Você está na página 1de 5

Psicologia Esotérica I

Pelo Mestre Tibetano Djwhal Khul

(Alice A. Bailey)

(Tradução para o Português por Marjory Vasconcelos - 2016)

PREFÁCIO

Cada vez que se publica um libro para os aspirantes veementes, surge o


questionamento: Que método de ensino será utilizado para um treinamento mais ágil? A
rapidez é um fator essencial, caso queira aproveitar corretamente o desenvolvimento atual e
aliviar a tensão e a austeridade existente no mundo. Os ensinamentos a serem transmitidos
deverão acrescentar analogamente a capacidade mental, e conduzir à estabilidade do corpo
emocional, que permitirá libertá-lo, de forma rápida, para prestar serviço. Deve recordar-se
que o estudo constante sobre a Sabedoria Eterna, e a captação de seus enunciados por meio
da audição e da visão, só servem para aumentar a responsabilidade, ou produzir fadiga
mental e estagnação, com a consequente rebeldia frente às instruções. Unicamente, o que é
aplicável na vida, tem valor prático e se mantem vivo. Aqueles de nós que se dedicam aos
ensinamentos, inevitavelmente, buscam pela sinceridade acima de tudo.

Àqueles que leem meus livros, lhes esclareceria que o principal resultado que espero
obter é a colaboração e a compreensão grupal, e não o benefício individual. Estudando e
lendo minuciosamente, se estabelece uma interação e se logra uma maior integração grupal;
se vinculam mais intimamente os membros que o compõe e se fusionam mais como grupo,
com o Plano que os Grandes Seres estão desenvolvendo. Construindo e fazendo planos para
o futuro da humanidade, e não para o desenvolvimento pessoal de determinado aspirante. O
progresso individual não tem significado algum. A formação e o desenvolvimento de um
grupo de aspirantes consagrados e instruídos para trabalhar juntos e responder de forma
unânime aos ensinamentos, é de verdadeira importância para aqueles de nós que são
responsáveis pelo treinamento e preparação do grupo de discípulos mundiais que atuará de
forma livre e poderosa em um ciclo posterior. Vocês veem apenas uma ínfima parte do
Plano. Nós vemos o Plano à medida que se desenvolve durante uma série de vidas futuras;
e hoje buscamos àqueles, aos quais possamos ensinar a trabalhar em grupo, e assim,
constituir uma das unidades que estarão ativas nos grandes acontecimentos vindouros,
vinculados à terça parte da humanidade que seguirá o caminho ao finalizar esta era; e o
outro terço aguardará por um próximo desenvolvimento. Instruímos a homens e mulheres
em todas as partes, para que possam ser sensíveis ao Plano e à vibração de seu grupo, e
colaborem inteligentemente com o propósito em desenvolvimento. É um erro acreditar que
o Plano significa treinar aspirantes para que sejam sensíveis à vibração de um Mestre ou a
da Hierarquia. Isto é somente incidental e de pouca importância.

Estes livros foram escritos com o propósito de instruir aspirantes com a finalidade
de que desenvolvam a percepção grupal. Pessoalmente, devem reconhecer que ninguém é
importante, mas o grupo certamente é. O ensinamento não é disseminado com o único fim
1
de instruí-los e oferecer-lhes uma oportunidade. A vida propriamente dita é uma
oportunidade, e a reação individual a esta oportunidade é um dos fatores que demonstram
desenvolvimento da alma. Para isto, basta o treinamento na escola do mundo.

Ao difundir a verdade não se deve impor autoridade alguma. Os aspirantes deverão


sentir-se livres para se beneficiar, ou não, dos ensinamentos; o trabalho espiritual deve
progredir pela livre escolha e pelo esforço voluntário do estudante. Em meus livros foram
traçadas três linhas fundamentais de ensino:
Primeira, foram dadas técnicas comparativamente novas sobre o controle do corpo;
Segunda, foram divulgados ensinamentos sobre a formação do Novo Grupo de
Servidores do Mundo;
Terceira, foram tratadas as linhas gerais do trabalho mágico da criação.

A primeira linha de ensino se refere ao indivíduo e seu desenvolvimento; a segunda


indica a natureza e os ideais do grupo, no qual poderá ingressar, caso tenha assimilado o
ensinamento e aprendido a controlar-se; a terceira, se puderem compreendê-la, detalha em
certa medida, os métodos e formas de trabalho que serão empregados durante a futura nova
era.
Reflitam sobre estas três principais abordagens à verdade, e racionalizem com
lucidez mental. A apreciação mental de seu significado trará compreensão e acrescentará
analogamente a captação grupal do ensinamento que tratei de difundir. Todo estudante que
pensa com clareza e aplica os ensinamentos em sua vida diária contribui valiosamente com
a percepção do grupo.

O aspirante se pregunta com frequência: “Sirvo para algo? Como posso servir ao
mundo em minha pequena esfera? ” Permitam-me responder a estas perguntas dizendo, que
se levam mentalmente o conteúdo deste livro à mente do público, se explicam ao próximo
os ensinamentos que difunde, e vivem uma vida de acordo com os estes, o serviço prestado
por ti será real.

Isto necessariamente implicará a consagração da inteira personalidade para ajudar a


humanidade e a promessa feita ao Eu Superior de que fará o esforço necessário para
esquecer-se do eu inferior ao servir – serviço que se prestará no lugar e circunstância que o
destino do homem e seu dever se deparem. Me refiro à renovação do esforço para lograr a
purificação de todos os corpos, de maneira que o homem chegue a ser um canal e um
instrumento puro, através do qual, possa fluir, sem obstáculos, a força espiritual; e também
adotar a atitude em que o aspirante nada deseja para o “eu separado”, e considera que tudo
o que possui poderia oferecer no altar do sacrifício para ajudar a seus irmãos. Se todos os
que leem este livro pudessem ver os resultados deste esforço unido, efetuado
conjuntamente, surgiriam grandes coisas desta atividade grupal empreendida
inteligentemente. A maior parte das pessoas vão de um lado a outro, atrás de um ou outro
indivíduo, de um trabalho a outro, e nada logram, nem obtêm resultados grupais, pois
atuam sem coordenação inteligente. Um esforço grupal conjunto trará como resultado uma
inspirada reorganização do mundo inteiro, mais a eliminação de obstáculos, se fará
verdadeiros sacrifícios, e se renunciará ao que desejam e querem a fim de servir aos
propósitos do grupo.

Acima e sobre tudo, se deve eliminar o temor. Este tema já o abordei extensamente
no “Tratado sobre Magia Branca”, e dei certas regras e fórmulas para dominar o medo.
Quantos dos que leram estes ensinamentos assimilaram a informação difundida? Uma vez

2
que o mundo demanda ajuda, não quer o leitor eliminar o temor e seguir adiante com
determinação, alegria e valor, rumo ao futuro?

Todos os livros que escrevi contém um propósito definido e uma crença planejada
do ensinamento. Será de utilidade detalhá-los:
O primeiro livro publicado foi “Iniciación Humana y Solar” (Iniciação Humana e
Solar). Estava destinado ao aspirante comum, para desperta-lo e leva-lo a visualizar um
grupo de instrutores organizados, que tratavam de ajudar a humanidade (e incidentalmente
a ele), e lhe proporcionar algumas ideias sobre a técnica do trabalho e de como proceder.
No livro “Cartas sobre Meditación Ocultista” (Cartas sobre Meditação Ocultista),
se indica a forma de chegar a esses instrutores e a disciplina que devem praticar na vida
para percorrer a senda. Estes dois livros são especialmente para aspirantes.
“Tratado sobre Fuego Cósmico” (Tratado sobre Fogo Cósmico) é de índole
totalmente diferente. Em última análise, é um guia para os iniciados do mundo, que deixará
de olhar para si mesmo e seu próprio desenvolvimento e passará a observar um conceito
mais vasto e um ideal universal. A característica do iniciado é: a falta de interesse em si
mesmo, em seu próprio desenvolvimento e em seu destino pessoal; e todo aspirante que
chega a ser discípulo aceito, tem que dominar as técnicas de desinteresse, distanciar-se do
grupo de trabalhadores e daqueles que o constitui, e fixar-se em horizontes mais amplos e
em campos de atividades mais vastos. Este livro se ocupa do grande Plano criador, suas
leis, suas técnicas de desenvolvimento, e do trabalho dos Construtores do Universo. Detrás
do acúmulo de feitos difundidos que subjaz em todo o ensinamento, existe a ideia da grande
Vida com Sua própria psicologia e ideias. Trata de dar um quadro resumido da Mente de
Deus ao realizar seus Planos através dos Filhos menores da Mente. Por meio de símbolos e
frases arcaicas, foi velada a verdade e os princípios que estão na raiz do processo criador, e
estão além das capacidades do estudante avançado. Ao mesmo tempo, constitui um valioso
compendio de informação que servirá para transmitir a verdade e desenvolver a intuição.
O último livro, “Tratado sobre Mágia Blanca” (Tratado sobre Magia Branca),
similar ao “Tratado sobre Fuego Cósmico”. Assim como o primeiro trata da psicologia da
Divindade, a atuação do Macrocosmos e as leis mediante as quais rege o Logos Solar, o
presente livro constitui um tratado sobre a psicologia de um Filho de Deus e a atuação do
microcosmos. Concerne intimamente ao lugar que Ele ocupa no todo maior, sendo de
aplicação prática na vida diária.
Também ajudei a A.A.B. a traduzir os Aforismos da Yoga de Patanjalí, livro
(titulado “La Luz del Alma” – A Luz da Alma) destinado a explicar ao aspirante as regras
pelas quais podem ser desenvolvidas a luz que nele existe e a aplicação do poder da
intuição aos problemas e aos fenômenos da própria vida.
También he ayudado a A. A. B. a traducir los Aforismos de la Yoga de Patanjalí,
libro de enlace (titulado La Luz del Alma) destinado a explicar al aspirante las reglas por
las cuales puede ser desarrollada la luz que en él existe y aplicado el poder de la intuición a
los problemas y a los fenómenos de la vida misma.

Agora vou cumprir a intenção de escrever um livro sobre o tema dos Sete Raios,
tópico que sempre foi de interesse para os estudantes, pois pouco se sabe sobre os raios.
Pela Doutrina Secreta sabemos que são Forças construtoras, e a soma total de tudo o que há
manifestado no universo, mas seu efeito no reino humano, e sua qualidade e natureza
essenciais seguem sendo um mistério. É necessário que se omita a “nota cósmica”, se for
possível denomina-la assim, porque quero que a informação seja de valor prático para o
estudante e o leitor inteligente. Portanto, encararei o tema a partir do ponto de vista da
família humana e o abordarei em termos de valores psicológicos, fincando as bases para a

3
tão necessária nova psicologia, e assim ocupar-me principalmente da equação humana. A
seguir comentarei, com a finalidade de ampliar as palavras que estão em prólogo de “La
Doctrina Secreta” (A Doutrina Secreta): “Todas las Almas son una con la Super-Alma”
(Todas as Almas são uma com a Super-Alma).

Aceitaremos desde o princípio a realidade da existência da alma. Não


consideraremos os argumentos em prol ou contra a hipótese de que existe uma alma –
universal, cósmica e divina, ou individual e humana. Para fins de nosso estudo, a alma
existe, e se supõe sua realidade intrínseca como um princípio fundamental e provado.
Porém, aqueles que não aceitam esta suposição, podem estudar o livro desde o ponto de
vista de uma hipótese temporariamente aceita, e tratar de reunir as analogias e indicações
que possam sustentar tal ponto de vista. Para o aspirante e àqueles que buscam comprovar a
existência da alma, porquê creem em sua existência, na tradição e na expressão de suas leis,
em sua natureza, origem e potencialidades, se converterão em um fenômeno que
gradualmente experimentará e se aprofundará.

As indicações e sugestões que eu possa fazer, lhes antecipo que serão demonstradas
cientificamente durante a futura era aquariana. A ciência, para esse tempo, haverá
adentrado um pouco mais no campo dos fenômenos intangíveis, mas reais; haverá
descoberto (quem sabe já o tenha feito) que o denso e concreto não existe; saberá que há
apenas uma substância presente na natureza, em diversos graus de densidade e atividade
vibratória, e que esta substância é impulsionada por um urgente propósito que expressa a
intenção divina.

Trataremos de evitar, na medida do possível, essas vagas generalizações tão penosas


para a mente analisadora e acadêmica, nas quais o místico encontra tanto alívio e regozijo.
Contudo, quero pedir aos que estudem este tratado, que reservem sua opinião e não formem
um juízo cristalizado enquanto não haja sido apresentado o tema em sua totalidade, e
percebido claramente seu delineamento e estejam elaborados, em certa medida, os detalhes.

Será necessário apresentar o tema sobre uma base ampla e vincular o individual ao
geral; isto talvez pareça, a princípio, um tópico muito extenso, uma apresentação demasiado
especulativa e um delineamento vago e nebuloso, mas não pode ser evitado, porquê o
argumento – como em todo trabalho verdadeiramente oculto – deve ser considerado do
universal ao particular, do cósmico ao individual. Devido ao homem ainda se interessar
demasiadamente pelo particular e individual, creem fácil aplicar o mesmo interesse ao
grande Todo, do qual vivem, se movem e têm seu ser. Eles não possuem, como regra geral,
esse mecanismo interno de pensamento e essa percepção intuitiva da verdade que lhes
permita captar facilmente o significado do que subsiste no simbolismo das palavras, ou ver
com caridade o delineamento subjetivo que está por trás da forma objetiva. Mas o esforço
por compreender, terá sua própria recompensa; a tentativa de captar e compreender a Alma
– cósmica, universal, planetária e individual – conduz inevitavelmente a um
desenvolvimento do aparelho mental (com o consequente desenvolvimento das células
cerebrais que se encontram ainda inativas), que oportunamente produzirá a coordenação da
faculdade pensante e consequente iluminação.

Além do mais, deverá ser considerada a natureza de nosso universo septenário e


observar a relação do triple ser humano com a Trindade divina. É valorável ter uma ideia
geral de todo o quadro simbólico. Cada estudante, à medida que se empenha no estudo dos
raios, deve sempre estar ciente que ele mesmo – como ser humano – tem seu lugar em um

4
destes raios, e isto se apresenta como um problema real. O corpo físico poderá responder a
um tipo de força que corresponde ao raio, enquanto a personalidade, como um todo, pode
vibrar em uníssono com outro. O ego ou alma pode pertencer também a um terceiro tipo de
raio. A questão do raio monádico, em muitos casos introduz um novo fator, mas isto apenas
pode ser insinuado, e não elucidado. Como disse repetidas vezes, só um iniciado da terceira
iniciação pode chegar a fazer contato com seu raio monádico, ou com seu aspecto do vida
mais elevado; mas o humilde aspirante não pode ainda saber se é uma mônada de Poder, de
Amor ou de Atividade Inteligente.

Para finalizar, lhes pediria sua sincera colaboração no trabalho que empreendemos.
Este livro será de maior valor geral e público, que qualquer de meus outros livros.
Procurarei que este tratado sobre a alma seja relativamente breve. Tratarei de expressar
ditas verdades abstratas, de tal modo, que o público em geral, interessado na alma, possa ser
atraído e adquira uma compreensão mais profunda do que ainda é uma velada suposição.
Na Era aquariana demonstrar-se-á a realidade da alma. Isto é só uma tentativa realizada em
meio às dificuldades de um período de transição que ainda carece da terminologia
necessária para apoiar tal demonstração.

Permitam-me acrescentar também que a atitude que vocês deveriam adotar diante
das instruções expostas, é a do estudante que busca essa verdade que possa ser verificada e
essa informação que possa ser aplicada à vida diária e provada no crisol da experiência da
vida. Por exemplo, se existem verdadeiramente sete raios que personificam sete tipos de
energia divina, então um homem deveria ser capaz de reconhecer estes tipos e energias, em
particular campo de fenômenos, no qual desempenha sua pequena parte. Se a verdade que
se difunde está velada com simbolismos e é oferecida como uma hipótese, deve ser ao
mesmo tempo suficientemente desvelada para que seja reconhecida e também exercer uma
atração consideravelmente inteligente, como para justificar sua investigação. As palavras
“todas as almas são uma com a Super-Alma”, creio que podem personificar e personificam
essa informação fundamental e essencial, mas se não se evidencia no mundo que está
surgindo uma relação vivente entre os seres sensíveis, tal afirmação carece de sentido. A
realidade é que em todas as partes se reconhece que existe e se está desenvolvendo a
sensibilidade universal e a percepção geral. O mundo está cheio de conhecimento que é, em
última análise, a resposta sensível às condições existentes das mentes que estão em
processo de desenvolvimento, mas que ainda não lograram totalmente. Se evidencia de
forma gradual que sob a diversidade reside uma unidade fundamental, e que nossa
percepção é equivalente e verdadeira, e correta, na medida que possamos nos identificar
com essa unidade.

Para finalizar, peço a todos que sigam adiante. Que nada do passado – inercia física,
depressão mental, falta de controle emocional – lhes impeça de começar novamente, com
alegria e dedicação, e fazer o necessário progresso que os capacitará para servir em forma
mais útil e ativa. Que ninguém se veja inibido pelo passado ou presente, e sim que possa
viver como observador, é a súplica constante e fervorosa de vosso instrutor.

O TIBETANO.