Você está na página 1de 13

Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto

Serviço de Formação Profissional do Porto

CLC 6- Cultura, Urbanismo e Mobilidade


DR 1 CONSTRUÇÃO E ARQUITETURA
Ficha nº1
Formando________________________________________________________Data___________________
Textos de apoio retirados da compilação de comunicações – “Viver (N)a Cidade”

O lar:
Todo o ser humano vive num espaço privilegiado que constitui a "sua casa" e que
designamos de maneira geral pelo termo de lar. Esta palavra, que tem uma forte ressonância
emocional e social, evoca para cada um o facto de, entre todos os espaços, um deles ser
mais que todos os outros, o seu lugar de vida.

FISHER, Gustave-N., Psicologia Social do Ambiente, Lisboa, Instituto Piaget, 1994


(adaptado).

- A simbologia da casa, tal como árvore, a cidade, e o centro, está associada ao centro do
mundo, já que ela é uma espécie de redoma dos indivíduos que se movimentam e organizam
a sua vida a partir do lar. A casa é também uma espécie de reflexo do universo, pois constitui
uma unidade, um todo, um conceito espacial, físico, emocional e psicológico. A
sedentarização trouxe a forma quadrada às casas, definindo-lhe uma posição relativamente
aos quatro pontos cardeais e situando-as no espaço. Algumas pessoas vivem em casas
espaçosas, outras em imóveis coletivos barulhentos ou em loteamentos abarracados, outras
em casas de campo, cada um vive condicionado pelo espaço condicionado a sua categoria
social.

1- Reflita sobre o conceito de lar e a importância deste na vida das pessoas.


2- Comente a frase: “Cada um vive condicionado pelo espaço condicionado a sua
categoria social.”

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

A casa ideal
1- Ao construir uma casa pretendemos uma maior qualidade de vida, aliada a práticas
de lazer. Estabeleça as associações corretas.

a) Cozinha fresca e equipada


b) Piscina exterior
c) Jardim 1) Quartos amplos e arejados
d) Lavandaria 2) Práticas de lazer
e) Casa de banho completa com banheira
f) Sala de leitura
g) Quartos amplos e arejados

O bairro
O bairro é uma área determinada, delimitada no território, que surge de forma espontânea
ou de forma planificada. A sua localização obedece a fatores de natureza geográfica, social,
política, ambiental, etc., existindo bairros do centro histórico e bairros exteriores ao perímetro
inicial da cidade.
Os bairros apresentam uma certa unidade que lhes confere determinadas características
(arquitetura, cor, população…), gerando uma certa homogeneidade em relação aos seus
habitantes. São a ligação privilegiada da cidade com a sua área de envolvência, podendo
ser efetivamente aceleradores da expansão desta em termos de valores e comportamentos.
Podem aproximar o campo da cidade, ou, por outro lado, travar ou impedir o processo de
relacionamento da cidade com aquilo que se situa à volta dela.
Num bairro de origem urbana (população que sai da cidade) essas situações são de
interrupção entre a cidade e o campo. Num bairro de origem rural, a situação é de
aproximação em relação à cidade.

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

1- Reflita sobre a importância do conceito de bairro e apresente as suas diferenças em


relação à aldeia/ vila/ cidade.

2- Leia as pistas e descubra quatro palavras na sopa de letras.

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

3- Campo lexical e campo semântico

Campo Lexical Campo Semântico


Conjunto de palavras associadas, pelo seu Conjunto dos significados que uma palavra
significado, a um determinado domínio pode ter nos diferentes contextos em que se
conceptual. encontra.
O conjunto de palavras "jogador", "árbitro", Campo semântico de "peça": "peça de
"bola", "baliza", "equipa", "estádio" faz parte automóvel", "peça de teatro", "peça de
do campo lexical de "futebol". bronze", "és uma boa peça", "uma peça de
carne", etc.

3.1 - Construa o campo lexical dos termos dados, reescrevendo os elementos nos
respetivos locais.

Praceta lojas jardim hospital avenida igreja rua vivendas prédios


escola

Tribunal palacete vivenda barraca moradia palhota apartamento


prédio solar

Cidade Habitação

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

3.2 - Após leitura atenta do texto, proceda ao levantamento dos vocábulos


pertencentes ao campo semântico de casa e coloque-os no círculo.
A pequena cidade luz em todo o seu esplendor. No cimo da colina,
destaca-se um solar antigo, rodeado de árvores frondosas, e no seu sopé,
um aglomerado de pequenas vivendas e pequenos edifícios de
apartamentos, pinta a paisagem das mais diversas cores. Sobressai o
amarelo de um palacete que já não alberga nobres moradores, mas cumpre
nobres desígnios: É casa do Povo, é casa de Espetáculos, é Casa da Cultura, é Casa Museu,
é Casa de todos.

Direito à Habitação e Qualidade de Vida


Constituição da República Portuguesa
A Constituição é a lei fundamental que regula os direitos e garantias dos cidadãos e define
a organização política de um Estado. É, assim, a estrutura jurídica basilar de um determinado
país. Na medida em que os preceitos constitucionais são a referência de todo o sistema
político de um Estado, as leis ordinárias são-lhes subordinadas e não podem contradizê-los
nem alterá-los. A conformidade das leis ordinárias à Constituição é salvaguardada por
órgãos competentes (no caso português, na atualidade, pelo Tribunal Constitucional) e a
revisão do diploma fundamental tem que obedecer a determinadas formalidades, definidas
na própria Constituição.

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

Segundo a Constituição da República Portuguesa, todos têm o direito, para si a para


a sua família, a uma habitação de dimensão adequada, em condições de higiene e
conforto e que preserve a intimidade pessoal e a privacidade familiar; todos têm direito a
um ambiente de vida humano, sadio e ecologicamente equilibrado e o dever de o defender
(Art, 65º e 66º)

Habitação é, desde os primórdios, o abrigo utilizado pelo homem como proteção das
ameaças do meio ambiente ou do seu semelhante. Definido como o lugar em que se
habita, o termo confunde-se, no uso corrente, com domicílio, residência, moradia, vivenda,
casa, apartamento... Segundo a Organização das Nações Unidas, trata-se do "meio
ambiente material onde se deve desenvolver a família, considerada unidade básica da
sociedade".
A habitação pressupõe construção, estando a sua configuração dependente de
fatores como os materiais disponíveis, as técnicas de construção dominadas por
determinado grupo e respetivas conceções de planeamento e arquitetura, em função das
atividades económicas, do estilo de vida e dos padrões culturais. Nas grandes construções
imperam o ferro e o cimento, o que leva ao surgimento de novas conceções arquitetónicas,
enquanto as técnicas de refrigeração e de calefação de ambientes tornam a casa,
principalmente a urbana, imune aos efeitos climáticos.
As habitações urbanas tornam mais evidentes as diferenças sociais. Os padrões de
vida, muito mais diferenciados, criam profundos contrastes, com habitações de luxo
edificadas muitas vezes perto de habitações extremamente pobres, na sua maioria
clandestinas.

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

4- Classifique as afirmações em verdadeiras (V) ou falsas (F).


Afirmações Verdadeiro Falso
a) Nos tempos antigos, a habitação era sinónimo de abrigo.
b) Segundo a ONU, a família deve desenvolver-se na
habitação.
c) A configuração da habitação é, habitualmente, homogénea.

Afirmações Verdadeiro Falso


d) A construção é levada a cabo em função de algumas
atividades, nomeadamente a económica e a social.
e) Uma das funções da calefação de ambientes é permitir a
entrada do ar exterior nas casas.
f) Nas cidades não são evidentes as diferenças arquitetónicas
ligadas ao fator social.
g) O contraste visual e estrutural das várias habitações
urbanas realça o fosso existente entre as várias classes
sociais.

Planeamento Urbano e Espaços Verdes

Um aspeto importante do planeamento urbano sustentável é a provisão de espaços


verdes a várias escalas. Espaços de recreio, parques e jardins nas áreas urbanas e espaços
livres periféricos, com fins múltiplos, reduzem a poluição, criam zonas de vida selvagem e
tornam o campo acessível aos habitantes das cidades. Também contribuem para a saúde
física, social e psicológica dos indivíduos e da comunidade.

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

Os jardins e outros espaços verdes proporcionam descontração visual e física em


relação, por vezes, ao espaço confinado existente dentro do edifício. Caso o terreno tenha
limitações de espaço, existem opções que podem ser exploradas, nomeadamente varandas,
terraços, coberturas ajardinadas ou pátios. O desenho dos espaços verdes deverá tirar
partido da paisagem, da água e da vegetação, para modificar a qualidade do ar e as
condições de ruído, vento e abrigo, luz e sombra, proporcionando as melhores condições
para os utilizadores dos edifícios e dos bairros.

Constituição da República Portuguesa


(...)
1. Para assegurar o direito ao ambiente, no quadro de um desenvolvimento sustentável,
incumbe ao Estado, por meio de organismos próprios e com o envolvimento e a participação
dos cidadãos:
b) Ordenar e promover o ordenamento do território, tendo em vista uma correta localização
das atividades, um equilibrado desenvolvimento socioeconómico e a valorização da
paisagem;
(...)

Constituição da República Portuguesa, Artigo 66º

5- Após leitura do texto, faça corresponder aos cinco elementos da coluna da


esquerda, cinco elementos da coluna da direita, de modo a obter afirmações
verdadeiras.

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

a) No 2º período do 1º parágrafo, 1- …Desempenha a função sintática


de predicativo do sujeito.
b) Com a utilização do conector "para", 2- …Desempenha a função sintática
na segunda oração do último período de complemento indireto.
do texto,
c) No 2º período do último parágrafo... 3- …O enunciador apresenta a
finalidade do exposto anteriormente.
d) A expressão "é a provisão de espaços 4- …O enunciador introduz uma
verdes a várias escalas" (1º período afirmação em que todos os
do texto)... elementos têm estatuto semelhante.
e) A expressão "aos habitantes das 5- …São apresentadas eventuais
cidades" soluções para um caso hipotético

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

Obras em casa

Caderno de Encargos
Conjunto de especificações técnicas, critérios, condições e procedimentos estabelecidos
pelo contratante para a contratação, execução, fiscalização e controle dos serviços e obras.
Define a responsabilidade da execução e/ou construção da obra por parte do construtor e/ou
empresa de construção depois de adjudicada.

A casa tem uma grande influência na qualidade de vida dos seus habitantes, no que
respeita ao desenho das divisões, ao método utilizado na construção e á escolha dos
materiais. Infelizmente São inúmeros os danos que com o tempo acabam por ser visíveis,
tais como fissuras e rachas na fachadas, pinturas que sofrem a erosão, terraços e coberturas
com infiltrações de água, piscinas que perdem água, danos causados por infiltrações de
água dentro da casa, divisões a entrar em colapso, revestimentos a descascar, pavimentos
mal fixados e peças de madeira em decomposição. Uma das principais razões para a atual
situação, é para além da falta de formação e conhecimentos, a existência de cadernos de
encargos pouco objetivos e detalhados. Procure proteger-se da falta de qualidade e dos
encargos excessivos quando construir a sua casa ou quando decidir fazer obras de
remodelação.

Empreitadas
Quando decidir fazer obras em casa, peça conselhos ou solicite acompanhamento
de pessoas que tenham experiência no ramo da construção civil, evitando desta forma que
seja confrontado no futuro com situações menos agradáveis. Antes de iniciar, é necessário
que defina a modalidade de contrato que vai acordar com o empreiteiro (empresa de
construção civil). Tradicionalmente existem três formas de contrato de empreitada que
pode acordar com uma empresa de construção, nomeadamente:

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

Contrato por preço global:

O preço é previamente fixado para a globalidade do trabalho a executar. Só é possível


contratar obras neste regime quando não existem dúvidas sobre a quantidade final do
trabalho.

Pontos positivos:
Sabe desde o início quanto vai gastar e o risco recai sobre o empreiteiro.

Pontos negativos:
Para cobrir o risco o empreiteiro tende a apresentar um preço mais alto e é necessário
verificar se o empreiteiro considerou todos os trabalhos da obra no contrato (para evitar
trabalhos extra).

Contrato por administração direta:


Optando-se por executar obras por administração direta, o empreiteiro apresenta todos os
custos que teve para executar o trabalho (mão-de-obra incluindo encargos sociais,
transportes, materiais, almoços, telefones, etc.) acrescidos de uma percentagem (15 a 20%),
para gestão da obra e lucro.

Pontos positivos:
Só paga o que realmente se gastou.

Pontos negativos:
Requer a sua própria disponibilidade para controlar custos apresentados pelo empreiteiro e
é difícil saber quanto vai gastar.

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

Contrato por série de preços:


Só se aplica este tipo de contrato quando não existe a certeza da quantidade de trabalho a
executar. O empreiteiro apresenta os preços por tarefa (por exemplo: pintura − 4 euros por
m2). O valor final que terá de pagar será função da quantidade real do trabalho executado
pelo que obriga a quantificar os trabalhos executados.

Pontos positivos:

Só se paga um trabalho se for realmente executado.

Pontos negativos:

Não há certezas quanto ao valor total da obra.

Outros tipos de contrato:

- Contrato por administração de preços;

- Contrato à tarefa.

As obras a executar em casa podem ser obras de remodelação profundas ou simples.


São profundas quando obrigam a alterar elementos que suportam os edifícios (vigas, pilares,
etc.), demolir e construir novas paredes. São obras simples as que não apresentam
dificuldade de maior (substituir sanitários, móveis de cozinha, envernizar pavimentos de
(substituir sanitários, móveis de cozinha, envernizar pavimentos de madeira, pinturas, etc).

Peça auxílio a um técnico devidamente habilitado: um engenheiro, um arquiteto ou um


construtor civil.
 Nunca faça alterações da estrutura do edifício sem licença da Câmara Municipal.

Maria do Céu Xisto


Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto
Serviço de Formação Profissional do Porto

 Peça orçamentos a vários empreiteiros (referira que a proposta abarca o prazo de


execução da obra, condições de pagamento, garantia dos trabalhos, etc).
 Depois de analisar as propostas, adjudique os trabalhos e celebre um acordo com o
empreiteiro escolhido.
 Quando encontrar defeitos comunique-os por escrito indicando o prazo para a sua
correção, findo o qual deve acionar os meios acordados para garantir o cumprimento
contratual.
 Após a aceitação dos trabalhos, inicia-se a contagem da garantia da obra, normalmente
cinco anos.

Glossário de construção

6- O vocabulário pode ser difícil de decifrar! Estabeleça as correspondências


corretas.

a) Longarina 1) Conjunto de colunas de sustentação do edifício que deixa


livre o pavimento térreo.
b) Alicerce 2) Cavidade subterrânea, geralmente de cimento, onde os
esgotos são acumulados.
c) Pilotis 3) Viga de sustentação em que se apoiam os degraus de
uma escada.
d) Vidro 4) Conjunto de medidas que impedem a infiltração de água
temperado na estrutura construída.
e) Fossa séptica 5) Aquele que passa por um tratamento especial de
aquecimento e arrefecimento rápido para se tornar mais
resistente.
f) Impermeabiliz 6) Conjunto de estacas e sapatas responsáveis pela
ação sustentação.
g) Fibrocimento 7) Material que resulta da união do cimento com fibras.

Maria do Céu Xisto

Você também pode gostar