Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E LETRAS


CURSO DE PEDAGOGIA EAD

ANA LUCIA DE LIMA


DAIANE MARQUES DE ARAÚJO SILVA
DIVINO CARLOS RODRIGUES LEITÃO

A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR PARA A


CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

RIBEIRÃO PRETO
2014
ANA LUCIA DE LIMA
DAIANE MARQUES DE ARAÚJO SILVA
DIVINO CARLOS RODRIGUES LEITÃO

A Importância do Brincar para a Criança na Educação Infantil

Projeto de pesquisa para o TCC


apresentado à Profa. Me Gisela
Geronymo Sanches Bretherick, do curso
de Pedagogia EAD da Universidade
Metodista de São Paulo, Faculdade de
Humanidades e Direito.

RIBEIRÃO PRETO
2014
1. APRESENTAÇÃO DO TEMA
A brincadeira, na educação infantil, faz parte do desenvolvimento da criança
e a incentiva ao impulso da descoberta, da curiosidade e querer aprender coisas.
Quando a criança brinca de mexer os dedos, esconder as mãos ou os pés ou imita
a voz do adulto ou de animais está na verdade fazendo um tipo de brincadeira
aonde irá se descobrindo e compreendendo o mundo no qual está inserida.

O brincar é uma atividade livre, espontânea em que a criança passa a agir


como se não fosse ela, assumindo outro papel, em outro tempo e lugar e ao brincar
de faz de conta cria uma situação imaginária, como quando assume o papel de
médica, mãe ou professora, transformando simples objetos em ferramentas lúdicas
de diversos tipos, que são utilizadas como brinquedos, que devem ser adequados
para cada tipo de jogo criado em sua imaginação. Desta forma vai desenvolvendo
suas funções motoras e cognitivas. Nesta situação imaginária a criança é levada a
agir num mundo também imaginário, utilizando materiais que servirão para
representar uma realidade que está ausente naquele momento.

2. JUSTIFICATIVA
A escolha deste tema foi pelo entendimento de que o ato de brincar faz parte
da vida de toda criança, assim como de seu desenvolvimento. Neste processo ela
irá desenvolver capacidades importantes, como a atenção, raciocínio, capacidade
de imitação e imaginação, devendo, portanto, o brincar ocupar um espaço especial
na prática pedagógica.

O momento do brincar proporciona à criança uma situação de aprendizagem


infantil e de desenvolvimento aonde ela vai se apropriando dos conhecimentos que
pertencem à sua cultura, assimilando e recriando as experiências dos adultos com
os quais convive, de acordo com o tipo de sociedade na qual estão inseridos.

As brincadeiras e os jogos são modos de fazer com que a criança aprenda e


se desenvolva e durante as atividades tem a oportunidade de vivenciar muitas
experiências importantes para o processo de desenvolvimento social, cognitivo e
afetivo, ajudando a serem inseridas na sociedade.

3. PROBLEMA DA PESQUISA
A escola e os pais compreendem que o brincar é importante para o
desenvolvimento da criança?

4. HIPÓTESE
“Como uma brincadeira pode produzir conhecimento? A questão central
deste trabalho é demonstrar a importância e relevância do que existe no
simples brincar.”

Temos observado algumas mudanças da Educação Infantil que vem


passando por transformações que contribuem para que as crianças apresentem um
bom desenvolvimento o que diz respeito ao aspecto físico, intelectual, psicológico e
social.

O brincar, especialmente dentro da escola, precisa ser mais que apenas


diversão e descontração, trata-se de um momento prazeroso e de aprendizado. Ao
ser iniciada uma brincadeira aprendemos diversas formas de expressão, utilizamos
habilidades que são conquistadas a cada dia, através deste momento que,
infelizmente, ainda há muitos que consideram como perda de tempo.

O brincar vai muito além do que imaginamos, a maioria dos pais enche os
filhos de brinquedos, mas não interagem com eles e não acompanham seu
desenvolvimento. Nossa intenção é quebrar estes paradigmas. Mostrando a eles a
importância de brincar e de compartilhar um momento coletivo onde se adquire
conhecimentos para todas as partes.

5. OBJETIVOS
Objetivo geral:

O objetivo deste trabalho é demonstrar como podemos usar as brincadeiras


em um contexto pedagógico, como abordá-las e demonstrar o quanto se pode ir
além do pensamento comum, que coloca as brincadeiras apenas em nível de
diversão. Assim como, refletir sobre a importância do brincar para o
desenvolvimento da criança e compreender a importância dos jogos e das
brincadeiras para o desenvolvimento e aprendizagem na educação infantil.

O foco desta pesquisa é mostrar que o brincar pode e deve continuar a ser
um momento prazeroso, mas também pode ser de aprendizado, já que a criança,
ao brincar, desenvolve diversos conhecimentos, conforme objetivos específicos
elencados a seguir:

​Objetivos Específicos

5.1. Adquirir autonomía


A criança precisa, desde o mais cedo possível, aprender a exercer sua
capacidade de escolha. Para isso é preciso que se ofereça a ela opções para
executar ações que independam da presença ou supervisão de um adulto.

5.2. Ter iniciativa


Sempre que lidar com pequenos problemas em sua rotina diária e praticar
atividades independentes ou mesmo saber quando solicitar a ajuda de um adulto
ou outra criança faz parte da iniciativa e isso pode ser estimulado de várias formas.

A outra questão é quando a criança se depara com uma dificuldade, é


preciso que não se frustre por não conseguir superar o desafio, trata-se de fazer
com ela e não fazer por ela, desta forma será estimulada a ser independente e
buscar suas próprias soluções.

5.3. Livre expressão


É bastante comum vermos o termo “fazer arte” ser associado a uma ação
negativa, como por exemplo, quando uma criança pega uma caneta e rabisca uma
parede. Infelizmente os pais costumam fazer os quartos das crianças para atender
as suas próprias necessidades estéticas ou de conforto, esquecendo que se é o
quarto da criança então deveria ser feito para a criança e não para os pais.

Na escola é possível adequar os ambientes de forma que as crianças


possam rabiscar, rasgar e bagunçar de acordo com suas próprias necessidades,
pois impedi-las de fazer isso é o mesmo que impedir o seu desenvolvimento.

5.4. Autocontrole
Saber controlar os desejos e emoções é um dos primeiros aprendizados da
criança e normalmente o mais difícil, pois aprendem muito rápido que a melhor
forma de chamar a atenção é justamente ultrapassar limites e uma criança implora
sempre por atenção.

Quando ocorrer a perda do autocontrole é preciso distrair a atenção e dar


um excelente exemplo.

O diálogo é sempre a melhor forma de solucionar conflitos, então quando


faltar o autocontrole deve sobrar diálogo ou o melhor exemplo que se puder dar.

5.5. Autoestima
Gostar de si mesmo é essencial para que se possa desenvolver qualquer
atividade com mais satisfação e isso precisa ser ensinado como qualquer outra
coisa.

Nas brincadeiras é preciso sempre ter a consciência de que a criança


precisa se sentir feliz e por este motivo devem ser evitadas situações de
competitividade ou egoísmo.

A autoestima também vem da satisfação de ter outras pessoas


compartilhando o que fazemos, portanto o ato de brincar fica sempre mais
satisfatório na companhia de outras pessoas.

5.6. Motivação
Manter sempre a motivação da criança significa renovar ambientes e
apresentar novidades, assim a criança estará em condições de ampliar suas
capacidades, descobrir novos potenciais e até mesmo reinventar formas diferentes
de usar o que já existe.

Motivar é mostrar caminhos e possibilidades, jamais indicá-los e exigir que


sejam feitos de uma forma específica.

5.7. Vivência social


Efetuar atividades em grupo, aprender a demonstrar boas atitudes perante
os demais, assumir responsabilidades pelo que faz ou pelo que deixa de fazer são
partes importantes da boa convivência social, assim como saber expressar sua
opinião.

Através do brincar se colocam em prática estas boas normas e se aprende a


utilizá-las da melhor forma.

6. METODOLOGIA
Escolha e conhecimento da bibliografia necessária para validar a pesquisa a partir
de referenciais que abordam os diversos assuntos ligados ao tema.

Seleção de material pesquisa em fontes diversas, tais como a internet e suas


ferramentas de busca.

Buscar referencial prático, baseado na vivência dos membros da equipe e em


locais onde se possa observar a prática diária do brincar na educação infantil,
visitando e convivendo com escolas infantis que nos permitam o acesso a suas
instalações.

Organizar este material em forma de texto, para que possa ser utilizado
futuramente por educadores e pessoas interessadas no objetivo proposto.

7. DEMONSTRAÇÃO DA RELEVÂNCIA.
O brincar é natural na vida da criança, faz parte da sua rotina diária podendo
ser definido como prazeroso e sem compromisso. As brincadeiras acontecem de
acordo com o contexto social e histórico em que estão inseridas, aonde serão
recriadas de acordo com processos imaginários que ajudam a criança a
compreenderem o mundo.

No que diz respeito à Educação Infantil o ato de brincar faz parte dos
Parâmetros Curriculares, devendo estar presente no currículo da escola e na sua
rotina diária, em que deve envolver o lúdico nas diversas atividades oferecidas pela
escola permitindo que a aprendizagem aconteça por meio do brincar. Ao eliminar o
brincar do currículo escolar, estamos privando a criança de ser criança, de
vivenciar uma etapa da sua vida que é tão importante para o seu desenvolvimento
cognitivo, afetivo, físico e social.

Ao brincar a criança aprende a respeitar as regras, melhora o seu


relacionamento social fazendo com que tenha mais facilidade em fazer amigos. As
brincadeiras proporcionam a criança mais facilidade em expressar-se, demonstrar
respeito pelas opiniões dos colegas mesmo quando não está de acordo com a
opinião apresentada pelo colega e dessa forma​ ​compartilha a alegria de brincar.

Nossa contribuição com este trabalho será reunir e divulgar conjuntos de


informações que propiciem aos educadores uma visão generalizada sobre o ato de
brincar como ferramenta auxiliar na educação e não apenas como simples
passatempo, como tem sido feito desde há muito tempo.

Há muitas formas de se utilizar a brincadeira com contexto pedagógico e


muitos caminhos para se chegar a resultados satisfatórios, a principal meta é
entender que as ferramentas para isso já existem.
Diversas metodologias já foram aprovadas e cientificamente está
comprovado que a ludicidade permite um aprendizado mais eficiente e sem a carga
de responsabilidade que outros métodos acabam jogando sobre os ombros das
crianças.
REFERENCIAL TEÓRICO
ALMEIDA​, Paulo Nunes de. Educação Lúdica: ​Técnicas e Jogos Pedagógicos​.
11ª Edição. São Paulo: Edições Loyola, 1987. 203 p.
De acordo com Paulo Nunes de Almeida, educar de forma lúdica é algo que se fará
presente em todos os momentos da vida. Uma criança que brinca com seus
companheiros, seja com bola ou boneca está na verdade operando inúmeras
funções e faz isso com prazer. Este livro pretende demonstrar que os jogos sempre
foram inerentes ao ser humano e irá ensinar como aplicar estas técnicas na
educação formal.

FIGUEIREDO​, Márcio Xavier Bonorino. ​A corporeidade na escola​: brincadeiras,


jogos e desenhos. 6ª ed. Pelotas: Editora Universitária-UFPel, 2009. 88 p.
Segundo Balduíno Antonio Andreola, um dos que assinam o prefácio desta obra:
“Teu trabalho corresponde realmente uma contribuição de valor para se pensar a
educação na escola pública”. O livro foi criado a partir de uma pesquisa de um ano
com crianças de uma escola pública e demonstra como as brincadeiras podem
definir uma forma transformadora de educar.

KISHIMOTO​, Tizuko, at al.. ​Em busca da pedagogia da Infância​: Pertencer e


Participar. 1ª ed. São Paulo: Penso, 2013. 216 p.
Vários autores, brasileiros e portugueses. Cuidam de cada um dos capítulos do
livro, que foi realizado a partir de um programa de cooperação internacional entre
faculdades de São Paulo e do Minho, em Portugal. O livro mostra como as
concepções dos diversos autores norteia a importância de buscar o melhor para a
criança, em diversas áreas, inclusive o brincar e aprender.

KISHIMOTO​, Tizuko Morchida, et al. ​O Brincar: ​e suas teorias. 1ª ed. São Paulo:
Cengage Learning. 2013. 172 p.
Este livro trás pensadores como Dewey, Wallon, Vygotsky, Froebel entre outros;
trata de concepções sobre o brincar provenientes de três campos de estudo, que
são os socioculturais, psicológicos e filosóficos. É uma obra destinada a
professores do magistério do ensino médio, alunos, professores de graduação e
pós-graduação nas áreas de Psicologia, Pedagogia e todos que se interessam pela
criança e seu brincar.
Durante o período da infância a criança passa a imitar adulto em tudo que vê
baseado no conhecimento que possui, dentro da sua leitura das coisas.

SIAULYS​, Mara O. de Campos. ​Brincar para todos​. 1ª ed. Brasília: Ministério da


Educação, Secretaria de Educação Especial, 2005. 152 p.
Publicação do Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, baseada
em projeto da autora e que visa demonstrar a aplicação do ato de brincar na
educação, incluindo na obra crianças com necessidades especiais.
O livro trata do estudo de situações reais, elencadas de forma a demonstrar a
importância das brincadeiras na educação e também como as escolas ainda não
estão preparadas para usar este recurso.
Ana Lúcia, Daiane e Divino, vocês tem um bom tema para desenvolver
e muitas pesquisas a serem realizadas.
Parabéns por finalizarem esta primeira etapa do Projeto de Pesquisa
para o TCC.
Os comentários estão no texto, observem as orientações. Aproveitem
as férias para realizarem as correções, e também para pesquisarem, pois no
próximo semestre (2015) vocês darão continuidade a este projeto a partir
dessa última versão revisada na elaboração do artigo científico que será o
trabalho de conclusão do curso (TCC).

A nota do grupo é 3,0.