Você está na página 1de 29

T É C N I C O D E I N F O R M ÁT I C A D E

G E S TÃ O
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
11º ANO

1
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Base de Dados

Conjunto de dados que se relacionam


entre si, com um significado implícito.

Exemplo: bancos, agências de viagens,


hospitais, IRS, alunos

2
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Propriedades de uma Base de Dados

 Representa aspetos da vida real

 Conjunto lógico e coerente de dados


com significado

 Desenhada, implementada e preenchida


com dados, atendendo a um propósito
bem definido
3
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Sistema de Gestão de Bases de Dados (SGBD)
DataBase Management System

Conjunto de programas que permitem


definir e manipular Bases de Dados

4
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Tarefas principais de um SGBD

Criar Bases de Dados/tabelas

Definir/alterar a estrutura de uma tabela

Armazenar dados (inserir)

5
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Tarefas principais de um SGBD

Atualizar dados (alterar/eliminar)

Visualizar dados (consultar a base de dados e


produzir relatórios)

Administrar a B.D. (atribuir ou suprimir direitos


de acesso a utilizadores ou grupos de
utilizadores)

6
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Estrutura básica de uma Base de Dados
(modelo relacional)

Entidade Tabela

Atributos Coluna Campo


Conjunto de
atributos que Linha Registo
caracterizam uma
entidade

7
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Estrutura básica de uma Base de Dados (cont.)

Campo: propriedade de uma tabela, que


contem os dados armazenados na B.D.

Registo: conjunto de campos que caracterizam


uma tabela

Tabela: conjunto de registos; objeto sobre o


qual se armazenam os dados

8
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Esquema de uma Base de Dados

Design ou estrutura lógica da B.D. que


engloba:

 estrutura de tabelas

 relacionamentos

 organização dos dados

9
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Entidade – Relacionamento

• Este modelo introduz conceitos mais


próximos da perceção que os utilizadores
têm da informação.

• Descreve os dados como entidades,


relacionamentos e atributos.

10
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Entidade – Relacionamento (cont.)

Entidade:
“coisa” no mundo real com uma
existência independente e que se pode
caracterizar (definir atributos).

Ex: Pessoas, empresas, produtos.

11
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Entidade – Relacionamento (cont.)

Atributos:
Propriedades que descrevem
uma determinada entidade. Os valores dos
atributos correspondem à informação contida
na Base de Dados.
Ex:
Pessoas (Nome, endereço, telefone, BI);
Produtos (código, designação, modelo, cor,
quantidade,…)

12
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Entidade – Relacionamento (cont.)

Tipos de Atributos:
Atributo Composto:
Pode ser dividido em atributos simples, com significado
independente.
Ex: Endereço : Rua, Cidade, Código_Postal
Atributo Atómico ou Simples:
Atributo que não é divisível.
Atributo de Valor Único:
Atributo que tem apenas um valor para uma determinada
entidade.
Ex: idade para entidade pessoa
13
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Entidade – Relacionamento (cont.)

Atributo de Valores Múltiplos:


Quando o atributo pode tomar um valor de um
conjunto de valores possíveis para a mesma entidade.

Ex: Entidade: Carro; Atributo: Cor

Atributo com Valor Nulo (NULL):


Quando não há valor que se aplique a um atributo de
uma entidade.
Ex: Título Honorífico: só se aplica a pessoas com
curso superior.
14
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Entidade – Relacionamento (cont.)

Atributo Chave:
Atributo que identifica de modo único cada
registo/linha. Atributo cujos valores são distintos para
cada entidade particular. No modelo E-R sublinha-se
o atributo chave.

Domínio de Atributos:
Conjunto de valores que podem ser atribuídos a um
atributo de uma entidade.
15
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Entidade – Relacionamento (cont.)

Relacionamentos:
Existe um relacionamento entre duas entidades
sempre que um atributo de uma entidade se refere
a uma outra entidade.
Empregado Trabalha Departamento
Para
Ex:
O relacionamento Trabalha_Para, entre as entidades
Empregado e Departamento, associa cada empregado com
o departamento para o qual este trabalha.

16
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Entidade – Relacionamento (cont.)

Tipos de Relacionamentos:

1 - N  um–para–muitos
(cada empregado pode trabalhar em vários
departamentos, e cada departamento só tem um
único empregado)

N - 1  muitos–para–um
(cada empregado trabalha num único
departamento, e cada departamento tem vários
empregados)
17
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Entidade – Relacionamento (cont.)

Tipos de Relacionamentos (cont.):

N - N  muitos–para–muitos
( cada empregado pode trabalhar em vários
departamentos, e cada departamento tem vários
empregados)

1 - 1  um–para-um
( cada empregado trabalha num único departamento,
e cada departamento só tem um único empregado)
18
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Relacional

Foi introduzido por CODD (1970) e baseia-se numa


estrutura de dados simples e uniforme, a relação, e
possui uma fundamentação teórica.

O modelo relacional representa a Base de Dados


como um conjunto de relações.

Uma relação parece-se com uma tabela.

19
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Relacional
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Relacional (cont.)

Tuplo: Linha da Tabela (registo);

Atributo: Título de cada coluna (campo);

Relação: Tabela. Conjunto de tuplos (registos).

Domínio: Tipo de valores que podem aparecer na


coluna. Conjunto de valores atómicos.

21
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Relacional (cont.)

Esquema da relação:
Representa a relação. Um
esquema R(A1, A2, …, An) é formado pelo nome da
relação, R, e por uma lista de atributos A1, A2,…An.
Exemplo: Aluno(Nome, Código, Curso)

Grau de uma relação:


número de atributos do esquema.
Exemplo: Grau 3

22
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Relacional (cont.)

Tipo de valores nos tuplos:


Cada valor de um tuplo é um valor atómico.
Assim, não são permitidos atributos compostos ou
multi-valor.

Interpretação de uma relação:


Um esquema de uma relação deve ser interpretado
como uma declaração.

23
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Relacional (cont.)
Chaves de uma relação:
• Uma relação é por definição um conjunto de tuplos.
• Os elementos de um conjunto são todos diferentes, logo,
todos os tuplos de uma relação têm de ser diferentes.
• Isto é, não existem dois tuplos que tenham a mesma
combinação de valores para todos os atributos.
• A chave de uma relação é invariante no tempo, isto é, continua
a ser chave mesmo que adicionemos mais tuplos à relação.
24
INTRODUÇÃO AOS S.G.B.D.
• Modelo Relacional (cont.)

Chave:
Identifica de forma única um conjunto de tuplos (registos)
da relação (tabela).

25
CHAVES

Chave Candidata e Chave Primária


É um atributo ou conjunto de atributos que
permite identificar de forma única cada registo de
uma tabela.
SI – Tecnologias de Bases de Dados

A chave primária é selecionada entre as chaves


candidatas.
11ºM
CHAVES
Chave Estrangeira
É um campo importado para uma tabela,
sendo chave primária na tabela de origem.

Empregado Departamento
SI – Tecnologias de Bases de Dados

CodEmp Nome CodDep Designação


E1 Aníbal D1 Produção
E2 Belmiro Departamento_Empregado D2 Marketing
11ºM

E3 Casimiro CodEmp CodDep Data_Entrada D3 Informática


E1 D1
E2 D2
EXERCÍCIOS:

• 1 – Faça o DER da BD anterior.

• 2 – Indique o grau de relacionamento entre


as entidades.
SI – Tecnologias de Bases de Dados

• 3 - Quais as relações da BD?

• 4 – Faça o esquema das relações.


11ºM

• 5 – Indique o grau de cada relação.


EXERCÍCIOS:

• Resolução da ficha de trabalho nº1


SI – Tecnologias de Bases de Dados
11ºM

Você também pode gostar