Você está na página 1de 15

Eletrónica Automação e Computadores-12EA

Eletricidade Eletrónica
UFCD6021-Fontes de Alimentação

Sistemas de Alimentação

• Fontes de Alimentação Lineares


– Não reguladas
– Reguladas
• Fontes de Alimentação Comutadas (SMPS – Switch Mode Power Supply)
• Fontes de Alimentação Ininterruptas (UPS – Uninterruptible Power Supply)
• Sistemas de Armazenamento de Energia Eléctrica
– Pilhas Recarregáveis (Ni-Cd, Ni-Mh, Li-Ion, …)
– Baterias
– ..

Sistemas de Alimentação
• Energias Alternativas

– Sistemas de Alimentação
Solar/Fotovoltaica
Eólica
– Biomassa
– Marés
– Hidrogénio
– Geotérmica

* * *

2
Sistemas de Alimentação
Lineares Reguladas
Fontes de Não Reguladas
Comutadas
Alimentação
Ininterruptas

• Fontes de Alimentação Lineares Reguladas


– A tensão fornecida é constante e independente da carga.

• Fontes de Alimentação Lineares Não Reguladas


– A tensão fornecida varia com as variações na carga.

• Fontes de Alimentação Comutadas


– Trabalham de forma descontínua (por comutação muito rápida de um elemento
de controlo: transístor bipolar, FET, C.I., etc…). Podem ser reguladas ou não.

Sistemas de Alimentação

Pilhas e Baterias Ni-Cd, Ni-MH, Li-ion


Sistemas de
Armazenamento Baterias (Chumbo, Gel)

• Fontes de alimentação Ininterruptas (UPS)


– Funcionam com duas fontes de energia, uma primária (geralmente a
rede eléctrica) e outra secundária (geralmente uma ou mais baterias).
Quando falha a fonte principal, a secundária entra em funcionamento,
mantendo uma alimentação de saída contínua durante um certo
intervalo de tempo.

• Pilhas e Baterias
– São dispositivos que permitem o armazenamento de electricidade na
sua forma química, permitindo a sua posterior utilização e reutilização.

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Fonte de Alimentação Linear Não
Regulada

• Diagrama genérico

• Esquema típico

Fonte de alimentação – O Transformador

• O Transformador

– Promove o acoplamento de tensões de níveis diferentes.


– Geralmente, servem para baixar a tensão da rede eléctrica para níveis
utilizáveis (230V -> 9V , 12V, 18V, 24V, …).
– Geralmente são volumosos e pesados para correntes superiores a 1A.
– A sua potência é geralmente expressa em VA (Volt-Ampére), ou seja pela
sua potência aparente.
6

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Fonte de alimentação – Rectificação

• Rectificação de meia onda

• Rectificação de onda completa (2 díodos + transformador com tomada


central)

Fonte de alimentação – A Ponte


Rectificadora
• Rectificação de onda completa com díodos em ponte
(ponte de Graetz)

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Fonte de alimentação – A Ponte
Rectificadora

• Ponte Rectificadora
– Converte a tensão alternada sinusoidal da rede, numa tensão
unidireccional (positiva).
– Geralmente é de onda completa
– Pode ser constituída por 4 díodos rectificadores individuais, ou sob
forma de um só componente (díodos encapsulados ou integrados)

Fonte de Alimentação Linear – O Filtro

• O Filtro
– É normalmente do tipo passa baixo.
– Nas fontes mais simples, é constituído apenas por um condensador de
valor elevado (Eletrolítico).
– O seu valor pode variar desde algumas centenas de μF à gama dos
milhares de μF (1000 μF, 2000 μF, 4000 μF, etc…).
– Em circuitos mais elaborados, pode ainda conter bobinas, formando
malhas LC.

10

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Fonte de Alimentação Linear – O Filtro

• Ripple ou Ondulação de saída


Variação (indesejada) da tensão de saída de
uma fonte, resultante do processo de retificação
e filtragem.
É um dos parâmetros de avaliação da qualidade
de uma fonte (quanto menor for o seu valor
melhor é a fonte).
Os seus valores podem rondar a dezena de mV.

11

Fonte de Alimentação Linear – O Filtro

• Ripple de saída

12

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Fontes de Alimentação Lineares não
reguladas

• Fontes lineares em Kit (sem transformador)

13

Fontes de Alimentação Lineares não


reguladas

• Fontes Lineares não reguladas (Completas)

– O tamanho do condensador, do transformador e o diâmetro da


cablagem indicam a presença de correntes e/ou tensões
elevadas (P > 50W).
14

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Fontes de Alimentação Lineares não
Reguladas, Pilhas e Baterias.

• Inconveniente
Pilhas e Baterias: Queda de
tensão devido à resistência interna

Efeito de Carga
Fontes não reguladas: aumento
de tensão de ripple e consequente
queda do valor médio da tensão.

15

Influência da resistência Interna

• Fonte Ideal: Ri = 0Ω

• Fonte Real: Ri ≠ 0Ω

16

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Influência da Resistência Interna

• Exemplo 1: A fonte ideal


U 100V
Corrente na carga: I = = = 1A
R 100Ω
Tensão aos terminais da carga:
U L = R L × I = 100⋅ 1 = 100V = E

Ou seja, a tensão da fonte é toda aplicada à carga.

• Exemplo 2: A fonte real


U U 100
Corrente na carga: I = = = = 0.9A
R total R L + ri 110
Tensão na carga:

U L = R L × I = 100⋅ 0.9 = 90V

Ou seja, dos 100V produzidos pelo gerador, apenas


90 são aplicados à carga. Existe uma queda de 10V
na resistência da fonte com esta carga.
17

Influência da Resistência Interna

• Exemplo 3: A fonte real com diferentes cargas


RL RI IL UL
(Ω) (Ω) (A) (V)
100 10 0.9 91

50 10 1.65 83.4

U0 (V)
25 10 2.85 28.7
Fonte ideal (Ri=0)
100

91 • O aumento da corrente na carga, provoca


83.4 uma diminuição poporcional da tensão
aos seus terminais.
28.7
• Num sistema alimentado por pilhas ou
baterias (ex: telemóvel), este efeito
manifesta-se pelo seu aquecimento (efeito
de Joule).
0.9 1.66 2.85 IL(A)

18

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Regulação

• Regulação
– É a capacidade que uma fonte apresenta de fornecer na sua
saída as tensões e correntes para as quais formas projetadas,
independentemente das variações de carga e de alimentação.

Ex: As especificações de uma determinada fonte são:

Uo= 0 – 20V (fonte variável)


Iomax = 2 A (Corrente máxima)

– Isto significa que esta fonte deveria conseguir fornecer 2 A a


uma carga, em toda a gama de tensões (0 < Uo ≤ 20V).
– Na realidade, existem 2 parâmetro adicionais que caracterizam
a qualidade de uma fonte: a regulação de carga e a regulação
de linha.
19

Tipos de Regulação – Regulação de Carga

• Regulação de carga (Load regulation)


– É a variação da tensão de saída entre o seu valor máximo e o
seu valor mínimo.
Lr = Uon − UoL

Em percentagem temos:
Uon − UoL
%Lr = × 100
UoL
Uon – Tensão na saída sem carga (nominal).
UoL – Tensão na saída com a carga máxima (Imax.)

– Caracteriza a qualidade de uma fonte.


– Numa fonte ideal Lr=0% (Uon = UoL), assim, quanto menor for
este valor melhor será a fonte.
20

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Tipos de Regulação – Regulação de Linha

• Regulação de Carga - Exemplo

– Ex: Uma fonte de alimentação regulada apresenta uma tensão


de saída em vazio (sem carga), de 12V. Quando alimenta um
pequeno motor em plena carga (Imax), este valor desce para
11.3V . Determine e caracterize o valor da regulação de carga
desta fonte.
Lr = U n − UoL = 12− 11.3 = 0.7V

Em percentagem, temos:

U n − UoL 12− 11.3


%Lr = × 100 = × 100 = 6.2%
UoL 11.3

– Trata-se de uma má regulação (>>0%).

21

Tipos de Regulação – Regulação de Linha

• Regulação de linha (Line Regulation)

– É a variação da tensão regulada na carga, em função das variações de


tensão na rede.
Sr = U LHi − U LLo
Em percentagem, temos:
U LHi − U LLo
%Sr = × 100
U LHi

ULHi – Tensão regulada na carga com a alimentação máxima


ULLo – Tensão regulada na carga com a alimentação mínima

– Trata-se de outra forma de avaliar a qualidade de uma fonte.


– Numa fonte ideal Sr=0% (ULHi = ULLo), assim, quanto menor for este
valor melhor será a fonte.

22

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Tipos de Regulação – Regulação de Linha

• Regulação de linha - Exemplo

– Ex: Uma fonte de alimentação regulada apresenta uma tensão


de saída de 10V 0.3V, para uma alimentação de 230V
10%. Determine o valor da regulação de linha e das tensões
máxima e mínima na saída da fonte.
Sr = U LHi − U LLo = (10+ 0.3) − (10− 0.3) = 10.3− 9.7 = 0.6V

Em percentagem, temos:
U LHi − U LLo 10.3− 9.7
%Sr = × 100 = × 100 = 6%
U LHi 10.3

– Se a entrada aumentar 10% (230V+10% = 253V) è UL = 10.3V


– Se a entrada diminuir 10% (230V-10% = 207V) è UL = 9.7V
23

Fonte de Alimentação Regulada

• Solução
– Acrescentar entre a saída da fonte e a carga, um circuito que
compense, atenue ou elimine as variações de tensão na carga,
ou seja, estabilize o valor da tensão, independentemente das
variações de tensão na rede e de corrente na carga.

REGULADOR

24

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Reguladores Integrados Monolíticos

Reguladores Integrados
– São circuitos reguladores encapsulados sob forma de circuito
integrado assumindo os mais diversos formatos.

25

Reguladores Integrados Monolíticos

- Permitem a regulação de diversas tensões fixas (positivas e


negativas), ou variáveis (reguladores de saída variável).

Tensão Tensão Principais


Referência Corrente
de saída regulada Fabricantes
7805 5V
7806 6V
7812 12V
Fixa 7815 15V 1.5 A
7818 18V
7820 20V
7824 24V
LM117/317 1.2 – 37V 1.5 A
Variável
LM150/350 1.2 – 33V 3A

26

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Reguladores Integrados - Familia 78xx

Corrente de
Vasta gama de saída até 1.5 A
tensões fixas de Diversos
saída formatos
disponíveis
Protecção contra
sobrecarga
Protecção
contra curto-
circuito

Limitador de
corrente interno
Disjuntor
térmico

Teoricamente Possibilidade de fornecer


indestrutível saídas variáveis

27

Reguladores Integrados - Familia 78xx

• Circuito típico

28

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!


Reguladores Integrados Variáveis -
LM117/317 - LM150/350

• Circuito típico

29

ESJR - uma escola presente a pensar no futuro!