Você está na página 1de 5

Diurese no Homem

Introdução
O objetivo da aula foi entender os mecanismos que os rins dispõem para
manter a homeostasia do corpo e entender como a ingestão de líquidos, no
caso Gatorade (que é um isotônico) e água, influenciam no débito urinário,
assim como na osmolaridade da urina.
Métodos e materiais
Para realizar-se o estudo 3 voluntários se propuseram a realizar a coleta de
urina. Primeiramente foi feito o esvaziamento da bexiga utilizando-se de
um béquer por voluntário e logo em seguida foi medido em uma proveta a
quantidade (em ml) de urina. Uma pequena quantidade foi colocada em
tubos de coleta para que fosse possível a medição da osmolaridade (que foi
feito pelo técnico do laboratório).
Obteve-se os seguintes resultados:
t0 Volume(ml) [Na+] [K+] Osmolaridade Excreção de Excreção de
[Na+] [K+]
Gatorade 75 84 27 393 6,3 ±2
mmol/40min mmol/40min
Água 1 20 206 69 1220 4,12 1,38
mmol/40min mmol/40min
Água 2 0 0 0 0 0 0
mmol/40min mmol/40min

Observação → para saber o volume excretado utilizou-se da fórmula:


Excreção = volume urinário × concentração do íon
Logo após a primeira coleta os voluntários beberam 1000 ml de agente
diurético, sendo que 1 deles bebeu 1000 ml de Gatorade e 2 beberam 1000
ml de água. Esperou-se 40 minutos e foi feita mais uma coleta, assim como
na primeira vez foi feito novas medidas, e os resultados foram os seguintes:
t40 Volume(ml) [Na+] [K+] Osmolaridade Excreção de Excreção de
[Na+] [K+]
Gatorade 310 27 9,3 155 8,37 ±2,9
mmol/40min mmol/40min
Água 1 50 146 52 913 7,3 2,6
mmol/40min mmol/40min
Água 2 80 190 41 791 15,2 3,28
mmol/40min mmol/40min
Logo após a segunda coleta (t40) esperou-se mais 40min e foi feita mais
uma coleta(t80), assim como a medida da osmolaridade e da concentração
de íons. Os resultados obtidos foram:
T80 Volume(ml) [Na+] [K+] Osmolaridade Excreção de Excreção de
[Na+] [K+]
Gatorade 425 11 0 78 ±4,67 0
mmol/40min mmol/40min
Água 1 56 137 60 795 ±7,67 3,36
mmol/40min mmol/40min
Água 2 285 16 11,1 113 4,56 ±3,16
mmol/40min mmol/40min

Perguntas

Considerando o t0 como valor basal de cada voluntario, pergunta-se:


1) Calcule o débito urinário (ml/min) de cada voluntário para cada tempo.
Houve aumento da diurese após os tratamentos? Qual mecanismo
envolvido em cada um dos tratamentos.

Débito Urinário em ml/min


12

10

0
t0 t40 t80

Gatorade Água 1 Água 2

Valores:
Gatorade → t0 o débito foi de 1,875 ml/min, t40 o débito foi de 7,75 ml/min
e em t80 o débito foi de 10,625 ml/min
Água 1→ t0 o débito foi de 0,5 ml/min, t40 o débito foi de 1,25 ml/min e
em t80 o débito foi de 1,4 ml/min
Água 2→ t0 o débito foi de 0 ml/min, t40 o débito foi de 2ml/min e em t80
o débito foi de 7,15 ml/min
Sim, houve o aumento da diurese (provavelmente por conta do
experimento ter sido realizado após o almoço, onde o indivíduo deve ter
comido algo salgado, o que altera um pouco os resultados). No caso do
indivíduo que tomou Gatorade, não houve um aumento da osmolaridade
pois esse agente diurético é isotônico, ou seja, a concentração de íons é
semelhante as do meio. O que ocorreu foi um aumento do LEC (líquido
extracelular), o que aumenta a pressão gerada no glomérulo e
consequentemente aumenta a taxa de filtração do mesmo, pois há um
aumento da pressão hidrostática, o que promove uma menor reabsorção
tanto de água quanto dos íons, para assim manter a pressão sanguínea em
níveis adequados. Por conta do aumento do LEC, ocorre uma hipervolemia,
e com isso houve um aumento do débito cardíaco. Dessa forma ocorre um
estiramento maior do átrio e com isso as células que liberam o Hormônio
Peptídeo Natriurético Atrial (ANP) são estimuladas. Esse hormônio faz com
que não ocorra a reabsorção de sódio na alça ascendente e no túbulo distal
do néfron, o que causa uma maior excreção de Na+ e consequentemente a
de água.
Nos indivíduos que tomaram a água, há uma diminuição da osmolaridade
do LEC, e com isso, ocorre um transporte da água para o meio intra-celular
(LIC). Um dos efeitos da ingestão de líquidos hipotônicos é o aumento de
volume dos osmorreceptores (neurônios localizados no hipotálamo), e
quando isso ocorre os mesmos emitem potenciais de ação com uma baixa
frequência, o que faz com que os neurônios que liberam a vasopressina
(que são estimulados pelos osmorreceptores) não liberem a mesma, dessa
forma não ocorre a reabsorção de água no ducto coletor (já que a
reabsorção de água nessa parte ocorre na presença do hormônio) fazendo
com que a urina seja mais diluída.
2) Calcule o decaimento da osmolaridade urinária em cada tratamento. Há
diferenças entre os dois tratamentos? Justifique.

Decaimento da osmolaridade
1400

1200

1000

800

600

400

200

0
t0 t40 t80

Gatorade Água 1 Água 2

Indivíduo que tomou Gatorade: Osmolaridade inicial(t0) = 393; t40 a


osmolaridade foi 155 (que equivale a 39,44% da osmolaridade inicial) e por
último em t80 a osmolaridade foi 78 (que equivale a 19,84% da
osmolaridade inicial).
Indivíduo Água 1: Osmolaridade inicial (t0) = 1220; t40 a osmolaridade foi
913 (que equivale a 74,83% da osmolaridade inicial); em t80 a osmolaridade
foi 795 (que equivale a 65,16% da osmolaridade inicial).
Indivíduo Água 2: Osmolaridade inicial (t0) = 0; t40 a osmolaridade foi 791;
em t80 a osmolaridade foi 113 (que equivale a 16,81% da osmolaridade em
t40)
O conceito de osmolaridade leva em consideração o número de partículas
de soluto por 1L de água, ou seja, a concentração de íons K+ e Na+ nesse
experimento. É possível perceber que o individuo que tomou a Gatorade a
queda foi perceptível, por ser um isotônico, ela não deveria alterar muito a
osmolaridade (no caso provavelmente pelo teste ter sido realizado após o
almoço, o voluntário deve ter ingerido alimentos salgados, o que fez com
que houvesse uma mudança um pouco mais acentuada na osmolaridade).
Já para os indivíduos que tomaram a água fica claro a mudança de
osmolaridade pois a água, por ser um liquido hipotônico, altera a
concentração de íons nos líquidos fisiológicos, dessa forma era de se
esperar que a queda fosse mais acentuada, pois a urina acaba sendo mais
diluída (ela contém mais água). Com a queda da osmolaridade a liberação
de vasopressina diminui, e consequentemente a reabsorção de água
diminui, o que faz com que a urina seja mais diluída.
Conclusão
Com a realização do experimento foi possível perceber que os rins atuam
como um importante regulador da osmolaridade dos líquidos corporais e
da pressão sanguínea. A presença de hormônios que são liberados em
diferentes situações que atuam diretamente na reabsorção de água (como
a vasopressina) e íons (como o ANP que inibe a reabsorção de Na+)
desempenhando um importante fator na regulação da homeostase. De
forma geral, foi possível estabelecer algumas as ligações que ocorrem entre
o Sistema Nervoso, o Sistema Renal, o Sistema Cardíaco e também com o
Sistema Endócrino.