Você está na página 1de 3

Universidade Federal do Ceará – UFC

Centro de Tecnologia

Semestre 2018.2

TK0218 – Ética e Legislação

Trabalho 1

Aluno(a): Sidney Roberto Ferreira Vasconcelos Matrícula: 400936

Curso: Engenharia Mecânica Professor: Rogério Teixeira Masih

Fortaleza, Ceará

2018
PARTE 1 – TEXTO SOBRE ABORTO

Fato ocorrido: Uma mulher, de 19 anos, foi presa em decorrência da realização de um aborto. A
mulher decidiu tomar pílulas de um remédio com efeitos abortivos e, após atendimento médico,
foi presa depois de denúncia. A mulher foi liberada após pagar fiança de R$ 1 mil e responderá
ao processo em liberdade, podendo, no entanto, pegar até 3 anos de prisão. O caso teve
repercussão nas redes sociais.

Análise da conduta da mulher: A mulher agiu de acordo com o viés ético da responsabilidade.
Provavelmente, ao ver que enfrentaria dificuldades em cuidar de dois filhos ou, ainda, por uma
possível depressão ocasionada pelo abandono por parte de seu segundo namorado, a mesma
optou por realizar a prática de aborto, supondo estar gerando um mal necessário (aborto) para
evitar um mal maior (problemas financeiros, abandono, etc.), caracterizando uma vertente
utilitarista da teoria.

Análise da conduta do médico: O médico, aparentemente, valeu-se da teoria ética da convicção,


uma vez que agiu de acordo com prescrições previamente estipuladas pela legislação brasileira,
denunciando às autoridades a prática criminal do aborto em condições não legais,
caracterizando a vertente do princípio.
PARTE 2: TEXTO SOBRE O PARTO CESARIANO

Fato ocorrido: Uma mulher de 29 anos passou por procedimento de parto cesariano pós decisão
judicial. A mulher pretendia realizar um parto normal. No entanto, após exame médico, foi
constatado que o parto normal seria de risco e poderia trazer danos às vidas da mãe e do filho.
A mulher decidiu fazer o parto normal em casa, assinando um termo de responsabilidade. O fato
foi comunicado às autoridades e a decisão coercitiva da realização do parto por cesariana foi
cumprida. A mulher ameaçou processar o hospital e médico responsável.

Análise da conduta da mulher: A mulher agiu de acordo com a teoria ética da responsabilidade,
uma vez que levou em consideração sua vontade de passar por um parto normal em detrimento
da própria saúde e saúdo do bebê, supondo que as possíveis consequências da própria escolha
não seriam suficientemente preocupantes, caracterizando uma vertente de finalidade.

Análise da conduta da médica: A médica agiu mediante os vieses éticos da convicção, visto que
denunciou às autoridades uma prática que, possivelmente, levaria à morte de uma criança, e da
responsabilidade, uma vez que decidiu não seguir o sigilo médico ao realizar a comunicação com
o órgão pertinente, ocasionando um pequeno mal (cirurgia compulsória) para evitar um mal
maior (possíveis mortes da mãe e do bebê), caracterizando-se uma vertente utilitarista

Análise da conduta da juíza: A juíza agiu de acordo com a teoria ética da responsabilidade, uma
vez que sua decisão seria benéfica ao feto, acreditando que a decisão da mãe estava contra os
interesses da criança, caracterizando-se uma vertente utilitarista.