Você está na página 1de 2

Introdução

A alimentação é cada vez mais um objeto de preocupação dos brasileiros, pois é uma das
principais formar de promover e de proteger a saúde das pessoas. De acordo com Size e
Whitney (2003) a alimentação é um dos fatores mais importantes em qualquer fase da vida de
um indivíduo. Pois através de uma alimentação balanceada o organismo obtém energia e
nutrientes necessários ao seu desenvolvimento. Observa-se que essa promoção da saúde por
meio da alimentação pode ser potencializada, por exemplo, pela inserção da educação
alimentar no ensino básico.

Nesse contexto, a escola aparece como local privilegiado para realização de práticas da
educação alimentar e nutricional, pois possui a função social de formar cidadão críticos sobre o
mundo e as pessoas, conhecedores de diversos assuntos relacionados à vida e à sociedade,
dentre eles a alimentação, com a finalidade de construir a cidadania e melhorar a qualidade de
vida.

Nesse sentido, torna-se essencial proporcionar ações que abordam a alimentação enquanto
instrumento educativo para o ensino de ciências. Visto a importância que a alimentação
assume no espaço escolar, um local com finalidades educativas e formadoras, pelo qual os
adolescentes convivem grande parte da vida.

Objetivos

Proporcionar ações que permitam promover a educação alimentar e nutricional no âmbito


escolar, além de gerar diálogos buscando uma melhoria nos hábitos alimentares dos alunos do
1º ano do ensino médio de uma escola privada.

Metodologia

A pesquisa proposta apresenta caráter qualitativo exploratório, visando compreender o estudo


por meio da coleta de dados narrativos, de particularidades e experiências individuais. Os
participantes foram 16 alunos do 1º ano do ensino médio de uma escola privada, localizada no
município de Teixeiras-Mg. As motivações que levaram a realização desse trabalho foram às
discussões que surgiram durantes as aulas de Biologia sobre questões relacionadas à
alimentação. Em um primeiro momento a turma foi divida em dois grupos, onde cada grupo
possuía um líder para facilitar a comunicação ao longo do desenvolvimento do trabalho. A
escolha de cada líder se deu pela demonstração de interesse e por indicação da turma. Em um
segundo momento de discussão com os grupos foi decido que o trabalho teria um enfoque
biológico, onde iriam apresentar as causas, consequências de uma má alimentação. E, além
disso, o trabalho teria também um enfoque psicológico abordando temas relevantes como a
gordofobia. Nesse momento surgiu ideia de realizar um convite a uma especialista dessa área
de comportamento alimentar. Em um terceiro momento de realização do trabalho os alunos
montaram uma pirâmide alimentar para ser utilizada durante a apresentação do trabalho
(figura 1) e também criaram um questionário online com perguntas relacionadas ao tema
discutido, onde foram entrevistas mais de 200 pessoas e os dados gerados foram exibidos
durante a apresentação do trabalho. Por fim ocorreu uma apresentação de Power point para
todos os alunos e professores do ensino médio, onde os alunos do 1º ano explicaram toda a
parte biológica do trabalho e contamos com duas nutricionistas, especializadas em
comportamento alimentar. A coleta de dados consistiu na realização de um questionário
contendo duas questões, realizado individualmente em sala de aula onde cada aluno relatou
as experiências adquiridas ao longo do desenvolvimento do trabalho.

Considerações finais

O trabalho desenvolvido mostrou-se como um ensinamento da alimentação saudável


voltada ao consumo alimentar, com a finalidade de prevenir doenças e promover a saúde,
além de promover a conscientização de importantes aspectos psicológicos no ambiente
escolar.

Você também pode gostar