Você está na página 1de 48

Acupuntura auricular e o tratamento da ansiedade: Da Medicina

Tradicional Chinesa à Psicologia1


Armando Ribeiro das Neves Neto2

Aos queridos,

Regia Damous Fontenele Feijó

Laércio Ribeiro das Neves

Maria Dalva Marques das Neves

Rafael Ribeiro das Neves

AGRADECIMENTOS

Agradeço a colaboração dos psicólogos-acupunturistas e coordenadores Delvo Ferraz da Silva e


Heloisa A.C. Silva do Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência, e dos professores
Maria Christina Gaviolle, Ana Lúcia Lemos de Bonis, Lisiane, Luiz Carlos Fornazieri, José Roberto
Gallego Mendes, Élson Ianhz Ferreira, Magali Valverde Gomes e demais colegas de curso.

Aos integrantes da Sociedade Brasileira de Psicologia e Acupuntura (SOBRAPA).

Aos colegas do curso de especialização em Terapia Cognitivo-Comportamental em Saúde Mental do


Ambulatório de Ansiedade do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de
Medicina da Universidade de São Paulo (AMBAN-IPQ-HCFMUSP).

Aos colegas do curso de especialização em Medicina Comportamental do Centro de Medicina


Comportamental do Departamento de Psicobiologia da Escola Paulista de Medicina – Universidade
Federal de São Paulo (CEMCO-EPM-UNIFESP).

Aos colegas da Associação Brasileira de Psicoterapia e Medicina Comportamental (ABPMC) e


Sociedade Brasileira de Terapias Cognitivas (SBTC) que apóiam o desenvolvimento da Psicologia e
Acupuntura.

"Assim como qualquer ponto na superfície de uma esfera pode ser visto como o centro da superfície,
todo órgão do corpo e todo ser do cosmos pode ser visto como o seu centro e governante".

Alan Watts (1975)

1
Resumo

Acupuntura Auricular e o tratamento da ansiedade: da Medicina Tradicional Chinesa à


Psicologia.

Revisão sistemática da literatura científica sobre o tratamento da Ansiedade através da Acupuntura


Auricular – Medicina Tradicional Chinesa e Psicologia. Objetivos: Revisar criticamente a literatura
científica em bases de dados sobre o tratamento da ansiedade através da Medicina Tradicional Chinesa,
especificamente da Acupuntura Auricular e descrever os principais resultados encontrados em ensaios
clínicos. Métodos: Levantamento bibliográfico de artigos científicos indexados em mecanismos de
busca (Medline, Lilacs, Scielo, Medscape, Cochrane Library, Biblioteca Virtual em Saúde – BVS/PSI,
MDConsult, Medscape, Periódicos CAPES e Acubriefs). Critérios de inclusão: ensaio clínico,
randomização e grupo controle. Resultados: Foram encontradas 77 citações de artigos científicos
indexados que versavam sobre Acupuntura Auricular e o tratamento da ansiedade. A partir da revisão
crítica da literatura, foram selecionados 4 artigos que preencheram os critérios de inclusão do estudo.
Os estudos apresentavam o uso da Acupuntura Auricular para o tratamento da ansiedade: no período
pré-cirúrgico, no transporte pré-hospitalar e no ambulatório de saúde mental de presídio. Todos os
trabalhos demonstraram eficácia e segurança da Acupuntura Auricular no alívio de sintomas de
ansiedade, além de discutirem sobre o baixo custo econômico, facilidade de treinamento e aplicação
nos contextos testados. Conclusões: Acupuntura Auricular foi segura e efetiva para o tratamento da
ansiedade nos estudos selecionados. Novos estudos são necessários para aumentar o conhecimento
sobre os mecanismos psicofisiológicos e energéticos do tratamento, e em novos contextos clínicos.

Palavras-Chaves: Acupuntura. Acupuntura Auricular. Medicina Tradicional Chinesa. Ansiedade.


Psicologia.

Abstract

Auricular Acupuncture and the treatment of the anxiety: of the Chinese Traditional Medicine to
Psychology.

Systematic revision of scientific literature on the treatment of the Anxiety through the Auricular
Acupuncture - Chinese Traditional Medicine and Psychology. Objectives: Critical reviews scientific
literature in databases on the treatment of the anxiety through the Chinese Traditional Medicine,
specifically of the Auricular Acupuncture and to describe main resulted the joined ones in clinical
assays. Methods: Bibliographical indexes scientific article survey in search mechanisms (Medline,
Lilacs, Scielo, Medscape, Cochrane Library, Biblioteca Virtual em Saúde – BVS/PSI, MDConsult,
Medscape, Periódicos CAPES e Acubriefs). Criteria of inclusion: clinical, randomization and
controlled. Results: 77 indexes scientific article citations had been found that turned on Auricular
Acupuncture and the treatment of the anxiety. From the critical revision of literature, 4 articles had
been selected that had filled the criteria of inclusion of the study. The studies presented the use of the
Auricular Acupuncture for the treatment of the anxiety: in the daily pay-surgical period, in the daily
pay-hospital transport and the clinic of mental health of penitentiary. All the works had demonstrated
to effectiveness and security of the Auricular Acupuncture in the relief of anxiety symptoms, besides
arguing on the low economic cost, easiness of training and application in settings tested. Conclusions:
Auricular Acupuncture was insurance and effective for the treatment of the anxiety in the selected

2
studies. New studies are necessary to increase the knowledge on the psychophysiology and energy
mechanisms of the treatment, and in new clinical contexts.

Keywords: Acupuncture. Auricular Acupuncture. Chinese Tradicional Medicine. Anxiety. Psychology.

Lista de Ilustrações

Figura 1. Representação gráfica da Teoria dos Cinco Elementos 09


Figura 2. Representação do feto invertido conceitualizado primeiramente pelo médico 15
francês Paul Nogier
Figura 3. Avaliação da estimulação auricular (ponto dedos do pé, segundo Paul Nogier) 17
através da Ressonância Magnética Funcional – fMRI, foram observados alterações
funcionais na área somestésica S1
Figura 4. Avaliação da regulação térmica dinâmica dos pontos de Acupuntura no 17
pavilhão auricular realizado pelo Groupe Lyonnais d'Etudes Medicales
Figura 5. Paradigma da Terapia Cognitivo-Comportamental 29
Figura 6. Descrição da freqüência (total = 204) de sujeitos participantes dos estudos 38
clínicos selecionados
Figura 7. Descrição dos materiais utilizados para a execução da Acupuntura Auricular 40
nos estudos clínicos selecionados

Lista de Tabelas e Quadros

Quadro 1. Ansiedade e os Cinco Elementos 08


Quadro 2. Entidade Viscerais e Fisiologia Energética 10
Quadro 3. Manifestações psíquicas e clínicas dos Zang, conforme o estado energético 05
Quadro 4. Breve descrição de autores e livros relacionados ao desenvolvimento da 18
Acupuntura Auricular
Quadro 5. Manifestações periféricas da ansiedade 31
Tabela 1. Resultados dos artigos encontrados através de pesquisa realizada em banco de 35
dados indexados
Quadro 6. Descrição dos estudos clínicos sobre o uso da Acupuntura Auricular no 36
tratamento da ansiedade que preencheram os critérios de inclusão da pesquisa
Tabela 2. Descrição das metodologias empregadas nos estudos sobre Acupuntura 37
Auricular no tratamento da ansiedade
Quadro 7. Descrição dos estudos clínicos sobre o uso da Acupuntura Auricular no 37
tratamento da ansiedade e o nível de evidência para análise crítica de um estudo científico

3
Quadro 8. Descrição dos pontos auriculares utilizados nos estudos clínicos 39

Lista de Abreviaturas e Símbolos

% porcentagem

&e

aumento

¯ diminuição

â Marca Registrada

< menor que

= igual

> maior que

B bexiga

B.S. Bacharel em Ciências (Bacharel in Science)

BP baço – pâncreas

C coração

CDC Centro de Controle de Doenças e Prevenção

CS circulação – sexualidade

E estômago

et al. e colaboradores

etc. e outros

ex. exemplo

F fígado

fMRI Ressonância magnética funcional (Functional Magnetic Resonance Imaging)

ID intestino delgado

IG intestino grosso

IPUSP Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo

4
L.Ac. Licenciatura em Acupuntura (Licensed Acupuncturist)

M.D. Doutor em Medicina (Medical Doctor)

mm milímetro

MTC Medicina Tradicional Chinesa

OMS Organização Mundial da Saúde

OPAS Organização Panamericana da Saúde

p nível de significância estatística

P pulmão

p. página

R rim

S1 somestésica 1

TA triplo aquecedor

VB vesícula biliar

SUMÁRIO

1. Introdução 01
1.1. Ansiedade e Medicina Tradicional Chinesa 04
1.2. Acupuntura Auricular e Ansiedade 13
1.3. Ansiedade e Psicologia 28
1.4. Ansiedade e Psiquiatria 30
2. Objetivos 32
3. Metodologia 33
4. Resultados 35
5. Discussão 41
6. Conclusão 44
7. Referências Bibliográficas 45
8. Anexos 51

5
INTRODUÇÃO

A ansiedade é uma experiência universal da espécie humana. É tão universal que existem diferentes
enfoques sobre o seu conceito, para PESSOTTI (1978, p. 78) "em algumas definições, a ansiedade é
entendida como um processo passageiro, em outras, como uma característica permanente da
personalidade. Algumas outras, ainda, designam como ansiedade tanto processos transitórios, como
predisposições ou traços duradouros da personalidade".

Um ponto comum parece caracterizá-la: a sensação de apreensão quanto a algum perigo futuro não
bem delineado (SAVOIA, 2000).

Quanto à etimologia da palavra ansiedade, percebe-se também diferentes origens, como a palavra
inglesa anxiety que se deriva do latim anxius definida como uma condição de agitação, e a palavra
francesa anguisse se refere a uma sensação de sufocamento, é descrito seu aparecimento na Idade
Média como um termo eclesiástico, significando sofrimento espiritual, alguns autores utilizam a
palavra anguish (angústia) como sinônimo de anxiety enquanto outros preferem utilizar a expressão
angústia para as sensações físicas que acompanham a ansiedade como fenômeno psíquico (SAVOIA,
2000).

De acordo com um recente boletim epidemiológico nacional do respeitado Centro de Controle de


Doenças e Prevenção (CDC) dos Estados Unidos, estima-se que cerca de 3.249.000 norte-americanos
portadores de problemas relacionados à ansiedade e/ou depressão utilizam de alguma estratégia
terapêutica complementar e/ou alternativa, sendo que estima-se o uso especificamente da Acupuntura
em torno de 8.188.000 usuários (BARNES et al., 2004). Estes dados oficiais salientam o enorme
interesse atual pela integração da milenar prática da Acupuntura – Medicina Tradicional Chinesa aos
problemas humanos contemporâneos (WATTS, 1961; NAGAKAWA & IKEMI, 1982; ESCOLA DE
MEDICINA TRADICIONAL CHINESA DE BEIJING et al., 1995; TYMOWSKI et al., 1986;
NATIONAL INSTITUTE OF HEALTH, 1998; WHITE, 2000; SCHNYER et al., 2001; BRITISH
ACUPUNCTURE COUNCIL, 2002; BASSMAN & UELLENDAHL, 2003; FLAWS & LAKE, 2003;
STEIN, 2003; SCHREIBER-SERVAN, 2004; SIMON, 2004). No Brasil, pesquisas recentes apontam
para o crescimento da procura dos serviços de Acupuntura – MTC em nosso meio (AKIYAMA, 1999;
PAESANO, 2002; YAMAMURA, 2002; CAMPOS, 2003; CAMPIGLIA, 2004; NEVES NETO,
2004).

A resolução Nº. 005/2002 do Conselho Federal de Psicologia (Dispõe sobre a prática da acupuntura
pelo psicólogo), também representa um aspecto relevante para o desenvolvimento da prática da
Acupuntura multiprofissional, além de estimular uma maior integração e fomento a pesquisas na área
da saúde mental, Psicologia e Acupuntura.

A Organização Mundial da Saúde (OMS, 2002) através do relatório "Acupuncture: Review and
analysis of reports on controlled clinical trials" salienta a importância da Acupuntura para o
tratamento dos transtornos mentais, incluindo os transtornos de ansiedade, baseando-se nos resultados
de ensaios clínicos controlados.

Ainda de acordo com BRESLER & KROENING (1976) três fatores são essenciais para a eficácia da
Acupuntura - MTC, resumindo: (1) reações imunológicas e inflamatórias mobilizadas quando uma
determinada área da pele (ponto de Acupuntura ou acuponto) é suficientemente estimulada, (2)
estimulação periférica do sistema nervoso ocorrendo através de meios mecânicos, elétricos, químicos e
térmicos são ativados (ex. agulhas, moxabustão, laser e etc.) e (3) suporte psicológico adequado (ex.
comunicação interpessoal, rapport e etc.). ROSS (2003, p. 5) afirma que:

"O aconselhamento e a psicoterapia podem ser integrados ao sistema


‘Acupuntura - MTC’, caso sejam apropriados às necessidades do

6
paciente. O autor realmente acredita que um dos desenvolvimentos mais
promissores da Acupuntura é a combinação flexível do trabalho de
energia, meditação e aconselhamento".

Ansiedade e Medicina Tradicional Chinesa

Com uma história de pelo menos 5.000 anos, a Medicina Tradicional Chinesa é reconhecida como uma
das práticas de cura mais antiga e holística que se tem conhecimento. A energia vital (Qi), as energias
Yin e Yang, e a teoria dos cinco elementos, provindos da milenar filosofia Taoísta representada por Lao
Tsé, consideram o ser humano integrado ao universo, e o conceito de equilíbrio um dos principais
objetivos de suas práticas terapêuticas (TSÉ, 1978; NAGAKAWA & IKEMI, 1982; BLOISE, 2000;
JONAS & LEVIN, 2001).

O homem sofre influência de energias provindas do céu (Yang) e da terra (Yin) e seu principal papel é
o da transformação destas energias. No pensamento chinês, não se pode isolar em fragmentos os
sintomas físicos e psíquicos, pois ambos vêm de um mesmo conceito integrador de energia vital (Qi),
ou seja, queixas físicas e psíquicas são ao mesmo tempo um desequilíbrio desta energia fundamental.

De acordo com GEORGE SOULIÉ DE MORANT (1957/1990), pioneiro na transmissão da


Acupuntura – MTC para o ocidente, afirma: "(...) começa a mostrar as relações entre o psíquico e as
glândulas endócrinas e os órgãos" (p. 684) continuando "Se tem comprovado desta maneira que era
possível atuar sobre o psiquismo através dos órgãos, e sobre os órgãos através do psiquismo" (p 685) e
"As experiências realizadas na França tem permitido comprovar as melhorias do psiquismo obtidas
tratando cada transtorno através do órgão comprometido" (p. 686).

No principal livro antigo sobre MTC "Princípios de Medicina Interna do Imperador Amarelo" (Huang
Di Nei Jing) é descrito o diálogo entre duas figuras lendárias da cultura chinesa: o Imperador Amarelo
(Huang Di) e o médico da corte Qibo. O livro está dividido em 18 volumes e 162 fascículos,
compreendendo as Questões Simples (Su Wen) e o Eixo Espiritual (Ling Shu). Neste importante
cânone de Medicina Tradicional Chinesa, já se pode observar passagens que descrevem a ansiedade
enquanto resposta ao desequilíbrio do homem em relação à natureza, como será descrito nos trechos a
seguir.

"O imperador Amarelo perguntou: Disseram-me que nos tempos antigos,


quando um médico tratava uma doença, ele apenas transformava a mente
e o espírito do paciente, a fim de extirpar a fonte da doença. Nos dias de
hoje, o paciente é tratado internamente com remédios e externamente
com acupuntura. No entanto, algumas doenças são curadas, mas algumas
delas não podem sê-lo; por quê?

Qibo respondeu: Nos tempos antigos, o povo vivia em cavernas agrestes,


rodeado de pássaros e bestas; afastavam o frio pelo próprio movimento,
e se evadiam do verão quente, viviam à sombra. Eles não tinham
nenhuma sombra no coração por admirar a fama e o lucro, e não tinham
cansaço no corpo por procurar uma posição mais elevada, por isso,
dificilmente se poderia ser invadido pelo mal exógeno neste ambiente
calmo e tranqüilo.

Mas, hoje em dia, a situação é diferente; as pessoas tanto são perturbadas


pela ansiedade interna do coração, como feridas pelas dificuldades
externas do corpo, juntamente com o descuido do paciente, violentando

7
as regras da seqüência do clima das quatro estações, e a friagem e o calor
da manhã e da noite (...)". Acerca da Terapia de Transformar a Mente e o
Espírito – Yi Jing Bian Qi Lun. (WANG, 2004, p. 90).

Neste trecho fica evidente o distanciamento do homem às leis universais da natureza, como o principal
motivo para o seu próprio desequilíbrio. Tanto fatores externos (ex. climáticos), quanto internos (ex.
emoções excessivas) são apontados como os responsáveis pelo adoecimento.

"Quando as energias refinadas dos cinco órgãos sólidos estiverem


imersas em um órgão, a energia do órgão se tornará estênica e surgirá a
doença (...) quando imersa no baço, a energia do baço estará abundante
em parte e restringe o rim, gerando ansiedade (...). Essas são as assim
chamadas penetrações". Exposição sobre a Energia das Cinco Vísceras –
Xuan Ming Wu Qi. (WANG, 2004, p. 145).

Nesta outra passagem é descrito o resultado de desequilíbrios nos ciclos naturais de movimentação da
energia Qi, referindo-se ao desequilíbrio do baço estando associado à ansiedade.

"O terror excessivo e a ponderação, fazem com que o paciente gaste a


energia Yin e fique instável. O sofrimento excessivo lesa as vísceras
internas, fazendo com que as atividades funcionais da energia vital se
tornem exaustas, gerando a morte do paciente. A alegria excessiva causa
a dispersão da energia que não pode mais ser armazenada. A melancolia
excessiva causa o impedimento e a estagnação das atividades funcionais
da energia vital. A fúria causa manias e a anormalidade do paciente. O
terror excessivo causa o transbordamento da energia refinada devido ao
desassossego do espírito". As Doenças Causadas pelas Atividades do
Espírito – Bem Shen. (WANG, 2004, p. 548).

Nesta passagem sobre "As doenças causadas pelas atividades do espírito", mais uma vez fica evidente
o papel dos fatores internos (emoções) na causa do desequilíbrio da energia Qi, gerando os sinais/
sintomas clínicos que serão observados e/ou relatados.

ROSS (2003) descreve no quadro 1 a relação entre a ansiedade e a teoria dos cinco elementos. Na
MTC, a ansiedade está ligada com os sistemas do Coração e do Rim. Pode estar associada com outras
emoções do Coração, como agitação, pânico e histeria, mas a ansiedade difere da mania no sentido de
a ansiedade ser uma sentimento desagradável, ao passo que a mania pode estar associada com
sentimentos de bem-estar e euforia.

Quadro 1 - Ansiedade e os Cinco Elementos.

Sistema Emoção Sinais Típicos


Coração (XIN) Ansiedade Palpitação, insônia
Baço (PI) Preocupação Gastrite, náusea
Pulmão (FEI) Medo das perdas Dispnéia, asma
Rim (SHEN) Medo e apreensão Enurese freqüente, diarréia

8
Fígado (GAN) Incerteza e irritabilidade Tensão muscular, dor de cabeça

Fonte: ROSS (1994, 2003).

Ainda de acordo com a Medicina Tradicional Chinesa os problemas de saúde são provenientes de
causas externas (ex. vento, frio, calor moderado, umidade, secura e calor exagerado), causas internas
(ex. alegria, reflexão, ansiedade, susto, medo, pesar e raiva) e causas mistas (ex. alimentação,
parasitoses, estilo de vida e drogas).

Na teoria dos cinco movimentos (ou elementos) se podem observar a plena relação entre os fatores
físicos e psíquicos, além dos órgãos - vísceras (Zang-Fu), figura 1, quadro 2 e 3.

Figura 1

Representação gráfica da Teoria dos Cinco Elementos.

Fonte: ROSS (1994, p.189).

Na teoria dos cinco elementos estão relacionadas às correspondências entre os elementos, órgãos-
vísceras e emoções. No ciclo de geração (Sheng), cada emoção pode aumentar a próxima, pela relação
"mãe-filho", por exemplo, o medo gera a raiva. No ciclo de dominação (Ko), cada emoção é
restringida pela outra, assim, o medo controla a alegria e a alegria controla a mágoa (SUSSMANN,
2000; ROSS, 1994, 2003).

Quadro 2 – Entidades Viscerais e Fisiologia Energética.

Funções Plano Plano Plano Plano Plano Plano


YIN Psíquico Intelectual Emocional Energético Fisiológico Somático

9
Coração SHEN Inteligência, Alegria C – ID Meridiano
(XIN) (Mente) controle Sistema de CS - TA Fogo
Meridianos

Pulmão PRO Memória Tristeza P - IG Meridiano


(FEI) (Alma não- Metal
Corpórea) declarativa

Fígado HUN Decisão, Cólera F - VB Meridiano


(GAN) (Alma Etérea) coragem, Madeira
imaginação

Baço Yi Cognição, Reflexão BP - E Meridiano


(PI) (Pensamento) memória Terra
declarativa

Rim ZHI Vontade Medo R-B Meridiano


(SHEN) (Força de Água
Vontade)

Fonte: Adaptação de CAMPIGLIA (2004), MACIOCIA (1996) e ROSS (2003).

Legenda: C = coração; ID = intestino delgado; CS = circulação-sexualidade; TA = triplo aquecedor; P


= pulmão; IG = intestino grosso; F = fígado; VB = vesícula biliar; BP = baço-pâncreas; E = estômago;
R = rim; B = bexiga.

Um dos aspectos mais importantes da Medicina Tradicional Chinesa é a visão dos sistemas internos
como dimensões físicas, mentais e emocionais. Uma vez que o corpo-mente forma um todo integrado
e inseparável, as emoções podem não somente causar um desequilíbrio, como também serem causadas
por este. Nos "Três Tesouros" a Essência (Jing) é a matéria básica do Qi e da Mente (Shen),
constituindo o fundamento para um equilíbrio mental e emocional da vida (MORANT, 1954/1990;
MACIOCIA, 1996).

Sete emoções são consideradas na MTC: fúria, alegria, tristeza, preocupação e abstração, medo e
choque (MACIOCIA, 1996). Cada emoção afeta particularmente o Qi e um determinado sistema,
sendo:

 Fúria faz o Qi ascender e afeta o Fígado (Gan);


 Alegria faz o Qi fluir lentamente e afeta o Coração (Xin);
 Tristeza dissolve o Qi e afeta o Pulmão (Fei);
 Preocupação e Abstração paralisam o Qi e afetam o Baço (Pi) e o Pulmão (Fei);
 Medo faz o Qi descender e afeta o Rim (Shen);
 Choque dispersa o Qi, afetando o Rim (Shen) e o Coração (Xin).

O autor YVES REQUENA (1990, p. 66) no livro "Acupuntura e Psicologia" oferece exemplos que são
de origem popular, como: "ter o coração pesado", "cantar de coração alegre", "ter coração", "ter
coração mole", "ter o coração alegre", "ter o coração nas mãos", ou mesmo do provérbio "o coração
tem razões que a própria razão desconhece", cujos significados apontam para a compreensão da
atividade psíquica não separada da atividade orgânica, ou seja, uma falha dos órgãos produz uma
modificação do comportamento psíquico correspondente, ao contrário, uma tendência psíquica

10
excessiva ou errada, causa a perturbação orgânica correspondente, afirmando ser esta visão
primordialmente holística e psicossomática.

Também é possível aplicar o modelo da Acupuntura Constitucional, o que irá definir a vulnerabilidade
específica (física e psíquica) de um ou de outro órgão ou funções chinesas, para um dado indivíduo.
São descritos: a constituição madeira, a constituição metal, a constituição fogo, a constituição água e a
constituição terra, conforme a Teoria dos Cinco Elementos.

REQUENA (1990) ainda aponta para a possibilidade de classificar o ser humano em tipos
psicossomáticos (temperamentos) em função de seis energias e de seis meridianos do corpo,
consistindo em:

 Tai Yang (Fogo - Água);


 Shao Yang (Madeira - Fogo);
 Yang Ming ( Terra - Metal);
 Tai Yin (Terra - Metal);
 Shao Yin (Água - Fogo);
 Jue Yin (Madeira - Fogo).

Quadro 3 – Manifestações psíquicas e clínicas dos Zang, conforme o estado energético.

Zang Vazio de Yin Plenitude de Vazio de Sintomalogia clínica


Qi Yang Qi Yang Qi
Coração Alegria Ansiedade Choros Palpitação, insônia, confusão mental,
(Xin) sonhos abundantes, agitação mental,
taquipsiquismo, risos e choros sem
causa, perturbações da consciência.
Fígado Indecisão, Raiva, ira, Labilidade Agitação psicomotora, mente
(Gan) apreensão cólera, revolta emocional deprimida, irritação, perturbação do
e ódio sono, sonhos excessivos, palpitações,
amnésia.
Baço Reflexão, Obsessão, Astenia Neurastenia, tristeza, amnésia,
(Pi) preocupação idéias fixas mental inapetência, astenia psíquica.

Pulmão Tristeza Angústia Depressão Fadigabilidade, baixa energia,


(Fei) hiporreflexia.

Rim Medo, pavor Autoritarismo Desânimo Desânimo, astenia psíquica, falta de


(Shen) e pânico decisão.

Fonte: ROSS (2003).

11
Acupuntura Auricular e Ansiedade

Dentro dos microssistemas da Acupuntura, a Acupuntura Auricular é, na atualidade, um dos mais


populares, tanto dentro como fora da China, é um método que conseguiu impor-se pelos resultados
obtido e por ser geralmente pouco invasivo, o que faz com que seja bem aceito pelos pacientes.

Os pontos auriculares referem-se aos locais que conectam a orelha aos órgãos internos, aos canais e
colaterais, aos tecidos, aos membros e ossos. São também, as passagens pelos quais a energia Qi dos
órgãos Zang-Fu e dos canais de energia são transportados até a superfície auricular. Desta forma, os
pontos auriculares são nomes genéricos das zonas auriculares que podem refletir a função fisiológica e
à mudança patológica, e através destes pontos específicos pode-se diagnosticar e tratar as enfermidades
(HUANG, 2002).

Nos textos antigos, como o Huang Ti Nei Jing, já se justificava a estreita relação do pavilhão auricular
com o resto do corpo, além de fazer menção ao uso do pavilhão auricular como método diagnóstico
(ex. através do tamanho, textura, coloração e forma, determinavam o estado dos Zang-Fu). Os canais e
colaterais atravessam, se detém, se reúnem e se agrupam no pavilhão da orelha. O que constitui a base
teórica para o desenvolvimento do tratamento auricular. O Ling Shu, no capítulo "Perguntas e
Respostas", referem: "Tudo se reúne no Zong Mai da orelha", e também os antigos chineses
expressavam: "O interno se reflete através da forma externa".

De acordo com GARCIA (2003) no ano de 1888, período em que ainda dominava a dinastia Qin, os
médicos Zhang Zhen Qin e seu irmão Zhang Ti Shang, escreveram um livro intitulado "Li Zhen Na Mo
Yao Shu", onde se realiza pela primeira vez a localização dos cinco órgãos no dorso da orelha e
constitui, além disto, a base da teoria dos microssistemas na China.

O desenvolvimento da Acupuntura Auricular pode ser didaticamente dividido em três etapas que são:
década de 50 a 60, das décadas de 60 a 80 e da década de 80 até a atualidade.

Em 1956, no distrito de Cai Xi, da província de Shan Dong, se expôs uma tese sobre o tratamento da
amigdalite aguda com a Acupuntura Auricular. Em dezembro de 1958, Ye Xiao Wu publica na revista
de Medicina de Tradicional de Shangai os estudos realizados pelo médico francês Paul Nogier, sobre a
relação de certas zonas do pavilhão da orelha, com os órgãos internos, a partir da observação das
mudanças que se produziam no pavilhão auricular, frente a processos patológicos dos órgãos internos;
Paul Nogier foi o primeiro a representar na orelha um feto em posição pré-natal (figura).

Figura 2

Representação do feto invertido conceitualizado primeiramente pelo médico francês Paul Nogier.

12
Fonte: HUANG (2002).

É importante descrever que por volta de 1951, alguns médicos da região de Lyon (França) começaram
a receber em suas consultas doentes portadores de uma curiosa cauterização no pavilhão auricular, para
alívio de nevralgia do tipo ciático. Paul Nogier, foi um destes médicos que intrigado com esta
cauterização, começou a realizar estimulações em outros pontos auriculares, descobrindo que pontos
no pavilhão auricular poderiam estar relacionados a outras regiões corporais.

Paul Nogier então relata:

"Foi à medicina com as mãos que me colocou no caminho. Sabendo


quanto o bloqueio da quinta vértebra lombar é freqüente nas nevralgias
ciáticas, tive a idéia de que o ponto cauterizado agia sobre essa mesma
vértebra. A antélice me apareceu, então, como a imagem da coluna
vertebral, cujas partes estariam todas invertidas, as vértebras lombares
acima e as cervicais abaixo. Assim, o pavilhão, em seu todo, teria
representado a imagem de um feto no útero." (p. 16).

Nas décadas de 60 a 70, a Acupuntura Auricular na China obteve um grande impulso, aprofundando-se
mais no conhecimento dos pontos auriculares, este constitui o período no qual o diagnóstico,
tratamento e descrição dos pontos auriculares chegam a seu mais alto grau. A descrição de patologias
tratadas com este método, também obteve um amplo desenvolvimento, chegando-se a validar o
tratamento em torno de 150 patologias, distribuídas em enfermidades de medicina interna, cirurgia,
ginecologia, pediatria, otorrinolaringologia, ortopedia, etc. O tratamento com Acupuntura Auricular,
não só se reduziu às enfermidades agudas ou crônicas de caráter funcional, como abrangeu, também,
as enfermidades de caráter epidêmico e infeccioso.

Na década de 80 até a atualidade, observa-se o avanço no estudo dos mecanismos


neuropsicofisiológicos pelos quais atua a Acupuntura Auricular (figuras 3 e 4).

Figura 3

Avaliação da estimulação auricular (ponto dedos do pé, segundo Paul Nogier) através da
Ressonância Magnética Funcional – fMRI, foram observados alterações funcionais na área
somestésica S1.

13
Fonte: ALIMI et al. (2000).

Figura 4

Avaliação da regulação térmica dinâmica dos pontos de Acupuntura no pavilhão auricular


realizado pelo Groupe Lyonnais D'etudes Medicales.

Fonte: MARIGNAN (1997).

Atualmente também podemos encontrar mapas anatômicos e sistemas de Acupuntura Auricular


distintos, originados de fontes de pesquisa em diversas regiões do mundo (quadro 4), vide anexos A e
B.

Quadro 4 - Breve descrição de autores e livros relacionados ao desenvolvimento da Acupuntura


Auricular.

Livro Autor
Novo Tratamento Auricular da China Chikara Imai

14
Prática Fácil de Aurículo e Auriculomedicina Raphael Nogier/ Jorge Boucinhas
Auriculoterapia – Visão oriental e ocidental Raul Guimarães/ Jorge Boucinhas
Auriculoterapia Raul Guimarães/ Jorge Boucinhas
Auriculoterapia Prática Carlos Saez
Auriculoterapia Lien Chih Chão
Introdução Prática da Auriculomedicina Raphael Nogier
Auriculoterapia Prática Ta Kong Pao
Auriculoterapia Ernesto G. García
Auriculo Acupuntura Eu Won Lee
Acupuntura y Auriculoterapia Floreal Carballo
Vademécum de Auriculoterapia Julio Juanes Sanchez
Tratado de Auriculoterapia Marcelo Pereira de Souza
Auriculopuntura Nguyen Van Nghi
Acupuntura Auricular e Auricologia Orley Dulcetty Júnior
Noções Práticas de Auriculoterapia Paul Nogier
Auriculoterapia, Auriculomedicina Paul Nogier/ Raphael Nogier
Manual de Laser Auriculopuntura em Odontologia Paulo de Lacerda
DO IN Auricular Pedro Chan
Medicina Auricular na clínica diária R. Kovacs
Auriculoterapia, Auriculomedicina Raphael Nogier
Auricular - Point – Pressing Therapy Shan Qiuhua
Handbook to Chinese Auricular Therapy Wang Sheng / Wang Weidong
Auriculotherapy Manual Terry Oleson
Auricular Acupuncture Therapy Xiao Fei / Wei Lushuang
Auriculoterapia Ysao Yamamura
Acupuntura Auricular Ysao Yamamura
Auriculoterapia: Fundamentos Acupuntura Auricular Brunilda T. Reichmann

A ansiedade é uma das queixas mais frequentemente vistas na pratica clínica, o começo da
enfermidade, geralmente, se produz durante a juventude, chegando a instalar-se com certa cronicidade.
A mesma é causada com maior freqüência pela atividade mental excessiva, o trabalho intelectual por
tempo prolongado ou por trauma psicológico, o que leva à debilidade da mente e à superexcitação do
córtex cerebral, produzindo sintomas como: insônia, dificuldade para entrar no sono, sono leve com
fácil despertar e poucas horas de sono; em casos graves, o paciente passa toda a noite sem dormir,
apresenta pesadelos, palpitações, sudorese, irritabilidade, astenia geral e perda da memória.

Para a Medicina Tradicional Chinesa, esta patologia é denominada Bu Mei que pode ser traduzida
como perda do sono. De acordo com a etiopatogenia, esta relacionada com lesões do baço e coração ou
do sangue e da energia, produto do trabalho mental excessivo ou da preocupação excessiva, outra
causa pode ser a atividade sexual em excesso que lesiona o Yin do rim favorecendo a subida do fogo,
produzindo-se uma falta de comunicação entre coração e rim. Também, a alimentação inadequada que
provoca a desarmonia entre baço e estômago é outra das causas que favorece o acúmulo de umidade e
por sua vez de fleuma, a fleuma acumulada se transforma em calor, fleuma e calor combinados

15
ascendem para prejudicar o coração e o espírito. A repressão de sentimentos e a irritabilidade
provocam ascensão de fogo do fígado, sendo outra das causas da enfermidade.

Quanto ao princípio geral de seleção dos pontos auriculares para o tratamento das enfermidades,
HUANG (2002) cita cinco métodos principais que devem guiar o tratamento.

1. Seleção (ões) de ponto (s) auricular (es) correspondente (s) a (s) zona (s) afetada (s).
2. Seleção de ponto (s) auricular (es) segundo a Teoria da Diferenciação de Síndromes
e/ou Padrões de Desarmonia, mediante a análise das mudanças patológicas das vísceras
e de suas inter-relações, e a Teoria dos Canais e Colaterais.
3. Seleção (ões) de ponto (s) auricular (es) segundo a teoria médica moderna
(neurofisiológica).
4. Seleção de ponto (s) auricular (es) segundo os seus efeitos.
5. Seleção de ponto (s) auricular (es) segundo a experiência clínica.

Diversos autores relatam os principais pontos de tratamento para a ansiedade, sendo os mais
relevantes:

o Sangria no ápice;
o Shen Men;
o Coração;
o Subcórtex;
o Occipital;
o Área e ponto de neurastenia.

Pontos secundários:

o Se deficiência de coração e baço: Baço;


o Se estase de Qi do Fígado e ascensão de Qi de Fígado: Fígado;
o Se deficiência de coração e vesícula biliar: Vesicular Biliar;
o Se perda de comunicação entre coração e rim: Rim;
o Se desarmonia de estômago: Estômago.

Segundo ERNESTO G. GARCÍA (1999) a explicação dos pontos utilizados acima, justifica-se:

o Shen Men, occipital e subcórtex: a insônia é a perda do equilíbrio depressão – excitação


do córtex cerebral, a atividade nervosa superior perde sua normalidade. Através destes
três pontos, é regulada a função do córtex cerebral, seda-se e acalma o espírito e se
facilita o sono.
o Coração: o coração controla a atividade espiritual do ser humano, quando se produz
uma deficiência de Yang do coração aparecem sintomas de neurastenia, insônia, perda
de memória, debilidade corporal e perda de força. Caso haja deficiência de Yin do
coração, superexcita-se o sistema simpático, aparecendo neurastenia acompanhada de
sintomas tais como palpitação, hiperidrose, irritabilidade, etc. Selecionando o ponto
coração, tranqüiliza-se a mente e se acalma o espírito.
o Sangria no ápice da orelha: tem função sedante e clareia a mente.
o Área e ponto de neurastenia: estes são dois pontos que facilitam o sono, com a área de
neurastenia se garante a entrada rápida no sono e se evitam os sonhos excessivos e os
pesadelos. O ponto de neurastenia garante que o sono seja profundo e prolongado.

16
o Baço: através deste ponto, fortalece-se o baço, e se tonifica a energia, garantindo com
isto que se nutra a mente e se tranqüilize o espírito.
o Fígado: o Fígado armazena o espírito, de sua correta função de drenagem e dispersão
depende a boa atividade espiritual, assim, quando se produz estagnação de Qi do Fígado
é comum aparecerem os sintomas de irritabilidade, insônia e depressão. Através deste
ponto, logram-se eliminar as estagnações e se restabelece a função hepática.
o Vesícula Biliar: A Vesícula Biliar guarda relação exterior e interior como o Fígado, na
neurastenia causada por deficiência de coração e vesícula biliar, este ponto ajuda a
acalmar o susto e tranqüilizar o espírito.
o Rim: A Medicina Tradicional Chinesa considera que o rim gera tanto a medula óssea
como a espinhal e que o cérebro é o mar da medula, assim, quando o Qi e a essência do
rim são abundantes, a capacidade mental é ativa, mas, quando o Qi do rim é insuficiente
aparece debilidade da região lombar e das pernas, fadiga e falta de força dos membros,
insônia, perda de memória, vertigem e tinido. Selecionando o ponto rim, tonifica-se a
mente, o coração e o espírito, garante-se a correta comunicação entre coração e rim e,
portanto, o satisfatório equilíbrio do Yin e o Yang superior e inferior.
o Estômago: quando a função do estômago não é harmoniosa, a pessoa não consegue
dormir tranquilamente, desta maneira, selecionando o ponto estômago, facilita-se o
sono e se tranqüiliza o espírito.

De acordo com LI-CHUN HUANG (1999; 2002) tratamento poderia ser complementado pelos pontos:

o Ansiedade: é o ponto principal utilizado para diagnosticar e tratar as enfermidades do


sistema emocional – ansiedade, estresse, depressão, nervosismo e fadiga.
o Felicidade: é o ponto principal utilizado para diagnosticar e tratar as enfermidades do
sistema emocional – ansiedade, estresse, depressão, nervosismo e fadiga.

Ainda para TERRY OLESON (1998), o tratamento poderá ser suplementado através dos seguintes
pontos:

o Sistema nervoso simpático: é o ponto mestre que ativa o equilíbrio entre o


funcionamento do sistema nervoso autonômico simpático e parassimpático.
o Tranquilização: tem a função de produzir efeito sedativo geral, facilitando o
relaxamento e aliviando a ansiedade.
o Ponto Zero: tem a função de estimular o equilíbrio homeostático geral do organismo.
o Reações psicossomáticas: alívio de distúrbios psicológicos, experiências emocionais
reprimidas.
o Nervosismo: alivio da ansiedade, preocupação, neurose e neurastenia.

Para PAUL NOGIER (1998) e RAPHAEL NOGIER (2003), da escola de Acupuntura Auricular
Francesa, o tratamento da ansiedade e angústia deve seguir alguns pré-requisitos fundamentais, como:
elaboração de uma dieta hipo-alergênica (ex. evitar laticínios, cereais, ovos, tomates e chocolates),
alimentos que podem aumentar a ansiedade (ex. álcool, crustáceos, conservantes e corantes e etc.),
medicações ansiolíticas (pois mascaram os sintomas sem resolver o problema de base).

Os pontos principais são:

o Ponto do olho: ação secundária equilíbrio vagossimpático, sono e tônus;


o Ponto subcortical;
o Ponto do anti-hélix;
o Ponto do córtex;
o Ponto do hélix;
o Ponto O’;

17
o Ponto do Estômago: ação secundária agindo sobre as vísceras abdominais, e a
emotividade;
o Ponto de Alergia: ação sobre perturbações da afetividade;
o Ponto do Rim: ação secundária sobre o funcionamento do sistema vagossimpático,
psiquismo, "complexos infantis" e "problemas psicanalíticos";
o Ponto do Pâncreas: ação secundária sobre equilíbrio vagossimpático, afetividade,
angustia e obsessão.

Para EU WON LEE (2005) representante da escola coreana em nosso meio, o tratamento através da
Acupuntura Auricular para a ansiedade (referida como neurastenia) consiste nos seguintes pontos:

o Ponto do Rim;
o Ponto Shen Men;
o Ponto Occipital;
o Ponto do Coração;
o Ponto do Estômago;
o Ponto do Subcórtex.

No Brasil entre os representantes da escola de Acupuntura Auricular destacam-se: SOUZA


(1990/2001), DULCETTI JÚNIOR (1994), BOUCINHAS (1997) e REICHMANN (2002). Os pontos
auriculares para o tratamento da ansiedade descritos pelos autores são:

SOUZA (1990/2001)

O autor descreve o uso de três pontos principais, como início para qualquer tipo de programa
(denominado Aurículocibernética ou Triângulo Cibernético) de tratamento auricular, consistindo em:
Shen Men, Rim e Simpático. Os demais pontos para ansiedade são:

o Ponto Shen Men – tonificação;


o Ponto Simpático – tonificação;
o Ponto Rim – sedação;
o Ponto Coração – sedação;
o Ponto Occipital – tonificação;
o Ponto Estômago – sedação;
o Ponto Subcórtex – sedação.

DULCETTI JÚNIOR (1994)

o Ponto Shen Men;


o Ponto Coração;
o Ponto Rim;
o Ponto Estômago;
o Porta da Emoção;
o Ápex do ante-hélix;
o Ponto Simpático.

BOUCINHAS (1997)

o Área do anti-trago.

REICHMANN (2002)

o Dorso da orelha;

18
o Ponto da Neurastenia;
o Ponto Shen Men;
o Ponto Rim;
o Ponto Occipital;
o Ponto Coração;
o Ponto Estômago (subcórtex).

Ansiedade e Psicologia

Em 1883, Pavlov descreve trabalhos sobre a neurose experimental em animais. Em 1894, Freud
conceituou a neurose de angústia como "síndrome discreta, diferenciada da neurastenia" sendo mais
tarde compreendida como um problema fundamental em todas as formações de sintomas neuróticos.

A função da ansiedade em recentes trabalhos no campo das Terapias Cognitivas e Comportamentais é


da redução do desconforto, a experiência de desconforto impulsiona a pessoa a fazer alguma coisa para
diminuí-lo ou eliminá-lo, aumentando o grau de vigília, ampliando a capacidade de agir em situações
de estresse e como sintoma comum a diversas doenças físicas (ex. doença arterial coronariana e
síndrome do cólon irritável) e psíquicas (ex. transtorno de ansiedade generalizada e transtorno de
pânico). É o sintoma predominante de um grupo de transtornos em que se incluem as fobias (específica
e social), o transtorno de pânico, o transtorno obsessivo-compulsivo, o transtorno de ansiedade
generalizada, o transtorno de estresse agudo e o transtorno de estresse pós-traumático (AMERICAN
PSYCHIATRIC ASSOCIATION, 1997; KAPLAN et al., 1997; DAVISON & NEALE, 2003).

Para GOLDBERG e HUXLEY (1996) os sintomas ansiosos são formas desadaptativas de


enfrentamento (coping) que podem ajudar o indivíduo a evitar situações estressantes, reduzir o próprio
sentido de responsabilidade para a situação que se está envolvido e aliviar a experiência de dores
preexistentes e de desconforto.

As Terapias Cognitivas e Comportamentais vem desenvolvendo um modelo teórico sobre o papel das
distorções cognitivas no desencadeamento e manutenção dos sintomas ansiosos (cognitivos,
emocionais, comportamentais e fisiológicos), como ilustrado na figura 5.

Figura 5

Paradigma da Terapia Cognitivo-Comportamental.

Fonte: NEVES NETO (2003).

19
Para explicar o paradigma da Terapia Cognitivo-Comportamental busca-se entender o papel das
cognições (pensamentos, valores, atribuições) como precipitadoras de reações emocionais (ex.
ansiedade, tristeza), comportamentais (ex. esquiva-fuga) e fisiológicas (ex. batimentos cardíacos)
coerentes com a interpretação das situações de vida (STOUDEMIRE, 2000; NEVES NETO, 2003). É
importante ressaltar a origem filosófica desta abordagem psicológica que faz contato com o estoicismo
(como principal representante o filósofo Epicteto) e com a filosofia oriental budista.

Atualmente vem sendo reconhecida pela Organização Mundial da Saúde e diversos institutos nacionais
de saúde a sua eficácia para o tratamento da ansiedade (DAVISON & NEALE, 2003; NEVES NETO,
2003).

Diversos autores vêm buscando estudar a integração da psicoterapia (como é praticada no ocidente) à
Acupuntura - MTC, com perspectiva de sucesso (WATTS, 1961; LANZA, 1986; ECHE, 1997;
WHITE, 2000; ROSS, 2002; SMITH et al., 2002; FLAWS & LAKE, 2003; TANAKA, 2003;
SCHREIBER-SERVAN, 2004).

Ansiedade e Psiquiatria

A corrente da psiquiatria biológica vai explicar a origem dos sintomas ansiosos através da estimulação
do sistema nervoso autonômico, como a manifestação periférica da ansiedade, quadro 5. Os três
principais neurotransmissores associados à ansiedade são a noradrenalina, serotonina e ácido gama-
aminobutírico (GABA) (KAPLAN et al., 1997).

Quadro 5 – Manifestações periféricas da ansiedade.

Diarréia Tontura
Hiperidrose Hiper-reflexia
Hipertensão Palpitação
Midríase pupilar Inquietação
Síncope Taquicardia
Formigamento das extremidades Tremores
Desconforto abdominal Urgência urinária

Estudos de imagem cerebral descrevem um aumento de tamanho dos ventrículos cerebrais, e os


exames de eletroencefalografia relatam anormalidades no córtex frontal, nas áreas occipitais e
temporais.

Os estudos genéticos apontam para a forte existência de componentes genéticos no desenvolvimento


de transtornos de ansiedade.

20
O tratamento farmacológico da ansiedade freqüentemente é associado a utilização de
benzodiazepínicos (ex. Diazepam), antidepressivos tricíclicos (ex. Imipramina) e inibidores seletivos
de recaptação da serotonina (ex. Sertralina). É importante destacar o grande número de efeitos
colaterais das medicações ansiolíticas, por exemplo: boca seca, constipação, visão borrada, sedação,
alteração da pressão ortostática, disfunção sexual, distúrbios gastrintestinais, insônia e dependência
(KAPLAN et al., 1997; FLAWS & LAKE, 2003).

OBJETIVOS

1) Revisar criticamente a literatura científica em bases de dados sobre o tratamento da ansiedade


através da Medicina Tradicional Chinesa, especificamente da Acupuntura Auricular.

2) Descrever os principais resultados encontrados em ensaios clínicos controlados sobre a eficácia da


Acupuntura Auricular no tratamento da ansiedade, seguindo a classificação do grau de recomendação e
força de evidência.

METODOLOGIA

Trata-se de um estudo de revisão sistemática da literatura. Realizava-se consultadas às seguintes bases


de dados:

o
Medlineâ
o
Lilacsâ
o
Scieloâ
o
Cochrane Libraryâ
o
Biblioteca Virtual em Saúde (BVS-PSI) â
o
MDConsultâ
o
Medscapeâ
o
Periódicos CAPESâ
o
Acubriefs Reviewâ

O levantamento das referências bibliográficas relevantes foram efetuadas no Centro Latino Americano
e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme) da Universidade Federal de São Paulo em
associação a Organização Panamericana da Saúde (OPAS) e Organização Mundial da Saúde (OMS),
além do Serviço de Biblioteca e Informação do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo
(IPUSP), vide anexos C, D, E, F, G e H.

Foram utilizados os seguintes descritores: Acupuntura Auricular, Auriculoterapia, Auriculomedicina,


Ansiedade, e em inglês: Auricular Acupuncture, Auriculotherapy, Auriculomedicine, Ear Acupuncture,
Anxiety.

Os principais resultados foram avaliados segundo o grau de recomendação e força de evidência,


conforme a classificação de BERMAN, SWYERS & EZZO (2000), abaixo:

21
I- Evidência de ao menos uma revisão sistemática de múltiplos e bem padronizados ensaios clínicos
randomizados com controle;

II- Evidência de ao menos um ensaio clínico randomizado com controle, bem projetado e de tamanho
apropriado;

III- Evidência de ensaios não randomizados, bem projetados, de um grupo de estudos pré e pós, série
de casos ou estudos pareados com controle;

IV- Evidência de estudos não experimentais bem projetados, multicêntricos ou grupos de pesquisa;

V- Opiniões de autoridades respeitadas, baseadas em evidências clínicas, estudos descritivos ou


pesquisas de comitês de especialistas.

A metodologia empregada, tamanho da amostra, uso de grupo controle, randomização e mascaramento


também foram considerados na análise.

O levantamento de dados ocorrera até o dia 20/12/2004, com os artigos indexados nos bancos de dados
pesquisados até este momento.

RESULTADOS

Foram encontrados 77 artigos que possuíam as palavras-chaves utilizadas como delimitadores da


revisão da literatura, consistindo principalmente em estudos de revisão e estudos experimentais, como
pode ser observado na tabela 1.

Tabela 1 – Resultados dos artigos encontrados através de pesquisa realizada em banco de dados
indexados.

Mecanismo de Busca Freqüência %


Medlineâ 7 9,09
Lilacsâ 0 0,00
Scieloâ 0 0,00
Cochrane Libraryâ 11 14,29
Biblioteca Virtual em Saúde (BVS – Psi) 0 0,00
MDConsultâ 13 16,88
Medscapeâ 2 2,60
Periódicos CAPESâ 36 46,75
Acubriefs Reviewâ 8 10,39
Total 77 100,00

22
A partir do levantamento dos artigos existentes foram excluídos os estudos que relacionavam outras
formas de acupuntura que não a auricular, os estudos de revisão e teóricos - conceituais. No quadro 6
são descritos os 4 trabalhos que preencheram os critérios delimitadores: acupuntura auricular,
ansiedade, ensaio clínico.

Quadro 6 – Descrição dos estudos clínicos sobre o uso da Acupuntura Auricular no tratamento
da ansiedade que preencheram os critérios de inclusão da pesquisa.

Autor Ano Título Periódico


Kober et al. 2003 "Auricular acupressure as a treatment for anxiety Anesthesiology
in prehospital transport settings".
Berman & Lundberg 2002 "Auricular acupuncture in prison psychiatric Acta Psychiatry
units: a pilot study". Scandinavian
Shu-Ming et al. 2001 "The use of auricular acupuncture to reduce Anesthesia &
preoperative anxiety". Analgesia
Shu-Ming & Kain 2001 "Auricular acupuncture: a potential treatment for Anesthesia &
anxiety". Analgesia

Os estudos descritos no quadro 6 foram produzidos por centros internacionais de pesquisa


(principalmente EUA e Europa), e receberam apoio institucional de grandes universidades (exemplos:
Yale University School of Medicine, University of Vienna e Department of Psychology Stockholm
University). É também importante salientar que são estudos realizados por equipes multiprofissionais,
compostas por acupunturistas (Licensed Acupuncturist, L.Ac.), médicos (Medical Doctor, M.D.),
bacharéis em ciências (Bacharel in Science, B.S.) e etc.

No quadro 7 são apresentados os níveis de evidência para os estudos pesquisados, na tabela 2 são
descritas às características metodológicas, e na figura 5 o gráfico descrevendo a amostragem dos
estudos selecionados.

Quadro 7 - Descrição dos estudos clínicos sobre o uso da Acupuntura Auricular no tratamento
da ansiedade e o nível de evidência para análise critica de um estudo científico.

Autor Ano Nível de Evidência


Kober et al. 2003 III
Berman & Lundberg 2002 III
Shu-Ming et al. 2001 II
Shu-Ming & Kain 2001 II

23
Tabela 2 – Descrição das metodologias empregadas nos estudos sobre Acupuntura Auricular no
tratamento da ansiedade.

Estudo Desenho do Estudo Resultados


Kober et al. EC; GC; R; M ¯ Ansiedade (p = 0,002)
(2003)
¯ Percepção da Dor (p = 0,006)

Melhora da condição clínica (p = 0,014)


Berman & EC; GC ¯ Nível de Cortisol (pic/ml) (p < 0,10)
Lundberg
(2002) ¯ Prescrição de psicotrópicos (p = 0,043)

Escala de Autonomia (p = 0,013)


Shu-Ming EC; GC; R; M
et al. (2001) ¯ Escala Traço-Estado de Ansiedade de Spielberg (p =
0,014)

Shu-Ming & ¯ Escala Traço-Estado de Ansiedade de Spielberg (p =


Kain EC; GC; R; M 0,001)
(2001) Alteração eletrodérmica da pele da pele (Ohm), Pressão
arterial (mmHg) e batimento cardíaco (bpm) (p > 0,05)

Legenda: = aumento; ¯ = diminuição; EC = Ensaio Clínico; GC = Grupo Controle; R =


Randomização; M = Mascaramento.

Figura 6

Descrição da freqüência (total = 204) de sujeitos participantes dos estudos clínicos selecionados.

24
A faixa etária dos participantes dos estudos selecionados era de 19 a 89 anos.

Podemos observar na tabela 2 que para a maioria dos estudos selecionados obteve-se significância
estatística (p < 0,05) que sustenta a eficácia da Acupuntura Auricular para o tratamento da ansiedade.
Os estudos são metodologicamente bem delineados, mas notam-se ainda alguns problemas, como:
tamanho da amostra, seguimento terapêutico com um tempo maior de acompanhamento (estudos de
follow-up), estudos comparando o uso de Acupuntura Auricular e métodos terapêuticos tradicionais
(ex. psicoterapia, farmacoterapia e etc.).

No quadro 8 são apresentadas informações relativas aos pontos auriculares utilizados nos estudos
selecionados, e na figura 7 a descrição dos materiais utilizados para estimulação dos pontos.

Quadro 8 - Descrição dos pontos auriculares utilizados nos estudos clínicos.

Estudo Pontos Auriculares


Kober et al. (2003) Ponto de relaxamento, Ponto Shen Men, Ponto Sham (placebo)
Berman & Lundberg (2002) Pontos de acordo com o diagnóstico individual
Shu-Ming et al. (2001) Ponto do rim, Ponto do coração, Ponto Shen Men
Shu-Ming & Kain (2001) Ponto de relaxamento, Ponto Shen Men, Ponto Sham (placebo)

O ponto Shen-Men foi a base para 3 dos quatro estudos selecionados, reforçando sua importância para
a prática da Acupuntura Auricular. O ponto Sham, foi utilizado em 2 estudos como recurso principal do
grupo controle. Quanto ao número de sessões descreve-se de 1 a 83 consultas (unidades psiquiátricas
no presídio).

25
Figura 7

Descrição dos materiais utilizados para a execução da Acupuntura Auricular nos estudos clínicos
selecionados.

Foram utilizados em 75% dos estudos agulha filiforme de aço inoxidável produzidas pela indústria
japonesa Seirin e pela chinesa Suzhou, o tamanho descrito era de 0,22 x 0,13 mm.

DISCUSSÃO

O estudo atingiu seu principal objetivo que era revisar criticamente a literatura científica sobre o
tratamento da ansiedade através da Acupuntura Auricular – Medicina Tradicional Chinesa.

Observa-se que a literatura é relativamente atual, o que reforça a concepção de que neste momento
sócio-histórico busca-se submeter à prática médica oriental milenar aos métodos e procedimentos de
avaliação da ciência moderna ocidental. Não que se duvide de seu valor pragmático e efetivo, mas que
a integração destas duas concepções diferentes sobre o processo de adoecer trás a necessidade da
tradução e compreensão de parte de seus efeitos clínicos em termos da atual linguagem das ciências da
saúde. Observa-se que dos quatro estudos selecionados metade atendia a classificação II e a outra
metade a III, o que reforça o empenho dos cientistas ocidentais em buscarem níveis de evidência
científica que apóiam a utilização da Acupuntura Auricular – MTC no ocidente.

A prática da Acupuntura Auricular para o tratamento da ansiedade, ainda é uma novidade em nosso
meio científico e assistencial. A ansiedade é um transtorno mental que afeta uma grande parcela da
população, e os meios de tratamento ainda não são totalmente eficazes para muitas pessoas acometidas
por esses sintomas e sinais. Isso torna a Acupuntura – Medicina Tradicional Chinesa uma opção
interessante que poderá ser incorporada à prática clínica e aos estudos científicos da área de saúde
mental.

A nosso ver, a Acupuntura Auricular apresenta algumas vantagens em relação às práticas


contemporâneas, sendo elas: visão holística do indivíduo (ex. modelo biopsicossocial e espiritual e
abordagem psicossomática), busca do reequilíbrio do indivíduo (homeostase), baixo custo financeiro,

26
baixíssimos efeitos colaterais (ex. inflamação do pavilhão auricular por falta de anti-sepsia adequada,
pericondrite), diversidade de estimulações (ex. agulhas filiformes, agulhas semi-permanentes,
sementes, esferas, laser, moxabustão e etc.), praticidade da aplicação, resposta rápida do organismo
com duração de dias a semanas (ex. a partir de 15 a 20 minutos, podendo durar algumas semanas),
possibilidade de ser utilizada em diversos settings terapêuticos (ex. consultórios, ambulatórios, hospital
dia, pronto-socorro, unidade de terapia intensiva, postos de saúde e etc.), possibilidade de ser estratégia
principal ou complementar as abordagens psicoterápicas, além da possibilidade de redução e/ou
interrupção da administração de psicofármacos, entre outros.

A principal crítica aos estudos encontrados, deve-se a pouca participação de psicólogos e centros de
Psicologia Aplicada no desenvolvimento e incorporação da Acupuntura Auricular – Medicina
Tradicional Chinesa em suas práticas contemporâneas. Entendemos que a Psicologia faça parte do
campo da saúde, e que seus recursos são importantes, mas que apresentam limitações para muitas
condições de saúde agudas e/ou crônicas em que os fatores biopsicossociais e espirituais estão
associados. A hegemonia da Psicologia americana e européia ainda ofusca as práticas orientais de cura,
dificultando o acesso e a disseminação deste saber. Não podemos esquecer que tanto a filosofia
Taoísta, quanto a própria origem da Medicina Tradicional Chinesa já desenvolviam no cerne de suas
teorias uma visão holística do homem e da natureza, o que só veio a se destacar a partir do século XX
na cultura médica ocidental.

Políticas de fomento para o desenvolvimento da Acupuntura no ensino da Psicologia, são os nossos


objetivos atuais. Mas para isso, é necessário que tenhamos uma maior participação de psicólogos na
construção deste caminho de interligação entre as escolas psicológicas tradicionais e Acupuntura
Tradicional. Alguns passos já estão sendo realizados, como: Resolução do Conselho Federal de
Psicologia sobre a Prática da Acupuntura em Psicologia (Nº. 005/2002), criação da Sociedade
Brasileira de Psicologia e Acupuntura (SOBRAPA), Carta Aberta de Balneário de Camboriú pela
Acupuntura (2003) sobre a prática da acupuntura multiprofissional e a discussão da inclusão no
currículo dos cursos superiores da área da saúde de uma disciplina de fundamentos em acupuntura
tradicional chinesa, e do estímulo ao desenvolvimento de trabalhos acadêmicos e científicos como esta
monografia.

CONCLUSÃO

A Acupuntura Auricular foi segura e efetiva para o tratamento da ansiedade nos 04 estudos
selecionados, atingindo níveis de evidência científica grau II e III. Novos estudos são necessários para
aumentar o conhecimento sobre os mecanismos psicofisiológicos e energéticos do tratamento, e sua
aplicação a diversos contextos terapêuticos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AKIYAMA, K. Perfil dos usuários de Serviço de Medicina Não-Convencional: Um estudo da


população que procura o setor de Medicina Chinesa – Acupuntura do HSP-UNIFESP.
Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de São Paulo. São Paulo. 1999.

27
ALIMI, D.; GEISSMANN, A. & GARDEUR, D. Auricular Acupuncture Stimulation Measured On
Functional Magnetic Resonance Imaging. Medical Acupuncture: A Journal For Physicians By
Physicians. 13:2, 2000.

AMERICAN PSYCHIATRY ASSOCIATION (APA). Manual Diagnóstico e Estatístico dos


Transtornos Mentais – DSM-IV. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

BARNES, P.M.; POWELL-GRINER, E.; MCFANN, K. & NAHIN, R.L. (2004). Complementary and
Alternative Medicine use among adults: United States, 2002. Advance Data: From vital and Health
Statistics. 343: 1-19.

BASSMAN, L.E. & UELLENDAHL, G. Complementary/ Alternative Medicine: Ethical, Professional,


and Practical Challenges for Psychologists. Professional Psychology: Research and Practice. 34(3):
264-270, 2003.

BERMAN, A.H. & LUNDBERG, U. Auricular acupuncture in prison psychiatric units: a pilot study.
Acta Psychiatr Scand. 106(Suppl. 412): 152-157, 2002.

BERMAN, B.M.; SWYERS, J.P. & EZZO, J. The evidence for acupuncture as a treatment for
rheumatologic conditions. Rheum Disease Clin North Am. 26(1): 103-15,2000.

BLOISE, P.V. O Tao e a Psicologia. São Paulo: Editora Angra, 2000.

BRESTER, D.E. & KROENING, R.J. Three essential factors in effective acupuncture therapy. Am J
Chin Med. 4(1): 81-86, 1976.

BRITISH ACUPUNCTURE COUNCIL. Depression, Anxiety and Acupuncture: The evidence for
effectiveness. Briefing Paper No. 9. Acupuncture Research Resource Centre – British Acupuncture
Council, 2002.

CAMPIGLIA, H. Psique e Medicina Tradicional Chinesa. São Paulo: Roca, 2004.

CAMPOS, R. Acupuntura: agulhas do bem. Revista Viver Psicologia. 131(XII): 20-25, 2003.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução CFP Nº. 005/2002: Dispõe sobre a prática
da acupuntura pelo psicólogo. 2002.

DAVISON, G. & NEALE J.M. Psicologia do Comportamento Especial. São Paulo: LTC, 2003.

DULCETTI JÚNIOR, O. Acupuntura Auricular e Auriculoterapia. São Paulo, Parma, 1994.

ECHE, M. Auriculomedicine et Psychotherapie. Meridiens. 109:177-9, 1997.

ESCOLA DE MEDICINA TRADICIONAL CHINESA DE BEIJING; ESCOLA DE MEDICINA


TRADICIONAL CHINESA DE SHANGHAI; ESCOLA DE MEDICINA TRADICIONAL CHINESA
DE NANJING & INSTITUTO DE ACUPUNTURA DA ACADEMIA DE MEDICINA
TRADICIONAL CHINESA. Fundamentos Essências da Acupuntura Chinesa. São Paulo. Ícone,
1995.

FLAWS, B. & LAKE, J. Chinese Medical Psychiatry: A Textbook and Clinical Manual –
including indications for referral to Western medical services. USA: Blue Poppy Press. 2003.

28
HUANG, L.C. Tratamiento Auricular: Formulas y Prescripciones. Estados Unidos. Centro
Internacional de Investigación y Entrenamiento em Medicina Auricular, 2002.

HUANG, L.C. Auricular Diagnosis with color photo. USA. Longevity Press, 1999.

JONAS, W.B. & LEVIN, J.S. Tratado de Medicina Complementar e Alternativa. São Paulo:
Manole, 2001.

KAPLAN, H.I.; SADOCK, B.J. & GREBB, J.A. Compêndio de Psiquiatria. Porto Alegre: Artes
Médicas, 1997.

KOBER, A.; SCHECK, T.; SCHUBERT, B.; STRASSER, H.; GUSTORFF, B.; BERTALANFFY, P.;
WANG, S.M.; KAIN, Z.N. & HOERAUF, K. Auricular acupressure as a treatment for anxiety in
prehospital transport settings. Anesthesiology. 98(6): 1328-1332, 2003.

LANZA, U. The contribution of acupuncture to clinical psychotherapy by means of biofeedback


(EMG-BFB) training. Acupunct Electrother Res. 11(1):53-57, 1986.

LEE, E.W. Aurículo acupuntura. 5º. Edição. São Paulo, Ícone, 2005.

MACIOCIA, G. Os fundamentos da Medicina Chinesa: Um texto abrangente para


Acupunturistas e Fitoterapeutas. São Paulo. Roca, 1996.

MARIGNAN, M. La téléthermométrie Auriculaire Dynamique. França, 1997. Disponível em:


<http://isabelle.loras.free.fr/eIndex.html>. Acesso em: 20/12/2004.

MORANT, G.S. Acupuntura. Buenos Aires: Editorial Médica Panamericana, 1990/1957.

NAGAKAWA, T. & IKEMI, Y. A new model of integrating occidental and oriental approaches.
Journal of Psychosomatics Research. 28(1): 57-62, 1982.

NATIONAL INSTITUTE OF HEALTH (NIH). Acupuncture: NIH Consensus Conference. JAMA.


280(17): 1518-1524, 1998.

NEVES NETO, A.R. Medicina Comportamental e Acupuntura: Instrumentos de Psicologia. XIII


Encontro da Associação Brasileira de Psicoterapia e Medicina Comportamental e II Congresso
Internacional da Association for Behavior Analysis. Campinas, 2004.

NEVES NETO, A.R. Psicoterapia Cognitivo-Comportamental: Possibilidades em Clínica e Saúde.


Santo André: Esetec Editores, 2003.

NOGIER, P.M.F. Noções práticas de Auriculoterapia. São Paulo, Andrei, 1998.

NOGIER, R. & BOUCINHAS, J.C. Prática Fácil de Auriculoterapia e Auriculomedicina. São


Paulo, Ícone, 1997.

NOGIER, R. Auriculoterapia ou Acupuntura Auricular: 1º Grau. São Paulo, Andrei, 2003.

OLESON, T. Auriculotherapy Manual: Chinese and Western Systems of Ear Acupuncture. 2nd
edition. USA: Health Care Alternatives Inc. 1998.

PAESANO, M. Psicologia e Acupuntura. Revista do Curso de Psicoterapia de Orientação


Junguiana Coligada à Técnicas Corporais. 2(2):69-92, 2002.

29
PESSOTTI, I. Ansiedade. São Paulo: EPU/Edusp, 1978.

REQUENA, Y. Acupuntura e Psicologia. São Paulo: Andrei. 1990.

REICHMANN, B.T. Auriculoterapia: Fundamentos de Acupuntura Auricular. Curitiba:


Tecnodata, 2002.

ROSS, J. Sistemas de órgãos e vísceras da Medicina Tradicional Chinesa. São Paulo. Roca, 1994.

ROSS, J. Combinações dos pontos de acupuntura: a chave para o êxito clínico. São Paulo, Roca,
2003.

SAVOIA, M.G. Transtorno de pânico: desencadeantes psicossociais. Santo André: Esetec, 2000.

SCHNYER, R.N.; ALLEN, J.J.B; HITT, S.K.; MANBER, R.; KAPTCHUCK, T.J. & THASE, M.E.
Acupuncture in the Treatment of Depression: A Manual for Practice and Research. USA:
Churchill Livingstone. 2001.

TSÉ, L. Tao-te King: O livro do sentido e da vida. Tradução Richard Wilhelm. São Paulo:
Pensamento. 1978.

SCHREIBER-SERVAN, D. Curar: o stress, a ansiedade e a depressão sem medicamento nem


psicanálise. São Paulo: Sá, 2004.

SIMON, G.E.; CHERKIN, D.C.; SHERMAN, K.J.; EISENBERG, D.M.; DEYO, R.A. & DAVIS, R.B.
Mental health visits to complementary and alternative medicine providers. General Hospital
Psychiatry. 26:171-177, 2004.

SMITH, T.W.; KENDALL., P.C. & KEEFE, F.J. Behavioral Medicine and Clinical Health Psychology:
Introduction to the Special Issue, A View From Decade of Behavior. Journal of Consulting and
Clinical Psychology. 70(3): 459-462, 2002.

SOUZA, M.P. Tratado de Auriculoterapia. Brasília, Look Gráfica e Editora, 1990/2001.

STEIN, E. Acupuncture. Em: MOSS, D.; McGRADY, A.; DAVIES, T.C. & WICKRAMASEKERA, I.
Handbook o Mind-Body Medicine for Primary Care. USA: Sage Publications Inc; 2003. p. 181-
190.

STOUDEMIRE, A. Fatores psicológicos afetando condições médicas. Porto Alegre: Artes Médicas,
2000.

SUSSMANN, D.J. Acupuntura: Teoría y Práctica. 13º. Edicion. Argentina: Kier Editorial. 2000.

TANAKA, T.H. Acupuncture and Sound Assisted Autonomic Modulation Technique Part 1: The
Creation and Efficacy of a HRV-Autonomic Trainer CD. Part of this paper was presented at the
34th Annual Meeting of the Association for Applied Psychophysiology and Biofeedback,
Jacksonville, Florida March 27-30, 2003, (Tanaka. T.H., The Creation and Efficacy of a HRV-
Autonomic Trainer CD in Assisting Heart Rate Variability Biofeedback Training: Preliminary Report).

TYMOWSKI, J.C.; GUILLAUME, M.J. & FIÉVET-IZARD, M. A Acupuntura. Jorge Zahar Editora,
1986.

30
WANG, S. & Kain, Z.N. Auricular Acupuncture: A potential treatment for anxiety. Anesth Analg.
92:548-553, 2001.

WANG, B. Princípios de Medicina Interna do Imperador Amarelo. São Paulo: Ícone, 2001.

WATTS, A.W. Psicoterapia Oriental e Ocidental. São Paulo: Record. 1961.

WHITE, K.P. Psychology and Complementary and Alternative Medicine. Professional Psychology:
Research and Practice. 31(6): 671-681, 2000.

WORLD HEALTH ORGANIZATION - WHO (Organização Mundial da Saúde - OMS).


Acupuncture: Review and analysis of reports on controlled clinical trials (ISBN 92 4 154543 7),
WHO Geneva, 2002.

YAMAMURA, Y. Efeitos da acupuntura, evidenciados pro estudos clínicos e experimentais


controlados na UNIFESP-EPM, no período de 1992 à 2002. Livre Docência. Universidade Federal
de São Paulo, São Paulo, 2002.

ANEXOS

ANEXO A – Breve descrição de artigos científicos indexados e relacionados ao desenvolvimento


da Acupuntura Auricular, segundo Terry Oleson, PhD.

Abbate D, Santamaria A, Brambilla A, Paneri R, Di Guiulio A (1980) Beta-endorphin and


lectroacupuncture. Lancet 16 : 13–31.

Ackerman J (1999) Navach’s biochemical and neurophysical aspects of the VAS. International
Consensus Conference on Acupuncture, Auriculotherapy, and Auricular Medicine. Las Vegas, NV:
51–57.

Akerele O (1991) WHO and the development of acupuncture nomenclature: overcoming a tower
of Babel. Am J Chin Med 1: 89–94.

Alimi D (2000) Effects of auricular stimulation on functional magnetic resonance imaging of the
cerebral cortex. Third International Symposium of Auriculotherapy and Auricular Medicine.
Lyons, France.

Alimi D, Geissmann A, Gardeur D (2002) Auricular acupuncture stimulation measured on


functional magnetic resonance imaging. Med Acupunc 13: 18–21.

Asamoto S, Takeshige C (1992) Activation of the satiety center by auricular acupuncture point
stimulation. Brain Res Bull 29: 157–164.

Bergsmann O, Hart A (1973) Differences in electrical skin conductivity between acupuncture


points and adjacent skin areas. Am J Acupunct 1: 27–32.

Blum K, Braverman E, Holder J et al (2000) Reward deficiency syndrome (RDS): a biogenic


model for the diagnosis and treatment of impulsive, addictive, and compulsive behaviors. J

31
Psychoact Drugs 32: 2.

Bossy J (1979) Neural mechanisms in acupuncture analgesia. Minerva Med 70: 1705–1715.

Bossy J (2000) Anatomical comparisons of the external ear. Third International Symposium of
Auriculotherapy and Auricular Medicine. Lyons, France.

Brewington V, Smith M, Lipton D (1994) Acupuncture as a detoxification treatment: an analysis


of controlled research. J Substance Abuse Treatment 11: 289–307.

Bullock M, Culliton P, Olander R (1989) Controlled trial of acupuncture for severe recidivist
alcoholism. Lancet i: 1435–1439.

Chan W, Weissensteiner R, Rausch W et al (1998) Comparison of substance P concentration in


acupuncture points in different tissues in dogs. Am J Chin Med 26: 13–18.

Chapman C, Benedetti C, Colpitts Y, Gerlach R (1983) Naloxone fails to reverse pain thresholds
elevated by acupuncture: acupuncture analgesia reconsidered.
Pain 16: 13–31.

Chen GS (1995) On auricular acupuncture. Second International Symposium on Auricular


Medicine. Beijing, China: 37–48.

Chen GS, Lu P (1999) History of auricular acupuncture in China. Presentation at International


Consensus Conference on Acupuncture, Auriculotherapy, and Auricular Medicine. Las Vegas, NV:
7–8.

Chen H (1993) Recent studies on auriculoacupuncture and its mechanism.


J Trad Chin Med 13: 129–143.

Chiou S, Chao C, Yang Y (1998) Topography of low skin resistance points (LSRP) in rats. Am J
Chin Med 26: 19–27.

Cho ZH, Wong G (1998) New findings of the correlation between acupoints and corresponding
brain cortices using functional MRI. Proc Natl Acad Sci 95: 2670–2673.

Choy D, Eidenschenk E (1998) Effect of tragus clips on gastric peristalsis: a pilot study.
J Altern Compl Med 4: 399–403.

Clement-Jones V, McLaughlin L, Lowry P, Besser G, Rees L, Wen HL (1979) Acupuncture in


heroin addicts: changes in met-enkephalin and beta-endorphin in blood and cerebrospinal fluid.
Lancet ii: 380–382.

Clement-Jones V, Mc Loughlin L, Tomlin, S, Besser G, Rees L, Wen H (1980) Increased beta-


endorphin but not met-enkephalin levels in human cerebrospinal fluid after acupuncture for
recurrent pain. Lancet iii: 946–948.

Cox B (1975) Patient motivation: a factor in weight reduction with auricular acupuncture. Am J
Acupunct 3: 339–341.

Dale R (1976) The micro-acupuncture systems, parts I & II. Am J Acupunct 4: 7–24; 196–224.

Dale R (1985) The micro-acupuncture meridians. Intl J Chin Med 2: 31–49.

32
Dale R (1991) Acupuncture meridians and the homunculus principle. Am J Acupunct 19: 73–75.

Dale R (1993) Addictions and acupuncture: the treatment methods, formulae, effectiveness and
limitations. Am J Acupunct 21: 247–266.

Dale R (1999) The systems, holograms and theory of micro-acupuncture.


Am J Acupunct 27: 207–242.

Debreceni L (1991) The effect of electrical stimulation of the ear points on the plasma ACTH and
GH level in humans. Acupunct Electrotherap Res 16: 45–51.

Dvorkin E (1999) Morphology of auricular reflex points. International Consensus Conference on


Acupuncture, Auriculotherapy, and Auricular Medicine. Las Vegas, NV: 29–30.

Ernst M, Lee M (1987) Influence of naloxone on electro-acupuncture analgesia using an


experimental pain test. Acupunct Electrotherap Res 12: 5–22.

Fedoseeva O, Kalyuzhnyi L, Sudakov K (1990) New peptide mechanisms of auriculo-acupuncture


electro-analgesia: role of angiotensin II. Acupunct Electrotherap Res 15:1–8.

Frank B (1999) A critical assessment of functional ear points. International Consensus Conference
on Acupuncture, Auriculotherapy, and Auricular Medicine. Las Vegas, NV: 62–63.

Giller R (1975) Auricular acupuncture and weight reduction. A review and overall approach. Am J
Acupunct 3: 151–153.

Helms J (1990) WHO adopts standard international acupuncture nomenclature. AAMA Review 2:
33.

Ho W, Wen H, Lam S, Li A (1978) The influence of electroacupuncture on naloxone induced


morphine withdrawal in mice: elevation of brain opiate-like activity.
Eur J Pharmacol 49: 197–199.

Holder J, Duncan R, Gissen M, Miller M, Blum K (2001) Increasing retention rates among the
chemically dependent in residential treatment: auriculotherapy and subluxation-based chiropractic
care. Molec Psychiatry 6: S8.

Hsieh C (1998) Modulation of cerebral cortex in acupuncture stimulation: a study using


sympathetic skin response and somatosensory evoked potentials.
Am J Chin Med 26: 1–11.

Hsieh J, Stahle-Backdahl M, Hagermark O, Stone-Elander S (1995) Traumatic nociceptive pain


activates the hypothalamus and the periaqueductal gray: a positron emission tomography study.
Pain 64: 303–314.

Hyvarinen J, Karlsson M (1977) Low skin resistance skin points that may coincide with
acupuncture loci. Med Biol 55: 88–94.

Ionescu-Tirgoviste C, Pruan S, Bajenaru P (1991) The participation of the autonomic nervous


system in the mechanism of action of acupuncture. Am J Acupunct 1 9: 21–28.

Jaung-Geng L, Salahin H, Jung-Charng L (1995) Investigation on the effects of ear acupressure on


exercise-induced lactic acid levels and the implications for athletic training. Am J Acupunct 23:

33
309–313.

Kashiba H, Ueda Y (1991) Acupuncture to the skin induces release of substance P and calcitonin
gene-related peptide from peripheral terminals of primary sensory neurons in the rat. Am J Chin
Med 19: 189–197.

Kawakaita K, Kawamura H, Keino H, Hongo T, Kitakohji, H (1991) Development of the low


impedance points in the auricular skin of experimental peritonitis rats.
Am J Chin Med 19: 199–205.

Kho H, Robertson E (1997) The mechanisms of acupuncture analgesia: review and update. Am J
Acupunct 25: 261–281.

Kitade T, Hyodo M (1979) The effects of stimulation of ear acupuncture points on the body’s pain
threshold. Am J Chin Med 7: 241–252.

Krause A, Clelland J, Knowles C, Jackson J (1987) Effects of unilateral and bilateral auricular
transcutaneous electrical stimulation on cutaneous pain threshold. Physical Therapy 67: 507–511.

Kroening R, Oleson T (1985) Rapid narcotic detoxification in chronic pain patients treated with
auricular electroacupuncture and naloxone. Intl J Addict 20: 1347–1360.

Kvirchishvili V (1974) Projections of different parts of the body on the surface of the concha
auriculae in humans and animals. Am J Acupunct 2: 208.

Lee T (1977) Thalamic neuron theory: a hypothesis concerning pain and acupuncture. Med
Hypoth 3: 113–121.

Lee T (1994) Thalamic neuron theory: theoretical basis for the role played by the central nervous
system (CNS) in the causes and cures of all disease. Med Hypoth 43: 285–302.

Leib S (1999) Nogier’s three functional layers to evaluate conventional medications. International
Consensus Conference on Acupuncture, Auriculotherapy, and Auricular Medicine. Las Vegas, NV:
59–60.

Lichstein E, Chaddie K, Naik D, Gupta P (1974) Diagonal earlobe crease: prevalence and
implications as a coronary risk factor. New Engl J Med 290: 615–616.

Lin C (1984) Use of auricular acupuncture for the relief of tooth pain. Am J Acupunct 12: 239–
244.

Margolin A, Chung P, Avants S, Kosten T (1993a) Effects of sham and real auricular needling:
implications for trials of acupuncture for cocaine addiction.
Am J Chin Med 221: 191–197.

Margolin A, Avants S, Chung P, Kosten T (1993b) Acupuncture for the treatment of cocaine
dependence in methadone-maintained patients. Am J Addict 2: 194–201.

Marignan M (1999) Dynamic and digital thermography of the ear. Presentation at the International
Consensus Conference on Acupuncture, Auriculotherapy, and Auricular Medicine. Las Vegas, NV:
23.

Mehta J, Homby R (1974) Diagonal earlobe crease as a coronary risk factor.

34
New Engl J Med 291: 260.

Ng L, Douthitt T, Thoa N, Albert C (1975) Modification of morphine-withdrawal in rats following


transauricular electrostimulation: an experimental paradigm for auricular electroacupuncture. Biol
Psychiatr 10: 575–580.

Ng L, Dionne R, Bragin E, Pert C, Pert A (1981) Alterations in rat central nervous system
endorphins following transauricular acupuncture. Brain Res 224: 83–93.

Niemtzow RC (1998) A high-protein regimen and auriculomedicine for the treatment of obesity: a
clinical observation. Med Acupunct 9: 15–21.

Nogier R (1999) History of Dr Paul Nogier’s work in auricular medicine. International Consensus
Conference on Acupuncture, Auriculotherapy, and Auricular Medicine. Las Vegas, NV: 19–22.

Oleson T (1998) Differential application of auricular acupuncture for myofascial, autonomic, and
neuropathic pain. Med Acupunct 9: 23–28.

Oleson T, Flocco W (1993) Randomized controlled study of premenstrual symptoms treated with
ear, hand, and foot reflexology. Obstet Gynecol 82: 906–911.

Oleson T, Kroening R (1983a) A comparison of Chinese and Nogier auricular acupuncture points.
Am J Acupunct 11: 205–223.

Oleson T, Kroening R (1983b) A new nomenclature for identifying Chinese and Nogier auricular
acupuncture points. Am J Acupunct 12: 325–344.

Oleson T, Kroening R (1983c) Electroacupuncture and auricular electrical stimulation. IEEE Eng
Med Biol Mag 2: 22–26.

Oleson T, Kroening R, Bresler D (1980) An experimental evaluation of auricular diagnosis: the


somatotopic mapping of musculoskeletal pain at ear acupuncture points. Pain 8: 217–229.

Oliveri A, Clelland J, Jackson J, Knowles C (1986) Effects of auricular transcutaneous electrical


stimulation on experimental pain threshold. Physical Ther 66: 12–16.

Patterson M (1974) Electro-acupuncture in alcohol and drug addictions.


Clin Med (Oct.): 9–13.

Pert A, Dionne R, Ng L et al (1981) Alterations in rat central nervous system endorphins following
transauricular electroacupuncture. Brain Res 224: 83–93.

Pomeranz B, Chiu, D (1976) Naloxone blockade of acupuncture analgesia: endorphin implicated.


Life Sci 19: 1757.

Regrena Y, Fabre M, Pernice C, Nguyen J (1980) Smoking withdrawal therapy by acupuncture.


Am J Acupunct 8: 57–63.

Reichmanis M, Marino A, Becker R (1975) Electrical correlates of acupuncture. IEEE Trans Bio-
Med Engin 22: 533–535.

Reichmanis M, Marino A, Becker R (1976) D.C. skin conductive variation at acupuncture loci.
Am J Chin Med 4: 69–72.

35
Richards D, Marley J (1998) Stimulation of auricular acupuncture points in weight loss. Austral
Family Phys 27 (suppl 2): S73–S77.

Romoli, M, Vettoni F (1982) Alterations in the skin of the auricle and correlation with chronic
disease. Minerva Med 73: 725–730.

Sacks L (1975) Drug addiction, alcoholism, smoking, obesity treated by auricular staplepuncture.
Am J Acupunct 3: 147–150.

Saku K, Mukaino Y, Ying H, Arakwa K (1993) Characteristics of reactive electropermeable points


on the auricles of coronary heart disease patients.
Clin Cardiol 16: 415–419.

Schjelderup V (1982) The principle of holography: a key to holistic approach in medicine. Am J


Acupunct 10: 167–171.

Shiraishi T, Onoe M, Kojima T, Sameshima Y, Kageyama T (1995) Effects of auricular


stimulation on feeding-related hypothalamic neuronal activity in normal and obese rats. Brain Res
Bull 36: 141–148.

Simmons M, Oleson T (1993) Auricular electrical stimulation and dental pain threshold. Anesth
Progr 40: 14–19.

Sjolund B, Eriksson M (1976) Electroacupuncture and endogenous morphines. Lancet ii: 1085.

Sjolund B, Terenius L, Eriksson M (1977) Increased cerebrospinal fluid levels of endorphins after
electroacupuncture. Act Physiol Scand 1 00: 382–384.

Smith M (1979) Acupuncture and healing in drug detoxification. Am J Acupunct 7: 97–107.

Smith M (1988) Acupuncture treatment for crack: clinical survey of 1500 patients treated. Am J
Acupunct 16: 241–247.

Smith M (1990) Creating a substance abuse treatment program incorporating acupuncture. AAMA
Rev 2: 29–32.

Smith M, Squires R, Aponte J, Rabinowitz N, Regina S (1982) Acupuncture treatment of drug


addiction and alcohol abuse. Am J Acupunct 10: 161–163.

Sun Q, Xu Y (1993) Simple obesity and obesity hyperlipema treated with otoacupoint pressure
and body acupuncture. J Trad Chin Med 13: 22–26.

Takeshige C, Sato T, Mera T, Hisamit T, Fang J (1992) Descending pain inhibitory system
involved in acupuncture analgesia. Brain Res Bull 29: 617–634.

Van Gelder T (1999) Pain, chakra centers, and pathological auricular points. Presentation at
International Consensus Conference on Acupuncture, Auriculotherapy, and Auricular Medicine.
Las Vegas, NV: 50.

Voll R (1977) Energetic reactions between organ pairs and paranasal sinuses, ordontons, and
tonsils in electroacupuncture according to Voll. Am J Acupunct 5: 101-114.

Wang D (1984) Standard acupuncture nomenclature. WHO Regional Publications, Western

36
Pacific Series, Manila.

Wei F, Dubner R, Ren K (1999) Nucleus reticularis gigantocellularis and nucleus raphe magnus in
the brain stem exert opposite effects on behavioral hyperalgia and spinal Fos protein expression
after peripheral inflammation. Pain 80: 127–141.

Wen HL (1977) Fast detoxification of drug abuse by acupuncture and electrical stimulation (AES)
in combination with naloxone. Mod Med Asia 13: 13–17.

Wen HL, Cheung S (1973) Treatment of drug addiction by acupuncture and electrical stimulation.
Am J Acupunct 1: 71–75.

Wen HL, Ho WK, Wong HK et al (1978) Reduction of adrenocorticotropic hormone (ACTH) and
cortisol in drug addicts treated by acupuncture and electrical stimulation (AES). Compar Med
East West 7: 237–240.

Wen H, Ho K, Ling N, Ma L, Choa G (1979) The influence of electro-acupuncture on naloxone-


induced morphine withdrawal. II. Elevation of immunoassayable beta-endorphin activity in the
brain but not the blood. Am J Chin Med 7: 237–240.

Wong EK, Cho ZH (1999) Acupuncture, brain function, and modern fMRI imaging techniques.
International Consensus Conference on Acupuncture, Auriculotherapy, and Auricular Medicine.
Las Vegas, NV: 31–33.

World Health Organization (1985) Report on second WHO working group on the standardization
of acupuncture nomenclature. Hong Kong.

World Health Organization (1987) Report on third WHO working group on the standardization of
acupuncture nomenclature. Seoul, Korea.

World Health Organization (1990a) WHO report of the working group on auricular acupuncture
nomenclature. Lyons, France.

World Health Organization (1990b) A standard international acupuncture nomenclature:


Memorandum from a WHO meeting. WHO Bulletin 68: 165–169.

Xianglong H, Baohua W, XiaoQing H, Jinsen X (1992) Computerized plotting of low skin


impedance points. J Trad Chin Med 12: 277–282.

Yang M, Kwok S (1986) Evaluation of the treatment of morphine addiction by acupuncture,


Chinese herbs, and opioid peptides. Am J Chin Med 14: 46–50.

Young M, McCarthy P (1998) Effect of acupuncture stimulation of the auricular sympathetic point
on evoked sudomotor response. J Altern Compl Med 4: 29–38.

Zhang YQ (1980) [A new micro-acupuncture system and another general law of distribution of
acupoints besides that of the meridian-following distribution – the second metacarpal side therapy
and the holographic law of distribution of acupoints.] (in Chinese) Wulanchabu Sci Tech 1: 38.

Zhang YQ (1992) A new view of the organism: The ECIWO theory and its solution of some
challenging problems in the frontiers of medicine and biology. Hong Kong, Peace Book.

37
ANEXO B – Breve descrição de livros internacionais dedicados e relacionados ao
desenvolvimento da Acupuntura Auricular, segundo Terry Oleson, PhD.

Bourdiol R (1982) Elements of auriculotherapy. Moulins-les-Metz, Maisonneuve.

Bucek R (1994) Lehrbuch der ohrakupunktur: eine synopsis der französischen, chinesischen und
russischen schulen. Heidelberg, Haug.

Chen K, Cui Y (1991) Handbook to Chinese auricular therapy. Beijing, Foreign Languages Press.

Grobglas A, Levy J (1986) Traité d’acupuncture auriculaire. Paris, Maloine.

Helms J (1995) Acupuncture energetics: a clinical approach for physicians. Berkeley, CA,
Medical Acupuncture Publishers.

Huang H (1974) Ear acupuncture. Emmaus, PA, Rodale Press.

Huang L (1996) Auriculotherapy diagnosis and treatment. Bellaire, TX, Longevity Press.

Huang L (1999) Auricular diagnosis. Bellaire, TX, Longevity Press.

Kenyon J (1983) Modern techniques of acupuncture: a practical scientific guide to electro-


acupuncture. Wellingborough, Thorsons.

König G, Wancura I (1993) Einführung in die chinesische ohrakupunktur. Heidelberg, Haug.

Kropej H (1984) The fundamentals of ear acupuncture, 2nd edn. Heidelberg, Haug.

Lu H (1975) A complete textbook of auricular acupuncture. Vancouver, Academy of Oriental


Heritage.

Nahemkis A, Smith B (1975) Ear acupuncture therapy. Long Beach, Alba Press.

Nogier P (1968) Handbook to auriculotherapy. Moulins-les-Metz, Maisonneuve.

Nogier P (1972) Treatise of auriculotherapy. Moulins-les-Metz, Maisonneuve.

Nogier P (1983) From auriculotherapy to auriculomedicine. Moulins-les-Metz, Maisonneuve.

Nogier P, Nogier R (1985) The man in the ear. Moulins-les-Metz, Maisonneuve.

Nogier P, Petitjean F, Mallard A (1987) Points réflexes auriculaires. Moulins-les-Metz,


Maisonneuve.

Nogier P, Petitjean F, Mallard A (1989) Compléments des points réflexes auriculaires. Moulins-
les-Metz, Maisonneuve.

Nogier R (1993) Introduction Practique a l’Auriculomedecine. Heidelberg, Haug.

Oleson T (1995) International handbook of ear reflex points. Los Angeles, CA, Health Care
Alternatives.

38
Oleson T (2003) Auriculotherapy Manual: Chinese and Western Systems of Ear Acupuncture.
London, Churchill Livingstone.

Oleson T (2003) Manual de Terapia Auricular: Sistemas chino y occidental de acupuntura de la


oreja. Los Angeles, CA, Health Care Alternatives.

Pesikov Y, Rybalko S (1994) Auricular acupuncture: clinical atlas. Donetsk, Ukraine, Three
Dragons Press.

Romoli M (2003) Agopuntura Auriculolare. Torino, Italy, Unione Tipografico-Editrice Torinese.

Rubach A (2001) Principles of ear acupuncture: microsystem of the auricle. Stuttgart, Thieme.

Shan Q, Lu M, Xiao F (1996) Auricular point-pressing therapy. Jinan, China, Shandong Science
and Technology Press.

Strittmatter B (1998) Das storfeld in diagnostik und therapie. Stuttgart, Hippokrates.

Strittmatter B (2001) Taschenatals Ohrakupunktur. Stuttgart, Hippokrates.


Strittmatter B (2001) Ear Acupuncture: A Precise Pocket Atlas. Stuttgart, Thieme.

Stux G, Hammerschlag R, eds. (2001) Clinical acupuncture: scientific basis. Heidelberg, Springer.

Van Gelder A (1985) Strategieën in de ooracupunctuur. deel 1: Chinese ooracupunctuur. Utrecht,


Uitgeverij Lemma.

Van Gelder A (1992) Strategieën in de ooracupunctuur. deel 2: auriculotherapie. Utrecht,


Uitgeverij Lemma.

Weintraub M, ed. (2001) Alternative and complementary treatment in neurologic illness.


Philadelphia, Churchill Livingstone.

Wexu M (1975) The ear gateway to balancing the body: a modern guide to ear acupuncture. New
York, ASI Publishers.

Woo PJ (1998) Omni Auricular Therapy Moscow, Su Jok Academy.

Zhaohao W, Minghua L, Chichun C (1991) Pratique de l’acupuncture auriculaire. Paris, Libraire


You Feng.

ANEXO C – Resumos encontrados na base de dados Medline.

1: Anesthesiology. 2004 Jun;100(6):1399-404.

Parental auricular acupuncture as an adjunct for parental presence during induction of anesthesia.

Wang SM, Maranets I, Weinberg ME, Caldwell-Andrews AA, Kain ZN.

39
Department of Anesthesiology, Yale University School of Medicine, New Haven,Connecticut 06520-
8051, USA. Shu-Ming.Wang@yale.edu

BACKGROUND: The purpose of this study was to determine whether parental auricular acupuncture
reduces parental preoperative anxiety and thus allows children to benefit from parental presence during
induction of anesthesia.

METHODS: Mothers of children who were scheduled to undergo surgery were randomly assigned to
an acupuncture intervention group (auricular press needles at relaxation, tranquilizer point, and master
cerebral point) or a sham acupuncture control group (auricular press needles at the shoulder, wrist, and
extraneous auricular point). The intervention was performed at least 30 min before the child's
induction of anesthesia. All mothers were present during induction of anesthesia. The behavioral and
physiologic anxiety of mothers and children were rated during the perioperative process. RESULTS:
Multivariable analysis examining maternal anxiety as a function of group found a group-by-time
interaction (F1,65 = 4.1, P = 0.04). That is, after induction, maternal anxiety in the acupuncture group
was significantly lower (42.9 +/- 10 vs. 49.5 +/- 11; P = 0.014). A multivariate model (F1,65 = 4.8, P
=0.031) also showed that children whose mothers received the acupuncture intervention were
significantly less anxious on entrance to the operating room (34.9 +/- 20 vs. 47.4 +/- 26; P =

0.03) and during introduction of the anesthesia mask (38.6 +/- 25 vs. 55.6 +/- 31; P = 0.016). There
were no significant differences in maternal blood pressure and heart rate between the two groups.
CONCLUSIONS: Auricular acupuncture significantly decreased maternal anxiety during the
preoperative period. Children of mothers who underwent acupuncture intervention benefitted from the
reduction of maternal anxiety during the induction of anesthesia.

Publication Types: Clinical Trial; Randomized Controlled Trial

PMID: 15166558 [PubMed - indexed for MEDLINE]

2: Implant Dent. 2004 Mar;13(1):58-64.

The use of acupuncture in implant dentistry.

Vachiramon A, Wang WC, Vachiramon T.

amornpong@vachiramon.com

This article aims to review how acupuncture can provide complimentary treatments to patients through
implant rehabilitation. The following topics are discussed: control of gagging reflex, control of
postoperative vomiting, control of postoperative pain, enhance anesthetic effects, control of anxiety,
increase saliva production, enhance immune responses, management of temporomandibular
dysfunction, smoking cessation, control diabetic mellitus, stimulation of peripheral nerve regeneration,
and adverse effects.

Publication Types: Review; Tutorial

PMID: 15017306 [PubMed - indexed for MEDLINE]

3: Acupunct Electrother Res. 2003;28(3-4):167-73.

40
Detection of ear acupuncture points by measuring the electrical skin resistance in patients before,
during and after orthopedic surgery performed under general anesthesia.

Usichenko TI, Lysenyuk VP, Groth MH, Pavlovic D.

Anesthesiology & Intensive Care Medicine Department, University of Greifswald, Germany.

The aim was to study the detection of ear acupuncture points (EAP) by measuring the electrical skin
resistance under general anesthesia. EAP with lower skin resistance were examined in 25 patients
scheduled for elective orthopedic surgery on the day before, during the operative procedure and a few
hours after it. EAP, detected in more than 25% of patients were further analyzed using a logistic
regression model and compared to those in 15 healthy volunteers. The following EAP were identified
in more than 50% of patients: Clavicle, Lung, Shenmen and points corresponding to the site of surgery.
Point Clavicle was found in 16 patients (64%) throughout the study period. Shenmen was detected in
15 patients (60%) before surgery, whereas during and after surgery it was represented in 5 (20%) of
them. EAP corresponding to the site of surgery were detected in 20 patients (80%) during the operative
procedure. These EAP were detected more frequently in patients in comparison with healthy
volunteers. The side of examination showed no significant differences throughout the study. The
frequently found patterns of EAP with lower skin resistance in patients during orthopedic surgery can
be useful for treatment of preoperative anxiety and postoperative pain relief.

Publication Types: Clinical Trial; Controlled Clinical Trial

PMID: 14998054 [PubMed - indexed for MEDLINE]

4: J Subst Abuse Treat. 2002 Mar;22(2):71-7.

A large randomized placebo controlled study of auricular acupuncture for alcohol dependence.

Bullock ML, Kiresuk TJ, Sherman RE, Lenz SK, Culliton PD, Boucher TA, Nolan CJ.

Center for Addiction and Alternative Medicine Research, Minneapolis, MN 55404, USA.

We report clinical data on the efficacy of acupuncture for alcohol dependence. 503 patients whose
primary substance of abuse was alcohol participated in this randomized, single blind, placebo
controlled trial. Patients were assigned to either specific acupuncture, nonspecific acupuncture,
symptom based acupuncture or convention treatment alone. Alcohol use was assessed, along with
depression,

anxiety, functional status, and preference for therapy. This article will focus on results pertaining to
alcohol use. Significant improvement was shown on nearly all measures. There were few differences
associated with treatment assignment and there were no treatment differences on alcohol use measures,
although 49% of subjects reported acupuncture reduced their desire for alcohol.

The placebo and preference for treatment measures did not materially effect the results. Generally,
acupuncture was not found to make a significant contribution over and above that achieved by
conventional treatment alone in reduction of alcohol use. Copyright 2002 Elsevier Science Inc.

Publication Types: Clinical Trial; Randomized Controlled Trial

PMID: 11932132 [PubMed - indexed for MEDLINE]

41
5: Anesth Analg. 2001 Nov;93(5):1178-80, table of contents.

The use of auricular acupuncture to reduce preoperative anxiety.

Wang SM, Peloquin C, Kain ZN.

Department of Anesthesiology, Yale University School of Medicine and Yale-New Haven Hospital,
New Haven, Connecticut 06521, USA. shu-ming.wang@yale.edu

IMPLICATIONS: Ear acupuncture can decrease preoperative anxiety in adults undergoing outpatient
surgery.

Publication Types: Clinical Trial; Randomized Controlled Trial

PMID: 11682391 [PubMed - indexed for MEDLINE]

6: Acupunct Electrother Res. 1993 Jul-Dec;18(3-4):185-94.

Ear acupuncture in psychosomatic medicine: the importance of the Sanjiao (triple heater) area.

Romoli M, Giommi A.

S.I.R.A.A.-Societa Italiana di Riflessoterapia, Agopuntura, Auricoloterapia, Prato, Italy.

A group of 50 patients with possible psychosomatic disorders of the

cardiovascular, respiratory and digestive systems were treated with Ear acupuncture. Together with a
control group of 20 symptomless volunteers they received 4 weekly treatments and a final check of the
therapy after 6 weeks. All subjects were examined with the MMPI test, Paykel's scale for stressful life
events, and with the SRT scale (Symptom Rating Test) for measuring at each treatment the variations
of anxiety, depression and somatisation levels. The results show a similar trend of response to
Acupuncture in both groups, which was significantly more pronounced in the stress group for the
reduction of the SRT score and the number of Ear acupuncture points. The outer ear was sensitized by
stress response in certain recurrent areas, especially of the cavum conchae.

The area with the highest relative density of Ear acupoints was the Sanjiao or Triple Heater area.

PMID: 7906478 [PubMed - indexed for MEDLINE]

7: Acupunct Electrother Res. 1989;14(2):149-54.

Diagonal ear-lobe crease: possible significance as cardio-vascular risk factor and its relationship to ear-
acupuncture.

Romoli M, Tordini G, Giommi A.

S.I.R.A.A. - Societa Italiana di Riflessoterapia, Agopuntura, Auricoloterapia, Prato, Italy.

42
The diagonal ear-lobe crease, detectable especially after the age of 40, is still accepted as a sign of
coronary heart disease risk. In the literature some authors report an association between anxiety and
coronary heart disease. In our work a group of 143 patients with ear-lobe crease showed - in both sexes
and in all examined decades (5th, 6th, 7th) - higher levels of anxiety than in the control group. The
possible significance of the crease has been considered on the grounds of present knowledge of ear-
acupuncture and the somatotopic mapping

of CNS on the ear-lobe.

PMID: 2575346 [PubMed - indexed for MEDLINE]

ANEXO D - Resumos encontrados na base de dados Cochrane Library.


Revisões sistemáticas completas (4 de 2170):
· Acupuncture for smoking cessation.
· Complementary and alternative therapies for pain management in labour.
· Group behaviour therapy programmes for smoking cessation.
· Placebo interventions for all clinical conditions.
Protocolos de revisões sistemáticas (1 de 1500):
· Acupuncture for depression.
Referências - base de dados de ensaios clí-nicos (6 de 427807):
· Auricular acupressure as a treatment for anxiety in prehospital transport settings.
· A large randomized placebo controlled study of auricular acupuncture for alcohol dependence.
· Auricular acupuncture: a potential treatment for anxiety.
· Does electroacupuncture reduce craving for alcohol? A randomized controlled study.
· The use of auricular acupuncture to reduce preoperative anxiety.
· Parental auricular acupuncture as an adjunct for parental presence during induction of anesthesia.

ANEXO E - Resumos encontrados na base de dados Medscape.

· Acupuncture for smoking cessation (Abstract)


o Jul 2004 - A Cochrane Review Abstract: Evidence Based Medicine reviews based primarily on meta-
analysis of controlled clinical trials.

· Acupuncture for Chronic Low Back Pain: Diagnosis and Treatment Patterns Among Acupuncturists
Evaluating the Same Patient (Journal Article)
o May 2001 - Seven acupuncturists agreed considerably in the diagnoses for the same patient with
chronic low back pain, but treatment recommendations varied substantially.

ANEXO F - Resumos encontrados na base de dados MDConsult.

43
· Parental auricular acupuncture as an adjunct for parental presence during induction of anesthesia.
Wang SM - Anesthesiology - 01-JUN-2004; 100(6): 1399-404
From NIH/NLM MEDLINE
· Auricular acupressure as a treatment for anxiety in prehospital transport settings.
Kober A - Anesthesiology - 01-JUN-2003; 98(6): 1328-32
· Diabetes mellitus and obesity.
Roth A - Prim Care - 01-JUN-2002; 29(2): 279-95
From NIH/NLM MEDLINE
· Acupuncture for GI endoscopy: a systematic review.
Lee H - Gastrointest Endosc - 01-NOV-2004; 60(5): 784-9
From NIH/NLM MEDLINE
· Gynecology: select topics.
Sidani M - Prim Care - 01-JUN-2002; 29(2): 297-321, vi
From NIH/NLM MEDLINE
· Sexually Transmitted Diseases Treatment Guidelines 2002
Workowski KA - MMWR Morb Mortal Wkly Rep - May 10, 2002; 51(RR-6); 1
· Dietary supplements and other alternative medicines for erectile dysfunction. What do I tell my
patients?
Moyad MA - Urol Clin North Am - 01-FEB-2002; 29(1): 11-22, vii
From NIH/NLM MEDLINE
· Pressure applied on the extra 1 acupuncture point reduces bispectral index values and stress in
volunteers.
Fassoulaki A - Anesth Analg - 01-MAR-2003; 96(3): 885-90, table of contents
Complementary and alternative approaches to the treatment of persistent musculoskeletal pain.
Weiner DK - Clin J Pain - 01-JUL-2004; 20(4): 244-55
From NIH/NLM MEDLINE
· Music and preoperative anxiety: a randomized, controlled study.
Wang SM - Anesth Analg - 01-JUN-2002; 94(6): 1489-94, table of contents
From NIH/NLM MEDLINE
· Detection of ear acupuncture points by measuring the electrical skin resistance in patients before,
during and after orthopedic surgery performed under general anesthesia.
Usichenko TI - Acupunct Electrother Res - 01-JAN-2003; 28(3-4): 167-73
A large randomized placebo controlled study of auricular acupuncture for alcohol dependence.

· The use of acupuncture in implant dentistry.


Vachiramon A - Implant Dent - 01-MAR-2004; 13(1): 58-64

ANEXO G - Resumos encontrados na base de dados Portal Periódicos CAPES.


1. Vachiramon, Amornpong DDS, DBA, MSc(OMS), MSc(Ortho) *; Wang, Wendy C. BDS, MSc,
MClinDent; Vachiramon, Tharin DDS, MPH ++ The Use of Acupuncture in Implant Dentistry. Implant
Dentistry. 13(1):58-64, March 2004.
2. Weiner, Debra K. MD *; Ernst, Edzard MD, PhD, FRCP (Edin) + Complementary and Alternative
Approaches to the Treatment of Persistent Musculoskeletal Pain. Clinical Journal of Pain. 20(4):244-
255, July/August 2004.
3. Wang, Shu-Ming M.D. *; Maranets, Inna M.D. +; Weinberg, Megan E. M.A. ++; Caldwell-
Andrews, Alison A. Ph.D. [S]; Kain, Zeev N. M.D. || Parental Auricular Acupuncture as an Adjunct for
Parental Presence during Induction of Anesthesia. Anesthesiology. 100(6):1399-1404, June 2004.
4. Cohen, Steven P. MD; Christo, Paul J. MD; Moroz, Lee MD Pain Management in Trauma Patients.
American Journal of Physical Medicine & Rehabilitation. 83(2):142-161, February 2004.

44
5. Sok, Sohyune R. PhD RN; Erlen, Judith A. PhD RN FAAN; Kim, Kwuy Bun PhD RN Effects of
acupuncture therapy on insomnia. Journal of Advanced Nursing. 44(4):375-384, November 2003.
6. Wang, Shu-Ming M.D.; Weinberg, Megan E. M.S.; Caldwell-Andrews, Alison A. Ph.D.; Kain, Zeev
N. M.D., M.B.A. Auricular Acupuncture: A New Treatment Modality for Parental Preoperative
Anxiety. ASA Annual Meeting Abstracts. PEDIATRIC ANESTHESIA. 99(3A):A1431, October 2003.
7. Florence, Donna J. RN, MS; Palmer, Denise G. RN, MS Therapeutic Choices for the Discomforts of
Labor. Journal of Perinatal & Neonatal Nursing. 17(4):238-249, October/November/December 2003.
8. Stuyt, Elizabeth B. MD; Order-Connors, Bernice LCSW, CADC; Ziedonis, Douglas M. MD, MPH
Addressing Tobacco through Program and System Change in Mental Health and Addiction Settings.
Psychiatric Annals. 33(7):446-456, July 2003.
9. Stener-Victorin, Elisabet 1,6; Waldenstrom, Urban 2; Wikland, Matts 3; Nilsson, Lars 1; Hagglund,
Leif 4; Lundeberg, Thomas 5 Electro-acupuncture as a peroperative analgesic method and its effects
on implantation rate and neuropeptide Y concentrations in follicular fluid. Human Reproduction.
18(7):1454-1460, July 2003.
10. Kober, Alexander M.D. *+; Scheck, Thomas M.D. *+; Schubert, Barbara B.S. ++; Strasser, Helmut
B.S. ++; Gustorff, Burkhard M.D. [S]; Bertalanffy, Petra M.D. *; Wang, Shu-Ming M.D. [//]; Kain,
Zeev N. M.D. #; Hoerauf, Klaus M.D. ** Auricular Acupressure as a Treatment for Anxiety in
Prehospital Transport Settings. Anesthesiology. 98(6):1328-1332, June 2003.
11. Rabinstein, Alejandro A. MD; Shulman, Lisa M. MD Acupuncture in Clinical Neurology.
Neurologist. 9(3):137-148, May 2003.
12. PLEYM, H. 1; SPIGSET, O. 2,4; KHARASCH, E. D. 5; DALE, O. 1,3,5 Gender differences in
drug effects: implications for anesthesiologists. Acta Anaesthesiologica Scandinavica. 47(3):241-259,
March 2003.
13. Fassoulaki, Argyro MD, PhD, DEAA *,; Paraskeva, Adia MD +,; Patris, Konstantinos MD +,;
Pourgiezi, Theodora MD *,; Kostopanagiotou, and Georgia MD * Pressure Applied on the Extra 1
Acupuncture Point Reduces Bispectral Index Values and Stress in Volunteers. Anesthesia & Analgesia.
96(3):885-890, March 2003.
14. Taguchi, A. 1; Sharma, N. 1; Ali, S. Z. 1; Dave, B. 2; Sessler, D. I. 3,4; Kurz, A. 5,6 The effect of
auricular acupuncture on anaesthesia with desflurane. Anaesthesia. 57(12):1159-1163, December 2002.

15. Wang, Shu-Ming M.D.; Caldwell-Andrews, Alison A. Ph.D.; Fermo, Leonda C.R.N.A.; Sevarino,
Ferne M.D.; Kain, Zeev N. M.D. Auricular Acupuncture as a Treatment for Gestational Low Back
Pain: Preliminary Findings. ASA Annual Meeting Abstracts. OBSTETRIC ANESTHESIA AND
PERINATOLOGY. 97(3A):A1025, October 2002.
16. Bier, Ian D. ND, PhD, LAc, DiplAc; Wilson, Jeffrey PhD; Studt, Pat BS; Shakleton, Mary ND,
MPH Auricular Acupuncture, Education, and Smoking Cessation: A Randomized, Sham-Controlled
Trial. American Journal of Public Health. COMPLEMENTARY AND ALTERNATIVE MEDICINE.
92(10):1642-1647, October 2002.
17. Sharma, Leena MD Nonpharmacologic management of osteoarthritis. Current Opinion in
Rheumatology. 14(5):603-607, September 2002.
18. Berman, A. H; Lundberg, U Auricular acupuncture in prison psychiatric units: a pilot study. Acta
Psychiatrica Scandinavica, Supplementum. 106 Supplement 412:152-157, June 2002.
19. Wang, Shu-Ming MD *,; Kulkarni, Lina MD +,; Dolev, Jackqulin MD ++, and; Kain, Zeev N. MD
[S] Music and Preoperative Anxiety: A Randomized, Controlled Study. Anesthesia & Analgesia.
94(6):1489-1494, June 2002.
20. Verthein, Uwe PhD; Haasen, Christian MD; Krausz, Michael MD Auricular Acupuncture As a
Treatment of Cocaine, Heroin, and Alcohol Addiction: A Pilot Study. Addictive Disorders & Their
Treatment. 1(1):11-16, May 2002.
21. Auricular Acupuncture: A Potential Treatment for Anxiety. Survey of Anesthesiology. 46(2):106,
April 2002.
22. Meng, Fan-Qiang MD; Luo, He-Chun MD; Halbreich, Uriel MD Concepts, Techniques, and
Clinical Applications of Acupuncture. Psychiatric Annals. 32(1):45-49, January 2002.
23. Wang, S-M; Kain, Z N Auricular Acupuncture: A Potential Treatment for Anxiety. Year Book of
Psychiatry & Applied Mental Health. 2002:283-284, 2002.

45
24. JONES, JAMIESON E. MD; KASSITY, NADINE RN, BSN, MBA Varieties of Alternative
Experience: Complementary Care in the Neonatal Intensive Care Unit. Clinical Obstetrics &
Gynecology. 44(4):750-768, December 2001.
25. Wang, Shu-Ming MD *,; Peloquin, Carol MD *,; Kain, Zeev N. MD *+++ The Use of Auricular
Acupuncture to Reduce Preoperative Anxiety. Anesthesia & Analgesia. 93(5):1178-1180, November
2001.
26. Chen, Yu-chih PhD RN Chinese values, health and nursing. Journal of Advanced Nursing.
36(2):270-273, October 2001.
27. Wang, Shu-Ming M.D.; Peloquin, Carol M.D.; Kain, Zeev N. M.D. Auricular Acupuncture Is a
Treatment for Preoperative Anxiety. ASA Annual Meeting Abstracts. AMBULATORY AND
GERIATRIC ANESTHESIA. 95(3A):A5, October 2001.
28. Bueno, Earl A. MD *; Mamtani, Ravinder MD +; Frishman, William H. MD ++ Alternative
Approaches to the Medical Management of Angina Pectoris: Acupuncture, Electrical Nerve
Stimulation, and Spinal Cord Stimulation. Heart Disease. 3(4):236-241, July/August 2001.
29. Kain, Zeev N. Premedication and parental presence revisited. Current Opinion in Anaesthesiology.
14(3):331-337, June 2001.
30. Wang, Shu-Ming MD *, and; Kain, Zeev N. MD* + Auricular Acupuncture: A Potential Treatment
for Anxiety. Anesthesia & Analgesia. 92(2):548-553, February 2001.
31. Sutherland, Judith A. PhD, RN, CS, LCDC Getting to the Point. AJN, American Journal of
Nursing. 100(9):40-44, September 2000.
32. Bernstein, Kunsook Song The Experience of Acupuncture for Treatment of Substance Dependence.
Journal of Nursing Scholarship. 32(3):267-272, Third Quarter2000.
33. Chez, Ronald A.; Jonas, Wayne B. Complementary and Alternative Medicine. Part II: Clinical
Studies in Gynecology. Obstetrical & Gynecological Survey. 54(11) Supplement:204-211, November
1999.
34. Vickers, Andrew; Zollman, Catherine ABC of complementary medicine: Acupuncture. BMJ.
319(7215):973-976, October 9, 1999.
35. Bernardis, Lee L. *,1; Bellinger, Larry L. + The Dorsomedial Hypothalamic Nucleus Revisited:
1998 Update (44296). Proceedings of the Society for Experimental Biology & Medicine. 218(4):284-
306, September 1998.
36. Chez, Ronald A.; Jonas, Wayne B. Complementary and Alternative Medicine. Part II: Clinical
Studies in Gynecology. Obstetrical & Gynecological Survey. 52(11):709-716, November 1997.

ANEXO H - Resumos encontrados na base de dados Acubriefs Review.

Review ID: 258


Title: Acubriefs review of Electroacupuncture analgesia for colonoscopy. a prospective, randomized,
placebo controlled study.
Author: Rotchford, J.K.
Type of Media: Article
Acubriefs Newlsetter Vol. 4(6)
Date Published: 2003
Reviewed by: Birch,S. - July 2003
Keywords: Gastroenterology; anesthesiology; colonoscopy; peri-operative; analgesia; RCT; placebo;
anxiety

Review ID: 263


Title: Acupuncture And The Heart-Mind Split.
Author: Greenwood, M.T.

46
Type of Media: Article
Med Acup Vol. 14(2) p. 22-27
Date Published: 2003
Reviewed by: James K. Rotchford MD, MPH - September 2003
Keywords: Oriental Medicine Education; psychology; Oriental/anatomy physiology pathology;
psychiatry; Heart-Mind Split; Existential Split; Mind-Body Split; Depression; Anxiety

Review ID: 143


Title: Acupuncture treatment of chronic low-back pain - a randomized, blinded, placebo-controlled
trial with 9-month follow-up
Author: Leibing, E.; Leonhardt, U.; Koster, G.; Goerlitz, A.; Rosenfeldt, J. A.; Hilgers, R.; Ramadori,
G.
Type of Media: Article
Pain Vol. 96(1-2) p.189-196
Date Published: 2002
Reviewed by: James K. Rotchford MD, MPH - April 2002
Keywords: RCT, chronic low back pain, chronic pain, orthopedics, physiotherapy, sham acupuncture

Review ID: 224


Title: Auricular acupuncture, education, and smoking cessation: a randomized, sham-controlled trial.
Author: Bier, I. D.; Wilson, J.; Studt, P.; and Shakleton, M.
Type of Media: Article
Am J Public Health Vol. 92(10) p.1642-1647
Date Published: 2002
Reviewed by: James K. Rotchford, MD,MPH - September 2002
Keywords: Auricular; smoking cessation; addictive medicine; RCT; invasive-sham

Review ID: 240


Title: Convulsive syncope associated with acupuncture.
Author: Cole,M.; Shen,J.; and Hommer, D.
Type of Media: Article
Am J Med Sci Vol. 324(5) p.288-289
Date Published: 2002
Reviewed by: James K. Rotchford MD,MPH - December 2002
Keywords: Neurology; syncope; seizure; adverse events; convulsion; case report

Review ID: 230


Title: Efficacy of acupuncture in asthma: systematic review and meta-analysis of published data from
11 randomised controlled trials.
Author: Martin,J.; Donaldson,A.N.; Villarroel,R.; Parmar,M.K.; Ernst,E.; Higginson,I.J.
Type of Media: Article
Eur Respir J Vol. 20(4) p.846-852
Date Published: 2002
Reviewed by: James K. Rotchford, MD, MPH - October 2002
Keywords: asthma; respiratory medicine; meta-analysis; systematic review; RCT
Review ID: 254
Title: Electroacupuncture analgesia for colonoscopy. a prospective, randomized, placebo-controlled
study.
Author: Fanti,L.; Gemma,M.; Passaretti,S.; Guslandi,M.; Testoni,P.A.; Casati,A.; Torri,G.
Type of Media: Article
Am J Gastroenterol Vol. 98, No.2 p.312-6
Date Published: 2003
Reviewed by: James K. Rotchford MD, MPH - June 2003

47
Keywords: Gastroenterology; anesthesiology; colonoscopy; peri-operative; analgesia; RCT; placebo;
anxiety

Review ID: 119


Title: Psychosomatic Compartmentalization: The Root of Qi and Blood Stagnation
Author: Greenwood, M.T.
Type of Media: Article
Med Acup 13(1) 23-28
Date Published: 2001
Reviewed by: James K. Rotchford MD, MPH - October 2001
Keywords: Oriental/anatomy physiology pathology; PSYCHOLOGY; Qi; Pain; chronic pain; 5
elements; Oriental Medicine education; blood stagnation

NOTAS

1 - Armando Ribeiro das Neves Neto - Psicólogo - CRP 06/56256-0, doutorando e mestre em
Ciências pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), especialista em Neuropsicologia pela
UNIFESP, especialista em Acupuntura pelo Instituto de Psicologia e Acupuntura - Espaço Consciência,
Aprimoramento em Psico-Oncologia pelo Hospital do Câncer A.C. Camargo. Coordenador do Setor de
Psicologia da Saúde do Instituto Neurológico do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo.
Professor convidado e supervisor clínico de Psicoterapia Cognitivo-Comportamental (USP e
UNIFESP). E-mail: armandopsico@hotmail.com Fone: (11) 3272-0406. São Paulo - SP - Brasil.

2 - Monografia apresentada ao Instituto de Psicologia e Acupuntura, Espaço Consciência, para


obtenção do Certificado de Conclusão do Curso de Especialização em Acupuntura Tradicional
Chinesa. ORIENTADOR: Dr. Delvo Ferraz da Silva. CO-ORIENTADOR: Dr. José Roberto Gallego
Mendes. São Paulo. 2005. NLMC - D026881.

Site criado e mantido pelo Psicólogo Alex Sandro Tavares da Silva. CRP 07/11807.
Porto Alegre. Rio Grande do Sul. Brasil. Todos os direitos reservados conforme a legislação em vigor.

48