Você está na página 1de 4

RDC 304 e as embalagens para transporte

jan 29, 2020

Em setembro de 2019, a ANVISA publicou a RDC n° 304 que dispõe


sobre Boas Práticas de Distribuição, Armazenagem e de Transporte de
Medicamentos.  O principal objetivo desta norma é regulamentar o setor e
tornar o sistema da qualidade ainda mais rigoroso, com a finalidade de
garantir plenamente e em toda a cadeia do medicamento, a qualidade e
segurança dos produtos por meio de definições de regras claras.

A Plásticos Novel conferiu a nova resolução e destacou os pontos mais


importantes relacionados ao uso de embalagens plásticas retornáveis no
transporte e armazenagem de medicamentos. Confira conosco:

Abrangência
A RDC 304 se aplica às empresas que realizam as atividades de
distribuição, armazenagem ou transporte de medicamentos e, no que
couber, à armazenagem e ao transporte de produtos a granel.

Porém, esta resolução não se aplica às atividades e distribuição,


armazenagem e transporte de matérias-primas, de gases medicinais ou de
rótulos e embalagens.

Disposições Gerais
A RDC 304 em seu capítulo II, Art. 5°, determina que as Boas Práticas de
Distribuição, Armazenagem e de Transporte de Medicamentos devem ser
observados também na logística reversa, quando os medicamentos estiverem
sendo devolvidos ou recolhidos do mercado.

Não é de agora que falamos sobre a importância das embalagens


retornáveis na logística reversa e, neste caso, mais necessário do que
nunca. A PN-ALC, por exemplo, é uma caixa plástica com tampa acoplada e
com um sistema que permite o uso de lacre de segurança. A tampa com
fechamento “zig zag”, proporciona um design que dificulta a violação do
conteúdo quando lacrada.

E o mais importante, as caixas plásticas PN-ALC, quando vazias,


minimizam a utilização de espaço em até 70% na logística reserva.
Proporcionando uma economia significante no frete.

Leia também: Qual importância das embalagens plásticas reutilizáveis na


logística reversa?

Boas Práticas de Distribuição, Armazenagem e de


Transporte de Medicamentos

Do Sistema de Gestão de Qualidade


Na seção III, destacamos o Art. 18, XIII, onde determina que o Sistema de
Gestão da Qualidade deve ser responsável pelo gerenciamento de resíduos. Para te
ajudar na questão das embalagens de transporte, a Plásticos
Novel garante, mediante avaliação, a recompra das caixas plásticas usadas ou
quebradas como matéria-prima. Formando, assim, um ciclo de reciclagem do
plástico e redução de resíduos.

Das Devoluções
O Art. 34 institui que o Sistema de Gestão de Qualidade deve analisar alguns
fatores antes que um medicamento devolvido seja reintegrado ao estoque. No
parágrafo II, um dos fatores a serem analisados são as condições de
armazenagem e transporte empregadas pelo comprador, desta forma,
destacamos a importância da embalagem no transporte dos
medicamentos. As caixas plásticas PN-ALC, possuem um design de
empilhamento e encaixe, que proporciona mais organização. A tampa
integrada protege as embalagens secundárias de avarias e o material
plástico não possui risco de contaminação. E ainda, você conta com a
possibilidade de uso dos lacres de segurança.

Leia também: O que são embalagens de transporte?


Da Armazenagem
O Art. 52 determina que os paletes devem ser de material que permita a limpeza
e não constitua fonte de contaminação, com isso, destacamos que os paletes
de plásticos são ideais para essa aplicação. A Plásticos Novel possui um
portfólio de paletes de vários tamanhos, configurações e capacidade de
peso. Tudo dependerá da sua necessidade.

Nos dias de hoje, o lema fazer mais com menos é um dos principais desafios da
logística moderna. Neste sentido, no qual a movimentação de materiais tem
papel imprescindível numa cadeia de suprimentos, destaca-se o uso dos
paletes de plástico como alternativa viável à substituição ao palete de
madeira. Seu uso tem sido cada vez mais crescente por diversos motivos,
como praticidade, segurança, higiene, durabilidade e talvez o mais
importante deles: grandes restrições ao palete de madeira impostas por
muitos países.

Anteriormente, comparamos o uso à longo prazo do palete de plástico e


madeira. Confira aqui: Processo logístico do fluxo de paletes de plástico.

Do Recebimento e da Expedição
O Art. 58 diz que o fracionamento de medicamentos a partir de suas embalagens
de transporte não deve violar a embalagem secundária. Destacamos, mais uma
vez, como as caixas plásticas com tampa agregada são indicadas. O
design “zig-zag” proporciona resistência mecânica à tampa, permitindo
vários empilhamentos sem que danifique os medicamentos acomodados
dentro da caixa.

Leia também: 7 benefícios da caixa com tampa agregada na logística

Do Transporte e Armazenagem em Trânsito


O Art. 65 menciona que os sistemas de transporte utilizados devem dispor de
mecanismos que forneçam evidências de acessos não autorizados. Neste caso, o
uso de lacres na embalagem de transporte pode ser muito bem aplicado.
Seguindo para o Art. 68, os veículos e contêineres devem dispor de manutenção
e limpeza adequadas e, para isso, as embalagens plásticas são ideais.

Disposições finais
Há outros pontos que se relacionam com o uso de embalagens para
transporte na RDC 304/2019 e que podemos ajudá-lo. As caixas e paletes
plásticos se mostram muito eficientes em muitos aspectos da nova
resolução publicada pela ANVISA.
No Art. 88, fica estabelecido o prazo de 1 (um) ano após a vigência da
norma, para a aplicação do conjunto de ações corretivas. Conte conosco!
Disponibilizamos amostras que poderão ser testadas no seu processo
logístico.

Confira a Resolução da Diretoria Colegiada – RDC nº 304/2019 na


íntegra: clique aqui.