Você está na página 1de 5

Conflito de Darfur

Darfur é uma região localizada no extremo oeste da República do Sudão, esse


é dividido em três estados, denominados de Darfur ocidental, Darfur do sul e
Darfur do norte.
Conflitos em Darfur
O Sudão é, sem dúvidas, um dos países mais instáveis politicamente em todo
o mundo. Conflitos históricos e disputas internas acontecem em seu território
desde a sua independência frente ao Reino Unido, concretizada na década de
1950. Desde então, já ocorreram duas guerras civis e até a independência do
Sudão do Sul, que era uma região de maioria cristã, em contraste com a
maioria islâmica do norte.
Darfur possui uma população aproximada de 5,5 milhões de pessoas que
vivem com pouco acesso à escola e aos serviços assistenciais do governo, se
trata de uma área de restrito desenvolvimento, os povos do local são divididos
em três tribos que são os fur, masalit e os zaghawa, são basicamente todos
negros e mulçumanos. , com atividade econômica ligada à produção de
agricultura de subsistência e uma restrita parcela de nômades que criam
animais. De acordo com estudos e estimativas da OMS (Organização Mundial
de Saúde) a realidade no qual vive é extremamente degradante,
aproximadamente 10 mil pessoas morrem mensalmente vítimas da violência,
fome e das diversas doenças epidêmicas presentes como, por exemplo, a
AIDS.
Em fevereiro 2003, iniciou um conflito em Darfur, o ponto de partida foram os
rebeldes que lutam pela separação de seu território, Sob a alegação de que o
poder público sudanês abandonou completamente as regiões do oeste, grupos
armados de maioria não árabe ergueram-se e começaram a atacar alvos do
governo que respondeu de forma violenta e repressora as ofensivas dos
rebeldes separatistas, com ataques diretos apoiados pela milícia dos árabes
que habitavam o local e que eram chamados de janjaweed, e organizações
armadas ,o governo esperava acabar com os rebeldes que eram de religiões e
de etnias diferentes. embora os órgãos oficiais do país neguem publicamente
que apoia os janjaweed,tem fornecido armas e assistência e tem participado de
ataques conjuntos o grupo miliciano.

Os conflitos de Darfur arrastam-se desde 2003 e ainda ocorrem nos dias


atuais, ou seja um conflito armado em andamento na região de Darfur, no
oeste do Sudão, com um saldo de milhares de mortos e milhões de refugiados,
embora os números alarmantes não gerem tanta atenção e debate no âmbito
político internacional. Segundo a Organização das Nações Unidas, mais de
300.000 pessoas já foram mortas e mais de 2,7 milhões tiveram de abandonar
suas áreas de origem, migrando principalmente para o Chade, país vizinho a
oeste.
Os conflitos de Darfur trata-se de conflitos étnico-cultural, que iniciou por
motivos políticos,e ganhou contornos raciais ao longo dos últimos anos.

Os dois principais grupos que atuam em Darfur são o Movimento de Justiça e


Igualdade (MJI) e o Exército de Libertação Sudanesa (ELS). Do outro lado, o
governo, além de atacar com bombardeios aéreos, também atua por meio de
incentivos aos Janjaweed, uma milícia pertencente a um grupo étnico árabe e
muçulmano localizado ao norte de Darfur, os Baggara.

Embora um acordo de paz tenha sido assinado no ano de 2006 (não aderido
por todos os grupos rebeldes), a escalada de violência foi retomada mais
intensamente no ano de 2013, elevando novamente o número de mortos e
refugiados. Nesse meio-tempo, ocorreu, em 2011, a Independência do Sudão
do Sul por meio de um referendo, embora isso não tenha gerado qualquer tipo
de trégua entre o Sudão e o governo do novo território formado.

Atualmente, o mapa da região encontra-se assim estabelecido: a oeste, a


região de Darfur, que luta contra o governo com sede em Cartum, a capital do
Sudão. Ao sul, o Sudão do Sul, que, embora esteja em uma trégua temporária,
mantém uma relação instável com o norte, sobretudo pela disputa de fronteiras
e pelo escoamento da produção de petróleo por gasodutos que passam pelo
território sudanês.

Mapa do Sudão, Sudão do Sul e da região de Darfur


Pode-se dizer que a independência ocorrida no sul pode ter deixado o governo
em Cartum ainda mais fragilizado politicamente, o que tem elevado a
motivação política dos grupos em Darfur por um separatismo cada vez mais
reivindicado. Vale lembrar que essa posição não é uma unanimidade na região,
uma vez que os grupos étnicos muçulmanos não árabes da região sofrem certa
resistência interna das etnias árabes.

Várias organizações humanitárias e também a ONU atuam na região no


sentido de tentar conter o conflito ou minimizar os seus danos aos Direitos
Humanos. No entanto, a relação dessas organizações com o governo não é
muito amistosa, sobretudo pelas acusações frequentes de que o governo vem
praticando graves e sequenciais crimes de guerra. Além disso, a ONU é
frequentemente limitada pela atuação da China no Conselho de Segurança,
haja vista que o governo chinês possui vários acordos com o Sudão para a
importação de petróleo e minérios em geral. Esse contexto diminui ainda mais
a esperança de paz para a região.
Protesto em Londres contra o genocídio em Darfur, que possui pouco apelo internacional _

http://brasilescola.uol.com.br/geografia/conflito-darfur.htm

A GEOPOLÍTICA DO SUDÃO: OS CONFLITOS EM DARFUR E O


PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DO SUDÃO DO SUL

Os Conflitos de Darfur.

O conflito de Darfur é um conflito armado em andamento na região de Darfur,


no oeste do Sudão, que opõe principalmente os Janjaweed (milicianos
recrutados entre os baggara, tribos nômades africanas de língua árabe e
religião muçulmana) e os povos não-árabes da região. O governo sudanês,
liderado pelo general Omar Hassan AL-Bashir, embora negue publicamente
que apóia os Janjaweed, tem fornecido armas e assistência e tem participado
de ataques conjuntos o grupo miliciano.

O conflito iniciou-se em fevereiro de 2003, com o ataque de grupos darfunianos


(minorias étnicas Fur, Zaghawa e Masalit) rebeldes a postos do governo
sudanês na região, mas suas origens remontam a décadas de abandono e
descaso do governo de Cartum, eminentemente árabe, para com as
populações que vivem neste território. Os conflitos de Darfur trata-se de um
conflito étnico-cultural, que iniciou-se por motivos políticos, e ganhou contornos
raciais ao longo dos últimos anos. Promovido por forças militares, hoje muitas
vezes a formação de focos de poder dificulta as relações comerciais com
outros países.
Além dos problemas internos em Darfur, ainda há a influência externa da
China, que tem interesses no comércio de petróleo do Sudão. Assis,
sistematicamente, a China veta qualquer ação da ONU no território sudanês.

A independência do Sudão do Sul

A Criação do Estado Independente do Sudão do Sul é realizado após 12 anos


de guerra civil e que deixou 1,5 milhão de mortos. Em janeiro de 2011, 99%
dos eleitores do Sudão do Sul votaram a favor da separação da região,
predominantemente cristã e animista (minorias étnicas), em relação ao norte,
governado a partir de Cartum, onde a população é em sua maioria muçulmana
e de origem árabe.

Apesar de possuir grandes reservas de petróleo, o Sudão do Sul nasce como


um dos países mais pobres do mundo, com a maior taxa de mortalidade
materna, a maioria das crianças fora da escola e um índice de analfabetismo
que chega em 84% entre as mulheres. O medo de novos conflitos ainda existe
nessa região, nas fronteiras entre o Norte e o Sul restam áreas sem definições
e um possível conflito é inevitável devido à riqueza de combustíveis fósseis na
região de Abyei.

http://www.oficinadoestudante.com.br/tira-duvidas.php?codigo=2708

Você também pode gostar