Você está na página 1de 6

COMPONENTE CURRICULAR: FILOSOFIA

PROFESSOR: ALEXON SILVA TAVARES


ATIVIDADE EXTRA – 1 ANOS

ATIVIDADE 01- DATA:___/___/___

Leia o texto abaixo.


Erik Magnus Lehnsherr, também conhecido como Magneto, finalmente foi derrotado pelos X-men's e agora está
preso e no banco dos réus para ser julgado. E quem fará as acusações será o promotor Matthew Michael Murdock,
que no período noturno é chamado de “O demolidor”.

Vejamos o diálogo entre os dois no julgamento:

Demolidor – Por que você quer destruir a raça humana?


Magneto – Vocês são uma criação defeituosa, e nosso dever, como mutantes e superiores, é substituí-los. Essa é a
nossa responsabilidade moral. Não é isso que vocês humanos fazem com os negros, homossexuais, religiosos e
etc? Quantas pessoas morreram só por não serem de determinadas regiões? Quantas pessoas foram massacradas
no apartheid? Quem são vocês, homo sapiens, para falar sobre destruição de raça?
Demolidor – Se um médico erra com um paciente, quem é culpado? O médico ou a medicina? Se uma prédio cai,
quem é o culpado? O engenheiro ou a engenharia?
Magneto – O engenheiro e o médico.
Demolidor – Você concorda comigo que não culpamos toda a engenharia e medicina por causa dos erros de alguns
médicos e engenheiros?
Magneto – Sim.
Demolidor – Então, por que você quer culpar toda a humanidade por causa dos erros de alguns homens?
Magneto - Às vezes nesta vida… A gente só tem um momento. Uma ocasião na qual tudo se alinha… Quando
qualquer coisa é possível… E, de repente… Podemos fazer e acontecer.
Demolidor – E por que você escolheu o lado negro da força para ter essa ocasião?
Magneto - Eu serei o rei branco e o rei negro, cinza se preferir. Pois aqueles que veem o mundo em termos de
negro e branco, bom e mal, estão fadados ao fracasso.
Demolidor – Matar as pessoas não trará paz.
Magneto – A paz nunca foi uma opção.
Demolidor - Erik, só tenho algo a falar. Um grande amigo meu chamado Peter Parker disse certa vez: “Grandes
poderes requerem grandes responsabilidades”. Disponível em:
http://filosofiabarbosa.blogspot.com.br/2012/05/prova-de-sociologia-3-ano-ideologia-e.html. Acesso em 01/Abr
de 2016.

Considerando o diálogo, responda as questões abaixo.

a) O diálogo ocorre em uma situação normal do cotidiano dos personagens? Por que?
b) Qual é a assunto central do diálogo?
c) Qual a opinião do Magneto sobre o assunto central do diálogo?
d) Que argumento o demolidor usa para contrapor a opinião do Magneto sobre o assunto central?

ATIVIDADE 02- DATA:___/___/___


NARCISO
Há muito tempo, na floresta, passeava Narciso, o filho do sagrado rio Kiphissos. Era lindo, porém tinha um modo
frio e egoísta de ser. Era muito convencido de sua beleza e sabia que não havia no mundo ninguém mais bonito
que ele.
Vaidoso, a todos dizia que seu coração jamais seria ferido pelas flechas de Eros, filho de Afrodite, pois não se
apaixonava por ninguém.
As coisas foram assim até o dia em que a ninfa Eco o viu e imediatamente se apaixonou por ele.
Ela era linda, mas não falava; o máximo que conseguia era repetir as últimas sílabas das palavras que ouvia.
Narciso, fingindo-se de desentendido, perguntou:
– Quem está se escondendo aqui perto de mim?
–… de mim – repetiu a ninfa assustada.
– Vamos, apareça! – ordenou. – Quero ver você!
–… ver você! – repetiu a mesma voz em tom alegre.
Assim, Eco aproximou-se do rapaz. Mas nem a beleza e nem o misterioso brilho nos olhos da ninfa conseguiram
amolecer o coração de Narciso.
– Dê o fora! – gritou, de repente. – Por acaso pensa que eu nasci para ser um da sua espécie? Sua tola!
– Tola! – repetiu Eco, fugindo de vergonha.
A deusa do amor não poderia deixar Narciso impune depois de fazer uma coisa daquelas. Resolveu, pois, que ele
deveria ser castigado pelo mal que havia feito.
Um dia, quando estava passeando pela floresta, Narciso sentiu sede e quis tomar água.
Ao debruçar-se num lago, viu seu próprio rosto refletido na água. Foi naquele momento que Eros atirou uma
flecha direto em seu coração.
Sem saber que o reflexo era de seu próprio rosto, Narciso imediatamente se apaixonou pela imagem.
Quando se abaixou para beijá-la, seus lábios se encostaram na água e a imagem se desfez. A cada nova tentativa,
Narciso ia ficando cada vez mais desapontado e recusando-se a sair de perto da lagoa. Passou dias e dias sem
comer nem beber, ficando cada vez mais fraco.
Assim, acabou morrendo ali mesmo, com o rosto pálido voltado para as águas serenas do lago.
Esse foi o castigo do belo Narciso, cujo destino foi amar a si próprio.
Eco ficou chorando ao lado do corpo dele, até que a noite a envolveu. Ao despertar, Eco viu que Narciso não
estava mais ali, mas em seu lugar havia uma bela flor perfumada. Hoje, ela é conhecida pelo nome de “narciso”, a
flor da noite.

QUESTÕES:
1) Qual o assunto é abordado no texto?
2) Quais são os personagens do texto?
3) Como era a personalidade de Narciso?
4) Por que Narciso acreditava que jamais seria flechado por Eros? Em sua opinião que flechas eram essas?
5) Quem se apaixonou por Narciso? Cite algumas características dessa personagem.
6) Qual foi a reação de Narciso quando encontrou a ninfa? Isso pode representar o que?
7) Que castigo Narciso recebeu por sua atitude com a ninfa?
8) Considerando o mito de narciso, por qual razão algumas pessoas são chamadas de narcisistas
9) Apresente três consequências quando alguém age como narciso.

ATIVIDADE 03- DATA:___/___/___

Leia o poema abaixo:

O bicho
Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.
(Manoel Bandeira)

Reflita acerca do poema:


1 – Caracterize, compare e dê exemplos de diversidades humanas e desigualdades sociais
2 - Quais as principais características das cinco desigualdades apresentadas em nosso texto?
3 – Cite pelo menos três características comuns às cinco desigualdades.
4 – Você se encaixa em algum tipo de opressão/desigualdade relatada no texto?
5 – Na sua opinião, como é possível a tomada de consciência das opressões da parte de um indivíduo se este sofre
o peso da persuasão ideológica e algumas vezes até com certa violência?
6 – Quais poderiam ser os mecanismos de luta contra as ideologias machistas, racistas e homófobas? E contra o
preconceito e a discriminação contra jovens e contra a luta pela melhoria das condições de vida dos
trabalhadores?
COMPONENTE CURRICULAR: FILOSOFIA
PROFESSOR: ALEXON SILVA TAVARES
ATIVIDADE EXTRA – 2 ANOS

ATIVIDADE 01- DATA:___/___/___

DESCARTES E O RACIONALISMO

Os textos abaixo se refere ao pensamento de René Descartes. Leia com atenção.

TEXTO: "[...] por desejar dedicar-me apenas à pesquisa da verdade, achei que deveria agir exatamente ao
contrário, e rejeitar como totalmente falso tudo aquilo em que pudesse supor a menor dúvida, com o intuito de
ver se, depois disso, não restaria algo em meu crédito que fosse completamente incontestável.
Ao considerar que nossos sentidos às vezes nos enganam, quis presumir que não existia nada que fosse tal como
eles nos fazem imaginar. E, por existirem homens que se enganam ao raciocinar, mesmo no que se refere às
mais simples noções de geometria, e cometem paralogismos, rejeitei como falsas, achando que estava sujeito a
me enganar como qualquer outro, todas as razões que eu tomara, até então, por demonstrações. E, enfim,
considerando que quaisquer pensamentos que nos ocorrem quando estamos acordados nos podem também
ocorrer enquanto dormimos, sem que, nesse caso, exista algum que seja correto, decidi fazer de conta que todas
as coisas que até então haviam entrado no meu espírito não eram mais correras do que as ilusões de meus
sonhos. Logo em seguida, porém, percebi que, ao mesmo tempo que eu queria pensar que tudo era falso, fazia-
se necessário que eu, que pensava, fosse alguma coisa. E, ao notar que esta verdade: eu penso, logo existo, era
tão sólida e tão correta que as mais extravagantes suposições dos céticos não seriam capazes de lhe causar
abalo, julguei que podia considerá-la, sem escrúpulo algum, o primeiro princípio da filosofia que eu procurava.

Agora responda:
a) O que Descartes está procurando?
b) Por que Descartes rejeita os sentidos?
c) O que Descartes rejeita a seguir e por quê?
d) O que ele concluiu? Por quê? Explique.

ATIVIDADE 02- DATA:___/___/___

TEXTO: Segunda meditação

Descartes demonstra profunda inquietação, temendo uma vida cheia de enganos. Leia o texto a seguir e faça o
que se pede.
“Suponho, portanto, que todas as coisas que vejo são falsas; persuado-me de que jamais existiu de tudo quanto
minha memória repleta de mentiras me representa; penso não possuir nenhum sentido; creio que o corpo, a
figura, a extensão, o movimento e o lugar são apenas ficções de meu espírito. O que poderá, pois, ser verdadeiro?
(...) Não há nenhuma outra coisa, das que acabo de julgar incertas, da qual não se possa ter a menor dúvida?
(...) Não me persuadi também de que não existia? Certamente não; eu existia sem dúvida, se éque me persuadi
ou apenas pensei alguma coisa. Mas há algum enganador mui poderoso e mui ardiloso que emprega toda sua
indústria em enganar-me sempre. Não há, pois, dúvida alguma de que sou, se ele me engana; e, por mais que me
engane, não poderá jamais fazer com que eu nada seja, enquanto eu pensar ser alguma coisa. (...) eu sou, eu
existo, é necessariamente verdadeira essa proposição todas as vezes que a enuncio ou que a concebo em meu
espírito”. (DESCARTES. René. Meditações, p. 91-92).

Agora responda:
a) Quais são as fontes possíveis de engano para Descartes?
b) Qual a única possibilidade de não ser enganado?
c) Qual é a certeza que Descartes chega nesse exercício de análise e rejeição?

ATIVIDADE 03- DATA:___/___/___

M.D.C.M. – INSTRUMENTOS DE PODER


Vivemos nessa era interligada em que pessoas de todo o planeta participam de uma única ordem
informacional uma situação que é, em grande parte, resultado do alcance internacional das
comunicações modernas. As transformações na mídia ou nas comunicações de massa contribuem
radicalmente na alteração da vida das pessoas e suas relações no meio sócio- cultural.
Quando se fala em mídia de massa ou comunicação de massa está se referindo a uma ampla variedade
de formas de meios de comunicação que abrange um volume de audiência enorme e que envolve
milhões de pessoas em toda uma sociedade moderna e globalizada como a nossa. São m.d.c.m.: a
televisão, os jornais, o cinema, as revistas, o rádio, a publicidade, vídeos games, CDs, internet, celulares
e etc.
A mídia de massa não pode mais ser vista como um simples meio de entretenimento, como se fosse algo
que não interferisse na vida das pessoas; as comunicações de massa são instrumentos de informação
que influência em nossa forma de pensar e agir, atingindo o comportamento individual, social, cultural e
institucional; como o caso da alteração de valores sociais dos jovens, as banalidades de questões sociais
(pobreza, desemprego, violência, corrupção) e a opinião pública (posicionamento reflexivo e prático das
pessoas em determinadas situações especificas sobre questões socioeconômicas, política-jurídico e
cultural-ideológica).
Os donos dos M.D.C.M. são os novos donos de um poder moderno e tecnológico, pois eles têm em suas
mãos instrumentos que podem influenciar, controlar, manipular ou interferir nas estruturas sociais, seja
nas instituições sociais, econômicas ou políticas; a mídia de massa tem dono, são grupos de pessoas que
vivem de lucro, logo suas empresas estão a serviço de seus interesses, que com certeza não é o da
sociedade como um todo. Os mdcm são os parceiros número um do capitalismo. A mídia exerce seu
poder de uma forma ideológica, camuflando suas intenções através de várias apresentações de
marketing sistematicamente e intensivamente até “inculca” na cabeça das pessoas perspectivas alheias
aos seus próprios interesses isso acontece dentro de comerciais, novelas, filmes, desenhos, programas,
séries, telejornais ou jornais escritos, revistas, rádios e etc. Quase imperceptível, principalmente aos
olhos e ouvidos de pessoas sem instrução intelectual.

Responda em seu caderno:


a) O que é viver em uma era de ordem informacional?
b) O que se entende por mídia de massa ou comunicação de massa?
c) Explique por que as mídias de massa ou os meios de comunicação não podem ser mais vistos como
um simples meio de entretenimento?
d) Quem são os novos donos do poder nesta sociedade da informação?
e) Explique como funciona o poder da mídia de massa sobre a sociedade?
COMPONENTE CURRICULAR: FILOSOFIA
PROFESSOR: ALEXON SILVA TAVARES
ATIVIDADE EXTRA – 3 ANOS

ATIVIDADE 01- DATA:___/___/___

Pensamento político na antiguidade

Foi durante o processo de formação e organização das primeiras aglomerações urbanas da Grécia antiga,
principalmente a de Atenas, que foi se formando uma estrutura social do tamanho de uma Cidade, mas
com a complexidade de um Estado. Assim foi se formando a pólis (cidade-estado), ela é constituída pela
acrópole, parte elevada em que se constrói o templo e também de onde se defende a cidade, e pela
ágora, praça central destinada às trocas comerciais e na qual os cidadãos se reúnem para debater os
assuntos da cidade, assim surge a política. Neste sentido, política, se refere à vida na pólis, ou seja, a
vida em comum, às regras de organização dessa vida, aos objetivos da comunidade e as decisões sobre
todos esses pontos. Política é cuidar das decisões sobre problemas de interesse da coletividade (da
cidade-estado ou pólis).
A teoria política grega está voltada para a busca dos parâmetros do bom governo. Os pensadores gregos
envolvem-se nas questões políticas do seu tempo e criticam os maus governos, pensava-se em um
governo justo e uma cidade feliz. Isso significa que esses filósofos elaboram uma teoria política de
natureza descritiva, já que a reflexão parte da análise da política de fato, mas também de natureza
normativa e prescritiva, porque pretende indicar quais são as boas formas de governo.
Neste período a relação entre ética e política é evidente, na medida em que as questões do bom
governo, do regime justo, da cidade boa dependem da virtude do bom governante. Outra característica
típica das teorias políticas na antiguidade é a concepção cíclica da história, segundo a qual os governos
se alteram do desenvolvimento a decadência, o que representa o curso fatal dos acontecimentos
humanos. Por exemplo, quando a monarquia degenera em tirania, dá-se a reação aristocrática que,
decaindo em oligarquia, gera a democracia e assim por diante. Entre os pensadores desse período
podemos destacar: Sócrates, Platão e Aristóteles.

PLATÃO (428 – 347 a.c)


A principal obra de Platão chama-se A República, para ele a política é a arte de governar as pessoas com
seu consentimento e o político é aquele que conhece essa difícil arte, só poderá ser chefe quem conhece
a ciência política. Por isso a democracia é inadequada, por desconhecer que a igualdade se dá apenas na
repartição de bens, mas nunca no igual direito ao poder. Para o Estado ser bem governado, é preciso
que “os filósofos se tornem reis, ou os reis se tornem filósofos”.
Dessa forma Platão propõe um modelo aristocrático de poder. No entanto, não se trata de uma
aristocracia da riqueza, mas da inteligência, em que o poder é confiado aos melhores, ou seja, é uma
“sofocracia” (poder dos sábios). Assim, as pessoas vítimas do conhecimento imperfeito, da “opinião”,
devem ser dirigidas por aqueles que se distinguem pelo saber.

Responda em seu caderno:


a) – Como surge a política na Grécia Antiga e a que ela se refere?
b) – Para que está voltada a teoria política grega?
c) – Como era a relação ética e politica na Grécia antiga?
d) – Explique a concepção cíclica da história na teoria política grega.
e) – Cite os principais pensadores políticos da Grécia antiga.
f) – Qual a principal obra de Platão e o que é política para ele?
g) – Segundo Platão qual o modelo de poder seria o mehor para um bom governo?
h) – O que é sofocracia?

ATIVIDADE 02- DATA:___/___/___

HISTÓRIA DAS RELAÇÕES DE GÊNERO

Na Pré-História, a mulher tinha um enorme peso nas sociedades de todo o mundo. Não eram sociedades
matriarcais, e sim matricêntricas, pois a mulher não dominava, mas as sociedades eram centradas nela
por causa da fertilidade. Assim, pela sua inexplicável habilidade de procriar, as mulheres eram elevadas
à categoria de divindades.
Na antiguidade, o homem era absoluto e a mulher equiparada a um escravo, pois ela não considerada
uma cidadã, elas não tinham acesso ao saber, vistas apenas como receptoras da semente masculina.
Na Idade Média, a Igreja Católica medieval considerava a mulher como causa e objeto do pecado, pois
tinha como referência a ideia do pecado original, cometido por Eva. Assim, sendo, era considerada a
porta de entrada para o demônio. Só não eram consideradas assim quando eram virgens, mães,
esposas, ou quando viviam no convento.
A partir do século XVIII, que começou as verdadeiras mudanças, principalmente na maneira de pensar
sobre o papel da mulher, graças ao Iluminismo e à Revolução Francesa, criou-se um contexto fértil para
o surgimento de novas ideologias. Datam dessa época as primeiras obras de carácter feminista, escritas
por mulheres como as inglesas Mary Wortley Montagu (1689-1762) e Mary Wollstonecraft (1792), "A
Vindication of the Rights of a Woman", que propunha a igualdade de oportunidades na educação, no
trabalho e na política.
A partir do século XIX, no contexto da Revolução Industrial, o número de mulheres empregadas
aumentou significativamente. Foi a partir desse momento, também, que as ideologias socialistas se
consolidaram, de modo que o feminismo se fortificou como um aliado do movimento operário. Nesse
contexto realizou-se a primeira convenção dos direitos da mulher em Seneca Falls, Nova York em 1848.
Também em Nova York, em 1857, aconteceu o movimento grevista feminino que, reprimido pela polícia,
resultou num incêndio que ocasionou a morte de 129 operárias, justamente no dia 8 de Março (Dia
Internacional da Mulher).
Atualmente, esta luta social se expressa por múltiplas ações comuns e em grande parte de formas de
organização e movimentos. A luta feminista (“sistema dos que preconizam a igualdade dos direitos do
homem e da mulher”); cujo objetivo desta luta diversificada das mulheres é a sua aspiração à
emancipação e à mudança para um respeito social mais dignificante.
Ainda assim, não desapareceram de súbito os preconceitos sobre a mulher, pois esses preconceitos têm
na maior parte uma raiz histórica que não reside na essência do sistema socioeconômico.

Responda em seu caderno:

a) – Qual a origem do termo gênero?


b) – O que significa a expressão sexo ou diferença sexual?
c) – O que significa a expressão gênero?
d) – Explique a importância da mulher na sociedade pré-histórica?
e) – Como a igreja medieval considerava a mulher?
f) – A partir de que momento e situações históricas o papel da mulher começou a se evidenciar na
história das sociedades?
g) – Em que momento e em que ideologia o feminismo começou a se fortalecer?
h) – Por que se comemora o dia 8 de março como o dia internacional da mulher?

ATIVIDADE 03- DATA:___/___/___

FUNÇÃO DO ESTADO
Todo e qualquer Estado possui obrigações para com os cidadãos, no que lhe dá o sentido e a importância
de existir, assim as principais funções de um Estado moderno são:
Garantir a soberania, ou seja, o direto que cada Estado tem de manter seu próprio governo, elaborar
suas próprias leis e de administrar os negócios públicos sem a interferência de outros Estados, manter a
ordem interna e a segurança externa (defender o território das ameaças externas), integridade territorial
e poder de decisão. Embora o poder e a autoridade possam ser encontrados nas funções e relações
sociais, em diferentes campos da vida social, centralizam no Estado. Dado o seu legitimo monopólio da
força, o governo, evidentemente, detém o poder supremo na sociedade. O reconhecimento da
independência de um Estado em relação aos outros, permitindo ao primeiro firmar acordos
internacionais, é uma condição fundamental para o estabelecimento da soberania.
Manter a ordem, o Estado se diferencia das demais instituições por ser o único que se encontra investido
de poder coercitivo, proibindo uma série de atos ou obrigando os cidadãos a agir de uma ou de outra
maneira adequando-se às leis, ou serão usados o poder coercitivo do uso da força física. A coerção tem
como objetivo propiciar um ambiente de ordem, preservando os direitos individuais e coletivos. As leis
estabelecem, portanto, o que deve ou não ser feito, o que pode ser feito, e prescrevem as punições por
sua violação. O Estado é, pois, a instituição autorizada a decretar, impor, administrar e interpretar as leis
na sociedade moderna. É por tudo isso que o estado exerce um grande controle sobre a vida das
pessoas.
Promover o bem estar social, isto é, propiciar à população de um Estado além da ordem interna e
externa, a paz, o respeito às leis, provendo a justiça, dispor de meios suficientes para atender as
necessidades humanas em seus diferentes aspectos: físico, moral, espiritual, psicológico e cultural;
organizando serviços básicos à população: educação, saúde, aposentadoria, segurança, justiça e etc.
manter a ordem social através de leis existentes ou redigindo novas, que reajustem a própria ordem,
quando as condições de mudanças exigirem.

Responda em seu caderno:


a) – Qual a origem do termo Estado?
b) – Conceitue Estado.
c) – O que forma um Estado?
d) – O que é um funcionário público?
e) – Diferencie governo de Estado.
f) – Cite as três principais funções do Estado.
g) – Explique a função do Estado: Garantir a soberania.
h) – Explique a função do Estado: Manter a ordem.
i) – Explique a função do Estado: Promover o bem estar social.