Você está na página 1de 55

Centro Educacional Pequeno Príncipe

Relatório de Desenvolvimento Individual do 1º Semestre


Turma: Maternal I - Joaninha
Professora: Rafaela Gonçalves de Arruda
Josiane de Paula Assis

Aluno: Anthony Nepomuceno Gomes

Introdução
O relatório de Desenvolvimento Individual é um documento cujo a finalidade é
descrever o desenvolvimento do aluno no decorrer do semestre e que vai acompanhá-lo até o
fim de sua trajetória escolar. É um documento com um parecer descritivo e de extrema
importância, pois nele se registra a evolução no aprendizado do aluno, além do trabalho
realizado pelo profissional.
Neste documento destaca-se as propostas de trabalho feitas pelo professor através do
projeto e planejamento bimestral no qual, o profissional traça metas a serem alcançadas. Vale
ressaltar que nenhuma criança é igual a outra, elas têm tempo e fases de aprendizagem
diferentes e como nos respalda Paulo Freire (1987,p.68), ''Não há saber mais, nem saber
menos, há saberes diferentes''.
A Educação Infantil tem como direcionamento a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular), um documento que norteia o ensino escolar e que é uma referência para que a
escola construa seu currículo visando a formação integral da criança. Assim a BNCC é uma
referência que propõem objetivos de aprendizagem para cada etapa da formação da criança, ,
no que diz respeito a serem cidadãos críticos e conscientes, que sejam capazes de aprender, de
questionar, de resolver problemas, de trabalhar em equipe, de argumentar e defender seus
propósitos e ponto de vista e de ter autonomia para defender seu ponto de vista. Para que isso
aconteça de forma significativa, esse documento se divide em campos de experiência (eixos)
que serão destacados de forma separada ao decorrer do relatório.
No eixo Eu, o outro e nós
Este é o primeiro eixo e nele se destaca as experiências na construção da identidade do
aluno, o conhecimento sobre si e sobre o outro, o desenvolvimento dos sentimentos, o
respeito, a adaptação no espaço escolar, o comportamento, a partilha e as ordens. Neste
sentido, propus atividades e rodas de conversa sobre os sentimentos, regras, corpo humano, os
cuidados com o corpo (higiene), sobre o reconhecimento do próprio nome e do nome dos
colegas, avaliando-os de forma contínua e através da observação diária das atividades.
O processo de adaptação do aluno Anthony no espaço escolar, foi um pouco chorosa
nos primeiros dias, mas logo se adaptou a rotina da turma tendo um pouco de resistência na
hora do sono, mas foi muito tranquilo. É uma criança que se comporta bem, não tem
problemas em seguir regras, mas às vezes se irrita com algo ou alguém e acaba batendo ou
chorando diante da situação.
O Anthony é muito carinhoso com as professoras e com os colegas, gosta de brincar,
mas não gosta muito de compartilhar os brinquedos, mas o faz quando é solicitado pela
professora ou quando tem algum brinquedo do seu interesse. Ele tem o hábito de tomar o
brinquedo que está com o colega, neste momento as professoras realizam uma intervenção
com base no diálogo para que o aluno compreenda que não se tomar o brinquedo, mas sim
pedir emprestado o objeto desejado.
Tem boa prática de higiene, no momento da escovação o faz tranquilamente, e não se
opõe quando a professora escova para ele.
O Anthony reconhece o próprio nome, além de reconhecer o nome de todos os
colegas apontando cada um ao ser falado pela professora, mas ainda não reconhece
visualmente as letras do nome.

O próximo Eixo trabalhado é Corpo, Gestos e Movimentos:


O segundo eixo trata do aprendizado da criança através dos movimentos, imitação,
manifestações culturais como a músicas e a dança. Neste sentido, foi proposto atividades com
música, mas que fizesse a criança reconhecer o próprio corpo, como “cabeça, ombro, joelho e
pé” (Xuxa), noções de higiene com a música “chuveiro” (Patati e Patatá) entre outras e
brincadeiras como o “mestre mandou” ou “siga o mestre”, no intuito de fazer ações como
pular, correr, andar e as cantigas de roda. A avaliação foi contínua e foi feita através da
observação e anotação.
Nesse quesito, o Anthony demonstrou que gosta muito de músicas e dançar, na
música “cabeça, ombro, joelho e pé” (Xuxa), o aluno demonstra e reconhece as partes do
corpo como fala na música, da mesma forma com a música “chuveiro” (Patati e Patatá).
Nas brincadeiras propostas o Anthony se desenvolve muito bem, faz os movimentos
básicos (andar e correr) com boa coordenação e não se desequilibra, pula tirando os dois pés
do chão. Ele controla bem os movimentos, tem uma boa consciência corporal e imita os
gestos e movimentos no momento da brincadeira. Participa das cantigas de roda, demonstra
preferência por “atirei o pau no gato” e no momento da brincadeira não se opõe em dar as
mãos para os colegas e brinca de forma tranquila.

Escuta, Fala, Pensamentos e Imaginação:


O terceiro eixo é onde se destaca a linguagem oral e escrita, história, processo de
evolução do desenho, o desenvolvimento da fala, expressar os pensamentos, a ampliação do
vocabulário e o contato com as histórias e livros. Como especifica a BNCC (2018, p. 42) o
contato com a escrita é muito importante pois, a criança já desenvolve a compreensão e as
possibilidades da escrita.
Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses
sobre a escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à
medida que vão conhecendo letras, em escritas espontâneas, não
convencionais, mas já indicativas da compreensão da escrita como sistema de
representação da língua. BNCC (2018, p. 42)

Neste sentido, foi proposto atividades de percepção visual, reconto de histórias pelas
crianças, músicas e rodas de conversa, além disso, em momentos de escrita pelas professoras
as crianças observam e tem contato com a escrita.
Tendo por base esse eixo, o Anthony demonstra uma oralidade boa, tem um
vocabulário bom, inclusive em inglês ( fala cores, números e outras palavras na língua), forma
frases corretamente e de fácil entendimento. Na evolução do desenho o aluno está na fase da
garatuja descontrolada, que é considerada normal para sua faixa etária, faz rabiscos aleatórios
e segura o lápis com a mão direita, mas não segura de forma correta. Ele é cuidadoso com as
atividades e gosta muito de fazê-las e faz com capricho.
O Anthony presta atenção nas histórias contadas pelas professoras e demonstra
preferências pela História Infantil chamada “Papai", responde o que lhe é perguntado durante
a história. Gosta de folhear os livros de história e de olhar as imagens dos livros. Durante as
atividades sempre perguntar sobre o que está fazendo, faz corretamente e se expressa muito
bem.
Espaços, Tempo, Quantidade Relações e Transformações.
O quarto eixo se refere às noções de posição (em cima-embaixo, dentro-fora, na frente
atrás), noções de grandeza (grande-pequeno, maior-menor), diferentes-iguais, números (no
caso da nossa turma do 1 ao 5), figuras geométricas.
Nesse sentido propus atividades práticas, lúdicas e manipulativas, assim, criamos
tabuleiros com as formas geométricas (círculo, quadrado e retângulo), trabalhamos as noções
de grande – pequeno, maior-menor com bolhas de sabão, além de rodas de conversa, a
numeração foi trabalhada de forma separada, apresentando cada número separadamente, o uso
de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico.
Durante a atividade do jogo de tabuleiro de formas geométricas (círculo, quadrado e
retângulo), o Anthony encaixou no local correto todas as vezes que brincamos com o
tabuleiro, porém ainda não reconhece o nome de todas as formas geométricas, nomeia apenas
o círculo. Ele tem noção de embaixo e em cima, grande e pequeno, como por exemplo na
atividade de fazer as bolhas de sabão respondia corretamente se era grande ou pequena. Em
relação ao numeral, fala o número em inglês, mas ainda não reconhece a representação
numérica.
As noções de dentro e fora foram exploradas ao sair da sala e retornar, além disso,
foram exploradas na casinha do parquinho onde pedia para irem para dentro e para fora, sendo
os comandos executados pelo Anthony perfeitamente.
No que diz respeito ao calendário, ele acompanha visualmente as marcações no
calendário, mas ainda não compreende para que serve, ao tempo meteorológico, ele
acompanha e responde corretamente, quando está com sol ou chuva, os outros climas ainda
não.

Traços, Sons, Cores e Formas


Neste eixo foi desenvolvido, as Cores primárias, as diferentes texturas, a coordenação
motora grossa (abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.), o hábito do desenho, a
criatividade, os sons, dramatização e as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, etc.).
Como consta na BNCC (2018, p. 41), é através dessas experiências que a criança experimenta
produções artísticas e outras experiências fundamentais para seu desenvolvimento.

Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens,


criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria
(coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações,
canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de
recursos tecnológicos. (BRASIL, BNCC, p. 41)

Desenvolvemos atividades de pintura, utilizando vários materiais (pincel, a mão,


plástico bolha, esponja, etc), apresentando as cores primárias, atividades de colagem de papel,
tecido e outros.
Seguindo essa proposta, o Anthony executa muito bem e gosta muito das atividades
de pintura, seja com pincel, com a mão ou outro tipo de ferramenta, presta atenção nas
explicações e já quer logo começar a atividade, não tem muita paciência para esperar a sua
vez. Reconhece e nomeia as cores primárias (Verde, Amarelo, Vermelho e Azul).
Realiza muito bem as colagens, mas ainda não possui coordenação para fazer bolinhas
de papel, e nem pega o papel picado um a um para colar na atividade, é muito cuidadoso e faz
as atividades com muito capricho. Nas atividades com massinha o Anthony separa em
pedaços menores e gosta de trabalhar com os moldes também.
No que diz respeito aos sons, ele reconhece sons de muitos bichos e os reproduz e em
relação a dramatização geralmente o faz quando está brincando com bonecos e carrinhos,
além disso, dramatiza no parquinho quando está no velotrol, dá tchau para a professoras e diz
que vai passear. Em relação a coordenação motora grossa, está se desenvolvendo
positivamente, encaixa os legos corretamente, consegue abrir fechos e consegue empurrar
objetos com facilidade.

Projeto Arco-íris
Esse projeto foi desenvolvido nesse período com o objetivo de se trabalhar as cores
primárias, uma vez que é essencial propiciar à criança a visualização, exploração, contato e
manuseio de diversos objetos que compõem o universo das cores. Foi um projeto prazeroso
onde exploramos as cores em várias atividades, brincadeiras dentro e fora de sala. Além disso,
foi possível produzir brinquedos e jogos sobre as cores, como a paleta de cores, jogo das
cores, onde as crianças puderam aprender brincando.
O Anthony conseguiu se desenvolver satisfatoriamente em todas atividades
propostas, sendo avaliado de forma gradativa e individual , na qual estaremos dando
continuidade de forma lúdica, prazerosa e pedagógica para os próximos bimestres, para que o
aluno tenha um pleno desenvolvimento.
____________________________________________________
Assinatura Professora

____________________________________________________
Assinatura Coordenadora Pedagógica

____________________________________________________
Assinatura Diretora

Referências
BRASIL. Base Comum Curricular (BNCC) acesso em: 19 de junho de 2019. disponível
em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.
Julho – 2019

Centro Educacional Pequeno Príncipe


Relatório de Desenvolvimento Individual do 1º Semestre
Turma: Maternal I - Joaninha
Professora: Rafaela Gonçalves de Arruda
Josiane de Paula Assis

Aluno: Murilo Oliveira Pereira

Introdução
O relatório de Desenvolvimento Individual é um documento cujo a finalidade é
descrever o desenvolvimento do aluno no decorrer do semestre e que vai acompanhá-lo até o
fim de sua trajetória escolar. É um documento com um parecer descritivo e de extrema
importância, pois nele se registra a evolução no aprendizado do aluno, além do trabalho
realizado pelo profissional.
Neste documento destaca-se as propostas de trabalho feitas pelo professor através do
projeto e planejamento bimestral no qual, o profissional traça metas a serem alcançadas. Vale
ressaltar que nenhuma criança é igual a outra, elas têm tempo e fases de aprendizagem
diferentes e como nos respalda Paulo Freire (1987,p.68), ''Não há saber mais, nem saber
menos, há saberes diferentes''.
A Educação Infantil tem como direcionamento a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular), um documento que norteia o ensino escolar e que é uma referência para que a
escola construa seu currículo visando a formação integral da criança. Assim a BNCC é uma
referência que propõem objetivos de aprendizagem para cada etapa da formação da criança, ,
no que diz respeito a serem cidadãos críticos e conscientes, que sejam capazes de aprender, de
questionar, de resolver problemas, de trabalhar em equipe, de argumentar e defender seus
propósitos e ponto de vista e de ter autonomia para defender seu ponto de vista. Para que isso
aconteça de forma significativa, esse documento se divide em campos de experiência (eixos)
que serão destacados de forma separada ao decorrer do relatório.

No eixo Eu, o outro e nós:


Este é o primeiro eixo e nele se destaca as experiências na construção da identidade do
aluno, o conhecimento sobre si e sobre o outro, o desenvolvimento dos sentimentos, o
respeito, a adaptação no espaço escolar, o comportamento, a partilha e as ordens. Neste
sentido, propus atividades e rodas de conversa sobre os sentimentos, regras, corpo humano, os
cuidados com o corpo (higiene), sobre o reconhecimento do próprio nome e do nome dos
colegas, avaliando-os de forma contínua e através da observação diária das atividades.
O período a adaptação do aluno Murilo no espaço escolar foi um pouco chorosa, mas
se adaptou rápido e de forma tranquila. Se comporta bem no que diz respeito aos profissionais
da escola, responde aos cumprimentos que lhe são direcionados, não tem problemas em seguir
regras, mas às vezes se opõe a comandos como os de voltar para sala após ir para a área
externa (parquinho) e em alguns momentos tende a contrariar o que lhe é dito.
É uma criança muito carinhosa e amigável com todos, gosta de abraçar, tanto as
professoras quanto os colegas. Compartilha os brinquedos, mas se tiver algo do seu interesse
para trocar, caso contrário fica receoso e nega a compartilhar.
Tem boa prática de higiene, no momento da escovação o faz tranquilamente e não se
opõe quando a professora escova para ele. Reconhece o próprio nome, além de reconhecer o
nome de todos os colegas apontando cada um ao ser falado pela professora, mas ainda não
reconhece visualmente as letras do nome.

O próximo Eixo trabalhado é Corpo, Gestos e Movimentos:


O segundo eixo trata do aprendizado da criança através dos movimentos, imitação,
manifestações culturais como a músicas e a dança. Neste sentido, foi proposto atividades com
música, mas que fizesse a criança reconhecer o próprio corpo, como “cabeça, ombro, joelho e
pé” (Xuxa), noções de higiene com a música “chuveiro” (Patati e Patatá) entre outras e
brincadeiras como o “mestre mandou” ou “siga o mestre”, no intuito de fazer ações como
pular, correr, andar e as cantigas de roda. A avaliação foi contínua e foi através da observação
e anotação.
Nesse quesito, o Murilo se mostrou muito interessado, gosta muito de músicas e de
dançar. Na música “cabeça, ombro, joelho e pé” (Xuxa), ele aponta as partes do corpo, mas de
forma mais lenta, mas reconhece as partes do corpo, da mesma forma com a música
“chuveiro” (Patati e Patatá).
Nas brincadeiras propostas, se desenvolve muito bem, faz os movimentos básicos
(andar e correr) com boa coordenação e não se desequilibra, consegue pular tirando os dois
pés do chão. Participa das cantigas de roda, principalmente a “atirei o pau no gato”,
executando bem a brincadeira. O Murilo controla bem seus movimentos, têm uma
consciência corporal muito boa, mas ainda está descobrindo as formas de ocupação do espaço
com o corpo.

Escuta, Fala, Pensamentos e Imaginação


O terceiro eixo é onde se destaca a linguagem oral e escrita, história, processo de
evolução do desenho, o desenvolvimento da fala, expressar os pensamentos, a ampliação do
vocabulário e o contato com as histórias e livros. Como especifica a BNCC (2018, p. 42) o
contato com a escrita é muito importante pois, a criança já desenvolve a compreensão e as
possibilidades da escrita.
Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses
sobre a escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à
medida que vão conhecendo letras, em escritas espontâneas, não
convencionais, mas já indicativas da compreensão da escrita como sistema de
representação da língua. BNCC (2018, p. 42)

Neste sentido, foi proposto atividades de percepção visual, reconto de histórias pelas
crianças, músicas e rodas de conversa, além disso, em momentos de escrita pelas professoras
as crianças observam e tem contato com a escrita.
Tendo por base esse eixo, o Murilo demonstra uma oralidade boa, tem um vocabulário
grande e consegue formar frases, mas troca algumas letras das palavras pela letra C, como por
exemplo, “vaca pelo caca”, mas é fácil de compreender o que ele fala.
Já na evolução do desenho o aluno está na fase da garatuja descontrolada, que é
considerada normal para sua faixa etária, o aluno faz rabiscos aleatórios e segura o lápis com
a mão direita, mas ainda não o segura de forma correta, que será trabalhado esta postura para
os próximos bimestres. Presta muita atenção nas histórias contadas pelas professoras,
responde o que lhe é perguntado durante a história, gosta muito de folhear livrinhos de
história. Durante as atividades ele faz perguntas sobre o que está fazendo e faz corretamente e
se expressa muito bem.
Espaços, Tempo, Quantidade Relações e Transformações.
O quarto eixo se refere às noções de posição (em cima-embaixo, dentro-fora, na frente
atrás), noções de grandeza (grande-pequeno, maior-menor), diferentes-iguais, números (no
caso da nossa turma do 1 ao 5), figuras geométricas.
Nesse sentido propus atividades práticas, lúdicas e manipulativas, assim, criamos
tabuleiros com as formas geométricas (círculo, quadrado e retângulo), trabalhamos as noções
de grande – pequeno, maior-menor com bolhas de sabão, além de rodas de conversa, a
numeração foi trabalhada de forma separada, apresentando cada número separadamente, o uso
de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico.
Durante a atividade do jogo de tabuleiro de formas geométricas (círculo, quadrado e
retângulo), o Murilo encaixou no local correto todas as vezes que brincamos com o tabuleiro,
porém ainda não reconhece os nomes das formas, tem noção de embaixo e em cima, grande e
pequeno.
Na atividade de fazer as bolhas de sabão ele respondia se era grande ou pequena
corretamente. Em relação ao numeral fala o número, mas ainda não reconhece a representação
numérica.
As noções de dentro e fora foram exploradas ao sair da sala e retornar além disso,
foram exploradas na casinha do parquinho onde pedia para irem para dentro e para fora, sendo
os comandos executados pelo Murilo perfeitamente.
No que diz respeito ao calendário, ele acompanha visualmente as marcações no
calendário, mas ainda não compreende para que serve, ao tempo meteorológico, ele
acompanha e responde corretamente, quando está com sol ou chuva, os outros climas não.

Traços, Sons, Cores e Formas


Neste eixo foi desenvolvido as Cores primárias, as diferentes texturas, a coordenação
motora grossa (abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.), o hábito do desenho, a
criatividade, os sons, dramatização e as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, etc.).
Como consta na BNCC (2018, p. 41), é através dessas experiências que a criança experimenta
produções artísticas e outras experiências fundamentais para seu desenvolvimento.

Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens,


criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria
(coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações,
canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de
recursos tecnológicos. (BRASIL, BNCC, p. 41)
Desenvolvemos atividades de pintura, utilizando vários materiais (pincel, a mão,
plástico bolha, esponja, etc), apresentando as cores primárias, atividades de colagem de papel,
tecido e outros.
Seguindo essa proposta, o Murilo desenvolve muito bem e gosta das atividades de
pintura, seja com pincel, com a mão ou outro tipo de ferramenta, presta atenção nas
explicações e se concentra na atividade e reconhece e nomeia as cores primárias (Verde,
Amarelo, Vermelho e Azul).
Faz bem as colagens, mas ainda não possui coordenação para fazer bolinhas de papel
ou pegar papel um a um para colar, sendo necessário a intervenção. É cuidadoso com a
atividade e participativo. Nas atividades com massinha o Murilo gosta de trabalhar com os
moldes e quando não os tem ele faz uma forma aleatória e diz que é tal bicho ou coisa usando
a imaginação.
No que diz respeito aos sons, reconhece sons de muitos bichos, mas gosta
particularmente do cavalo, imitando-o na sala de aula. Ao ir para o parquinho ele dramatiza
geralmente no velotrol, dando tchau dizendo que vai passear, mandando beijo, em outros
momentos isso não é feito. Em relação a coordenação motora grossa, está se desenvolvendo
positivamente, encaixa os legos corretamente, consegue abrir fechos e o tênis, consegue
empurrar objetos com facilidade.

Projeto Arco-íris
Esse projeto foi desenvolvido nesse período com o objetivo de se trabalhar as cores
primárias, uma vez que é essencial propiciar à criança a visualização, exploração, contato e
manuseio de diversos objetos que compõem o universo das cores. Foi um projeto prazeroso
onde exploramos as cores em várias atividades, brincadeiras dentro e fora de sala. Além disso,
foi possível produzir brinquedos e jogos sobre as cores, como a paleta de cores, jogo das
cores, onde as crianças puderam aprender brincando.
O Murilo conseguiu se desenvolver satisfatoriamente em todas atividades
propostas, sendo avaliado de forma gradativa e individual , na qual estaremos dando
continuidade de forma lúdica, prazerosa e pedagógica para os próximos bimestres, para que o
aluno tenha um pleno desenvolvimento.
____________________________________________________
Assinatura Professora

____________________________________________________
Assinatura Coordenadora Pedagógica

____________________________________________________
Assinatura Diretora

Referências
BRASIL. Base Comum Curricular (BNCC) acesso em: 19 de junho de 2019. disponível
em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.
Julho – 2019

Centro Educacional Pequeno Príncipe


Relatório de Desenvolvimento Individual do 1º Semestre
Turma: Maternal I - Joaninha
Professora: Rafaela Gonçalves de Arruda
Josiane de Paula Assis

Aluno: Elisa Alves Bitencourt


Introdução
O relatório de Desenvolvimento Individual é um documento cujo a finalidade é
descrever o desenvolvimento do aluno no decorrer do semestre e que vai acompanhá-lo até o
fim de sua trajetória escolar. É um documento com um parecer descritivo e de extrema
importância, pois nele se registra a evolução no aprendizado do aluno, além do trabalho
realizado pelo profissional.
Neste documento destaca-se as propostas de trabalho feitas pelo professor através do
projeto e planejamento bimestral no qual, o profissional traça metas a serem alcançadas. Vale
ressaltar que nenhuma criança é igual a outra, elas têm tempo e fases de aprendizagem
diferentes e como nos respalda Paulo Freire (1987,p.68), ''Não há saber mais, nem saber
menos, há saberes diferentes''.
A Educação Infantil tem como direcionamento a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular), um documento que norteia o ensino escolar e que é uma referência para que a
escola construa seu currículo visando a formação integral da criança. Assim a BNCC é uma
referência que propõem objetivos de aprendizagem para cada etapa da formação da criança, ,
no que diz respeito a serem cidadãos críticos e conscientes, que sejam capazes de aprender, de
questionar, de resolver problemas, de trabalhar em equipe, de argumentar e defender seus
propósitos e ponto de vista e de ter autonomia para defender seu ponto de vista. Para que isso
aconteça de forma significativa, esse documento se divide em campos de experiência (eixos)
que serão destacados de forma separada ao decorrer do relatório.

No eixo Eu, o outro e nós:


Este é o primeiro eixo e nele se destaca as experiências na construção da identidade do
aluno, o conhecimento sobre si e sobre o outro, o desenvolvimento dos sentimentos, o
respeito, a adaptação no espaço escolar, o comportamento, a partilha e as ordens. Neste
sentido, propus atividades e rodas de conversa sobre os sentimentos, regras, corpo humano, os
cuidados com o corpo (higiene), sobre o reconhecimento do próprio nome e do nome dos
colegas, avaliando-os de forma contínua e através da observação diária das atividades.
A adaptação da aluna Elisa no espaço escolar foi um pouco chorosa, mas ela se
adaptou rápido e de forma tranquila. Se comporta bem no que diz respeito aos profissionais da
escola, responde aos cumprimentos que lhe são direcionados, não tem problemas em seguir
regras, mas em alguns momentos tende a contrariar o que lhe é dito, e gosta das coisas a sua
maneira.
A Elisa é muito carinhosa e amigável com todos, porém, quando é contrariada ela
acaba puxando o cabelo ou batendo nos colegas. Não gostava de compartilhar os brinquedos,
mas com o decorrer do tempo e com a ajuda da mãe, conversas e brincadeiras de dividir o
brinquedo, hoje ela compartilha os brinquedos e pede brinquedo emprestado também sem
nenhuma intercorrência.
Tem boa prática de higiene, no momento da escovação o faz tranquilamente, de forma
correta e não se opõe quando a professora escova para ela. Teve um desfralde tranquilo e hoje
faz as necessidades básicas no vaso sanitário e sabe pedir para usá-lo.
Reconhece o próprio nome, além de reconhecer o nome de todos os colegas
apontando cada um ao ser falado pela professora, mas ainda não reconhece visualmente as
letras do nome.

O próximo Eixo trabalhado é Corpo, Gestos e Movimentos:


O segundo eixo trata do aprendizado da criança através dos movimentos, imitação,
manifestações culturais como a músicas e a dança. Neste sentido, foi proposto atividades com
música, mas que fizesse a criança reconhecer o próprio corpo, como “cabeça, ombro, joelho e
pé” (Xuxa), noções de higiene com a música “chuveiro” (Patati e Patatá) entre outras e
brincadeiras como o “mestre mandou” ou “siga o mestre”, no intuito de fazer ações como
pular, correr, andar e as cantigas de roda. A avaliação foi contínua e foi feita através da
observação e anotação.
Nesse quesito, a Elisa mostrou que gosta muito de músicas e de dançar, na música
“cabeça, ombro, joelho e pé” (Xuxa), ela aponta as partes do corpo como fala na música,
demonstrando que reconhece as partes do corpo, da mesma forma com a música “chuveiro”
(Patati e Patatá).
Nas brincadeiras propostas, se desenvolve muito bem, faz os movimentos básicos
(andar e correr) com boa coordenação e não se desequilibra, consegue pular tirando os dois
pés do chão. Participa das cantigas de roda, demonstra preferencias por “atirei o pau no gato”
e “a canoa virou”, no momento da brincadeira ela gosta de ficar no centro da roda ou dar a
mão para a professora e executa bem a brincadeira. A Elisa controla muito bem seus
movimentos e têm uma consciência corporal muito boa.

Escuta, Fala, Pensamentos e Imaginação:


O terceiro eixo é onde se destaca a linguagem oral e escrita, história, processo de
evolução do desenho, o desenvolvimento da fala, expressar os pensamentos, a ampliação do
vocabulário e o contato com as histórias e livros. Como especifica a BNCC (2018, p. 42) o
contato com a escrita é muito importante pois, a criança já desenvolve a compreensão e as
possibilidades da escrita.
Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a
escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão
conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da
compreensão da escrita como sistema de representação da língua. BNCC (2018, p. 42)

Neste sentido, foi proposto atividades de percepção visual, reconto de histórias pelas
crianças, músicas e rodas de conversa, além disso, em momentos de escrita pelas professoras
as crianças observam e tem contato com a escrita.
Tendo por base esse eixo, a Elisa demonstra uma oralidade excelente, fala
corretamente e com clareza, tem um vocabulário extenso e forma frases perfeitamente.
Na evolução do desenho a aluna está na fase da garatuja descontrolada, que é
considerada normal para sua faixa etária, ela faz rabiscos aleatórios e segura o lápis com a
mão direita, segurando-o de forma correta. No que diz respeito a colorir desenho nas
atividades a Elisa é cuidadosa e tenta colorir sem ultrapassar as linhas do desenho, o que é
muito impressionante.
Presta muita atenção nas histórias contadas pelas professoras, responde o que lhe é
perguntado durante a história, gosta muito de folhear livrinhos de história e de recontá-las,
demonstrando preferência pela história infantil “Os três porquinhos”. Durante as atividades,
faz perguntas sobre o que está fazendo, faz corretamente e se expressa muito bem.

Espaços, Tempo, Quantidade Relações e Transformações.


O quarto eixo se refere às noções de posição (em cima-embaixo, dentro-fora, na frente
atrás), noções de grandeza (grande-pequeno, maior-menor), diferentes-iguais, números (no
caso da nossa turma do 1 ao 5), figuras geométricas.
Nesse sentido propus atividades práticas, lúdicas e manipulativas, assim, criamos
tabuleiros com as formas geométricas (círculo, quadrado e retângulo), trabalhamos as noções
de grande – pequeno, maior-menor com bolhas de sabão, além de rodas de conversa, a
numeração foi trabalhada de forma separada, apresentando cada número separadamente, o uso
de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico.
Durante a atividade do jogo de tabuleiro de formas geométricas (círculo, quadrado e
retângulo), a Elisa encaixou no local correto todas as vezes que brincamos com o tabuleiro,
porém ainda não reconhece o nome de todas as formas geométricas, nomeando apenas o
círculo, ela tem noção de embaixo e em cima, grande e pequeno.
Na atividade de fazer as bolhas de sabão respondia corretamente se era grande ou
pequena. Em relação ao numeral, ela fala o número, mas ainda não reconhece a representação
numérica.
As noções de dentro e fora foram exploradas ao sair da sala e retornar, além disso,
foram exploradas na casinha do parquinho onde pedia para irem para dentro e para fora, sendo
os comandos executados pela Elisa perfeitamente.
No que diz respeito ao calendário, a aluna acompanha visualmente as marcações no
calendário, mas ainda não compreende para que serve, ao tempo meteorológico, acompanha e
responde corretamente, quando está com sol ou chuva, os outros climas ainda não.

Traços, Sons, Cores e Formas


Neste eixo foi desenvolvido, as Cores primárias, as diferentes texturas, a coordenação
motora grossa (abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.), o hábito do desenho, a
criatividade, os sons, dramatização e as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, etc.).
Como consta na BNCC (2018, p. 41), é através dessas experiências que a criança experimenta
produções artísticas e outras experiências fundamentais para seu desenvolvimento.

Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens,


criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria
(coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações,
canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de
recursos tecnológicos. (BRASIL, BNCC, p. 41)

Desenvolvemos atividades de pintura, utilizando vários materiais (pincel, a mão,


plástico bolha, esponja, etc), apresentando as cores primárias, atividades de colagem de papel,
tecido e outros.
Seguindo essa proposta, a Elisa desenvolve muito bem e gosta muito das atividades de
pintura, seja com pincel, com a mão ou outro tipo de ferramenta, presta atenção nas
explicações e se concentra na atividade e reconhece e nomeia as cores primárias (Verde,
Amarelo, Vermelho e Azul) e outras.
Faz bem as colagens, mas ainda não possui coordenação para fazer bolinhas de papel,
mas pega uma a uma para colar na atividade e não é necessário a intervenção das professoras,
pois é uma aluna muito cuidadosa com a atividade. Nas atividades com massinha a Elisa
gosta de trabalhar com os moldes e fazer também rolinhos e bolinhas com a massinha.
No que diz respeito aos sons, a aluna reconhece e reproduz sons de muitos bichos e o
ir para o parquinho ela dramatiza geralmente com bonecas e na casinha quando tenta
reproduzir a historinha Os três porquinhos. Em relação a coordenação motora grossa, está se
desenvolvendo positivamente, encaixa os legos corretamente, consegue abrir fechos e calçar o
tênis, consegue empurrar objetos com facilidade.

Projeto Arco-íris
Esse projeto foi desenvolvido nesse período com o objetivo de se trabalhar as cores
primárias, uma vez que é essencial propiciar à criança a visualização, exploração, contato e
manuseio de diversos objetos que compõem o universo das cores. Foi um projeto prazeroso
onde exploramos as cores em várias atividades, brincadeiras dentro e fora de sala. Além disso,
foi possível produzir brinquedos e jogos sobre as cores, como a paleta de cores, jogo das
cores, onde as crianças puderam aprender brincando.
A Elisa conseguiu se desenvolver satisfatoriamente em todas atividades
propostas, sendo avaliado de forma gradativa e individual , na qual estaremos dando
continuidade de forma lúdica, prazerosa e pedagógica para os próximos bimestres, para que o
aluno tenha um pleno desenvolvimento.

____________________________________________________
Assinatura Professora

____________________________________________________
Assinatura Coordenadora Pedagógica

____________________________________________________
Assinatura Diretora

Referências
BRASIL. Base Comum Curricular (BNCC) acesso em: 19 de junho de 2019. disponível
em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.
Julho – 2019

Centro Educacional Pequeno Príncipe


Relatório de Desenvolvimento Individual do 1º Semestre
Turma: Maternal I - Joaninha
Professora: Rafaela Gonçalves de Arruda
Josiane de Paula Assis

Aluno: Lívia de Sousa Oliveira

Introdução
O relatório de Desenvolvimento Individual é um documento cujo a finalidade é
descrever o desenvolvimento do aluno no decorrer do semestre e que vai acompanhá-lo até o
fim de sua trajetória escolar. É um documento com um parecer descritivo e de extrema
importância, pois nele se registra a evolução no aprendizado do aluno, além do trabalho
realizado pelo profissional.
Neste documento destaca-se as propostas de trabalho feitas pelo professor através do
projeto e planejamento bimestral no qual, o profissional traça metas a serem alcançadas. Vale
ressaltar que nenhuma criança é igual a outra, elas têm tempo e fases de aprendizagem
diferentes e como nos respalda Paulo Freire (1987,p.68), ''Não há saber mais, nem saber
menos, há saberes diferentes''.
A Educação Infantil tem como direcionamento a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular), um documento que norteia o ensino escolar e que é uma referência para que a
escola construa seu currículo visando a formação integral da criança. Assim a BNCC é uma
referência que propõem objetivos de aprendizagem para cada etapa da formação da criança, ,
no que diz respeito a serem cidadãos críticos e conscientes, que sejam capazes de aprender, de
questionar, de resolver problemas, de trabalhar em equipe, de argumentar e defender seus
propósitos e ponto de vista e de ter autonomia para defender seu ponto de vista. Para que isso
aconteça de forma significativa, esse documento se divide em campos de experiência (eixos)
que serão destacados de forma separada ao decorrer do relatório.

No eixo Eu, o outro e nós:


Este é o primeiro eixo e nele se destaca as experiências na construção da identidade do
aluno, o conhecimento sobre si e sobre o outro, o desenvolvimento dos sentimentos, o
respeito, a adaptação no espaço escolar, o comportamento, a partilha e as ordens. Neste
sentido, propus atividades e rodas de conversa sobre os sentimentos, regras, corpo humano, os
cuidados com o corpo (higiene), sobre o reconhecimento do próprio nome e do nome dos
colegas, avaliando-os de forma contínua e através da observação diária das atividades.
O período de adaptação da aluna Lívia no espaço escolar foi um pouco chorosa, mas
se adaptou rápido e se acostumou com a presença da mãe no seu cotidiano escolar. Se
comporta bem e segue regras sem problemas, mas costuma contrariar o que lhe é dito e se
opõe a comandos. Gosta de liderar os colegas, dizendo o que é para fazer, tira a blusa de frio
ou tênis dos amigos mesmo sem ser solicitada.
É muito carinhosa e amigável com todos, gosta de abraçar, tanto as professoras quanto
os colegas, mas se é contrariada ela acaba batendo nos colegas. Não gosta muito de
compartilhar os brinquedos, mas o faz quando é solicitado pela professora ou quando tem
algum brinquedo do seu interesse. Ela tem o hábito de tomar o brinquedo que está com o
colega, neste momento as professoras realizam uma intervenção com base no diálogo para
que o aluno compreenda que não se tomar o brinquedo, mas sim pedir emprestado o objeto
desejado.
A Lívia tem boa prática de higiene, no momento da escovação o faz tranquilamente e
não se opõe quando a professora escova para ela. A aluna entrou na escola já com o início do
desfralde, tendo um pouco de dificuldades, mas ao decorrer dos dias se adaptou e vai ao
banheiro tranquilamente. Reconhece o próprio nome, além de reconhecer o nome de todos os
colegas apontando cada um ao ser falado pela professora, mas ainda não reconhece
visualmente as letras do nome.
O próximo Eixo trabalhado é Corpo, Gestos e Movimentos:
O segundo eixo trata do aprendizado da criança através dos movimentos, imitação,
manifestações culturais como a músicas e a dança. Neste sentido, foi proposto atividades com
música, mas que fizesse a criança reconhecer o próprio corpo, como “cabeça, ombro, joelho e
pé” (Xuxa), noções de higiene com a música “chuveiro” (Patati e Patatá) entre outras e
brincadeiras como o “mestre mandou” ou “siga o mestre”, no intuito de fazer ações como
pular, correr, andar e as cantigas de roda. A avaliação foi contínua e foi através da observação
e anotação.
Nesse quesito, a Lívia se mostrou muito interessada, gosta muito de músicas e de
dançar, na música “cabeça, ombro, joelho e pé” (Xuxa), aponta as partes do corpo e da mesma
forma faz na música “chuveiro” (Patati e Patatá) demonstrando reconhecer as partes do corpo.
É uma criança que gosta muito de todas as músicas e de dançá-las.
Nas brincadeiras propostas, a Lívia se desenvolve muito bem, faz os movimentos
básicos (andar e correr) com boa coordenação e não se desequilibra, consegue pular tirando os
dois pés do chão. Participa das cantigas de roda, principalmente a “atirei o pau no gato”,
executando bem a brincadeira. Ela controla bem seus movimentos, têm uma consciência
corporal muito boa, mas ainda está descobrindo as formas de ocupação do espaço com o
corpo.

Escuta, Fala, Pensamentos e Imaginação


O terceiro eixo é onde se destaca a linguagem oral e escrita, história, processo de
evolução do desenho, o desenvolvimento da fala, expressar os pensamentos, a ampliação do
vocabulário e o contato com as histórias e livros. Como especifica a BNCC (2018, p. 42) o
contato com a escrita é muito importante pois, a criança já desenvolve a compreensão e as
possibilidades da escrita.
Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a
escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão
conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da
compreensão da escrita como sistema de representação da língua. BNCC (2018, p. 42)

Neste sentido, foi proposto atividades de percepção visual, reconto de histórias pelas
crianças, músicas e rodas de conversa, além disso, em momentos de escrita pelas professoras
as crianças observam e tem contato com a escrita.
Tendo por base esse eixo, a Lívia demonstra uma oralidade muito boa, tem um
vocabulário grande e consegue formar frases corretamente, sendo muito fácil compreender o
que ela fala. Tem momentos em que gagueja ao falar, geralmente em momentos que está mais
nervosa ou que queira contar algo para a professora.
Na evolução do desenho, a aluna está na fase da garatuja descontrolada, que é
considerada normal para sua faixa etária, faz rabiscos aleatórios e segura o lápis com a mão
direita, mas ainda não o segura de forma correta, que será trabalhado esta postura para os
próximos bimestres. Presta muita atenção nas histórias contadas pelas professoras, responde o
que lhe é perguntado durante a história, gosta muito de folhear livrinhos de história e de
reconta-las. Durante as atividades faz perguntas sobre o que está fazendo, faz corretamente e
se expressa muito bem.

Espaços, Tempo, Quantidade Relações e Transformações.


O quarto eixo se refere às noções de posição (em cima-embaixo, dentro-fora, na frente
atrás), noções de grandeza (grande-pequeno, maior-menor), diferentes-iguais, números (no
caso da nossa turma do 1 ao 5), figuras geométricas.
Nesse sentido propus atividades práticas, lúdicas e manipulativas, assim, criamos
tabuleiros com as formas geométricas (círculo, quadrado e retângulo), trabalhamos as noções
de grande – pequeno, maior-menor com bolhas de sabão, além de rodas de conversa, a
numeração foi trabalhada de forma separada, apresentando cada número separadamente, o uso
de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico.
Durante a atividade do jogo de tabuleiro de formas geométricas (círculo, quadrado e
retângulo), a Lívia encaixou no local correto todas as vezes que brincamos com o tabuleiro,
porém ainda não reconhece os nomes das formas. Tem noção de embaixo e em cima, grande e
pequeno. Na atividade de fazer as bolhas de sabão respondia se era grande ou pequena
corretamente. Em relação ao numeral fala o número, mas ainda não reconhece a representação
numérica.
As noções de dentro e fora foram exploradas ao sair da sala e retornar além disso,
foram exploradas na casinha do parquinho onde pedia para irem para dentro e para fora, sendo
os comandos executados pela Lívia perfeitamente.
No que diz respeito ao calendário, a aluna acompanha visualmente as marcações no
calendário, mas ainda não compreende para que serve, ao tempo meteorológico, ela
acompanha e responde corretamente, quando está com sol ou chuva, os outros climas não.

Traços, Sons, Cores e Formas


Neste eixo foi desenvolvido as Cores primárias, as diferentes texturas, a coordenação
motora grossa (abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.), o hábito do desenho, a
criatividade, os sons, dramatização e as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, etc.).
Como consta na BNCC (2018, p. 41), é através dessas experiências que a criança experimenta
produções artísticas e outras experiências fundamentais para seu desenvolvimento.

Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens,


criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria
(coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações,
canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de
recursos tecnológicos. (BRASIL, BNCC, p. 41)

Desenvolvemos atividades de pintura, utilizando vários materiais (pincel, a mão,


plástico bolha, esponja, etc), apresentando as cores primárias, atividades de colagem de papel,
tecido e outros.
Seguindo essa proposta, a Lívia desenvolve muito bem e gosta das atividades de
pintura, seja com pincel, com a mão ou outro tipo de ferramenta, presta atenção nas
explicações e se concentra na atividade e reconhece e nomeia algumas cores primárias (azul e
amarelo).
Faz bem as colagens, mas ainda não possui coordenação para fazer bolinhas de papel
ou pegar papel um a um para colar, sendo necessário a intervenção. No momento da
atividade acaba amassando ou rasgando a folha, mas é muito participativa. Nas atividades
com massinha a Lívia gosta de trabalhar com os moldes e quando não os tem, faz uma forma
aleatória e diz que é telefone e conversa com a mamãe usando a imaginação.
No que diz respeito aos sons, reconhece sons de muitos bichos, e os imita na sala de
aula. Ao ir para o parquinho ele dramatiza geralmente no velotrol, dando tchau dizendo que
vai passear, mandando beijo e nas brincadeiras com bonecas. Em relação a coordenação
motora grossa, está se desenvolvendo positivamente, encaixa os legos corretamente, consegue
abrir fechos e o tênis, consegue empurrar objetos com facilidade.

Projeto Arco-íris
Esse projeto foi desenvolvido nesse período com o objetivo de se trabalhar as cores
primárias, uma vez que é essencial propiciar à criança a visualização, exploração, contato e
manuseio de diversos objetos que compõem o universo das cores. Foi um projeto prazeroso
onde exploramos as cores em várias atividades, brincadeiras dentro e fora de sala. Além disso,
foi possível produzir brinquedos e jogos sobre as cores, como a paleta de cores, jogo das
cores, onde as crianças puderam aprender brincando.
A Lívia conseguiu se desenvolver satisfatoriamente em todas atividades
propostas, sendo avaliado de forma gradativa e individual , na qual estaremos dando
continuidade de forma lúdica, prazerosa e pedagógica para os próximos bimestres, para que o
aluno tenha um pleno desenvolvimento.

____________________________________________________
Assinatura Professora

____________________________________________________
Assinatura Coordenadora Pedagógica

____________________________________________________
Assinatura Diretora

Referências
BRASIL. Base Comum Curricular (BNCC) acesso em: 19 de junho de 2019. disponível
em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.
Julho – 2019

Centro Educacional Pequeno Príncipe


Relatório de Desenvolvimento Individual do 1º Semestre
Turma: Maternal I - Joaninha
Professora: Rafaela Gonçalves de Arruda
Josiane de Paula Assis

Aluno: Sofia de Freitas Araújo

Introdução
O relatório de Desenvolvimento Individual é um documento cujo a finalidade é
descrever o desenvolvimento do aluno no decorrer do semestre e que vai acompanhá-lo até o
fim de sua trajetória escolar. É um documento com um parecer descritivo e de extrema
importância, pois nele se registra a evolução no aprendizado do aluno, além do trabalho
realizado pelo profissional.
Neste documento destaca-se as propostas de trabalho feitas pelo professor através do
projeto e planejamento bimestral no qual, o profissional traça metas a serem alcançadas. Vale
ressaltar que nenhuma criança é igual a outra, elas têm tempo e fases de aprendizagem
diferentes e como nos respalda Paulo Freire (1987,p.68), ''Não há saber mais, nem saber
menos, há saberes diferentes''.
A Educação Infantil tem como direcionamento a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular), um documento que norteia o ensino escolar e que é uma referência para que a
escola construa seu currículo visando a formação integral da criança. Assim a BNCC é uma
referência que propõem objetivos de aprendizagem para cada etapa da formação da criança, ,
no que diz respeito a serem cidadãos críticos e conscientes, que sejam capazes de aprender, de
questionar, de resolver problemas, de trabalhar em equipe, de argumentar e defender seus
propósitos e ponto de vista e de ter autonomia para defender seu ponto de vista. Para que isso
aconteça de forma significativa, esse documento se divide em campos de experiência (eixos)
que serão destacados de forma separada ao decorrer do relatório.

No eixo Eu, o outro e nós:


Este é o primeiro eixo e nele se destaca as experiências na construção da identidade do
aluno, o conhecimento sobre si e sobre o outro, o desenvolvimento dos sentimentos, o
respeito, a adaptação no espaço escolar, o comportamento, a partilha e as ordens. Neste
sentido, propus atividades e rodas de conversa sobre os sentimentos, regras, corpo humano, os
cuidados com o corpo (higiene), sobre o reconhecimento do próprio nome e do nome dos
colegas, avaliando-os de forma contínua e através da observação diária das atividades.
Não acompanhei o processo de adaptação da aluna Sofia no espaço escolar, pois
iniciei o trabalho com a turma o ano letivo já havia começado. Mas fui muito bem recebida
pela Sofia, no início o contato comigo foi bem tímido, mas foi se desenvolvendo bem ao
decorrer dos dias. É uma criança muito calma, tranquila e se comporta bem, não tem
problemas em seguir regras, mas as vezes não corresponde ao que lhe é dito, muitas vezes por
estar distraída com algo.
A Sofia é muito carinhosa e amigável com todos, gosta de brincar com as outras
crianças. Não gosta muito de compartilhar os brinquedos, mas o faz quando é solicitado pela
professora e principalmente quando tem outro do seu interesse.
Tem boa prática de higiene, no momento da escovação o faz tranquilamente e não se
opõe quando a professora escova para ela. Ainda faz uso da chupeta, mas ela mesma entrega
para a professora e solicita de volta apenas na hora do sono e após dormir, ela pede para
guardar espontaneamente.
Reconhece o próprio nome, além de reconhecer o nome de todos os colegas apontando
cada um ao ser falado pela professora, mas ainda não reconhece visualmente as letras do
nome.

O próximo Eixo trabalhado é Corpo, Gestos e Movimentos:


O segundo eixo trata do aprendizado da criança através dos movimentos, imitação,
manifestações culturais como a músicas e a dança. Neste sentido, foi proposto atividades com
música, mas que fizesse a criança reconhecer o próprio corpo, como “cabeça, ombro, joelho e
pé” (Xuxa), noções de higiene com a música “chuveiro” (Patati e Patatá) entre outras e
brincadeiras como o “mestre mandou” ou “siga o mestre”, no intuito de fazer ações como
pular, correr, andar e as cantigas de roda. A avaliação foi contínua e foi feita através da
observação e anotação.
Nesse quesito, a Sofia demonstrou que gosta de músicas, mas dança de forma tímida.
Na música “cabeça, ombro, joelho e pé” (Xuxa), a aluna demonstra e reconhece as partes do
corpo como fala na música, da mesma forma com a música “chuveiro” (Patati e Patatá).
Nas brincadeiras propostas a Sofia se desenvolve muito bem, faz os movimentos
básicos (andar e correr) com boa coordenação e não se desequilibra, pula tirando os dois pés
do chão de forma desajeitada ainda. Controla bem os movimentos, tem uma boa consciência
corporal e imita os gestos e movimentos no momento da brincadeira. Participa das cantigas de
roda, demonstra preferência por “atirei o pau no gato” e no momento da brincadeira não se
opõe em dar as mãos para os colegas e brinca de forma tranquila.

Escuta, Fala, Pensamentos e Imaginação:


O terceiro eixo é onde se destaca a linguagem oral e escrita, história, processo de
evolução do desenho, o desenvolvimento da fala, expressar os pensamentos, a ampliação do
vocabulário e o contato com as histórias e livros. Como especifica a BNCC (2018, p. 42) o
contato com a escrita é muito importante pois, a criança já desenvolve a compreensão e as
possibilidades da escrita.
Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a
escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão
conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da
compreensão da escrita como sistema de representação da língua. BNCC (2018, p. 42)

Neste sentido, foi proposto atividades de percepção visual, reconto de histórias pelas
crianças, músicas e rodas de conversa, além disso, em momentos de escrita pelas professoras
as crianças observam e tem contato com a escrita.
Tendo por base esse eixo, a Sofia demonstra uma oralidade razoável, fala bem, mas
ainda não tem um vocabulário extenso. Forma frases corretamente e de fácil
entendimento. Na evolução do desenho a aluna está na fase da garatuja descontrolada, que é
considerada normal para sua faixa etária, ela faz rabiscos aleatórios e segura o lápis com a
mão direita, mas não segura de forma correta. É cuidadosa com as atividades e gosta muito de
fazê-las e faz com capricho.
A Sofia presta atenção nas primeiras histórias contadas pelas professoras, responde o
que lhe é perguntado durante a história, mas se contar mais de uma história ela se levanta e
busca fazer outra coisa. Durante as atividades, faz perguntas sobre o que está fazendo, faz
corretamente e se expressa muito bem.

Espaços, Tempo, Quantidade Relações e Transformações.


O quarto eixo se refere às noções de posição (em cima-embaixo, dentro-fora, na frente
atrás), noções de grandeza (grande-pequeno, maior-menor), diferentes-iguais, números (no
caso da nossa turma do 1 ao 5), figuras geométricas.
Nesse sentido propus atividades práticas, lúdicas e manipulativas, assim, criamos
tabuleiros com as formas geométricas (círculo, quadrado e retângulo), trabalhamos as noções
de grande – pequeno, maior-menor com bolhas de sabão, além de rodas de conversa, a
numeração foi trabalhada de forma separada, apresentando cada número separadamente, o uso
de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico.
Durante a atividade do jogo de tabuleiro de formas geométricas (círculo, quadrado e
retângulo), a Sofia encaixou no local correto todas as vezes que brincamos com o tabuleiro,
porém ainda não reconhece o nome de todas as formas geométricas. Tem noção de embaixo e
em cima, grande e pequeno, como por exemplo na atividade de fazer as bolhas de sabão, a
aluna respondia corretamente se era grande ou pequena. Em relação ao numeral, a Sofia fala o
número, mas ainda não reconhece a representação numérica.
As noções de dentro e fora foram exploradas ao sair da sala e retornar, além disso,
foram exploradas na casinha do parquinho onde pedia para irem para dentro e para fora, sendo
os comandos executados pela Sofia perfeitamente.
No que diz respeito ao calendário, a aluna acompanha visualmente as marcações no
calendário, mas ainda não compreende para que serve, ao tempo meteorológico, acompanha e
responde corretamente, quando está com sol ou chuva, os outros climas ainda não.
Traços, Sons, Cores e Formas
Neste eixo foi desenvolvido, as Cores primárias, as diferentes texturas, a coordenação
motora grossa (abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.), o hábito do desenho, a
criatividade, os sons, dramatização e as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, etc.).
Como consta na BNCC (2018, p. 41), é através dessas experiências que a criança experimenta
produções artísticas e outras experiências fundamentais para seu desenvolvimento.

Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens,


criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria
(coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações,
canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de
recursos tecnológicos. (BRASIL, BNCC, p. 41)

Desenvolvemos atividades de pintura, utilizando vários materiais (pincel, a mão,


plástico bolha, esponja, etc), apresentando as cores primárias, atividades de colagem de papel,
tecido e outros.
Seguindo essa proposta, a Sofia executa muito bem e gosta muito das atividades de
pintura, seja com pincel, com a mão ou outro tipo de ferramenta, presta atenção nas
explicações, mas muitas vezes se distrai durante a atividade. Reconhece e nomeia as cores
primárias (Verde, Amarelo, vermelho e azul)
Faz bem as colagens, mas ainda não possui coordenação para fazer bolinhas de papel,
e nem pega o papel picado um a um para colar na atividade, ela é muito cuidadosa e faz as
atividades com muito capricho. Nas atividades com massinha a Sofia separa em pedaços
menores e gosta de trabalhar com os moldes também.
No que diz respeito aos sons, ela reconhece sons de muitos bichos e em relação a
dramatização a Sofia geralmente o faz quando está brincando com bonecas. Em relação a
coordenação motora grossa, está se desenvolvendo positivamente, encaixa os legos
corretamente, consegue abrir fechos e calçar o os sapatos (mas ainda o faz de forma contrária)
e consegue empurrar objetos com facilidade.

Projeto Arco-íris
Esse projeto foi desenvolvido nesse período com o objetivo de se trabalhar as cores
primárias, uma vez que é essencial propiciar à criança a visualização, exploração, contato e
manuseio de diversos objetos que compõem o universo das cores. Foi um projeto prazeroso
onde exploramos as cores em várias atividades, brincadeiras dentro e fora de sala. Além disso,
foi possível produzir brinquedos e jogos sobre as cores, como a paleta de cores, jogo das
cores, onde as crianças puderam aprender brincando.
A Sofia conseguiu se desenvolver satisfatoriamente em todas atividades
propostas, sendo avaliado de forma gradativa e individual , na qual estaremos dando
continuidade de forma lúdica, prazerosa e pedagógica para os próximos bimestres, para que o
aluno tenha um pleno desenvolvimento.

____________________________________________________
Assinatura Professora

____________________________________________________
Assinatura Coordenadora Pedagógica

____________________________________________________
Assinatura Diretora

Referências
BRASIL. Base Comum Curricular (BNCC) acesso em: 19 de junho de 2019. disponível
em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.
Julho – 2019

Centro Educacional Pequeno Príncipe


Relatório de Desenvolvimento Individual do 1º Semestre
Turma: Maternal I - Joaninha
Professora: Rafaela Gonçalves de Arruda
Josiane de Paula Assis

Aluno: Helena Dias Martins

Introdução
O relatório de Desenvolvimento Individual é um documento cujo a finalidade é
descrever o desenvolvimento do aluno no decorrer do semestre e que vai acompanhá-lo até o
fim de sua trajetória escolar. É um documento com um parecer descritivo e de extrema
importância, pois nele se registra a evolução no aprendizado do aluno, além do trabalho
realizado pelo profissional.
Neste documento destaca-se as propostas de trabalho feitas pelo professor através do
projeto e planejamento bimestral no qual, o profissional traça metas a serem alcançadas. Vale
ressaltar que nenhuma criança é igual a outra, elas têm tempo e fases de aprendizagem
diferentes e como nos respalda Paulo Freire (1987,p.68), ''Não há saber mais, nem saber
menos, há saberes diferentes''.
A Educação Infantil tem como direcionamento a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular), um documento que norteia o ensino escolar e que é uma referência para que a
escola construa seu currículo visando a formação integral da criança. Assim a BNCC é uma
referência que propõem objetivos de aprendizagem para cada etapa da formação da criança, ,
no que diz respeito a serem cidadãos críticos e conscientes, que sejam capazes de aprender, de
questionar, de resolver problemas, de trabalhar em equipe, de argumentar e defender seus
propósitos e ponto de vista e de ter autonomia para defender seu ponto de vista. Para que isso
aconteça de forma significativa, esse documento se divide em campos de experiência (eixos)
que serão destacados de forma separada ao decorrer do relatório.

No eixo Eu, o outro e nós:


Este é o primeiro eixo e nele se destaca as experiências na construção da identidade do
aluno, o conhecimento sobre si e sobre o outro, o desenvolvimento dos sentimentos, o
respeito, a adaptação no espaço escolar, o comportamento, a partilha e as ordens. Neste
sentido, propus atividades e rodas de conversa sobre os sentimentos, regras, corpo humano, os
cuidados com o corpo (higiene), sobre o reconhecimento do próprio nome e do nome dos
colegas, avaliando-os de forma contínua e através da observação diária das atividades.
Durante o período a adaptação da aluna Helena no espaço escolar foi muito chorosa,
ficava muito apegada a tudo que era dela (roupas, cobertor, lençol, etc) e quando
guardávamos ela chorava muito. Aos poucos foi se acostumando, mas ainda hoje chora um
pouco ao acordar, e quando a professora sai da sala para ter a aula de dança com a outra
professora, mas não chora ao chegar à escola. Se comporta bem, e ainda não entende muito
bem as regras na sala, o que é de fácil entendimento devido a idade da aluna.
A Helena é muito carinhosa com todos, não tem problemas em ao se relacionar com
os colegas. Não gosta de compartilhar os brinquedos, se apega ao que está com ela e não gosta
de trocar ou emprestar para os colegas.
Tem boa prática de higiene, no momento da escovação o faz tranquilamente, mas
ainda não o faz de forma correta, em sua maioria não se opõe quando a professora escova para
ela, mas em alguns momentos ela é resistente à ajuda da professora.
Reconhece o próprio nome, além de reconhecer o nome de todos os colegas
apontando cada um ao ser falado pela professora, mas ainda não reconhece visualmente as
letras do nome.

O próximo Eixo trabalhado é Corpo, Gestos e Movimentos:


O segundo eixo trata do aprendizado da criança através dos movimentos, imitação,
manifestações culturais como a músicas e a dança. Neste sentido, foi proposto atividades com
música, mas que fizesse a criança reconhecer o próprio corpo, como “cabeça, ombro, joelho e
pé” (Xuxa), noções de higiene com a música “chuveiro” (Patati e Patatá) entre outras e
brincadeiras como o “mestre mandou” ou “siga o mestre”, no intuito de fazer ações como
pular, correr, andar e as cantigas de roda. A avaliação foi contínua e foi feita através da
observação e anotação.
Nesse quesito, a Helena não demostrou que gosta muito de dançar, mas que gosta de
músicas infantis variadas, e nas músicas “cabeça, ombro, joelho e pé” (Xuxa), “chuveiro”
(Patati e Patatá) ela não aponta as partes do corpo como fala na música. Mas em brincadeiras
na sala, quando a professora pergunta cadê tal parte do corpo, a aluna mostra corretamente.
Nas brincadeiras propostas, se desenvolve bem, a Helena controla bem seus
movimentos, faz os movimentos básicos (andar e correr) com boa coordenação, mas se
desequilibra as vezes, ao pular ela ainda não tira os dois pés do chão. Participa das cantigas de
roda, demonstra preferências por “atirei o pau no gato” e executa muito bem a brincadeira.

Escuta, Fala, Pensamentos e Imaginação:


O terceiro eixo é onde se destaca a linguagem oral e escrita, história, processo de
evolução do desenho, o desenvolvimento da fala, expressar os pensamentos, a ampliação do
vocabulário e o contato com as histórias e livros. Como especifica a BNCC (2018, p. 42) o
contato com a escrita é muito importante pois, a criança já desenvolve a compreensão e as
possibilidades da escrita.
Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a
escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão
conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da
compreensão da escrita como sistema de representação da língua. BNCC (2018, p. 42)

Neste sentido, foi proposto atividades de percepção visual, reconto de histórias pelas
crianças, músicas e rodas de conversa, além disso, em momentos de escrita pelas professoras
as crianças observam e tem contato com a escrita.
Tendo por base esse eixo, a Helena demonstra uma oralidade ainda em
desenvolvimento, vimos nela uma evolução muito grande em relação a fala, pois quando ela
iniciou na escola ela falava apenas “mamãe” e no decorrer do processo, notamos que a
Helena adquiriu um vocabulário bom, mas ainda não forma frases ao falar.
Na evolução do desenho a aluna está na fase da garatuja descontrolada, que é
considerada normal para sua faixa etária, faz rabiscos aleatórios e segura o lápis com a mão
direita, mas não o segura de forma correta. Presta atenção nas histórias contadas pelas
professoras, mas as vezes fica dispersa. Gosta muito de folhear os livros e de ficar olhando as
imagens.

Espaços, Tempo, Quantidade Relações e Transformações.


O quarto eixo se refere às noções de posição (em cima-embaixo, dentro-fora, na frente
atrás), noções de grandeza (grande-pequeno, maior-menor), diferentes-iguais, números (no
caso da nossa turma do 1 ao 5), figuras geométricas.
Nesse sentido propus atividades práticas, lúdicas e manipulativas, assim, criamos
tabuleiros com as formas geométricas (círculo, quadrado e retângulo), trabalhamos as noções
de grande – pequeno, maior-menor com bolhas de sabão, além de rodas de conversa, a
numeração foi trabalhada de forma separada, apresentando cada número separadamente, o uso
de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico.
Ao iniciar a atividade do jogo de tabuleiro de formas geométricas (círculo, quadrado e
retângulo), a Helena não encaixou todas as formas no local correto, porém, das vezes seguinte
começou a encaixar corretamente as peças, mas ainda não reconhece o nome de todas as
formas geométricas. A aluna tem noção de embaixo e em cima, grande e pequeno. Em relação
aos números, ela ainda não compreende o número nem a sua representação.
As noções de dentro e fora foram exploradas ao sair da sala e retornar, além disso,
foram exploradas na casinha do parquinho onde pedia para irem para dentro e para fora, sendo
os comandos executados pela Helena perfeitamente.
No que diz respeito ao calendário, a aluna acompanha visualmente as marcações no
calendário, mas ainda não compreende para que serve. Em relação ao tempo meteorológico,
ela acompanha, mas não sabe responder sobre o clima.

Traços, Sons, Cores e Formas


Neste eixo foi desenvolvido, as Cores primárias, as diferentes texturas, a coordenação
motora grossa (abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.), o hábito do desenho, a
criatividade, os sons, dramatização e as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, etc.).
Como consta na BNCC (2018, p. 41), é através dessas experiências que a criança experimenta
produções artísticas e outras experiências fundamentais para seu desenvolvimento.

Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens,


criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria
(coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações,
canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de
recursos tecnológicos. (BRASIL, BNCC, p. 41)

Desenvolvemos atividades de pintura, utilizando vários materiais (pincel, a mão,


plástico bolha, esponja, etc), apresentando as cores primárias, atividades de colagem de papel,
tecido e outros.
Seguindo essa proposta, a Helena desenvolve bem e gosta muito das atividades de
pintura, seja com pincel, com a mão ou outro tipo de ferramenta, porém ainda sem muita
coordenação para realizar as atividades sendo necessário a intervenção da professora. Presta
atenção nas explicações e se concentra na atividade reconhece e nomeia a cor azul, as outras
ainda não.
Faz bem as colagens, mas ainda não possui coordenação para fazer bolinhas de papel,
não pega o papel picado uma a uma para colar, mas é muito cuidadosa com a atividade. A
atividade com massinha é a preferida da Helena, que gosta de partir a massinha em pedaços
menores e sempre mostrando para a professora o que está fazendo, e demonstra uma alegria
radiante ao ser parabenizada pelas professoras.
No que diz respeito aos sons, ela reconhece os sons de muitos bichos e reproduz de
alguns como cachorro, gato, pato e vaca. Em relação a coordenação motora grossa, está se
desenvolvendo positivamente, encaixa os legos corretamente e consegue empurrar objetos
com facilidade.

Projeto Arco-íris
Esse projeto foi desenvolvido nesse período com o objetivo de se trabalhar as cores
primárias, uma vez que é essencial propiciar à criança a visualização, exploração, contato e
manuseio de diversos objetos que compõem o universo das cores. Foi um projeto prazeroso
onde exploramos as cores em várias atividades, brincadeiras dentro e fora de sala. Além disso,
foi possível produzir brinquedos e jogos sobre as cores, como a paleta de cores, jogo das
cores, onde as crianças puderam aprender brincando.
A Helena conseguiu se desenvolver satisfatoriamente em todas atividades
propostas, sendo avaliado de forma gradativa e individual , na qual estaremos dando
continuidade de forma lúdica, prazerosa e pedagógica para os próximos bimestres, para que o
aluno tenha um pleno desenvolvimento.

____________________________________________________
Assinatura Professora

____________________________________________________
Assinatura Coordenadora Pedagógica

____________________________________________________
Assinatura Diretora

Referências
BRASIL. Base Comum Curricular (BNCC) acesso em: 19 de junho de 2019. disponível
em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.
Julho – 2019

Centro Educacional Pequeno Príncipe


Relatório de Desenvolvimento Individual do 1º Semestre
Turma: Maternal I - Joaninha
Professora: Rafaela Gonçalves de Arruda
Josiane de Paula Assis

Aluno: Lavínia Rodrigues Rosa

Introdução
O relatório de Desenvolvimento Individual é um documento cujo a finalidade é
descrever o desenvolvimento do aluno no decorrer do semestre e que vai acompanhá-lo até o
fim de sua trajetória escolar. É um documento com um parecer descritivo e de extrema
importância, pois nele se registra a evolução no aprendizado do aluno, além do trabalho
realizado pelo profissional.
Neste documento destaca-se as propostas de trabalho feitas pelo professor através do
projeto e planejamento bimestral no qual, o profissional traça metas a serem alcançadas. Vale
ressaltar que nenhuma criança é igual a outra, elas têm tempo e fases de aprendizagem
diferentes e como nos respalda Paulo Freire (1987,p.68), ''Não há saber mais, nem saber
menos, há saberes diferentes''.
A Educação Infantil tem como direcionamento a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular), um documento que norteia o ensino escolar e que é uma referência para que a
escola construa seu currículo visando a formação integral da criança. Assim a BNCC é uma
referência que propõem objetivos de aprendizagem para cada etapa da formação da criança, ,
no que diz respeito a serem cidadãos críticos e conscientes, que sejam capazes de aprender, de
questionar, de resolver problemas, de trabalhar em equipe, de argumentar e defender seus
propósitos e ponto de vista e de ter autonomia para defender seu ponto de vista. Para que isso
aconteça de forma significativa, esse documento se divide em campos de experiência (eixos)
que serão destacados de forma separada ao decorrer do relatório.

No eixo Eu, o outro e nós:


Este é o primeiro eixo e nele se destaca as experiências na construção da identidade do
aluno, o conhecimento sobre si e sobre o outro, o desenvolvimento dos sentimentos, o
respeito, a adaptação no espaço escolar, o comportamento, a partilha e as ordens. Neste
sentido, propus atividades e rodas de conversa sobre os sentimentos, regras, corpo humano, os
cuidados com o corpo (higiene), sobre o reconhecimento do próprio nome e do nome dos
colegas, avaliando-os de forma contínua e através da observação diária das atividades.
Não acompanhei o processo de adaptação da aluna Lavínia no espaço escolar, pois
iniciei o trabalho com a turma o ano letivo já havia começado. Mas fui muito bem recebida
pela aluna. No início o contato foi tímido, mas Lavínia é uma criança muito ativa, o que
facilitou na adaptação dela comigo. Ela se comporta bem, segue as regras, mas as vezes tende
a contrariá-las, como por exemplo, ao solicitar algo que está na mão dela, a resposta e não e
sai correndo para não entregar o que lhe foi pedido.
A Lavínia é extremamente carinhosa e amigável com todos, gosta de brincar com as
outras crianças. Não gosta muito de compartilhar os brinquedos, mas o faz quando é
solicitado pela professora e principalmente quando tem outro do seu interesse.
Tem boa prática de higiene, no momento da escovação o faz tranquilamente e não se
opõe quando a professora escova para ela. Reconhece o próprio nome, além de reconhecer o
nome de todos os colegas apontando cada um ao ser falado pela professora, mas ainda não
reconhece visualmente as letras do nome.

O próximo Eixo trabalhado é Corpo, Gestos e Movimentos:


O segundo eixo trata do aprendizado da criança através dos movimentos, imitação,
manifestações culturais como a músicas e a dança. Neste sentido, foi proposto atividades com
música, mas que fizesse a criança reconhecer o próprio corpo, como “cabeça, ombro, joelho e
pé” (Xuxa), noções de higiene com a música “chuveiro” (Patati e Patatá) entre outras e
brincadeiras como o “mestre mandou” ou “siga o mestre”, no intuito de fazer ações como
pular, correr, andar e as cantigas de roda. A avaliação foi contínua e foi feita através da
observação e anotação.
Nesse quesito, a Lavínia demonstrou que gosta de músicas e de dançar. Na música
“cabeça, ombro, joelho e pé” (Xuxa), a aluna demonstra e reconhece as partes do corpo como
fala na música, da mesma forma com a música “chuveiro” (Patati e Patatá).
Nas brincadeiras propostas a Lavínia se desenvolve bem, faz os movimentos básicos
(andar e correr) mas se desequilibra, ainda não pula tirando os dois pés do chão, o que é
compreensível pela sua idade. Controla bem os movimentos, tem uma boa consciência
corporal e imita os gestos e movimentos no momento da brincadeira. Participa das cantigas de
roda, demonstra preferência por “atirei o pau no gato” e no momento da brincadeira não se
opõe em dar as mãos para os colegas e brinca de forma tranquila.

Escuta, Fala, Pensamentos e Imaginação:


O terceiro eixo é onde se destaca a linguagem oral e escrita, história, processo de
evolução do desenho, o desenvolvimento da fala, expressar os pensamentos, a ampliação do
vocabulário e o contato com as histórias e livros. Como especifica a BNCC (2018, p. 42) o
contato com a escrita é muito importante pois, a criança já desenvolve a compreensão e as
possibilidades da escrita.
Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a
escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão
conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da
compreensão da escrita como sistema de representação da língua. BNCC (2018, p. 42)
Neste sentido, foi proposto atividades de percepção visual, reconto de histórias pelas
crianças, músicas e rodas de conversa, além disso, em momentos de escrita pelas professoras
as crianças observam e tem contato com a escrita.
Tendo por base esse eixo, a Lavínia demonstra uma oralidade ainda em
desenvolvimento, fala algumas palavras de fácil entendimento, porém ainda não tem um
vocabulário extenso e ainda não forma frases. Na evolução do desenho a aluna está na fase da
garatuja descontrolada, que é considerada normal para sua faixa etária, ela faz rabiscos
aleatórios e segura o lápis com a mão direita, mas não segura de forma correta. No momento
do desenho, ela se dispersa muito fácil e acaba amassando a folha.
A Lavínia presta atenção nas primeiras histórias contadas pelas professoras, responde
o que lhe é perguntado durante a história, mas se contar mais de uma história ela se levanta e
busca fazer outra coisa. Durante as atividades, faz perguntas sobre o que está fazendo, faz
corretamente e se expressa muito bem.

Espaços, Tempo, Quantidade Relações e Transformações.


O quarto eixo se refere às noções de posição (em cima-embaixo, dentro-fora, na frente
atrás), noções de grandeza (grande-pequeno, maior-menor), diferentes-iguais, números (no
caso da nossa turma do 1 ao 5), figuras geométricas.
Nesse sentido propus atividades práticas, lúdicas e manipulativas, assim, criamos
tabuleiros com as formas geométricas (círculo, quadrado e retângulo), trabalhamos as noções
de grande – pequeno, maior-menor com bolhas de sabão, além de rodas de conversa, a
numeração foi trabalhada de forma separada, apresentando cada número separadamente, o uso
de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico.
Durante as primeiras atividades do jogo de tabuleiro de formas geométricas (círculo,
quadrado e retângulo), a Lavínia não encaixou no local correto, mas ao decorrer dos dias a
aluna aprendeu o local correto de encaixe das peças e o fez corretamente, porém ainda não
sabe o nome das formas geométricas. Tem noção de embaixo e em cima, grande e pequeno,
como por exemplo na atividade de fazer as bolhas de sabão, a aluna respondia corretamente se
era grande ou pequena. Em relação ao numeral, a Lavínia ainda não fala o número e não
reconhece a representação numérica.
As noções de dentro e fora foram exploradas ao sair da sala e retornar, além disso,
foram exploradas na casinha do parquinho onde pedia para irem para dentro e para fora, sendo
os comandos executados pela Lavínia perfeitamente.
No que diz respeito ao calendário, a aluna acompanha visualmente as marcações no
calendário, mas ainda não compreende para que serve, ao tempo meteorológico, acompanha e
responde corretamente, quando está com sol ou chuva, os outros climas ainda não.

Traços, Sons, Cores e Formas


Neste eixo foi desenvolvido, as Cores primárias, as diferentes texturas, a coordenação
motora grossa (abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.), o hábito do desenho, a
criatividade, os sons, dramatização e as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, etc.).
Como consta na BNCC (2018, p. 41), é através dessas experiências que a criança experimenta
produções artísticas e outras experiências fundamentais para seu desenvolvimento.

Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens,


criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria
(coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações,
canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de
recursos tecnológicos. (BRASIL, BNCC, p. 41)

Desenvolvemos atividades de pintura, utilizando vários materiais (pincel, a mão,


plástico bolha, esponja, etc), apresentando as cores primárias, atividades de colagem de papel,
tecido e outros.
Seguindo essa proposta, a Lavínia executa muito bem e gosta muito das atividades de
pintura, seja com pincel, com a mão ou outro tipo de ferramenta, presta atenção nas
explicações, mas muitas vezes se distrai durante a atividade. Ainda não reconhece nem
nomeia as cores primárias (Verde, Amarelo, vermelho e azul)
Faz bem as colagens, mas ainda não possui coordenação para fazer bolinhas de papel,
e nem pega o papel picado um a um para colar na atividade, sendo necessário a intervenção da
professora. Nas atividades com massinha a Lavínia separa em pedaços menores e gosta de
trabalhar com os moldes também.
No que diz respeito aos sons, ela reconhece sons de muitos bichos e em relação a
dramatização a Lavínia geralmente o faz quando está brincando com bonecas. Em relação a
coordenação motora grossa, está se desenvolvendo positivamente, encaixa os legos
corretamente, consegue abrir fechos e consegue empurrar objetos com facilidade.

Projeto Arco-íris
Esse projeto foi desenvolvido nesse período com o objetivo de se trabalhar as cores
primárias, uma vez que é essencial propiciar à criança a visualização, exploração, contato e
manuseio de diversos objetos que compõem o universo das cores. Foi um projeto prazeroso
onde exploramos as cores em várias atividades, brincadeiras dentro e fora de sala. Além disso,
foi possível produzir brinquedos e jogos sobre as cores, como a paleta de cores, jogo das
cores, onde as crianças puderam aprender brincando.
A Lavínia conseguiu se desenvolver satisfatoriamente em todas atividades
propostas, sendo avaliado de forma gradativa e individual , na qual estaremos dando
continuidade de forma lúdica, prazerosa e pedagógica para os próximos bimestres, para que o
aluno tenha um pleno desenvolvimento.

____________________________________________________
Assinatura Professora

____________________________________________________
Assinatura Coordenadora Pedagógica

____________________________________________________
Assinatura Diretora

Referências
BRASIL. Base Comum Curricular (BNCC) acesso em: 19 de junho de 2019. disponível
em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.
Julho – 2019

Centro Educacional Pequeno Príncipe


Relatório de Desenvolvimento Individual do 1º Semestre
Turma: Maternal I - Joaninha
Professora: Rafaela Gonçalves de Arruda
Josiane de Paula Assis

Aluno: Anthony Martins Bittencourt

Introdução
O relatório de Desenvolvimento Individual é um documento cujo a finalidade é
descrever o desenvolvimento do aluno no decorrer do semestre e que vai acompanhá-lo até o
fim de sua trajetória escolar. É um documento com um parecer descritivo e de extrema
importância, pois nele se registra a evolução no aprendizado do aluno, além do trabalho
realizado pelo profissional.
Neste documento destaca-se as propostas de trabalho feitas pelo professor através do
projeto e planejamento bimestral no qual, o profissional traça metas a serem alcançadas. Vale
ressaltar que nenhuma criança é igual a outra, elas têm tempo e fases de aprendizagem
diferentes e como nos respalda Paulo Freire (1987,p.68), ''Não há saber mais, nem saber
menos, há saberes diferentes''.
A Educação Infantil tem como direcionamento a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular), um documento que norteia o ensino escolar e que é uma referência para que a
escola construa seu currículo visando a formação integral da criança. Assim a BNCC é uma
referência que propõem objetivos de aprendizagem para cada etapa da formação da criança, ,
no que diz respeito a serem cidadãos críticos e conscientes, que sejam capazes de aprender, de
questionar, de resolver problemas, de trabalhar em equipe, de argumentar e defender seus
propósitos e ponto de vista e de ter autonomia para defender seu ponto de vista. Para que isso
aconteça de forma significativa, esse documento se divide em campos de experiência (eixos)
que serão destacados de forma separada ao decorrer do relatório.

No eixo Eu, o outro e nós:


Este é o primeiro eixo e nele se destaca as experiências na construção da identidade do
aluno, o conhecimento sobre si e sobre o outro, o desenvolvimento dos sentimentos, o
respeito, a adaptação no espaço escolar, o comportamento, a partilha e as ordens. Neste
sentido, propus atividades e rodas de conversa sobre os sentimentos, regras, corpo humano, os
cuidados com o corpo (higiene), sobre o reconhecimento do próprio nome e do nome dos
colegas, avaliando-os de forma contínua e através da observação diária das atividades.
Não acompanhei o processo de adaptação do aluno Anthony no espaço escolar, pois
quando iniciei o trabalho com a turma o ano letivo já havia começado. Mas fui muito bem
recebida pelo Anthony, no início o contato comigo foi bem tímido, mas foi se desenvolvendo
bem ao decorrer dos dias. O aluno segue regras da sala e da escola, mas costuma contrariar o
que lhe é dito.
É uma criança muito carinhosa com as professoras e colegas, gosta de abraçar quando
menos se espera, mas demonstra agressividade em situações de conflito usando de meios
físicos para obter o que deseja. Essa ação é compreensível devido a idade do Anthony, uma
vez que ainda não possui uma habilidade linguística necessária para expressar seus
sentimentos. Além disso, nessa fase o egocentrismo é muito forte na criança (acredita que o
mundo funciona e existe por sua causa), onde tudo que deseja tem que ser prontamente
atendido, caso contrário, acontece a mordida, tapas, etc. O Anthony não tem problemas em
compartilhar os brinquedos com os colegas, sempre que solicitado a ele.
Tem boa prática de higiene, no início não deixava a professora escovar para ele, mas
ao decorrer do período letivo e com intervenções e dialogo, hoje o aluno não se opõe a ajuda
da professora e deixa que escove os seus dentes. Reconhece o próprio nome, além de
reconhecer o nome de todos os colegas apontando cada um ao ser falado pela professora, mas
ainda não reconhece visualmente as letras do nome.

O próximo Eixo trabalhado é Corpo, Gestos e Movimentos:


O segundo eixo trata do aprendizado da criança através dos movimentos, imitação,
manifestações culturais como a músicas e a dança. Neste sentido, foi proposto atividades com
música, mas que fizesse a criança reconhecer o próprio corpo, como “cabeça, ombro, joelho e
pé” (Xuxa), noções de higiene com a música “chuveiro” (Patati e Patatá) entre outras e
brincadeiras como o “mestre mandou” ou “siga o mestre”, no intuito de fazer ações como
pular, correr, andar e as cantigas de roda. A avaliação foi contínua e foi através da observação
e anotação.
Nesse quesito, o Anthony demonstra que gosta muito de músicas e de dançar, na
música “cabeça, ombro, joelho e pé” (Xuxa), ele aponta as partes do corpo, mas de forma
mais lenta, mas reconhece as partes do corpo, da mesma forma com a música “chuveiro”
(Patati e Patatá).
Nas brincadeiras propostas, se desenvolve muito bem, faz os movimentos básicos
(andar e correr) com boa coordenação e não se desequilibra, mas ainda não consegue pular
tirando os dois pés do chão. Participa das cantigas de roda, principalmente a “atirei o pau no
gato”, executando bem a brincadeira. O Anthony controla bem seus movimentos, têm uma
consciência corporal muito boa.

Escuta, Fala, Pensamentos e Imaginação


O terceiro eixo é onde se destaca a linguagem oral e escrita, história, processo de
evolução do desenho, o desenvolvimento da fala, expressar os pensamentos, a ampliação do
vocabulário e o contato com as histórias e livros. Como especifica a BNCC (2018, p. 42) o
contato com a escrita é muito importante pois, a criança já desenvolve a compreensão e as
possibilidades da escrita.
Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a
escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão
conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da
compreensão da escrita como sistema de representação da língua. BNCC (2018, p. 42)

Neste sentido, foi proposto atividades de percepção visual, reconto de histórias pelas
crianças, músicas e rodas de conversa, além disso, em momentos de escrita pelas professoras
as crianças observam e tem contato com a escrita.
Tendo por base esse eixo, o Anthony demonstra uma oralidade ainda em
desenvolvimento, mas notamos uma evolução muito grande na aquisição de palavras, e já
consegue formar algumas frases curtas. Na evolução do desenho o aluno está na fase da
garatuja descontrolada, que é considerada normal para sua faixa etária, faz rabiscos aleatórios
e segura o lápis com a mão direita, mas ainda não o segura de forma correta, que será
trabalhado esta postura para os próximos bimestres. Presta atenção nas histórias contadas
pelas professoras, responde o que lhe é perguntado durante a história, gosta muito de folhear
livrinhos de história e demonstra preferência pela história infantil chamado “Pedro vira porco
espinho”. Durante as atividades ele faz perguntas sobre o que está fazendo, faz corretamente e
se expressa muito bem.

Espaços, Tempo, Quantidade Relações e Transformações.


O quarto eixo se refere às noções de posição (em cima-embaixo, dentro-fora, na frente
atrás), noções de grandeza (grande-pequeno, maior-menor), diferentes-iguais, números (no
caso da nossa turma do 1 ao 5), figuras geométricas.
Nesse sentido propus atividades práticas, lúdicas e manipulativas, assim, criamos
tabuleiros com as formas geométricas (círculo, quadrado e retângulo), trabalhamos as noções
de grande – pequeno, maior-menor com bolhas de sabão, além de rodas de conversa, a
numeração foi trabalhada de forma separada, apresentando cada número separadamente, o uso
de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico.
Durante a atividade do jogo de tabuleiro de formas geométricas (círculo, quadrado e
retângulo), o Anthony encaixou no local correto todas as vezes que brincamos com o
tabuleiro, porém ainda não reconhece os nomes das formas, tem noção de embaixo e em cima,
grande e pequeno.
Na atividade de fazer as bolhas de sabão ele respondia se era grande ou pequena
corretamente. Em relação ao numeral o aluno fala alguns números, mas ainda não reconhece a
representação numérica.
As noções de dentro e fora foram exploradas ao sair da sala e retornar além disso,
foram exploradas na casinha do parquinho onde pedia para irem para dentro e para fora, sendo
os comandos executados pelo Anthony perfeitamente.
No que diz respeito ao calendário, ele acompanha visualmente as marcações no
calendário, mas ainda não compreende para que serve, ao tempo meteorológico, ele
acompanha e responde corretamente, quando está com sol ou chuva, os outros climas não.

Traços, Sons, Cores e Formas


Neste eixo foi desenvolvido as Cores primárias, as diferentes texturas, a coordenação
motora grossa (abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.), o hábito do desenho, a
criatividade, os sons, dramatização e as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, etc.).
Como consta na BNCC (2018, p. 41), é através dessas experiências que a criança experimenta
produções artísticas e outras experiências fundamentais para seu desenvolvimento.

Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens,


criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria
(coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações,
canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de
recursos tecnológicos. (BRASIL, BNCC, p. 41)

Desenvolvemos atividades de pintura, utilizando vários materiais (pincel, a mão,


plástico bolha, esponja, etc), apresentando as cores primárias, atividades de colagem de papel,
tecido e outros.
Seguindo essa proposta, o Anthony desenvolve muito bem e gosta das atividades de
pintura, seja com pincel, com a mão ou outro tipo de ferramenta, presta atenção nas
explicações e se concentra na atividade e reconhece e nomeia apenas a cor primária azul.
Faz bem as colagens, mas ainda não possui coordenação para fazer bolinhas de papel
ou pegar papel um a um para colar, sendo necessário a intervenção. É participativo e não tem
muita paciência para esperar chegar a sua vez de fazer a atividade. Nas atividades com
massinha o Anthony gosta de trabalhar com os moldes e quando não gosta de partir a
massinha em pedaços menores, nessa atividade é necessário a intervenção da professora pois
o aluno tem o costume de colocar na boca.
No que diz respeito aos sons, reconhece e reproduz os sons de muitos bichos. Ao ir
para o parquinho ele dramatiza geralmente no velotrol, dando tchau dizendo que vai passear,
mandando beijo, em outros momentos isso não é feito. Em relação a coordenação motora
grossa, está se desenvolvendo positivamente, encaixa os legos corretamente, consegue abrir
fechos e o tênis, consegue empurrar objetos com facilidade.

Projeto Arco-íris
Esse projeto foi desenvolvido nesse período com o objetivo de se trabalhar as cores
primárias, uma vez que é essencial propiciar à criança a visualização, exploração, contato e
manuseio de diversos objetos que compõem o universo das cores. Foi um projeto prazeroso
onde exploramos as cores em várias atividades, brincadeiras dentro e fora de sala. Além disso,
foi possível produzir brinquedos e jogos sobre as cores, como a paleta de cores, jogo das
cores, onde as crianças puderam aprender brincando.
O Anthony conseguiu se desenvolver satisfatoriamente em todas atividades
propostas, sendo avaliado de forma gradativa e individual, na qual estaremos dando
continuidade de forma lúdica, prazerosa e pedagógica para os próximos bimestres, para que o
aluno tenha um pleno desenvolvimento.

____________________________________________________
Assinatura Professora

____________________________________________________
Assinatura Coordenadora Pedagógica

____________________________________________________
Assinatura Diretora
Referências
BRASIL. Base Comum Curricular (BNCC) acesso em: 19 de junho de 2019. disponível
em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

Julho – 2019

Centro Educacional Pequeno Príncipe


Relatório de Desenvolvimento Individual do 1º Semestre
Turma: Maternal I - Joaninha
Professora: Rafaela Gonçalves de Arruda
Josiane de Paula Assis
Aluno: Leonardo Diniz Reis

Introdução
O relatório de Desenvolvimento Individual é um documento cujo a finalidade é
descrever o desenvolvimento do aluno no decorrer do semestre e que vai acompanhá-lo até o
fim de sua trajetória escolar. É um documento com um parecer descritivo e de extrema
importância, pois nele se registra a evolução no aprendizado do aluno, além do trabalho
realizado pelo profissional.
Neste documento destaca-se as propostas de trabalho feitas pelo professor através do
projeto e planejamento bimestral no qual, o profissional traça metas a serem alcançadas. Vale
ressaltar que nenhuma criança é igual a outra, elas têm tempo e fases de aprendizagem
diferentes e como nos respalda Paulo Freire (1987,p.68), ''Não há saber mais, nem saber
menos, há saberes diferentes''.
A Educação Infantil tem como direcionamento a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular), um documento que norteia o ensino escolar e que é uma referência para que a
escola construa seu currículo visando a formação integral da criança. Assim a BNCC é uma
referência que propõem objetivos de aprendizagem para cada etapa da formação da criança, ,
no que diz respeito a serem cidadãos críticos e conscientes, que sejam capazes de aprender, de
questionar, de resolver problemas, de trabalhar em equipe, de argumentar e defender seus
propósitos e ponto de vista e de ter autonomia para defender seu ponto de vista. Para que isso
aconteça de forma significativa, esse documento se divide em campos de experiência (eixos)
que serão destacados de forma separada ao decorrer do relatório.

No eixo Eu, o outro e nós:


Este é o primeiro eixo e nele se destaca as experiências na construção da identidade do
aluno, o conhecimento sobre si e sobre o outro, o desenvolvimento dos sentimentos, o
respeito, a adaptação no espaço escolar, o comportamento, a partilha e as ordens. Neste
sentido, propus atividades e rodas de conversa sobre os sentimentos, regras, corpo humano, os
cuidados com o corpo (higiene), sobre o reconhecimento do próprio nome e do nome dos
colegas, avaliando-os de forma contínua e através da observação diária das atividades.
Não acompanhei o processo de adaptação do aluno Leonardo no espaço escolar, pois
quando iniciei o trabalho com a turma o ano letivo já havia começado. Mas fui muito bem
recebida pelo Leonardo, no início o contato comigo foi bem tímido, mas foi se
desenvolvendo bem ao decorrer dos dias. Não tem problemas em seguir regras da sala e da
escola, se comporta muito bem, mas tende a contrariar o que lhe é dito.
É uma criança carinhosa e amigável com todos. Compartilha os brinquedos com os
colegas, mas se tiver algo do seu interesse para trocar com ele, caso contrário fica receoso e
nega a compartilhar.
Tem boa prática de higiene, no momento da escovação o faz tranquilamente e não se
opõe quando a professora escova para ele. Reconhece o próprio nome, além de reconhecer o
nome de todos os colegas apontando cada um ao ser falado pela professora, mas ainda não
reconhece visualmente as letras do nome.

O próximo Eixo trabalhado é Corpo, Gestos e Movimentos:


O segundo eixo trata do aprendizado da criança através dos movimentos, imitação,
manifestações culturais como a músicas e a dança. Neste sentido, foi proposto atividades com
música, mas que fizesse a criança reconhecer o próprio corpo, como “cabeça, ombro, joelho e
pé” (Xuxa), noções de higiene com a música “chuveiro” (Patati e Patatá) entre outras e
brincadeiras como o “mestre mandou” ou “siga o mestre”, no intuito de fazer ações como
pular, correr, andar e as cantigas de roda. A avaliação foi contínua e foi através da observação
e anotação.
Nesse quesito, o Leonardo se mostrou que gosta muito de músicas mas é tímido para
dançar. Nas musicas que falam do corpo, como por exemplo “cabeça, ombro, joelho e pé”
(Xuxa), ele aponta as partes do corpo, mas de forma mais lenta, mas demonstra que
reconhece as partes do corpo, da mesma forma com a música “chuveiro” (Patati e Patatá).
Nas brincadeiras propostas, se desenvolve muito bem, faz os movimentos básicos
(andar e correr) com boa coordenação, mas se desequilibra as vezes e ainda não consegue
pular tirando os dois pés do chão, o que é compreensível pela sua idade. Participa das cantigas
de roda, principalmente a “atirei o pau no gato”, executando bem a brincadeira.

Escuta, Fala, Pensamentos e Imaginação


O terceiro eixo é onde se destaca a linguagem oral e escrita, história, processo de
evolução do desenho, o desenvolvimento da fala, expressar os pensamentos, a ampliação do
vocabulário e o contato com as histórias e livros. Como especifica a BNCC (2018, p. 42) o
contato com a escrita é muito importante pois, a criança já desenvolve a compreensão e as
possibilidades da escrita.
Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a
escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão
conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da
compreensão da escrita como sistema de representação da língua. BNCC (2018, p. 42)

Neste sentido, foi proposto atividades de percepção visual, reconto de histórias pelas
crianças, músicas e rodas de conversa, além disso, em momentos de escrita pelas professoras
as crianças observam e tem contato com a escrita.
Tendo por base esse eixo, o Leonardo demonstra uma oralidade ainda em
desenvolvimento, mas notamos uma evolução muito grande na aquisição de palavras, e já
consegue formar algumas frases curtas, e se expressa muito bem sendo fácil compreender o
que o aluno fala.
Já na evolução do desenho o aluno está na fase da garatuja descontrolada, que é
considerada normal para sua faixa etária, o aluno faz rabiscos aleatórios e segura o lápis com
a mão direita, mas ainda não o segura de forma correta, postura esta que será trabalhado para
os próximos bimestres. Presta muita atenção nas histórias contadas pelas professoras,
responde o que lhe é perguntado durante a história, gosta muito de folhear livrinhos de
história e demonstra preferência pela história infantil “Pedro vira porco espinho”.

Espaços, Tempo, Quantidade Relações e Transformações.


O quarto eixo se refere às noções de posição (em cima-embaixo, dentro-fora, na frente
atrás), noções de grandeza (grande-pequeno, maior-menor), diferentes-iguais, números (no
caso da nossa turma do 1 ao 5), figuras geométricas.
Nesse sentido propus atividades práticas, lúdicas e manipulativas, assim, criamos
tabuleiros com as formas geométricas (círculo, quadrado e retângulo), trabalhamos as noções
de grande – pequeno, maior-menor com bolhas de sabão, além de rodas de conversa, a
numeração foi trabalhada de forma separada, apresentando cada número separadamente, o uso
de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico.
Durante as primeiras vezes que brincamos com o jogo de tabuleiro de formas
geométricas (círculo, quadrado e retângulo), o Leonardo não encaixou no local correto as
formas, mas ao decorrer dos dias o aluno começou a encaixar corretamente as formas no seus
lugares, porém ainda não reconhece os nomes das formas, tem noção de embaixo e em cima,
grande e pequeno.
Na atividade de fazer as bolhas de sabão ele respondia se era grande ou pequena
corretamente. Em relação ao numeral o aluno fala o nome de alguns número, mas ainda não
reconhece a representação numérica.
As noções de dentro e fora foram exploradas ao sair da sala e retornar além disso,
foram exploradas na casinha do parquinho onde pedia para irem para dentro e para fora, sendo
os comandos executados pelo Leonardo perfeitamente.
No que diz respeito ao calendário, ele acompanha visualmente as marcações no
calendário, mas ainda não compreende para que serve, ao tempo meteorológico, ele
acompanha e responde corretamente, quando está com sol ou chuva, os outros climas não.

Traços, Sons, Cores e Formas


Neste eixo foi desenvolvido as Cores primárias, as diferentes texturas, a coordenação
motora grossa (abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.), o hábito do desenho, a
criatividade, os sons, dramatização e as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, etc.).
Como consta na BNCC (2018, p. 41), é através dessas experiências que a criança experimenta
produções artísticas e outras experiências fundamentais para seu desenvolvimento.

Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens,


criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria
(coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações,
canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de
recursos tecnológicos. (BRASIL, BNCC, p. 41)

Desenvolvemos atividades de pintura, utilizando vários materiais (pincel, a mão,


plástico bolha, esponja, etc), apresentando as cores primárias, atividades de colagem de papel,
tecido e outros.
Seguindo essa proposta, o Leonardo se desenvolve muito bem e gosta das atividades
de pintura, seja com pincel, com a mão ou outro tipo de ferramenta, presta atenção nas
explicações e se concentra na atividade e reconhece e nomeia as cores primárias (Amarelo,
Verde, Vermelho e Azul), além de outras cores.
Faz bem as colagens, mas ainda não possui coordenação para fazer bolinhas de papel
ou pegar papel um a um para colar, sendo necessário a intervenção. É cuidadoso com a
atividade e participativo. Nas atividades com massinha o Leonardo gosta de trabalhar com os
moldes e quando não os tem, ele parte a massinha em pedaços menores.
No que diz respeito aos sons, reconhece e reproduz os sons de muitos bichos. Ao ir
para o parquinho ele dramatiza geralmente no velotrol, dando tchau e mandando beijo e
quando está brincando com os bonecos de super herói que traz para a escola. Em relação a
coordenação motora grossa, está se desenvolvendo positivamente, encaixa os legos
corretamente, consegue abrir fechos e o tênis, consegue empurrar objetos com facilidade.
Projeto Arco-íris
Esse projeto foi desenvolvido nesse período com o objetivo de se trabalhar as cores
primárias, uma vez que é essencial propiciar à criança a visualização, exploração, contato e
manuseio de diversos objetos que compõem o universo das cores. Foi um projeto prazeroso
onde exploramos as cores em várias atividades, brincadeiras dentro e fora de sala. Além disso,
foi possível produzir brinquedos e jogos sobre as cores, como a paleta de cores, jogo das
cores, onde as crianças puderam aprender brincando.
O Leonardo conseguiu se desenvolver satisfatoriamente em todas atividades
propostas, sendo avaliado de forma gradativa e individual , na qual estaremos dando
continuidade de forma lúdica, prazerosa e pedagógica para os próximos bimestres, para que o
aluno tenha um pleno desenvolvimento.

____________________________________________________
Assinatura Professora

____________________________________________________
Assinatura Coordenadora Pedagógica

____________________________________________________
Assinatura Diretora
Referências
BRASIL. Base Comum Curricular (BNCC) acesso em: 19 de junho de 2019. disponível
em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

Julho – 2019

Você também pode gostar