Você está na página 1de 2

1) Qual o princípio de funcionamento dos processo TIG e Plasma?

 TIG (tungsten inert gas):

O processo TIG utiliza como fonte de calor um arco elétrico mantido entre um eletrodo não
consumível de tungstênio (que nunca deverá se fundir para evitar defeitos ou descontinuidades no cordão
de solda) e a peça que deverá soldada.

O arco elétrico é criado pela passagem de corrente elétrica pelo gás de proteção ionizado,
estabelecendo-se o arco entre a ponta do eletrodo e a peça. O processo poderá ser efetuado através de
corrente contínua (modo direto ou indireto) ou corrente alternada.

A proteção da região de soldagem é feita por um fluxo de gás inerte (normalmente gás argônio ou
uma mistura de gases inertes).

A soldagem pode ser feita com ou sem metal de adição (autógena).

 PLASMA:

O processo de soldagem plasma é uma extensão do processo de soldagem TIG.

O processo consiste em provocar numa coluna de gás (com o auxílio de um arco elétrico) o
aumento de sua temperatura, visando promover a dissociação e ionização do gás.

O gás inonizado é forçado a passar através de um orifício de parede fria (bocal) e esta repentina
mudança provoca um grande gradiente térmico entre o centro da coluna de gás com periferia (que está em
contado com a parede de cobre), fazendo com que a densidade no centro da coluna diminua e ajude os
elétrons adquirem energia suficiente para provocar a ionização de outros átomos (formação do plasma).

Este efeito eleva de maneira sensível o grau de ionização da coluna do arco e sua temperatura,
possibilitando o aumento da taxa de energia transferida para a peça a ser soldada. O aumento da
velocidade do plasma é uma consequência direta da constrição.

A proteção da peça de fusão é obtida parcialmente com o gás ionizado a alta temperatura (que
escoa através do bocal de constrição) e uma proteção auxiliar de gás injetado injetado sobre a poça de
fusão através de um canal no bocal (normalmente utiliza-se gás inerte ou uma mistura de gases).

O processo de soldagem é efetuado através do aquecimento das peças através do arco que sofreu a
constrição no bocal.

2) Qual a principal diferença entre estes 2 processos?

Em ambos os processos há o plasma (coluna de gás inonizado) e o arco elétrico.


A diferença básica encontra-se no bocal: no processo plasma, o bocal promove a constrição do arco
e possui um um arco-piloto (para a abertura do arco principal). No processo TIG, o eletrodo se estende para
fora do bocal e permite a visualização completa do arco, que assume a forma aproximada de um cone.
Assim, a região aquecida pelo arco é relativamente grande e pode ser afetada por campos magnéticos. A
área da base do cone que se projeta sobre a superfíce da peça a ser soldada varia com a distância da tocha
à peça (comprimento do arco). Portanto, pequenas mudanças no comprimento do arco, produzem uma
varização relativamente grande na taxa de calor transferida para a peça.

No caso do processo de soldgem a plasma, o eletrodo é alojado no interior do bocal de constrição.


O arco é colimado e focalizado por esse bocal e se projeta em uma área relativamente pequena sobre a
peça a ser soldada. A coluna do arco que emerge do bocal pode ser considerada, com boa aproximação, um
cilindro. Assim, o jato por plasma pode ser considerado como sendo rijo, e praticamente não ocorre
variação da área projetada pelo arco com a variação (dentro de certos limites) do comprimento do arco e é
menos afetado por campos magnéticos.

Você também pode gostar