Você está na página 1de 39

Minimalismo

Simplifique sua Vida

Samanta R. Rodrigues
Copyright © 2015 Samanta R. Rodrigues

Todos os direitos reservados.


AVISO

O conteúdo abaixo reflete a opinião do(a) autor(a) e não deve ser tomado
como orientação ao leitor, que pode ou não assumir as diretrizes ou seguir as
informações ora elencadas, tudo por sua conta e risco.

Sempre procure a assessoria de um profissional especializado para


orientá-lo em sua tomada de decisão.
ÍNDICE

Introdução
Capítulo 1: O estilo de vida minimalista
Capítulo 2: Livrando-se da tralha
Capítulo 3: Como tornar-se um minimalista
Capítulo 4: Os benefícios do minimalismo
Capítulo 5: Razões para o crescimento do minimalismo
Capítulo 6: Menos é mais
Capítulo 7: Perguntas e respostas sobre o minimalismo
Introdução

Neste livro, encoraja-se a adoção de um estilo de vida minimalista. São


oferecidos os passos que o leitor ou leitora pode adotar para viver uma vida
plena, sem os excessos que caracterizam a sociedade moderna. Trata-se de
obter conforto com menos coisas, e de fazer mais com essas coisas. Ao longo
do texto, serão passadas dicas sobre como adotar o estilo de vida minimalista.
Para que tudo isso aconteça, é necessário saber quais são as nossas metas e os
nossos sonhos. Esses objetivos podem ser o combustível que estava faltando
para nos empurrar em direção ao minimalismo.

Uma vez adotadas as dicas deste livro, você poderá se livrar das coisas
que não fazem mais sentido na sua vida, a exemplo da tralha acumulada em
casa. Você poderá então escolher aquilo que deixará entrar na sua vida, e o
que não poderá nela ingressar.

Sim, o minimalismo requer que você se livre da tranqueira acumulada


pelos cantos. E que você tenha só as coisas essenciais. Você pode ajudar não
só a si mesmo, mas também a outras pessoas, quando por exemplo doa as
coisas de que não mais necessita. Ou as coisas repetidas, de cujas cópias você
não precisa. Você também poderá reconsiderar suas rotinas diárias e reduzir a
quantidade de compromissos que lota sua agenda, a fim de encontrar tempo
para fazer as coisas que o deixam feliz.

Neste livro, serão delineadas maneiras pelas quais você pode se tornar um
minimalista. A adoção desse estilo de vida traz diversos benefícios, a
exemplo de: viver uma vida com menos stress, mais liberdade, mais
organização, mais tempo para as coisas significativas, e também mais
dinheiro.

Por fim, serão explicadas as razões pelas quais o movimento minimalista


tem ganhado projeção nos últimos anos, em várias partes do mundo.

Feitas essas breves considerações – e para evitar o excesso de palavras –,


vamos direto ao assunto, fornecendo, já no primeiro capítulo, dicas para a
adoção do minimalismo no dia a dia.

***
Capítulo 1: O estilo de vida minimalista

O mundo moderno se caracteriza pela abundância de escolhas. Temos à


nossa disposição um sem-número de coisas que tornaram o nosso dia a dia
mais confortável. Com essa quantidade de opções, é fácil cair nesse “mar” de
excessos e supérfluos, quando você poderia simplificar tudo. É dessa
simplificação que trata a vida minimalista.

As pessoas tendem a carregar uma “bagagem” de tranqueiras e atividades


inúteis, das quais seria melhor se livrar. Esses excessos prejudicam não
apenas nossa vida material e financeira, mas também os aspectos físicos,
mentais e emocionais de nosso eu.

A fim de escapar dessa verdadeira “corrida de ratos”, cumpre adotar uma


versão minimalista da vida, simplificando-a para que foquemos nos desejos
realmente úteis para nós mesmos e para as pessoas que nos são caras.

É preciso adotar uma decisão intencional para conceder acesso apenas às


coisas importantes em nossa vida, descartando as que não são importantes.
Então vem a pergunta: como é possível simplificar a vida, depois de tantos
anos de excessos?

A seguir, apresentamos alguns passos para a adoção de um estilo de vida


minimalista.

Conheça seus sonhos e desejos mais profundos

O primeiro passo em direção ao minimalismo consiste em identificar seus


sonhos, ou seja, as coisas que você deseja no fundo do coração. Isso pode ser
fácil para algumas pessoas, mas difícil para outras. O melhor modo de fazer
isso é criar uma “declaração de missão” para sua vida. Nela, você pode
colocar algumas metas que precisa cumprir dentro de uma determinada data.
Identifique os objetivos mais importantes e os priorize, de acordo com a
importância. Você pode até mesmo procurar fotos e imagens do seu estilo de
vida “dos sonhos” na Internet.

Uma vez estabelecidas as metas, é hora de começar. Sonhe e trabalhe na


realização dos seus sonhos. Depois de começar, fica mais fácil continuar
trabalhando em direção às conquistas desejadas. Você perceberá que, ao
delinear as metas mais importantes, as coisas menos importantes da vida
perderão a significância que pareciam ter.

Livre-se das coisas que não lhe servem

Agora que você já identificou os desejos mais profundos, já sabe quais


coisas, pessoas, atividades, metas, investimentos, etc. devem permanecer na
sua vida, e quais deve liberar.

Você também pode identificar as coisas que não acrescentam valor à sua
vida, e que, portanto, não têm lugar na sua jornada em direção à realização
dos sonhos. Remova essas coisas dos seus pensamentos, sentimentos e ações.
Você perceberá que agora há mais espaço para o que realmente importa. A
simplificação significa uma vida mais livre e menos cara.
Escolha o que entrará na sua vida

Quando só as coisas importantes têm permissão para adentrar sua vida,


sobrará espaço onde antes havia apenas tralha. O que fazer como todo esse
espaço “criado”? Não se apresse para preenchê-lo! Não retorne à rotina dos
excessos; afaste-se inclusive da mentalidade dos excessos. Acostume-se com
o espaço recém-criado.

Quando surgir a liquidação de um fantástico eletrodoméstico que pica


cebola, cozinha arroz, descasca alho e canta músicas sertanejas ao mesmo
tempo, pergunte-se: isso está de acordo com os meus desejos e sonhos?
Acrescentará valor à minha vida? Me trará alegria? Estou tentando preencher
um vazio com essa coisa? Essas questões o ajudarão a analisar a
oportunidade que aparece. Trata-se realmente de uma oportunidade, afinal de
contas?

É hora de escolher com cuidado as coisas e atividades. Não se contente


apenas com uma vida mediana. Queira levar uma vida ótima. Isso ajudará na
identificação das coisas que merecem sua atenção, separando-as das coisas
que não valem seu tempo e dinheiro.
***
Capítulo 2: Livrando-se da tralha

Muitas pessoas se entusiasmam com a ideia de viver uma vida simples e


livre de tranqueiras. Como ficará claro neste livro, são inúmeros os benefícios
do estilo de vida aqui retratado: menos stress, menos dívida, mais espaço,
mais tempo, maior organização, etc.

Surge então a ideia de eliminar os bagulhos inúteis. E, em seguida,


aparece a questão: por onde começar?

Limpar sua vida pode ser umas das coisas mais simples a se fazer. Mas,
para outros, uma vez que a fase de animação tenha passado, surgem a pressão
e a ansiedade de ter de limpar muita coisa, e jogar muita coisa fora. A tarefa
parece difícil. No entanto, a jornada não precisa ser um bicho de sete cabeças.

A seguir, apresentamos algumas dicas sobre como você pode arrumar sua
vida e adotar um estilo minimalista significativo.

Tire 5 minutos

Parece simples, e é: arrume cinco minutos para começar a limpar sua


vida. Todo dia. 5 minutos não vão afetar sua rotina diária, mas são os “passos
de bebê” de que você precisa para começar a limpeza. Por cinco minutos,
pegue coisas de que você não necessita no quarto, e as empilhe. Separe as
coisas para jogar no lixo, ou doar para alguém. Celebre quando terminar.
Amanhã, você pode separar outros cinco minutos para trabalhar no próximo
cômodo. No final da semana, você terá limpado sua casa de modo
significativo, e se livrado de muitos bagulhos inúteis que só ocupavam
espaço.

Doe um item por dia

Esse é um dos modos mais simples e simpáticos de limpar a casa. Muitas


vezes, nos damos conta de que temos muitas coisas que não nos servem mais,
e não sabemos como nos livrar delas. Doar um item por dia é uma maneira
conveniente de se livrar das coisas que não nos são mais úteis, mas que
servem a outras pessoas.

No final do mês, serão menos 30 coisas atravancando o espaço doméstico.


Em um ano, serão 365. Em alguns anos, você permanecerá apenas com os
itens essenciais.

Tente o experimento do cabide

O experimento do cabide, que se popularizou no programa da Oprah


Winfrey, não se originou necessariamente dessa personalidade da televisão
norte-americana. O experimento do cabide permite que você identifique as
peças do guarda-roupa de que pode dispor.
Vamos examinar como os cabides estão colocados no guarda-roupa. Na
foto acima, podemos dizer que o cabide está na posição “normal”, com o
gancho com a abertura à esquerda.

Se os cabides no seu guarda-roupa estão com o gancho à esquerda (em


direção à porta), vire todos eles para que o gancho fique voltado à parede do
guarda-roupa.

Após ter vestido uma roupa (e lavado a mesma, esperamos), coloque-a em


um cabide virado no sentido contrário ao dos demais. Pendure a roupa.

Depois de algumas semanas ou meses, você conseguirá dizer quais roupas


você realmente usa, e quais não usa. As que você não usa, poderá doar.

Esse experimento pode ser replicado também na cozinha, em relação aos


potes de comida.
Reduza seus compromissos

Às vezes, nossas vidas estão atravancadas de compromissos e tarefas que


temos de desempenhar. Em certos casos, a quantidade de coisas a fazer é
tamanha, que acabamos fazendo muito pouco. Temos coisas a fazer na
faculdade, no trabalho, em casas, com os amigos, com a família, etc.

Crie uma lista das atividades e compromissos em todas essas áreas. Isso
abrirá seus olhos para o que anda acontecendo em sua vida. Após fazer a
lista, observe as atividades que trazem sentido e alegria à sua vida quando
você as realiza. Destaque as coisas que você ama fazer, e então descarte o
resto. Você também precisa dizer não aos compromissos que não vão
acrescentar muito à sua vida. Ao fazer isso, criará mais tempo para fazer as
coisas que lhe aprazem.

Repense suas rotinas

Muita gente atravessa a vida sem rotinas pré-determinadas. Elas fazem as


coisas ao acaso, sem planejamento. O problema dessa abordagem, é que ela
leva a um estilo de vida caótico, o que resulta em baixa produtividade no
trabalho e fora dele.

Tendo em vista essa realidade, você pode escolher realizar as tarefas em


blocos. Por exemplo, você pode lavar toda a roupa em um dia específico da
semana, em vez de em vários dias. Pode separar a correspondência que tem a
enviar, e fazer isso num dia específico. Se você já listou os compromissos
diários e semanais, já sabe quais tarefas devem ser desempenhadas quando.
Com ordem e rotina no dia a dia, e com o agrupamento de tarefas
semelhantes, você conseguirá mais tempo livre.

Experimente os números

Uma outra maneira de se livrar da tralha, é através dos números. Por


exemplo, você pode atribuir a si mesmo um determinado número de peças de
roupa que usará em, digamos, 3 meses. Você pode escolher 30 itens do
vestuário para usar nesse período, e ver o que vai acontecer. Se você acha
isso muito pouco, pode aumentar o número um pouco e ver se consegue
sobreviver com essas opções limitadas de itens. A ideia aqui é desafiar a si
mesmo, a fim de viver com menos, mas sem abrir mão do conforto.

Encare o desafio 12-12-12

Uma outra maneira de se livrar dos excessos domésticos é através do


desafio 12-12-12. Você deve identificar 12 itens da sua casa para jogar fora,
12 para doar e 12 para colocar no lugar certo. Ao começar sua jornada rumo
ao minimalismo, divirta-se nessa viagem em vez de sofrer ao longo do
caminho. Um desafio pode ser justamente aquilo de que você precisa.

Não é imprescindível topar esse desafio sozinho. Você pode convidar


familiares e amigos para o ajudarem. Será divertido descobrir quantas
tranqueiras você tem guardadas nos armários, baús, gavetas, etc.

Comece!

Qualquer que seja o método escolhido para se livrar dos bagulhos, o


fundamental é começar. Dê o primeiro passo e veja a diferença.

***
Capítulo 3: Como tornar-se um minimalista

Geralmente falando, as pessoas que querem se tornar minimalistas, ou


mudar seu estilo de vida para algo novo, cabem em três categorias. O
primeiro grupo é aquele que realmente quer a mudança de estilo de vida e
está pronto para começar a qualquer momento. O segundo grupo não quer
mudar seu estilo de vida e está em uma zona de conforto. O terceiro grupo
quer uma mudança de estilo de vida, mas não sabe por onde começar.

Tornar-se um minimalista requer que você adote algumas mudanças de


estilo de vida que pode achar desconfortável. Sem dúvida, se você cresceu
acostumado com muito quando criança, pode ser uma decisão difícil mudar
subitamente seu estilo de vida para tornar-se minimalista. Mas é possível. As
seguintes dicas o ajudarão a se tornar um minimalista e viver uma vida
simples e invejável.
Anote num papel

Primeiro, você precisa fazer uma lista de todas as razões pelas quais
precisa levar uma vida simples. Quer esteja cansado das visitas frequentes de
cobradores, quer queira passar mais tempo com sua família, escreva. Se sente
que já passou da hora de despedir seu patrão e contratar a si mesmo como seu
próprio chefe, chegou a hora de escrever isso também. O importante de
escrever é que isso lhe dará forças para prosseguir quando começar a desistir
mais para frente. Isso o ajudará a lembrar-se do que realmente importa e por
que está fazendo o que está fazendo.

Livre-se das duplicatas

Encontre uma caixa grande e passe por sua casa toda juntando todas as
réplicas e duplicatas. Vá para seu escritório e junte seus livros e arquivos. Se
tem duas cópias do mesmo DVD, coloque uma na caixa. Se tem duas
impressoras em seu quarto, coloque uma na caixa também. Faça isso na casa
toda, pegando tudo que tem em dobro e colocando na caixa. Quando esta
estiver cheia, feche-a e guarde. Rotule como ‘duplicatas’. Guarde-a por um
período determinado, digamos, 30 dias. Após 30 dias, se perceber que não
precisa de nenhuma das coisas na caixa, doe-a ou jogue fora se preferir.

Obtenha um espaço livre de desordem

Designe um espaço em sua casa como área livre de desordem. Este


espaço pode ser o balcão ou uma gaveta em sua cozinha. Também pode ser
seu armário ou guarda-roupa. Use essa zona sem desordem como inspiração
para viver com menos. Se após algum tempo perceber que gosta da zona
limpa e sem desordem, pode começar a expandi-la. Seu guarda-roupas livre
de desordem pode tornar-se o quarto inteiro. Depois, dois cômodos, e assim
por diante. Em pouco tempo, perceberá que sua casa está toda livre de
desordem, e que você está colhendo os frutos de uma vida minimalista.
Viaje com menos

A próxima vez que for viajar nas férias, considere colocar menos em sua
mala. Se for ficar fora duas semanas, faça as malas para apenas uma. Depois
que tirar as férias, pode encontrar formas de sobreviver usando a mesma
roupa duas vezes ou lavando e pendurando as roupas antes de usá-las
novamente. Esta experiência é para treiná-lo a carregar menos bagagem
consigo e ver se consegue. Se ao final da viagem perceber que se deu muito
bem, então chegou a hora de doar algumas de suas roupas e permanecer
apenas com o essencial.

Vista-se com menos

Considere adotar o Projeto 333. Esta ideia foi criada por Courtney Carver.
Ela sugeriu que você pode ter 33 itens de vestimenta e usá-los por 3 meses
para ver se consegue. Na maioria das vezes, não precisamos de todas as
roupas e joias que temos em nossos closets. Se perceber que pode viver
confortavelmente com 33 itens entre roupas e joias, pode livrar-se do
excesso. Na verdade, isso torna sua vida bem mais fácil e simples ao invés de
complicada.

Considere fazer refeições similares


Muitas pessoas acham difícil escolher o que comer para o almoço ou
jantar. Algumas levam até uma hora para decidir o que vão cozinhar para o
jantar. Isso é devido à grande variedade de escolha e por não saber o que é
melhor para você. Isso torna sua vida um pouco difícil e complicada. Se
pensar que passa mais ou menos uma hora todos os dias só para decidir o que
vai comer, imagine quanto tempo passa todo ano fazendo isso. Para evitar
esse estresse, pode comer a mesma coisa para o café-da-manhã e almoço todo
dia da semana e escolher entre três jantares para ver a diferença. Logo
perceberá que a vida se tornou bem mais simples e que você acabou
economizando muito do seu precioso tempo também.

Gaste menos, economize mais

Você pode separar um fundo de emergência para ajudá-lo a economizar


mais. Se está com dívidas grandes, pode começar a pagar seus débitos
devagar e com constância, começando pelos que têm as maiores taxas de
juros, e então começar a economizar. Adote a atitude “economize primeiro,
gaste depois”, e acostume-se a gastar menos e menos todo mês. Dê a si
mesmo uma meta, para que no fim do ano tenha economizado certa
quantidade de dinheiro. Verá que vive uma vida mais simples, já que não está
comprando coisas das quais não precisa. Isso o ajudará a viver gastando bem
menos daquilo a que está acostumado.

Para tornar-se um minimalista, você precisa adotar esses passos e muitos


outros, um de cada vez. Não chegará aonde quer imediatamente, pois leva
tempo para se adaptar a algumas dessas mudanças no estilo de vida. Mas uma
vez que se adapte, os benefícios serão imensos.

***
Capítulo 4: Os benefícios do minimalismo

O minimalismo busca colocar um fim à ganância que define nossa


sociedade hoje. Cada anúncio no rádio e na TV dá grande ênfase a acumular
mais e mais riqueza, de que não necessariamente precisamos. A ideia de
sucesso da mídia é o acúmulo de riqueza e viver uma vida de extravagância.
Acumulamos de tudo, de bens materiais a débitos e até mesmo caos. O que
resta de nós é uma vida sem qualquer significado.

O minimalismo busca filtrar seu estilo de vida e deixá-lo com coisas das
quais precisa, não o que você quer. Há muitos benefícios em viver uma vida
minimalista. Estes vão de menor estresse a menos débito e uma maior
organização das coisas. Aqui estão alguns dos benefícios.

Mais espaço para o que importa

O minimalismo encoraja você a livrar-se de coisas das quais não precisa e


manter aquilo de que necessita. Com o tempo, aprendemos que podemos
viver com bem menos do que acreditávamos. Quando você remove o excesso
de coisas das gavetas de sua cozinha e armários do quarto, percebe que há
mais espaço para coisas das quais precisa. Além disso, também cria uma
sensação de paz, já que não faz da sua vida um inferno para encontrar o que
busca. Quando você se livra da bagunça, cria mais espaço e dá sentido à sua
vida, não às coisas.

Mais liberdade

O problema com o acúmulo de coisas em sua vida é que isso tende a


prendê-lo. É como uma âncora. Quando você tem muitas coisas, obviamente
desenvolve o medo de perdê-las. Portanto, preocupa-se constantemente com a
possibilidade de perder essas coisas e passa grande parte do tempo tentando
protegê-las. Ter menos em sua vida dá um senso de liberdade que nunca
sentiu antes. No final, você se livra de débitos, da ganância e do desejo de ter
mais, e se livra também de trabalhar demais.

Mais tempo para a boa saúde e hobbies

Adotar um estilo de vida minimalista libera bastante tempo. Em vez de


passar todo seu tempo e energia na garagem do seu chefe, tentando consertar
um velho Cherokee sem sucesso, pode escolher pescar com seu filho ou fazer
compras com sua esposa. Pode aproveitar seu tempo fazendo o que ama.

Muitas pessoas se safam facilmente com a desculpa de que não têm tempo
suficiente para fazer exercícios e cuidar da saúde devido aos compromissos
do trabalho e assim por diante. Mas quando parar para pensar, você perceberá
que gasta todo o seu tempo fazendo coisas pelas quais não tem amor. O
minimalismo ajuda você a descobrir o que é importante. Ao invés de dar
prioridade ao trabalho, você pode dar prioridade à sua saúde e seus hobbies.
Pare de perder tempo e dinheiro comprando coisas das quais não precisa. Use
esse tempo mantendo-se em forma.

Menos materialismo

Dizem que dinheiro compra conforto, mas não felicidade. Tudo o que
compramos com dinheiro é mera distração da realidade de tentar preencher
um vazio dentro de nós. Quando você satisfaz suas necessidades básicas e
está confortável, é aí que a obsessão por dinheiro deve acabar. A mídia
exerce muita pressão para que acumulemos tanta riqueza material quanto
pudermos. Portanto, acabamos trabalhando e nos esforçando a vida toda,
tentando satisfazer essa ganância. Na plenitude do tempo, percebemos que foi
em vão, e que não somos felizes como acreditávamos que seríamos. Embora
possa ser difícil não cair na armadilha do consumismo, você precisa se
habituar à ideia de que o consumo exagerado não é o de que você precisa.

O minimalismo traz paz de espírito

Acumular riqueza cria preocupação dentro de você. Pode ser que você
nem saiba se tem o suficiente, porque a ganância o faz competir com outras
pessoas para ter mais do que precisa. O problema aqui é que sempre haverá
alguém mais rico e bem-sucedido que você. Portanto, você acaba se
estressando tentando encontrar mais riqueza e protegendo o que já tem. O
minimalismo ajuda a perder seu apego emocional a essas coisas e traz paz de
espírito. Você não tem medo de perder coisas porque não as tem. Quanto
menos tiver, mais paz terá.

O minimalismo traz alegria e felicidade

Livra-se do desnecessário em sua vida traz felicidade sem precedentes.


Você é capaz de pensar e fazer o que mais importa para você, e o faz feliz.
Quando se livrar das coisas das quais não precisa, para de se importar com
elas e o medo de perdê-las também vai embora. A felicidade virá
naturalmente porque você será mais eficiente em seu trabalho. Você se
concentrará mais nas poucas coisas que deve fazer, e curtirá o que precisa
fazer em seu próprio ritmo.

Sem medo de fracasso

Minimalistas vivem uma vida com menos. Mantêm apenas o de que


precisam. Não competem com pessoa alguma para conseguir nada. Por esta
razão, não têm medo de perder coisa alguma ou tentar conseguir mais.
Literalmente não têm nada a perder. Portanto, podem buscar qualquer coisa
que quiserem sem qualquer medo de fracassar.

Menos para você significa mais para os outros

Os recursos naturais da Terra são finitos na natureza. Todo e cada


organismo vivo possui uma parte desses recursos. Quando você adota um
estilo de vida minimalista, fica com sua parte justa e deixa uma quantidade
substancial para outros dividirem.

Embora essa ideologia possa ser controvertida, pode-se asseverar que há


muitas pessoas no mundo que têm menos do que precisam porque alguém
tem muito mais do que precisa. Adotar um estilo de vida minimalista é
imperativo para restaurar o equilíbrio da natureza.

***
Capítulo 5: Razões para o crescimento do minimalismo

Desde o final dos anos 70, após a ideia do minimalismo ser criada e
aceita, o conceito de minimalismo cresce a uma velocidade de quebrar o
pescoço. Isso acontece, em grande parte, porque a maioria das pessoas está
adotando o estilo de vida simples característico do minimalismo. Muitas
escrevem e tuítam a respeito. Há vários blogs e blogueiros que dedicam a
maior parte de seu tempo e recursos propagando a ideia do minimalismo.
Hoje, mais do que nunca, a maioria se sente atraída pelo estilo de vida
simplista de possuir menos. Então, por que o minimalismo está crescendo tão
rapidamente?

Turbulência econômica global

Uma das maiores razões pelas quais o minimalismo está crescendo pode
ser atribuída em grande parte ao tumulto financeiro vivido no mundo todo.
Salários estagnados e aumento do índice de desemprego resultam nas pessoas
reavaliando seus gastos diários, comprando apenas o que precisam. Operar
com um orçamento apertado fez com que muitas famílias reconsiderassem o
que compram diariamente. Hoje em dia, muitas pessoas compram só o
essencial.

Razões ambientais

Não há dúvidas de que o estilo de vida minimalista leva à conservação do


meio ambiente. Os recursos naturais da Terra são finitos na natureza, e por
isso, podem se esgotar com o passar do tempo. Por essas razões, muitas
pessoas perceberam que é melhor possuir menos e economizar mais para o
benefício do meio ambiente. Menor consumo por seres humanos equivale a
menor uso dos recursos naturais do planeta.

Altas dívidas pessoais


Viver a vida em excesso é sempre acompanhado por dívidas. Pessoas que
vivem com muito acabam vivendo além dos próprios meios porque estão
constantemente competindo com outras. Esta competição faz com que
queiram adquirir coisas das quais não necessariamente precisam, só para
mostrar que têm mais. Após vários anos vivendo esse tipo de vida, finalmente
entendem que não vale o esforço. Quando as dívidas pesam em você, não há
nada que possa fazer com o pouco que tem. Para salvar-se dos débitos, as
pessoas agora estão optando por comprar menos e economizar mais. Estão
escolhendo o tipo de vida minimalista.

Aumento da consciência global

Pobreza, desnutrição e injustiça sempre existiram no mundo. Antes das


câmeras, isso era escondido. Mas hoje, podemos ver tudo o que se dá ao
redor do mundo no momento em que acontece. A tecnologia tornou o mundo
uma vila global, e podemos ver imagens de fome e desespero por todo o
globo. Por este motivo, a maioria das pessoas decidiu destinar suas finanças
para uma causa maior do que elas próprias. Não compram mais coisas das
quais não precisam. Ao invés disso, o dinheiro é destinado a alimentar os
famintos e tornar a vida melhor para os menos favorecidos. De sua parte, elas
ficam apenas com o que é essencial.
Avanços da computação pessoal

O avanço na computação pessoal aumentou a ideia do minimalismo,


principalmente porque a disponibilidade de computadores negou a
necessidade de ter tantas coisas físicas como calendários, porta-CD, álbuns
de fotografia, arquivos de papel, etc. Todas essas coisas agora foram
consolidadas em um componente denominado computador pessoal. É uma
vantagem para o minimalismo, já que porque agora não precisamos ter esses
itens separadamente. Um computador pessoal (PC) é tudo o de que você
precisa para ter todas essas coisas.

Os benefícios são desejados hoje mais do que nunca

O mundo cresceu tremendamente em complexidade nos últimos anos. A


forma de se fazer as coisas mudou ao longo dos anos graças ao poder da
tecnologia de tornar o mundo uma vila global. Por essa razão, as pessoas
naturalmente começaram a adotar um estilo de vida minimalista. Essas
complexidades da vida resultaram nas pessoas vivendo uma vida de estresse e
menos liberdade. Já não conseguem fazer as coisas com a liberdade de
antigamente. O minimalismo reduz significantemente o estresse e oferece
mais liberdade. Além disso, há mais tempo para se fazer o que ama em meio
ao caos à sua volta.

Maior presença online

Os defensores do minimalismo têm feito um ótimo trabalho publicando a


respeito desse estilo de vida. Ao contrário do passado, quando precisavam
levar a informação fisicamente às pessoas, a tecnologia tornou ainda mais
fácil alcançar milhões de pessoas no mundo todo.

Além disso, os blogueiros tornaram ainda mais interessante o assunto ao


escrever constantemente sobre suas experiências, compartilhando-as na
Internet para que todos possam ver. Lendo sobre essas experiências, muitas
pessoas agora também querem viver esse tipo de estilo de vida e
experimentar o que esses defensores estão falando. Desta forma, o
minimalismo continua a se expandir.

Disponibilidade de estilos de vida minimalistas

Ao contrário do passado, o estilo minimalista está disponível hoje mais do


que nunca. Era mais difícil adotar um estilo de vida minimalista no passado
devido às tradições e à falta de conhecimento adequado. Hoje, a internet
tornou mais fácil para as pessoas fazerem coisas não convencionais. Por
exemplo, as pessoas não precisam mais ficar presas no trabalho das 08:00 às
18:00. Várias pessoas ao redor do mundo ganham dinheiro trabalhando
online mais do que ganhariam indo trabalhar todo dia. Outras ensinam a
montar um negócio online. Isso simplificou muito seus estilos de vida. Se
você trabalha na Internet, cria mais tempo para fazer o que ama. Pode
facilmente viajar pelo mundo a qualquer hora porque só precisa de um laptop
e uns poucos bens. Enquanto isso, continuará trabalhando.

Percepção de que a vida não se resume a bens materiais

Muito embora a mídia nunca vá parar de pregar o consumismo, está claro


que muitas pessoas finalmente perceberam que uma vida feliz não se resume
apenas a posses materiais. A mídia constantemente nos fala que a próxima
compra certamente satisfará nossos desejos e garantirá felicidade. Mas
pessoas que vivem essa mentira há décadas estão começando a descobrir a
verdade. Ao invés disso, estão tentando encontrar felicidade em outras
formas, como ajudar os outros a alcançar seus sonhos e passar mais tempo
com quem amam.

Há várias outras razões pelas quais as pessoas estão considerando viver


um estilo de vida minimalista. Caso ainda esteja cético em aderir ao
movimento, supere isso e encontrará inspiração.

***
Capítulo 6: Menos é mais

A frase “menos é mais” aparece no nosso dia a dia em quase todos os


aspectos. Mas, na verdade, ela é raramente aplicada. Na época atual da
globalização, as pessoas constantemente absorvem todo tipo de informação,
seja de forma consciente ou inconsciente.

Incorporar e lembrar de toda essa informação de uma vez se torna então


uma tarefa difícil. Quando não se lida com isso da forma apropriada, esse
fardo se torna um foco de estresse e confusão na nossa vida. Há algumas
situações onde fazer menos pode na verdade significar mais. Aqui estão
alguns exemplos.

Seja organizado

Se o seu negócio é jogar todas as suas coisas por aí de forma aleatória, ser
organizado será definitivamente uma tarefa assustadora para você. O
problema em ser desorganizado é que você passa muito tempo tentando
reorganizar suas coisas sempre que precisa fazer algo. Esse tempo se acumula
em muito tempo que poderia ter sido melhor utilizado fazendo coisas que
você ama.

O minimalismo requer que você primeiro tenha o mínimo possível e então


se organize com o pouco que tem. Você pode manter arquivos organizados
dos seus documentos de tal maneira que lhe seja fácil acessá-los. Ainda
melhor, você pode guardar digitalmente sua informação em pastas digitais
organizadas, a fim de obter de forma fácil o documento de que precisa, o que
também economiza tempo.

Além de organizar seus itens físicos, você também pode organizar bem
seu tempo. Tenha controle de onde você precisa estar e em que horário. Isso
ajudará você a economizar tempo e realizar deveres de maneira mais
eficiente.
Treinamento de Alta Intensidade (High Intensity Training ou “HIT”)

Às vezes, ao invés de passar horas por dia na academia fazendo uma


grande quantidade de treinamento físico que não leva a uma diferença
substancial na sua aparência física, você pode escolher ir pelo caminho do
“HIT”. Isso contribui muito para assegurar que você alcance melhores
resultados, e rápido.

O “HIT” requer que você passe bem pouco tempo fazendo um


treinamento físico considerável. Você pode levar 20 minutos, 5 para um
aquecimento, 5 para um desaquecimento e 10 no exercício “HIT”. Fazer isso
pode lhe proporcionar a forma física que você sempre desejou, em um
período de tempo muito menor que a média de exercícios físicos da
academia.

Coma menos, como nossos ancestrais

Foi descoberto que fazer jejum é uma forma muito eficiente de manter e
preservar uma ótima forma física. Jejuar de forma intermitente ajuda a
utilizar as gorduras que são constantemente armazenadas nos nossos corpos
sempre que comemos demais, o que leva a obesidade e outros distúrbios.
Passar longos períodos de tempo sem comer, como nossos ancestrais faziam
antigamente, ajuda seu corpo a utilizar as gorduras armazenadas no corpo.
Isso também treina seu corpo a passar longos períodos de tempo sem comer,
mas ainda funcionar de forma excelente. Menos comida então se torna um
item essencial para manter e preservar a boa saúde.

Vá direto ao ponto

O melhor exemplo nessa situação seria o Twitter. O Twitter limita você a


transmitir sua mensagem em 140 caracteres (dados de junho de 2015). Isso
requer que você seja criativo e breve ao comunicar sua mensagem para
aqueles que estão interessados nela. Para tanto, fazem-se necessários um
pensamento muito claro e o domínio do idioma.
Isso também pode ser aplicado ao seu dia-a-dia em como você se
comunica com os outros. Ao enviar e-mails ou escrever cartas, é essencial
mantê-los os mais curtos possíveis para dar ao destinatário a facilidade em ler
e decodificar qualquer que seja a mensagem que você deseja transmitir. Isso
também permite que você mantenha uma ideia nítida da mensagem que você
queria comunicar. Menos palavras, portanto, trazem mais informação que
mais palavras.

Comece a ser multifunção

Há coisas na vida que seria melhor que você as fizesse simultaneamente.


Você pode conseguir fazer isso às vezes, enquanto que em outras situações,
você pode falhar. Muitas pessoas defendem a ideia de fazer uma coisa por
vez. Porém, você precisa tentar encontrar maneiras de fazer mais do que uma
coisa ao mesmo tempo. Você pode, por exemplo, escrever seu trabalho
acadêmico enquanto está no trem ou no metrô, ou arquivar seus documentos
enquanto procura por alguma informação. Isso não apenas melhora sua
criatividade, mas também ajuda a economizar muito tempo, o qual pode ser
utilizado de outras formas.

Essas são algumas das ideias que provam que menos é, na verdade, mais.
Implementar esses princípios na sua vida ajudará você a economizar mais
tempo, o qual será destinado às coisas que ama.

***
Capítulo 7: Perguntas e respostas sobre o minimalismo

Não há dúvidas de que o minimalismo tem ganhado mais adeptos pelo


mundo afora. Muitos o fazem motivados pela liberdade e conforto que esse
estilo de vida oferece; outros, por necessidade financeira.

A fim de esclarecer eventuais dúvidas ainda não solucionadas pelas


informações dos capítulos precedentes, trazemos a seguir uma série de
perguntas e respostas.

***

Pergunta: Como podemos definir o minimalismo em poucas palavras?

Resposta: O minimalismo é a promoção intencional das coisas que


consideramos úteis, acompanhada da eliminação das coisas inúteis.

***

Pergunta: Como podemos definir o minimalismo na arte?

Resposta: O minimalismo é uma escola de pensamento existente nos


campos da pintura abstrata e da escultura, que enfatiza a simplicidade
extrema. Também pode ser definido como o uso do essencial na literatura e
no design. Na área musical, o minimalismo propõe uma música
contemporânea caracterizada pela simplificação do ritmo.

***

Pergunta: Qual é a história do minimalismo?


Resposta: O minimalismo surgiu em Nova York nas décadas de 1960 e
1970 através de artistas que repudiaram algumas obras de arte, ao argumento
de que tinham perdido a originalidade. Esses artistas também questionaram
os limites existentes entre os meios (mídias) nas artes, ao tempo em que se
concentraram mais nos aspectos “cool” das artes, em oposição à característica
dramática que perpassava a geração anterior. Os novos artistas entregaram
peças de artes de caráter simples, focadas na materialidade do conteúdo em
vez de simbolismos ou representações de emoções.

No final da década de 1970, a ideia do minimalismo fincou raízes nos


Estados Unidos e também na Europa, graças aos esforços de marchands,
curadores de museus, bem como de vários periódicos. Posteriormente, um
grupo conhecido como “pós-minimalista” começou a questionar o
minimalismo, o que denota o fato de que o movimento minimalista não era
apenas uma moda passageira.

***

Pergunta: Em que consiste a vida minimalista?

Resposta: O viver minimalista envolve o descarte das coisas de que você


não precisa, e a manutenção e a guarda daquelas de que você realmente
necessita. Trata-se de uma vida livre de obsessões materiais e da ganância de
ter tudo. Consiste em viver num ambiente desimpedido de tralhas, onde
sobrará espaço para a realização de tarefas importantes. É um estilo de vida
com menos posses materiais, sem acúmulo de dívidas, com mais espaço
físico, etc. No final das contas, é uma vida de liberdade.

***

Pergunta: Quais são alguns dos benefícios do minimalismo?

Resposta: Ser minimalista traz diversos benefícios; não conseguimos


listar todos aqui. Algumas das vantagens incluem: menos stress, mais
liberdade, menos dívidas, etc. Você ganha flexibilidade. O estilo de vida
minimalista também lhe oferece mais espaço em casa para você circular.
Você não precisa de uma casa grande, caso adote a filosofia minimalista –
afinal de contas, casas grandes, além de caras, exigem muita manutenção.
Uma casa pequena é bem mais fácil de administrar.

***

Pergunta: Por que eu devo adotar o minimalismo?

Resposta: O minimalismo oferece uma rota alternativa à estrada


“engarrafada” dos excessos que caracterizam o mundo em que vivemos.
Realmente, um número incalculável de pessoas está “até o pescoço” com
dívidas, tranqueiras e bagulhos de que não precisam, tralhas inúteis que
ocupam espaço, e uma agenda cheia de compromissos que pouco
acrescentam em termos de saúde, paz, dinheiro ou satisfação pessoal.

O minimalismo dá a você a oportunidade de se livrar do “excesso de


bagagem” que existe em sua vida, concedendo mais tempo livre para
atividades que lhe agradam. Trata-se de agregar valor e alegria à vida.

***

Pergunta: Não é difícil viver com a escassez propalada pelo


minimalismo?

Resposta: Esse é um mito que cerca o minimalismo. Muitas pessoas se


enganam ao achar que o minimalismo replica a vida dos monges que abriram
mão de todos os pertences. O minimalismo não advoga tal rota, embora seja
um caminho possível.

No estilo de vida minimalista, descartam-se as coisas que não adicionam


valor a você e a sua vida. Descartam-se inclusive as atividades
desnecessárias, a fim de eliminar o ruído que nos cerca do dia a dia, o que
resulta na paz interior de que tanto carecemos. Uma vida mais simples traz
mais calma, liberdade e paz de espírito.

***

Pergunta: Como é uma agenda minimalista?

Resposta: Não há uma resposta definitiva para esta questão. Pessoas


diferentes têm agendas diferentes, conquanto adeptas do minimalismo. No
entanto, um denominador comum é que terão menos atividades inúteis, e
consequentemente mais tempo.

Na realidade, são boas as chances de que um minimalista não tenha uma


agenda. Afinal, será menos uma coisa, que talvez não seja realmente
necessária. Com menos tarefas a cumprir, fica mais fácil se lembrar de todas
elas. Além disso, o minimalista também é flexível, admitindo fazer uma
tarefa dentro de um quadro horário mais amplo (por exemplo: fazer X na
tarde do dia Y).

***

Pergunta: Para se tornar minimalista, há regras a seguir?

Resposta: Não, não há regras a seguir para se tornar um minimalista. A


minha ideia do estilo de vida minimalista pode ser completamente diferente
da ideia de outra pessoa que também adota os mesmos princípios de
simplificação e organização. No final das contas, nós estaremos vivendo uma
vida livre das distrações e do ruído do mundo moderno, concentrando-nos
nas coisas, pessoas e atividades que realmente importam. Queremos estar
livres das tranqueiras e das dívidas, e mais perto das escolhas que nos
aproximarão dos nossos objetivos.

***
Pergunta: Por que eu preciso ser frugal nos meus gastos?

Resposta: A frugalidade pressupõe o dispêndio de recursos com as coisas


essenciais, ao tempo em que se evitam os gastos com supérfluos. No
minimalismo, não se proíbe a compra de coisas para si. No entanto, o foco
será sempre na qualidade e não na quantidade. Se você for comprar alguma
coisa, certifique-se de que se trata de algo de qualidade, que durará bastante
tempo – ou seja, que você não precisará repor ou substituir pouco tempo
depois.

O minimalismo se propõe a ajudá-lo a se desvencilhar das posses


materiais. Ou seja, você não precisa comprar um novo relógio de pulso, só
porque ele ficará mais bonito do que o que você já tem. Você não precisa
mudar de endereço, só porque a nova moradia é maior do que a que você já
tem (a não ser que a sua moradia atual seja realmente muito pequena, claro).
***

Pergunta: Eu preciso ser vegetariano para me tornar um minimalista?

Resposta: Não. O importante, em matéria de alimentação, é verificar o


quanto estamos comendo em excesso. Além disso, devemos investigar a
procedência e a qualidade dos alimentos, evitando os processados e
industrializados. Devemos sempre preferir os alimentos naturais e de
procedência conhecida.

***

Pergunta: É possível ser minimalista na cidade grande?

Resposta: Sim. Para ser minimalista não é necessário viver numa ilha
deserta sem eletricidade. Na verdade, a filosofia minimalista envolve viver
em meio à fartura e ao excesso, ao tempo em que seleciona apenas o útil e o
valioso. É disso que trata o minimalismo.

***
***

Conheça também o livro:

Vida Frugal: Como Economizar Dinheiro e Viver Mais com Menos

http://www.amazon.com.br/gp/product/B011M8U74C?
*Version*=1&*entries*=0