Você está na página 1de 30

Introdução à Ganesha

Dentro da mitologia hindu incluem-se mais de


330 milhões de deuses e esse número
expressa, na realidade, todas as coisas que
existem no mundo, pois para os hindus tudo é
deificado e está alimentado por um único
deus. É por isso que encontramos muitas
formas e muitos nomes desse deus, mas, de
fato, esse mesmo deus é um só, criador,
mantenedor e provedor do universo.
Ganesha é o símbolo daquele que descobriu o
poder da divindade dentro de si.
É considerado o grande deus removedor de
obstáculos e provedor da sabedoria, por tanto,
aquele que cria a prosperidade, a riqueza e a
sabedoria onde sua força é invocada.
Existem muitas lendas a respeito de seu
surgimento, mas a mais conhecida descreve o
motivo pelo qual Ganesha é o primeiro deus à
ser reverenciado antes de todos os outros
deuses e práticas hindús:
luz à Ganesha quando seu marido Shiva, Parvati,
deus daaforça,
deusadadameditação
magia e do poder,
e da Yoga,deunãoà
estava em casa.
Como Shiva foi à um retiro para meditação e não tinha previsão para voltar, Parvati
determinou que Ganesha aguardasse na porta de seus aposentos e que não deixasse
ninguém entrar. Mas, após algum tempo, Shiva retornou e quando tentou entrar em sua
casa, a criança se recusou a deixá-lo passar. Não compreendendo sobre quem se tratava,
Shiva o desafia para uma luta junto a todos os outros deuses e, após muitas tentativas,
conquista a vitória lhe cortando a cabeça.
Quando Shiva encontra sua esposa, chora e lamenta o ato, pois havia ferido seu próprio
filho. A tempo de desfazer seu engano, o deus então, prometeu a Parvati que se ela
colocasse a cabeça de qualquer pessoa ou animal que atravessasse seu caminho
rapidamente no dia seguinte, a criança voltaria a viver. Os deuses intercederam e
determinaram que Shiva deveria partir, porém somente extrair a cabeça daquele que
havia morrido naturalmente e que fosse de extrema força e beleza. Foi assim que o deus
dos Yogues encontra um belo elefante que acabara de morrer, remove sua cabeça e
entrega a esposa, para que esta desse a vida de volta a seu filho. Assim nasce Ganesha,
que abençoado por todos os deuses por sua coragem e força, passa à ser reverenciado e
adorado antes de qualquer outro deus.

A fama de Ganesha ganha mais força quando, em Setembro de 1995, um morador de


Nova Deli sonha com o deus lhe pedindo um pouco de leite. Ao acordar, antes do
amanhecer, o homem se dirige ao templo mais próximo e, com autorização do sacerdote,
lhe oferece uma colher com leite. Em instantes o leite desaparece e a notícia de que
Ganesha estava aceitando a oferenda de leite percorre toda a Índia e alguns outros
países. Milhares de pessoas se reuniram nos templos e mais de um milhão de litros de
leite foram dedicados e oferecidos à Ganesha, porém o ato não se manifestou por mais de
24 horas. Esse episódio do leite marcou a história como o evento mais importante do
ultimo milênio para os hindus. Acredita-se que o episódio do leite ressurgiu em Agosto de
2006, mas sem provas evidentes.
Desde então, o hinduísmo se tornou mais conhecido e ganhou força por todo o mundo e
os adeptos de Ganesha se multiplicam cada vez mais, pela fé e pela crença em adquirirem
adeprosperidade e a evolução a partir de um grande deus que representa a força e o poder
remover obstáculos.

O Simbolismo de Ganesha
Ganesha é inicialmente retratado com o remover dos obstáculos. Essa crença se
concretizou devido ao fato dos hinduístas acreditarem que a energia que cada deus
emana está ancorada em sua imagem. É por isso que são representados em diferentes
posições, pois cada representação marca um momento na história daquele deus e uma
forma diferente de representar sua energia, como se o deus estivesse nos olhando através
de sua figura. Cada imagem hindu agrega símbolos que são compreendidos também por
nosso inconsciente, fazendo com que sejam fontes de inspiração para nossas ações e
pensamentos.

O Senhor cuja forma é o Om


Ganesha é também definido como Omkara ou Aumkara, que
significa "tendo a forma de Om (ou Aum). De fato, a forma do
seu corpo é uma cópia do traçado da letra Sânscrita que
indica este grande Bija Mantra. Por causa disso, Ganesha é
considerado a incarnação corporal do Cosmos inteiro, que está
na base de todo o mundo fenomenal. Além disso, a sílaba
sagrada é indicada precisamente por uma letra que relembra
o formato da cabeça de Ganesha.

Cada elemento do corpo de Ganesha tem seu próprio valor e seu próprio significado:
• A cabeça de elefante indica fidelidade, inteligência e poder discriminativo;
• O fato de ele ter apenas uma única presa (a outra estando quebrada) indica a
habilidade de Ganesha de superar todas as formas de dualismo;
• As orelhas abertas denotam sabedoria, habilidade de escutar pessoas que
procuram ajuda e para refletir verdades espirituais. Elas simbolizam a importância de
escutar para poder assimilar idéias. Orelhas são usadas para ganhar conhecimento. As
grandes orelhas indicam que quando Deus é conhecido, todo conhecimento também é;
• A tromba curvada indica as potencialidades intelectuais que se manifestam na
faculdade de discriminação entre o real e o irreal;
• Na testa, o Trishula (arma de Shiva, similar a um Tridente) é desenhado,
simbolizando o tempo (passado, presente and futuro) e a suuperioridade de Ganesha
sobre ele;
• A panela de Ganesha contém infinitos universos. Ela simboliza a benevolência da
natureza e equanimidade, a habilidade de Ganesha de sugar os sofrimentos do Universo e
proteger o mundo;
• A posição de suas pernas (uma descansando no chão e a outra em pé) indica a
importância da vivência e participação no mundo material assim como no mundo
espiritual, a habilidade de viver no mundo sem ser do mundo.
• Os quatro braços de Ganesha representam os quatro atributos do corpo sutil, que
são: mente (Manas), intelecto (Buddhi), ego (Ahamkara), e consciênscia condicionada
(Chitta). O Senhor Ganesha representa a pura consciênscia - o Atman - que permite que
estes quatro atributos funcionem em nós;
 A mão segurando uma machadinha, é um símbolo da restrição de todos os
desejos, que trazem dor e sofrimento. Com esta machadinha Ganesha pode repelir e
destruir os obstáculos. A machadinha é também para levar o homem para o caminho do
Dharma;

A segunda mão segura um chicote, símbolo da força que leva o devoto para a
eterna beatitude de Deus. O chicote nos fala que os apegos mundanos e desejos devem
ser deixados de lado;
 A terceira mão, que está em direção ao devoto, está em uma pose de bênçãos,
refúgio e proteção (abhaya);
 A quarta mão segura uma flor de lótus (padma), e ela simboliza o mais alto
objetivo da evolução humana, a realização do seu verdadeiro eu.

O Deus da boa fortuna


Em termos gerais, Ganesha é uma divinidade
muito amada e frequentemente invocada, já que
é o Deus da Boa Fortuna que proporciona a
sabedoria e a prosperidade. Também é o
Destruidor de Obstáculos de ordem material ou
espiritual. É por este motivo que é invocado
antes do início de qualquer tarefa (por exemplo,
viajar, prestar uma prova, realizar un assunto de
negócios, uma entrevista de trabalho, realizar
uma cerimônia) com Mantras como: Aum Shri
Ganeshaya Namah (salve o nome de ganesha),
ou similares. É também por esse motivo, que
tradicionalmente, todas as sessões de bhajan
(cân ico devoci nal) inicia com uma invocação de Ganesha, o Senhor dos "bons inícios".
Por oda a Índia de cult ra hindu, Senhor anesha é o primeiro ídolo colo ado em
qual uer nova asa ou te plo. Além disso, Ganesha é associado co o primeir chakra,
que representa o instinto e conserv ção e sobrevivência de procri ção. O no e desse
chakra é Mulad ara.
É int eressante otar com , de acord com a tradição, Ga esha foi gerado por sua mãe
Parv ti sem a i tervenção do seu marido: Shiva. Shiva, de fato, sendo eterno (Sa ashiva),
não entia nen uma nece sidade em ter filhos. ntão Ganesha nasce exclusiva ente do
desejo feminin de Parvati de procriar. Con equentem nte, o relacionamento entre
Gan sha e sua mãe é úni o e especial. Essa devoção é o motivo de ue as tra ições do
sul da Índia o r presentam como celi atário. É dito que Ga esha, acre itando ser sua mãe
a m is bela e erfeita mullher no uni erso, excl mou: "Traga-me um mulher t o bonita
quanto minha ãe e eu me casarei c m ela". N Norte da Índia, por utro lado, Ganesha
é fr quenteme te repres ntado co o casado com as d as filhas de Brahm : Riddhi
(suc sso) e iddhi (prosperidade), simboli ando qu estas ualidades sempre
aco panham a uele que escobre sua divindade interior.

Ga esha e o rato
De cordo co uma int rpretação o divino eículo de
Gan sha, o r to ou mushika re resenta abedoria,
tale to e in eligência. Ele simboliza in estigação
dimi
clan nuta de un s assunto
estina esgoto difícil.
. Então U ele
ratoé vive
ta uma
bém vida
um
sím olo da ig orância que é dominante na trevas e
que teme a l z do co heciment . Como eículo do
Sen or Ganesha, o rat nos ensina a est r sempre
aler a e iluminar noss eu inte ior com a luz do
con ecimento.
Ambos Ganesha e Mu hika amam Modaka, que é
tradicionalme te ofere ido para os dois durante
ceri ônias de adoraçã . O Mushika é normalmente
repr sentado omo sen o muito equeno em relação
a Ganesha, m contr ste para as repr sentaçõe dos veículos das outras
divi dades. P rém, já f i tradicio al na art Maharas triana re resentar Mushika
como um rato muito gr nde, e Ganesha est ndo mon ado nele omo se f sse um
cavalo.
Outra interpretação diz ue o rat (Mushika ou Akhu) represen a o ego, mente
com todos os seus de ejos, e o orgulho a individ alidade. Ganesha, guiando
sobre o rato, e torna o mestre ( não o escravo) de sas tendências, indicando o
pod r que o i telecto e as faculd des discriminativas tem sobr a mente. O rato
(ext emament voraz por nature a) é fre uentemente repres ntado pr ximo a
uma bandeja e doces om seus lhos vira os em direção de Ganesha, enquanto
ele egura u punhad de comi a entre uas pata , como se esperando uma
ordem de Ganesha. Isto representa a mente que foi completamente subordinada à
faculdade superior do intelecto, a mente sob estrita supervisão, que olha
fixamente para Ganesha e não se aproxima da comida sem sua permissão.

A Imagem de Ganesha
Grandes orelhas: Ouça mais
Grandepequenos
Olhos cabeça: :Pense grande
Concentre-se
Boca pequena: Fale menos
Machado: Corta fora todas as ligações acessórias
Mão em posição de bênção: Bênção e proteção para o
caminho espiritual supremo
Grande estômago: Digestão pacífica de todo o bem e mal
na vida
Corda: Colocar você mais próximo de sua maior vitória
Uma presa: Reter o bem, descartar o mal
Tromba: Grande eficiência e adaptação
Rato: Desejo. A menos que, sob controle, pode causar
frustração, você deve segurar o desejo e mantê-lo sob
controle e não permitir que ele controle sua vida.
Onde quer que a imagem de Ganesha apareça, sua energia é ancorada e emanada. Seja
na forma de um pingente, uma estátua, um chaveiro ou estampado em uma camiseta,
bolsa ou proteção de tela de um computador. Onde Ganesha está, não existe pobreza e
todos os males e obstáculos poderão ser removidos através de seu poder, pois é uma das
poucas religiões que traz a força de sua espiritualidade presentes em suas imagens.
A posição das estátuas também é muito importante:
Ganesha Dançarino

Nritya Ganapati é a energia da alegria e Prosperidade que ocorre


na vida, ao tê-lo em sua casa ele ativa a vontade de crescer e
evoluir, criando harmonia entre pessoas.
Para trabalhar esta energia é sempre bom tê-lo acompanhado de
Shiva, e ainda se sua busca for material, Lakshmi.
Este Ganesha gosta muito de doces, incensos e música.

* Imagem usada em frente às portas de entrada. Atrai a riqueza e


a fartura, através do movimento e da ação.
Ganesha com 16 braços, O Guerreiro
O "valente guerreiro," Vira Ganapati, assume uma postura de
comando. Seus 16 braços carregam diversas armas, símbolos dos
poderes da mente e do espírito, quando o temos junto de nós,
nenhum mal é capaz de passar suas defesas.
Tenha uma estatueta em sua bolsa ou carteira, isto irá trabalhar
ativar sua proteção espiritual.
Ao pedir bênçãos materiais a ele, lembre-se de determinar força para
atingir os objetivos.
*Nessa imagem, Ganesha defende e protege os locais contra
qualquer mal.

Ganesha com o livro, o Ganesha da Sabedoria

Esse é o grande senhor do conhecimento e do intelecto, sendo


representado como aquele que escreveu os Vedas, textos
sagrados. Essa imagem exemplifica a lenda da presa quebrada
para a escrita dos testos.
* Traz a sabedoria como ferramenta para buscar a prosperidade e
a evolução.

Ganesha com uma das mãos em sentido de


Bênçãos

Esse é o Ganesha da evolução espiritual, aquele que atingiu a


evolução através do autoconhecimento e da superação dos
poderes do ego.
* Abençoa, reforça a proteção material e atende a pedidos.

Ganesha deitado ou apoiado em uma concha


Essa é a grandee imagem
espiritualidade da riqueza e da
da materialidade. evolução daa
Representa
serenidade em confiar em si e valorizar tudo o que foi
conquistado.
* Simboliza a evolução na sabedoria e na conquista da
prosperidade.
Dicas sobre práticas mágicas e espirituais com os deuses hindus
As imagens dos deuses hindus são o símbolo máximo da fé e da espiritualidade de seu
povo, já que expressam a energia e o poder do próprio deus agindo através de sua
imagem. Esse é o motivo pelo qual os deuses são representados em diversas posições e
representações, simbolizando diferentes formas de expressarem seus poderes e seus
atributos. Saiba que são símbolos sagrados da fé e da determinação e suas forças se
resumem a toda simbologia descrita em suas formas. Podem ser encontrados gravados
em papéis e tecidos, bem como confeccionados em estátuas de metal, resina, gesso,
pedra, porcelana ou barro.
Os grandes rituais hindus são conhecidos como “Puja”, uma série de práticas ritualísticas
representadas pelos banhos realizados nas imagens em rios ou templos. Fazem parte
dessas práticas a oferta de alimentos como frutas, mel, leite, doces além do fogo, incenso,
velas, flores e o próprio banho com água, leite, mel, açafrão, entre outros elementos. São
sempre acompanhados de orações, mantras e cantos sagrados.
A maior parte dos deuses hindus valoriza ambientes limpos e prósperos. Ao adquiri uma
imagem, certifique-se de que estará posicionada em um local limpo e organizado, evitando
a bagunça e a sujeira.
Para os seguidores do hinduismo, todas as pessoas possuem um espírito, conhecido como
“atman”, cujo destino é determinado por suas ações, seguindo a lei do karma que diz que
toda ação traz uma reação correspondente. Enquanto este espírito não se libertar das
atitudes negativas vigentes na terra e alcançar a iluminação, irá nascer e desencarnar por
diversas vezes. A este ciclo encarnatório denominamos “Roda de Samsara”.
A base da alimentação hindu é vegetariana, pois traz o corpo e a mente livre de
impurezas.
As preces são entoadas como cânticos no idioma sânscrito e são denominadas “mantras”.
São oferecidas aos deuses para diversas finalidades. Também são dirigidos pra se obter
paz, elevação e poderes. São pronunciados através de um terço denominado Japamala.
O Japamala é um terço hindu utilizado para a entoação de mantras e orações. Contêm
cento e oito contas ou sementes. Pode ser feito também com 27 ou 54 contas, já que
descreve o número exato de mantras e orações que devem ser realizados. O número de
sementes sempre leva a um único denominador, o nove. Para o hindu, o número 108
simboliza
utilizados osão
uno confeccionados
(um) que permeia
como universo
sândalo (zero) junto ao de
ou sementes infinito (oito). Osárvore
Rudraksha, mais
representante do sagrado para os indianos.
Um dos mantras mais importante é a sílaba “OM”, o som sagrado do universo que dá
inicio a todo o processo de criação. Sinos também são utilizados em conjunto com o
mantra para reforçarem seu poder de acalmar e revelar a pureza da alma.
Não existe casa que não encontre a prosperidade se conter uma imagem do Deus
Ganesha próximo a porta de entrada. Além de ser o grande removedor de obstáculos é
também o deus da riqueza e fortuna. Além de lhe ajudar nos desafios do dia a dia, lhe
traz a consciência tudo o que deve ser transformado para que você adquira a tão sonhada
prosperidade em seu lar.
Imagens em cobre, bronze ou barro trazem um material puro por natureza e podem ser

consagradas
devem recebendo
ser adornadas comumelementos
banho deouágua e leite.
colares feitosJácom
as fibras
imagens em resina
naturais como ou
é ogesso
caso
de sementes e pedras. Uma boa dica é a utilização de um terço hindu conhecido como
Japamala feito com as sementes sagradas da índia, conhecidas como “Rudrakshas”.
Colares de flores são sempre bem vindos em homenagem aos deuses. Flores como
margaridas, girassóis, frésias, jasmim, rosas e gérberas representam a essência pura da
Terra. Para confeccioná-los basta envolver as flores, sem os cabos, por um fio de nylon
criando um círculo, unindo uma extremidade a outra. Ofereça aos deuses sempre como
agradecimento aos pedidos que desejar realizar.
Oferecer o sentimento de amor a Krishna é uma dádiva suprema para seus seguidores. É
o deus do conhecimento e do amor, manifestando tal sentimento à vida de quem lhe
oferta seus mais puros sentimentos.
Shiva em sua forma dançarino é denominado de Shiva Nataraja. Tem o grande poder de
dissipar o mal e trazer compreensão sobre os fatos que interferem em nossa paz e
harmonia. Ter uma estátua desse deus em frente à porta de entrada da casa traz força
para combater o mal e os inimigos. Pode acompanhar Ganesha já que é seu próprio pai.
Juntos representam a remoção das dificuldades e a busca da consciência plena de que a
prosperidade não faltará no lar.
Já a combinação das imagens de Shiva, lakshmi e Ganesha ganham um destaque especial.
Representam a trindade da boa sorte, fortuna e proteção. Posicione-os em frente à
entrada principal de sua casa seguindo a seguinte ordem: Shiva a esquerda do
observador, Lakshmi ao centro e Ganesha a direita. Um pote de riqueza pode ser criado e
posicionado a frente da deusa Lakshmi. Para confeccioná-lo faça um preparado de açúcar
e pó de sândalo e passe por todo o pote. Deposite moedas ao centro sempre que desejar.
Quando o pote estiver quase cheio, junte as moedas e gaste com alimentação. Dessa
forma, a prosperidade e a fartura nunca lhe faltarão.

Tudo o que
ingerido, comoé ofertado
restos deaos deuses
velas, hindus
incensos, devee flores,
óleos ser consumido.
devem serO depositados
que não pode
em ser
um
saco plástico separado de todo o lixo, para depois ser introduzido junto a este. Não se
mistura o que é sagrado com o lixo e nem se deteriora a natureza jogando em rios ou
praças.
Conectando-se com Ganesha
Como com todas as divindades hindus, uma boa maneira de formar um elo é aproveitar
uma das muitas imagens vívidas do deus. O ideal seria um cartão-postal ou uma estátua.
Se puder agrinaldar a estátua, melhor.
Um incenso doce também é bom, como jasmim, hibisco ou langue-langue.

Também vale a pena entoar, em voz alta ou mentalmente, o mantra da divindade a fim de
acessar sua essência.
O melhor tempo para nos aproximarmos de Ganesha é na lua crescente ou cheia; a
melhor condição psicológica é estar na iminência de iniciar algo; e o lugar ideal é um
portal (como no saguão) ou, pelo menos, perante uma porta.

Ganesha e seus atributos


É o deus do sucesso e superação de
obstáculos, associado a visão,
aprendizado,prudência e força.
Seu nome sempre é invocado no início
de um evento importante.

Representa o perfeito equilíbrio entre


as energias masculina e feminina,
entre força e bondade,
poder e beleza.
Distinção entre verdade e ilusão,
real e o irreal.
É o senhor da riqueza e da fortuna.

Atributos: Caneta, livros e Japamala


Incenso: Coco, Sândalo, Banana, Jasmim, hibisco e langue-langue
Lua: Fase crescente ou cheia
Cores: Vermelho, azul, amarelo e dourado
Flores: Crisântemos, rosas, Hibiscos, Margaridas e Girassóis
Dia da Semana: Quarta-feira
Regente: da prosperidade e da remoção de Obstáculos
Oferenda: Doces, principalmente com leite, mel, coco, cravo e canela;
Frutas: Coco, banana, pêra, laranja, maçã e romã;
Derivados do leite, como manteiga e yogurte.

Principal Mantra de Invocação: “Om Gan Ganapataye Namaha”


Os 108 Nomes de Ganesha

Ganesha possui 108 formas de expressar sua energia. Entre elas estão:

Nome Significado

Começando com um alfabeto


Akhurath Aquele que tem como seu cocheiro Mouse
Alampata Eterno Senhor
Amit Senhor Incomparável
Anantachidrupamayam Infinito e Consciência personificado
Avaneesh Senhor de todo o Mundo
Avighna Removedor de Obstáculos
Começando com Alfabeto B
Balaganapati Amado e Criança Louvável
Bhalchandra -Senhor da Lua Crescente
Bhima Enorme e Gigante
Bhupati Senhor dos Deuses
Bhuvanpati Deus dos Deuses
Buddhinath Deus da Sabedoria
Buddhipriya Conhecimento
Buddhividhata Deus do Conhecimento
Começando com Alfabeto C
Chaturbhuj Aquele que tem quatro braços
Começando com Alfabeto D
Devadeva Senhor de todos os senhores
Devantakanashakarin Destruidor dos males
Devavrata Aquele que aceita todas as penitências
Devendrashika Protetor de Todos os Deuses
Dharmik Aquele que dá Caridade
Dhoomravarna Tons Senhor Fumaça
Durja Invencível Senhor
Dvaimatura Aquele que tem duas mães
Começando com Alfabeto E
Ekaakshara Ele da sílaba
Ekadanta Senhor Único
Ekadrishta Senhor Único
Eshanputra Filho de Shiva
Começando com Alfabeto G
Gadadhara Aquele que tem o Mace como arma
Gajakarna Aquele que tem os olhos como um elefante
Gajanana -Diante Senhor Elefante
Gajananeti -Diante Senhor Elefante
Gajavakra Tromba do elefante
Gajavaktra Aquele que tem boca, como um elefante
Ganadhakshya Senhor dos Ganas Todos (Deuses)
Ganadhyakshina Líderdetodos os corpos celestes
Ganapati Senhor dos Ganas Todos (Deuses)
Gaurisuta O Filho de Gauri (Parvati)
Gunina Aquele que é o Mestre de todas as virtudes
Começando com Alfabeto H
Haridra Aquele que é dourado colorido
Heramba Amado Filho da Mãe
Começando com Alfabeto K
Kapila Cor marrom-amarelada
Kaveesha Mestre dos Poetas
Krti Senhor da Música
Kripalu Senhor Misericordioso
Krishapingaksha OlhosM arrom-amarelados
Kshamakaram O Lugar do Perdão
Kshipra Aquele que é fácil de apaziguar
Começando com Alfabeto L
Lambakarna Orelhudo Senhor Grande
Lambodara O Senhor Inchado Enorme
Começando com Alfabeto M
Mahābalā Forte Senhor Enormemente
Mahaganapati Senhor Onipotente e Supremo
Maheshwaram Senhor do Universo
Mangalamurti Todas Senhor Auspiciosos
Manomay Vencedor dos Corações
Mrityuanjaya Conquistador da Morte
Mundakarama Morada da Felicidade
Muktidaya Doador da eterna felicidade
Musikvahana Aquele que tem rato como cocheiro
Começando com Alfabeto N
Nadapratithishta Quemapreciaeamamúsica
Namasthetu Vencedor de todos os males e vícios e pecados
Nandana Filho de Shiva
Nideeshwaram Doador de riquezas e tesouros
Começando com O Alfabeto
Omkara Aquele que tem a forma de OM
Começando com Alfabeto P
Pitambara Aquele que tem corpo pintado-Amarelo
Pramoda Senhor de todas as Moradas
Prathameshwara Primeiroentretodosos
Purush A Personalidade Onipotente
Começando com R Alfabeto
Rakta Aquele que tem-pintado corpo vermelho
Rudrapriya Amado do Senhor Shiva
Começando com Alfabeto S
Sarvadevatman Receptador de todas as ofertas Celestial
Sarvasiddhanta DoadordePeríciaseSabedoria
Sarvatman Protetor do universo
Shambhavi O Filho de Parvati
Shashivarnam Aquele que tem uma lua como complemento
Shoorpakarna Orelhudo Senhor Grande
Shuban Todas Senhor Auspiciosos
Shubhagunakanan Aquele que é o Mestre de todas as virtudes
Shweta Aquele que é tão pura como a cor branca
Siddhidhata Doador de Sucesso e Realizações
Siddhipriya Doador de Desejos e Bençãos
Siddhivinayaka Doador de Sucesso
Skandapurvaja Irmão mais velho do Senhor Skanda (Kartikeia)
Sumukha Face auspiciosa
Sureshwaram Senhor de todos os senhores
Swaroop Amante da beleza
Começando com Alfabeto T
Tarun Eterno
Começando com Alfabeto U
Uddanda Curador dos males e vícios
Umaputra O Filho de Uma Deusa (Parvati)
Começando com Alfabeto V
Vakratunda Curvo Senhor Tronco
Varaganapati Doador de Bençãos
Varaprada Grandiosos com os desejos e Bençãos
Varadavinayaka Doador de Sucesso
Veeraganapati Heróico Senhor
Vidyavaridhi Deus da Sabedoria
Vighnahara Removedor de Obstáculos
Vignaharta Demolidor de Obstáculos
Vighnaraja Senhor de Todos os Obstáculos
Vighnarajendra Senhor de todos os obstáculos
Vighnavinashanaya Destruidor de todos os obstáculos e impedimentos
Vigneshwara Senhor de todos os obstáculos
Vikat Enorme e Gigante
Vinayaka Senhor de Tudo
Vishwamukha Mestre do Universo
Vishwaraja Rei do Mundo
Começando com Alfabeto Y
Yagnakaya Receptor de todos os sacrifícios e oferendas sagradas
Yashaskaram Doador de fama e fortuna
Yashvasin Amado e sempre Senhor Popular
Yogadhipa O Senhor da Meditação

Mantras
Os mantras simbolizam um sistema de prática de vocalizações de sons carregados de
poder. Sua prática serve como um instrumento para intensificar e elevar a consciência, a
concentração, a vitalidade e a meditação.
A palavra MANTRA é de srcem Sânscrita e significa “o controle ou trava da mente” (MAN
– mente, TRA – trava), cuja principal função é cessar nossas atividades mentais, para que
seja possível acionarmos outros níveis de consciência e percepção, levando-nos a um
estado de introspecção e silenciamento da mente, capaz de nos colocar em conexão com
o nosso “eu interior”. Sua prática nos encaminha para um elevado grau de
autoconhecimento e desenvolvimento de nossos poderes intuitivos, aguçando nossa
sensibilidade, receptividade e nos levando a adotar uma postura menos racional e mais
sensorial.
Sua criação está descrita nos VEDAS, uma espécie de compilação de quatro textos ou
livros, escritos em sânscrito por volta de 1500 a.C. e que formam a base da literatura e
das escrituras sagradas do hinduísmo. Cada livro aponta o mantra como o núcleo
transformador e essencial para a evolução do físico e da espiritualidade. São divididos em:
Rigveda: Hinos entoados como mantras.

Yajurveda: As práticas do mantra na liturgia, nos rituais e na superação através dos


sacrifícios.
Samaveda: Os mantras entoados como cantos devocionais.

Atarvaveda: Os encantamentos, as fórmulas mágicas e os rituais praticados pelos


sacerdotes, através dos mantras.
Embora suas mais antigas referências sejam indianas, várias culturas também se
beneficiaram, ao longo da história, da prática de cantos devocionais e mantras. Podemos
também destacar os judeus, mulçumanos, católicos e beneditinos, como praticantes da
sabedoria e da prática da vocalização como forma de se elevar o espírito e colocar o
homem em um contato mais próximo de sua divindade.
Devemos também ter em mente que todas as palavras representam uma espécie de
mantra, pois seus efeitos são dotados de extraordinária força e poder. As palavras são
capazes de criar tanto uma atmosfera positiva quanto negativa, inclusive influenciando o
que está a nossa volta e os ambientes. Percebendo a intensidade das emoções, somos
capazes também de percebermos seus efeitos em nossa trajetória pela vida, determinando
também a lei de atração, de ação e reação (Karma) existente no universo. Dessa forma, a
prática de mantras pode ser compreendida como a manifestação de uma determinada
vibração física na forma de um som, gerando e produzindo vários efeitos energéticos em
nosso corpo físico e nos demais corpos sutis.
Essas manifestações também são provenientes dos chakras, centros energéticos
vibracionais e podem revitalizá-los, criando o bem estar e a vitalidade não só no corpo
físico, como também alimentando nossa consciência energética e espiritual. Através de
sua prática podemos trabalhar com a energia de Kundaline e também na manifestação do
Prana, energia vital. Aos entoarmos os mantras com a visualização de um órgão interno,
podemos direcionar a energia vibracional canalizada em seu próprio benefício.
A Kundalini é uma força primordial a existência, semelhante à energia potencial
encontrada na água. Quando liberada, ela cria uma ligação vertical entre os chakras,
abrindo os canais sutis, mais especificamente, o canal que alinha os chakras centrais do
corpo. Se colocarmos a água através de uma pequena mangueira de alta pressão, a ponta
da mangueira vai ondular como uma serpente. Da mesma forma, a intensa energia de
Kundalini ondula no corpo à medida que sobe através dos chakras, materializando
pensamentos, intenções e objetivos em alta velocidade e com maior potência.

Os mantras devem ser sempre repetidos dentro de uma seqüência rítmica. A obtenção de
seus benefícios máximos, vem através da plena concentração nos sons vocalizados, na
participação, na devoção do ato e na prática com sentimentos. Geralmente são praticados
em combinação com os pranayamas (práticas de respiração) e Yantras (símbolos e
imagens sagradas representadas por divindades).
O ideal é que a prática do mantra seja executada juntamente com sua intenção, pois
dessa forma, criamos um aumento dos benefícios físicos e espirituais, fortalecendo e
direcionando seus efeitos energéticos.
Ao praticar um mantra, devemos ter em mente o seu propósito, atentar a nossa postura e
a respiração correta, além de nos entregarmos completamente, através de nossos
sentimentos, ao ato de vocalizar os sons, presenciando completamente o momento
presente.

Acredita-se que os mantras vocalizados como canções possam movimentar as energias,


criando uma atmosfera de paz e quietude para a preparação de uma consciência elevada
à alegria e a satisfação. Já os mantras entoados somente pela vocalização do som,
possuem um maior poder ritualístico e energético. É importante também entender que,
quanto mais curto o mantra, mais poder ele emana.
Suas bases produzem finalidades que visam nos colocar diretamente em contato com
nosso poder divino e energético:
Poder de remover a ignorância,
Poder de revelar as verdades e a realidade (Dharma),
Poder de purificação interna,
Poder de efetuar a liberação dos Karmas criados (Moksa),

Poder dederevitalizar
elevação os sistemas
nossos centros energéticos,
energéticos (Chakras).trazendo o desbloqueio e a

Preparação para a prática


Dê preferência para realizar seus mantras em um local tranqüilo, silencioso e seguro.
Certifique-se da limpeza e da organização do ambiente, podendo ser trabalhado
energeticamente através do uso de incensos, difusores e aromatizadores. A iluminação
indireta e suave também é uma boa opção. Se desejar, você poderá praticar em frente a
um altar criado com os quatro elementos: Um incenso, uma vela, uma taça com água,
flores ou cristais. Caso o mantra seja devocional à uma divindade, utilize a imagem
posicionada ao meio deste altar.

O Japamala é um terço hindu para orações e para a prática do mantra. Poderá ser
utilizado para a contagem e para a recepção de todo poder espiritual emanado. São
criados em materiais naturais como a madeira, sementes e cristais. São feitos em números
múltiplos de nove ao máximo de 108 contas. Esse número representa uma parte
importante citada nos VEDAS, pois descreve a existência de 108 canais astrais principais
que percorrem do físico aos corpos sutis, transmitindo a energia como alimento para esses
canais. O número também simboliza a integração do homem com o universo, pois
exemplifica o uno ou espírito (1), que se integra ao todo (0) e que é infinito (8).

Trabalhe somente com o som ambiente ou através de Cds que contenham os mantras a
serem trabalhados. Nesse caso, o mantra deve ser tocado juntamente com a sua
participação na vocalização das sílabas cantadas.

O melhor período para a prática dos mantras é após as 4:00 h da manhã. É a partir deste
momento que a atmosfera terrena está plena de Prana (energia Vital). Se não for possível
é válida a realização em qualquer outro horário, que a fuga ao desejo de se praticar os
mantras. O período
portanto, mais noturno,
propício após seasestendendo
a quietude, 18:00 h também se torna
até as 22:00 maisossilencioso
h. Para orientais, e,
a
prática deve ser realiza pela manhã ao levantarmos e, à noite, antes de dormir. Em
Sânscrito, o SANDHYA representa o período em que o dia e a noite se encontram, ou seja,
duas horas antes do amanhecer e duas horas antes do por do sol, período este, em que
as vibrações energéticas espirituais estão com grande intensidade na Terra.
Procure não consumir alimentos pesados ou de difícil digestão antes da prática. A ingestão
de água é essencial para que a fluidez energética ocorra durante o ato. Evite também, se
possível, a ingestão de carnes e bebidas alcoólicas antes de realizar a prática dos mantras,
pois diminuem a sensibilização dos campos energéticos e, no caso do álcool, a dificuldade
também na concentração e nas práticas respiratórias.

Mantenha-se com o corpo sentado em um local confortável que possibilite a permanência


da coluna ereta. Evite a prática com o corpo deitado ou apoiado em um acento muito
macio. O conforto se faz necessário, mas devemos manter a coluna em estado alerta para
que a mente e os centros vibracionais possam conduzir corretamente as energias
trabalhadas durante a prática.

Sistemas de respiração
O sistema de respiração promove o equilíbrio, o desbloqueio dos centros energéticos e
pode nos preparar para a prática dos mantras. Coloca-nos em centralização com a Terra e
os poderes do Cosmos.

O exercício proposto na sequência serve para a preparação do corpo para a prática dos
mantras:

Exercício de respiração para a Prática de Mantras

Realizar por três vezes consecutivas em cada etapa inspirando, retendo e expirando o ar:

Nariz/Nariz: Relaxamento
Nariz/Boca: Reequilíbrio da energia, harmonia
Boca/Nariz: Direcionando a energia
Boca/Boca: Aceleração
Os 16 principais Mantras para Ganesha
Om Gan Ganapataye Namaha
“Saudações ao grande removedor de obstáculos”

Esse é o principal mantra devocional à Ganesha. Traz a abertura e a invocação à sua


energia através dos pedidos de remoção dos obstáculos e da obtenção de sabedoria para
alcançarmos a prosperidade em todos os nossos atos.
Au m Shr i Gan esh aya Namah a

"Louvai ao Senhor Ganesha". Este é o mantra de oração, amor e adoração. É cantado


para obter as bênçãos de Ganesha para o arranque positivo de um projeto de trabalho ou,
simplesmente, oferecer-lhe o elogio.

Au m Namah Gan Ganapat ye

Este é um mantra especial para abertura de caminhos junto ao Senhor Ganesha. Este
mantra é usado quando oramos ao Senhor Ganesha para que se integre à nós através do
conhecimento supremo e paz. Sempre se pode usá-lo antes de iniciar qualquer novo
empreendimento, para que o sucesso venha, sem qualquer aborrecimento.

Au m Hum Vakr atu nd aya

Este é um dos mantras mais poderosos de Ganesha. Quando as coisas não estão ao seu
favor, ou quando a mente estiver negativa, se sentindo deprimido ou desanimado, a
atenção de Ganesha será invocada por este mantra para endireitar seus caminhos. O
HUM simboliza a expulsão de todas as vibrações negativas. Este mantra é usado muitas
vezes para se reduzir a violência e as influências energéticas negativas. Além disso, este
mantra também pode ser usado para curar qualquer problema de coluna, como a
curvatura da coluna vertebral ou membros curvas. Praticar em 108 repetições.

Aum Namah Kshipra Prasadaya

Kshipra representa os meios ou caminhos imediatos. Se algum perigo ou energia negativa


lhe for enviada, como inveja, cobiça ou vibrações negativas e você não sabe como se
livrar desse perigo, com verdadeira devoção, a prática deste mantra realizará para a

benção rápida e purificação da aura.


Aum Shrim Hrim Klim Glaum Ga m Ganapataye
Vara Varada Sarva Janamme Vasham anaya Swaha

Existem vários mantras binjas ou sementes. São eles os responsáveis pela construção dos
demais mantras e não possuem uma tradução literária, são apenas vibrações que quando
emanadas, criam o perfeito fluxo das energias por nossos centros energéticos,
denominados Chakras. Efetua uma limpeza e purificação profunda em nossa energia. Seu
significado representa: Por tuas bênçãos, ó Senhor; Ofereço meu ego como uma
oferenda.”

Aum Namah Sumukhaya

Este mantra possui vários significados e em termos simples, invoca a beleza dalama, do
espírito e também física. Ao meditar sobre este mantra, alcançamos a elevação do
espírito, a docilidade e a beleza em todos os sentidos. Junto com isso, a sensação da paz,
do equilíbrio e da serenidade, através do amor incondicional por você e por tudo que
compreende sua vida. Invoca o puro poder do amor!

Aum Namah Ekadantaya

Ekadanta refere-se a presa quebrada na imagem de Ganesha, o que significa que o Deus
quebrou a dualidade e direcionou seus instintos atrvés do poder da mente e da pureza do
coração. Quem tem que a unidade da mente e sincera devoção alcança tudo o que, de
mais puro, desejar.
Aum Namah Kapilaya

Kapila significa vermelho em sânscrito, que é a cor que representa a força de Ganesha.
Ativa o poder, a criação e a vitalidade. Traz a cura como realização durante a prática deste
mantra, através da visualização da cor. Também gera a abundância e auxilia na obtenção
de pedidos e desejos, principalmente pedidos de cura para doenças ou enfermidades.

Aum Namah Gajakarnika ya

As orelhas de Ganesha indicam a necessidade de se ouvir mais e falar menos, dando


importância somente ao que existe de real e positivo. Este mantra cria um filtro especial,
para que se ouça somente o que é importante para o crescimento e a realização. Ajusta a
captação energética através dos chakras, ao mesmo tempo em que aguça a visão, a
clarividência e a intuição. Desenvolve nossa audição e percepção espiritual.

Aum Namah Lambodaraya

Este mantra nos direciona em nossa espiritualidade nos colocando em conexão com todos
os poderes do universo. O Aum representa a consciência e quando praticamos este
mantra, colocamos a mente ativada em contato com o inconsciente coletivo e todas as
manifestações positivas do Cosmo.
Aum Namah Vikataya

Este é um grande mantra de abertura a conciência e equilíbrio do emocional abalado pela


incompreensão, revelando a verdade de cada situação. Ao praticá-lo estamos liberando a
mente das ilusões criadas pela vida cotidiana, alçando um estagio de evolução que nos faz
termos a noção da realidade e como ela está agindo no fluxo de nossas vidas.

Aum Namah Vighna Nashanaya

Este mantra invoca o Senhor Ganesha para remover todos os obstáculos em sua vida e
em suas obras. Pela meditação constante junto a prática deste mantra, somos capazes de
entender e superar todos os obstáculos criados. Ao praticá-lo, podemos desbloquear as
energias estagnadas e liberarmos nosso caminho para a paz e a prosperidade.

Aum Namah Vinayakaya

Vinayaka é o nome de Ganesha em sua idade de ouro, ou seja, na maturidade. Então, por
realizar este mantra, você também encontrará o amadurecimento necessário para crescer
e se fortalecer, pois sua vida também alcançará a mesma idade de ouro. Em seu
escritório, em seu trabalho, você será aquele que controla e governa seus
caminhos. Vinayaka significa algo sob controle, significa que também somos donos da
força e do poder para removermos nossos próprios obstáculos, dominando nossas ações
Para que ajam de maneira vitoriosa.

Aum Namah Ganadhyakshaya

Este mantra é muito importante, pois através dele você conseguirá enviar as boas
vibração e a cura para todos aqueles que ama e participam de sua vida. Sua prática
realiza a cura em grupos, sendo muito utilizado para trabalhos com a família ou práticas
em conjunto a outras pessoas. Traz a revitalização física, mental, emocional e espiritual.

Aum Namah Bhalachandraya

Em sânscrito, a palavra Bhala significa o centro da testa, enquanto Chandra simboliza a


grande deusa lua, especialmante a lua crescente, carregada por Ganesha no chakra
frontal, localizado no meio da testa, entre os olhos. É através desse canal que a visão da
paz e do crescimento surge a todos os homens. Com a prática deste mantra, você entra
também em conexão com Shiva, pai de Ganesha e portanto acessa a verdade e a
iluminação necessária para a evolução e a harmonia em sua vida.
Ganesha e os Outros Deuses
Ganesha poderá ser trabalhado juntamente com o auxílio da energia de outros deuses de
grande importância. Entre eles destacamos:

Shiva, o Destruidor
Shiva, O destruidor, é um dos dois deuses
mais poderosos do hinduísmo. Apresenta-se
de várias formas: o extremado asceta, o
matador de demônios envolvido por
serpentes e com uma coroa de crânios na
cabeça, o senhor da criação a dançar num
círculo de fogo ou o símbolo masculino da
fertilidade. Mais que os outros deuses é uma
mistura de cultos, mitos e deuses que vêem
desde a pré-história da Índia. É a
representação do Espírito Santo no
hinduísmo.
É o criador e deus dos iogues e da
meditação. Paradoxal, contém em si o poder
da criação e da destruição, o que o torna ao
mesmo tempo atraente e terrível. Destrói o
que foi criado e preservado, para que
Brahma possa então criá-lo novamente.
Originalmente o deus da montanha, Shiva,
que significa auspicioso, é o deus da
destruição. Mas, num mundo de infindáveis
renascimentos, a destruição precede a
criação. Pode ser venerado como um língan (símbolo fálico), como um asceta, um
professor, ou como um dançarino na grande dança da destruição.
Shiva, por contraste a Vishnu, não possui avatares, mas ele tem uma família de esposas e
crianças. Shiva era srcinalmente conhecido como o destruidor, mas desde que ele
incorporou adjetivos de criador (ele destrói as coisas para renová-las), e sustentador. De
fato, a figura de Shiva dançando, sustentando o mundo é uma figura hindu comum. Os
seguidores de Shiva são conhecidos como Shaivites. As lendas que exploram isto são
mencionadas no Ramayama, mas parecem ser muito mais completas nos Puranas. A
figuração principal de Shiva é em meditação, mas ao lado das atenções de Parvati, uma
de suas esposas, ele também possui um lado familiar. O principal símbolo de Shiva é um
lingam, um objeto fálico. Este símbolo é colocado como a imagem central de um templo
Shaivite e freqüentemente é feito de material valioso, como prata. Possui usualmente dois
ou três pés de altura, e constitui foco de veneração por seus seguidores.
As Cobras que Shiva usa como colares e braceletes simbolizam os seus triunfos sobre a
morte, a sua imortalidade.
O Filete de água que se vê jorrar de seus cabelos é o rio Ganges. Conta à lenda que o
Ganges era um rio muito revolto que corria na morada dos deuses. Os homens pediram
para que o rio corresse também na terra. Porém, o impacto da queda d'água seria muito
violento. Para resolver o problema, Shiva permitiu que o rio escorresse suavemente para a
terra pelos seus longos cabelos.
Nandi, o Touro Branco, é a carruagem de Shiva, sendo considerado o senhor da alegria
como Nandikeshvara, um homem com cabeça de touro. Personifica a alegria, a música, o
poder da criação
Somente aquelese que
o poder interior adquirido
subjugarem pelo controle
seus desejos da força ofísica
e alcançarem e da violência.
autoconhecimento
poderão montar um touro branco como Nandi.O touro sagrado para o povo do Indostão é
como um símbolo de fertilidade e foi absorvido no hinduísmo como o companheiro
constante de Shiva de quem é montada, camarista e músico. Shiva usa na testa o
emblema de Nandi, a lua crescente, uma das representações das energias sexuais
transmutadas, que nosso Divino Espírito Santo (Shiva), utiliza para a redenção da Alma.

Shiva Mantra: “Om Namah Shivaya”


“Eu me curvo reverentemente ao Senhor Shiva”

Mantra de Shiva realizado com Ganesha:

Traz concentração, nos protege e aumenta os poderes de ganesha nos trabalhos de


remoção dos obstáculos.

Lembrando que Shiva é posicionado a esquerda e ganesha a direita do observador,


quando colocados em um altar.

Realizar nove vezes o mantra principal de Ganesha e nove vezes o mantra de Shiva.

Lakshmi, a deusa da Riqueza


Lakshmi é a deusa da saúde e prosperidade, tanto
material quanto espiritual. A palavra Lakshmi é derivada
da palavra em sânscrito laksme, significando acerto.
Dessa forma, Lakshmi representa o acerto da vida, que
inclui a prosperidade espiritual. Na mitologia hindu, a
deusa Lakshmi, também chamada Shri, é a esposa
divina do deus
manutenção Vishnu e fornece
e preservação a ele a força para a
da criação.
Em suas imagens e gravuras, Lakshmi é mostrada com
quatro braços e quatro mãos. Ela veste roupas
vermelhas com bordados dourados e repousa em uma
flor de lótus. Ela tem moedas douradas e duas flores de
lótus em suas mãos. Dois elefantes (algumas gravuras
mostram quatro) são mostrados próximos à deusa. Este simbolismo segue o seguinte
tema espiritual:
Os quatro braços representam as quatro direções no espaço e isto simboliza a
onipresença e a onipotência da deusa;
A cor vermelha simboliza atividade. Sua aplicação na vestimenta indica que Lakshmi está
sempre ocupada distribuindo saúde e prosperidade para seus devotos;
O bordado dourado em seu vestido vermelho denota prosperidade;
A flor de lótus significa que enquanto vivendo neste mundo, deve-se desfrutar de sua
saúde e força,
que cresce mas sem
na água mas senãotornar obcecado
é molhada pela por isso. Este ensinamento é análogo à lótus,
água;
As quatro mãos simbolizam os quatro fins da vida humana: dharma (caminho correto),
kama (desejos genuínos), artha (força e saúde), e moska (liberação do ciclo de
nascimentos e mortes). As mãos da frente representam a atividades no mundo físico e as
mãos de trás indicam as atividades espirituais para alcançar a perfeição espiritual.
Desde que o lado direito do corpo simboliza atividade, uma flor de lótus na mão do lado
direito de trás indica que se deve fazer todas as atividades no mundo em acordo com o
dharma. Isto conduz a alma ao moska (liberação), que é simbolizado por uma flor de lótus
na mão da esquerda de trás de Lashmi.
As moedas douradas caindo no chãs vindas da mão esquerda da frente de Lakshmi
ilustram que ela provê saúde e prosperidade para seus devotos.
Sua mão da direita da frente é mostrada abençoando seus devotos.
Os dois elefantes próximos à deusa simbolizam o nome e fama, associados com a força
material. A idéia mostrada aqui é que os devotos não devem adquirir força apenas para
ter nome e fama ou apenas para satisfazer seus desejos materiais, mas deve compartilhar
isso com outros de forma a trazer alegria aos outros além de si mesmo.
Algumas figuras mostram quatro elefantes borrifando água de vales dourados até a deusa
Lakshmi. Os quatro elefantes nesta situação simbolizam o contínuo esforço próprio de
acordo com o próprio dharma e governado pela pureza, em busca da prosperidade
material e espiritual. A deusa Lakshmi é adorada freqüentemente em templos próprios de
seus devotos. Uma adoração especial é oferecida a ela anualmente no dia de Diwali, com
rituais religiosos e coloridas cerimônias especialmente destinadas a ela.

Lakshmi Mantra: OM Shrim Maha Lakshiyei Swaha


“Saudações a Lakshime, senhora da fortuna e da abundância”

Mantra de Lakshmi realizado com Ganesha:

Mantra para a circulação da riqueza através da sabedoria e do conhecimento.

Muito usado em comércios e empresas, pois Lakshmi com Ganesha trazem o fluxo das
vendas e dos clientes.
Lakshmi à esquerda e Ganesha a direita do observador.

Realizar nove vezes o mantra principal de Ganesha e nove vezes o mantra de Lakshime.
Narasimha, o Homem-Leão
Narasimha , a quarta encarnação de Vishnu é
metade homem e metade leão. Um porteiro de
Vishnu deixou-o enraivecido e, por isso, foi
condenado a viver o resto de sua vida como um
demônio. Brahma, entretanto, concedeu-lhe um
benefício especial, ou seja, ele não seria ferido por
qualquer arma, homem ou animal, durante o dia ou
durante a noite, a céu aberto ou abrigado. Ele
tornou-se tão cheio de si que começou a dificultar a
vida dos deuses. Vishnu resolveu interferir. Na
forma de um homem com cabeça de leão (nem
animal, nem homem), escondeu-se atrás de um dos
pilares à entrada da morada do demônio
Hiranyakasipu, agarrou-o ao crepúsculo (nem dia,
nem noite) na soleira da casa (nem fora, nem
dentro) e malhou-o com suas garras (desarmado).
O Senhor Ganesha é depois de Prahlada Maharaja,
um grande devoto de Narasimha como descrito no
Sri Brahma Samhita. Ali é descrito que Ganesha tem
os pés de lótus de Sri Narasimha sob sua cabeça e isto faz com que ele destrua todos os
obstáculos no serviço devocional.

Narasimha Mantra: Narasimha Ta Va Da So Hum


“Direciono minha energia a Narasimha para que me direcione e sintonize minha mente
com o poder divino”

Mantra de Narasimha realizado com Ganesha:

Mantra para dissipar as forças e as energias negativas, criando a máxima proteção e


defesa nos ambientes.

Narasimha à esquerda e Ganesha a direita do observador.

Realizar nove vezes o mantra principal de Ganesha e nove vezes o mantra de Narasimha.
Yantra de Ganesha
Ganesha também pode ser ativado através da mandala ou Yantra que representa, através
das formas, símbolos e cores, sua força e seu poder:

Práticas Ritualísticas
Puja
Puja é o ato de mostrar a reverencia a um deus, a
um espírito, ou a um outro aspecto das invocações,
das orações, das canções, e dos rituais divinos. Uma
parte essencial do puja para o devoto Hindu é estar
fazendo uma conexão espiritual com o divino. Esse
contato é facilitado mais freqüentemente através de
um objeto: um elemento da natureza, de uma
escultura, de uma embarcação, de uma pintura, ou
de uma cópia.
Durante o puja uma imagem ou o outro símbolo dá acesso ao deus como meios de
acender-se ao divino. Este ícone não é a própria deidade; pelo contrário, acredita-se ser
preenchido com a energia cósmica da deidade. É um ponto focal para honrar e comunicar-
se com o deus. Para o devoto Hindu, o mérito artístico do ícone é importante, mas é
secundário a seu índice espiritual. Os objetos são criados como os receptáculos para a
energia espiritual que permitem que o devoto experimente uma comunicação direta com
seus deuses.
A conduta dos pujas Hindus em santuários é realizada geralmente em três ambientes
diferentes: nos templos, nas casas, e em espaços públicos ao ar livre. É inigualmente
comum para algumas das deidades serem adoradas em qualquer um dos três tipos de
santuário.
Os Hindus acreditam que se não existir um cuidado apropriado junto às imagens de um
templo,
templo ea atendem
deidade abandonará este dos
as necessidades templo. ComOs
deuses. isso, os sacerdotes
sacerdotes realizam
executam o cuidado
o puja do
no nascer
do Sol, no meio-dia, no por do sol, e na meia-noite. Para um seguidor, entretanto, visitar
um templo diariamente não é uma obrigação e muitos Hindus devotos adoram as
divindades em seu próprio lar. O aspecto essencial do puja não é uma adoração conjunta,
mas aquilo que cada individuo oferece a deidade. A adoração no lar ocorre geralmente
diariamente.

Adoração para o Altar da Casa

Os membros da família escolhem os objetos específicos a sua devoção para colocar no


altar. Muitos objetos são entregues em baixo através das gerações, quando outros podem
ser comprados durante uma peregrinação ou comissão em resposta a uma necessidade
especial.

Como parte do puja diário, a presença das deidades é honrada lavando cada escultura
com água e outras substâncias sagradas, vestindo-a e a adornando com as flores e pasta
vermelha, uma tintura especial. Durante a adoração, cada devoto dá aos deuses mais
oferendas de flores e frutas.

Seqüência para o ritual:


Prabodha, ou o despertar da deidade;
Snana, a cerimônia de banho da deidade,
Avahana, convocação da deidade;
Arcaka, ou as boas vindas;
Pradaskhina, os movimentos divinos (dança ou reverências);
Naivedya, oferenda de alimento;
Aarti, a lâmpada de adoração;
Prarthana, a prece;
Visarjana, a despedida.

Elementos para um Puja


Puja é uma oferta com a mente concentrada e os sentidos energizados para honrar a
Deus. O Puja inclui a recepção e um convite para Deus como sendo nosso convidado de
honra em nossa casa. Para realizar a adoração, vários vasos tradicionais são utilizados nas
casas e templos Hindus. Eles são feitos de metais preciosos, cobre ou latão. Seus
formatos, apesar de ser o mesmo ao redor de toda a Índia, variam de forma marginal, de
região para região. Os itens utilizados para a adoração são:
Samai – É uma lamparina de óleo amplamente adornada com flores numa tigela; as
lamparinas possuem vários canais onde são colocados os pavios feitos de algodão, e que
são embebidos em ghi, manteiga clarificada. Há um suporte para sustentar a lamparina
com a finalidade de evitar que pingue. Os tipos de samai diferem de região para região.

Dip-lakshmi, ou a lâmpada da deusa está associada com a prosperidade.


Aarti - É arranjado numa bandeja de metal circular, com cinco lâmpadas de ghi,
chamadas de nirañjanas, dispostas ao redor e untadas com ghi ou óleo. Quando acesas
estas lâmpadas são usadas em movimentos circulares, da esquerda para a direita, diante
da deidade enquanto são realizados sons ou cantos devocionais. Aarti é um ato de
veneração e amor. Eles são feitos para as crianças nos dias dos seus aniversários, para
um casal recém casado, ou como sinal de boas vindas para os convidados, e para os
membros da família em ocasiões especiais.
Achamani – É uma pequena colher utilizada para banhar os ícones. Há uma pequena
tigela ligada ao seu cabo, usualmente no formato de um capelo de serpentes.
Panchapatri – É como um pequeno tambor no qual é colocado água ou leite e é usado
como achamani. Ele é decorado com vários motivos, em cobre ou prata. Tanto o
panchapatri como o achamani podem ser feitos de prata.

Ghanta – É uma sineta feita de metal, cobre ou prata, e é usada durante os rituais, ou
enquanto é cantado os aartis (adoração à deidade). Os sinos são considerados sagrados
na cultura indiana. Eles são de vários desenhos e estilos, e de diferentes metais, incluindo
os de cinco metais, chamados de pañchaloha. Encontram-se muitos sinos na Índia, nos
templos e igrejas antigos, e eles tocam pela manhã e ao anoitecer, para celebrar um elo
entre o homem e a divindade.
Sinos e sinetas de vários tamanhos e formatos são usados na adoração. O toque das
sinetas num templo ou igreja é para chamar as pessoas para a oração e rendição à
divindade.

Kalash – É um pote cheio com um côco e adornado com folhas de manga, sendo uma
representação popular Deus.

Tamhan – É um prato de metal para receber a água que é utilizada durante os rituais,
como parte dos ritos de adoração.
Shankh – É uma grande concha que é adorada como um símbolo de Vishnu. Ela é
assoprada em rituais para acalmar Deus. Seu som simboliza o divino poder de destruir o
mal.
Prashada – Comida preparada e oferecida para Deus. Ela é chamada de Pacca Khana e
não pode conter cebolas ou alho. Na grande maioria dos templos Hindus e nas casas a
alimentação e estritamente vegetariana. Flores e incenso são amplamente utilizados para
enfeitar os rituais.
Enfeites de adoração são usados para criar uma atmosfera de beleza e serenidade.

Pancamrita – (cinco néctares) é usado nos rituais de banho das deidades, sendo feito de

uma mistura em partes iguais de água, leite, iogurte, açúcar, mel e ghi. Frutas frescas e
secas, ou alimentos cozidos, são oferecidos para Deus, sendo conhecidos com o nome de
Naivedya e quando são distribuídos aos devotos são chamados de Prashada (restos do
Senhor). A água sagrada é distribuída como puja, é chamada de tirth.

Phull – Cada deidade tem a sua flor favorita. Nos rituais, as flores são escolhidas pelos
suas cores, flagrância e beleza. As folhas de várias árvores e plantas, as quais são
consideradas sagradas, são utilizadas. Guirlandas são feitas em inumeráveis desenhos e
feitios, decorando as portas das casas ou dos templos nos dias de festival.
Dhup – Essências aromáticas, varetinhas de incenso ou agarbattis, cânfora, pasta de
sândalo e açafrão são extensivamente usados na adoração, e são oferecidos, também,
para criar uma atmosfera agradável.
Outros materiais de puja – pós coloridos como o kumkum (cúrcuma vermelho forte),
haldi (turmeric), sindur (ocre), abir e gulal são utilizados para untar as deidades. Arroz
sagrado ou akshata, é feito pela mistura de arroz, kumkum e um pouco de água. Cocos,
folhas de betel e nozes são oferecidas, tanto para Deus como para honrar convidados em
festivais de adoração. Rañgoli é predeterminadamente desenhado num padrão de cores e
desenhos para pujas específicos, e sua arte segue princípios matemáticos complexos.
Dharapatra – É um pote pendurado, e do qual a água pinga continuamente por sobre
um ícone de vários deuses, ou por sobre um Shivalinga, que é representação fálica de
Deus, e que reverencia, principalmente, o Senhor Shiva. Este pote possui uma forma
cônica, com uma ponta e uma pequena saliência, ou então, é um corno de vaca adaptado
para esta finalidade.
Rituais para Ganesha

Magia para remoção de obstáculos com Ganesha


Ganesha é o grande senhor da remoção de obstáculos e da prosperidade e busca atender
aos seus pedidos sempre que forem direcionados para uma boa causa. Três dias antes da
chegada da lua cheia, adquira uma imagem ou estátua de Ganesha na posição de
dançarino. Coloque-se na frente da imagem e acenda uma vela vermelha em oferecimento
ao deus elefante, já que a cor vermelha é sua cor predileta. Se desejar, em um prato ou
vasilha, ofereça a ele um pouco de leite, mel ou nove bananas. Com um sino metálico em
sua mão esquerda e um incenso de coco em sua mão direita, comece a descrever todos
os seus problemas para o grande deus, de forma que você se prontifique a entender a
causa destes. Sempre que revelar um problema ou uma causa que lhe aborreça, toque o
sino três vezes seguido e passe o incenso pela imagem, a partir da cabeça do deus até
seus pés. Peça para que Ganesha lhe traga sabedoria para enfrentas as dificuldades e
peça para lhe remover todo o mal e todos os obstáculos de seu caminho. Ao encerrar,
repita seu mantra por nove vezes: “Om Gam Ganapataye Namaha!” (Pronunciasse: Om
gan ganapataiei namarrá).
Agradeça ao deus com todo o amor em seu coração. Deixe a vela e o incenso queimarem
até o final. No dia seguinte você poderá consumir todas as frutas, o mel ou o leite, porém
deve lembra-se de agradecer pela remoção dos obstáculos antes de ingeri-los. Acenda um

incenso
reforçar edefortalecer
coco durante nove dias e ofereça ao grande removedor de obstáculos para
seus pedidos.
Magia para encontrar a prosperidade financeira através de Ganesha
Em uma quinta feira de lua crescente prepare uma grande oferenda ao deus Ganesha
como símbolo da riqueza e prosperidade que pretende almejar. Em frente à imagem de
Ganesha em sua forma dançarino, acenda algumas velas em número ímpar em um
incenso de flor de pitangueira. As melhores cores para as velas são vermelho, amarelo e
dourado. Em um prato também dourado, acrescente nove moedas, mel, côco ralado ou
em pedaços, maça verde e bananas picadas, cravo e canela em pau. Ao final decore o
arranjo com sete girassóis dispostos em círculo. Comece a conversar com o deus falando
sobre todas as suas dificuldades. Com um sino metálico em sua mão esquerda, comece a
pedir tudo o que desejar, porém toque o sino a cada novo pedido. Encerre agradecendo a
tudo aquilo que deseja adquirir e conquistar. Deixe as velas e o incenso queimarem por
completo. Mantenha o prato ofertado por três dias na frente da imagem. Ao final do
terceiro
depositedia,
em agradeça novamente.
um saco plástico Limpepara
separado removendo tudoem
depois jogar o seu
que lixo.
está no prato dourado e
Magia para renovar a fé e resgatar a alegria com Ganesha
Três dias antes do início da lua crescente, adquira uma imagem de Ganesha. Posicionada
em frente ao deus, comece a confeccionar um colar com flores naturais. Você pode optar
por rosas, gérberas, cravos ou margaridas nas cores de sua preferência. Com uma corda
de fibras naturais ou um fio de nylon comece a amarrar as flores como se confeccionasse
um belo colar. Acenda um incenso de noz moscada e envolva a imagem ou a estátua com
o colar. Separe algumas pétalas das mesmas flores e jogue por toda a imagem. Com um
sino metálico na mão esquerda, dê algumas badaladas em homenagem a Ganesha
pedindo para que abra seu coração a alegria e a renovação. Toque uma música de sua
preferência que traga felicidade e motivação. Dance e continue a badalar o sino. Ao final
agradeça a Ganesha pelo momento. Deixe o incenso queimar por inteiro e ao final de
sete dias, remova o colar de flores e o deposite no meio de um belo jardim.

Ritual para conquistar um grande amor


Em frente à imagem de Ganesha, acenda uma vela cor de rosa de sua preferência, quanto
mais bela e elaborada, melhor. Separe o perfume de uso pessoal que mais lhe agrada e
posicione em frente à vela. Reflita sobre o amor em sua vida e como este fluiu até os dias
atuais. Se você tem alguém em especial que deseja atrair, peça a Ganesha que lhe mostre
as possibilidades de conquista para esse amor, caso contrário, descreva o tipo de pessoa
que realmente espera ter ao seu lado, detalhando todos os aspectos que desejar. Segure
o frasco de perfume com as duas mãos e circule-o em sentido horário, enquanto
pronuncia o mantra principal de Ganesha por nove vezes. Borrife o perfume na imagem de
Ganesha determinando a conquista desse amor. Utilize-o sempre que desejar ou sentir a
possibilidade de encontrar alguém especial.

Que Você tenha todas as benção de Ganesha em sua vida!

Luz e Amor,
Namastê,
“Pois o mesmo deus que está em mim saúda o deus que está em você!”
Luiz Netto

Você também pode gostar