Você está na página 1de 45

Introdução a Missão Urbana

Felipe Fulanetto
PLANO DO CURSO - SÍLABO

UNIDADE - I: A MISSIOLOGÍA URBANA:


IMPORTÂNCIA E VALORIZAÇÃO CRITICA.
A. Missiologia Urbana e sua Importância.
B. Crítica a Missiologia Urbana Atada a Certas
Escolas de Crescimento da Igreja.
PLANO DO CURSO - SÍLABO

UNIDADE - II: A CIDADE E O FENÔMENO DA


URBANIZAÇÃO.
A. A Urbanização e o Urbano: Delimitações
Conceituais.
B. A Cidade, a Evolução Social e a Origem do
Mundo Moderno.
C. A Cultura Urbana.
D. A Crise Urbana.
PLANO DO CURSO - SÍLABO
UNIDADE - III: PROBLEMÁTICA DA
URBANIZAÇÃO NA AMÉRICA LATINA.
A. Revisão das Estatísticas Demográficas.
B. Urbanização em Países em Desenvolvimento.
C. Caráter Dependente do Desenvolvimento
Urbano na América Latina.
D. Esquecimento e Exploração das Massas Rurais.
E. Marginalidade Urbana.
PLANO DO CURSO - SÍLABO
UNIDADE - IV: PARA UMA COMPREENSÃO TEOLÓGICA
DO FENÔMENO URBANO.
A. A Bíblia: Um Livro com Abundantes “Dados Urbanos”.
B. Perspectiva da Cidade nas Sagradas Escrituras.
C. Processos Próprios dos Movimentos Humanos Entre
Sociedades, Culturas e seus meios Urbanos.
D. A Prática de Jesus: Percorrendo Povos e Aldeias.
E. A Cidade, Centro da Prática Missionária do Apóstolo
Paulo.
PLANO DO CURSO - SÍLABO

UNIDADE - V: ESTRATÉGIAS PARA A MISSÃO URBANO–


RURAL INTEGRADA NA REALIDADE LATINO-AMERICANA
ATUAL.
A. Enfoques Gerais.
B. Estratégias: Princípios de Ação para a Missão Urbana
SISTEMA DE AVALIAÇÃO

ATIVIDADE NOTA PRAZO


1. Prova - (8,0) - 27/05
2. Fóruns
- (2,0)
FUNDAMENTOS DA
TEOLOGIA E MISSIOLOGIA
TEOLOGIA, UMA CIÊNCIA

Teologia é a ciência que trata do nosso


conhecimento de Deus, e das coisas divinas.
Em toda ciência há dois fatores: fatos e ideias;
ou, os fatos e a mente (Hodge).
Áreas de interesse da teologia:
1. teologia sistemática
2. teologia bíblica ou exegética
3. teologia histórica;
4. teologia prática
MÉTODO TEOLÓGICO WESLEYANO

QUADRILÁTERO WESLEYANO
O QUE É MISSIOLOGIA?

"Missiologia" é o estudo acadêmico da missão que se


baseia em estudos teológicos e as ciências sociais
(Scott Moreau). Sendo um campo de
interdisciplinaridade, a missiologia navega nas
seguintes áreas: antropologia, comunicação,
economia, educação, história, linguística, ciência
política, psicologia, sociologia, geografia demográfica,
tecnologia, etc.
A famosa citação de Martin Kähler, diz que "a missão é
a mãe da teologia", no sentido que o Novo Testamento
foi escrito como uma reflexão sobre a prática
missionária da igreja.
HISTÓRIA DA CADEIRA DE ESTUDO
Foi, no entanto, só em 1867 que Alexander Duff foi
nomeado para uma cadeira de Teologia Evangelística no
New College, Edimburgo – somente depois de convencer o
resto da faculdade teológica que sua nova cadeira não
afetaria definitivamente as outras disciplinas teológicas.
Dentro do protestantismo a maioria dos missiólogos
rastreiam o verdadeiro início de sua disciplina ao alemão
Gustav Warnek, que foi nomeado para a cadeira de
Missiologia na Universidade de Halle em 1897. No contexto
Católico, a missiologia esperou até 1914, quando Joseph
Schmidlin foi nomeado para a cadeira de missiologia na
Universidade de Münster.
O QUE É MISSIOLOGIA?

Missiologia requer engajamento pensativo


com a situação humana à luz da teologia e
da tarefa da missão cristã.

“a maior parte dos evangelistas não se


interessa muito por teologia; e a maioria
dos teólogos não se interessa muito por
evangelização” (Michael Green)
“Missiologia urbana é a disciplina ou ciência
que pesquisa, registra e aplica dados
relacionados com a origem bíblica, a
história, os princípios e técnicas
antropológicas e a base teológica da missão
cristã na cidade.”
(Roger Greenway)
"Estamos na necessidade de uma agenda
missiológica para a teologia em vez de
apenas uma agenda teológica para a missão;
para a teologia, corretamente entendida, não
tem razão de existir que não seja
criticamente acompanhar a Missio Dei “
Bosch
PARA QUE SERVE A
MISSÃO URBANA?
OBJETIVOS DO ESTUDO DE MISSIOLOGIA URBANA

1. Tomar consciência da realidade das cidades e seus


desafios
2. Considerar os fatos bíblicos e os princípios neles
presentes, relacionados com missões urbanas
3. Apreciar os métodos de missões urbanas hoje adotados
com base nos princípios e modelos bíblicos
4. Ensaiar a elaboração de um projeto de Missões urbanas,
visando a evangelização das cidades.
MODOS DE VIVER COLETIVAMENTE

Em todas as sociedades e culturas o ser humano cria e


determina a melhor forma de viver coletivamente. Há
pelo menos quatro sistemas historicamente
estabelecidos:
1. aldeia,
2. feudos,
3. cidade,
4. nômade
QUAL É A FORMA
CORRETA DE SE VIVER?
ORIGEM DA CIDADE

“as origens da cidade são obscuras, enterradas ou


irrecuperavelmente apagada uma grande parte de seu
passado, e são difíceis de pesar suas perspectivas
futuras” Lewis Munford

“[Seja por motivos religiosos ou de segurança]. A origem


da cidade está vinculada à fixação de um povo a um
determinado território, que ofereceu condições para que
a sustentação da população urbana fosse possível.”
Arzemiro Hoffmann
ORIGEM DA CIDADE

As grandes culturas antigas construíram também suas


grandes cidades, p. ex., Jericó na Palestina, Babilônia,
Nínive, Kisch, Ur e Uruk na Mesopotâmia, Susã na Pérsia,
Harapa e Mohenjo-Daro na Índia; Yin na China, Theben e
Menphis no Egito. Estas queriam ser símbolos
portentosos do poder dos reis-deuses. (WISSEN:
Verstädterung)
DEFINIÇÃO DE CIDADE
Uma cidade é uma área urbanizada, que consiste no agrupamento de
áreas de funções diversas (residenciais, comerciais e industriais). A
cidade se diferencia de vilas e outras entidades urbanas através de
vários critérios, os quais incluem população, densidade populacional
ou estatuto legal, embora sua clara definição não seja precisa, sendo
alvo de discussões diversas. Por exemplo:
Dinamarca - 250 habitantes
Islândia - 300 habitantes
França – 2 mil habitantes
Espanha - 10 mil habitantes
ONU - de 20 mil habitantes
Brasil - qualquer comunidade urbana com uma sede de município
(prefeitura)
O QUE É CIDADE?

O IBGE caracteriza a rede urbana da seguinte forma:

• Cidade pequena: 50 a 100 000 habitantes;


• Cidade média: 100 001 a 500 000 habitantes;
• Cidade grande: acima de 500 000 habitantes;
• Metrópole: acima de 1 000 000 de habitantes;
• Megacidade: acima de 10 000 000 de habitantes.
TERMINOLOGIA
 CORNUBAÇÃO
É o encontro de duas ou mais cidades próximas em razão de seu crescimento.
 METRÓPOLE
Cidades com alto grau de influência e importância, caracterizados pelos níveis
de comércio, serviço, produção tecnológica, etc. Normalmente maior que 1
milhão de habitantes.
 MEGALÓPOLE
Megalópole é uma conurbação de várias metrópoles, formando uma extensa e
gigantesca área urbanizada. Ex: Boswash (Boston e Washington); Tokkaido
(Tóquio, Kawasaki, Nagoya, Quioto, Kobe e Osaka)
O QUE É CIDADE?
CIDADES PLANEJADAS CLASSIFICAÇÕES DE CIDADES
 Espaço escolhido previamente e  Derivam da função urbana do
funções predeterminadas. Ex: Brasília, espaço - atividade principal
Belo Horizonte, Canberra (Austrália)
desenvolvida pela cidade
1. Religiosa (Jerusalém, Aparecida do
Norte, Meca);
CIDADES NATURAIS/ESPONTÂNEAS 2. Turística (Rio de Janeiro, Barcelona,
Paris);
 fruto de aglomeração, adquirindo
importância posteriomente. Ex: São 3. Industrial (Detroit)
Paulo e Londres 4. Tecnológicas (Boston, Campinas)
5. Portuárias (Santos)
6. Política-Administrativa (Washington,
Brasília)
URBANIZAÇÃO
Urbanização ocorre quando o número de pessoas que habitam o meio
urbano cresce mais do que o número de pessoas que habitam o meio
rural, o oposto ocorre na ruralização.

O marco principal para a urbanização é a revolução industrial.


Obviamente antigamente havia centros urbanos, porém sempre
houve pessoas morando mais em zonas rural do que na cidade.

Ocorre-se urbanização com a criação de tecnologias como máquinas


a vapor - mecanização no campo - diminuição de empregos no meio
rural - êxodo rural/migração rural-urbana.
URBANIZAÇÃO

Os países desenvolvidos atualmente (Inglaterra, Alemanha,


Japão, Estados Unidos) foram os primeiros a fazer suas
revoluções industriais e entrar em processo de urbanização.

Já o processo de urbanização brasileiro tem como causa


fundamental a desestruturação intencional da agricultura
tradicional, provocando um permanente êxodo populacional
para a cidade. Por isso, é considerado como um dos processos
de urbanização mais rápidos do mundo.
HISTÓRIA DA INDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL

 PRIMEIRO PERÍODO (1500 - 1808): PROIBIÇÃO


Pequenas industrias eram formadas no Brasil, porém proibidas por Portugal com medo da
colônia criar independência financeira e política.
 SEGUNDO PERÍODO (1808 - 1930): IMPLANTAÇÃO
Início da implementação da indústria no Brasil. Primariamente era do setor têxtil.
 TERCEIRO PERÍODO (1930-1956): A "REVOLUÇÃO INDUSTRIAL“
Mudança intencional do modelo econômico de agrário-exportador para industrial, a partir da
quebra da bolsa em Nova York no ano 1929. No começo da década de 1940, no governo Vargas,
houve um forte incentivo industrial patrocinado pelo Estado com a criação de empresas
estatais (Petrobras, Eletrobras, Vale do Rio Doce, BNDES).
 QUARTO PERÍODO (1956-ATUALMENTE):"INTERNACIONALIZAÇÃO“
Aumentou, entre 1960 e 1980, em números significativos a produção de aço, ferro-gusa,
laminados, cimento, petróleo.
“Pode ser dito que o processo urbanizatório brasileiro reflete, passo a
passo, as consequências da instalação do capitalismo associado que
privilegia cada vez mais o capital especulativo em detrimento das
iniciativas de geração de emprego e renda. O resultado não poderia ser
outro que o crescente fosso entre miséria absoluta, desemprego
crescente e convulsão social, além do caos ecológico. Soma-se a isso a
endêmica corrupção instalada nos três poderes da República, que além
de extorquir a classe produtiva com impostos, consagram cada vez mais
os seus próprios privilégios e vantagens, além de assegurarem o livre
curso ao roubo legal das instituições financeiras, em sua maioria de
capital transnacional.”
(Arzemiro Hoffmann)
O CRESCIMENTO E SUAS
IMPLICAÇÕES SOCIAIS
OS PROBLEMAS CRESCEM COM O CRESCIMENTO

Miséria, epidemias, suicídios, prostituição e


criminalidade. Desemprego, pobreza, trabalho infantil,
mercado informal, vulnerabilidades sociais,
endividamento, crescente desumanização, baixa
qualidade de vida, tráfico e consumo de droga, poluição,
lixo, pobreza, exclusão. Estas são algumas das principais
contradições, impasses, disputas territoriais e lutas
sociais que percorrem o espaço urbano. (PEREIRA DE
ARAÚJO: 1998)
MAIORES CIDADES DO MUNDO
A SEDUÇÃO DA CIDADE
por Ehud Garcia
Fatores que empurram pessoas Fatores que atraem pessoas para a
para a cidade: cidade:
• Desemprego (Pobreza)  Promessa de uma vida melhor
• Educação: melhores opções de  Modernidade da Cidade
escolas superiores  As Luzes da Cidade
• Cuidado de Saúde  Desafios e Oportunidades
• Oportunidades Limitadas:  Aspirações por uma sociedade
Lazer, trabalhos, casamento, mais igualitária
etc.
• Segregação: racial, sexual, cor
da pele, língua, religiosa, etc.
UM NOVA VISÃO
• Precisamos de uma nova visão para a Missão Urbana
Integral.
•Precisamos reconstruir nossa imagem teológica da
cidade holística.
•Precisamos contextualizar o Evangelho para a cidade
•Precisamos trazer a visão do Reino de Deus para a
cidade