Você está na página 1de 1

ESTUDO DA ADSORÇÃO DE AZUL DE METILENO EM CARVÃO ATIVADO

Marília Inês Oliveira Belo – 15111035

da operação da coluna, cuja curva de ruptura tem dois pontos


1. INTRODUÇÃO
característicos: o ponto de ruptura e o de exaustão. Neles, a
concentração do adsorvato no efluente corresponde à 5% e 90%,
A adsorção é amplamente empregada em processos de
respectivamente, da concentração do mesmo na solução inicial [2].
separação e purificação na indústria. Trata-se de uma operação de
transferência de massa na qual há acúmulo de componentes As concentrações das amostras coletadas (calculadas a partir da
(adsorvatos) de um fluido numa interface (adsorvente), Equação 1) permitem, finalmente, traçar a curva de ruptura do
normalmente um sólido de partículas porosas, devido à maior área processo, ajudando a determinar o funcionamento e a dinâmica da
superficial disponível [1, 3]. coluna usada – fatores que podem ser influenciados pela velocidade
Os adsorventes utilizados podem ser materiais naturais ou do fluido, altura do leito, mecanismo de adsorção, entre outros. Os
sintéticos com estrutura amorfa ou microcristalina, sendo os mais dados tomados e a curva estão dispostos na Tabela 1 e Figura 2,
empregados o carbono ativado, zeólitas, sílica gel e alumina ativada respectivamente.
[3]. Sua escolha é baseada em variáveis como a área superficial,
seletividade quanto ao adsorvato, recuperabilidade e condições 𝐶 = 3,917 ∗ 𝐴𝑏𝑠𝑜𝑟𝑏â𝑛𝑐𝑖𝑎 − 0,027 (1)
operacionais, além da análise do equilíbrio de adsorção, sua
cinética e termodinâmica [2]. Sendo a coluna de adsorção de leito Tabela 1. Dados tomados durante a operação da coluna de adsorção.
fixo a mais utilizada no tratamento de grandes volumes de Tempo Concentração
Absorbância CEfluente/C0 %Remoção
(min) (ppm)
efluentes, o objetivo deste experimento é estudar seu
comportamento em termos da concentração de efluente/afluente 0 0,127 0,4705 0,0047 0,9953
com o tempo, determinando assim sua curva de ruptura. 3 0,071 0,2511 0,0025 0,9975
5 0,101 0,3686 0,0037 0,9963
2.METODOLOGIA 10 0,448 1,7278 0,0173 0,9827
15 1,377 5,3667 0,0537 0,9463
Uma solução de azul de metileno a 100 ppm foi tratada em
20 2,295 8,9625 0,0896 0,9104
coluna de adsorção de leito fixo contendo carvão ativado (feito a
Vazão
partir da casca de dendê). O fluido foi conduzido através dela com (mL/s)
0,1633
a ajuda de uma bomba peristáltica, a 3 rpm. Fonte: Autor, 2019.
A primeira porção de efluente a deixar a coluna foi
coletada, correspondendo ao tempo zero. Em seguida, foram Figura 2. Curva de ruptura.
retiradas amostras nos tempos 3, 5, 10, 15 e 20 minutos, permitindo 0,1
comparações entre os produtos da coluna durante o tempo e 0,08
também com a solução inicial. Outra alíquota foi retirada em tempo
arbitrário, desta vez para o cálculo da vazão com o auxílio de um 0,06
C/C0

cronômetro. As concentrações das amostras foram determinadas a 0,04


partir de sua relação com a absorbância, sendo esta variável medida 0,02
a partir de um espectrofotômetro, tornando possível traçar a curva
0
de ruptura da adsorção.
0 5 10 15 20
3.RESULTADOS E DISCUSSÕES Tempo (min)

Fonte: Autor, 2019.


As amostras obtidas durante o experimento (seguindo a
ordem de coleta, da direita para a esquerda) e a solução inicial (à
esquerda) são apresentadas na Figura 1. Através delas é possível 4. CONCLUSÃO
observar que o corante fica retido no carvão ativado da coluna, com
a qualidade da retenção diminuindo ao longo do tempo de Diferente da operação ideal, observou-se vestígios de azul
operação. de metileno no efluente inicial, com a coluna operando abaixo do
ponto de ruptura por quase 15 minutos e o ponto de exaustão não
Figura 1. Solução de azul de metileno a 100 ppm e amostras coletadas. foi atingido durante o tempo de amostragem total. Ainda assim, as
concentrações do corante na solução não ultrapassaram 10% da
inicial. Estudos sobre a sua dessorção para reaproveitamento do
recheio podem ser realizados posteriormente.

5. REFERÊNCIAS

[1] FOUST, A. S. et al., Princípios das Operações Unitárias. 2. ed.


Fonte: Autor, 2019. Rio de Janeiro: LTC, 2013.
[2] NASCIMENTO, F. R. et al. Adsorção: aspectos teóricos e
O resultado visual obtido é um indicativo do aplicações ambientais. Fortaleza: Impressa Universitária, 2014.
comportamento e da eficiência de uma coluna de adsorção de leito [3] PERRY, R. H.; GREEN, D. W. Perry’s Chemical Engineers’
Handbook. 8 th ed. New York: McGraw-Hill, 2008.
fixo. Numa operação ideal, todo o adsorvato é removido no início
2019.1 EQUI052 CTEC/UFAL