouro Preto, 20, Centro, Pindaré Mirim – MA.


FONE: (98) 3654 3088.

PÓLO: Pindaré Mirim.

PERÍODO: 7º período.

PREVISÃO DE TERMINO DO CURSO: julho de 2009.

INÍCIO DO ESTÁGIO OU ATIVIDADE:

TÉRMINO DO ESTÁGIO OU ATIVIDADE:

EMPRESA PESQUISADA: Centro de Ensino José Sarney Costa.

ENDEREÇO: Rua Comandante Pedro Melo, Centro, Pindaré Mirim – MA.

FONE: (98) 3654 2546.

ÁREA PESQUISADA: Ensino Médio.

2 APRESENTAÇÃO

O presente relatório expõe dados relevantes, onde mostram a


experiência vivida no campo de estágio, fundamentado no
componente Curricular Acadêmico, com o propósito de enriquecer, e
ancorar o docente em estágio, permitindo a observação do âmbito
escolar, que contribuirá nas habilidades e capacidades em futuros
exercícios da profissão.

A atividade desenvolvida foi composta de dois momentos. O primeiro


com o reconhecimento da escola, ou seja, dos espaços físicos,
administrativos, pedagógicos, o regimento da escola, horários, corpo
docente e as aulas ministradas nas salas de aulas.

O segundo momento foi iniciado com período das regências, visto


que, a partir daí, passou-se a conhecer as formas de planejamento,
aplicação das técnicas pedagógicas, a realidade de sala de aula com
alunos de nível médio, levando em conta as diferenças culturais e
sociais de cada aluno. É importante citar que foi estável a relação
desenvolvida entre os discentes e o estagiário onde houve uma troca
de experiências, proporcionando momentos de interação no
aprendizado, na leitura, na escrita, na produção de conhecimento
adquiridos ao longo dos anos de vivência escolar dos alunos, da
referida escola.

Prosseguindo com esse raciocínio, defende-se que o Estágio


Supervisionado é uma etapa relevante na vida do acadêmico, pois ele
funciona como um experimento na vida do futuro profissional, onde
trabalhará com aprimoramento do educando como ser humano; sua
formação ética; desenvolvendo sua autonomia intelectual; e de seu
pensamento crítico; sua preparação para o mundo do trabalho e o
desenvolvimento de competências para continuar seu aprendizado.

3 INTRODUÇÃO

É sabido que a educação, do ponto de vista social, é a ação que as


gerações adultas exercem sobre as gerações jovens, orientando sua
conduta, por meio da transmissão do conjunto de conhecimentos,
normas, valores, crenças, usos e costumes aceitos pelo grupo social.

A escola ao longo dos anos tem procurado desenvolver seu papel de


agenciadora de cidadãos que exercem sua cidadania com
responsabilidade, caráter e competência; seja na política, na família,
na religião, ou seja, no contexto social onde estar inserido o indivíduo.

Para que haja educação de qualidade que venha fazer a diferença


entre as futuras gerações é necessário que políticas públicas estejam
investindo na capacitação de profissionais qualificando-os para a
prática docente.

Visando a melhoria da qualidade de ensino na educação básica a


Universidade Estadual do Maranhão tem oferecido tais cursos de
formação continuada por extensão, esta atividade acadêmica se
realiza através de estágios realizados em escolas de Ensino Médio
com o objetivo de treinar suas habilidades para a prática docente.
O professor estagiário terá por objetivo observar o trabalho do
professor regente e analisar seus instrumentos de ensino. Esta
prática é fundamental para que haja o envolvimento do futuro
professor assistido.

4 DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

4.1 Caracterização da escola-campo

A escola onde foi realizado o estágio tem por nome de registro Centro
de Ensino José Sarney Costa. Está localizada na área urbana da
cidade de Pindaré Mirim no Estado de Maranhão, à Rua Comandante
Pedro Melo e é pertencente à Rede Pública. A mesma oferece as
seguintes modalidades de ensino: Ensino Fundamental e Médio.
Dispõe de 07 salas de aulas, as quais funcionam nos três turnos,
assim distribuídos:

• Matutino – 06 salas de aulas do Ensino Fundamental e 01 do Ensino


Médio;

• Vespertino – 07 salas de aulas do Ensino Médio;

• Noturno – 07 salas de aulas do Ensino Médio.

A escola-campo de estágio possui 01 diretoria, 01 sala com banheiro


para professores, 01 sala informatizada em pleno funcionamento, 01
sala de biblioteca com acervo completo. Possui dois banheiros para
uso dos alunos de ambos os sexos com estrutura para cadeirantes, 4
serventes, 4 vigilantes e 4 secretários.

Para apoio às atividades escolares, a escola dispõe dos seguintes


equipamentos em uso: 02 aparelhos de TV, 01 retro projeto com tela,
01 computador com impressora na secretaria, 12 computadores na
sala de informática, 01 aparelho de som, 01 caixa amplificada, 01
máquina fotográfica digital, 01 aparelho de DVD, há ainda, um
aparelho de telefone público para uso exclusivo da escola e alunos.
Com relação ao espaço físico da mesma, é conveniente ressaltar que
na mesma já funcionou a TVE – CEMA, como ainda é chamada a
escola e se encontra a mais de 30 anos servindo a comunidade
educando gerações. O prédio abrange as áreas de um quarteirão
completo de aproximadamente 1.000m2 de área, tendo uma quadra
esportiva em pleno funcionamento.

4.2 Aspectos administrativos

Em relação À organização funcional da escola, vale destacar:

• O Centro de Ensino é dirigido pelo professor Francisco Pereira Nunes. O


corpo docente é formado por 45 professores, sendo 90% graduados;

• A escola abriga em suas dependências os três turnos em


funcionamento, totalizando 726 alunos, sendo 211 do fundamental e
515 do ensino médio, é bom ressaltar que só não tem um número
maior de alunos por falta de espaço físico.

•A merenda escolar é preparada no próprio prédio por duas merendeiras


competentes, dispondo de uma cozinha ampla e arejada. Os
alimentos servidos são adquiridos mediante recursos que a escola
recebe do Governo Estadual, no comércio local estimulando o
fortalecimento do mesmo.

• A escola tem o Plano de Desenvolvimento da Escola, tendo ainda


Projeto Político Pedagógico regendo suas atividades pedagógicas.

4.3 Aspectos Pedagógicos

O calendário escolar atende as exigências da LDB com 200 dias


letivos interagindo com os eventos cívicos e culturais, de acordo com
as orientações fornecidas pela Unidade Regional de Educação de
Santa Inês.
Para a garantia da participação efetiva e democrática dos pais dos
alunos na escola, a mesma conta com o auxílio do projeto “Colegiado
Escolar” constituído por representantes de alunos, membros da
comunidade e professores, tendo como um dos objetivos
democratizarem as decisões da escolar, fiscalização dos recursos
adquiridos, discutirem soluções de melhorias que venham de
encontro aos alunos e a sociedade.

Para apoiar as atividades pedagógicas nesta unidade de ensino conta-


se com as seguintes tecnologias: giz e acessórios, livros didáticos,
retro projetor, aparelhos de TV, aparelho de DVD, aparelho de som,
caixa amplificada, tela de projeção, quadro de giz e branco. Como diz
Paulo Freire “Ai de nós educadores se deixarmos de sonhar sonhos
possíveis”.

Levando em conta que o planejamento geral de atividades de uma


escola é o processo de decisão quanto aos objetivos a serem
atingidos para o bom funcionamento da escola, atentos a essa
necessidade os professores da escola CEMA – como é chamado o
Centro de Ensino José Sarney Costa – reúnem-se uma vez por mês,
por voltas do último dia letivo de cada mês; obedecendo assim o
calendário escolar. Por ser um trabalho complexo a ação educativa
não admite improviso e nem tão pouco pode ser encarada como
rotina, deve ser vista sim como uma espaço de aprendizagem e
momento de partilha e troca de sonhos. “Planejar é uma exigência
normal da vida humana, pois exige pensar sobre um possível e
variável fazer” (Martinez e Oliveira Hailone).

Quanto à avaliação, as mesmas são feitas obedecendo alguns


critérios, sendo a participação crítica dos conteúdos assiduidade,
argumentação, entre outros. Considerando que atualmente a
avaliação assume novas funções, pois é um meio de diagnosticarem
que medida os objetivos propostos para o ensino-aprendizagem estão
sendo atingidos, permitindo que o aluno tome consciência de seus
avanços. “A avaliação da aprendizagem do aluno está diretamente
ligada à avaliação do próprio trabalho docente. Ao avaliar o que o
aluno conseguiu aprender, o professor também aprende.” (Regina
Célia Gazaux Haidt, Curso de Didática Geral, 1995, p. 287).

A escola-campo adota uma concepção pedagógica voltada para uma


educação voltada, que visa o desenvolvimento motor, cognitivo,
afetivo e social do educando.

4.4 Atividades desenvolvidas

O Estágio Curricular Supervisionado foi iniciado no dia 04 de fevereiro


de 2009, quando foi apresentada uma micro-aula na qual foi
trabalhado a divisão celular, onde foi apresentado as subdivisões da
divisão celular, Mitose e Meiose com suas subfases, a saber:
interfase, prófase, anáfase, metáfase e telófase.a apresentação da
micro-aula aconteceu em sala de aula com a presença de todos os
colegas acadêmicos de Biologia, onde na oportunidade cada um
apresentou sua micro-aula.

A segunda etapa do estágio aconteceu na escola CEMA nas 1ª, 2ª e


3ª séries do Ensino médio nos três turnos. No primeiro momento o
professor regente da sala, Hendrie Ferreira Nunes, apresentou o
estágio aos alunos falando um pouco do estagiário como tendo sido
seu aluno no Curso de Biologia. Na sala foi possível observar que o
professor regente desenvolve suas atividades de maneira
responsável. E muito criativo, sempre incentivando os alunos a
participarem mais das aulas e a pesquisarem na prática para uma
melhor compreensão do conteúdo. Os alunos em sua grande maioria
ainda são adolescentes e estão na idade-série adequada com
pouquíssimas exceções.

Nesta etapa, foi observado, com muita atenção, o dia a dia do


professor em sala de aula, colaborando com a turma. O estagiário
esteve o tempo todo de estágio servindo na sala de monitor e
professor, sem perder de vista seu foco que é o de aprendizagem
prática para o profissionalismo do mesmo num futuro bem próximo.
Os alunos demonstraram um grande apreço pelo estagiário, haja vista
que o mesmo é professor de alguns dos alunos em outra escola o
professor/estagiário trabalha como professor de Biologia.

As aulas ministradas pelo estagiário foram elaboradas usando uma


didática simples de acordo com a realidade de cada turma, já que
cada turma apresenta-se de forma diferente com relação à base de
conhecimento. Os alunos na sua maioria são portadores de livros
didáticos, principalmente de Biologia, o que facilitou bastante a
regência e a experiência de docência.

Em se tratando de experiência foi uma troca mútua de vivência


escolar em vários aspectos, tanto formativo, liderança, comunicativo,
afetivo, não a simples troca de conhecimento, mas de um choque de
cultura e geração.

A terceira etapa foi a realização do mini-curso que foi usado o tema


Álcool a Droga Que Mais Mata, pensado e realizado em equipe de três
alunos – Armando, Mary Lane e Concita. Apresentado à alunos do
curso de Magistério do Colégio Oscar Galvão. Onde cada um dos
membros da equipe defendeu um subtema relacionado com o tema
central. Contou-se com a participação de 36 alunos e dois alcoólicos
que estão há vários anos se beber bebida alcoólica.

Foi usado como recurso de apoio na apresentação do mini-curso DVD


play, filme sobre alcoolismo, data-projetor, quadro branco como tela,
folder e ao final foi distribuído entre os participantes um certificado
de participação simbólico.

O Sr. Sebastião Fotógrafo, presidente do AA, deu uma palavra sobre


os perigos do álcool para o organismo humano e o que um alcoólatra
é capaz de fazer alcoolizado na rua ou em casa com seus familiares,
entre outras coisas disse também que o alcoolismo é uma doença
incurável,mas tem tratamento e controle desde que a pessoa com
esta patologia procure ajuda ou se deixe ajudar. Na oportunidade
tivemos o depoimento do Sr. Orlando Pedreiro, que já não conseguia
serviço por causa da sua bebedeira, contou também uma de suas
histórias de bêbado: quando estava no cemitério próximo ao meio dia
e ouviu uma voz chamando seu nome e ele assustado correu
apavorado ferindo-se nas catacumbas do local, depois soube que
havia sido uma pessoa que ao passar pelo cemitério resolveu lhe dar
um susto. Foi muito proveitoso o estágio supervisionado.

4.5 Avaliação das atividades desenvolvidas

As atividades desenvolvidas na escola mostram que é possível tornar


o ambiente da sala de aula um lugar prazeroso e de construção de
saberes mutuo. Entretanto, é importante reconhecer a necessidade
de valorizar mais o planejamento e a aplicação de técnicas
inovadoras de ensino, pois envolvendo os alunos nas atividades
desenvolvidas durante as aulas, percebe-se o interesse por aulas
dinâmicas, criativas, tornando o relacionamento entre professor e
aluno mais sólido.

Observa-se que os resultados obtidos com os alunos durante o


período, foram satisfatórios, no tocante ao mini-curso levando-se em
conta o desconhecimento sobre os riscos do alcoolismo, e isso está
relacionado com a falta de conhecimento de base, período escolar de
1ª a 8ª séries, onde pouco se fala sobre drogas, principalmente o
alcoolismo que, por muitos, não é considerado como droga
dificultando assim a compreensão dos alunos. Porém o vídeo assistido
e os depoimentos dos convidados fui muito proveitoso para o
desenvolvimento do tema.

Uma das dificuldades encontradas durante o período, está


relacionada com a falte de interesse por parte de alguns alunos, que
ficam saindo e entrando da sala durante as aulas e durante a
apresentação do mini-curso, o que nos mostra o despreparo e
descaso pelo saber.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Diante das informações contidas neste relatório de Estágio Curricular


Supervisionado, notifica-se entre as diferentes ambiências humanas,
a escola tem sido historicamente, a instituição escolhida pelo estado
e pela família como o melhor lugar para o ensino-aprendizagem não
só de valores morais no âmbito do desenvolvimento dos educandos,
mas também ajudar os alunos a desenvolver a capacidade de
desenvolver a capacidade de socializar os conteúdos estudados em
sala de aula, permitindo que ele venha construir o seu próprio
conhecimento sistemático.

Durante este período de convivência no ambiente escolar com alunos


do Ensino Médio, observou-se que os mesmos são críticos, apesar de
apresentarem deficiências relacionadas a formação de base das
disciplinas que envolvem a Biologia, já a mesma serve como
instrumento de interpretação do ambiente e exercício da cidadania.

O Centro de Ensino José Sarney Costa, tem procurado com muito


empenho e competência preparar gerações para enfrentar o mercado
de trabalho, aprimorando o educando como pessoa humana,
incluindo a formação ética e o desenvolvimento da autonomia
intelectual e do pensamento crítico de cada disciplina, considerando o
Ensino Médio como a última etapa da Educação Básica.

O referido estabelecimento público de ensino tem uma visão moderna


de ensino, colocando sempre em seus currículos projetos pedagógica,
para que os adolescentes e jovens discutam e opinem sobre suas
inquietações e aspirações pessoais e coletivas. Para tanto, sempre
acontece seminários, palestras, debates, apresentações artísticas e
culturais.
Em suma, é notável que a educação para grandes transformações dia
após dia, necessita destes pressupostos e partindo deste ponto a
escola-campo de estágio tem procurado desenvolver seu papel de
preparar cidadãos, aplicando juntamente com os docentes um
rigoroso planejamento e execução do mesmo de forma responsável
aproveitando os avanços tecnológicos e as dinâmicas inovadoras de
ensino pedagógico.

REFERÊNCIAS

BRASÍLIA: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica,


2006.239p. (Orientações Curriculares para o Ensino Médio;
volume 1).

BREJON, Moisés. Estrutura e Funcionamento do Ensino 1º e 2º


grau: Leituras. São Paulo: Pioneira, 1993.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à


Prática Educativa/ Paulo Freire: Paz e Terra (Coleção leitura).

VEIGA, Ilma P. A. A Prática Pedagógica do Professor de Didática,


Campinas –SP: Papirus, 1989.

Leia mais: http://www.pacaru.com/2009/06/meu-relatorio-de-estagio-


curricular.html#ixzz16y8x06Q4