Você está na página 1de 178

FICHA TÉCNICA

editorial
2 Nada de novo?
robótica 116
3.o Trimestre de 2019 artigo científico
4 Experience of educational robotics applied to robotics tournament
Diretor
J. Norberto Pires, Departamento de Engenharia Mecânica, espaço empreender e inovar
Universidade de Coimbra ∙ norberto@uc.pt
8 A Compatibilidade Electromagnética para a competitividade na era da Internet das Coisas

Diretor-Adjunto
vozes de mercado
Adriano A. Santos, Departamento de Engenharia Mecânica, Instituto
10 Soluções de gestão de produção – aplicações práticas de Indústria 4.0
Politécnico do Porto ∙ ads@isep.ipp.pt

Conselho Editorial instrumentação


A. Loureiro, DEM UC; A. Traça de Almeida, DEE ISR UC; 12 Termopares industriais (2.ª Parte)
C. Couto, DEI U. Minho; J. Dias, DEE ISR UC;
J.M. Rosário, UNICAMP; J. Sá da Costa, DEM IST; eletrónica industrial
J. Tenreiro Machado, DEE ISEP; L. Baptista, E. Naútica, Lisboa; 16 Eletrónica (7.ª Parte)
L. Camarinha Matos, CRI UNINOVA; M. Crisóstomo, DEE ISR UC; P. Lima,
DEE ISR IST; V. Santos, DEM U. Aveiro Portugal 3D
18 Impressora 3D FDM tipo Delta
Corpo Editorial
Coordenador Editorial: Ricardo Sá e Silva 24 notícias da indústria
Tel.: +351 225 899 628 ∙ r.silva@robotica.pt
Marketing: Júlio Almeida
46 dossier sobre automação cognitiva e robótica
Tel.: +351 225 899 626 ∙ j.almeida@robotica.pt
46 Automação cognitiva e robótica
Redação: Helena Paulino e André Manuel Mendes
48 Robótica pedagógica e currículo escolar
Tel.: +351 220 933 964 ∙ redacao@robotica.pt
50 A Inteligência Artificial incorporada na robótica
Design
Luciano Carvalho ∙ l.carvalho@publindustria.pt reportagem
Delineatura – Design de Comunicação 52 Como a automação robótica de processos impulsiona a melhoria dos processos – e a necessidade de infraestrutura industrial edge

FICHA TÉCNICA . SUMÁRIO


54 360 Tech Industry levou Indústria 4.0, robótica e automação à EXPONOR
Webdesign 58 Endress+Hauser: I Fórum – Indústria 4.0
Ana Pereira ∙ a.pereira@cie-comunicacao.pt 62 FANUC abriu portas para mostrar soluções de automação industrial e IIoT
64 F.Fonseca: 40 anos de sucesso e aprendizagem, que venham os próximos 40!
Assinaturas 68 Prémio Inovação Alemão para o VX25: sistema de armários de grandes dimensões da Rittal
Tel.: +351 220 104 872 70 Siemens inaugura núcleo tecnológico nos 25 anos das suas instalações no Porto
assinaturas@booki.pt · www.booki.pt
72 Mais de 2000 participantes no WeAreCOBOTS, congresso global de robótica colaborativa

Colaboração Redatorial
case study
J. Norberto Pires, Adriano A. Santos, Aline Fernanda Furtado Silva,
74 Endress+Hauser Portugal: Tecnologia tem de servir o utilizador
Carlos Geovani Moura Naves, Jeniffer Áline Teixeira de Souza,
Julia Gabriele Marques da Silva, Thiago Borges do Silio, Paulo Cabral, 76 FANUC Iberia S.L.U. – Sucursal em Portugal: Nova ROBOSHOT α -S450iA já em funcionamento em Portugal na KLC
Vítor Almeida, Rui Vilela Dionísio, Paulo Peixoto, Raquel Costa, 78 Automação económica para todas as empresas com robótica low-cost da igus
André Brandão, Santiago Castellanos, Jorge Lino Alves, 82 M&M Engenharia Industrial, Lda.: Siemens SPPAL Portugal utiliza solução inovadora para automação da EPLAN
João Vilhete Viegas d’Abreu, Maria de Fátima Garcia, Renato Suekichi 84 Rittal oferece soluções para mobilidade elétrica

1
Kuteken, Rayanne Floriano Batista, António Varandas, Alain Stas, 86 RUTRONIK Elektronische Bauelemente: Simulação de sensores de temperatura
Matthias Bossert, Miguel Oliveira, Tiago Carvalho, Claas Rittinghaus, 90 Sumcab Specialcable Group: Cabos para movimentos 3D
Carlos Coutinho, Carlos Saraiva, André Manuel Mendes 92 Universal Robots: Benefícios do ecossistema UR+

robótica
Redação e Edição INFORMAÇÃO TÉCNICO-COMERCIAL
CIE – Comunicação e Imprensa Especializada, Lda.® 94 Parceria da ABB e IBM para soluções de inteligência artificial industrial
Empresa Jornalística Reg. n.º 223992 96 AMADA: Lasindustria: tecnologia ENSIS aumenta eficiência e capacidade de resposta
Grupo Publindústria
98 Bonfitec – Equipamentos Industriais: Internacionalmente reconhecida BONFIGLIOLI prepara-se para lançar novo controlador
Praca da Corujeira, 38 · Apartado 3825
de movimento BMC
4300-144 Porto
100 Endress+Hauser Portugal: Clientes satisfeitos com integração simples
Tel.: +351 225 899 626/8 · Fax: +351 225 899 629
102 EPL – Mecatrónica & Robótica: Novo EPSON SCARA T6 com controlador integrado
geral@cie-comunicacao.pt · www.cie-comunicacao.pt
104 FARRESA ELECTRÓNICA: Controlos numéricos e tecnologia de medição da HEIDENHAIN
Conselho de Administração 106 Festo apresenta na ITMA novidades de automatização para a indústria têxtil
António da Silva Malheiro 108 F.Fonseca apresenta o scanner laser de segurança outdoorScan3 da Sick
Ana Raquel Carvalho Malheiro 110 INOVASENSE – Automação, Energia e Visão Artificial: Tecnologia SmartRunner: novas oportunidades de deteção
Maria da Graça Carneiro de Carvalho Malheiro 114 LusoMatrix – Novas Tecnologias de Electrónica Profissional: Microchip – FPGAs
116 M&M Engenharia Industrial, Lda.: Destacar, de forma fácil, o potencial da criação de valor
Detentores de Capital Social 118 norelem Ibérica: Como os engenheiros de design podem alcançar um novo padrão de referência em termos de eficiência
António da Silva Malheiro (31%) 120 Phoenix Contact: Monitorização inteligente da proteção contra descargas atmosféricas e outras sobretensões
Ana Raquel Carvalho Malheiro (38%) 122 Pilz e GIMATIC iniciam colaboração em robótica segura
Maria da Graça Carneiro de Carvalho Malheiro (31%) 124 PROSISTAV – Projectos e Sistemas de Automação: wenglor: sensor único para todos os objetos, devido à tecnologia Light Band
126 Rittal Portugal: Climatização inteligente com menos refrigerante
Propriedade
128 SpindleSense da Schaeffler reduz as falhas das máquinas e permite uma maior disponibilidade das mesmas
Publindústria – Produção de Comunicação, Lda.®
130 Schmersal Ibérica: Proteção de pessoas - aumento da produtividade
Empresa Jornalística Reg. n.º 213163
132 SCHUNK apresenta novo sistema de garras inteligente para o controlo integrado de células de baterias
NIPC: 501777288
Praça da Corujeira, 38 · Apartado 3825 134 Setlevel: Coreflux entra em Beta e marca o início do mercado de IoT em Portugal
4300-144 Porto 136 Automação de máquinas feita pela SEW-EURODRIVE
Tel.: +351 225 899 620 · Fax: +351 225 899 629 138 TM2A – SOLUÇÕES E COMPONENTES INDUSTRIAIS: Uniões de acoplamentos ACOFLEX®
geral@publindustria.pt · www.publindustria.pt 140 TME – Transfer Multisort Elektronik: Memórias não voláteis da MICROCHIP
142 WEG realizou a reparação de 6 transformadores numa central hidroelétrica no Uruguai
Publicação Periódica 144 Weidmüller RockStar®: tão rápido como um estalar de dedos
Registo n.º 113164 www.robotica.pt
Depósito Legal n.o 372907/14 146 produtos e tecnologias Aceda ao link através
ISSN: 0874-9019 · ISSN: 1647-9831 deste QR code.
Periodicidade: trimestral 168 bibliografia
Tiragem: 5000 exemplares /revistarobotica
INPI: 365794

Apoio à capa
Impressão e Acabamento
A transformação digital na indústria
acd print
Manutenção preditiva com Industrial Analytics
Rua Marquesa d´Alorna, 12 A | Bons Dias
2620-271 Ramada

Estatuto editorial disponível em www.robotica.pt


Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A.
Os trabalhos assinados são da Tel.: +351 214 459 191 · Fax: +351 214 455 871
exclusiva responsabilidade dos seus autores. weidmuller@weidmuller.pt · www.weidmuller.pt
Nada de novo?
228 MIL MILHÕES, dívida a crescer e, na verdade, nenhuma
226 MILHÕES, 646 MIL, ideia ou plano para resolver a encruzilha-
971 EUROS E 19 CÊNTIMOS da em que estamos. E o que aí vem não
Numa sessão com a juventude de um é propriamente animador, pelo que nem
partido, a Ministra das Finanças referiu esperança parece existir. Este país precisa
que Portugal tinha os cofres cheios, que- de se repensar, sem bandeirinhas e sem
rendo dizer com isso que o país estaria claques, mas justamente percebendo
preparado para enfrentar qualquer difi- o caminho de insustentabilidade que
culdade do futuro a curto e médio pra- seguiu e que aparentemente não quer
zo. Logo de seguida o Primeiro-Ministro resolver. Perdemos nesta legislatura uma
num congresso partidário regional usou oportunidade única de reformar o país.
J. Norberto Pires a mesma mensagem para comparar a si- Subscrevo o que disse o João Miguel Ta-
Prof. da Universidade de Coimbra tuação atual do país com aquela que en- vares no Público de dia 24 de março: “En-
controu quando tomou posse em junho tendo que o breve ímpeto reformista que
de 2011. A oposição e respetivas claques existiu foi travado com a saída de Vítor Gas-
escandalizaram-se com a imagem infeliz par das Finanças e com o papel acrescido
DA MESA DO DIRETOR

e trataram de zurzir nos dois responsá- de Paulo Portas nas relações com a troika.
veis governativos. Convém, no entanto, Entendo que a seriedade com que Portas
Escrevi o texto abaixo em 2015, tentar perceber o que quis dizer a Maria encarou a reforma do Estado está bem ex-
isto é, há cerca de 4 anos. Vejam Luís Albuquerque e avaliar da sua razoa- pressa no seu patético guião a dois espaços
em detalhe e verifiquem se algo bilidade. Temos cofres cheios? De quê? e corpo 14. Entendo que a ausência de uma
mudou. Se não poderíamos De dinheiro nosso não é com certeza, verdadeira reforma laboral perpetua os ní-
dizer exatamente a mesma porque se trata de dinheiro emprestado, veis altíssimos de desemprego. Entendo que
coisa. Se nos preparamos para e ainda por cima a uma taxa média muito o elevado endividamento, sobretudo no
a tempestade que aí vem. Se acima do valor pago pelos locais em que setor privado, nunca foi enfrentado como
2

estamos mais protegidos. Se está depositado. A maioria desse dinhei- devia. Entendo que o Estado continua a ter
robótica

fizemos o trabalho de casa. ro está depositada no BCE (cerca de 18,5 uma incompreensível tolerância para com
Na economia. Nas empresas. mil milhões do total de 24 mil milhões) as rendas no setor energético e nas PPP.
Na ciência. Na nossa vida do que paga -0,2% pelos depósitos, ou seja, Entendo, em resumo, que o grande pecado
dia-a-dia. pagamos todos cerca de 40 milhões para do Governo ao longo destes anos não foi a
guardar esse dinheiro que nos foi em- imposição da austeridade nem o aumento
prestado. dos impostos, mas o desaproveitamento de
Nesta confusão irresponsável que se vive O que estamos a fazer com esse di- uma oportunidade de ouro para reformar
em Portugal, na qual não há uma insti- nheiro guardado? A manter uma reserva profundamente o país”.
tuição credível, e anda tudo a cavalgar a que nos permite absorver algum tipo de Acrescento somente dados de on-
espuma dos dias, ninguém sequer pensa dificuldade de financiamento futura. Não tem, publicados pelo INE. A dívida das
na tempestade que aí está à porta. É uma temos os cofres cheios (é tão infeliz esta administrações públicas subiu em 2014
tempestade tão forte que a Alemanha expressão), estamos é a gerir a dívida (oh! cerca de 5,6 mil milhões de euros, quan-
estuda mudar a constituição para fazer ideia maldita) e a fazer uma reserva de se- do comparada com 2013, atingindo o
aquilo que impediu a Portugal, Grécia, gurança que permita ao país amortecer fantástico valor de 130,2% do PIB. Se
Irlanda, e outros, nos momentos de afli- variações de mercado. quiserem saber o valor atual da dívida
ção da Troika: aumentar o défice, ou seja, A ideia da Ministra foi a de tentar pas- direta do Estado Português basta con-
a dívida, para incentivar a economia. Para sar uma imagem de que tem a situação sultar online a Agência que gere a dívida
além de uma enorme hipocrisia, tudo sob controlo e dentro das possibilidades pública nacional. Os dados mais recen-
isto deveria colocar os portugueses em do país. Ora essa ideia não é de todo tes são de 28 de fevereiro de 2015 e di-
frente ao espelho, sem clubismos, a fazer verdadeira. De facto, e como já referido, zem que a dívida direta do Estado é de
a seguinte pergunta: o que fizemos foi constituir uma reserva 228 mil milhões, 226 milhões, 646 mil,
– Se a grande e poderosa Alemanha para amortecer flutuações de mercado 971 euros e 19 cêntimos (ou seja, subiu
pensa em fazer isto, alterando até a e dos juros da dívida, a qual deve exis- cerca de 2,5 mil milhões relativamente a
sua constituição, vão ser as lengas- tir e ser bem gerida para não ter custos 31 de janeiro de 2015). Soluções? Refor-
-lengas do Centeno e da “geringonça” excessivos, ou no nosso caso, custos in- mas? Arrepiar caminho? É disso que te-
que nos vão proteger? Fizemos e es- suportáveis. O que é insensato e popu- mos os cofres de cheios: de dívida e de
tamos a fazer o que é necessário para lista é dizer que temos os cofres cheios. vazio de ideias. E a coisa ameaça encher
enfrentar o que aí vem? Não temos. Temos os cofres vazios, uma ainda mais.
PUB
Experience of educational
Coordenadora, Curso Técnico em Eletrônica Integrado ao Ensino Médio, Curso Técnico em Eletrotécnica concomitante externo – Polo Ibiá

robotics applied to robotics


Carlos Geovani Moura Naves, Jeniffer Áline Teixeira de Souza, Julia Gabriele Marques da Silva, Thiago Borges do Silio

tournament
Abstract – this article reports the Along the robotic prototype construction apprentices were
experience of the development of a robot getting grilled about the existing robots dancing competitions
dancer during a teaching activity and the in Brazil and then came the desire to improve the project in a
prominence obtained by him later in a way that makes it competitive enough to participate in one of
robotics Tournament culminating with these events.
winning the second place in the ITR 2018 In addition, what made this project so interesting was
(International Tournament of Robots). First the fact that the robot dance a way to allow the expression
is the motivation for building the robotic of creativity, always present when it comes to technology
Alunos do Ensino Médio Integrado em Eletrônica

prototype as evaluative activity to a course and robotics. In addition, robots dance to providing fun and
of integrated course to high school, as well interaction between people and robots, through knowledge of
as the importance of educational Robotics the operation of sensors, microcontrollers and actuators [5].
Aline Fernanda Furtado Silva 

entered the course through this activity.


artigo científico

IFTM – Campus Patrocínio

The work deals with the experience of the


students during the construction of the robot II. CONSTRUCTION OF THE ROBOT
and the participation in the competition.
The robot was built with recyclable materials, A. The physical structure and the mechanical part
a simple hardware and programming if The girl robot, affectionately dubbed by “RobôNita” in allusion
you’re using Arduino technology. In the final to the famous Brazilian funk singer Anita, was thought to move
considerations is presented the improvement very flexible.
4

achieved in the educational performance It would be necessary for this purpose to be built of a light
of students involved as well as the awards
robótica

material, yet tough to be transported to events. Couldn’t be


achieved by the team of students. too big, should allow the movement of the knees, hips, butt,
Keywords – teaching activity, robot, dance, head and arms. Soon, we opted for the construction of a kind
tournament experience. of Tin doll, which can be seen in Figure 1, which was essentially
built with recyclable materials: can of soda, sponge, steel ladle,
spoon, pieces of CDs and foil. For the construction of the eyes of
I. INTRODUCTION “RobôNita we used two LEDs (light emitting diodes) in blue and
Currently search for learning environments more and more the mouth an aluminum spring, thus setting a friendly face for
dynamic and interactive, are recommended courses models your presentation.
that allow the learners greater contact with technology [1]. To
this end, it was proposed in class of Microprocessor Systems
from third year electronics technician course integrated into
the high school of XXX the construction of robots themed
(application) free, since to use as the Arduino microcontroller
platform [2]. Among various designs chosen by the students, he
obtained the idea of a group of five students to develop a robot,
or better, “the girl robot” that could play the popular Brazilian
rhythm choreography, funk, through their movements.
The project of students at first did not have any pretense of
participation in events, internal or external to the institution, but
only meet demand proposed by the teacher of the discipline
mentioned.
robótica 116, 3.o Trimestre de 2019

By means of this activity was possible to observe that the


educational robotics has a very important feature that is to offer
the learner the option to set up and program your own robotic
system, through their comments and your own practice [3], that
is, a search for learning and research, these characteristics that Figure 1. Picture of “RobôNita”.
favor a really significant learning [4]. Source: authors
The girl robot, affectionately dubbed by
“RobôNita” in allusion to the famous Brazilian
funk singer Anita, was thought to move very
flexible.

The Group understood that moving the feet of the robot would
be complicated because it would depend on a lot of the fric-
tion characteristics of the surface on which it was placed, so to
ensure the balance of the doll has been fixed it in a wooden
box with finishing Silver (Figure 2) so that she could dance the
choreography without changing your position during the exe-
cution of the audio.

Figure 3. Schematic of the circuit of the robot.


Source: Tinkercad

C. The software
The code was intended for the three songs from potpourri, first
the libraries for the three servos are loaded as shown in Figure 4,

artigo científico
and then in void loop functions created with the names of the
three songs are called for execution: void paradinha, void bang
and void automaticamente, in this order (Figure 5).

Figure 2. Full view of the prototype for robotic dance.

5
Source: authors

robótica
The box was also used to store the electronic circuit of the
prototype, which is described in the next section.
Figure 4. Print initial part of the code.
B. The electronic circuit Source: create.arduino.cc
For construct electronic circuit was necessary to define the
music that would be choreographed to a girl robot. It was
actually created a potpourri with the songs: “Paradinha” and
“Bang” compositions of Brazilian artists Anitta (singer), Umberto
Tavares and Jefferson Junior; and “Automaticamente” composition
and interpretation of artists Mc Maromba e Mc Leléto.
The choreography of the original steps of songs adapted
chosen required that the doll move your hips, knees, torso and
arms. For this it was decided to use three servo motors, one for
the knees, and another for the hip and a last one for the region
of the trunk, and the arms moved only by inertia. The choice
came about due to the fact that servos are applied whenever
the movements of a given prototype require precise control of
torque, speed and position [6], what is essential in the case of
robotic dance.
The connection of the servo motors was made directly
to the doors of the Arduino, which made the whole project
very simple electronics. In addition to the servos the LEDs are Figure 5. Print of void loop.
also connected to the Arduino, responsible for feeding them Source: create.arduino.cc
throughout the time that the doll was linked.
The electronic schematics the circuit was designed and The program as a whole was very simple, made heavy use of
simulated in the application Tinkercad [7] and can be seen in commands “for” and the accurate control of the “delays” is that
Figure 3. determined the timing of the choreography with the audio.
III. THE COMPETITION
With the machine ready the teacher entered the team of
From this prosaic experience, the teacher included
students to participate in the Torneio Juvenil de Robótica (TJR)
in your teaching methodology, in the discipline
2017 edition robot dance mode, level 3 according to the age
of microprocessor Systems compulsory free
group of the participants.
Robotics-themed project, encouraging students
Students are identified, the tournament rules and began to
to submit their projects in shows, Competitions
prepare for the presentation. In this type of event, at least four of
and other events of robotics, external and internal
the team members must dance together with the machine, the
to the institution, seeking to strengthen the
same choreography.
culture of educational Robotics and competition
On day 26 of August 2017 the team performed along with
within the XXXX.
the “RobôNita” at XXXX XXXX in Sao Paulo, capital. The team held
three presentations, in which they were evaluated against the
following criteria [8]:
• Adequacy of the costume; However, with the same robot girl and keeping the
• Thematic development in choreography; choreography, a new team was formed with students enrolled
• Technical level of joint human and robotic choreography; in the institution. These by your time not measured efforts
• Boldness of the movements of robots; to improve the performance of the team, to both, code and
• Boldness of human movements; structure adjustments were made.
• Fitness music;
• Sync music and choreography;
• Harmony of humans and robots; V. FINAL CONSIDERATIONS
• Complexity of electro mechanic construction of robots; At the end of the ITR 2018 XXXX student’s team, entitled “XXXX”
• Complexity of the robot programming. was awarded second place. This award came to attest to the
artigo científico

success of the application of Robotics as a technique of effective


At the end of the presentations the team out of the competition learning in the classroom.
champion and qualified for the national stage of the TJR at São Not only the students involved in the construction of
Luís, Maranhão in the month of November de 2017. the robot were awarded the positive consequences of this
But for economic reasons students were unable to educational approach as, real improvement in the notes at
participate in the national qualifying stage for the international the end of the course, passing the ENEM, opportunities on the
6

event. However, in the year 2018, due to good performance labour market. But also students who took over the project
in the tournament in Sao Paulo on the previous year, the in the year 2018, after all they had to study the design of the
robótica

Group received an invitation from the National Organization gentlemen, understand it to be able to resolve problems that
Committee of TJR to participate in the International Tournament might arise during the international event.
of Robots (ITR) 2018. From this prosaic experience, the teacher included in your
teaching methodology, in the discipline of microprocessor
Systems compulsory free Robotics-themed project, encouraging
IV. PARTICIPATION IN THE INTERNATIONAL students to submit their projects in shows, Competitions and
TOURNAMENT OF ROBOTS other events of robotics, external and internal to the institution,
The ITR 2018 happened between 06 and 09 June 2018 in XXXX seeking to strengthen the culture of educational Robotics and
in the city of Guarulhos, to participate in the tournament the competition within the XXXX.
teacher needed, with the consent of the original team, forming
a new team, because the students who built the robotic
prototype created the choreography and dance were presented REFERENCES
at the event earlier, completed the course at the end of the year [1] J. M. Moran,  Novas tecnologias e mediação pedagógica. Papirus Editora,
2017 and lost, so the institutional link. 2000.
[2] M. McRoberts, Arduino Básico, 2.ª Edição. Novatec editora LTDA. 2015.
[3] M. C. de M. Garcia et al, Robótica educacional e aprendizagem colaborativa no
ensino de biologia: discutindo conceitos relacionados ao sistema nervoso huma-
no. 2015.
Not only the students involved in the construction [4] D. P. Ausubel, A aprendizagem significativa. São Paulo: Moraes, 1982.
of the robot were awarded the positive [5] Y. C. Coutinho et al, Positronics Dance: os anos 80 voltaram!. Competição Brasi-
consequences of this educational approach as, leira de Robótica. 2014.
real improvement in the notes at the end of the [6] A. T. da SILVA,  Controle de posição com restrição à orientação de um Veículo
course, passing the ENEM, opportunities on the Aéreo Não-Tripulado tipo Quadrirrotor. 2014. Dissertação de Mestrado. Univer-
labour market. But also students who took over the sidade Federal do Rio Grande do Norte.
project in the year 2018, after all they had to study [7] Audesk Tinkercad. Create 3D digital designs with online CAD.
the design of the gentlemen, understand it to be www.tinkercad.com
able to resolve problems that might arise during the [8] TJR. Caderninho do aluno Dança. Torneio Juvenil de Robótica 2017.
international event. www.torneiojrobotica.com
PUB
A Compatibilidade Electromagnética
para a competitividade na era
da Internet das Coisas
NENHUM PRODUTO É UMA ILHA dio. Essa regra legal, combinada com os
Parafraseando o poeta inglês John Don- avanços tecnológicos, abriu caminho ao
ne (1572-1631), nenhum produto é uma crescimento das comunicações via rádio
ilha. Sempre que estão em funcionamen- e à radiodifusão.
to, todos os produtos electrónicos, quer
sejam alimentados pela rede eléctrica
ou por baterias, incluindo os dispositivos AS REGRAS DA EMC ESTIMULAM
ESPAÇO EMPREENDER E INOVAR

electrónicos que estão instalados em veí- A INOVAÇÃO


culos, produzem campos electromagné- Desde então, os regulamentos legais, os
ticos. As consequências desses fenóme- métodos de ensaio e as normas de EMC
nos podem ser as mais variadas. Uma das foram sucessivamente revistos e aper-
mais comuns é provocar interferências feiçoados, para acompanharem os mais
Paulo Cabral
noutros equipamentos que lhes estão recentes desenvolvimentos das tecno-
pc@iep.pt próximos. logias. Actualmente, na Europa, todos
IEP – Instituto Electrotécnico Português Com a crescente complexidade das os dispositivos electrónicos, quer sejam
tecnologias actuais, identificar todas as alimentados pela rede eléctrica ou por
possíveis fontes de interferência, tanto as baterias, devem estar em conformidade
Os ensaios e as que são produzidas pelos próprios equi- com a Directiva 2014/30/UE, ou Directi-
certificações relativos
8

pamentos como as que neles são provo- va da Compatibilidade Electromagnética


à Compatibilidade cadas por outros equipamentos, não é (EMC), excepto se possuírem alguma for-
robótica

Electromagnética (EMC) tarefa simples. ma de comunicação por radiofrequência


são frequentemente Muitos fabricantes encaram os en- (RF), caso em que os aspectos de Com-
vistos pelos fabricantes saios de EMC como um contratempo patibilidade Electromagnética ficam sob
de equipamentos que atrasa a colocação dos seus produ- a alçada da Directiva 2014/53/UE, ou Di-
electrónicos como tos no mercado. Tal percepção resulta so- rectiva dos Equipamento de Rádio (RED).
um entrave à entrada bretudo de não considerarem a questão Estas Directivas (EMC e RED) visam
dos seus produtos no da Compatibilidade Electromagnética assegurar que os equipamentos eléc-
mercado. Todavia, tais logo desde as fases iniciais do projecto. tricos e electrónicos possuem níveis de
requisitos podem ser de imunidade adequados para funcionarem
facto uma ajuda para da forma prevista no ambiente elec-
tornar esses produtos NO PRINCÍPIO ERA O CAOS tromagnético a que se destinam, para
mais competitivos. O No início do século XX, quando a Marinha além de não produzirem perturbações
presente artigo tenta dos EUA introduziu a telegrafia sem fios electromagnéticas que possam interferir
explicar porquê. para transmitir informações por ondas com outros equipamentos.
hertzianas, todos os transmissores esta- A Directiva RED assume particular
vam sintonizados na mesma frequência. relevância quando se pensa na crescen-
Isso provocava enormes interferências te adopção de tecnologias "inteligentes",
sempre que havia vários transmissores porque nesses casos as falhas de conecti-

1
Licenciado em Engenharia Electrotécnica e a operar em simultâneo, tornando a co- vidade são vistas pelos utilizadores como
de Computadores (FEUP). Colaborador do IEP, municação impossível, com os óbvios ris- inaceitáveis, o que constitui um dos
desempenhando actualmente as funções de cos que isso representava para as forças maiores obstáculos para a generalização
Director do Gabinete de Relações Institucionais. militares. da "Internet das Coisas” (IoT).
Foi anteriormente Director da Unidade de La- Em resposta ao caos radioeléctrico Se pensarmos no que se espera que
boratórios do IEP e responsável técnico por di- assim criado, foi elaborado aquele que se seja uma casa “inteligente”, na qual tudo
versos laboratórios de ensaios e de metrologia. pode considerar o primeiro regulamento deve estar conectado e funcionar em
Coordenador da Especialização em Metrologia sobre Compatibilidade Electromagné- conjunto de forma harmoniosa, vemos
da Ordem dos Engenheiros. Foi docente no ISEP tica, que atribuiu frequências diferentes que quanto maior for a densidade de dis-
– Instituto Superior de Engenharia do Porto. aos diversos tipos de utilizadores de rá- positivos electrónicos nesse ecossistema
tanto maiores serão as probabilidades de efectuar ensaios nas diversas etapas ao que acarreta poupanças nos custos de
ocorrerem interferências entre eles. longo do desenvolvimento do produto. desenvolvimento, bem como a redução
Os ensaios de EMC não devem ser Possuindo uma experiência de mais do tempo necessário até que o produto
encarados como exigências legais que de três décadas na avaliação de requi- chegue ao mercado.
apenas provocam uma sobrecarga adi- sitos de EMC, os laboratórios do IEP po- O IEP é uma infra-estrutura tecnológi-
cional às equipas de desenvolvimento dem ajudar os fabricantes a incorporar ca que ajuda os fabricantes a adoptarem
dos produtos. Devem antes ser vistos nos produtos electrónicos as correctas uma abordagem integral no que se refere
como uma oportunidade que os fabri- regras da compatibilidade electromag- à EMC, tendo em vista garantir que um
cantes de equipamentos electrónicos nética, desde a sua concepção. novo produto será compatível com a IoT
têm para resolver estes problemas do e que cumprirá os requisitos legais e nor-
"primeiro mundo" logo nas fases iniciais mativos relevantes nos diversos mercados
do processo de concepção dos produ- EMC TAMBÉM TEM A VER a que esse produto se destina, tanto em
tos, evitando assim que tais problemas se COM SEGURANÇA matéria de segurança como de EMC.
manifestem quando os equipamentos já Surpreendentemente, muitas pessoas
estiverem no mercado. pensam que os requisitos de EMC e os
requisitos de segurança são assuntos ANTECIPANDO O FUTURO
distintos. No entanto, como se irá ver de Um dos factores que serão determinan-
PARA MELHORAR É PRECISO seguida, isso não é assim. tes na adopção da Internet das Coisas

ESPAÇO EMPREENDER E INOVAR


ENSAIAR A Directiva EMC exige que os pro- é a disponibilidade de um espectro de
O nível de ruído electromagnético gera- dutos electrónicos não excedam níveis frequências adequado. Apesar de os re-
do por um equipamento, tal como a sua de emissões acima dos quais os equi- guladores disponibilizarem bandas de
susceptibilidade às interferências cau- pamentos de rádio e telecomunicações, frequência específicas para as comunica-
sadas por outros dispositivos, depende entre outros equipamentos, poderão não ções de dados sem fios, o espectro está
de vários factores: da bateria que está funcionar como previsto. Impõe também ocupado e ficará ainda mais saturado
dentro do produto, do layout da placa de níveis de imunidade às perturbações à medida que os utilizadores exigirem
circuito impresso, das antenas, dos cabos electromagnéticas que são de esperar no serviços com cada vez maior qualidade
de sinal, dos cabos de alimentação, dos decurso do seu funcionamento, o que e conectividade instantânea para aplica-
sinais de alta frequência gerados nos cir- permite que o produto funcione sem ções como a comunicação por voz sobre
cuitos RF e nos barramentos de memória ocorrer uma degradação inaceitável no IP (VoIP), o streaming de vídeo ou os veí-
seu uso previsto. culos autónomos.

9
de alta velocidade, dos displays LCD, en-
tre outros. Isso está intimamente ligado com a A EMC desempenha um papel ful-

robótica
É vulgar que os fabricantes tratem segurança do produto. À medida que a cral nas tecnologias inovadoras que vão
de forma independente o projecto do Internet das Coisas se expande, há cada permitir solucionar esse problema, como
invólucro do equipamento, a selecção vez mais produtos electrónicos interco- por exemplo as tecnologias de "partilha
do display LCD, ou o desenho da placa nectados, o que aumenta as probabili- de espectro”. Isso permite que os dispositi-
de circuito impresso. No entanto, para dades de interferências entre dispositi- vos sem fios sejam geridos, de forma ac-
desenvolver um produto electrónico vos. Tais interferências provocam falhas tiva, por sistemas de controlo centraliza-
de consumo (e não apenas os produtos no desempenho, aumento do ruído, do, que ligam e desligam os dispositivos
“inteligentes”) numa correcta perspecti- interrupções ou falhas na transmissão IoT em função das prioridades de outros
va de Compatibilidade electromagné- e na integridade do sinal, o que pode utilizadores.
tica, os projectistas devem garantir que ter consequências potencialmente gra- Outro âmbito relevante para a in-
todos os módulos vão funcionar em ves tanto para a segurança das pessoas dústria das tecnologias sem fios é a ex-
conjunto, como um sistema comple- como para a segurança das redes de co- pansão das comunicações na faixa das
to que limita adequadamente o ruído municação (comprometendo, por exem- ondas milimétricas (mmW) e a crescente
electromagnético. plo, a protecção dos dados pessoais e a implantação de links de alta frequência
Isso exige uma maior atenção ao ciber-segurança). (acima dos 60 GHz), que permitem atin-
layout, à densidade do dispositivo, ao po- Assim, a conformidade com os re- gir taxas de transferência de dados extre-
sicionamento das antenas, aos percursos quisitos de EMC permite aos fabricantes mamente elevadas.
dos cabos, à blindagem, ao isolamento e optimizar a fiabilidade dos sistemas “inte- Escusado será dizer que esses de-
à filtragem, para além dos aspectos fun- ligentes”, ao mesmo tempo que protege a senvolvimentos irão implicar também
cionais do produto. Isso representa um reputação das suas empresas. Ao envol- uma alteração substancial das normas
desafio crescente para os engenheiros, verem um laboratório de EMC no proces- de ensaio de EMC, pelo que o acompa-
especialmente à medida que aumenta o so de concepção e desenvolvimento de nhamento da evolução normativa (par-
nível de miniaturização e que os disposi- um produto, desde a fase inicial, os fabri- ticipando nas Comissões Técnicas de
tivos se tornam cada vez mais compac- cantes obtém vantagens competitivas, Normalização relevantes) confere aos fa-
tos. Para garantir uma operação livre de uma vez que assim evitam ter que intro- bricantes de produtos electrónicos uma
interferências é importante considerar os duzir alterações sucessivas ao produto, vantagem competitiva adicional.
aspectos de EMC logo desde o início do com a consequente repetição de etapas
projecto, ainda na fase de concepção, e na avaliação da sua conformidade, o Texto escrito de acordo com a antiga ortografia.
Soluções de gestão de produção –
aplicações práticas de Indústria 4.0
Fui durante vários anos responsável por um Departamento de A informação de produção foi também
Automação e melhoria contínua numa empresa multinacional. partilhada com os operadores em chão
de fábrica. Ecrãs plasma, instalados em lo-
cais estratégicos, faziam chegar aos ope-
radores a evolução online da produção,
permitindo-lhe saber em cada instante
aquilo que já tinham produzido e compa-
rar com o que deviam ter produzido.
A informação armazenada na base
de dados permitiu ainda comparar a pro-
dução dum determinado dia com a ocor-
rida no passado e perceber a evolução
(ou não) dos processos produtivos. Os re-
sultados foram deveras sur­pre­e­ndentes:
vozes de mercado

• Acabamos por perceber que uma


boa parte das quebras de produção
ocorriam por motivos totalmente
Tropimática, Lda.
Vítor Almeida
Diretor Técnico

Nesta empresa, com linhas de produção sempre que um operador interrompia o diferentes daquilo que inicialmente
a funcionar 24 horas por dia, era frequen- ciclo automático duma máquina, apenas pensávamos;
te assistir a reuniões de gestão onde se a conseguia voltar a arrancar depois de • Pudemos identificar de forma mui-
analisava informação de produção e se informar num ecrã de computador o mo- to clara os pontos de bloqueio das
10

discutia o que se produziu e o que ficou tivo da paragem. linhas de produção e, assim, resolvê-
por produzir. Toda esta informação foi processada -los de forma muito mais eficiente;
robótica

Discutia-se se a produção realizada em rede Intranet, armazenada em base • Ao informar online os operadores do
estaria ajustada à capacidade dos equi- de dados e disponibilizada às equipas de estado da produção e ao confrontar
pamentos produtivos e tentava-se per- gestão em paginas web. a produção de cada linha com a das
ceber por que motivo essa produção em Os gestores passaram a contar com linhas adjacentes, instituímos um es-
certas alturas não era atingida. relatórios online que os informavam do pírito de competição que aumentou,
Quando os objetivos de produção estado real da produção: de forma significativa, a eficiência
não eram atingidos, a produção respon- • Mapas de produção por turno, que das diversas equipas.
sabilizava a manutenção, que por sua apresentavam lado a lado a produção
vez responsabilizava a logística. No final planeada e produzida para cada hora E foi assim que, em 2004, implementá-
nunca conseguíamos perceber o peso do turno; mos a nossa primeira solução Indústria
real de cada um nos resultados finais, • Relatórios de paragem das linhas de 4.0. Uma solução que recolhia em chão
nem tão pouco o que estava realmente produção. Em cada turno eram dis- de fábrica um conjunto de informação
a acontecer no chão de fábrica. ponibilizados os minutos de paragem relevante sobre o que aí estava a acon-
Decidimos fazer algo. de cada linha de produção, os equi- tecer e a enviava às equipas de decisão,
Fomos dentro dos computadores pamentos que provocavam essas pa- automaticamente e em tempo real, para
das máquinas recolher automatica- ragens e quando elas ocorriam, que essas equipas pudessem tomar deci-
mente a maior quantidade possível de • Mapas de eficiência, OEE e performance. sões baseadas em informação atualizada,
informação: objetiva e o mais direta possível.
• Motivos de paragem de ciclos Depois disso, já com a nossa empre-
automáticos; sa Tropimática, muitas outras lhe sucede-
• Tempos de ciclo de cada equipa- ram. No nosso caso, com uma clara van-
mento da linha de produção; tagem: a mesma equipa que programa
• Tempos de paragem de ciclo por os robots e desenvolve o software para as
cada equipamento. máquinas industriais também desenvol-
ve a aplicação de gestão de produção.
Para a restante informação criamos estru- Tudo fica mais fácil, porque basicamente
turas para permitir aos operadores indi- sabemos onde a informação está e como
car os motivos de paragem. Por exemplo, a podemos ir lá buscar.
PUB
Termopares industriais
2.ª Parte

Termopares industriais (2ª parte)


1. LEIS DE COMPORTAMENTO DOS TERMOPARES
por Rui Vilela Dionísio
Departamento de Sistemas e Informática Lei dos metais sucessivos – Se um termopar constituído pe-
Escola Superior de Tecnologia de Setúbal do Instituto Politécnico de Setúbal
O funcionamento dos termopares baseia-se nas seguintes leis, los materiais A e C, com as junções expostas às temperaturas T1
1. Leis de comportamento
ilustradas dos termopares
na figura 1. e T2, gera uma tensão u〈A,C〉 (figura 1 (f )) e um circuito semelhan-
O funcionamento dos termopares baseia-se nas seguintes leis, ilustradas na figura 1.
te, construído com os materiais C e B, gera às mesmas tempera-
I =0 T5 T6
T4 T7
T1
eA,B(T1)
T2
I =0 turas uma tensão u〈C,B〉, então, um terceiro termopar, semelhante
eA,B(T2) T1 T2
T3 T3
eB,C(T3) uo eB,C(T3) T9 uo T8 na configuração e fabricado com os materiais A e B, gerará às
mesmas temperaturas
Escola Superior de Tecnologia de Setúbal do Instituto Politécnico de Setúbal

V voltímetro V voltímetro

(a) (b)
i Legenda:
material A u〈A,B〉=u〈A,C〉+u〈C,B〉 (2)
material B
material C

Ti Tj
T1 I=0 T2 T1 I=0 T3 2. CONSIDERAÇÕES SOBRE AS LEIS ANTERIORES
T3 • A justificação da primeira lei foi dada na 1ª parte deste ar-
uo uo
(c) (d) tigo, no ponto 2. Funcionamento dos termopares, em
particular através da equação (de acordo com a figura 1 (a))
Departamento de Sistemas e Informática

I=0 T3 = T1 I=0 I =0
T1 T2 + T2 T3

uT1,3 uT1,2 uT2,3
uo=e〈A,B〉(T1)−e〈A,B〉(T2) (3)
instrumentação

(e)
Rui Vilela Dionísio

T1 I=0
T2 = T1 I=0
T2 + T1 I=0
T2 • A segunda lei resulta do facto de não haver produção de
uA,B uA,C uC,B f.e.m. termoelétricas, se não houver heterogeneidades no
(f)
material (pelo efeito de Seebeck), e de não haver modifi-
Figura
Fig. 1 – 1. Representação
Representação esquemática das leis de funcionamento
esquemática dos termopares: lei
das leis de funcionamento dos dois metais e duas cações nas temperaturas, se a corrente for nula (efeitos de
dos
junções (a); lei da independência da temperatura do percurso (b); lei dos metais intermédios I (c); lei dos
termopares: lei dosII dois
metais intermédios metais
(d); lei e duas junções
das temperaturas (a); lei(e);
sucessivas daleiindependência da (f).
dos metais sucessivos Thomson e de Peltier). Esta lei é de grande importância prá-
12

temperatura do percurso (b); lei dos metais intermédios I (c); lei dos metais in- tica, pois é devido a ela que é possível instalar, despreocu-
Lei dos dois metais e duas junções – Um circuito utilizando termopares, deve conter pelo menos dois
termédios
materiais distintos eIIpelo
(d); lei das duas
menos temperaturas sucessivas
junções (figura 1 (a)). (e); lei dos metais sucessivos (f). padamente, o caminho dos cabos dos termopares, ou das
robótica

Lei da independência da temperatura do percurso – A tensão de saída do termopar, uo, depende apenas
das temperaturas das junções, T1 e T2, sendo independente da forma como a temperatura se distribui pelossuas extensões (a serem apresentadas na 3ª e última parte
condutores, desde que nestes não haja corrente elétrica (figura 1 (b)) e os terminais do voltímetro estejam à
Lei dos dois metais e duas junções – Um circuito utilizando
mesma temperatura. deste artigo), sem ter de atender às temperaturas ao longo
Lei dostermopares,
metais intermédios deveI –conter pelo menos
Se um terceiro dois materiais
material homogéneo distintos
C for inserido e A ou nodo percurso.
no material
material B de um circuito com termopares (figura 1 (c)), a tensão de saída uo permanece inalterada, desde
que as pelo menos
novas junções duasà junções
estejam (figura(T1i=T(a)).
mesma temperatura j). • A demonstração da terceira lei faz-se, efetuando a circula-
Lei dosLei daintermédios
metais independência da temperatura
II – A instalação de um material intermédiodo percurso – AA,B
C numa junção ten-(figura 1 (d))ção ao longo de um caminho que inclua o termopar e o
não afeta a tensão de saída uo, desde que as novas junções, assim criadas, sejam mantidas à temperatura
T3. são de saída do termopar, uo, depende apenas das temperaturas material inserido no circuito e constatando que há cance-
das junções, T1 e T2, sendo independente da forma como a tem- lamento das tensões, nas junções com o novo metal, des-
peratura se distribui pelos condutores, desde que nestes não de que estas se encontrem à mesma temperatura. Esta lei
haja corrente elétrica (figura 1 (b)) e os terminais do voltímetro permite a utilização de um cabo normal (e.g. cobre) para
estejam à mesma temperatura. efetuar emendas nos condutores de um termopar, sem que
Lei dos metais intermédios I – Se um terceiro material ho- daí resulte nenhum erro na determinação da temperatura.
mogéneo C for inserido no material A ou no material B de um Tem que se verificar, no entanto, para este efeito, nas novas
circuito com termopares (figura 1 (c)), a tensão de saída uo per- junções i e j, a condição Ti=Tj. É conveniente que a corrente
manece inalterada, desde que as novas junções estejam à mes- elétrica no circuito seja nula (I=0 A), para que as temperatu-
ma temperatura (Ti=Tj). ras das junções não se alterem devido ao efeito de Peltier, o
Lei dos metais intermédios II – A instalação de um material que, na prática, poderia conduzir a que Ti se tornasse dife-
intermédio C numa junção 〈A,B〉 (figura 1 (d)) não afeta a tensão rente de Tj.
de saída uo, desde que as novas junções, assim criadas, sejam • A demonstração da quarta lei faz-se recorrendo à lei de
mantidas à temperatura T3. Volta1:
Lei das temperaturas sucessivas – Um circuito de termopa-
res com temperaturas T1 e T2 (figura 1 (e)) origina uma tensão de Num circuito fechado, constituído por
saída uT1,2=f(T1,T2). O mesmo circuito, exposto às temperaturas diferentes materiais, todos à mesma
T2 e T3, produz uma tensão uT2,3=f(T2,T3). Se o circuito for exposto temperatura, a soma das f.e.m. de
às temperaturas T1 e T3, a tensão de saída será Seebeck é nula.

uT1,3=f(T1,T3)=uT1,2+uT2,3 (1)
1
Alessandro Giuseppe Antonio Anastasio Volta, físico e químico italiano, inven-
Texto escrito de acordo com a antiga ortografia. tor da pilha elétrica, 1745–1827.
Pode provar-se a lei de Volta do seguinte modo: se a soma das f.e.m. também se encontra o sistema de controlo distribuído. Nestas con-
no circuito fechado não fosse nula haveria passagem de corrente elé- dições, a temperatura de saída do termopar, uTθ,20, virá mais baixa do
trica, com consequente dissipação de calor nos condutores, por efei- que se a junção de referência estivesse a 0 °C
to de Joule, e com aquecimento/arrefecimento das junções por efeito
de Peltier. Mas, de acordo com a Termodinâmica, tal não é possível, uTθ,0 = uTθ,20 + uT20,0 (4)
uma vez que, para que um sistema possa fornecer calor, são necessá-
rias duas fontes a temperaturas diferentes, o que não acontece pois Ao valor medido com a referência a 20 °C e antes de efetuar a entra-
está-se a admitir todo o circuito à mesma temperatura. da nas tabelas para a obtenção da temperatura, será preciso acres-
centar o valor constante de uT20,0, já que todas as tabelas de termo-
Considere-se um circuito termoelétrico fechado, constituído por pares são construídas considerando que a junção de referência se
três materiais, A, B e C, e pelas três respetivas junções 〈A, B〉, 〈A, C〉 encontra à temperatura de 0 °C.
e 〈C, B〉, todas à mesma temperatura (o material C corresponde ao • A sexta lei demonstra-se pelo princípio da sobreposição. Ela permite
metal intermédio numa das junções de um termopar duplo cons- reduzir o número de tabelas de pares de materiais. Se forem utilizados
tituído pelos materiais A e B). Pela lei de Volta, as tensões u〈A,C〉+u〈C,B〉 N=20 materiais diferentes, haverá um número de emparelhamentos
têm de igualar a tensão u〈A,B〉. Fica, assim, demonstrado que a intro- igual a 20C2=20!÷(2!×18!)=190 combinações. Se, no entanto, se referi-
dução de um metal intermédio não altera a tensão da junção origi- rem todos os materiais a apenas um material padrão, ter-se-ão (N−1)
nal u〈A,B〉. Esta lei é importante no fabrico dos termopares, em que emparelhamentos, no caso do exemplo dado, 19 emparelhamentos.
a introdução de um terceiro material na junção (e.g. para efetuar a Utiliza-se a platina como material padrão (de referência).
soldadura) não afeta a tensão de saída.
• Na quinta lei, a demonstração faz-se efetuando a ligação de termo-
pares em série. Esta lei é muito útil nos casos em que se pretenda 3. SENSIBILIDADE
utilizar uma temperatura de referência diferente de zero graus Cel- A sensibilidade de um termopar, a uma determinada temperatura T, é
sius. Como exemplo, suponha-se que se utiliza um termopar para dada por
medir a temperatura da fornalha de uma caldeira, θ. A junção de
duo
medida estará no interior da fornalha, normalmente protegida por ST = (5)
dT
uma bainha, e relativamente perto da parede da fornalha (a 30 cm
ou a 50 cm de afastamento). A junção de referência encontra-se, O índice T, em ST, indica que a sensibilidade é referida à temperatura T,
normalmente, numa sala com ar condicionado (e.g. 20 °C), onde uma vez que ela própria é função da temperatura.

PUB
A tabela 1 indica a sensibilidade de alguns materiais, quan- apresentada de uma forma gráfica, por meio de tabelas, ou de
do usados com a platina, para uma temperatura da junção de forma analítica aproximada por um polinómio de grau n
273,15 K (0 °C), existindo uma grande variação nas sensibilida-
des, consoante os materiais. Repare-se que as sensibilidades são T1=a0+a1uo+a2u2o +· · ·+anuno (6)
baixas, da ordem dos µV/K, e que para os semicondutores (qua-
tro últimos materiais da tabela) as sensibilidades são bastante em que T1 é dado em °C e uo em µV.
superiores às dos metais.
Para que a sensibilidade de um termopar, constituído por Tabela 2. Intervalo de medição máximo de temperaturas e intervalo de medi-
dois metais A e B, seja elevada, convirá associar materiais com ção de tensões de saída para termopares normalizados.
sensibilidades altas (em módulo) em relação à platina e de si-
Intervalo de Intervalo de
nais contrários. No entanto, para a construção de termopares, Tipo Constituição medição máximo de medição de tensões
há outros critérios a ter em consideração. Assim, o par 〈cromel, temperaturas (°C) de saída (mV)
bismuto〉, que tem uma sensibilidade, a 273,15 K (0 °C), de 70% Pt, 30% Rh
B 0 a 1820 0 a 13,820
94% Pt, 6% Rh
(+21,7)−(−72)=93,7 µV/K, não se utiliza devido ao facto do bis- 95% W, 5% Re
C 0 a 2320 0 a 37,066
muto ser quebradiço e ter um ponto de fusão baixo (271 °C). Para 74% W, 26% Re
se aumentar a sensibilidade dos termopares, estes podem ser 97% W, 3% Re
D 0 a 2320 0 a 39,506
75% W, 25% Re
associados em série, desde que se garantam N junções à tempe-
90% Ni, 10% C
ratura de medida e outras N junções à temperatura de referência. E –270 a 1000 –9,835 a 76,373
55% Cu, 45% Ni
W
G 0 a 2320 0 a 38,564
74% W, 26% Re
Tabela 1. Sensibilidade de alguns termopares, referenciados à platina, com
Fe
uma temperatura da junção de 273,15 K (0 °C). J –210 a 1200 –8,095 a 69,553
55% Cu, 45% Ni
90% Ni, 10% Cr
K –270 a 1372 –6,458 a 54,886
Sensibilidade Sensibilidade 95% Ni, 2% Al, 2% Mn, 1% Si
Material Material
Instrumentação

(µV/K) (µV/K) 82% Ni, 18% Mo


M –50 a 1410 –1,732 a 74,104
bismuto –72 cobre +6,5 99,2% Ni, 0,8% Co
constantan –35 ouro +6,5 84,1% Ni, 14,4% Cr, 1,5% Si
N –270 a 1300 –4,345 a 47,513
95,5% Ni, 4,5% Si
alumel –17,3 tungsténio +7,5
55% Pd, 31% Pt, 14% Au
níquel –15 ferro +19 P 0 a 1395 0 a 55,257
65% Au, 35% Pd
nisil –11 cromel +21,7 87% Pt, 13% Rh
R –50 a 1768 –0,226 a 21,101
platina 0 nicrosil +29,3 Pt
14

90% Pt, 10% Rh


mercúrio +0,6 germânio +300 S –50 a 1768 –0,236 a 18,693
Pt
carbono +3 silício +440 Cu
robótica

T –270 a 400 –6,258 a 20,872


alumínio +3,5 telúrio +500 55% Cu, 45% Ni
estanho +4 selénio +900
prata +6,5
5. CÓDIGO DE CORES PARA OS TERMOPARES
As cores dos termopares estão definidas pelas normas ASTM
4. TERMOPARES NORMALIZADOS E230/E230M-17 e ANSI MC96.1:1982, nos EUA e no Canadá, e
O estudo dos materiais utilizados nos termopares tem sido efe- pela norma IEC 584-3, internacional. Existem, ainda, as normas
tuado exaustivamente. Devido à grande quantidade de possibi- BS 1843, inglesa e checa, DIN 43710, alemã e holandesa, JIS C
lidades foram escolhidos determinados pares e a sua designa- 1610, japonesa, e a norma AFNOR NF C 42-324, francesa.
ção normalizada. Assim, os termopares normalizados foram Na tabela 3 apresenta-se o código de cores para termopares
designados pelas letras B, C, D, E, G, J, K, M, N, P, R, S e T. A tabela normalizados, de acordo com as normas ASTM E230/E230M-17
2 indica a constituição material de cada um destes termopares e IEC 584-3. As cores indicadas nas colunas intituladas Exterior,
e, também, o intervalo de medição máximo de temperaturas e + e −, referem-se às cores do material de isolamento exterior,
a respetiva tensão de saída. Ao consultar-se um catálogo de um de isolamento do condutor mais positivo e de isolamento do
fabricante, poderá notar-se que o intervalo de medição máximo condutor menos positivo, respetivamente.
depende do diâmetro dos condutores constituintes do termo-
par. Termopares construídos com condutores delgados não su- Tabela 3. Código de cores para termopares normalizados, de acordo com as
portam temperaturas tão elevadas, como os que são construí- normas ASTM E230/E230M-17 e IEC 584-3.
dos com condutores grossos.
Tipo de Norma ASTM E230/E230M-17 Norma IEC 584-3
Na figura 7 da 1.ª parte deste artigo, no ponto 2. Funcio-
termopar Exterior + − Exterior + −
namento dos termopares, indicaram-se as tensões de saída T castanho azul vermelho castanho castanho branco
para os termopares do tipo B, E, J, K, R, S e T. A não-linearidade da J castanho branco vermelho preto preto branco
resposta é um pouco mais acentuada nos termopares usados E castanho roxo vermelho roxo roxo branco
em temperaturas elevadas (tipos B, R e S), ou quando se utiliza K castanho amarelo vermelho verde verde branco
N castanho laranja vermelho rosa rosa branco
um campo de medida muito amplo.
S n.e. n.e. n.e. laranja laranja branco
Existem diversas formas de exprimir a temperatura medida, R n.e. n.e. n.e. laranja laranja branco
T1, em função da tensão de saída do termopar, uo, ou seja, de B n.e. n.e. n.e. cinzento cinzento branco
replicar a temperatura que se está a medir. Esta relação pode ser n.e. – não estabelecido.
PUB
Eletrónica
7.ª Parte

7.3.2 Circuito capacitivo em corrente alternada O condensador descarrega-se quando as armaduras têm igual
Na realidade não existe um circuito capacitivo puro mas sim um número de eletrões, atingindo nesta altura a corrente o seu má-
circuito série entre a resistência e um condensador, denominado ximo negativo.
de circuito RC. Iniciaremos a análise por considerar o condensa- A Figura 56 apresenta o desfasamento da onda da tensão
dor puro, de forma a perceber o comportamento deste compo- e da corrente num circuito puramente capacitivo onde pode-
nente na presença de uma corrente alternada. Neste tipo de cir- remos analisar que a corrente está avançada 90° em relação à
cuitos, e devido à influência da frequência, teremos de considerar tensão.
a grandeza reatância, neste caso reatância capacitiva (XC).
Consideremos o circuito da Figura 55, composto por uma u, i

lâmpada e por um condensador. Umáx.


Imáx.

i i φ = 90º
u t

C
ELETRÓNICA INDUSTRIAL

u ~ L
ATEC – Academia de Formação

Figura 56. Representação vetorial e cartesiana da tensão e respetiva corrente


num circuito puramente capacitivo.
paulo.peixoto@atec.pt
Paulo Peixoto

Figura 55. Circuito capacitivo alimentado por uma corrente alternada. 7.3.3 Circuito capacitivo real – Circuito RC
Como analisado anteriormente, nos circuitos não encontramos
Na edição anterior foi analisado o funcionamento do condensa- condensadores puros ou ideais, mas condensadores reais que
dor em corrente contínua e o efeito de carga e descarga deste é equivalente à série de um condensador ideal e de uma re-
16

componente. O comportamento do condensador em corrente sistência. Para a análise deste tipo de circuito consideremos a
alternada é um pouco diferente. A lâmpada integrada no circui- Figura 57 onde iremos calcular:
robótica

to irá brilhar de forma constante, uma vez que efetuará o efeito • A reatância capacitiva;
de carga e descarga em cada um dos ciclos, não perdendo to- • A frequência da tensão;
talmente a energia armazenada. • A tensão aos terminais da resistência;
A corrente média no circuito dependerá da frequência, que • A tensão aplicada ao circuito;
será tanto maior quanto maior for a frequência da tensão • A impedância do circuito;
aplicada, e da capacidade do condensador, cujo valor médio • O ângulo de desfasamento entre a tensão e a corrente.
será tanto maior quanto maior for o valor da capacidade
do condensador. 330 Ω
22 μF
Será fundamental definir a grandeza reatância capacitiva
(XC) que é a oposição do condensador à passagem da corrente
elétrica: R C 160 mA

1 u ~
UR UC = 32 V
XC =
2π · f · C

onde:
f é a frequência do sinal de alimentação em Hertz (Hz) Figura 57. Circuito RC.
C é a capacidade do condensador em Farad (F)
A tensão de alimentação é uma onda alternada sinusoidal. Ire-
Para desenharmos as curvas da tensão e da corrente iremos mos começar por calcular a reatância capacitiva do circuito uti-
analisar o funcionamento do circuito. Ao iniciar-se a carga do lizando a Lei de Ohm generalizada:
condensador, a tensão aos seus terminais é nula, tendo, ao con-
Uc 32
trário, a corrente o seu valor máximo. À medida que a carga vai Xc = = = 200 Ω
I 160 × 10-3
aumentando, aumenta a tensão nos seus terminais, diminuin-
do consequentemente a corrente, até se anular, o que sucede A frequência da tensão alternada de alimentação será calculada
quando a tensão aos terminais do condensador atinge o valor da seguinte forma:
máximo. Na descarga, as curvas decrescem simultaneamen-
1 1 1
te. No instante em que se inicia a descarga, a tensão parte do XC = f= = = 36,2 Hz
2π · f · C 2π · Xc · C 2π · 200 · 22 × 10-6
seu máximo positivo e a corrente do seu mínimo valor (nulo).
A tensão aplicada à resistência é dada pela aplicação direta da tém dividindo cada um dos lados do triângulo das tensões pela
Lei de Ohm: corrente que percorre o circuito.

UR = 330 · 160 × 10-3 = 52,8 V


UR R = UR/I

φ φ
Para o cálculo da tensão total iremos utilizar o diagrama vetorial
analisado na Figura 56 que é obtido do circuito considerando os UC XC = UC/I
UT Z = UT/I
seguintes pressupostos:
• A tensão e a corrente na resistência estão em fase (desfasa-
mento de 0°);
• A tensão e a corrente apresentam um desfasamento de 90° Figura 60. Triângulo das impedâncias.
relativamente ao condensador, estando a tensão em atraso;
• A tensão no condensador está, por conseguinte, atrasada Z2 = R2 + XC2 Z = R2 + XC2 = 3302 + 2002 = 385,9 Ω
90° em relação à tensão na resistência.
Para finalizar a análise do circuito iremos calcular o ângulo de
desfasamento entre a tensão e a corrente no circuito em análise.
uR, uC
Poderemos utilizar o triângulo das impedâncias para este cálcu-
UR máx. lo e utilizar uma das razões trigonométricas:
UC máx.
i uR
R = 330 Ω
uC
φ

ELETRÓNICA INDUSTRIAL
t

XC = 200 Ω
Z = 385,9 Ω

Figura 58. Representação vetorial e cartesiana da tensão na resistência e no


condensador. Figura 61. Cálculo do ângulo de desfasamento entre a tensão e a corrente.

R 330
O diagrama vetorial assume a seguinte configuração onde pelo cosφ = = = 0,855 φ = -31,2º
Z 385,9
Teorema de Pitágoras obtemos a equação para a tensão total.

17
Este é também denominado de triângulo das tensões.

I UR UR = 52,8 V

robótica
Nota matemática:
φ
As razões trigonométricas serão apresentadas considerando o triân-

UT UC = 32 V gulo retângulo Δ [ ABC ], retângulo em B, onde está representado o


UC UT
cateto adjacente, o cateto oposto e a hipotenusa.

A
Figura 59. Triângulo das tensões. Hipotenusa
Cateto oposto

U 2T = U 2R + UC2 UT = U 2R + UC2 = 52,82 + 322 = 61,7 V α


B C
Cateto adjacente

Nota matemática:
cateto adjacente
O teorema de Pitágoras relaciona os três lados do triângulo retângulo cos α =
hipotenusa
e enuncia que em qualquer triângulo retângulo, o quadrado do
comprimento da hipotenusa é igual à soma dos quadrados dos
comprimentos dos catetos:
cateto oposto
sen α =
hipotenusa
C2 = A2 + B2

cateto oposto
C - Hipotenusa tg α =
A - Cateto oposto cateto adjacente

α
B - Cateto adjacente

REFERÊNCIAS
A impedância do circuito poderá ser calculada através da Lei de [1] A. Silva Pereira, Mário Águas, Rogério Baldaia, Curso Tecnológico de Eletrotec-
Ohm generalizada ou do triângulo das impedâncias, que se ob- nia/Eletrónica - Eletricidade, Porto Editora, ISBN 972-0-43540-2.
Impressora 3D FDM tipo Delta
Desafios e oportunidades.

O processo FDM (Fused Deposition Modeling), conhecido por pro-


cesso de extrusão de material fundido, é um dos processos mais
investigados, uma vez que é mais acessível (no caso das impres-
soras de baixo custo, preço inferior a 5000€), utiliza equipamentos
de código aberto, materiais termoplásticos, e permite imprimir
peças funcionais de baixo custo, com propriedades que, em mui-
Raquel Costa1, André Brandão1, Santiago Castellanos2, Jorge Lino Alves2

tas situações, se podem aproximar das peças injetadas.


Os materiais mais utilizados são o PLA, ABS, PETG e Nylon
[2], que podem ser reforçados com fibras de vidro, carbono ou
INEGI, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Porto

kevlar. Várias empresas têm também desenvolvido materiais


FEUP, Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica, Porto

com cargas diversas, como a madeira, cortiça, metais, entre


outros. Deve-se também referir que existem equipamentos no
mercado que utilizam outro tipo de materiais, como os políme-
ros mais técnicos (PEEK, PEI), cerâmicos, vidros, metais [1], betão
[2], alimentos [3], fibras [4], entre outros [5].
O processo de fabrico de um componente por FDM (Figu-
ra 2) inicia-se a partir de um modelo tridimensional concebido
portugal 3d

As potencialidades das tecnologias de Fabrico mediante um software CAD 3D com a forma final da peça. Este
Aditivo (FA) para o fabrico de componentes modelo é posteriormente guardado num formato que apenas
customizados e com geometrias complexas, descreve a geometria da superfície do modelo sem qualquer
levou a que estas estejam em contínua evolução representação de cor, textura ou outros atributos do modelo
1

e investigação em termos de materiais e CAD (Ficheiro STL).


18

equipamentos, tendo as publicações nesta área Subsequentemente, por intermédio de um software espe-
crescido de uma forma exponencial. A Figura 1 cializado (Slic3r, Repetier Host, Cura, Simplify3D) é criado um
robótica

mostra o crescimento das vendas de equipamentos ficheiro (código G) que define a trajetória do bico extrusor
no período 2007-2018, sendo possível verificar que aquecido (acima da temperatura de transição vítrea do ma-
estamos perante uma área de fabrico de protótipos terial) que deposita o material em várias camadas, sendo que
e peças funcionais que não se pode mais ignorar no a espessura das mesmas irá ditar a resolução e qualidade do
projeto e desenvolvimento de novos produtos. produto final [6].
A rápida difusão do processo FDM encontra-se fortemente
ligada à contribução do movimento Open Source sobre Impres-
De facto, o FA tem-se destacado na criação de modelos únicos, são 3D de baixo custo, o qual consiste na partilha de códigos
otimizados topologicamente, com propriedades mecânicas que permitem que qualquer pessoa tenha acesso a uma imensa
idealizadas para a função a desempenhar pelo componente. Na variedade de modelos STL que podem ser modificados, melho-
perspetiva do programa Horizonte 2020, o governo português rados ou adaptados às suas impressoras.
tem investido no desenvolvimento desta área, para motivar a É de salientar que este processo é alvo de várias calibrações
implementação deste tipo de tecnologia a nível industrial [1]. que dependem de variados fatores como, por exemplo, o mo-
delo da máquina, o material depositado, os parâmetros de im-
pressões, entre outros [7].

Figura 1. Número de equipamentos de FA vendidos no período de 2007-2018 [1]. Figura 2. Processo de formação de uma peça impressa por FDM.
IMPRESSORA FDM TIPO DELTA na que permitisse imprimir peças com uma altura máxima de
As impressoras utilizadas nos processos de fabrico FDM podem 600 mm e multicolores.
ser concebidas segundo configurações cinemáticas delta ou A impressora 3D FDM do tipo Delta desenvolvida foi apre-
cartesianas. sentada num artigo publicado na revista TecnoMetal [10], tendo
Uma impressora cartesiana carateriza-se por apresentar um obtido o Prémio TecnoMetal 2019, no tema “Inovação & Design”,
volume de construção retangular e realiza os movimentos de atribuído pela AIMMAP. Posteriormente foram realizadas diver-
impressão em X, Y e Z, de acordo com os eixos referenciais XX, sas alterações ao equipamento com o objetivo de melhorar a
YY e ZZ. Uma impressora do tipo Delta difere, fundamentalmen- impressão a cores, por isso alterou-se parte do sistema estru-
te, de uma impressora cartesiana no que se refere ao movimen- tural com vista a obter-se uma estrutura mais rígida e uma
to de impressão, os quais são transmitidos por movimentos melhor organização dos componentes do equipamento [11].
de translação linear. Esta vertente da configuração Delta tem Realizaram-se, também, ensaios mecânicos de flexão com pro-
a vantagem de permitir o aumento da altura de trabalho que vetes de várias cores em simultâneo, demonstrando não existi-
consequentemente permite incrementar o volume de constru- rem efeitos significativos entre os fatores avaliados na qualidade
ção, tornando-o cilíndrico. Tendo em conta este facto, decidiu- de peças de cor azul, magenta e amarelo, em Ácido Poliláctico
-se realizar o projeto de uma impressora do tipo Delta, comprar (PLA). [12]. Na sequência deste último estudo foi apresentado
componentes e fabricar os componentes que fossem viáveis. um artigo que realça a importância da temperatura na adesão
Pretendeu-se que a impressora fosse uma fonte de aprendiza- entre camadas de diferentes cores e nos valores de resistência
gem para os estudantes do Mestrado Integrado em Engenharia mecânica [13]. Seguidamente foram realizadas alterações de
Mecânica da FEUP que realizassem as suas teses no Laboratório forma a tornar a impressora mais estável em termos de precisão
de Desenvolvimento de Produto e Serviços (LDPS), permitindo- dos movimentos, alterando as rótulas magnéticas com elevado
-lhes aprender e dominar a tecnologia de FA, e partilhar infor- desgaste por rótulas esféricas Igubal®.
mação tendo em conta os princípios do conceito Open Source. A impressora utilizada apresenta as caraterísticas referidas
A posição inicial do bico extrusor numa impressora Delta na Tabela 1.
situa-se no centro da área de construção e no plano da base de

portugal 3d
impressão que é a origem dos eixos cartesianos [8]. O movimen- Tabela 1. Caraterísticas iniciais da impressora Delta.
to desta impressora funciona conforme a combinação do movi-
mento dos três eixos onde o extrusor é suportado. Para efetuar Componente Definição

um movimento em X é necessário realizar o movimento dos 3 Controlador Arduino Mega 2560

eixos em simultâneo [8]. O movimento realiza-se com base em Placa de expansão RAMPS 1.4

19
algoritmos que calculam a trajetória de cada eixo, assim os carris Stepper drivers DVR882 e A4988

movimentam-se de acordo com uma cinemática paralela, nos Motores NEMA 17

robótica
quais vários carris independentes atuam de forma paralela e Base de impressão PCB Heatbed MK3ALU ф 220 mm

simultânea sobre o efetor. Na Figura 3 está representado esque- Sensores de temperatura Termístores do tipo NTC 100 kΩ

maticamente os principais componentes de uma impressora Bico de extrusão Diamond Hotend

3D tipo Delta. Altura de impressão 600 mm


Ligação dos braços Rótulas esféricas Igubal®
Firmware Marlin 1.1.0-RC7
Software utilizado Repetier-Host v1.6.2 e Pronterface

Esta máquina encontra-se organizada segundo uma arquitetu-


ra definida aquando da sua criação (Figura 4). A análise deste
esquema permitiu a avaliação dos diferentes sistemas com a
finalidade de se obter a informação do equipamento de uma
forma organizada.

Figura 3. Principais componentes da impressora Delta multicolor do LDPS da FEUP.

DESENVOLVIMENTO DA IMPRESSORA
Abreu [9] iniciou o projeto da impressora, que foi construída
obedecendo a vários procedimentos de forma a obter o equi-
pamento esquematizado na Figura 3. Pretendeu-se que este
ficasse localizado no recente Laboratório de Desenvolvimento
de Produto e Serviços (LDPS) da FEUP e que fosse uma máqui- Figura 4. Esquema dos sistemas da impressora.
Bico extrusor Software e Firmware
No processo de Impressão 3D, um dos componentes mais Existe no mercado uma grande variedade de softwares de Im-
importante é o bico de extrusão. Comercialmente existe uma pressão 3D, gratuitos ou pagos, que permitem configurar o
gama alargada de bicos de extrusão, os quais apresentam modelo, realizar o fatiamento, simular o processo de impressão,
diferentes caraterísticas e são especificamente desenhados customizar o uso de suportes, entre outros. Alguns têm o seu
para extrudir material de forma individual. Contudo existem próprio algoritmo de construção de camadas como é o caso do
bicos que permitem a impressão simultânea ou individual de Simplify3D, Slic3r e Cura, no entanto, programas como o Repetier-
vários filamentos, como é o caso do extrusor Diamond hotend -Host utilizam o Slic3r para o algoritmo de geração de camadas.
(Figura 5). Este bico carateriza-se por ter no seu interior uma Antes de utilizar cada um destes programas é necessário
pequena câmara onde 3 materiais podem misturar-se através configurar no software a impressora a trabalhar, de acordo com
da combinação de diferentes percentagens dos filamentos, algumas das caraterísticas específicas da impressora e da geo-
possibilitando a criação de peças de diferentes cores [14]. Na metria da base de impressão.
Figura 6 é possível observar uma peça de duas cores impressa
com este bico extrusor.
TRABALHO EXPERIMENTAL
Após adquirir conhecimentos básicos na área de Impressão 3D
recorreu-se ao processo de engenharia inversa, ou seja, a partir
da observação do objeto final produzido por FDM, ou da visua-
lização do funcionamento da impressora, conseguiu-se identi-
ficar a causa de alguns defeitos encontrados como por exem-
plo as peças da Figura 7. Assim, da análise geral da impressora
houve a necessidade de ultrapassar certas limitações dadas pela
Figura 5. Extrusor Diamond Hotend. impressora:
• Mau acabamento superficial das peças (Figura 7a);
portugal 3d

• Verificou-se a existência de escorregamento na extrusão do


filamento de PLA (Figura 7b);
• A movimentação do bico extrusor apresenta um erro apro-
ximado de ± 0,5 mm , como é possível observar na torre de
purga de uma peça realizada (Figura 7c);
20

• A placa de controlo e a fonte de alimentação situavam-se


debaixo da base de impressão (o que provocava o aqueci-
robótica

mento destes sistemas e um dificil acesso);


• Versões do software e do firmware desatualizadas que im-
possibilitavam a execução de mistura de cores;
• Base de impressão ligeiramente deformada.

Figura 6. Peça de duas cores impressa com o Diamond Hotend.

Material utilizado
O material mais utilizado neste tipo de tecnologias é o PLA. Este
termoplástico destaca-se por apresentar caraterísticas biode- Figura 7. Algumas peças realizadas com a apresentação de erros de a) mau
gradáveis, ser bastante rígido e dificil de deformar. Na perspetiva acabamento superficial, b) escorregamento do sistema de extrusão, c) desali-
do processo FDM, este material apresenta propriedades essen- nhamento na construção de peças.
ciais como a alta fluidez durante a extrusão e baixa contração
após o processo de deposição do material. A temperatura ideal Assim foi necessário otimizar o sistema de extrusão, utilizando
de extrusão do PLA está compreendida entre 180ºC e 230ºC, um sistema que aumenta o binário do motor à custa da dimi-
dependendo das especificações técnicas do fornecedor. No nuição da velocidade angular através de uma redução de trans-
decorrer de todo o trabalho foi utilizado o PLA (amarelo, ciano e missão de 5,2:1, de acordo com a equação.
magenta) da marca BQ de diâmetro de 1,75 mm.
Uma vez que o PLA e o PETG apresentam propriedades se-
ω1 R1
melhantes de fluidez, Santana et al. [15] realizaram um estudo P= Γ2 (1)
R2
comparativo entre ambos, no qual verificaram uma grande ri-
gidez do PLA, contudo o PETG consegue ter uma maior resis-
tência à degradação térmica e apresenta um comportamento em que P é a potência do motor utilizado, ω1 e ω2 é a velocidade
mais flexível, o que mostra que este pode ser um material bas- angular, R1 e R2 o raio primitivo das rodas dentadas e Γ1 e Γ2 o
tante interessante para explorar para peças em que se exija uma binário (para cada uma das rodas dentadas, 1 e 2, respetivamen-
maior flexibilidade. te). Então, para adquirir um Γ2 > Γ1 tem que se obter R1 <1, para
R2
a mesma potência e de modo a utilizar o mesmo motor, como Tabela 2. Comparação de propriedades entre vários tipos de placas de controlo.
é possível verificar pelo esquema da Figura 9.
Preço Tipo de Stepper N.º Micro-
Placa Bits
aprox. processador drivers drivers stepping
DUET 2 ARM-Cortex Na placa
$168 5 32 1/256
Ethernet M4 SAM4E8E TMC2660
Replicape with
ARM Cortex-A8 OnBoard
BeagleBone $149 5 32 1/256
AM335x TMC2100
Black
Arduino DUE ARM-Cortex
$72 Externo 6 32 -
with RADDS 1.5 M3 SAM3X8E
Smoothieboard ARM-Cortex Na placa
$135 4 32 1/32
4x M3 LPC1769 A5984
ARM-Cortex Na placa
Archim 1.0 $170 5 32 1/32
M3 SAM3X8E DRV8825
ARM-Cortex Na placa
MKS SBASE 1.3 $61 5 32 1/32
M3 LPC1768 DRV8825
Panucatt Atmel Atmega
$135 Externo 8 32 -
Azteeg X3 PRO 2560
Arduino Mega Atmel Atmega
$80 Externo 5 8 -
2560 + RAMPS 2560
Atmel Atmega Na placa
RAMBo 1.4 $170 5 32 1/16
2560 A4882
ARM Cortex M4
Figura 8. Esquema da redução de transmissão. Lerdge-X $263 Externo 6 32 -
STM32F4

Assim, foram impressos três sistemas de redução de transmissão Escolheu-se a placa DUET 2 Ethernet, em conjunto com a placa
para melhorar os problemas de escorregamento existentes no de expansão DUEX5, que possui a sua própria interface onde é
sistema de extrusão realizado pelo motor (Figura 9). possivel atualizar e configurar remotamente via Internet a im-
pressora. O controlador DUET 2 Ethernet, representado na Figura
10, sustenta 2 extrusores na placa principal, sendo que através
de uma placa de extensão desta marca é possivel ter até 7 ex-

portugal 3d
trusores e ainda outro tipo de entradas para endstops, LEDs,
ventoinhas e para mais blocos de aquecimento. O firmware tem
a vantagem de possiblitar a fácil configuração de mistura de
cores. Esta placa de 32 bits é muito utilizada no universo das im-
pressoras 3D do tipo Delta. O código encontra-se no website da

21
www.GitHub.com, possiblitando assim a alteração do mesmo,
caso seja necessário [16].

robótica
Figura 9. Sistema de extrusão com a introdução de um mecanismo de redu-
ção de transmissão.

Controlo
A placa de controlo é responsável pela leitura do código G e Figura 10. Placa Duet 2 Ethernet, Duex5 e PanelDue [16].
pela conversão em sinais capazes de controlar os motores de
passo, as ventoinhas de arrefecimento, e os blocos de aqueci- Realizaram-se alterações a nível eletrónico, como a alteração dos
mento, entre outros. É neste componente que se efetua o carre- cabos elétricos que estavam um pouco danificados e ainda a lo-
gamento do firmware que contém a informação necessária para calização da placa de controlo e da fonte de alimentação. Estas
a impressora funcionar corretamente. encontravam-se por baixo da base aquecida (Figura 11), sujeitas
Assim, realizou-se também a atualização do controlador a elevadas temperaturas de trabalho. Por isso criou-se uma caixa
para se efetuar uma movimentação mais precisa e suave, de à parte da estrutura (Figura 12), para ser mais fácil o acesso e tam-
modo a diminuir os desalinhamentos observados. Por isso pre- bém para diminuir a temperatura a que estavam sujeitas.
tendeu-se selecionar uma placa de controlo com capacidade
de processamento acima de 8 bits, com pelo menos 6 stepper
drivers, de preferência incorporados na própria placa, com uma
resolução acima de 1/8 microstepping. Esta placa teria também
de ter controlo de, pelo menos, 5 motores de extrusão e 3 mo-
tores de movimentação, com saídas para executar o aqueci-
mento para a base de impressão, para o extrusor e para o futuro
controlo da câmara aquecida.
Atualmente já é possível encontrar uma grande variedade
de controladores adaptados para a Impressão 3D, e ainda mais
especializados para cada tipo de layout das impressoras. Assim,
analisaram-se várias placas de controlo e as suas propriedades
mencionadas na Tabela 2. Figura 11. Placa eletrónica antes das alterações [11].
Uma vez executadas todas as alterações necessárias para o
melhor funcionamento da impressora (Figura 15), realizaram-
-se várias impressões e vários testes para o controlo de parâ-
metros. Assim, através das peças impressas realizou-se uma
comparação com as peças efetuadas anteriormente, através do
controlador Arduíno, e concluiu-se que se obteve uma melhor
impressão com as modificações introduzidas na nova versão da
impressora.

Figura 12. Caixa com os componentes eletrónicos.

Para comprovar a calibração da estrutura, a implementação do


novo sistema de controlo e do sistema de extrusão, realizou-
-se um vaso cilíndrico, de diâmetro de 180 mm e de altura de
550 mm (Figura 13). Decidiu-se também realizar várias peças
com a existência de mais pormenores e multicolores, para com-
provar a melhor impressão (Figura 6 e Figura 14).
portugal 3d
22

Figura 15. Versão atual da impressora Delta.


robótica

CONCLUSÕES
Este trabalho teve como objetivo melhorar o desempenho de
uma impressora FDM tipo Delta, construída de raiz no Labora-
tório de Desenvolvimento de Produto e Serviços da FEUP por
estudantes do Mestrado Integrado de Engenharia Mecânica, e
que foi sujeita a vários estudos realizados no âmbito de várias
teses de mestrado, assumindo-se como uma ferramenta experi-
mental de ensino e formação nas tecnologias de fabrico aditivo.
Foram estudados todos os sistemas da impressora de modo
Figura 13. Vaso realizado com as dimensões de Ø 180 × 550 mm. a detetar possíveis fontes de erros que impossibilitavam o tér-
mino da criação de peças de grandes dimensões. Desta forma,
alterou-se o mecanismo de extrusão colocando um sistema ca-
paz de aumentar o binário que é essencial para melhorar a ex-
trusão realizada pelo motor. Substituiu-se o sistema de controlo
por uma placa de maior capacidade de processamento e com
stepper drivers integrados. Alterou-se a localização do sistema de
controlo e a fonte de alimentação para que este não estivesse
sujeito a temperaturas elevadas, que provocavam desalinha-
mentos ou outro tipo de problemas de controlo induzidos pelo
sobreaquecimento da placa e, ainda, para melhorar o acesso
a todo o sistema de controlo eletrónico. Com estas alterações
verificou-se uma movimentação mais precisa, tornando assim
a calibração do sistema mais consistente e fácil. As peças reali-
zadas ao longo do trabalho apresentaram uma melhor qualida-
de superficial, com especial relevância na impressão de peças
Figura 14. Vaso de duas cores. complexas.
Com a implementação do novo firmware simplificou-se a con- 4. Isaac Ferreira, Margarida Machado, and J.L. Alves, A review on fibre reinforced composite
figuração necessária para a realização de mistura de cor. Assim, foi printing via FFF. Rapid Prototyping Journal. 2019, accepted for publication.
possível realizar um teste de mistura de cor, sendo que irá ser ainda 5. Rui Jorge Neto, et al., Desenvolvimento de uma Impressora 3D Híbrida para Gesso, Areia e
necessário um estudo intensivo relativo a este processo no Diamond Resinas Termoendurecíveis. Tecnometal 230: pp. 8-16.
Hotend. 6. Relvas, C., O Mundo da Impressão 3D e o Fabrico Digital. Engebook ed. 2018. 294.
Por fim, esta impressora é um equipamento que tem, como seu 7. Leonardo Santana, Jorge L. Alves, and A.C.S. Netto, A Study of Parametric Calibration for
principal objetivo, ser uma fonte de aprendizagem e formação para es- Low Cost 3D Printing: Seeking Improvement in Dimensional Quality. Materials & Design.
tudantes, na área da Impressão 3D. Assim sendo, todas as alterações rea- 135: pp. 159-172.
lizadas deixam em aberto futuros estudos e implementações práticas 8. Bell, C., 3D Printing with Delta Printers. 2015: Apress. 368.
com vista ao contributo para o conhecimento científico na área. 9. Abreu, T., Desenvolvimento de uma impressora FDM tipo Delta, in dissertação de mestrado
FEUP/DEMec. 2017, FEUP. p. 95.
10. João Abreu, Santiago Castellanos, and J.L. Alves, Desenvolvimento de uma impressora 3D
AGRADECIMENTOS do Tipo Delta. Tecnometal, 2017. vol. 229: pp. 8-19.
Agradecimento ao financiamento do Projeto NORTE-01-0145-FE- 11. Regadas, J., Otimização de uma impressora 3D Delta e desenvolvimento da impressão si-
DER-000022 - SciTech - Science and Technology for Competitive and multânea de 3 cores, in dissertação de mestrado FEUP/DEMec. 2017. p. 68.
Sustainable Industries, cofinanciado pelo Programa Operacional Regio- 12. Brandão, A., Impressora FDM tipo Delta: estudo de impressão de cor e comparação de pro-
nal do Norte (NORTE2020), através do Fundo Europeu de Desenvolvi- priedades, in dissertação de mestrado FEUP/DEMec. 2018.
mento Regional (FEDER). 13. A. Brandão, Jorge Lino Alves, and S.C. Villa. Colour combination effect on the flexural
strength of PLA components produced with a single nozzle multi-material 3D printer. in PMI
2018 – 8th Bi-Annual International Conference on Polymers and Moulds Innovations. 2018.
REFERÊNCIAS University of Minho, Guimarães, Portugal.
1. Wohlers, T.T.C., Ian Diegel, Olaf Huff, Ray Kowen, Joseph, Wohlers report 2019: 3D prin- 14. RepRap.org. Diamond Hotend; Available from https://reprap.org/wiki/Diamond_Ho-
ting and additive manufacturing state of the industry. 2019, Wohlers Associates: Fort tend, acesso junho 2019.
Collins, Col. 15. Santana, L., et al., Caracterização Térmica, Química e Mecânica de Filamentos Poliméricos
2. João Teixeira, et al., Impressão 3D com Extrusão de Material Cimentício. Construção 2018 para Impressão 3D por Extrusão: Uma Comparação entre PETG e PLA, Revista Matéria, v. 23
– reabilitar e construir de forma sustentável, FEUP, 21-23 novembro de 2018. n.4, ISSN 1517-7076 artigo e-12267, 2018.
3. Isaac Alves Ferreira and J.L. Alves, Impressão 3D de Baixo Custo Aplicada à Pasta de Açúcar, 16. Duet3D. Duet 2 Ethernet.; Available from www.duet3d.com/DuetEthernet, acesso
in Revista Robótica. 2016. 102, pp. 30-32. julho 2019.

PUB
igus triplica a capacidade dentadas resistentes ao desgaste, pode em condições ambientais adversas como
do serviço de Impressão 3D ser utilizado o material de sinterização a lixar e rebarbar.
igus®, Lda. laser iglidur I6, resistente ao desgaste e O novo robot de soldadura ARC Mate
Tel.: +351 226 109 000 · Fax: +351 228 328 321 especialmente desenvolvido para rodas 120iD, tal como o modelo mais peque-
info@igus.pt · www.igus.pt dentadas, no serviço de Impressão 3D. no da gama, o ARC Mate 100iD, tem um
/company/igus-portugal Se desejar imprimir uma série até 4000 design melhorado com uma passagem
/IgusPortugal peças, é também possível produzir mol- otimizada para cabos e linhas de comu-
des para injeção por Impressão 3D, que nicação. “Graças à sua dinâmica acima da
serão depois utilizadas na máquina de média e à fácil integração de equipamento
injeção. A vantagem consiste no facto de de soldadura, o novo ARC Mate 120iD ga-
o utilizador poder selecionar livremente rante aumentos impressionantes da pro-
o material adequado entre mais de 50 dutividade, bem como um reduzido esforço
materiais iglidur. de montagem e custos operacionais mais
baixos”, refere Claude Seiler, Diretor Euro-
peu de Suporte Técnico de Robótica da
Se um utilizador quiser produzir um pe- FANUC apresenta novos modelos FANUC.
queno lote ou uma peça especial resis- das séries M-20iD e ARC Mate 120iD No ARC Mate 120iD os eixos dos
tente ao desgaste, a igus tem a solução FANUC Iberia S.L.U. – Sucursal em Portugal pulsos também passaram a ter proteção
com o seu serviço de Impressão 3D. Basta Tel.: +351 220 998 822 IP67. Este robot está protegido contra sal-
ir a www.igus.pt/3D-printservice, carre- info@fanuc.pt · www.fanuc.pt picos ou poeiras e é a solução indicada
gar os desenhos CAD, selecionar o ma- para aplicações de soldadura ou de corte.
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

terial e fazer a encomenda. Desta forma, O M-20iD/25 e o ARC Mate 120iD


o utilizador – desde amadores a grandes incluem o novo controlador R-30iB Plus
clientes industriais – pode obter rapida- como controlador standard, com todas
mente uma solução especial resistente as novas funcionalidades: mais capaci-
ao desgaste da igus. A maioria dos com- dade de memória, CPU mais rápida e o
ponentes é fabricada através do processo A FANUC aumentou a sua extensa gama novo iPendant.
de sinterização a laser. Neste processo, o de modelos com 2 novos robots: o robot
material iglidur I3, resistente ao desgaste de processamento industrial M-20iD/25
24

e especialmente desenvolvido pela igus e a versão de soldadura ARC Mate 120iD. Soluções robóticas para ensino
para a sinterização a laser, é aplicado em Ambos são caraterizados por uma maior e I&D
robótica

toda a plataforma de trabalho e sinteriza- velocidade de eixos e por uma maior área Europneumaq, Lda.
do com um laser. Após a sinterização de de trabalho em comparação com os seus Tel.: +351 227 536 820
cada camada, a plataforma de impressão antecessores. Estes dois novos robots são info@europneumaq.pt · www.europneumaq.com
é baixada e é aplicada uma nova camada. controlados pelo controlador R-30iB Plus.
As vantagens do processo de sinteri- Os dois novos modelos têm uma
zação a laser são óbvias. As impressoras capacidade de carga máxima de 25 kg e
de sinterização a laser conseguem pro- um alcance de 1,831 mm. O robot che-
duzir geometrias simples ou complexas, ga agora mais perto da própria base,
tal como soluções flexíveis. “Por exemplo, aumentando assim o alcance das opera-
num espaço de instalação de 220 x 170 x ções ativas para 1,535 mm. Com o objetivo de tornar a robótica
300 mm podem ser produzidos 5000 cas- Os robots M-20iD/25 e ARC Mate acessível para as gerações mais jovens,
quilhos deslizantes com um diâmetro in- 120iD incluem uma nova unidade de a Europneumaq está a desenvolver um
terior de 10 mm, através de um sistema de tração que contribui para um aumento projeto em parceria com os fabricantes
sinterização a laser, em 30 horas. A sinteri- significativo da velocidade dos eixos. A de robots Kawasaki Robotics, Rethink
zação a laser permite-nos fornecer os com- repetibilidade foi aperfeiçoada para até Robotics e Franka Emika, que coloca à
ponentes rapidamente, com uma maior ± 0,02 mm. Graças às alterações e à oti- disposição de instituições de ensino e
resistência e mais económicos do que atra- mização do design, os novos robots têm centros tecnológicos e de investigação,
vés do processo FDM”, salienta Tom Krause, um desempenho de movimento signi- soluções robóticas chave na mão focadas
Chefe de Fabrico Aditivo na igus. São eli- ficativamente maior. O aumento do de- na comunidade académica.
minados custos elevados como aqueles sempenho e a fiabilidade muito elevada Focados no envolvimento com a
associados à produção de moldes, sen- levam à eficácia e à rentabilidade. comunidade científica, no seu desenvol-
do possível realizar eventuais alterações Devido às suas caraterísticas, o vimento e fortalecimento dos campos
de design facilmente num computador, M-20iD/25 é a solução adequada para as académicos e industriais do nosso país,
enquanto, na moldagem por injeção tarefas de processamento industrial, car- colocam à disposição um amplo espec-
convencional, teriam de ser alterados ga e descarga de máquinas e/ou para o tro de possibilidades que passam pela
os moldes. Além disso, não existe dife- manuseamento de peças. Devido à pro- venda de robots, mãos-presas e acessó-
rença de preço entre formas complexas teção padrão IP67 nos eixos do braço e rios, realização de workshops, demonstra-
ou simples. Se o cliente desejar rodas do punho, é uma solução para aplicações ções e treinos a um custo inferior.
PUB
Flexibilidade entre utilizadores, ótimo desempenho em
salas de aula e laboratórios, segurança, usabilidade e pra-
ticidade são o mote desta campanha que visa introduzir a
próxima geração de estudantes, educadores, engenheiros,
operadores e gestores nas tecnologias 4.0 e treiná-los para
os desafios da robotização. Para dar corpo a este projeto, a
divisão de robótica da Europneumaq foi recentemente en-
riquecida com um consultor especializado em robótica, res-
ponsável pelos workshops, treinos e apresentações junto da
comunidade académica. Mais informações ou solicitação
de uma demonstração em www.europneumaq.com.

Fábrica inteligente no México com soluções


EcoStruxure
Schneider Electric Portugal
Tel.: +351 217 507 100 · Fax: +351 217 507 101
pt-atendimento-cliente@schneider-electric.com · www.se.com/pt

A Schneider Electric abriu a sua primeira fábrica inteligente


no México, um showcase para que clientes e parceiros pos-
sam ver como a transformação digital os ajuda a tomar as
melhores decisões: com base em dados melhora a rentabi-
lidade, a gestão de ativos e a eficiência operacional. E estas
soluções aumentam a produtividade, mantendo a seguran-
ça, a agilidade e a sustentabilidade em todas as operações.
Com a EcoStruxure, a fábrica inteligente de Monterrey terá
vantagens na sua produção como a redução de 20% dos
custos de manutenção; a melhoria em 7% da eficiência ge-
ral do equipamento e em 10% da eficiência do processo,
com um ROI de menos de um ano. Também se prevê uma
redução do tempo de manutenção; 10% de poupança adi-
cional em eficiência energética; a redução de 377 toneladas
de CO2 e a poupança de 10% na manutenção da gestão
das instalações, sobretudo nos custos de mão-de-obra e
reposição e uma melhoria da manutenção preditiva, face à
corretiva.
Para as máquinas mais cruciais, como o sistema de
pintura, a soldadura robotizada ou a linha de quadros, o
EcoStruxure oferece alarmes e dados para prevenir avarias
inesperadas. Esta implementação permite uma maior trans-
parência e visibilidade das operações de toda a fábrica e
melhorias significativas na segurança durante a manuten-
ção, graças ao Augmented Operator Advisor. A fábrica inte-
ligente de Monterrey conta com 5 soluções EcoStruxure™,
a plataforma e arquitetura IoT aberta e interoperável da
Schneider Electric: EcoStruxure Building, EcoStruxure Power,
EcoStruxure Data Center, EcoStruxure Plant e EcoStruxure
Machine.
A Schneider Electric integrou as suas soluções Eco­
Struxure nas operações de produção, para mostrar o valor
que trazem a uma fábrica inteligente e de que precisamos para produzir ainda prateleiras, gavetas, entre outros) torna-
como facilitam o caminho em direção à mais inovações”, disse Matthias Altendorf, -se bastante fácil e flexível.
digitalização. As fábricas inteligentes são CEO do Grupo Endress+Hauser. A facilidade de instalação dos kits de
uma componente fundamental da trans- A instalação de 13 500 metros qua- perfil MiniTec faz com que esta seja uma
formação digital da própria cadeia de drados inclui cerca de 3700 metros qua- solução adequada, mesmo para quem
distribuição da empresa – Personalizada, drados de área de produção, 1500 dos não tem conhecimentos técnicos de
Sustentável e Conetada 4.0 –, aproveitan- quais são reservados para salas limpas. montagem de equipamentos. Em pouco
do a digitalização para proporcionar uma As instalações do escritório e a cafetei- tempo poderá montar a sua solução, que
integração end-to-end e oferecer mais ra também foram ampliados. A expan- pode ser alterada facilmente, em função
visibilidade em todas as operações da são foi necessária devido às crescentes da carga do veículo, simplesmente sol-
cadeia de distribuição, o que resulta num procuras de produção e aos crescentes tando o conetor de perfil e movendo os
melhor rendimento a nível geral. requisitos de espaço. Desde a mudança perfis. O perfil da série 30 tem um efeito
A equipa da Schneider Electric em para Ebnat-Kappel em 2012, a Innovati- positivo no equilíbrio do peso do veículo
Monterrey testou com sucesso várias ve Sensor Tecnology IST AG duplicou o e amplia o leque de soluções disponíveis
soluções digitais, melhorou as qualifi- número de funcionários no local para nesta área. O software gratuito de dese-
cações profissionais da sua equipa para quase 200. Os funcionários mudaram-se nho iCAD Assembler (da MiniTec) facilita
IIoT e implementou-as em toda a rede de para as novas instalações depois que o o planeamento.
produção global da empresa. Isto inclui projeto de construção de 18 meses foi
1100 colaboradores, em duas linhas de concluído no início de 2019. Com sede
produção, que fabricam produtos como em Ebnat-Kappel, no leste da Suíça, a In- Hellomoov: um único parceiro,
centros de controlo de motores, variado- novative Sensor Tecnology IST AG é um três experts
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

res, quadros de iluminação e interrupto- dos principais fabricantes de sensores Europneumaq, Lda.
res de segurança. físicos, químicos e biológicos, especia- Tel.: +351 227 536 820
lizada no desenvolvimento e fabrico de info@europneumaq.pt · www.europneumaq.com
sensores de temperatura RTD de plati-
Endress+Hauser investe na e níquel de película fina e espessa,
em tecnologia de sensores sensores de fluxo de massa térmica,
Endress+Hauser Portugal, S.A. sensores de humidade capacitivos,
Tel.: +351 214 253 070 · Fax: +351 214 253 079 sensores de condutividade e biossen-
26

info.pt.sc@endress.com · www.pt.endress.com sores. A empresa, com 400 funcionários


em todo o mundo, faz parte do Grupo
robótica

Endress+Hauser desde 2005. As empresas elcom, Faber e Transept,


especialistas em soluções de movimen-
tação de cargas e intralogística, uniram o
Flexibilidade dos perfis MiniTec seu know-how para criarem a Hellomoov.
ao serviço da transformação Representada em Portugal pela Europ-
de veículos neumaq, a Hellomoov oferece através de
FLUIDOTRONICA – Equipamentos um único parceiro um leque variado de
A Innovative Sensor Tecnology IST AG, Industriais, Lda. soluções, produtos e serviços relaciona-
parte do Grupo Endress+Hauser, conti- Tel.: +351 256 681 955 ∙ Fax: +351 256 681 957 dos com o transporte de cargas.
nua a crescer. A 24 de maio de 2019, a fluidotronica@fluidotronica.com Conveyors, Transfers, Sistemas de
empresa especializada em sensores inau- www.fluidotronica.com Elevação e Sistemas de Acionamento e
gurou oficialmente uma expansão da sua Posicionamento para os mais variados
fábrica em Ebnat-Kappel no leste da Suí- setores da indústria, com enfoque na
ça, com um custo de quase 15 milhões indústria alimentar, farmacêutica e salas
de euros e que oferece o dobro do espa- limpas. Graças a esta parceria, a gama
ço. Mirko Lehmann, CEO da Innovative apresentada pela PME que antes se
Sensor Tecnology IST AG, Matthias Alten- cingia à elcom, está agora muito mais
dorf, CEO do Grupo Endress+Hauser, e completa. Além do conhecimento acu-
Klaus Endress, Presidente do Conselho de mulado ao longo de anos de experiência
Supervisão do Grupo da Endress+Hauser das três empresas, a grande vantagem
congratularam-se com inúmeros clien- competitiva deste novo grupo prende-se
tes, parceiros, representantes de política Com o sistema de perfis MiniTec, a com o facto de um único parceiro ser ca-
e funcionários na cerimónia de inaugura- transformação de veículos com requi- paz de solucionar praticamente todos os
ção. “A crescente procura por sensores ino- sitos especiais (veículos de comando, desafios colocados pela indústria atual.
vadores e o consequente forte crescimento de emergência ou resgate, carrinhas Para assinalar este novo começo, a Hello-
Innovative Sensor Tecnology IST AG tornou de bombeiros e ambulâncias, bibliote- moov apostou numa imagem moderna
necessária a expansão das instalações. Es- cas itinerantes, entre outros) e a criação e num conjunto de ferramentas digitais
tamos confiantes de que criamos o espaço de sistemas de arrumação (estantes, que guiam o visitante numa viagem
virtual pelas suas soluções para os processos fábrica em Portugal, localizada em Santo Tirso. ABB com exploração piscícola
de logística interna. No total nas duas unidades fabris, a WEG conta submersível controlada remotamente
com cerca 650 colaboradores. no Ártico
A WEG em Portugal é o centro de excelên- ABB, S.A.
WEGeuro celebra 17.º aniversário cia dentro do grupo WEG para a inovação, pes- Tel.: +351 214 256 000 · Fax: +351 214 256 247
WEGeuro – Indústria Eléctrica, S.A. quisa, desenvolvimento e fabrico de motores comunicacao-corporativa@pt.abb.com · www.abb.pt
Tel.: +351 229 477 700 · Fax: +351 299 477 792 para áreas classificadas (Motores Ex). No que
info-pt@weg.net · www.weg.net/pt respeita ao mercado português, a WEG assu-
me-se como uma referência e isso deve-se à
sua capacidade de desenvolvimento, inves-
tigação e engenharia que são alvo de um re-
forço constante, consolidando a posição WEG
em Portugal como plataforma industrial e de
serviços para todo o mundo. Na WEG, o cliente
também é considerado como parte integrante A ABB ganhou um contrato com a Arctic
da equipa, ao trabalharem juntos e consegui- Offshore Farming para potenciar a explora-
rem desenvolver as melhores soluções, ade- ção piscícola offshore submersível de salmão
No passado dia 13 de maio a WEGeuro assina- quadas às necessidades de cada cliente. com controlo remoto, no Oceano Ártico. A
lou o seu 17.º aniversário. A data ficou marcada Ao longo do seu percurso em Portugal, a ABB fornecerá um pacote abrangente das suas
pelo reconhecimento de antiguidade dos seus WEG tem vindo a reforçar a sua aposta numa principais tecnologias elétricas, de automação,
colaboradores. política de responsabilidade social que se instrumentação e tecnologias de telecomuni-
Ao longo destes 17 anos a WEG cimentou traduz no envolvimento com a comunidade cações que garantem a máxima eficiência e o
a sua posição não só no mercado português local em que se encontra inserida. Esta polí- mínimo impacto ambiental.
como em toda a Europa, alavancada num cres- tica tem como base o respeito pela cultura e Como esta região é mais vulnerável a
cimento contínuo e sustentado. Fruto deste clientes locais, bem como o compromisso de condições meteorológicas adversas e fortes
crescimento e como forma de dar respostas à disseminação dos valores sociais da empresa, ondulações do que as explorações tradicio-
crescente procura do mercado, a WEG iniciou enquadrando-a como um agente de desen- nais, a ABB irá fornecer um pontão com siste-
atividade no final de 2017 na sua segunda volvimento da comunidade. ma de lastro com água que garantirá que os

PUB
compartimentos são mantidos estáveis foi a 18.ª edição do Prémio Executivo de nsd tupH em 24 transportadores de
no severo Mar da Noruega. A ABB tam- Valor 2019 cuja cerimónia decorreu em aço inoxidável ao invés de utilizar mo-
bém projetará sistemas de controlo e São Paulo. Este prémio é o reconheci- tores dispendiosos em aço inoxidável
monitorização completos com sensores mento de todo o trabalho desenvolvido para transportar molhos e cremes de
e tecnologia de automação que permiti- pela equipa WEG, que continua a apostar barrar da zona de produção para a zona
rão que os compartimentos sejam opera- num crescimento contínuo e sustentável de embalamento e depois para uma
dos remotamente. Toda a solução estará para cimentar a sua posição como refe- máquina de embalamento HMPS. Além
operacional até ao final do 3.º trimestre rência mundial na produção de máqui- dos benefícios económicos, as pro-
de 2020. nas elétricas. priedades técnicas foram importantes:
A exploração também será conetada os requisitos de higiene, propriedades
à ABB Ability™, a oferta digital transversal de limpeza e proteção contra corrosão
da ABB, que recolherá dados ambientais, Tratamento alternativo para foram cumpridos. Os motores laváveis
incluindo condições meteorológicas, superfícies em ambientes são instalados com flanges padrão e
correntes oceânicas, níveis de oxigénio e higiénicos apresentam caraterísticas térmicas me-
temperatura do mar. Também monitori- NORD Drivesystems PTP, Lda. lhores do que os motores com carcaças
zará o pH em diferentes profundidades e Tel.: +351 234 727 090 · Fax: +351 234 727 099 de aço inoxidável.
a quantidade de biomassa nos compar- info.pt@nord.com · www.nord.com
timentos. Os compartimentos de peixe
automatizados serão controlados, remo- F.Fonseca Day: tecnologia,
tamente, por uma balsa de alimentação a inovação, futuro
400 metros de distância, reduzindo assim F.Fonseca, S.A.
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

a necessidade de intervenção humana e Tel.: +351 234 303 900 · Fax: +351 234 303 910
o consumo de combustível e eletricidade ffonseca@ffonseca.com ∙ www.ffonseca.com
que também permitirá novas soluções O tratamento para superfícies nsd tupH /FFonseca.SA.Solucoes.de.Vanguarda
para a piscicultura offshore e onshore com da NORD Drivesystems é uma ótima pro-
foco no bem-estar dos peixes, rastreabili- teção anticorrosão para unidades de en-
dade e segurança alimentar. grenagens, motores de superfícies lisas,
variadores de frequência e soft-starters
em carcaças de alumínio fundido, otimi-
28

Presidente da WEG galardoado com zadas para lavagem. Com um processo


Prémio Executivo de Valor 2019 especial, as superfícies de alumínio ob-
robótica

WEGeuro – Indústria Eléctrica, S.A. têm propriedades de resistência à cor-


Tel.: +351 229 477 700 · Fax: +351 299 477 792 rosão idênticas às do aço inoxidável. As
info-pt@weg.net · www.weg.net/pt superfícies com este tratamento podem A F.Fonseca promove a 2.ª edição do
ser facilmente lavadas e ficam resistentes F.Fonseca Day no dia 08 de outubro. De-
a ácidos e alcalinos, e podem ser lavadas pois do sucesso da 1.ª edição em 2015, a
com máquinas de limpeza a alta pressão F.Fonseca realiza, em ano de comemora-
e entrar em contacto com muitos tipos ção do seu 40.º aniversário, a 2.ª edição
de materiais agressivos, e assim os acio- do F.Fonseca Day. Este evento decorrerá
namentos tratados com nsd tupH são no dia 8 de outubro de 2019, no Hotel
uma alternativa robusta e duradoura Montebelo Vista Alegre, em Ílhavo.
para os motorredutores pintados ou a Mostrar o que de melhor e mais ino-
versões em aço inoxidável. vador se promove e faz na F.Fonseca e na
O Presidente da WEG, Harry Schmelzer Jr., O tratamento nsd tupH está disponí- indústria portuguesa, sempre com um
recebeu pela 11.ª vez consecutiva o Pré- vel para todos os produtos em alumínio olhar no futuro, continua a ser o princi-
mio Executivo de Valor 2019 na categoria da NORD. Os componentes DIN e padrão, pal mote e objetivo do F.Fonseca Day.
de Máquinas e Equipamentos Industriais. como eixos de acionamento, são fabrica- Tecnologia, integração e criação de valor
Este galardão é atribuído pelo Jornal “Va- dos em aço inoxidável. Os motores sem sempre. Além dos profissionais de hoje,
lor Económico” e tem como principal ob- ventilação não espalham germes e estão o F.Fonseca Day abre as suas portas pela
jetivo reconhecer os executivos que mais disponíveis na forma de motores síncro- primeira vez aos profissionais de ama-
se destacaram nos principais setores do nos e motores assíncronos com as clas- nhã! Durante a manhã de dia 09, alunos
mercado. ses de eficiência IE2, IE3 e IE4. de escolas e universidades terão a opor-
Os prémios foram atribuídos segun- As vantagens dos acionamentos tunidade de conhecer in loco as tecnolo-
do o resultado de uma votação que in- tratados com nsd tupH também con- gias e conhecimento de vanguarda que
cluiu 458 nomes, de 14 empresas para venceram a Smalte Conveying Solu- a F.Fonseca promove diariamente. É tem-
a secção de executivos (headhunters), tions, uma empresa australiana que po de nos desafiarmos, contamos com a
filiadas à Association of Executive Search produz equipamento de transporte sua presença. Visite a página do evento
Consultants (AESC), que reúne mais de para unidades de embalamento. Ins- em www.ffonseca.com/ffonsecaday e
350 empresas do setor, em 70 países. Esta talaram motorredutores tratados com inscreva-se!
WRK é o novo integrador de sistemas e funcionalidade em aplicações de robótica nos requisitos do cliente, oferecendo soluções de
certificado da Universal Robots colaborativa. produção mais eficazes, versáteis e competitivas.”
em Portugal Através deste programa, a Universal Ro-
Universal Robots Spain S.L bots estabelece uma estreita relação com
Tel.: +45 89 93 89 89 os seus parceiros tecnológicos, oferecendo- FANUC apresenta novo robot
sales@universal-robots.com -lhes uma assessoria comercial profissional, colaborativo industrial, o CR-14iA/L
www.universal-robots.com um suporte técnico adaptado aos requisitos FANUC Iberia S.L.U. – Sucursal em Portugal
e necessidades das diferentes tipologias de Tel.: +351 220 998 822
empresa e uma formação certificada e de info@fanuc.pt · www.fanuc.pt
qualidade. “A robótica colaborativa dá aos in-
tegradores de sistemas industriais uma grande
oportunidade para se especializarem e desen-
volverem o seu negócio, especialmente porque
oferece uma flexibilidade e facilidade de utili-
zação que permite aos seus clientes alcançar a
automatização de quase todos os processos”,
A Universal Robots reforçou a sua rede de in- afirmou Miguel de Oliveira, Diretor de Desen-
tegradores de sistemas robóticos no mercado volvimento de Negócio da Universal Robots O CR-14iA/L foi desenvolvido para levantar
nacional ao atribuir a certificação “Preferred em Portugal. cargas mais pesadas do que o modelo CR-7iA
Systems Integrator” à WRK, empresa de Gondo- “Estamos muito entusiasmados com esta e, ao mesmo tempo, ter um maior alcance.
mar que se dedica à conceção e construção oportunidade de colaboração estreita com a Este robot colaborativo tem uma capacidade
de máquinas e equipamentos especiais para Universal Robots. Sermos Integradores Certifi- de carga máxima de 14 kg e um alcance de
assemblagem e teste de qualidade de compo- cados UR é uma clara mais-valia para o desen- 820 mm mas pode chegar a um alcance máxi-
nentes na indústria automóvel. O programa de volvimento das nossas competências e diferen- mo de 911 mm caso a carga máxima utilizada
certificação da Universal Robots fornece aos ciação no mercado”, observou Emílio Correia, seja de 12 kg.
utilizadores finais, integradores qualificados Diretor-Geral da WRK. “Com a integração dos A filosofia de desenvolvimento utilizada
para levar a cabo todos os seus projetos para robots colaborativos UR, podemos personalizar e testada nos restantes robots colaborativos
que possam obter uma maior rentabilidade ainda mais os sistemas que criamos com base FANUC foi também utilizada neste novo robot

PUB
e a mecânica comprovada da gama foi que as empresas e indústria estão a dar no estratégia integrada de sustentabilida-
combinada com um sensor muito sensí- sentido de disponibilizar e tratar informa- de, que em 2018 incluíram, entre outras
vel, e assim surge uma solução eficiente ção dentro daquilo que é o paradigma questões, o desenvolvimento contínuo
e segura. da I4.0 e do IoT”. A Preh Portugal coloca- de cadeias de fornecimento sustentáveis
A velocidade máxima de trabalho é -se, assim, na vanguarda da governação e a produção de soluções de mobilida-
de 500 mm/seg, mas o fator decisivo – por dados, uma das poucas empresas de que poupem recursos. O Relatório de
como em todos os robots colaborativos no setor automóvel a implementar este Sustentabilidade de 2018, o 3.º da Schae-
– é a força máxima de contacto, e neste paradigma. ffler, supera uma vez mais as normas de
aspeto o CR-14iA/L responde a todas as Outro dos pontos destacados pela informação estabelecidas pela lei alemã
especificações de segurança. O robot é Preh Portugal e pela Setlevel relativa- de implementação da diretiva de respon-
controlado pelo controlador R-30iB Plus mente à instalação realizada na linha sabilidade social corporativa (Corporate
na versão Mate Cabinet. da Ford foi a “rapidez e simplicidade com Social Responsibility - CSR), sublinhando o
Tal como acontece com os outros que todos os dados ficam disponíveis com compromisso da empresa nas iniciativas
robots FANUC, o CR-14iA/L pode ser uti- o Coreflux” mas sobretudo “a quantidade integrais, transparentes e pioneiras em
lizado em diversas aplicações. Para um ímpar de dados que esta ferramenta dispo- matéria de sustentabilidade. O relatório
robot pequeno tem um alcance compa- nibiliza, permite todo um conjunto novo de apresenta ainda informação sobre as
rativamente longo, o que significa que soluções desde análise, controlo, visualiza- contribuições da empresa para a conse-
pode ser usado não apenas em aplica- ção, decisão… com uma relação de tempo cução dos Objetivos de Desenvolvimen-
ções em espaços limitados, mas também versus esforço incomparável”. to Sustentável do Programa 2030 das Na-
em aplicações para as quais uma maior ções Unidas. Através das suas atividades
capacidade de carga é uma vantagem, comerciais, a Schaeffler faz a sua própria
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

por exemplo, na carga e descarga de Schaeffler publica o seu Relatório contribuição para cumprir 10 destes 17
máquinas. de Sustentabilidade 2018 objetivos.
A cinemática, a flexibilidade e a oti- Schaeffler Iberia, S.L.U. Desde janeiro de 2019, a Schaeffler
mização do design do CR-14iA/L per- Tel.: +351 225 320 800 · Fax: +351 225 320 860 reforçou as suas estruturas corporativas
mitem ao robot trabalhar mais perto da marketing.pt@schaeffler.com · www.schaeffler.pt de sustentabilidade, incluindo a criação
própria base, utilizando de forma mais de um departamento específico que
eficiente o espaço de trabalho disponí- depende diretamente da Divisão de Re-
vel, o que o torna na solução ideal para cursos Humanos do Conselho de Admi-
30

aplicações em que o espaço disponível é nistração. A responsabilidade dos temas


um desafio. de sustentabilidade está agora sob a di-
robótica

A combinação do CR-14iA/L com reção de Thomas Fußhöller, que faz parte


plataformas móveis (AGV) é já uma rea- do Grupo Schaeffler desde o início de
lidade no Japão e está prevista para o 2019 como Diretor de Sustentabilidade,
mercado europeu. Meio Ambiente, Saúde e Segurança no
Trabalho. Assim a Schaeffler reforçou a
sua gestão interna de sustentabilidade e
Preh Portugal e Setlevel instalam A Schaeffler publicou o seu Relatório demonstrou o seu compromisso de con-
Coreflux em linha da Ford de Sustentabilidade para o exercício de tinuar a promover a sua estratégia de sus-
Setlevel 2018, denominado “Tornar o progresso tentabilidade com as partes interessadas
Tel.: +351 252 147 174 visível”, oferece uma visão transparente selecionadas.
geral@setlevel.pt · www.setlevel.pt e detalhada das iniciativas de sustenta-
bilidade da empresa em cada um dos
4 campos de ação estratégicos: “Gestão Nova fábrica inteligente
sustentável”, “Clientes e produtos”, “Meio da Schneider Electric na Ásia
ambiente e energia” e “Empregados e so- Schneider Electric Portugal
ciedade”. O Relatório de Sustentabilidade Tel.: +351 217 507 100 · Fax: +351 217 507 101
A nova linha da Ford, produzida pela Preh do Grupo Schaeffler, que inclui uma série pt-atendimento-cliente@schneider-electric.com
Portugal e integrada pela Setlevel, usa de elementos gráficos interativos, está www.se.com/pt
Coreflux. Esta instalação permitiu, além disponível online: www.schaeffler-sustai-
de uma integração mais rápida, disponi- nability-report.com/2018/.
bilizar dados por MQTT. Os dados foram O relatório foi elaborado segundo as
posteriormente integrados numa HMI diretrizes da Iniciativa Mundial de Apre-
desenvolvida para PC e para tablets com sentação de Relatórios (Global Reporting
sistema operativo Android, permitindo Initiative - GRI). Em linha com os relatórios
assim a gestão e controlo da linha de for- de sustentabilidade anteriores da empre-
ma móvel e remota. sa, a edição de 2018 detalha as medidas A Schneider Electric lidera na Industrial In-
Segundo as empresas envolvidas no e os objetivos não-financeiros do Gru- ternet of Things (IIoT) na Ásia, sendo uma
projeto “este foi mais um dos passos sólidos po Schaeffler, elementos-chave da sua referência para as empresas asiáticas ao
PUB
utilizar tecnologia avançada na sua nova fábrica inteligen-
te em Batam, na Indonésia. Esta é uma fábrica ativa e um
showcase para que parceiros e clientes vejam como a trans-
formação industrial pode ajudar nas decisões baseadas em
dados, que melhoram a rentabilidade, a gestão de ativos e a
eficiência operacional. Assim as operações tornam-se mais
ágeis, seguras e sustentáveis para o meio ambiente.
A fábrica inteligente de Batam tornou-se num exemplo
de incentivo para que as empresas asiáticas apostem num
novo caminho para a digitalização, ao mesmo tempo que
acelera os processos para as que já o fazem. Mais de 150
clientes e parceiros da Indonésia, China, Singapura, Vietna-
me, Malásia, Birmânia e Médio Oriente já visitaram a fábrica
de Batam, uma das fábricas mais inteligentes do mundo, in-
cluindo a China, França, América do Norte e a Índia.
A fábrica inteligente em Batam implementou o Eco­
Struxure™ Machine, uma das soluções EcoStruxure™ da Sch-
neider Electric. Trata-se de uma plataforma interoperacional,
aberta, Plug&Play e habilitada para a IIoT, proporcionando o
acompanhamento em tempo real do rendimento das ope-
rações, assim como uma maior visibilidade do funciona-
mento das máquinas e das necessidades de manutenção
preventiva. Utilizando painéis de controlo, os gestores da fá-
brica podem tomar decisões acertadas e reduzir os tempos
de reação. Até à data, a fábrica de Batam reduziu em 17% o
tempo nas operações de manutenção e 46% em desperdí-
cio de material.
Em Batam, a Schneider Electric emprega 2900 pessoas
em todas as suas operações industriais, que produzem uma
ampla gama de produtos distribuídos mundialmente. As 3
instalações foram certificadas pelas normas internacionais
ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001. A transformação digi-
tal permite o acompanhamento em tempo real de todas as
operações, com uma visão mais clara da rentabilidade das
máquinas, das necessidades de manutenção preventiva, do
cumprimento dos controlos de qualidade, das alterações
nos processos, da gestão de energia e da maioria das ativi-
dades numa plataforma industrial.

Desenvolva as competências dos seus


colaboradores com oferta formativa
SEW-EURODRIVE Portugal
Tel.: +351 231 209 670
infosew@sew-eurodrive.pt · www.sew-eurodrive.pt

A SEW-EURODRIVE Portugal é uma empresa formado-


ra acreditada pela DGERT e os seus formadores da SEW-
-EURODRIVE Portugal estão todos habilitados com CAP
(Certificado de Aptidão Profissional). A pré-inscrição de par-
ticipantes deverá ser enviada até 10 dias antes da data da
formação, carecendo a mesma de aprovação, a qual ocor-
rerá no limite até 5 dias antes da data da sessão. O número
de participantes por sessão está limitado experiência e conhecimento das vanta- de soldagem a arco, nova geração do
a 12 (exceto MOVI-PLC com máximo de 8 gens competitivas de todas as soluções KR Quantec, tecnologias de visão (bin
participantes). Outras sessões de forma- disponíveis atualmente no mercado. A picking), escolha de peças sobre correias
ção serão realizadas a pedido. interação com o showroom, onde foi transportadoras (KUKA.PickControl), soft-
Algumas das formações da SEW- possível realizar demonstrações através ware Mx.Automation para o controlo de
-EURODRIVE são o MOVITRAC® B a 06 de de um contacto direto com os robots e a robots por PLC. Tudo com o intuito de
novembro em Lisboa, MOVITRAC® LT a 13 partilha de alguns casos de estudo, foram continuar a apoiar o processo de auto-
de novembro em Lisboa, MOVIDRIVE® B a pontos altos de um dia onde a robótica matização da indústria.
25 de setembro na Mealhada e a 30 de foi o tema principal. A Bresimar Automa-
outubro em Lisboa, acionamentos ele- ção agradece a todos os que estiveram
tromecânicos (seleção e manutenção) a presentes e espera ter proporcionado SAE representa marca Schroff
09 de outubro na Mealhada, IPOS® Com- conhecimento sobre soluções que certa- SAE – Sistemas de Automação e Energia, Ltd
piler a 02 de outubro na Mealhada e sis- mente irão trazer benefícios para a indús- Tel.: +351 224 956 496 · Fax: +351 224 956 496
temas descentralizados a 16 de outubro tria e para os seus clientes. Conheça toda comercial@novasae.com · www.novasae.com
na Mealhada. As formações decorrem a gama em www.bresimar.pt/pt/marcas/
todas das 10 às 17 horas. denso-robotics/
Como entidade certificada pela Di-
reção Geral do Emprego e das Relações
de Trabalho (DGERT), a formação técnica KUKA: inauguração de um novo
ministrada pela SEW-EURODRIVE Portu- Tech-Center na sede da KUKA Iberia
gal possibilita aos clientes o acesso aos KUKA Robotics Ibérica, S.A. SAE – Sistemas de Automação e Energia,
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

apoios públicos para desenvolver as Tel.: +351 265 729 780 · Fax: +351 265 729 782 Ltd, empresa presente no mercado há
competências dos seus colaboradores, info.portugal@kuka-e.com · www.kuka-robotics.com 18 anos, tem o prazer de anunciar o alar-
nomeadamente no âmbito da medida gamento do seu portefólio, passando a
Cheque-Formação. Esta medida consti- representar em Portugal a marca Schroff.
tui uma modalidade de financiamento A marca Schroff contém um amplo
direto da formação a atribuir às entida- portefólio com mais de 6000 produtos
des empregadoras ou aos ativos empre- entre racks, armários, datacenter, gestão
gados (para mais informações: Portaria térmica. As principais áreas de negócio
32

n.º 229/2015, de 3 de agosto). são os transportes, industrial, defesa,


aeroespacial, teste e medida, energia,
robótica

A KUKA, empresa de referência mundial telecomunicações, redes, vídeo e broad-


Apresentação de soluções para na automatização industrial, inaugurou casting. A marca Schroff, sediada na Ale-
robótica industrial no Brand Day o seu novo Tech-Center na sede central manha, pertence à unidade de negócios
DENSO Robotics da KUKA Iberia, em Vilanova i la Geltrú da nVent Technical Solutions, sendo uma
Bresimar Automação, S.A. em Barcelona. O objetivo deste espaço referência mundial de soluções e equipa-
Tel.: +351 234 303 320 · Tlm.: +351 939 992 222 é apresentar as tecnologias e as aplica- mentos há mais de cinco décadas.
bresimar@bresimar.pt · www.bresimar.com ções mais inovadoras da marca, tendo
sido desenhado como laboratório de
ensaios, aprendizagem e testes de novos Leine Linde: sinais
desenvolvimentos. incrementais FSI 900
O centro tem mais de 400 m2 e divi- PROSISTAV – Projectos e Sistemas
de-se em 2 zonas contíguas mas diferen- de Automação, Lda.
ciadas. Existe uma zona de trabalho para Tel.: + 351 234 397 210 · Fax: + 351 234 397 219
a realização de estudos técnicos, simula- prosistav@prosistav.pt · www.prosistav.pt
ções, programações, entre outros e uma
A Bresimar Automação, representante zona de exposição que apresenta células
oficial da marca DENSO Robotics em Por- funcionais com as respetivas áreas de tra-
tugal, realizou no dia 07 de maio, o Brand balho para testar as propostas ao vivo e
Day DENSO. Este evento teve como ob- mostrar aos clientes as tecnologias/apli-
jetivo apresentar a vasta gama de robots cações mais inovadoras. A configuração
para diferentes aplicações (SCARA, de 4,5 da zona de exposição permite trocar as
e 6 eixos e robots colaborativos) que po- células com base nas inovações da cen- Na série de encoders FSI 900 da Leine
dem suportar cargas até 20 kg com um tral, dos requerimentos do mercado e Linde existem variantes de encoders com
alcance máximo do braço até 1298 mm das necessidades concretas dos clientes. sinais de saída incremental. O FSI 900
e velocidades até 11.500mm/s. Atualmente, as tecnologias aplicadas é um sistema de segurança integrado
Para além da apresentação da marca presentes na zona de exposição são as num encoder com uma leitura indutiva
DENSO e do seu portefólio, foi propor- seguintes: aplicações HRC, robot colabo- absoluta. O sistema de segurança pode
cionado a todos os participantes uma rativo LBR iiwa, soluções para aplicações monitorizar fins de curso, aceleração,
sobrevelocidade e paragem, de uma forma referência mundial na robótica), desenvolvido Neto, responsável pelo Laboratório de Ro-
funcional e segura, para a aplicação onde está no Laboratório de Robótica Colaborativa da bótica Colaborativa da FCTUC, salienta que
inserido. Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univer- “pretendemos que os robots estejam acessíveis
O encoder FSI 900 pode ser encomendado sidade de Coimbra (FCTUC), já está a ser utili- a qualquer pessoa, por isso este software é um
com uma saída incremental ou comunicação zado em grandes empresas, como é o caso do contributo nesse sentido. Este é um ponto-
fieldbus, para o acesso aos dados de velocida- Grupo BMW, na Alemanha, e em várias univer- -chave considerando que os robots colaborati-
de ou posição. Isto torna o encoder numa par- sidades de todo o mundo. vos trabalham, lado a lado, com os humanos,
te central do sistema de automação ou inte- O Kuka Sunrise Toolbox, assim batizado por exemplo em fábricas ou hospitais, e onde
gração com drives, enquanto gere as funções pelos autores, é um software de licença livre e a interação com o equipamento é constante e
de segurança segundo as Diretivas Máquina possui mais de 100 funcionalidades, permitin- contínua ao longo do dia.”
através das suas saídas a relé, programáveis, à do, por exemplo, o controlo dos movimentos
prova de falhas. do robot e um guiamento manual de precisão.
Funcionalidades de matemática e algoritmos STEMMER IMAGING adquire com
avançados estão também disponíveis, no- sucesso o grupo espanhol INFAIMON
Investigadores da FCTUC desenvolvem meadamente para utilização em trabalhos de INFAIMON Unipessoal, Lda.
software para nova geração de robots investigação. Tel.: +351 234 312 034 · Fax: +351 234 312 035
colaborativos Mohammad Safeea, o principal investi- infaimon.pt@infaimon.com · www.infaimon.com
gador deste projeto, cujos resultados foram
publicados na IEEE Robotics & Automation
Magazine, revista de referência internacional
em robótica, explica que “este software per-
mite que um utilizador com conhecimentos
básicos em robótica possa, em poucas horas, A STEMMER IMAGING AG (ISIN DE000A2G-
estar a operar um robot, não sendo necessário 9MZ9/GSIN A2G9MZ), cotada no Prime Stan-
conhecimentos avançados e grandes tempos dard da Bolsa de Valores de Frankfurt, concluiu
de adaptação ao equipamento. É bom saber com sucesso a aquisição do grupo espanhol
Um novo software, o primeiro de interface em que este trabalho de mais de 2 anos está a criar Infaimon S.L. A STEMMER IMAGING adquire
MATLAB, para robots colaborativos KUKA (uma um impacto positivo na sociedade.” Pedro 100% das ações do fornecedor de soft­ware

PUB
e hardware para visão artificial e robó- Articulações e dobradiças corretas acima de tudo, na importância da expe-
tica após a transação ser aprovada por para a sua aplicação riência “real” de quem ensina. Nada mais
todas as autoridades anti-monopólio FLUIDOTRONICA – Equipamentos tem o valor da experiência e vivência no
relevantes. Como resultado, a STEMMER Industriais, Lda. terreno, e é isso que acrescenta valor a
IMAGING consolidará a última aquisição Tel.: +351 256 681 955 ∙ Fax: +351 256 681 957 quem os procura e confia no trabalho
a partir de 1 de julho de 2019, conforme fluidotronica@fluidotronica.com deles.
anunciado anteriormente. O Conselho www.fluidotronica.com O plano de formação 2019 da
de Administração espera uma contri- F.Fonseca assenta exatamente nos prin-
buição adicional de receitas de cerca de cípios referidos anteriores: preparação e
18 milhões de euros e uma contribuição inovação assente em conhecimento ex-
EBITDA de cerca de 3 milhões de euros periente e especializado. Este é um plano
no exercício de 2019/2020. para o presente mas preparado para o fu-
Ao fechar esta aquisição, a STEMMER turo. E prova disso é a inclusão de novas
IMAGING continua com sucesso a sua ações na área da robótica, da Indústria 4.0
estratégia de expansão internacional. O As articulações e dobradiças são versáteis e da automação industrial. A segurança é
especialista em visão artificial está ago- e flexíveis no sistema de construção mo- intemporal e tem sempre uma presença
ra representado em todos os principais dular MiniTec. Seja para portas ou puxa- de destaque na oferta formativa.
mercados europeus com filiais locais. dores maiores ou menores, dispositivos A formação elétrica e mecânica de
Sediada em Barcelona, em Espanha, a de proteção ou a conexão de perfis e base e outras tantas áreas transversais à
INFAIMON possui filial em Portugal e perfis em qualquer ângulo: aqui encon- indústria (e não só) completam o plano
sucursais no México e no Brasil. Esses trará as articulações e dobradiças corre- de formação da F.Fonseca, garantindo a
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

locais fornecem uma base sólida para tas para a sua aplicação. sua riqueza e diversidade. No final apre-
permitir que a STEMMER IMAGING se Na área das dobradiças escolha en- sentam um pouco mais de 30% de ações
expanda para outros países no futu- tre várias opções disponíveis. Estas são inéditas, comprovando a vitalidade e
ro, como os EUA. Com a aquisição, a utilizadas em portas, puxadores e acessó- irrequietude que tanto se orgulham de
STEMMER IMAGING também ressalta a rios móveis. Com um arranjo oposto das ter e promover. Este é também um tra-
importância estratégica das soluções dobradiças também podem ser feitas balho resultante da colaboração dos seus
de bin-picking de última geração, uma construções desmontadas e montadas formandos e das suas organizações que,
capacidade importante no contexto das horizontalmente. Para a montagem, sim- através das necessidades que vão regis-
34

aplicações na Indústria 4.0 que fortale- plesmente fixe a dobradiça na ranhura tando e das solicitações que lhes fazem,
cerá ainda mais o portefólio de produ- do perfil com o auxílio do material de os ajudam decisivamente a construir e
robótica

tos e serviços da empresa. “A aquisição fixação fornecido. completar a sua oferta formativa. Peça o
permite ganhos a muitos níveis diferentes. seu catálogo gratuitamente através do
Unidos sob o nome STEMMER IMAGING, email formacao@ffonseca.com ou faça
juntos podemos responder de forma ain- F.Fonseca apresenta o novo download da versão digital.
da mais eficaz às constantes mudanças catálogo de formação 2019
nas exigências do mercado e continuar F.Fonseca, S.A.
com o crescimento rentável no campo Tel.: +351 234 303 900 · Fax: +351 234 303 910 igus equipa as calhas articuladas
das aplicações de bin-picking. Além disso, ffonseca@ffonseca.com ∙ www.ffonseca.com com códigos QR
estamos agora representados em todos os /FFonseca.SA.Solucoes.de.Vanguarda igus®, Lda.
principais mercados europeus, com loca- Tel.: +351 226 109 000 · Fax: +351 228 328 321
lizações próprias e pessoal especializado. info@igus.pt · www.igus.pt
Durante as últimas semanas temos traba- /company/igus-portugal
lhado para garantir uma aquisição favo- /IgusPortugal
rável, portanto estamos preparados para
uma integração rápida e bem-sucedida”,
afirma Lars Böhrnsen, Diretor Financeiro
da STEMMER IMAGING AG.
A STEMMER IMAGING é um dos O desafio é anual e muito motivador:
principais fornecedores de tecnologia criar um plano de formação adaptado e
de visão artificial líder na Europa para a orientado às necessidades atuais dos for-
ciência e indústria. Com uma combina- mandos e, ao mesmo tempo, preparado
ção de produtos inovadores, consultoria para responder às exigências e tendên- Para facilitar ainda mais aos engenheiros
especializada e serviço integral, a STEM- cia da indústria atual e futura. Mais do o processo de identificação, configura-
MER IMAGING ajuda os clientes a resolver que formadores, a equipa de formação ção, funcionamento e manutenção dos
as suas aplicações de visão artificial com da F.Fonseca é composta por profissio- componentes das máquinas, a igus tira
segurança, rapidez e facilidade. A STEM- nais de excelência e especialistas em proveito do enorme potencial da digi-
MER IMAGING está cotada no Deutsche cada uma das áreas em que atuam. Na talização. Para além das 33 ferramentas
Boerse Prime Standard. F.Fonseca acreditam na especialização e online e dos produtos smart plastics que
PUB
aumentam a segurança das máquinas através de sensores e
da Inteligência Artificial, a empresa especialista em motion
plastics, equipa as suas calhas articuladas com códigos QR.
Esta ligação entre o mundo online e offline traz as seguin-
tes vantagens evidentes para os construtores de máquinas:
informação acessível rapidamente, montagem mais fácil e
aquisição de peças suplentes pela Internet. 
Poderá verificar esta funcionalidade, utilizando a câmara
de um smartphone ou tablet para digitalizar os códigos QR,
que se encontram nos separadores e peças laterais dos elos.
De seguida, é encaminhado para a página online, na qual a
igus lhe fornece todas as informações importantes sobre o
produto. Inclui fotografias e vídeos das instruções de mon-
tagem. Os passos de instalação são mostrados em câmara
lenta, para uma melhor compreensão, o que simplifica e re-
duz o tempo de instalação. O código QR também simplifica
o processo de encomenda de peças sobresselentes para
calhas articuladas. As fotos intuitivas no website ajudam a
compreender a estrutura dos números de artigo da igus e a
reconhecer os diferentes componentes. A loja online, onde
poderá efetuar a encomenda, está à distância de um clique.
E os componentes são enviados entre 24 a 48 horas. Com
uma aplicação para os códigos QR e uma câmara é possível
aceder, de forma fácil e conveniente, a todas as informações
necessárias sobre a respetiva calha articulada, através de um
smartphone ou tablet.

Uma aliança para o IIoT


Endress+Hauser Portugal, S.A.
Tel.: +351 214 253 070 · Fax: +351 214 253 079
info.pt.sc@endress.com · www.pt.endress.com

Na Hannover Messe 2019, 7 fornecedores líderes de enge-


nharia mecânica, automação industrial e software fundaram
a Open Industry 4.0 Alliance. Com esta cooperação, as em-
presas querem superar as soluções proprietárias e dar um
impulso decisivo à transformação digital da indústria eu-
ropeia. Os membros fundadores da aliança são a Beckhoff,
a Endress+Hauser, a Hilscher, a ifm, a KUKA, a Multivac e a
SAP. Em princípio a aliança está aberta a todas as empresas.
A Balluff, Gebhardt, Pepperl+Fuchs, Schmidtsche Schack,
Samson e a WIKA já se juntaram à aliança como membros.
Todas as empresas estão comprometidas mutuamente com
a criação de um ecossistema aberto e standard para o fun-
cionamento das fábricas completamente automatizado e
as instalações de processo com a integração da logística e
serviços.
“A arquitetura aberta da Open Industry 4.0 Alliance res-
ponde a todos os requisitos da indústria de processos”, enfa-
tizou Matthias Altendorf, CEO do Grupo Endress+Hauser.
“É baseado em standards, assegura a integridade em todos
os processos de negócio e garante uma otimizado na funcionalidade do clássico Health Care e novas abordagens técnicas
integridade dos sistemas. Isso permi- interruptor de segurança com um blo- de aprendizagem.
te que os operadores das instalações queio SLK da BERNSTEIN. Os componen- O EduNet é um programa da Phoenix
de processo aproveitem o potencial da tes sujeitos a esforços mecânicos, como a Contact que visa apoiar o ensino superior
digitalização.” cabeça rotativa, são de metal, tornando o para o desenvolvimento de competên-
Os membros da aliança estão a interruptor de segurança muito robusto cias e conhecimentos na área da auto-
planear realizar um denominado Open e durável. Por outro lado, a caixa de plás- mação. Mais informações sobre EduNet
Industry 4.0 Framework com base nos tico é leve e funcional. A saída opcional em www.phoenixcontact.pt/edunet.
standards existentes como o I/O Link, de conetor M12 simplifica a conexão do
OPC UA e RAMI para toda a rota desde interruptor à máquina.
os objetos na oficina até aos serviços. Os Se o bloqueio tiver que ser aber- Novos variadores de frequência da
clientes podem escolher entre um siste- to quando a máquina é desligada, para NORD: versáteis e ligados em rede
ma modular de compatíveis e escaláveis instalação ou manutenção, o SLC está NORD Drivesystems PTP, Lda.
componentes de soluções e serviços, equipado no seu lado frontal com um Tel.: +351 234 727 090 · Fax: +351 234 727 099
como serviços digitais como o Netilion desbloqueio manual por chave ou por info.pt@nord.com · www.nord.com
IIoT da Endress+Hauser. A ligação com o chave de fenda. Além da função de des-
portefólio de software da SAP assegura a bloqueio manual, o SLC possui outras
integração dos processos de negócios de funções opcionais. A função “saída de
uma empresa, bem como a colaboração emergência” permite a abertura imediata
com os parceiros nos limites da empresa. da proteção de segurança dentro da área
A arquitetura aberta permite uma ligação perigosa, por isso a saída de emergência
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

simples de outra estrutura do sistema. está localizada na parte de trás do SLC. O


desbloqueio de emergência é como o
desbloqueio manual que está localizado Disponíveis em várias versões, os novos
Novo interruptor de segurança na parte frontal do SLC, que permite a variadores de frequência da linha NOR-
com bloqueio, para movimentos abertura imediata da proteção de segu- DAC PRO podem ser adaptados a uma
seguros rança por fora da área perigosa. O novo enorme variedade de requisitos de apli-
ALPHA ENGENHARIA – Equipamentos SLC da BERNSTEIN é ideal, onde quer cação. As funções da série modular po-
e Soluções Industriais que os interruptores de segurança sejam dem ser expandidas com módulos plug-
36

Tel.: +351 220 136 963 · Tlm.: +351 933 694 486 utilizados na proteção de uma máquina -in de controlo, segurança e opcionais.
info@alphaengenharia.pt · www.alphaengenharia.pt – por exemplo em máquinas de emba- Os utilizadores também beneficiam de
robótica

/AlphaEngenhariaPortugal/ lamento, de carpintaria, de fresagem, de um design compacto com um formato


processamento de alimentos ou máqui- tipo livro, poupando espaço em armários
nas de moldagem por injeção, para citar de controlo e numa instalação parale-
apenas alguns exemplos. la. Os variadores estão disponíveis com
potências de 0,25 a 5,5 kW. De destacar
o grande número de interfaces: a CAN­
Congresso internacional para open standard, multichipes para Ethernet
as universidades organizado Industrial que permite a utilização dos
pela Phoenix Contact padrões Ethernet mais importantes em
Phoenix Contact, S.A. tempo real através de uma interface. Seja
As áreas da máquina que continuam Tel.: +351 219 112 760 · Fax: +351 219 112 769 para ProfiNet, EtherNET IP, POWERLINK ou
ativas mesmo após o desligar da máqui- www.phoenixcontact.pt EtherCat, o protocolo necessário pode
na, são muitas vezes uma parte de pro- ser facilmente configurado através de
cessos de produção automatizados. Se parâmetros, e os dispositivos podem ser
pensarmos, por exemplo, numa grande configurados através de uma porta USB
massa de um volante de uma máqui- sem uma fonte de alimentação externa.
na ou na descida lenta das lâminas de A ranhura para cartões SD, para guardar
uma serra, é absolutamente necessário e transferir parâmetros, também é uma
que o operador da máquina seja im- novidade. E estão disponíveis 5 ou 6 en-
pedido de aceder a estas áreas até que tradas digitais e 2 analógicas, 2 saídas di-
o movimento perigoso tenha parado Foi em Leipzig, na Alemanha, que a Phoe- gitais e 1 analógica, 2 relés multifunções
completamente. nix Contact se reuniu com as universi- sem potencial, 1 interface codificadora
O interruptor de segurança com blo- dades que são membros do programa incremental HTL/TTL e 1 interface codifi-
queio, como o novo SLC (Safety Lock), educacional EduNet. Além das novas tec- cadora universal.
garante que todas as proteções perma- nologias da Phoenix Contact, Portugal e A série NORDAC PRO SK 500P está
neçam fechadas enquanto existir uma outros 11 países tiveram também a opor- equipada com um poderoso CLP para
condição perigosa. O novo SLC foi repen- tunidade de assistir a palestras sobre a funções junto ao acionamento. O con-
sado e é, em muitos aspetos, um avanço Mobilidade Elétrica, a Cibersegurança, trolo vetorial de corrente preciso fornece
o binário adequado em aplicações com di- CENFIM: campeões mundiais Rescue Maze (Busca e Salvamento Júnior) na
ferentes cargas e velocidades e garante uma de robótica qualidade de campeões nacionais dessa mes-
fiabilidade operacional com elevadas reservas CENFIM – Centro de Formação Profissional ma categoria (título obtido em abril, no Festi-
de sobrecarga, necessárias para, por exemplo, da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica val Nacional de Robótica, em Gondomar). Nes-
arranques. O variador opera circuitos aber- Tel.: +351 218 610 153 · Fax: +351 218 684 979 ta categoria, a nível mundial existem 2 provas:
tos ou fechados e opera motores síncronos e dgp@cenfim.pt · www.cenfim.pt • a prova individual Rescue Maze, que
assíncronos. O interruptor rotativo de trava- consiste em construir e programar um
gem para operação em 4 quadrantes é um pequeno robot que, munido de sensores
dos componentes básicos de toda a série, tal de temperatura e câmaras, terá de per-
como gestão da travagem, importante para, correr, de forma totalmente autónoma,
por exemplo, aplicações com equipamentos um labirinto que simula um cenário de
de elevação. A NORD fornece os variadores catástrofe em busca de vítimas represen-
com Binário Seguro Desligado (STO) e Para- tadas por um material a 37ºC ou letras
gem Segura 1 (SS1). A equipa do CENFIM – Núcleo de Oliveira pré-determinadas. Quando uma vítima é
Esta nova solução da NORD está dispo- de Azeméis sagrou-se campeã no mundial detetada, o robot sinaliza e deixa cair um
nível na forma de variador para máquinas de robótica, na categoria Rescue Maze Super kit de emergência no local. A pontuação
(SK 500P) e de variadores para aplicações Team no passado dia 07 de julho de 2019, na na competição é atribuída conforme o
(SK 530P e SK 550P). Ao contrário dos varia- 23.ª edição do RoboCup, que decorreu de 2 a número de vítimas detetadas, o tempo de
dores para aplicações totalmente equipados, 8 de julho, em Sidney, Austrália. Esta edição deteção e de regresso ao ponto de par-
os variadores para máquinas são dispositivos do RoboCup contou com 3500 participantes, tida. A equipa formada pelos formandos
economicamente otimizados com um núme- oriundos de 40 países e divididos por 10 ligas André Amorim, Sérgio Rocha e o formador
ro reduzido de interfaces, mas desempenham diferentes. Portugal esteve representado com Carlos Amorim bateu-se pelos lugares ci-
tarefas funcionalmente exigentes como CLP 9 equipas (7 nas ligas júnior – até aos 19 anos meiros classificando-se em 7.º lugar entre
integrado, controlo de circuitos fechados e e 2 nas ligas major), provenientes de diversas 28 participantes.
posicionamento. O SK 530P tem uma ranhura escolas, centros de formação e universidades • a prova Rescue Maze Super Team, em que 2
para cartões SD, interface USB, interface codifi- portuguesas. equipas, juntas por sorteio, têm 1 dia, para
cadora e possibilidade de expansão através de O Núcleo do CENFIM de Oliveira de Aze- modificar a programação e a estrutura dos
um módulo SK CU5 opcional. méis representou Portugal na categoria de robots para superar um desafio no labirin-

PUB
to, que só é conhecido quando são do dia de trabalho pode ver imediata- norelem traz um elemento
formadas as Super Teams. A equipa mente se faltam ferramentas e quais. obrigatório na engenharia
portuguesa do CENFIM trabalhou Estas marcações também apontam para de design para Portugal
com os representantes do Canadá o catálogo online que contém todos os norelem Ibérica, S.L.
(classificados em 24.º na competição dados técnicos relevantes. www.norelem.pt
individual). Juntos fizeram melhorias A caixa de ferramentas pode ser or-
significativas no robot canadiano e as ganizada segundo as necessidades in-
alterações necessárias no robot por- dividuais e também pode ser equipada
tuguês, demonstrando assim grande com máquinas e impressoras. As inser-
domínio técnico das tecnologias em ções com espuma em 3 partes permitem
uso. Este trabalho traduziu-se na vi- layouts específicos para cada ferramenta.
tória nesta prova, sagrando-se assim Com os painéis perfurados standard em
Campeões do Mundo na categoria ambos os lados, bem como um painel
Super Team Rescue Maze. perfurado opcional na parte traseira,
também podem ser instalados elemen- A norelem lançou o THE BIG GREEN BOOK
tos adicionais. Portanto o montador pos- em Portugal, apenas disponível na versão
Tool car da Weidmüller baseada sui uma ilha de produção móvel adap- online, mas que também tem disponível
no 5S e princípios lean tada aos seus processos – na qualidade a versão impressa em Inglês, Espanhol,
Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A. standard Weidmüller. Alemão bem como outras línguas. Além
Tel.: +351 214 459 191 · Fax: +351 214 455 871 de apresentar as 45 000 peças standard
weidmuller@weidmuller.pt · www.weidmuller.pt individuais da empresa para máquinas e
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

Bresimar Automação apresentou dispositivos de comando, este catálogo


soluções de robótica e automação também funciona como um precioso
na 360 Tech Industry guia de referência para engenheiros de
Bresimar Automação, S.A. design, engenheiros mecânicos e fabri-
Tel.: +351 234 303 320 · Tlm.: +351 939 992 222 cantes de máquinas e de ferramentas.
bresimar@bresimar.pt · www.bresimar.com O THE BIG GREEN BOOK já se tornou
um recurso obrigatório em toda a Euro-
pa, particularmente na Alemanha, onde
38

Aumento da eficiência e a otimização de é lançado todos os anos desde 2003.


processos são palavras de ordem geral- Disponível online trata-se do derradeiro
robótica

mente associadas à digitalização e auto- guia para peças normalizadas. Além de


mação. Existe aqui uma tendência para destacar o amplo portefólio de produtos
esquecer as clássicas worl place center, o fabricados pela norelem, também inclui
que significa que existe potencial para conselhos, as dimensões dos componen-
uma melhoria em áreas da fabricação de A Bresimar Automação marcou presença tes, desenhos, aplicações, tolerâncias e
quadros elétricos que, no futuro, conti- na 1.ª edição da feira 360 Tech Industry. padrões, disponibilizando aos engenhei-
nuarão a exigir muito trabalho manual. Realizou-se entre os dias 16 e 18 de maio ros de design todas as informações de
Por isso a Weidmüller desenvolveu um na EXPONOR, em Matosinhos. que necessitam para transformar as suas
carro de ferramentas especialmente para A Bresimar Automação apresentou a ideias em realidade.
a fabricação de quadros elétricos com todos os visitantes, novidades na área da Marcus Schneck, CEO da norelem,
base nas 5S e nos princípios lean de or- robótica através da sua nova representa- acredita que o THE BIG GREEN BOOK será
ganização de trabalho. da, a DENSO Robotics. O público teve a uma ferramenta vital para os engenhei-
Cada item no porta-ferramentas tem possibilidade de conhecer soluções para ros em Portugal, ajudando-os a ser mais
a sua própria posição graças às inserções a otimização dos seus processos de pro- eficientes no seu trabalho quotidiano
de espuma no fusível. As ferramentas dução, através de robots de 5 e 6 eixos que com componentes padronizados. Surge
standard colocadas ao alcance de cada se destacam por uma elevada precisão, numa altura em que as responsabilida-
um e as ferramentas que são geralmen- velocidade e fiabilidade. Esteve também des dos engenheiros de design estão em
te utilizadas juntas estão posicionadas presente um robot colaborativo, uma constante mudança. A norelem defende
lado a lado. Esta junção reduz o tempo novidade na área da robótica industrial várias formas de os engenheiros de de-
gasto em pesquisas, alcance, limpeza e que facilita tarefas de manipulação sem sign conseguirem produzir soluções de
verificação de ferramentas em até 10%. necessidade de recorrer a dispositivos de engenharia mais eficientes com peças
As inserções podem ser utilizadas univer- proteção e segurança. No stand da Bresi- normalizadas. Peças como grampos, fixa-
salmente e assim os utilizadores podem mar Automação, esteve ainda presente a dores e perfis de alumínio permitem re-
adaptá-las às suas próprias necessidades. inovadora solução de transporte magné- duzir os custos de design e produção em
Para que o utilizador possa ver imediata- tico da BECKHOFF, que se destaca pela ve- comparação com soluções alternativas,
mente onde pertence cada ferramenta, o locidade máxima até 4 m/s e acelerações bem como garantir tempos de monta-
fusível pode ser rotulado com os marca- até 100 m/s². A Bresimar Automação agra- gem mais curtos. A finalidade do THE BIG
dores MultiCard e os QR code. E no final dece a todos pela visita. GREEN BOOK é inspirar engenheiros com
PUB
o impressionante portefólio de produtos de kits de equipamento esterilizado e da) em que um robot autónomo de-
da norelem e ajudá-los a produzir as so- carga e descarga da centrífuga. verá procurar as vítimas num labirinto,
luções de engenharia mais práticas, mais entregar-lhes um kit de salvamento e
eficientes e mais rentáveis para cada assinalar as suas posições para que os
aplicação. Alunos portugueses participam em humanos possam intervir;
competição europeia de robótica • busca e salvamento em simulação
(CoSpace), na qual as equipas desen-
ABB Robotics desenvolve soluções volvem e programam as estratégias
para o Hospital do Futuro mais adequadas para os robots autó-
ABB, S.A. nomos virtuais navegarem através de
Tel.: +351 214 256 000 · Fax: +351 214 256 247 mundos virtuais para recolher obje-
comunicacao-corporativa@pt.abb.com · www.abb.pt tos, enquanto competem com os ro-
bots de outras equipas que também
procuram e recolhem objetos nos
Decorreu em Hannover, na Alemanha, mesmos mundos;
entre os dias 20 e 23 de junho, a compe- • futebol robótico de liga aberta e liga
tição Europeia RoboCup (RoboCup Junior leve, que se baseia na utilização de 2
Euro 2019 – https://rcj2019.eu/), onde robots autónomos, munidos de sen-
estiveram presentes 103 equipas de 16 sores e atuadores que permitem jo-
países. A equipa “Cowboyada”, do Clube gar futebol;
A ABB instalará robots colaborativos para de Robótica do Colégio da Rainha Santa • futebol robótico liga 1-1 com kit
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

laboratórios médicos com a abertura de Isabel, de Coimbra, obteve o 4.º lugar na padrão que se baseia na utilização
um inovador hub de saúde Texas Medi- prova Ontage Preliminary. Esta equipa é de um robot autónomo, munido de
cal Center (TMC) em Houston, no Texas. constituída pelos alunos Margarida Lapo sensores e atuadores que permitem
A instalação será o centro de pesquisa de 11 anos, e Francisco Santos e Tiago jogar futebol;
dedicado à saúde da ABB, quando for d’ Orey de 12 anos, e tem como mento- • performance em palco (com uma
aberto em outubro de 2019. A equipa de ra a professora Carla Neves da Costa. Esta subdivisão para prova de entrada)
investigação da ABB Robotics trabalhará equipa recebeu ainda o prémio “Team Spi- que consiste numa competição di-
no campus da TMC com pessoal médico, rit Award” nesta prova. nâmica e interativa, onde cada equi-
40

cientistas e engenheiros para desenvolver O RoboCup compreende um con- pa programa os respetivos robots
sistemas de robótica médica não cirúrgica, junto de competições na área da robóti- para dançarem ao som da música,
robótica

incluindo logística e tecnologias de labo- ca, que pretende motivar jovens, entre os seguindo uma coreografia criada pe-
ratório automatizadas de última geração. 10 e os 19 anos, para as áreas da ciência los elementos das equipas. Os robots
O uso de robots para automatizar algu- e tecnologia através das competições podem possuir trajes e o palco pode
mas tarefas médicas permitirá que esses robóticas. Portugal esteve representado ser também decorado, ou preparado
profissionais médicos se concentrem em com 13 equipas que participaram em com outros adereços, para dar ainda
trabalhos muito qualificados e produtivos, muitas ligas. O apuramento das equipas mais brilho a esta competição!
enquanto ajudam mais pessoas a receber portuguesas para esta competição reali-
tratamento através da significativa acele- za-se, anualmente, no Festival Nacional
ração do processo de teste. de Robótica, que este ano decorreu em Nova fita de LED OP-LS-COB,
A ABB analisou uma ampla gama de Gondomar, de 25 a 28 de abril. sem pontos de luz
processos de laboratório médicos ma- As diferentes ligas que fazem parte LusoMatrix – Novas Tecnologias de Electrónica
nuais e estima que poderia haver um au- desta competição são as seguintes: Profissional
mento de mais 50% de testes realizados • busca e salvamento em linha (com Tel.: +351 218 162 625 · Fax: +351 218 149 482
todos os anos usando automação, com subdivisão para prova de entrada) www.lusomatrix.pt
os robots a realizar processos repetitivos em que o objetivo é um robot levar
que reduzirão a necessidade das pessoas a cabo uma missão de salvamento,
fazerem tarefas que podem causar lesões navegando através de um terreno
por esforço repetitivo (LER). Os robots com montes, campos acidentados
colaborativos da ABB, que já operam em e ruínas sem ficar imobilizado de
laboratórios de alimentos e bebidas em forma completamente autónoma,
todo o mundo, são adequados para ins- sem qualquer tipo de assistência
talações médicas, pois não exigem bar- humana. Quando o robot encontra A Lusomatrix, em nome da sua represen-
reiras de segurança para operar com se- a vítima, tem de a transportar de for- tada Opaniel, apresenta o novo conceito
gurança e eficiência ao lado das pessoas. ma cuidada e suave até ao ponto de de fita de luz, sem qualquer ponto de
Os robots podem realizar uma série de evacuação seguro, onde os humanos luz. A grande novidade do catálogo de
atividades repetitivas, delicadas e demo- podem intervir; fitas de LED da Opaniel é o OP-LS-COB.
radas, incluindo tarefas de dosagem, mis- • busca e salvamento no labirinto (com Na sua seleção de fitas especiais de LED
tura e pipetagem, bem como preparação subdivisão para uma prova de entra- pode encontrar esta fita de LED COB de
alta qualidade, que proporciona uma ilu- bombagem solar isolados (off-grid) e volantes e manivelas para ajudar os ope-
minação linear sem ver nenhum tipo de compatível com motores de indução, radores de máquinas a ajustar ou definir,
ponto ou corte de luz. Essa ótima quali- de ímanes permanentes, síncronos de mais facilmente, a posição de peças. Usa-
dade torna-a indicada para qualquer tipo relutância e de corrente contínua sem das em conjunto com atuadores lineares
de aplicação de iluminação, especial- escovas. Desta forma, qualquer instala- e encontradas em diversas máquinas
mente para decoração, sinalização e mo- ção fotovoltaica pode, por estar distante incluindo moinhos e tornos mecânicos
biliário de comércio, como por exemplo da rede elétrica comercial, ou por ques- tradicionais, os volantes da norelem são
joalharias, pois também possui um CRI tões de economia de recursos, assegu- usados para mover peças de trabalho ao
superior a 90, o que garante uma ótima rar o fornecimento de água para suprir longo de superfícies inclinadas, calhas ou
qualidade de luz. necessidades básicas ou abastecer uma trilhos lineares a serem cortados.
A OP-LS-COB tem uma potência de unidade produtiva com água de rega. Na A norelem também fornece uma
14 W/m que lhe fornece um grande bri- base deste novo modelo está o já com- linha de volantes sólidos, disponíveis
lho e está disponível numa ampla gama provado Optidrive P2 que, com a inte- com 2 ou 3 raios para proporcionar aos
de temperaturas de cor: branco frio, gração do algoritmo MPPT, assegura um operadores um melhor acesso axial. Os
branco natural, branco quente e branco funcionamento contínuo no ponto máxi- operadores que pretendam operações
superaquecido. É comercializada em ro- mo de potência do sistema. O seu amplo mais rápidas podem optar pelas manive-
los de 5 metros sendo possível ser cor- intervalo de tensão de entrada permite o las da norelem. Estando disponíveis em
tada a cada 45 mm. Praticamente com funcionamento entre os 345 e os 800 Vdc vários materiais incluindo plástico, alu-
as mesmas caraterísticas, em termos de em registo HV e entre os 185 e 410 Vdc mínio, ferro dúctil ou aço inoxidável, os
cor, potência e alimentação a Lusomatrix em registo LV, aumentando o tempo útil engenheiros de design podem selecionar
apresenta também o modelo OP-LS-COB de funcionamento. Este variador permite o melhor componente para a sua aplica-

NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA
IP67 com um Índice de Proteção muito implementar 3 formas de controlar a fun- ção específica, independentemente do
superior, que permite a utilização deste ção “WAKE UP/SLEEP”, obtendo assim um grau de exigência do ambiente de tra-
tipo de fitas em ambientes com condi- controlo total sobre o funcionamento do balho. As manivelas da norelem também
ções ambientais adversas. sistema. Por outro lado, o Optidrive P2 estão disponíveis com punhos rotativos
SOLAR PUMP DRIVE apresenta, de série, para reduzir as lesões derivadas de esfor-
compatibilidade com os protocolos Mo- ços repetitivos e facilitar ainda mais a sua
INVERTEK DRIVES: bombagem dbus RTU e CANopen (podendo estas operação.
solar com Optidrive P2 opções ser alargadas mediante interesse) Todas as peças estão disponíveis para

41
REIMAN, Lda. e um controlador lógico programável encomenda a partir do THE BIG GREEN
Tel.: +351 229 618 090 · Fax: +351 229 618 001 (PLC) interno que o converte na solução BOOK, o famoso catálogo da norelem com

robótica
comercial@reiman.pt · www.reiman.pt mais satisfatória para as aplicações mais mais de 45 000 componentes standard.
exigentes. Ao utilizar as entradas digitais
e analógicas, o variador de frequência
será a todo o momento conhecedor do Grupo Schmersal abre uma nova
estado do circuito de água, aplicando filial no Dubai
portanto as ações preventivas necessá- Schmersal Ibérica, S.L.
rias caso detete alguma falha na insta- Tel.: +351 308 800 933
lação. A INVERTEK lançou este modelo info-pt@schmersal.com · www.schmersal.pt
com uma classe de proteção IP20, IP55
e IP66, fazendo dele uma das soluções
A bombagem solar alimentada com mais completas para a bombagem solar
energia solar fotovoltaica confirmou-se no mercado.
como uma das formas mais equilibradas
e sustentáveis de assegurar o abasteci-
mento de água, quer para fins de con- No futuro com volantes e manivelas
sumo humano, animal ou para sistemas da norelem
de rega, em grande medida porque a norelem Ibérica, S.L.
solução energética conta com a fonte da www.norelem.pt O Grupo Schmersal expande-se ainda
energia no local onde é sentida essa ne- mais na sua rede global e, com a sua
cessidade. A disponibilidade da luz solar nova filial “Schmersal Middle East-FZE”,
faz com que esta tecnologia seja bastan- concentra-se no potencial económico
te apetecível e a evolução tecnológica dos mercados do Médio Oriente. Atual-
atual está cada vez mais em sintonia com mente, a empresa está representada com
o crescente investimento no aproveita- as suas próprias empresas e parceiros de
mento das energias limpas e renováveis. distribuição em mais de 60 países e agora
A INVERTEK DRIVES dispõe de um também com uma filial própria no Dubai.
variador de frequência particularmen- A norelem, especialista em componen- “Com a criação da Schmersal Middle East-
te dedicado a sistemas fotovoltaicos de tes standard, oferece um vasto leque de -FZE estamos a expandir ainda mais as
nossas atividades comerciais para o Médio novamente parceira da AER – Asociación É muito fácil de usar e está disponível
Oriente”, disse Uwe Seeger, Diretor da Asia Española de Robótica y Automatización. no CNC Fagor 8065, 8070, 8060, e 8055. A
Pacific Middle East do Grupo Schmersal. A empresa apoia a nova dinâmica adap- programação baseia-se em ciclos prede-
“Com este passo, aproximamo-nos um tada pela associação sem fins lucrativos e terminados, nos quais o operador só tem
pouco mais dos nossos clientes locais, o que se compromete a unir esforços, pelo que introduzir as caraterísticas básicas
que consideramos uma grande vantagem, que regressa à AER para defender os in- (dimensões, velocidade, ferramenta) com
porque esperamos um grande potencial teresses do setor a partir de uma posição os quais, a peça tem que ser criada. Antes
dos Emirados Árabes Unidos e dos países conjunta. de executar o programa, o operário pode
do Médio Oriente.” A AER promove a transformação do simular o programa, permitindo que o sis-
O Grupo Schmersal, um fornecedor tecido produtivo através de tecnolo- tema detete, se faltam informações e se
globalmente reconhecido no setor de gias de robótica industrial e automação houve erros de programação. Se for de-
segurança de máquinas, não só fornece e serve de espaço de debate e refle- tetado um erro, o CNC irá alertá-lo para o
soluções inovadoras aos seus clientes, na xão sobre o futuro do setor, do qual a que aconteceu imediatamente, oferecen-
região MENA (Oriente Médio e Norte da SCHUNK é um ator fundamental. A AER do ajuda para o resolver. Pode ver o vídeo
África), com produtos e sistemas relacio- conta com atores de todas as atividades em www.youtube.com/watch?v=EX3E_
nados com a segurança de alta qualida- do mercado, desde fabricantes e distri- FYNPBs&feature=youtu.be
de, como também oferece o programa buidores até engenheiros, integradores,
abrangente de serviços de segurança centros tecnológicos, universidades de
tec.nicum. “A nossa divisão de serviços é empresas. Atualmente conta com cer- EPL na Empack & Logistics
uma rede mundial com engenheiros es- ca de 30 parceiros e 10 colaboradores, e Moldplás
pecialistas em segurança funcional cer- organizados em 3 grupos de trabalho, EPL – Mecatrónica & Robótica
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

tificados pela TÜV Rheinland. Assim, os segundo as suas áreas de atuação: even- Tel.: +351 210 997 456
serviços da organização internacional tec. tos, formação e inovação. Outro dos ob- info@epl-si.com · www.epl-si.com
nicum também podem ser consultados fá- jetivos da associação é apoiar as inicia-
cil e confortavelmente, pelos nossos clien- tivas que favoreçam o desenvolvimento
tes, nos Emirados Árabes Unidos”, explicou e o prestígio do setor, incentivando os
Uwe Seeger. espaços de networking, desenvolvendo
Os Emirados Árabes Unidos e a Ará- estudos de mercado sobre a venda de
bia Saudita são os principais mercados robots industriais e reunindo os conhe-
42

do Médio Oriente. Os próximos eventos cimentos transversais para melhorar


importantes, como a Expo 2020 no Du- a competitividade e a eficiência. Uma
robótica

bai e o Campeonato Mundial FIFA 2022 tendência imprescindível para um setor


no Catar, levaram a vários projetos de em ascensão do qual a SCHUNK espera
construção e infraestrutura na região fazer parte. A EPL abre o 3.º trimestre com a sua 5.ª
como, por exemplo, aeroportos e portos, participação na Empack & Logistics Por-
instalações para fornecimento de energia to, na EXPONOR, nos dias 18 e 19 de
e de água, bem como muitos edifícios de Novo vídeo tutorial em ciclos setembro.
hotéis. Estes projetos também tiveram conversacionais Em novembro estará também pre-
um impacto positivo no aumento da Fagor Automation S. Coop – Sucursal sente na MOLDPLÁS - Salão de Máquinas,
procura de máquinas e equipamentos. Portuguesa, Lda. Equipamentos, Matérias-primas e Tecno-
Tel.: +351 229 968 865 · Fax: +351 229 960 719 logia para Moldes e Plásticos, nos dias
fagorautomation@fagorautomation.pt 06 a 09 de novembro na Batalha, sendo
SCHUNK regressa à AER www.fagorautomation.pt duas boas oportunidades para conhecer
– Asociación Española de Robótica melhor a EPL e acompanhar as suas de-
y Automatización monstrações ao vivo.
SCHUNK Intec, S.L.U. Em constante transformação, a EPL
Tel.: +34 937 556 020 · Fax: +34 937 908 692 pretende garantir e acompanhar de per-
info@es.schunk.com · www.es.schunk.com to as constantes inovações que a cada
A maquinação conversacional é a ma- dia surgem na área da robótica. Nesse
neira express de criar programas rápidos sentido, e porque partilhar é também
e intuitivos para peças simples, além de uma forma de garantir esse compromis-
ser uma ferramenta acessível a qualquer so, a EPL disponibiliza no seu novo we-
operador de máquina. Atualmente a bsite, uma série de formações das mais
maquinação conversacional é comum- recentes atualizações de marcas como
mente utilizada em todos os tipos de in- EPSON, IAI, UR e MIR. A EPL convida todos
dústrias, já que permite ao operário criar os visitantes destas 2 feiras a fazer parte
programas, de forma intuitiva, sem ter da Academia da EPL e ficar a par dos mais
A SCHUNK, referência mundial em sis- conhecimentos prévios de programação, recentes desenvolvimentos tecnológicos
temas e técnicas de fixação, tornou-se em linguagem ISO. desta área.
PUB
ELESA+GANTER: design higiénico
REIMAN, Lda.
Tel.: +351 229 618 090 · Fax: +351 229 618 001
comercial@reiman.pt · www.reiman.pt

Cada vez mais, a higiene é um requisito fundamental, não


só da indústria alimentar, mas também das indústrias farma-
cêutica, médica e de tintas/corantes.
Com esta necessidade em mente, a ELESA+GANTER
apresenta uma gama de acessórios normalizados que
cumpre os requisitos da EHEDG (European Hygienic En-
gineering & Design Group) e da 3-A Sanitary Standards, Inc.
Todos os acessórios desta gama são fabricados em inox,
apresentam uma alta qualidade superficial e encontram-se
desprovidos de reentrâncias ou saliências, para além de que
os pontos de ligação/conexão se encontram devidamente
selados com vedantes adequados para os ambientes mais
exigentes. Entre os produtos que integram esta gama en-
contram-se pés niveladores, puxadores, manípulos, parafu-
sos e fêmeas, entre outros.

AGI na vanguarda da comercialização de


equipamentos e filamentos para a Impressão 3D
AGI-Augusto Guimarães & Irmão, Lda. 
Tel.: +351 22 753 74 00 · Fax: +351 22 753 74 90
geral@agi.pt · www.agi.pt

A Augusto Guimarães & Irmão, Lda. (AGI) tornou-se na 1.ª


empresa de distribuição de polímeros em Portugal a co-
mercializar equipamentos e filamentos para a Impressão
3D. Depois de um período de análise de mercado e de ne-
gociações, a Augusto Guimarães & Irmão, Lda. está já a dar
os primeiros passos na comercialização de equipamentos
de impressão 3D das marcas ROBOZE e RAISE 3D e, ainda,
filamentos das marcas FILKEMP e SABIC.
 “Ao longo dos mais de 100 anos do nosso percurso, a em-
presa sempre se manteve atenta às inovações tecnológicas a
nível global que, de alguma forma, se cruzam com áreas do
nosso conhecimento, procurando sempre trazer antecipada-
mente oportunidades ao mercado que facilitem aos nossos
clientes o acesso à inovação e à competitividade nas suas
correspondentes áreas de atuação”. escla- robótica a mais de 63 000 utilizadores de cidade chinesa de Suzhou. A cerimónia
rece Tiago Coelho, gerente da AGI. 130 países. de inauguração desta nova instalação
 O mercado de Impressão 3D está A iniciativa começa com um total de de produção ultramoderna ocorreu em
a crescer exponencialmente, atraindo 13 centros certificados que serão mo- julho de 2018. Com uma superfície útil
cada vez mais players de potencial tec- nitorizados pela Universal Robots em total de 14 000 m2 e uma moderna área
nológico ao setor. As soluções ofere- Barcelona, e por empresas colaborado- de receção, o edifício de 10 metros de
cidas cobrem cada vez mais requisitos ras em Bilbau, esperando que a rede de altura é uma grande melhoria relativa-
técnicos, permitindo que este processo formação se estenda a 50 escolas no final mente à antiga instalação de produção.
aporte cada vez mais o seu potencial de 2019. A partir da sua sede em Barce- Como parte do projeto de construção fo-
pela liberdade de design e velocidade lona, a empresa dinamarquesa será res- ram utilizados muitos conceitos dos ou-
de materialização. “Este é o momento ponsável pela acreditação dos próximos tros locais de produção da Weidmüller. “A
para juntar à nossa distribuição de po- centros de formação na Espanha, França, estrutura das salas permitem-nos utilizar o
límeros e equipamentos o processo de Itália e Portugal. espaço disponível com uma maior eficiên-
Impressão 3D. Consideramos que juntar A rede de centros autorizados dá um cia. As rotas de produção e o armazém tem
esta nova área de atuação permitirá li- passo à frente e aposta que os utilizado- regras definidas, e por isso o transporte de
gar a nossa experiência no fornecimento res finais de cobots sejam integradores, mercadorias pelas instalações é mais flexí-
e apoio à transformação de polímeros operadores, projetistas de máquinas ou vel, rápido e simples”, explicou Thomas Ki-
a um processo inovador que finalmente profissionais de vendas, que possam pke, Head Global Production da Weidmül-
começa a encontrar aplicações de peças aprender utilizando os cobots em sessões ler. Com mais 2500 m2 de espaço aberto
funcionais para além da já consolidada mais práticas, uma vez que haverá um na nova unidade de produção, a Weid-
prototipagem”, explica Tiago Coelho. robot colaborativos para cada duas pes- müller tem capacidades adicionais para
NOTÍCIAS DA INDÚSTRIA

 De 06 a 09 de novembro, num dos soas. Os utilizadores adquirem conheci- procurar e implementar as suas ideias
principais eventos de referência no setor, mentos de programação, comunicação na produção lean e no desenvolvimento
a Moldplás, a AGI convida todos os seus industrial, sequências de comandos e sustentável para o futuro.
clientes e todos aqueles que ainda não interfaces que podem ser logo imple- Os gestores do projeto atribuíram
estão familiarizados com a manufatura mentados no seu ambiente de trabalho. uma grande importância ao projeto de
aditiva a conhecer as suas soluções. O programa da Universal Robots tem 3 estações de trabalho modernas que aju-
níveis: o 1.º baseia-se na plataforma on- darão a aumentar a produtividade e a
line Universal Robots Academy; o 2.º é criatividade, mantendo os funcionários
44

Universal Robots inaugura centros presencial e inclui competências inter- da empresa motivados. Em simultâneo, a
de formação em Barcelona e Bilbau médias para utilizadores de cobots com Weidmüller optou por um fornecimento
robótica

Universal Robots Spain S.L módulos como ajustes de segurança, de energia com tecnologia solar na for-
Tel.: +45 89 93 89 89 aplicações básicas, controlo de força e ma de um sistema de geração de energia
sales@universal-robots.com plano de implementação; o 3.º consta de no local, em Suzhou. Portanto a produ-
www.universal-robots.com 3 especializações – aplicações avançadas ção é mais verde, segura e sustentável.
para utilizadores profissionais, comunica- Toda a infraestrutura de IT está mais di-
ções industriais para integrar os cobots recionada para a segurança e eficiência.
com equipamentos industriais externos “O nosso objetivo passa por conetar siste-
como PLCs ou HMIs e interfaces para maticamente todos os nossos recursos, co-
monitorizar os cobots de forma remota e meçando pelas nossas instalações de pro-
trocar os dados do processo. dução, produtos e, obviamente, os nossos
funcionários, com o objetivo de desenvolver
soluções mais inteligentes para os nossos
Weidmüller continua a sua história clientes”, explicou Lance Zhao, Executive
Para continuar a disponibilizar a robóti- de sucesso na China Vice President Region Asia da Weidmüller.
ca colaborativa para todos os trabalha- Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A. O local de produção desempenha
dores, a Universal Robots lançou uma Tel.: +351 214 459 191 · Fax: +351 214 455 871 um papel importante na estratégia de
rede mundial de centros de formação weidmuller@weidmuller.pt · www.weidmuller.pt produção global da Weidmüller. A em-
autorizados que começa por ter 2 aca- presa está representada localmente des-
demias em Espanha: em Barcelona e de 1994 e, durante esse período evoluiu
Bilbau. O programa permite aos alunos de produtora individual de produtos na
ter um contacto direto com os cobots e área da conetividade até fornecedora de
praticar em aplicações reais, fornecendo soluções de sistemas inteligentes. Atual-
habilidades de programação a qualquer mente é um parceiro importante para
utilizador, com ou sem experiência ante- muitas empresas chinesas nas áreas da
rior na utilização de robots. Este projeto automação industrial e digitalização, ro-
nasceu da experiência anterior do centro bótica, conetividade e logística inteligen-
de formação online da Universal Robots A Weidmüller está a comemorar a aber- te, análise de Big Data, gestão de energia
Academy que já ensinou programação tura de um novo edifício de produção na e soluções para turbinas eólicas.
PUB
DOSSIER
sobre automação
cognitiva e robótica

48 Robótica Pedagógica e currículo escolar


João Vilhete Viegas d’Abreu, Universidade Estadual de Campinas-NIED
Dossier sobre Automação Cognitiva e Robótica

Maria de Fátima Garcia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte-CERES/DEDUC

50
A Inteligência Artificial incorporada na robótica
Renato Suekichi Kuteken, Rayanne Floriano Batista

52
Como a automação robótica de processos impulsiona a melhoria dos processos
– e a necessidade de infraestrutura industrial edge
António Varandas, Marketing & Business Development Industry Manager
Schneider Electric
46

A automação cognitiva, a robótica, a AI o Big Data são a materialização facial), as ferramentas de navegação da
robótica

tecnológica, da informação que durante longos anos o ser humano Web sugerem-nos cada vez mais produ-
processou. Não poderemos esquecer-nos dos "Big arquivos" de tos, páginas e serviços, geridos por siste-
informação com enormes dossiês que normalmente se encontravam mas inteligentes que analisam, online, o
indexados, num outro arquivo, numerados e de A a Z, segundo uma nosso perfil de pesquisas. O Homem tor-
orientação cartesiana XY de armários e prateleiras. Por outro lado na-se “escravo” da tecnologia que se torna
será fácil visualizar os enormes escritórios de contabilidade onde, em cada vez mais “senhor” dos nossos hábitos
uníssono, os manguitos se movimentavam num ciclo de vai-e-vem, ou mesmo do nosso destino.
por entre o martelar de teclas, avançando ou reposicionando as folhas Longe vão os tempos em que nos
dos balanços e balancetes. riamos da comparação de um automó-
vel com um sistema informático. O ato de
sair e entrar, desligar e tornar a ligar um
As tecnologias de informação, a auto- polifacetados e capazes de acrescentar sistema, repunha-o em funcionamen-
mação, a robótica, a AI, as redes neuro- valor às suas operações. to. Hoje, este lema está cada vez mais
nais bem como o desenvolvimento de A robótica enquanto parceiro de tra- presente em todos os sistemas que nos
linguagens cognitivas revolucionaram o balho, robótica colaborativa, libertou-nos rodeiam e o ato de sair e tornar a entrar
modo como vemos ou poderemos ver de tarefas repetitivas e debilitantes que, num automóvel não o coloca em funcio-
a nossa existência a curto prazo. Se, por em muitos casos, conduzem a problemas namento, mas o ato de o desligar e tor-
um lado, se tornam ferramentas impor- económicos (baixas médicas ou reformas nar a ligar é cada vez mais uma realidade
tantes de aprendizagem, que nos permi- antecipadas com perda de know-how, por necessária, em determinadas situações,
tem errar antes de concretizar, também exemplo) difíceis de ultrapassar. No dia-a- ao seu funcionamento. Nesta senda de
revolucionaram o comportamento social -dia toda esta tecnologia, utilizada na me- acontecimentos, a condução autónoma
do homem não só ao nível da socializa- lhoria de vida, condiciona-nos enquanto tornou-se já uma realidade e perto está
ção, saber estar, mas também ao nível ser humanos. O uso de telemóveis, mes- o dia em que diremos, ao nosso carro
do saber fazer. A automação substituiu o mos os menos sofisticados, informam, elétrico, o destino pretendido enquanto
homem, enquanto operário especializa- permanentemente, da nossa localização, saboreamos uma chávena de café ou le-
do numa operação monótona e perigo- as câmaras de vigilância, mesmo que de mos um livro.
sa, criando problemas socioeconómicos uso privado, identificam-nos rapidamente
e exigindo que os “sobreviventes” sejam (sistemas avançados de reconhecimento Adriano A. Santos
PUB
Robótica Pedagógica e currículo
escolar
No contexto de ensino e aprendizagem costumamos categorizar o vierem a atuar na área de RP aprendam a
ambiente de trabalho em Robótica Pedagógica (RP), como sendo o utilizar os mais variados sensores e atua-
espaço no qual a concepção, design, construção automação e controlo dores utilizados no campo da robótica.
Universidade Federal do Rio Grande do Norte-CERES/DEDUC, maria_defatima@yahoo.com.br

de dispositivos robóticos leva à aprendizagem de conceitos científicos. A RP pode ser constituída como uma
Dossier sobre Automação Cognitiva e Robótica

Quando este processo ocorre numa sala de aula, Figura 1, em que a componente curricular, não somente
prática da RP privilegia o aluno de conteúdos curriculares podemos dentro das ciências exatas, mas também
dizer que a robótica está integrada ao currículo. das ciências humanas e sociais. A socie-
dade atual impõe-nos, diariamente, pro-
Universidade Estadual de Campinas-NIED, jvilhete@unicamp.br

curas sociais e inovações tecnológicas


João Vilhete Viegas d’Abreu1 e Maria de Fátima Garcia2

que podem ser inseridas no mundo da


RP tornando-a uma componente esco-
lar mais interdisciplinar possível, como
por exemplo, no que refere aos Estudos
Étnico-Raciais, componente curricular
presente nas escolas brasileiras, como
resposta à Lei 10639/03 que torna obri-
gatório o ensino da História e Cultura
Africana e Afro-Brasileira. Ao currículo de-
ve-se, primeiramente, problematizar: “A
quem se destina este currículo?” Às res-
2
1

postas devem-se adequar os conteúdos


48

e conceitos, ferramentas pedagógicas,


campos disciplinares do conhecimento,
robótica

metodologias de ensino e práticas pe-


dagógicas. Sabendo-se que a educação
e muito menos o currículo não são neu-
tros, portanto estão em contraposição,
Figura 1. Alunos numa sala de aula de Robótica Pedagógica. toda a ação educativa é política porque
engendrada em contextos sociais sem-
pre tensionados pelas diversas culturas
DESENVOLVIMENTO robóticos propiciam a aplicação concreta e pela economia, esta última geradora
A robótica pode ser entendida como de conceitos, num ambiente de ensino de exclusões e desigualdades, o desafio
uma forma de automação industrial, um e aprendizagem (D’Abreu, 2002). Neste está no desenvolvimento de ações que
conjunto de conceitos básicos de Mecâ- sentido, na área da RP o desenvolvimen- possibilitam integrar a RP ao currículo, de
nica, Cinemática, Automação, Hidráulica to de dispositivos robóticos automatiza- forma que exista um diálogo transforma-
Informática e Inteligência Artificial, den- dos está muito relacionado com o uso de dor tanto entre os pares - colegas profes-
tre outros envolvidos no funcionamen- atuadores sensores e plataformas eletró- sores - quanto entre as disciplinas, para
to de um robot. Isto é uma combinação nicas que são os componentes usados uma troca de ideias. Para Paulo Freire, o
das engenharias: Mecatrónica, Elétrica, na automação destes dispositivos como diálogo começa quando o educador per-
Mecânica, Industrial, Computação, Ci- mostra a Figura 2. gunta em torno “de quê” ele vai dialogar
vil, Arquitetura, com a Economia, Física, Portanto é importante que os alunos com os seus alunos e de que maneira tal
Química, Matemática, Biologia, dentre e professores da educação básica que diálogo tornar-se-á emancipador para a
outras, Ciências de Referência, que juntas
possibilitam a implementação de dispo-
sitivos robóticos que são utilizados para
a realização de uma determinada tarefa.
A RP, por sua vez, pode ser entendida
como a utilização de aspetos/aborda-
gens da robótica industrial num contex-
to no qual as atividades de construção,
automação e controlo de dispositivos Figura 2. Alguns componentes eletroeletrónicos da RP.
vida dos estudantes (Freire, 1987). Ainda
mais, o diálogo conceitual entre os di-
versos campos do conhecimento man-
tido no ambiente interdisciplinar deve
ajudar a estabelecer a comunicação e a
cooperação entre alunos e professores,
constituindo-se como uma prática so-
cial. Entretanto, para que isso aconteça é
necessário que duas áreas distintas mas Figura 3. Estufa automatizada IoT.
complementares da Educação, como
o saber, o Currículo e a Formação de
Professores se inter-relacionam à apren- automaticamente uma determinada única disciplina que se aproprie e se nu-

Dossier sobre Automação Cognitiva e Robótica


dizagem de conceitos científicos, envol- tarefa que geralmente tem a ver com a tra tecnologicamente de outras culturas.
vendo a RP em, pelo menos, 4 aspetos cultura e com o dia-a-dia da escola. Por
destacados: exemplo, permitir que um robot androi-
1.º) História da robótica, as suas de verifique se as luzes das salas de aula CONCLUSÃO
aplicações e inventores: consiste em estão acesas ou não; na construção de Ao longo deste artigo pudemos discor-
ensinar aos estudantes que os primeiros um automóvel controlado por smar- rer sobre a prática da robótica integrada
autómatos surgiram no Egito no ano de tphone e de uma garagem automatizada, ao currículo num contexto de ensino e
5000 AC e, muito tempo depois, na Re- com vistas ao aluno de conceitos básicos aprendizagem inovador em que é possí-
volução Industrial evoluíram e transfor- sobre programação, eletrónica e mecâni- vel realizar a construção de dispositivos
maram-se em manipuladores robóticos, ca; sistema de estufa automatizada IoT, robóticos em condições que possibili-
impulsionaram a robótica das indústrias (Figura 3), na qual é possível monitorar, tam a aprendizagem prática de concei-
da atualidade, desenvolver nos alunos o via smartphone, as variáveis internas e tos inerentes às Ciências de Referência
gosto pela pesquisa e orientá-los a co- externas como temperatura e humidade (Física, Matemática, História e Cultura
nhecer a autoria dos inventos tecnológi- de forma remota, entre outros. Afro-Brasileira, Português, Química, Esta-
cos, como por exemplo, tendo sido Gar- Portanto, o currículo deve ser eman- tística, entre outras) de maneira divertida
rett Augustus Morgan, um cidadão cipador para que os estudantes perce- e diferenciada. Ou seja, em situações de
afro-americano o inventor do semáforo bam na robótica uma possibilidade de uso didático-pedagógico da robótica

49
aperfeiçoado (Machado e Loras, 2017). O aprendizagem e, possivelmente, no fu- que levam a uma transposição destas
currículo escolar, neste exemplo, promo- turo, um campo profissional de atuação. Ciências de Referência para serem com-

robótica
ve a interdisciplinaridade com os conteú- Para isso é importante que o processo preendidas e apreendidas mais facilmen-
dos e conceitos dos seguintes campos abarque atividade de construção de te por alunos do Ensino Fundamental e
do conhecimento: História da África; His- conhecimento que pode, pelo menos, Médio através do processo de conceção,
tória do Dispositivo Robótico Semáforo; possibilitar o desenvolvimento da inte- design, construção, automação e contro-
Língua Portuguesa. Também trabalha a ligência, corporal sinestésica e musical; lo de dispositivos robóticos.
importância do reconhecimento episte- lógico-matemática; linguística; histórica;
mológico dos autores e inventores e, fi- espacial; intrapessoal e interpessoal. Nes-
nalmente, responde à Lei 10639/03, con- te sentido, num ambiente de RP espera- REFERÊNCIAS
forme mencionada no início deste texto. -se que tanto o professor como os alunos [1] BRASIL. Lei 10639/2003. Altera a Lei 9394/1996
2.º) Conceção e design do dispo- tenham condições de desenvolverem que estabelece as diretrizes e bases da educa-
sitivo robótico: consiste na discussão e um trabalho mais amplo que perpassa a ção nacional para incluir no currículo da Rede de
troca de ideias sobre o desenvolvimento sala de aula e vá além dos limites de uma Ensino a obrigatoriedade da temática História e
de um robot. Nesta oportunidade, com Cultura Afro-brasileira e dá outras providências.
base na proposta da tarefa a ser execu- www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.
tada, o grupo discute e decide sobre que htm Acesso em 23 de Junho de 2019.
tipo de robot que deve ser desenvolvido. ...em situações de uso [2] D’ABREU, J.V.V, Integração de Dispositivos Meca-
3.º) Construção e implementação: didático-pedagógico da trônicos para Ensino-Aprendizagem de Conceitos
consiste na montagem do robot, imple- robótica que levam a na Área de Automação. Teses de Doutorado,
mentação do sistema mecânico do dis- uma transposição destas Faculdade de Engenharia Mecânica, Unicamp,
positivo robótico, por exemplo, um carro, Ciências de Referência para Campinas, São Paulo, Brasil, 2002.
um elevador, um semáforo interativo, um serem compreendidas e [3] FREIRE, P. A Pedagogia do Oprimido. Paz e Terra,
androide, entre outros. apreendidas mais facilmente Rio de Janeiro, 1987.
4.º) Automação: consiste na ela- por alunos do Ensino [4] MACHADO, C. E. D. e LORAS, A. B. Gênios da
boração de programas para automação Fundamental e Médio humanidade: Ciência, tecnologia e inovação afri-
e controlo do robot. Desenvolvimento através do processo de cana e afrodescendente. DBA Artes Gráficas, São
de programas numa determinada lin- conceção, design, construção, Paulo, SP, 2017.
guagem de programação que, ao ser automação e controlo de [5] MARIE, R. e HAGEN, R. Egipto: Pessoas Deuses.
executada, permite que o robot realize dispositivos robóticos. Faraó. Taschen GmbH, South Korea, 2005.
A Inteligência Artificial
incorporada na robótica
Este artigo inicia-se com uma breve conceituação interessantes devido ao compor-
da Inteligência Artificial (IA). Em seguida são tamento emergente dos sistemas
apresentados alguns tópicos interessantes da IA compostos por elementos simples
encontrados na literatura. Por fim, o conceito da interligados (neurónios artificiais).
Dossier sobre Automação Cognitiva e Robótica

cognição incorporada é abordado, bem como o (Exemplo: Biped Dynamic Walking


papel da robótica e da sua simulação robótica no Using Reinforcement Learning [2]);
campo de estudo. • Aprendizagem: relacionado com
as RNAs, a aprendizagem apresenta-
-se através de técnicas de ajuste dos
parâmetros dos neurónios artificiais.
Trata-se de um procedimento análo-
go ao ‘treinamento’ dos sistemas cog-
nitivos biológicos. (Exemplo: Learning
Internal Representations by Error Pro-
pagation [3]);
rayanne.floriano@gmail.com
Renato Suekichi Kuteken

Rayanne Floriano Batista

• Imaginação: a imaginação pode ser


rskuteken@gmail.com

definida como a capacidade de for-


mar imagens ou ideias na mente sem
que elas estejam a ocorrer na forma
de ações e sensações no ambiente.
[4] Esta habilidade foi implementa-
50

da em experiências com agentes


cognitivos incorporados. (Exemplo:
robótica

Functional Embodied Imagination and


Episodic Memory [5]);
• Psicanálise: o modelo proposto por
Sigmund Freud através da teoria da
personalidade foi objeto de estudo
1. INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL 2. FILOSOFIA, PSICOLOGIA em IA, ao inspirar a organização de
Com a popularidade do machine learning E NEUROCIÊNCIA uma arquitetura de controlo robó-
no contexto atual criou-se a imagem de No intuito de definir o que é a inteligên- tico com mecanismos análogos às
que a Inteligência Artificial (IA) consiste cia e refletir sobre as possíveis formas de estruturas do aparelho psíquico (Id,
somente na Big Data e nas Redes Neu- replicá-la, a filosofia, a psicologia e a neu- Ego e Superego) (Exemplo: Cognitive
rais. Apesar disso, o machine learning é rociência ganharam um papel impor- Decision Unit Applied to Autonomous
o desenvolvimento de apenas um dos tante na observação e na modelagem Biped Robot NAO [6]);
aspetos isolados da mente humana, con- de mecanismos e fenómenos da psique • Cognição incorporada: a cognição
sistindo numa parte mais comercializável humana. Partindo-se do modelo claro de é incorporada quando ela é depen-
da IA [1]. um determinado aspeto da mente é pos- dente de caraterísticas do corpo físi-
Na realidade, a IA é um conceito mais sível estabelecer algoritmos e técnicas co de um agente cognitivo. Nestes
amplo na sua origem, que contempla a computacionais que visem a sua emula- casos, os aspetos físicos possuem
possibilidade da criação de uma máqui- ção (ou, ao menos, a sua simulação). um papel crucial, relacionando-se
na que apresente uma inteligência do A seguir são apresentados, de ma- de maneira causal ou constitutiva
mesmo nível da observada num ser hu- neira sucinta, alguns dos conceitos es- no processo cognitivo [4]. (Exemplo:
mano [1]. Pode-se dizer assim que a IA é tudados na IA, bem como exemplos de RobotCub: An Open Framework for Re-
um campo de estudo que possui viés an- publicações relacionadas: search in Embodied Cognition, [7]).
tropomimético. A IA originalmente inclui • Estruturas neurais: um dos tópi-
capacidades humanas como aprendiza- cos mais populares da atualidade, as
gem, representação do conhecimento, Redes Neurais Artificiais (RNA) bus- 3. COGNIÇÃO INCORPORADA
tomada de decisões, entendimento da cam mimetizar as estruturas neurais E O PAPEL DA ROBÓTICA
linguagem humana e, até mesmo, imagi- biológicas [1]. As implementações Inicialmente, os estudos no campo da
nação, consciência e emoções. das RNAs apresentam resultados IA concentraram-se em problemas de
cognição desincorporada, baseando-se em Steels (1993) afirmam ser inevitável a cons- REFERÊNCIAS
semânticas simples e em modelos internos trução de corpos físicos para a interação com [1] BROOKS, Rodney Allen. Cambrian Intelligence: The
do mundo constituídos por representações ambientes reais, especialmente no caso do early story of the new AI. Cambridge, Massachusetts: Mit
simbólicas claras (são exemplos os jogos, os estudo de competências sensoriais e motoras, Press, 1999.
problemas matemáticos e as comprovações não bastando a mera simulação destes siste- [2] BENBRAHIM, Hamid; FRANKLIN, Judy A. Biped dynamic
de teoremas). Segundo Brooks (1990), esta mas [10]. Ziemke (2003) fornece outro ponto walking using reinforcement learning. Robotics and Au-
abordagem falha devido à sua dependência de vista ao afirmar que, além da construção de tonomous Systems, [s.l.], v. 22, n. 3-4, p.283-302, dez.
da capacidade de abstração humana, uma incorporações físicas, a simulação de sistemas 1997. Elsevier BV.
vez que caberia a um operador humano a robóticos situados em ambientes virtuais traz [3] RUMELHART, David E.; HINTON, Geoffrey E.; WILLIAMS,
resolução de diversas questões (como a inter- vantagens complementares aos protótipos. Ronald J. Learning internal representations by error
pretação espacial, o tratamento de ruídos dos Segundo o autor, as simulações permitiriam propagation. California Univ San Diego La Jolla Inst for
sensores e a criação de modelos) para que os um melhor controlo das caraterísticas do am- Cognitive Science, 1985.
dados reais dos problemas fossem reduzidos a biente e dos agentes robóticos, possibilitando [4] ZALTA, Edward N. (Ed.). The Stanford Encyclopedia of
declarações simples, simbólicas e compreensí- uma variação mais isolada e controlada des- Philosophy. Disponível em https://plato.stanford.edu.
veis pela IA [1], [8]. tes parâmetros, bem como a observação dos Acesso em 09/jul/2019.
Em contraposição aos trabalhos iniciais efeitos de cada parâmetro no desempenho do [5] HOLLAND, Owen; MARQUES, Hugo Gravato. FUNC-
surgiram IAs que evitavam a representação sistema cognitivo [9]. TIONAL EMBODIED IMAGINATION AND EPISODIC MEMO-
simbólica do mundo, reduzindo portanto a RY. International Journal of Machine Consciousness. [s.l.],
necessidade da abstração de um operador v. 02, n. 02, p.245-259, dez. 2010. World Scientific Pub
humano para fornecimento dos símbolos e 4. CONCLUSÃO Co Pte Lt.
dando origem à vertente das IAs baseadas Neste artigo foi realizada uma breve concei- [6] DEUTSCH, Tobias et al. Cognitive decision unit applied
no corpo físico. Esta abordagem propõe que tuação da IA e de alguns tópicos de interesse to autonomous biped robot NAO. 2011 9th IEEE Interna-
a interação sensorial e motora com o mundo da literatura acerca da área de estudo. Poste- tional Conference On Industrial Informatics, [s.l.], p.75-
em tempo real é preferível à elaboração de riormente, foi dado foco ao conceito da cog- 80, jul. 2011. IEEE.
um modelo interno de mundo. Pode-se dizer nição incorporada, pontuando-se o papel de [7] SANDINI, G.; METTA, G.; VERNON, D. RobotCub: an open
aqui que o mundo em si é considerado o mais importância da robótica e da sua simulação no framework for research in embodied cognition. 4th IEEE/
atualizado e exato modelo dele mesmo, desde desenvolvimento da cognição incorporada. RAS International Conference on Humanoid Robots.
que se possa realizar os sensoriamentos apro- A cognição incorporada apoia-se no surgi- [s.l.], v. 1, p.13-32, 2004. IEEE.
priados com a frequência necessária [8]. Neste mento emergente da inteligência em decor- [8] BROOKS, Rodney A. Elephants don’t play chess.
contexto, o desenvolvimento da robótica e da rência da atuação de um agente inteligente Robotics and Autonomous Systems, [s.l.], v. 6, n. 1-2, p.3-
simulação robótica (junto a uma simulação num ambiente interativo. Neste contexto, a ro- 15, jun. 1990. Elsevier BV.
de mundo virtual) tornam-se ferramentas im- bótica ganha especial importância no desen- [9] ZIEMKE, Tom. On the role of robot simulations in
portantes para viabilizar a interação do agente volvimento da área de pesquisa, tanto quando embodied cognitive science. AISB journal, v. 1, n. 4, p.
cognitivo com o ambiente [9]. implementada fisicamente quanto quando 389-99, 2003.
Em relação às formas de implementação simulada, constituindo assim um terreno fértil [10] STEELS, Luc. The artificial life roots of artificial intelligence.
de incorporações robóticas, autores como para futuros desenvolvimentos. Artificial life, v. 1, n. 1_2, p. 75-110, 1993.

PUB
Como a automação robótica
de processos impulsiona
a melhoria dos processos
– e a necessidade de
infraestrutura industrial edge
Dossier sobre Automação Cognitiva e Robótica

A Inteligência Artificial (IA) está a melhorar dramaticamente O QUE É A RPA E PARA QUE SERVE
a produtividade e rentabilidade das empresas comerciais e A RPA lida com as vastas quantidades de
Marketing & Business Development Industry Manager

industriais, automatizando respostas a eventos em tempo real – dados que resultam da implementação
desde que as empresas disponham de uma infraestrutura industrial do conceito Indústria 4.0, que envolve
edge apropriada on-site, que ofereça a capacidade que esta a digitalização de todo o tipo de apli-
tecnologia requer. cações e processos em setores verticais
que podem ser tão diversificados quanto
Schneider Electric
António Varandas

a indústria, o retalho ou os cuidados de


saúde.
Tal como o seu nome implica, a RPA
automatiza processos repetitivos. A sua
lógica de funcionamento passa essencial-
52

mente pelo registo, por parte do softwa-


re RPA, de todas as ações realizadas por
robótica

um ser humano para desempenhar um


determinado processo, passando o com-
putador a realizar esses mesmos passos –
repetidamente, só que muito mais rápido
e com maior precisão do que alguma vez
um ser humano seria capaz de fazer.
Qualquer processo que implique
fazer exatamente a mesma coisa, vezes
sem fim, está apto a ser automatizado
pela RPA. Este conceito pode ser aplica-
do ao envio de encomendas, a resposta
a emails de clientes, ao tratamento de
relatórios de inventário e à geração de
faturas, apoiando ainda o cumprimento
As tecnologias de IA, como a automação tempo real das aplicações em ambien- de regulamentação e muito mais.
robótica de processos (Robotic Process tes industriais e comerciais, os recursos Considere-se a manutenção preven-
Automation - RPA) permitem libertar os de computação precisam de ser locais tiva no âmbito industrial: uma determi-
seres humanos de tarefas repetitivas, per- e não estar num datacenter a grande nada máquina gera um fluxo constante
mitindo-lhes focarem-se em atividades distância ou na cloud. Em resumo, a RPA de dados informativos sobre o seu esta-
mais estratégicas. A RPA processa vastas exige edge computing, o que significa do. Normalmente, um ser humano olhará
quantidades de dados em milissegun- que as empresas comerciais e industriais para esses dados e tentará identificar al-
dos, criando condições para aplicações precisam de explorar formas de acede- terações em relação ao estado de funcio-
que vão desde a manutenção preditiva rem, efetivamente, a centros de dados namento de base normal. Provavelmen-
de máquinas à digitalização da produção edge em todos os locais em que pre- te, irá observar um gráfico criado depois
e à otimização de processos financeiros. tendam implementar a RPA – potencial- dos factos, não em tempo real, mas sim-
Porém, para ser eficaz, a RPA deve mente dezenas ou centenas deles para plesmente porque um ser humano não
dispor de recursos informáticos signifi- setores verticais como, por exemplo, o consegue acompanhar a velocidade da
cativos. Além disso, dada a natureza em retalho. produção dos dados.
PUB
As tecnologias de IA, como a
automação robótica de processos
(Robotic Process Automation - RPA)
permitem libertar os seres humanos
de tarefas repetitivas, permitindo-
lhes focarem-se em atividades
mais estratégicas. A RPA processa
vastas quantidades de dados em
milissegundos, criando condições para
aplicações que vão desde a manutenção
preditiva de máquinas à digitalização da
produção e à otimização de processos
financeiros.

A RPA automatiza esta tarefa, lendo os dados em tempo


real e criando um alarme apenas quando é identificada uma
alteração, sendo apenas neste momento que é necessária
a intervenção do ser humano para determinar se existe um
problema que necessita de ser resolvido. A organização rece-
be os dados sobre a máquina não só mais rapidamente, mas
para além disso, o trabalhador é também libertado para poder
dedicar-se a tarefas mais estratégicas e interessantes, criando
valor acrescentado para a empresa.
A mesma tecnologia pode ser utilizada em todos os tipos
de aplicações, por exemplo, como suporte à produção. Uma
aplicação de RPA pode ser utilizada para realizar verificações
de entrada e de saída de matérias-primas, ou para determinar
que materiais irão ser necessários e quando. A RPA pode tam-
bém ser utilizada para controlar as horas de produção e os
materiais utilizados, ajudando a prever o custo final dos bens
produzidos. E, mais importante ainda, reduz drasticamente a
possibilidade de erro humano.

A RPA NECESSITA DE UMA INFRAESTRUTURA


INDUSTRIAL EDGE
Todas estas aplicações correm em tempo real, requerendo
uma computação de baixa latência, facto que está a impulsio-
nar a procura de datacenters no edge.
Os requisitos de datacenters no edge são bastante seme-
lhantes aos de um datacenter tradicional, incluindo recursos
robustos de computação, armazenamento e rede, bem como
segurança física e cibernética.
É aqui que entram em campo os micro datacenters. Estes
têm muitos formatos, mas geralmente são unidades autóno-
mas que incluem em si toda a infraestrutura de alimentação,
arrefecimento e proteção de que necessitam. Os clientes po-
dem escolher a sua configuração exata, de acordo com as
arquiteturas de referência para disporem das capacidades de
processamento, armazenamento e tecnologia de rede que
asseguram que tudo irá funcionar na perfeição. Os micro da-
tacenters podem ser configurados quer na fábrica quer por
um integrador de sistemas, podendo ser entregues no local
prontos a usar, o que reduz o tempo de implementação da
tecnologia, um fator importante quando não existem recur-
sos de TI no local.
360 Tech Industry
levou Indústria 4.0, robótica
e automação à EXPONOR
Entre os dias 16 e 18 de maio a EXPONOR Exhibitions recebeu a BRESIMAR
1.ª edição da 360 Tech Industry – Feira Internacional da Indústria 4.0, 1 A Bresimar apresentou soluções de
Robótica, Automação e Compósitos, uma nova feira tecnológica que automação e robótica, nomeadamen-
apresentou ao mercado as novas soluções de engenharia e tecnologia te soluções da Denso Robotics para os
alicerçadas a um novo conceito de industrial. clientes poderem ver as novidades desta
área e ainda o XTS da Beckoff, uma solu-
Com o objetivo de dar a conhecer as mais Motion destacamos uma gama nova de ção ligada à automação.
recentes novidades tecnológicas e po- variadores de velocidade, o ACS 580, as-
tenciar e promover negócios, a 360 Tech sim como os motores de eficiência 4 e os
Industry surgiu no panorama de eventos smart sensors; por outro lado na área de
texto e fotos por André Manuel Mendes

nacional como uma feira especializada que robótica com os robots colaborativos, no-
em 3 dias reuniu 90 expositores e rece- meadamente com o nosso YuMi.
beu cerca de 4400 visitantes naquela que
é a maior sala de exposições do Norte de
reportagem

Portugal. Durante estes 3 dias as empresas 2 O balanço é positivo, não esperáva-


expositoras tiveram a oportunidade de mos que a feira tivesse tantos visitantes
apresentar os seus produtos e serviços nas e que fosse tão interessante. As pessoas
áreas de robótica, automação e compósi- que vieram à feira sabiam o que queriam,
tos, com destaque para os robots colabora- pessoas com um determinado problema
54

tivos, servindo também de plataforma de e que procuravam uma solução de robó-


negócios entre startups e fábricas. Merece- 2 O feedback é bastante positivo, diria tica ou automação concreta.
robótica

ram destaque nesta 1.ª edição do evento que as expetativas eram neutras, mas foi Pedro Neno, Diretor de Marketing e Comunicação
o espaço Let’s talk 4.0, onde se desenro- uma feira bastante interessante. Houve
lou um ciclo de conferências dedicado às uma grande adesão ao nosso stand com
várias áreas ligadas à indústria 4.0, e ainda perguntas e possibilidades de negócio. CONTROLAR
o espaço HubTech, exclusivamente dedi- Manuel Dias, Product Marketing Manager & Sales 1 A CONTROLAR apresentou na feira uma
cado a startups da área tecnológica. Team Coordinator máquina de automação para testar um
A revista “robótica” esteve presente componente e outras soluções mais tec-
durante todo o evento com um stand nológicas, bem como novos produtos que
próprio e quis conhecer junto dos seus AZ MECATRÓNICA estamos a pensar em trazer para o mercado
parceiros de negócio quais as novidades, 1 Mostrámos a nossa representada Co- no futuro. Por exemplo soluções de IoT para
soluções e produtos que apresentaram mau Robotics e sistemas de visão 2D e 3D. fazer monitorização de energia e outros
na 360 Tech Industry e ainda qual o seu Os clientes puderam encontrar soluções parâmetros, também a nível industrial, so-
feedback da 1.ª edição desta feira interna- inovadoras, desenvolvidas à sua medida e luções de realidade aumentada através de
cional dedicada à Indústria 4.0, robótica, orientadas para o aumento da produtivida- Hololens, bem como um um braço robótico
automação e compósitos. de e melhoria dos processos como contro- colaborativo da Kinova Robotics.
lo de qualidade, produto e inspeção.
1 QUAIS AS NOVIDADES/
PRODUTOS ARESENTADOS
NA FEIRA?
2 QUAL O FEEDBACK DA 1.ª
EDIÇÃO DA 360 TECH INDUSTRY?

ABB
1 A ABB apresentou as 3 grandes áreas 2 O balanço da feira é positivo, tive-
de negócio: a Eletrification com os produ- 2 O balanço da feira foi bastante positivo, mos bastantes pessoas a passar no nosso
tos de monitorização e análise de energia, os contactos bastante interessantes, e espe- stand e vários contactos, e agora espere-
quer ao nível dos quadros de distribuição ramos marcar presença na próxima edição. mos que estes deem frutos.
primário como secundário; ao nível da Carlos Mendes, Administrador Pedro Vieira, Gestor de Processos IDI
DNC TÉCNICA Kawasaki em robots industriais e as mar- mostrar o que fazemos nas áreas da auto-
1 A DNC Técnica apresentou células de cas Franka Emika e Rethink Robotics mação e da robótica onde apresentamos
produção de elétrodos, com robots que em robots colaborativos. Paralelamente o nosso catálogo geral com uma vasta
fazem passar as peças nos centros de ma- temos soluções nas áreas de perfil com gama de ofertas para estas e outras áreas.
quinação de forma automática e também montagem de linhas e estruturas. 2 Esperamos que esta feira se repita.
fazem a passagem dessas mesmas peças 2 Penso que esta feira devia mudar em António Costa, Responsável de Marketing
pelo controlo dimensional, tudo isto de algumas coisas, devia em primeiro ser só
forma integrada em células autónomas. durante a semana e depois poderia ter
um pouco mais de afluência, mas como igus
é a primeira edição a reação é diferente. 1 Apresentámos as soluções de robótica
Miguel Costa, Sócio-Gerente e de smart plastics, estes últimos que são
os nossos plásticos inteligentes e onde é
possível fazer uma previsão do desgaste
FESTO das calhas, dos cabos, entre outros.
1 O que a Festo fez foi refletir os produtos
2 O balanço da feira é extremamente relacionados com a parte da conetividade,
positivo, ao fim do terceiro dia estamos começando na parte do IoT com elemen-
surpreendidos porque houve uma gran- tos ciberfísicos que temos que no passado
de recetividade. eram meramente atuantes na linha de pro-
Ricardo Pires, Responsável do Departamento de dução, e que hoje são elementos que apor-
Automação e Robótica tam mais valor ao nível de conhecimento
do estado do produto e do processo de
fabrico. Nesse sentido a Festo apresentou 2 O balanço desta 1.ª edição é muito
EPL o terminal de válvulas VTEN na área pneu- positivo, tivemos muitos visitantes, muitos

reportagem
1 Apresentamos principalmente robots mática, o tratamento de ar com sensores clientes, muitos curiosos e também esco-
colaborativos da Universal Robots e da integrados que faz toda a reconversão do las, o balanço geral é bastante positivo.
Mobile Industrial Robots, e também robots conhecimento do processo da gestão de Bárbara Gonçalves, Marketing e Comunicação
convencionais da Epson e da IAI. À parte ar comprimido da linha para embeber em
disso tivemos presentes complementos à modelos de cloud através de uma gateway

55
área da robótica tanto ao nível de gripers, também presente na feira. INFAIMON
visão 2D e 3D, alimentação de peças e 1 A Infaimon apresentou principal-

robótica
também sensorização ao nível da força. mente 5 sistemas, um deles que é a no-
vidade da empresa no que respeita ao
bin picking, onde conseguimos com uma
câmara e tecnologia 3D apanhar todas as
peças que sejam colocadas numa caixa a
granel, possibilitando a transposição des-
sas peças para um sistema de inspeção
A Festo tem uma presença vertical em ou de place para garantir a qualidade.
toda a pirâmide da automatização.
2 O balanço da feira é positivo, gostámos Pedro Fonseca, Marketing Manager
da afluência e interesse de pessoas que es-
tão na área e procuram soluções tecnológi-
cas. Para nós é interessante porque é uma HELUKABEL
feira muito focada naquilo que fazemos. 1 Mostrámos que temos soluções a
Filipe Carrondo, Diretor-Geral nível digital em que os clientes podem
fazer uma encomenda e receber o cabo
em casa ou na empresa, no fundo que- 2 O balanço é positivo e estamos bas-
EUROPNEUMAQ remos estar mais perto de startups e em- tante satisfeitos, os visitantes procuram
1 Neste momento a Europneumaq re- presas internacionais na área da Indústria soluções para necessidades concretas.
presenta, na área da robótica, as marcas 4.0. No que respeita a produtos quisemos Rodrigo Silva, Responsável Comercial da Área
Industrial

M&M ENGENHARIA INDUSTRIAL


1 Apresentou as novidades do EPLAN 2.8,
o ProPanel, o Cogineer, ou seja, as principais
soluções da empresa que se enquadram
na temática da feira, a área da automação.
SEW-EURODRIVE Portugal UNIVERSAL ROBOTS
1 Em novidades destaca-se a área da 1 A nossa gama e-Series com várias
sensorização com a recolha de dados aplicações. como por exemplo polimen-
locais nos motorotores e variadores to de peças ou aparafusamento automá-
para serem trabalhados na Indústria tico. Tivemos igualmente um robot para
4.0, a parte dos drivers eletrónicos e de interagir com o público para estes per-
controlo, PLCs, servomotores ligados à ceberem o que é o sensor de força e bi-
2 Ficámos surpresos com a novidade indústria de grandes produções, bem nário. Outra aplicação é um exemplo de
desta feira. A feira tem um bom enqua- como a manipulação. Há também um uma aplicação de embalamento ou pick
dramento e é uma boa aposta. Penso interesse na divulgação dos AGVs que a and place com um robot equipado com
que na próxima edição muito mais em- SEW fabrica, smart sensors e controlo e uma ferramenta UR+ de vácuo. Não só
presas vão apostar nesta feira. automação. temos os robots mas também todo um
José Meireles, Gerente ecossistema de ferramentas, softwares,
sistemas de visão e acessórios que com-
plementam o robot.
RITTAL
1 A Rittal apresentou as suas últimas
soluções que se caracterizam pela faci-
lidade de manuseamento e integração
para facilitar o trabalho dos instaladores
e integradores. A principal novidade é o
armário VX25, o produto core da Rittal e a 2 O retorno que tivemos com a feira
sua grande aposta. não foi muito mau e vamos ver o futuro.
Jorge Aguiar, Gestor Comercial do Norte 2 Foi a primeira vez que estivemos a
reportagem

expor numa feira em Portugal com um


stand e o balanço é bom e mostra que a
TRUMPF Universal Robots está a apostar no mer-
1 Fizemos demonstrações do sof- cado português.
tware para controlo da produção Miguel Oliveira, Responsável de Vendas em
56

TruTops Fab, que permite planear e Portugal

conduzir o fluxo de trabalho como


robótica

2 O balanço da feira é positivo pois apos- um todo. Também demonstrámos o


ta bastante na temática da digitalização. software TruTops Boost, que combina WEIDMÜLLER
Francisco Dionísio, Comercial vários programas num só, integrando 1 A Weidmüller é à data de hoje mais
o processo de programação direta- do que um fabricante de borne. Com a
mente no universo 3D. Apresentámos Indústria 4.0 a Weidmüller conseguiu já
ROBOPLAN ainda os nossos serviços de consulto- desenvolver alguns produtos que se apli-
1 A Roboplan levou o robot colabo- ria, que visam otimizar os processos de cam nesta nova realidade. O objetivo da
rativo HC10 bem como a mais recente produção e aumentar o grau de digi- presença nesta feira é mostrar aquilo que
novidade da gama geral, o Motomini, o talização das empresas. somos à data de hoje não só na gama
robot mais pequeno e mais leve do mun- do borne mas também novas soluções
do industrial, e apresentamos ainda um como routers, switches, e a mais recente
novo software desenvolvido pela Yaska- novidade da Weidmüller que é a Indus-
wa que vai de encontro à Indústria 4.0, trial Analytics que permite fazer manu-
que permite monitorizar qualquer tipo tenção preditiva.
de equipamento.

2 Foi uma boa oportunidade para apre-


sentarmos as novidades e os serviços de
consultoria, para um público específico.
Existe ainda um longo caminho a per-
correr, no âmbito da Indústria 4.0. Feiras
2 O feedback é bastante positivo e cer- como esta, são importantes para aumen- 2 Não estávamos à espera do bom
tamente na próxima edição marcaremos tar a visibilidade das soluções que, já feedback, tivemos muitas visitas de pro-
presença. hoje, podem transformar a competitivi- fissionais da área e com probabilidade de
Ricardo Correia, Responsável de Comunicação e dade de uma empresa. criar parcerias.
Marketing Pedro Henriques, Office Manager Pedro Rodrigues, Field Sales Engineer
PUB
I Fórum – Indústria 4.0
Endress+Hauser quer criar valor na digitalização
dos processos industriais.

A multinacional suíça de tecnologias de medição e automação de serviços e soluções que permitam a cone-
processos industriais ajustou a sua estratégia face às necessidades da tividade, aplicações que reforcem a expe-
digitalização intensiva no contexto da Indústria 4.0. Entre as novidades riência do utilizador e também facilitem
está o ecossistema Netilion e um novo portal de e-business para facilitar a interação do nosso cliente connosco”,
os negócios. O I Fórum – Indústria 4.0, realizado em Lisboa, debateu acrescentou Paulo Loureiro.
temas relacionados com a IIoT e os desafios de tratar e transformar John Salusbury, Diretor Corporativo
dados em informação qualificada para a tomada de decisão. de Vendas da Endress+Hauser partilhou
a visão da empresa para o caminho da
transformação digital: “Queremos aju-
dar os nossos clientes a operarem as suas
instalações de forma segura e eficiente,
apoiando-os na automatização, integran-
do dispositivos de campo nas tecnologias
Texto e fotos por Carlos Saraiva

de informação e operação, compatibilizan-


do tecnologias, reduzindo a complexidade,
reportagem

melhorando a forma como vêem, sentem e


cheiram a sua fábrica. Finalmente, quere-
mos fazer a indústria mais atrativa para os
jovens, que é um desafio que se coloca hoje.”
58

SENTIR A FÁBRICA
robótica

“Falando dos dispositivos que fabricamos,


A Endress+Hauser (E+H) reuniu em Lis- dos seus instrumentos de medida? As três 90% do nosso portefólio de campo já é digital,
boa cerca de 40 clientes para debate- questões colocadas aos convidados fo- fornecemos transmissores digitais há mais de
rem as novas exigências decorrentes da ram respondidas via telemóvel, através 20 anos, as tecnologias estão disponíveis. Mas
digitalização nos processos industriais e de ferramenta de pesquisa eletrónica. No há outro facto interessante. É que a maioria
de que forma novas abordagens podem primeiro caso, mais de 33% assinalou a dos clientes não utiliza a plenitude das capa-
gerar efeitos positivos nos negócios. melhoria da eficiência operacional, no se- cidades digitais dos instrumentos de campo
O I Fórum – Indústria 4.0 que de- gundo, a segurança surgiu em primeiro que instalamos. Quando usamos o mote em-
correu a 27 de junho no Centro de Con- lugar, na terceira questão, a maioria res- powerthefield, basicamente estamos a falar
gressos do Hotel Myriad, no Parque das pondeu medição para controlo. da possibilidade de libertar alguma dessa in-
Nações, foi igualmente ocasião para a Na intervenção de boas vindas, Paulo formação que podemos usar de forma mais
empresa apresentar a arquitetura tecno- Loureiro, Diretor-Geral da Endress+Hauser intensiva e melhor. Portanto, muitos clientes
lógica de novas soluções nestes tempos em Portugal, salientou a vertente participa- podem digitalizar os seus processos já hoje,
de Internet das Coisas, nomeadamente tiva do Fórum, de forma a “promover a inte- porque a base instalada tem capacidade di-
o ecossistema proprietário Netilion e o ração, sobretudo para ouvir dúvidas e discutir gital”, acrescentou John Salusbury.
novo portal de e-business. a transformação digital e de que forma ela se Numa intervenção relacionada com
O evento foi estruturado em torno transporta para os processos industriais”. os serviços digitais desenvolvidos pela
de três perguntas colocadas à audiência “Nós acreditamos em informações va- Endress+Hauser, Tugce Tümer, Business
de forma interativa e incluiu a partici- liosas para a tomada de decisões, acredita- Development Manager, sublinhou a orien-
pação do Diretor Corporativo de Ven- mos em conhecimento da indústria como tação estratégica da empresa para o cons-
das da empresa, John Salusbury, bem um pilar que nos diferencia da concorrên- tante ajustamento do portefólio e o com-
como elementos das estruturas fabris cia e acreditamos que não somos apenas promisso de conetividade com os clientes.
da Endress+Hauser, que apresentaram um parceiro mas, sobretudo, um parceiro Esta filosofia concretiza-se, por exemplo, no
as novidades tecnológicas convergentes fiável”, referiu o anfitrião. Netilion, o ecossistema da Endress+Hauser
com a transformação digital. “Além do fornecimento de produtos e para a Internet das Coisas Industrial (IIoT).
Que benefícios vê com a digitaliza- soluções, temos que ajudar os clientes na O Netilion, que na verdade também
ção? Que desafios encontra para a jornada sua transformação digital e, para isso, te- incorpora uma Cloud industrial, tem
digital? Que informação relevante retira mos que ter uma oferta a nível de produtos, atualmente mais de 4100 utilizadores
OUVIR O MERCADO
“Na E+H trabalhamos a área digital há 20
ou 30 anos. Entretanto, começou a falar-
-se mais da Internet das Coisas e de Indús-
tria 4.0 e as nossas soluções tecnológicas
ajustaram-se bem a esta tendência. Diria
que nos últimos dois ou três anos, a adesão
começou a acelerar em Portugal e em toda
a parte. Basta olhar para este evento e veri-
ficar que as questões de tecnologia atraem
muita gente”, disse à ‘robótica’, John Salus-
bury, Diretor Corporativo de Vendas da
Endress+Hauser e um dos oradores do
Fórum.
monitorização e manutenção de equi- resolver um problema e quando é que o
Questionado sobre a ‘mentalidade
pamentos de medida e isso inviabiliza “o instrumento vai falhar. Não há intrusão no
digital’ que impulsiona a mudança, John
‘hackeamento’ e a eventual manipulação sistema de controlo. Não sou tão pessimis-
Salusbury admite que “as pessoas têm
de processos operacionais.” ta em relação a isto, a tecnologia avança,
agora a expectativa de aceder a uma app
“Os nossos programas foram desenvol- há criatividade para abrir buracos, mas
e obter informação imediata.”
vidos para serem industrialmente seguros, também há os meios que se inventam para
“No passado tínhamos hardware e
estão no mesmo nível da segurança ban- os fechar”, acrescenta Eduardo Teiga.
soft­ware construídos especificamente para
cária. Além disso são certificados, e não Sobre a transformação digital, o Di-
a indústria, hoje são mais abertos e dispo-
estou a falar de meros carimbos, pois para retor da Bondalti considera que “o tema
níveis em aplicações cada vez mais simples.
obter a certificação tivemos que seguir pro- assumiu uma nova tónica a reboque de um
Se pensarmos daqui a cinco anos, esta ten-

reportagem
cessos rigorosos e específicos”, salientou o conjunto de acrónimos (Indústria 4.0, Inter-
dência será ainda mais intensa, cada vez
Diretor-Geral da E+H. net of Things, entre outros), embora reconhe-
mais aplicações serão criadas para tornar
“A garantia para manter uma instala- ça que as tecnologias de medição e controlo
a tecnologia simples. E assim será também
ção 100% segura, e ainda assim há sempre têm um impacto crítico nos negócios.”
neste mercado de componentes eletró-
riscos, é mantê-la isolada do mundo exte- “Na Bondalti temos progredido na área
nicos, onde aumentará essa facilidade e

59
rior, e isso hoje não é possível”, acrescentou digital e também no capítulo da integração
conveniência na compra. Seguimos essa
John Salusbury. da informação, onde temos trabalho feito
tendência e por isso também em Portugal

robótica
Há, no entanto, diferentes níveis de desde há anos, desde o sensor até ao sistema
lançámos esta plataforma e-business”, diz-
preocupação face à questão da seguran-
-nos John Salusbury.
ça. Para Eduardo Teiga, Diretor de Área
Técnica na Bondalti Chemicals, as solu- NEGÓCIO GLOBAL
registados. Na prática é uma web indus- ções apresentadas no Fórum são “perfeita- A Endress+Hauser produz o que se pode
trial dedicada e protegida com vários mente compatíveis com a necessidade de ter chamar “relojoaria industrial” (sensores,
níveis de conexão que permite a criação alguma restrição de acesso ao exterior.” sistemas, serviços e soluções para me-
de gémeos digitais (digital twins) em me- Em declaração à ‘robótica’, o gestor dição de nível, caudal, pressão, tempera-
nos de um minuto, possibilita uma visão explica: “Na Bondalti, o que temos vindo a tura, análise e aquisição de dados), com
panorâmica de todos os pontos de con- fazer é, por um lado, criar barreiras para es- forte presença na indústria alimentar e
trolo do sistema, a sua avaliação técnica ses acessos mas, por outro, deixar a abertura de bebidas, nas indústrias química, pe-
corrente, e a rápida identificação e locali- necessária para existir alguma conetivida- troquímica e farmacêutica, nas águas
zação de eventos críticos. de. Hoje em dia, as equipas de suporte não limpas e residuais, entre outros setores
“Queremos estar cada vez mais coneta- são infinitas e para fábricas que funcionam de atividade. Com uma pegada de cons-
dos com os clientes, que as suas instalações ininterruptamente só há uma solução, que é tante inovação, a empresa já registou
e fábricas tenham uma gestão mais des- ter um sistema de prevenção. Se houver um mais de 7800 patentes.
preocupada, agradável e fácil de operar, com problema, o responsável responde a uma Fundada em 1953, em Lörrach, Ale-
acesso a informação a qualquer momento chamada telefónica e entra no sistema a manha, está sedeada em Reinach, norte
e onde quer que se encontrem, facilitando a partir de casa. Digamos que é uma vulne- da Suíça. Conta com subsidiárias próprias
operação industrial e uma eficaz manuten- rabilidade permitida em determinadas cir- em 48 países, representantes em outros
ção preditiva”, explicou Tugce Tümer. cunstâncias. A pessoa autorizada, com um 70, e produção em 26 cidades de 12 paí-
determinado equipamento, com vários ní- ses diferentes. Emprega cerca de 14 mil
veis de segurança, tem os meios para entrar.” pessoas e em 2018 gerou vendas líquidas
E É SEGURO? “No caso em concreto, o acesso a es- de 2,5 mil milhões de euros.
A segurança informática foi uma das tas clouds que nos prestam serviços a que A Endress+Hauser está representada
questões mais recorrentes entre quem reconheço valor acrescentado, estamos em Portugal desde os anos 80, tem ope-
participou no Fórum. Paulo Loureiro in- a falar de conhecer o estado de saúde de ração direta desde 2002 e conta atual-
sistiu que a área de IIoT apenas atua na um instrumento, o que se pode fazer para mente com 24 colaboradores.
de gestão. Não começámos agora. Hoje em as nossas licenciaturas tradicionais, por indústria opera em atmosferas protegidas
dia tudo estará dependente de sensores e assim dizer. Um engenheiro eletrotécnico, e não é qualquer equipamento que pode
isso significa que o controlo de uma unidade mecânico ou aeroespacial facilmente se entrar nas instalações. A questão da ins-
depende da qualidade dos sensores. Se pen- adequa e acompanha esta evolução digi- trumentação adequada foi sendo resol-
sarmos que uma medida errada de um sen- tal, mas ainda temos muitos técnicos que vida com os nossos parceiros, incluindo a
sor pode fazer um sistema automático cego estão ao nível de 9.º ou 12.º ano, têm muito Endress+Hauser, que nos tem ajudado a
tomar decisões erradas, percebemos a im- conhecimento, porém, a maneira de estar é crescer e a encontrar soluções para resolver
portância da questão. Até porque, no nosso diferente de uma pessoa que estudou num problemas”, conclui Anabela Antunes.
caso, a prioridade é a segurança industrial. contexto diferente. É verdade que querem No decorrer do I Fórum – Indústria
Depois, há que referir a eficiência operacio- aprender, mas é preciso tempo e há um 4.0 foram ainda apresentadas algumas
nal. Se conseguirmos manter estável um tempo de formar e um tempo de executar, soluções e serviços já disponíveis no por-
processo contínuo e a funcionar tranquila- porque o trabalho do dia-a-dia continua tefólio da Endress+Hauser. Maria Florencia
mente, isso torna-o muito mais eficiente do a existir e tem que ser feito. E a velocidade Lippi, Area Manager, falou de soluções
que outro que esteja baseado em instrumen- com que a tecnologia está a evoluir é mui- desenvolvidas para análise e monitoriza-
tos que avariam ou não são fiáveis. Estes to rápida face ao ritmo a que conseguimos ção de qualidade de água e aplicações
instrumentos que permitem o diagnóstico formar as pessoas.” para a aquicultura, Ralph Knall, Area Su-
precoce permitem gerir o seu ciclo de vida Sobre o modus operandi digital, Ana- pport & Industry Business Development, e
de uma forma mais racional e economica- bela Antunes salienta a importância de Peter Grüningen, partilharam um overview
mente vantajosa”, conclui o Diretor de Área transformar dados em informação útil: “O sobre instrumentação para medição de
Técnica da Bondalti Chemicals. mundo digital não é novo para nós. Come- nível e pressão, caudal e as potencialida-
çámos na área de processo produtivo em si des de transmissão de dados por via di-
e estamos agora a passar a outras áreas, no- gital. Andreas Kringe, Area Sales Manager,
ADEQUAR RECURSOS HUMANOS meadamente a manutenção. Vivemos num apresentou o iTherm TrustSens, o primeiro
Anabela Antunes, Diretora de Fábrica na mundo de dados e temos que transformar sensor de temperatura com calibragem
reportagem

Prio Biocombustíveis, assinalou no decor- esses dados em informação útil que nos aju- automática desenvolvido para aplicação
rer do Fórum a dificuldade de adequação de a tomar decisões a vários níveis, desde o nos setores industriais relacionados com
dos recursos humanos como um dos chão de fábrica até à própria administração, a biotecnologia, farmacêutica, biomédica,
aspetos mais sensíveis no processo de que depois vai tomar decisões de negócio. E alimentar e bebidas, entre outros.
transição digital. os dados são diferentes em cada nível.” Desde 11 de julho estará também
60

Em declarações à ‘robótica’, a respon- “Em alguns momentos sentimos até disponível o novo portal de e-business
sável da Prio aclara o argumento: “Men- algumas dificuldades em conseguir equi- que permite comprar artigos online, inte-
robótica

cionei este aspeto porque nós ainda temos pamentos adequados, porque a nossa grado no website da empresa.

O Diretor-Geral da E+H à ‘robótica’:


“É essencial ser ágil a colocar
soluções disponíveis no mercado”
Paulo Loureiro cita a Lei de revista “robótica” (rr): Disse na sua
Moore, para exemplificar intervenção aos convidados que a
a importância da cada 18 meses, a tecnologia com-
velocidade de inovação no putacional está obsoleta. É também
mercado industrial. Prazos essa a velocidade de inovação na
tendencialmente mais Endress+Hauser?
curtos, desde a identificação Paulo Loureiro (PL): Por vezes temos
de necessidade de mercado até que ser mais rápidos! Eu estava a citar
à concretização física do a ‘Lei de Moore’, que nasceu da observação
produto, são essenciais para de Gordon Moore, (cofundador da Intel)
manter a oferta em linha sobre a velocidade de inovação nos com-
com as novas formas de putadores. Ou seja, a cada 18 meses, em
comprar. média, as grandes firmas de computado-
res criam novos chips com praticamente
o dobro do poder de processamento
do que os anteriores e essa revolução
foi tornando a tecnologia mais barata. A
Endress+Hauser, como empresa de inova-
ção, tem que desenvolver processos rápi-
dos para colocar um produto no mercado.
Se esse processo for demorado, corremos
o risco de quando concretizarmos a ideia
numa solução aplicável, ela já estar obso-
leta ou ter sido substituída por outra. Este
ciclo de desenvolvimento de produto,
que no passado demorava 3 ou 4 anos,
teve que ser dramaticamente encurtado
para atender à necessidade do mercado
que clama por inovação.

rr: A urgência digital produziu esse


en­cur­tamento? serviço que fazemos uma vez e não repe- que o novo comprador desta moderna
PL: Sem dúvida que sim. A transformação timos, e sim de contratos que oferecem geração faz é ir ao Google pesquisar quem
digital exige-nos isso. Basta ver o que se uma maior proximidade e intensificam fabrica. Ou seja, nós precisamos de estar
passa na nossa vida quotidiana. Há dois a relação com o cliente; uma terceira lá, sermos percebidos por essa geração
anos comprei um robot de cozinha que ti- dinâmica é a revisão da nossa estrutura que não nos conhece de uma forma tão
nha a opção de adquirir uma pendrive com interna de formação de preço, porque o experienciada como outros. Além da pre-
ligação à internet para ‘importar’ receitas, modelo de preço que aplicamos interna- sença, temos que ser fáceis de comprar, tal
dispensando assim a necessidade de livros. mente, e isso envolve também a dinâmi- como a Amazon, onde você entra, esco-
Se eu comprasse o mesmo robot agora, ca do mercado, nem sempre se adapta à lhe, compra, paga, já sabe quando chega

reportagem
dois anos depois, já traria essa funcionali- necessidade constante dos clientes redu- e até pode seguir a sua encomenda. Es-
dade incorporada, decerto porque se criou zirem essa cadeia. Por vezes precisamos tas ferramentas de que falámos hoje vêm
essa necessidade e o fabricante percebeu de colocar um produto mais rápido no nesse sentido de nos aproximar mais do
valor nesse upgrade. Veja os carros, por mercado e como é uma coisa inovadora, mundo de consumo.
exemplo, que já o avisam de quando deve ninguém tem, é difícil saber a que preço

61
ir à oficina e marcam a sua revisão. Em to- o mercado está disponível para comprar rr: E foi para corresponder a essa
das as áreas para onde olhemos na nossa esse produto. Nós fixamos um preço, tendência que criaram o portal de

robótica
vida, vemos esta vertigem. No mercado mas temos que ser rápidos se for neces- e-business?
industrial, que é um pouco mais conserva- sário redefinir esse preço. PL: Sim, para facilitar negócios. O nosso
dor, ainda não chegámos a este nível mas Este Fórum surge na sequência do objetivo como empresa é tornarmo-nos
falta pouco para que tal aconteça. entendimento de que, como país inte- uma empresa em que seja fácil comprar
grado na Comunidade Europeia, que e, nessa medida, a experiência do utiliza-
rr: Como avalia a absorção, no mer- empurrou a Indústria 4.0, precisamos de dor tem que ser melhorada para ficar ao
cado português, desta onda digital e estar mais próximos desse objetivo. Das nível da perceção que temos da compra
da filosofia tecnológica associada à três dinâmicas de que falei, a digitaliza- pessoal. As pessoas, e também as empre-
Indústria 4.0? ção vem sendo a que nos move mais sas, compram cada vez mais nas grandes
PL: Eu diria que essa absorção tem sido rapidamente ao encontro das neces- plataformas digitais e nós temos que
rápida e, até, surpreendente. É verdade sidades do cliente. Temos visto que os responder de forma proactiva a essa ne-
que há indústrias mais conservadoras comportamentos de consumo da nossa cessidade de mudança do mercado. Por
do que outras, mas temos percebido vida pessoal também estão sendo aplica- isso investimos na oferta de produto e
que, como isso afeta a todos na cadeia dos na indústria. Na verdade, a geração também num portal de e-business, onde
de suprimento, desde a matéria-prima de vinte e poucos anos que hoje está a vai ser possível comprar equipamentos.
até ao produto final, todos estão a tentar entrar no mercado de trabalho tem hábi- Está agora muito em voga o conceito
encontrar formas de reduzir ciclos e au- tos de compra totalmente diferentes dos de ‘omnichannel’, tudo tem que estar no
mentar a disponibilidade de produção. que nós tínhamos no passado. mesmo lugar, por isso achámos que a
Nessa procura, acabam por pressionar a melhor forma de criar uma experiência
mudança em todos os elos da cadeia. rr: Mesmo o hábito profissional? de utilizador adequada com a realidade
PL: Sem dúvida, mesmo esse. O com- de um mercado em mudança seria atra-
rr: Porquê a realização deste Fórum? prador que antes confiava na palavra de vés do nosso próprio website e por isso
PL: Na estratégia da empresa, de uma um vendedor que vinha, tomava um café, trouxemos o e-business para dentro do
forma geral, temos três grandes dinâmi- conversava, criava aquele vínculo pessoal site, que foi totalmente reformulado em
cas para trabalhar. Uma delas é a digita- em que a palavra era confiança, já não é o janeiro. É agora mais intuitivo, ajustando-
lização; outra são os serviços recorren- mesmo. A dinâmica mudou. Quando quer -se ao dispositivo de acesso, seja um te-
tes, ou seja, queremos depender cada comprar uma máquina fotográfica ou um lemóvel, um PC ou um tablet, permitindo
vez menos de serviços On/Off, o tipo de transmissor de pressão, a primeira coisa uma consulta mais ágil.
FANUC abriu portas para
mostrar soluções de automação
industrial e IIoT
A FANUC, multinacional japonesa de automação industrial, abriu as tendências do mercado. A terceira divi-
portas da sua casa em Portugal para dar a conhecer aos seus clientes, são de produto apresentada foram os
parceiros e técnicos as mais recentes novidades da empresa nas áreas Controlos Numéricos (CNC).
da automação industrial e Industrial Internet of Things (IIoT). A revista “robótica” marcou presen-
ça no Open House da FANUC e, junto de
quem tem mais conhecimento dos pro-
dutos e serviços, os rostos da marca em
Portugal, foi conhecer o trabalho desen-
volvido pela empresa ao longo dos anos
texto e fotos por André Manuel Mendes

e as suas novidades para o futuro.

PORTAS ABERTAS EM DIREÇÃO


reportagem

AO SHOWROOM
A FANUC abriu as portas das suas instala-
ções a dezenas de clientes e parceiros e
neste espaço aberto ao público, os visi-
tantes puderam conhecer, experimentar
62

e tirar dúvidas sobre os diversos equi-


pamentos em exposição, tendo sempre
robótica

como apoio os profissionais qualificados


da FANUC.
Foi nos dias 5 e 6 de junho que as ins- César Neto, responsável de marketing da A nossa jornada por esta mostra
talações da FANUC em Vila do Conde FANUC Iberia. começou pelas mãos de Nuno Moreira,
tiveram as portas abertas para um Open “Portugal terá este ano uma feira muito Engenheiro de Aplicações Robóticas na
House realizado com o intuito de dar a importante para nós que é a Moldplás na FANUC, que explicou inicialmente que
conhecer os produtos e novidades da Batalha, vamos marcar presença ainda a empresa apostou em mostrar no seu
empresa, bem como estreitar a relação noutras feiras, mas sentimos a necessidade showroom várias máquinas e robots que
de proximidade com o cliente final. No de criar aqui um momento para estar mais potenciam o aumento da capacidade
dia 7 de junho receberam a visita de próximos dos nossos clientes. Organizámos produtiva das empresas.
inúmeros alunos e professores oriun- um Open House em cada escritório da mar- O primeiro ponto de paragem foi
dos de escolas, centros de formação e ca em Portugal e Espanha e o interesse foi para conhecer o robot SCARA que estava
universidades. muito positivo”, acrescentou. naquele preciso momento a movimentar
“Na FANUC, no âmbito da nossa es- A ideia central deste evento foi a de bolas e a escrever o seu nome e o nome
tratégia de marketing e comunicação, comunicar as divisões de produto da FA- FANUC com uma grande velocidade,
consideramos que é importante estarmos NUC. Uma delas é a área das máquinas uma mostra do alcance e da velocidade
próximos dos nossos clientes e outros que esteve em destaque com dois cen- deste robot. Este robot não necessita de
stakeholders. Existem atualmente diversas tros de maquinação (Robodrill) e uma uma consola para ser programado, pode
ferramentas de comunicação como os so- máquina de eletroerosão por fio. Num ser programado totalmente através de
cial media, um contacto constante por par- dos centros de maquinação estava a um Browser.
te dos comerciais e dos técnicos junto do ser demonstrada a complementaridade “O SCARA tem como principais apli-
cliente, mas por vezes é importante realizar com um robot, realizando um trabalho de cações as soluções de pick and place, apli-
este tipo de momentos em que possamos carga e descarga. Outra área patente no cações que requerem movimentos muito
apresentar as nossas soluções, as nossas Open House foi a da robótica, onde foram rápidos e movimentação de peças peque-
novidades, sentarmo-nos com os clientes apresentadas duas células colaborativas, nas, ou aplicações que utilizem tapete de
ou potenciais clientes e falar um pouco sistemas como o hand guidance e o já transporte”, explicou Nuno Moreira. Este
sobre os nossos produtos e sobre a utilida- reconhecido robot SCARA, apostas da FA- robot encontrava-se dentro de um novo
de destes para as suas fábricas”, explicou NUC para dar resposta às mais recentes armário compacto que tem como pontos
positivos a economia de custo, e que é encontra disponibilizada de forma aleató-
bastante adequado para aplicações como ria, tendo a capacidade de medir tanto a
é o caso do pick and place, pois tem já vi- altura como a orientação para ser possível
são 2D e 3D e hardware integrados. pegar na peça em qualquer ângulo. Nou-
O CR-4iA, o robot colaborativo mais tro local com visão 2D é colocada a peça
pequeno da FANUC (capacidade de car- para supervisão e para posterior posicio-
ga de 4 kg), estava patente no ponto namento com precisão no torno. O facto
seguinte. A célula apresentada tinha um de o robot controlar a abertura da porta
punho com small hand guidance (joystick) do centro de maquinação, que possui um
que permite programar e mover o robot. servomotor, torna o processo mais rápido e
É possível ativar o hand guidance com 3 eficiente, porque tem a capacidade de fazer
ações – rotações/translações, acionamen- tangentes à porta diminuindo o tempo na
to de ferramenta e definição de trajetória produção”, explicou Nuno Moreira.
completa ou por pontos – sendo também
possível criar zonas cartesianas para limi-
tar o raio de ação do robot. Este é um co- O MUNDO DAS MÁQUINAS FANUC Em relação à Robocut, é uma máqui-
laborativo que, como qualquer outro, para Rui Candeias, Engenheiro de Serviços da na de eletroerosão por fio, um conceito
ao toque, e quando isso acontece liberta o FANUC, guiou os visitantes pelo mundo completamente diferente do da maqui-
eixo 1 e o eixo 2 para permitir movimen- das máquinas FANUC. O primeiro equi- nação. Este processo consiste na utiliza-
tar manualmente o braço. O CR-4iA conta pamento apresentado foi o Robodrill, um ção de uma bobine com fio calibrado
ainda com a funcionalidade de dupla pal- centro de maquinação com 5 eixos a alta que pode ir de 0,05 mm a 0,3 mm e nor-
mada para começar a trabalhar. velocidade, com 24 000 rotações e de malmente é de latão. Esse fio funciona
O robot colaborativo de média gama categoria M. São máquinas muito rápidas como condutor energético que ao per-
da FANUC, o CR-15iA, apresentava-se ali que possibilitam fazer peças em série, correr um percurso programado pelo uti-

reportagem
mesmo ao lado. Com capacidade de car- sendo que o conceito principal destas lizador vai fazer essa mesma geometria
ga de até 15 kg e equipado com um sis- máquinas é produzir muitas peças com no material inserido na máquina. É uma
tema 3D Vision da FANUC, este robot con- a maior rapidez possível, por forma a dar máquina muito precisa e com grande
ta com caraterísticas similares ao CR-4iA, resposta a unidades fabris com produção qualidade nos acabamentos. É uma má-
embora sem a função de dupla palmada. 24 horas por dia, 7 dias por semana. quina autónoma, com soft­ware que entra

63
Para este robot existem diversos tipos de Noutro centro de maquinação pre- no mundo do IoT, que fornece avisos e
ferramentas que podem ser aplicadas, sente neste Open House, Rui Candeias faz a monitorização de todo o processo.

robótica
sendo que no showroom estava a ser de- explicou que ao selecionar “ferramentas e
monstrada uma ferramenta utilizada na certas condições, é possível fazer desbastes
indústria alimentar, para produtos delica- complexos por forma a demonstrar que, FANUC MT-LINKi
dos, composta por borracha e insuflada apesar da fragilidade de algumas peças, O FANUC MT-LINKi é a abordagem da FA-
com ar para manipulação de alimentos. estas máquinas têm a capacidade para NUC à Indústria 4.0, um sistema que per-
Neste equipamento também é possível, fazer trabalhos desafiantes”. Este centro mite a supervisão da unidade industrial
aquando de uma paragem, libertar o eixo de maquinação é de categoria L, ligeira- ou de diversas unidades industriais. Isto é
1 e o eixo 2 para permitir movimentar mente maior que o outro equipamento possível graças a um computador que re-
manualmente o braço. da mesma gama também apresentado colhe a informação de todos os equipa-
Por último na secção dos robots era no showroom. mentos, ligados a um ou mais servidores,
apresentada uma típica aplicação do que pode ser acedida através de qual-
iRPicktool, com tapetes de transporte e quer PC, tablet ou smartphone que este-
uma câmara de visão 2D onde o robot jam ligados a esta rede. Esta ferramenta
faz o acompanhamento das peças e as possibilita a divisão de vários níveis de
posiciona de acordo com o programa utilizadores para monitorizações e con-
definido pelo utilizador. trolos diferentes, o acesso a diferentes
funções e controlo dos equipamentos,
agendar trabalhos, entre outras funções.
ROBOTS COMO SOLUÇÃO PARA O grande foco do MT-LINKi está nas
TAREFAS DE PICK AND PLACE máquinas com CNC, com a possibilidade
Outra solução apresentada na Open de um controlo total de todos os proces-
House foi uma célula robótica que utiliza sos, a obtenção de relatórios diários, moni-
visão 3D da FANUC e que estava a de- torização, gestão de layouts, de produtos,
monstrar um processo de carga e des- entre outros fatores. Este software funciona
carga da máquina. “O que ele está a fazer com robots e máquina FANUC, bem como
é uma carga e descarga da máquina, onde com todos os equipamentos de outras
depois de pousar uma determinada peça marcas que possam comunicar através
utiliza a visão 3D para detetar outra que se dos protocolos OPC UA e MT Connect.
40 anos de sucesso
e aprendizagem,
que venham os próximos 40!
A F.Fonseca celebrou o seu aniversário
no Palácio da Borralha.

A F.Fonseca fez 40 anos de existência, a 27 de dezembro de 2018. Sempre tivemos a vontade de adquirir as
Embora essa data tenha sido comemorada de forma intensa, no próprio competências necessárias e de estar per-
dia de aniversário, nas instalações da empresa, a celebração junto de to de quem precisa de nós. Diz-se que ao
colaboradores, clientes, fornecedores, parceiros e amigos aconteceu no marinheiro sem rumo qualquer vento é fa-
passado dia 27 de maio, no Palácio da Borralha, em Águeda. vorável. Nós sempre nos preocupámos em
definir o nosso caminho.” Sendo a última
ideia, que fez questão de destacar, a da
importância das pessoas certas e o agra-
decimento a todos os players envolvidos!
reportagem
por F.Fonseca, S.A.
64
robótica

Logo de seguida foi convidada a subir ao


palco a Presidente da Junta de Freguesia
de Esgueira, Angela Almeida, que felici-
tou a F.Fonseca pelo seu percurso e por
A festa contou com mais de 250 convida- sem dúvida alguma, contribuiu de forma ser um exemplo a seguir das empresas
dos que desfrutaram de uma noite muito determinante para o sucesso do nosso sediadas na freguesia sob a sua gestão.
especial, repleta de glamour, surpresas e percurso. Terminou destacando o espírito que se
emoções fortes! vive na F.Fonseca e desejando que este
A gala foi apresentada pela dupla de sucesso se prolongue, pelo menos, por
modelos, Pedro e Ricardo Guedes, que mais 40 anos.
contaminaram todos os presentes com o Após as intervenções iniciais deu-se
seu humor e boa disposição. lugar ao jantar e música ao vivo prosse-
O discurso do Presidente do Conse- guido pela continuação das apresenta-
lho de Administração, Carlos Gonçalves, ções e muitas surpresas. A primeira das
marcou a abertura do jantar de gala quais foi para o próprio Carlos Gonçal-
onde foram referidos diferentes marcos e ves que recebeu, em nome de todos os
histórias destes já 40 anos de existência. colaboradores, uma pintura a óleo com
Carlos Gonçalves, em forma de resu- o seu retrato, autoria da colaboradora, e
mo, deixou a seguinte ideia chave “desde também filha, Paula Gonçalves.
a nossa fundação tivemos a habilidade de Entre a emoção do momento e um
transformar as adversidades em oportu- tom de brincadeira disse que, desta for-
nidades. Foi assim que nascemos e foi as- ma, estariam a convencê-lo a ficar ainda
sim que crescemos. A perseverança é um mais uns anos na empresa, nem que fos-
traço vincado na nossa identidade que, se “omnipresente”.
MARCAS MAIS ANTIGAS
Na primeira categoria, a das marcas mais
antigas, foram distinguidas as primeiras
marcas da F.Fonseca presentes nesta
cerimónia e reconhecidas entre as prin-
cipais líderes mundiais, nas suas áreas de
negócio. Para receber o prémio da mar-
ca mais antiga foi chamado ao palco o
Diretor-Geral da Steinel, Martin Frechen,
que recebeu a devida homenagem, fruto
de uma parceria iniciada há 39 anos, em
1980.

PEÇA DE ARTE
Ainda no ramo das artes plásticas seguiu- PRÉMIO CLIENTES MAIS ANTIGOS
-se uma surpresa para todas as entidades Os negócios não se fazem sem clientes e
convidadas. a F.Fonseca orgulha-se dos seus. Grande
A artista plástica Rute Rosas criou parte deles acompanha a empresa há lar-
uma peça exclusiva, numerada e assina- gos anos e nunca é demais agradecer a
da, para homenagear o 40.º aniversário sua fidelidade. Estes clientes sabem que
da F. Fonseca. Inspirada na cidade de é para eles que a F.Fonseca trabalha, ino-
Aveiro e nas relações interpessoais de- va e procura incansavelmente fazer mais
senvolveu uma escultura estilizada de e melhor.

reportagem
um moliceiro envolvido por um corpo Estando presentes alguns destes
de água, intitulada “Da lembrança… uma clientes, que acompanham a F.Fonseca
trajetória”. quase desde o início, foi dado o mote à
Durante a sua apresentação mos- categoria de clientes mais antigos. Para
trou, através de um vídeo, toda a minúcia proceder à entrega foi chamado ao pal-

65
e singularidade da peça, e do proces- co o colaborador responsável pela área
so criativo, que impressionou todos os A segunda marca mais antiga chamada comercial da F.Fonseca, o Gestor de

robótica
presentes. ao palco, reconhecida pela qualidade in- Negócios Helder Lemos, que homena-
O segundo momento da gala foi questionável dos seus equipamentos, foi geou os representantes dos três clientes
marcado pela homenagem às marcas, a SICK com 31 anos de parceria iniciados mais antigos, das 3 áreas comerciais da
clientes e colaboradores que estiveram em 1988. Para receber esta distinção su- F.Fonseca.
com a F.Fonseca desde sempre. biu ao palco o Diretor-Geral da SICK Es- Na área de negócio de automação
panha, Lluis Martinez. industrial a distinção foi para a The Navi-
gator Company, em processo instrumen-
tação e ambiente a distinção foi para a
Diferencial e, por fim, na área de negócio
à excelência da nossa de tecnologia de edifícios foi premiado o
equipa gostaria de destacar Grupo Rolear que também celebra, este
a excelência e importância ano, o seu 40.º aniversário!
dos nossos Parceiros, Clientes,
Fornecedores e demais
parceiros da sociedade civil
que são absolutamente
cruciais para a existência
e crescimento da nossa
organização. A todos quero
agradecer sincera e vivamente
por toda a confiança,
exigência e profissionalismo
que nos tornam mais fortes, Last but not least… para receber o galar-
bastante mais notáveis e dão da 3.ª marca mais antiga foi chama-
reconhecidos. Obrigado, a do ao palco o Division Manager da Mitsu-
todos, por fazerem parte na bishi Electric Europe, Alex Agelet, que se
nossa História! juntou à F.Fonseca em 1992, traduzindo-
Carlos Gonçalves -se em 27 anos de parceria.
COLABORADOR MAIS ANTIGO
”É a excelência das pessoas que traba-
lham connosco que garante o sucesso
da nossa empresa”. Palavras de Carlos
Gonçalves, Presidente do Conselho de
Administração.
A F.Fonseca tem como missão traba-
lhar cada vez mais e melhor, não apenas
para clientes e fornecedores mas tam-
bém para os seus colaboradores, onde
tudo começa. Eles dão a cara pela em-
presa todos os dias e espelham o que é
a F.Fonseca.
Os colaboradores mais antigos da
F.Fonseca são os irmãos Carlos e Óscar
Gonçalves, mas esta empresa tem um
historial riquíssimo de antiguidade, o que
significa que as pessoas são verdadeira-
mente felizes.
Chegado ao momento da última dis-
tinção da noite, a categoria de colabora-
dor mais antigo, foi convidado a subir ao
palco outro membro da administração,
Óscar Gonçalves, que entregou o prémio
reportagem

ao colaborador Hernâni Rodrigues, que


entrou para a F.Fonseca no dia 12 de ja-
neiro de 1987, há 32 anos. Parabenizou- presentes finalizada com um brinde e da sociedade civil que são absolutamente
-o por todos estes anos de dedicação e fogo de artificio. cruciais para a existência e crescimento da
reconheceu-o como uma pessoa deten- A tenda iluminada sobre o lago foi o nossa organização. A todos quero agrade-
66

tora de um conhecimento notável, que cenário perfeito para a festa que decorria cer sincera e vivamente por toda a confian-
cresceu e fez crescer a F.Fonseca. no seu interior. Entre dj, músicos, fotogra- ça, exigência e profissionalismo que nos
robótica

fias instantâneas e muita animação, os tornam mais fortes, bastante mais notáveis
convidados mais resistentes alongaram- e reconhecidos.
-se pela noite dentro neste convívio pro- Obrigado, a todos, por fazerem parte
porcionando um ótimo ambiente e refle- na nossa história!”
tindo o verdadeiro espírito de alegria que Nos dias seguintes muitas foram as
se vive na F.Fonseca. mensagens de agradecimento que che-
Parafraseando novamente as pala- garam à F.Fonseca, a estas, de forma sen-
vras do Presidente do Conselho de Ad- tida, a resposta continuou a ser a mesma:
ministração da F.Fonseca “à excelência da um agradecimento genuíno e a promes-
nossa equipa gostaria de destacar a exce- sa de fazer cada vez mais e melhor sem-
lência e importância dos nossos parceiros, pre em prol do crescimento de todos os
clientes, fornecedores e demais parceiros envolvidos.

CORTE DO BOLO
Vividas emoções e recordações, próprias
destes momentos, seguiu-se o momento
mais simbólico e aguardado de qualquer
aniversário, o corte do bolo!
Mas este momento não veio só! Ir-
romperam pelo salão de jantar as bailari-
nas ledwings que incentivaram os convi-
dados a segui-las para um espetáculo no
exterior do palácio.
A este espetáculo de bailado seguiu-
-se um outro cheio de luz e cor com
a apresentação da empresa passada,
através de videomapping, no bolo de
aniversário! Uma surpresa para todos os
PUB
Prémio Inovação Alemão
para o VX25: sistema
de armários de grandes
dimensões da Rittal
Rittal premiada pelo Conselho de Design Alemão.

O VX25, sistema de armários de grandes dimensões da Rittal Andrej Kupetz, Gerente Geral do German
ganhou o Prémio Alemão de Inovação de 2019. O Conselho Design Council. “É particularmente bem-
Alemão de Design homenageou o inovador sistema de -sucedido quando os futuros utilizadores
armários a 28 de maio de 2019 como o vencedor na categoria estão envolvidos no estágio inicial de de-
“Excelência em Business to Business/Máquinas e Engenharia”. senvolvimento e design dos produtos.”
Adequado para a Indústria 4.0 e premiado com o VX25,
a Rittal lançou o primeiro sistema de armários projetado
especificamente para aumentar a produtividade no fabrico O VENCEDOR: SISTEMA
reportagem

de quadros elétricos e automação e nas cadeias de valor da


por Rittal Portugal

DE ARMÁRIOS PARA CADEIAS


Indústria 4.0. DE PROCESSOS DIGITAIS
“Estamos muito satisfeitos que uma ins-
tituição tão prestigiada como o German
Design Council tenha honrado o poder
68

inovador do nosso VX25 com este prémio.


Especificamente, o foco principal do júri na
robótica

centralização no utilizador coincide, preci-


samente, com a abordagem da Rittal no
desenvolvimento de produtos. O sucesso
do sistema, o feedback dos nossos clien-
tes e honras, como este prémio, provam
também que estamos no caminho certo”,
acrescentou o Thomas Steffen, Diretor de
Pesquisa e Desenvolvimento da Rittal.
“O diálogo intensivo com os clientes foi
crucial no desenvolvimento deste sistema
de armários de grandes dimensões. Cria-
dores e analistas conduziram um estudo
de utilização científica em grande escala
que monitorizava as operações diárias em
empresas de fabrico de quadros elétricos e
de automação. O VX25 foi projetado como
os fabricantes de armários pensam – em
O PRÉMIO RECONHECE internacionais foram recebidas. Os ven- funções e processos”, acrescentou Thomas
A INOVAÇÃO CENTRADA cedores foram escolhidos por um júri de Steffen.
NO UTILIZADOR classe mundial incluindo físicos, consul- O VX25 oferece a mais alta qualidade
Com o prémio Alemão de Inovação (Ger- tores de patentes, cientistas da compu- e consistência de dados possíveis, redu-
man Innovation Award), o Conselho de tação, especialistas em financiamento, ção de complexidade, economia de tem-
Design Alemão (German Design Council, designers de produtos, historiadores de po e para além disso, uma montagem se-
criado pelo Parlamento da Alemanha, tecnologia e profissionais de marketing. gura. Mais de 25 direitos de propriedade
o Bundestag) homenageia inovações “O foco no utilizador representa a registados, demonstram o alto nível de
pioneiras que estão a ter um impacto chave para a avaliação das inovações inovação envolvido.
duradouro e a oferecer valor agregado apresentadas. É a caraterística distintiva “O lançamento do premiado sistema
aos utilizadores. Quase 700 submissões do German Innovation Award”, explicou de armários de grandes dimensões foi um
PUB
marco que foi seguido pela nova série de caixas pequenas e
compactas AX.KX. Com a linha de unidades de climatização
Blue e+, que já havia sido apresentada anteriormente, o nosso
principal portefólio de produtos foi atualizado e está apto para
a Indústria 4.0. Juntamente com a nossa empresa irmã EPLAN,
estamos a pensar profundamente em toda a cadeia de valor
da construção de quadros elétricos e de automação, e estamos
a apoiar os nossos clientes com a otimização e digitalização”,
concluiu Thomas Steffen.

MENÇÃO ESPECIAL: BLUE E+ UNIDADES


DE CLIMATIZAÇÃO
A série de unidades de climatização Blue e+ também foi in-
dicada para o prémio na mesma categoria do VX25. Foi dada
uma “Menção Especial” na cerimónia de premiação. O Blue
e+ tem sido o sistema de climatização industrial disponível
comercialmente mais eficiente desde 2015. Ele funciona
com uma nova combinação de tubo de calor e compressor.
Os dados de aplicação mostram uma economia de energia
média de 75% em comparação com os sistemas conven-
cionais. Os desvios de temperatura mais baixos dentro do
armário aumentam a vida útil dos componentes instalados.
A interface IoT é predestinada para vários aplicativos da In-
dústria 4.0, incluindo a manutenção preditiva.

O Conselho Alemão de Design, com as suas


competições, exposições, conferências,
seminários e publicações, está a contribuir
decisivamente para a disseminação de
conhecimento sobre design, inovação e marcas.

O ORGANIZADOR: O CONSELHO ALEMÃO


DE DESIGN
O Conselho Alemão de Design (Rat für Formgebung) foi cria-
do por iniciativa do Bundestag alemão (o Parlamento Ale-
mão) em 1953 e promovido pela Federação das Indústrias
Alemãs (BDI). Há 66 anos, a fundação vem perseguindo o
objetivo de promover a competitividade das empresas ale-
mãs. O Conselho Alemão de Design, com as suas compe-
tições, exposições, conferências, seminários e publicações,
está a contribuir decisivamente para a disseminação de co-
nhecimento sobre design, inovação e marcas. Mais de 300
empresas alemãs e estrangeiras pertencem atualmente ao
círculo de patronos.
Siemens inaugura núcleo
tecnológico nos 25 anos das suas
instalações no Porto
I-Experience Center 4.0 e Solutions and Service Center foram gerarmos valor no ecossistema industrial,
inaugurados nas instalações da Siemens do Freixieiro, a 09 de julho criarmos novos modelos de negócio e
de 2019. Os 2 centros tecnológicos vão apoiar e desenvolver projetos darmos respostas aos maiores desafios da
destinados à Indústria 4.0 e aos edifícios inteligentes. Empresa reforça Indústria. É nossa estratégia criar estru-
assim o apoio ao tecido empresarial e à academia do norte do país. turas deste género em várias regiões do
país, agora também na Região do Porto.
Esta descentralização permite uma maior
proximidade aos principais núcleos indus-
triais e empresariais portugueses, aceleran-
do o processo de transformação digital e
apoiando o desenvolvimento de projetos
tecnológicos”.
reportagem

por Siemens, S.A.

PORTAS ABERTAS PARA


UM FUTURO DIGITAL
Depois de abrir estruturas deste género
na sua sede em Alfragide, por onde já
70

passaram dezenas de empresas e uni-


versidades, a Siemens aposta agora na
robótica

criação de dois novos espaços nas suas


A Siemens Portugal inaugurou 2 novos empresas, academia e startups locais e instalações do Freixieiro.
centros de apoio ao desenvolvimento disponibilizar tecnologia de simulação O i-Experience Center 4.0 é uma
de projetos nas áreas da digitalização e para que possam ser desenvolvidos pro- incubadora de soluções digitais, que
dos edifícios inteligentes, localizados nas jetos de valor acrescentado para o país. promove diversas iniciativas destina-
suas instalações no Freixieiro, no distrito A aposta no Freixieiro deve-se à im- das à modernização da indústria. Todo
do Porto, que completam hoje 25 anos. portância que a região norte de Portugal o processo de criação está assente em
A aposta da Siemens na criação de tem para a Siemens, visto que quase 44% MindSphere, o sistema operativo aberto
centros de experimentação e de labora- dos clientes da empresa provêm desta da Siemens para a Internet das Coisas,
tórios aplicacionais, através destes novos zona do país. Além disso, no ano fiscal baseado na nuvem. Através desta solu-
i-Experience Center 4.0 e Solutions & Ser- passado, quase 35% da faturação e cerca ção, todos os produtos, instalações, pro-
vice Center, tem como objetivo fomentar de 40% do volume de negócio da em- cessos e equipamentos que compõem
a capacitação de recursos humanos e o presa provieram de empresas do norte, o processo produtivo ficam conetados
desenvolvimento de novas soluções e de onde se destacam projetos na área da entre si, permitindo uma análise rápida
tecnologias nas áreas da indústria e tec- produção de energia1. e eficaz de grandes quantidades de da-
nologias para edifícios. Para Pedro Pires de Miranda, Presi- dos e uma tomada de decisão melhor
Estas duas estruturas tecnológicas fa- dente Executivo da Siemens Portugal, “a fundamentada.
zem parte do plano de investimento que cocriação é essencial para, na era digital, Já o Solutions & Service Center é um
a Siemens anunciou no ano passado: 25 laboratório aplicacional para o desenvol-
milhões de euros dedicados à digitaliza- vimento e implementação de soluções
ção do país até 2020. Além disso, a con- inteligentes para edifícios, nomeada-
cretização deste i-Experience Center 4.0 mente proteção contra incêndios, segu-
é mais uma medida entregue pela em- rança, automação, eficiência energética,
presa no âmbito do programa do gover- segurança da informação e monitoriza-
no Indústria 4.0. ção dos mesmos.
O núcleo tecnológico ambiciona
ser um espaço de co-criação e ideação 1
Dados relativos ao ano comercial 2017/2018
que vai impulsionar as parcerias com (setembro de 2017 a outubro de 2018).
PUB
Mais de 2000 participantes
no WeAreCOBOTS, congresso
global de robótica colaborativa
Mais de 2000 pessoas participaram no WeAreCOBOTS, o um ecossistema de produção cada vez
primeiro congresso global de robótica colaborativa, organizado mais automatizado, no qual os robots ofe-
pela Universal Robots durante a feira Global Robot Expo, em recem a máxima precisão, segurança e pro-
Madrid. Vinte e quatro empresas especializadas em soluções de dutividade, enquanto libertam os trabalha-
Colaboração Humano-Robot (HRC), mais de 40 oradores nacionais dores para fazer uso da sua criatividade e
e internacionais e cerca de 20 meios de comunicação foram empatia com as necessidades dos clientes”,
testemunhas da primeira grande apresentação dos cobots (robots disse Jordi Pelegrí.
colaborativos) em Espanha. Perante o crescimento da “cobotiza-
ção”, os especialistas que intervieram no
WeAreCOBOTS debateram algumas das
últimas tendências que estão a moldar
por Universal Robots Spain S.L

o futuro do setor em Espanha. Avanços


como a possibilidade de integrar siste-
reportagem

mas de visão artificial e outras aplicações


numa única plataforma de desenvolvi-
mento, instalações móveis para que o co-
bot possa trabalhar em diferentes pontos
da cadeia de produção e os espaços cada
72

vez mais compactos esboçam um hori-


zonte de inovação aberto a pequenas e
robótica

médias empresas.

CHAVES PARA O SUCESSO DA


COLABORAÇÃO HUMANO-ROBOT
Na mesa redonda “Propostas de valor para
a robótica colaborativa”, as empresas CFZ
Desde que o primeiro robot colaborativo O WeAreCOBOTS espelhou a expansão Cobots, Fluitronic, Iruña, Robot Plus, SEA
foi comercializado em 2008, a indústria alcançada pelos braços robóticos, em Robotics e Vicosystems destacaram as
cresceu assente nos pilares da flexibi- empresas de todos os setores e de todas vantagens mais notáveis da tecnologia
lidade, acessibilidade e facilidade de as dimensões, com demonstrações ao colaborativa: facilidade de utilização e
programação para mais de 34 000 co- vivo de tarefas como soldadura, pintura, programação, fácil integração de ferra-
bots vendidos pela empresa até à data. aparafusamento, embalagem, paletiza- mentas, rápido retorno do investimento
ção, bin-picking, agrupamento de peças e a segurança que torna possível a intera-
e controlo de qualidade, entre outras. ção humano-robot.
Não surpreende que o mercado de A Associação Espanhola de Robótica
O WeAreCOBOTS espelhou cobots esteja a crescer 70% ao ano e, de e Automação (AER) moderou um grupo
a expansão alcançada acordo com dados da Loup Ventures, até de discussão sobre o futuro dos cobots,
pelos braços robóticos, em 2025 os robots colaborativos irão repre- marcado por uma maior flexibilidade,
empresas de todos os setores sentar 34% das vendas de robots a nível inteligência, mobilidade e colaboração
e de todas as dimensões, internacional, o equivalente a um volume com o ambiente circundante.
com demonstrações ao vivo de negócios de 13 mil milhões de dólares.
de tarefas como soldadura, “O WeAreCOBOTS demonstrou o in-
pintura, aparafusamento, teresse que os robots colaborativos des- SEGURANÇA NA ROBÓTICA
embalagem, paletização, pertam a todo o tipo de empresas e tra- COLABORATIVA
bin-picking, agrupamento balhadores”, disse Jordi Pelegrí, Country Asepeyo, CTVA, Sick e Solidsafe partilha-
de peças e controlo de Manager da Universal Robots em Espa- ram ideias para aprofundar os avanços
qualidade, entre outras. nha e Portugal. “Estamos a evoluir para em matéria de segurança que estão a
ocorrer na robótica colaborativa. De facto, a NOVOS HORIZONTES PARA automatizada, sem a necessidade de ímanes
“cobotização” está a revelar-se um aliado na A ROBÓTICA MÓVEL COLABORATIVA ou bandas magnéticas dentro de um sistema
prevenção de riscos profissionais e na promo- Kivnon, MiR, PAL Robotics e Robotnik foram as de gestão de frotas.
ção da saúde física e psicológica em locais de empresas responsáveis por examinar o cami-
trabalho. Importa ter em conta que os cobots nho a ser tomado pela nova robótica móvel
podem trabalhar em pequenos espaços em colaborativa, que é capaz de se movimentar O ECOSSISTEMA DE ODENSE
conjunto com os trabalhadores porque, em em armazéns, instalações industriais, hospi- O congresso WeAreCOBOTS contou com a
caso de contacto param. tais e outras instalações de forma flexível e experiência de Michael Bo Larsen, Business
Manager da Odense Robotics, o cluster de ro-
bótica e inovação colaborativa que assistiu ao
nascimento da Universal Robots na Dinamar-
ca. O modelo de sucesso deste polo de inova-
ção baseia-se na criação de sinergias entre em-
presas, instituições académicas e organismos
administrativos com um claro enfoque na I&D
e na exportação.

Avanços como a possibilidade de


integrar sistemas de visão artificial
e outras aplicações numa única
plataforma de desenvolvimento,
instalações móveis para que o cobot
possa trabalhar em diferentes pontos
da cadeia de produção e os espaços
cada vez mais compactos esboçam
um horizonte de inovação aberto a
pequenas e médias empresas.

PUB
Tecnologia tem de servir
o utilizador
Avaliar as inovações digitais utilizando o princípio da medição da
vibração como exemplo.

outro lado, os utilizadores querem pagar


apenas pelo que realmente necessitam,
e por isso é que a NAMUR, uma asso-
ciação internacional de utilizadores de
tecnologia de automação nas indústrias
de processo, elaborou a sua recomenda-
ção NE131 para incluir as expetativas de
como 80% dos casos de aplicação con-
info.pt.sc@endress.com · www.pt.endress.com
Tel.: +351 214 253 070 · Fax: +351 214 253 079

vencional devem ser cobertos para mi-


nimizar os custos. O princípio por detrás Figura 3. Georg H. Endress com os investigadores.
Endress+Hauser Portugal, S.A.

dos dispositivos de medição é que eles


devem tratar com segurança de qual-
case study

quer problema que os utilizadores este- porque não podiam ser implementados
jam a tentar resolver. numa conceção totalmente em metal.
E por isso os investigadores tiveram de
Figura 1. O princípio de medição Vibronics. pensar em algo completamente novo.
PROCURA POR UM SENSOR TODO Acabaram por apresentar ao seu chefe
74

EM METAL uma solução simétrica de haste dupla


Otimização contínua e processos cada Muito antes da NAMUR divulgar esta re- ao invés da solução de haste única soli-
robótica

vez mais automatizados estão a esmiu- comendação, no final dos anos 70, Geor- citada. Um acionamento piezoelétrico
çar a história da automação do processo ge H. Endress previu o desenvolvimento faz com que as duas hastes, organizadas
bem como da própria industrialização. de um novo sensor. Ele queria fazer um em forma de garra, vibrem. Assim que
Na digitalização, estes esforços culmi- sensor que fosse todo em metal e, as- houver um suporte a cobrir a garra em
naram recentemente. A força motriz do sim, estivesse permanentemente selado. metal, a frequência de vibração muda e o
progresso levou a novos princípios de A ideia passava por usar uma haste em sensor converte a informação num sinal
medição – como referido na história do todas as aplicações convencionais para de saída.
conceito da garra vibratória, também de- verificar com segurança se havia líquido No início, a Endress+Hauser ficou
nominada vibração, descrito aqui – mas num tanque ou recipiente. Quando os muito dececionada ao saber que a so-
até mesmo essa força está agora sujeita à investigadores receberam estas especi- lução de haste única não podia ser im-
transformação digital. Em última análise ficações, essas facilitaram-lhes o traba- plementada, mas mesmo assim arriscou
o objetivo de tudo isto é tornar o traba- lho. Os princípios de medição capacitiva com a “experiência” da haste dupla. Por-
lho mais fácil para as pessoas e dar aos e condutiva estavam fora de questão que no final, o que era mais importante
humanos a liberdade de dar aquilo que era que o sensor todo em metal se tor-
nos diferencia: utilizar o nosso cérebro. nasse uma realidade. Essa inovação au-
Porque é que os fabricantes de dis- mentou o alcance da tecnologia uma vez
positivos de campo estão continuamen- que poderia ser utilizada em qualquer
te a desenvolver novas tecnologias? Por suporte. E já para não falar que um sen-
um lado, essas tecnologias facilitam o sor todo em metal é, incomparavelmen-
trabalho fora do campo, são necessá- te, mais duradouro do que os materiais
rios menos trabalhadores qualificados e plásticos – e não apenas em condições
as tecnologias impulsionam o processo quentes. Se o instrumento estiver danifi-
de automação e expandem o âmbito cado não conseguirá encontrar as partes
de aplicações para os dispositivos de plásticas no suporte, mas todas as peças
medição. Isto foi verdade no passado e de metal podem ser encontradas.
continua a ser verdade no futuro. A dife- Assim nasceu um novo princípio de
rença é que a velocidade de mudança e Figura 2. Esboços iniciais da conceção medição que detetou o limite do nível,
os novos produtos estão a aumentar. Por do Liquiphant nos finais dos anos 70. independentemente do suporte onde
No final, qualquer inovação
tecnológica é julgada em
mais do que o seu potencial.
Também é avaliado com base
nos efeitos tangíveis que
ele tem em facilitar a vida
dos utilizadores e dar-lhes a
liberdade de otimizar ainda mais
os processos e é aqui que reside
a vantagem dos humanos sobre
as máquinas. Nós utilizamos o
senso comum para distinguir o
valor agregado real de meros
truques e deixar a tecnologia
cuidar dos processos árduos e
propensos a erros.

também exige que as informações do


Figura 4. Trabalho duro do Liquiphant. produto, como manuais ou certificados,
estejam disponíveis no formato móvel
a qualquer momento. E é aqui que en-

Case study
estivesse a ser utilizado. Chamaram-no pagar. Ao mesmo tempo, o Liquiphant tram as inovações tecnológicas mais re-
de “Vibronics”. Em 1983, o instrumento lidou com novas tarefas de medição de centes da última geração de Liquiphant,
de medição com garra vibratória che- nível de preenchimento e facilitou a vida a FTL51B. Como um recurso adicional,
gou finalmente ao mercado. Houve das pessoas. No setor de petróleo e gás, as todas as informações de produto e
uma competição entre os funcionários refinarias descrevem o Liquiphant como diagnóstico são legíveis digitalmente, o

75
para chegar a um nome para o produto. o instrumento de medição mais seguro e que elimina consideravelmente o esfor-
A Endress escolheu o nome entre várias fiável que eles têm nas suas aplicações. O ço envolvido em alcançar o dispositivo

robótica
sugestões: “Liquiphant”. O nome baseia- dispositivo muda a tempo para prevenir o em locais difíceis. O dispositivo mostra
-se na imagem de um elefante com enchimento excessivo e protege as bom- em que estado está a utilizar um LED ou
duas presas (segundos incisivos supe- bas contra o funcionamento a seco. em diagnósticos utilizando a tecnologia
riores do elefante) em líquido. Apostar Em comparação com os interrup- Heartbeat. O conceito da tecnologia
na nova tecnologia valeu a pena. Para tores de boia, o Liquiphant é bastante Heartbeat também verifica o dispositivo
o início das vendas durante o primeiro simples nas fábricas. Os dispositivos de e fornece toda a documentação neces-
ano, os responsáveis pelo projeto da medição Vibronics não requerem ma- sária para as instituições. Os utilizadores
Endress+Hauser esperam vender 500 nutenção e têm uma longa vida útil. O obtêm daqui otimizações de processo
unidades. Na realidade, 5000 unidades Liquiphant também foi desenvolvido se- e descobrem aquilo que é necessário
da Liquiphant foram vendidas em ape- gundo a IEC 61508, o que significa que ser feito para a manutenção preventi-
nas um ano. Os investigadores deram ao foi projetado para utilização em SIL2 e va. Os testes concorrentes segundo o
projeto uma rápida revisão para o tornar SIL3. Além disso é resistente à corrosão. SIL e o German Water Management Act
mais fiel aos requisitos reais e mais favo- (WHG) são fáceis e diretos no novo Li-
rável para produzir – e para que estives- quiphant. Os utilizadores simplesmente
se segundo os standards de um vende- CAPACIDADE/POTÊNCIA DIGITAL pressionam um botão e percorrem um
dor de primeira linha. Qualquer pessoa que esteja atualmente assistente.
a preparar a sua empresa para a era digi- No final, qualquer inovação tecnoló-
tal terá de otimizar tanto a tecnologia da gica é julgada em mais do que o seu po-
NOVAS APLICAÇÕES informação como o nível de campo. Isso tencial. Também é avaliado com base nos
Atualmente, a Endress+Hauser produz requer sensores que forneçam os dados efeitos tangíveis que ele tem em facilitar
330 000 unidades de Liquiphant por ano. relevantes para iniciar as otimizações de a vida dos utilizadores e dar-lhes a liber-
O dispositivo de medição está a ser utili- processos e os aumentos de eficiência. dade de otimizar ainda mais os proces-
zado em mais de 6 milhões de aplicações No roteiro da tecnologia “Process sensors sos e é aqui que reside a vantagem dos
em todo o mundo. O sucesso do disposi- 4.0”, NAMUR pediu a abertura de uma humanos sobre as máquinas. Nós utili-
tivo deve-se ao facto de que ele fornece segunda forma de comunicação móvel zamos o senso comum para distinguir o
exatamente aquilo que os utilizadores com o sensor. Desta forma é necessário valor agregado real de meros truques e
realmente necessitam nos seus aplica- fornecer informações do sensor para deixar a tecnologia cuidar dos processos
tivos convencionais e estão dispostos a a manutenção preventiva. A NAMUR árduos e propensos a erros.
Nova ROBOSHOT α-S450iA
já em funcionamento
em Portugal na KLC
Apresentada no final de 2018, a nova ROBOSHOT α-S450iA encontra­‑se 5000 kN), um volume de injeção máximo
já em funcionamento na Europa na KLC de 2827 cm3, uma distância entre coluna
de 920 mm x 920 mm, e permite uma
altura máxima do molde de 1000 mm,
isto tudo utilizando o mesmo sistema
CNC FANUC que carateriza toda a linha
ROBOSHOT.
Para Pedro Colaço, Gerente da KLC, o
FANUC Iberia S.L.U. – Sucursal em Portugal

investimento em máquinas de moldação


por injeção elétrica de alta precisão FA-
NUC justifica-se uma vez que:
“A KLC injeta componentes em políme-
info@fanuc.pt · www.fanuc.pt

ros de engenharia que necessitam de uma


Tel.: +351 220 998 822
case study

grande estabilidade dimensional. As especi-


ficações são bastante exigentes e as janelas
de processamento tendem a ser bastante
Algumas semanas antes do lançamento “A Roboshot oferece, além das caraterís- estreitas. Isto porque a maioria das peças
Europeu (na Feira FAKUMA em outubro ticas enumeradas anteriormente, a possibi- interagem com outras em sistemas mon-
76

de 2018), a KLC foi a primeira empresa do lidade de ser equipada com fusos Ultra. Nes- tados. Fornecemos também peças com
continente europeu a encomendar a nova te projeto, em particular, vamos trabalhar desempenho ótico. Por outro lado a KLC é
robótica

ROBOSHOT α-S450iA, máquina elétrica com grandes cargas de fibras e minerais e, também especialista em acabamentos cos-
para moldação por injeção elétrica de alta portanto, esperamos obter da ROBOSHOT méticos e alguns destes processos, nomea-
precisão da FANUC que é distribuída na α-S450iA uma maior longevidade, menor damente a lacagem e o PVD, necessitam de
Península Ibérica pela empresa AGI – Au- manutenção, menor consumo elétrico e superfícies livres de defeitos”.
gusto Guimarães & Irmão, Lda. De realçar uma grande estabilidade de processo”, refe- De realçar ainda que “A Inteligência
que a KLC já encomendou a segunda re Pedro Colaço, Gerente da KLC. Artificial está a ser testada e as primeiras
unidade deste modelo, máquina esta que Agora em tonelagens de maior capa- indicações são bastante boas.”
será instalada nas próximas semanas. cidade, a nova ROBOSHOT α-S450iA (tem
A KLC é uma empresa especializa- 2 modelos: Standard Injection Capacity e
da na produção de peças injetadas de High Injection Capacity) foi apresentada ao MÁQUINAS ROBOSHOT
valor acrescentado em processos de público pela primeira vez na Feira FAKU- A FANUC ROBOSHOT permite aplicar a
acabamento cosmético e de montagem MA – International trade fair for plastics pro- tecnologia de ponta de precisão CNC de
que, desde 1993, atua nos setores mais cessing em Friedrichshafen, na Alemanha. torneamento e fresagem à moldagem
rigorosos da indústria automóvel com A ROBOSHOT α-S450iA tem uma por injeção elétrica. Como resultado
componentes incorporados nos mais força de fecho de 4500 kN (e opção de obtém-se uma maior aceleração, uma
conceituados OEMs, com presença ain- precisão máxima dos movimentos e
da no setor da eletrónica de consumo e tempos de ciclo extremamente curtos na
do healthcare. O alto nível de exigência produção consistente de grandes quan-
dos seus processos leva a KLC a recorrer tidades de peças de alta qualidade. Esta
a tecnologias de ponta, e a preferência máquina tem também o consumo de
pela nova ROBOSHOT α-S450iA está re- energia mais baixo do mercado: a tecno-
lacionada com resultados anteriormen- logia servo superior e a recuperação de
te adquiridos com máquinas FANUC energia inteligente da FANUC reduzem
ROBOSHOT de tonelagem inferior, mui- o consumo de energia da ROBOSHOT
to devido às vantagens que esta série de em 50 a 70% em comparação com as
máquinas oferece como a precisão dos máquinas hidráulicas, e em 10 a 15% em
seus servomotores, construção mecâni- comparação com máquinas elétricas de
ca e o seu consumo energético. outros fabricantes.
PUB
Automação económica
para todas as empresas
com robótica low-cost da igus
A igus pretende ajudar as empresas a entrar na era da automação com CONSTRUA O SEU ROBOT
uma plataforma online para a automação low-cost. COM APENAS ALGUNS CLIQUES
A ideia consiste em permitir que os clien-
tes montem a sua própria solução robó-
tica com apenas alguns cliques. A estru-
tura eletromecânica básica é o rohbot da
igus, incluindo braços robóticos articu-
lados, robots Delta e robots cartesianos.
No passo seguinte, o utilizador comple-
Tel.: +351 226 109 000 · Fax: +351 228 328 321

menta esta estrutura básica, adicionando


componentes individuais de diversos fa-
bricantes, como pinças, câmaras, compo-
/company/igus-portugal
info@igus.pt · www.igus.pt

nentes eletrónicos de potência, motores,


case study

sensores e sistemas de controlo. A vanta-


/IgusPortugal

gem: todos os componentes são compa-


igus®, Lda.

tíveis uns com os outros.


“O conceito destinado a empresas, star-
tups, institutos de investigação e empresas
78

Figura 1. A plataforma online rbtx.com pretende ajudar os clientes da igus a encontrar, configurar ou de engenharia mecânica, proporciona so-
construir rapidamente a solução de automação mais adequada. Entre outros componentes, a estrutura luções robóticas personalizadas e rápidas,
robótica

básica do robot é o novo braço articulado de precisão robolink DP em plástico. (Fonte: igus GmbH) a custos iniciais baixos de apenas alguns
milhares de euros, que serão amortizados
em pouco tempo e irão proporcionar lucros
Robots económicos com componentes interação de componentes de diferentes
de diversos fabricantes, que podem ser fabricantes – incluindo mecatrónica, sis-
configurados e encomendados online temas de controlo e software – é dema-
com apenas alguns cliques. A igus, em- siado confusa e complexa.
presa especializada em motion plastics “Uma barreira desnecessária”, afir-
sediada em Colónia, está a planear este ma a igus. A empresa especializa-se no
serviço com a plataforma online rbtx.com desenvolvimento de robótica low-cost
para robótica low-cost. Graças a um siste- tendo, assim, apresentado a plataforma
ma modular, até as pequenas e médias online rbtx.com na Feira de Hannover,
empresas poderão obter automação por em cooperação com outros fabricantes.
um preço muito baixo. “No que diz respeito à mecânica, casqui-
Um robot Pick&Place dirige-se para o lhos, motores e caixas de engrenagens,
transportador, pega num pequeno com- podemos oferecer consultoria especiali-
ponente elétrico, vira-o e coloca-o numa zada aos interessados. No entanto, tam-
máquina de teste, mil vezes por dia, de bém é um facto que outras empresas são
forma incansável e mais rápido do que o líderes nas áreas da visão artificial, pinças
melhor colaborador. Tais cenários são co- ou do software de controlo”, afirma Stefan
muns no universo da indústria atual. Os Niermann, Diretor do Departamento
“gigantes” da indústria aumentam conti- de Automação low-cost recentemente
nuamente, o nível de automação, inten- constituído. “Esta é precisamente uma
sificando assim a pressão competitiva das razões pelas quais faz sentido existir
sobre as pequenas e médias empresas. uma plataforma online que combine as
Mas muitas das pequenas empresas es- diferentes competências, para que o clien- Figura 2. Automação rápida a preços baixos:
tão a evitar este tema. Os custos de in- te possa obter rapidamente a solução ro- o robot Delta da igus como pacote completo
vestimento são demasiado elevados e a bótica certa.” de fácil montagem. (Fonte: igus GmbH)
mecânica e fabricantes de robots. A fol-
ga dos novos braços foi reduzida ainda
mais, como resultado da cinemática das
articulações, uma inovação que possibili-
ta ao robolink uma maior precisão. Pode
posicionar peças com um peso até 3 kg
com uma precisão de +/- 0,5 mm, num
espaço de trabalho com um diâmetro de
quase 790 mm. Em comparação com os
braços robóticos industriais convencio-
nais, que custam atualmente, no mínimo,
15 000 euros, o novo braço robolink DC
(no modelo de 5 eixos) marca a diferença,
com um preço de 3400 euros. Este preço
é possível porque muitos componentes
Figura 3. robolink DCi: entrar no mundo da robótica industrial é fácil e económico, com o software de braços robóticos articulados, como a
da Commonplace Robotics. (Fonte: igus GmbH) engrenagem harmónica no quinto eixo,
não são fabricados em metal, mas sim
pelos denominados triboplásticos. “Estes
rapidamente”, explica Niermann. “Trata-se Para conseguir acompanhar o rápido plásticos de elevada performance não só
aqui de uma via de baixo risco para entrar desenvolvimento da indústria de auto- possibilitam uma produção económica,
na era da automação e investir na compe- mação global, a igus investe continua- como também exibem as suas vantagens
titividade de amanhã.” Outra vantagem: mente na investigação e no desenvolvi- em funcionamento”, afirma Niermann. “Os
todos os fabricantes poderão expandir mento. Como resultado, os engenheiros componentes robóticos fabricados com

Case study
continuamente a plataforma online com conseguiram dispor os cabos no interior tribopolímeros não requerem quaisquer
novos componentes. Os utilizadores te- do braço na nova geração do robot DC. lubrificantes sendo, por isso, isentos de ma-
rão sempre acesso claro a um segmento Um design limpo e compacto que pre- nutenção. Além disso são simultaneamen-
de mercado em rápido desenvolvimen- destina os robots à colaboração entre te estáveis, resistentes à corrosão e leves.”
to. Até à data, 17 empresas manifestaram homem e robot. Os braços articulados

79
interesse em juntar-se à plataforma. leves e compactos fazem um uso exten-
sivo das vantagens proporcionadas pelos SISTEMA MODULAR

robótica
motion plastics da igus: leves, isentos de PARA INVESTIGAÇÃO
BRAÇOS ROBÓTICOS lubrificação e de manutenção, duráveis e E DESENVOLVIMENTO
ARTICULADOS PRONTOS A LIGAR de produção económica. Consequente- Quem pensa que apenas encontra solu-
POR 5000 EUROS mente é possível configurar robots perso- ções completas na igus está enganado.
A igus tem experiência na robótica low- nalizados a partir de uma unidade, assim Até mesmo engenheiros experientes
-cost. A empresa desenvolve há muitos como fornecê-los em grandes quan- veem o seu dinheiro ser bem empre-
anos soluções de automação para a pre- tidades para empresas de engenharia gue. É aqui que entra em cena o robolink
paração de encomendas, fornecimento,
controlo de qualidade e montagem. Es-
tas incluem o robolink DC, um sistema
modular que permite aos utilizadores
montarem braços articulados com um
alojamento em plástico robusto e leve,
caixas de engrenagens e motores, num
braço robótico próprio. A gama também
inclui o robolink DCi, um sistema de au-
tomação pré-configurado e pronto a uti-
lizar. Este consiste num robot de 4 ou 5
eixos e um sistema de controlo, que está
integrado na base do braço articulado,
de forma compacta. O software de con-
trolo do parceiro Commonplace Robo-
tics foi especificamente concebido para
o robolink DCi que permite configurar
sequências de movimento de forma tão
intuitiva quanto num smartphone. Sem
necessidade de um PC ou de um quadro Figura 4. A missão do Apiro: realizar movimentos complicados – como os de uma aranha – com apenas
elétrico. 3 novas engrenagens para movimento de rotação, linear e inverso. (Fonte: igus GmbH)
Os robots Delta também são adequa-
dos para tarefas de Pick&Place. Estes são
compostos por 3 mesas acionadas por cor-
reia dentada ZLW, motores NEMA e uma
estrutura de ligação. Conseguem posicio-
nar componentes com um peso de 1 kg
num espaço de instalação até 660 mm,
com uma precisão de +/- 0,5 mm, a velo-
cidades até 60 recolhas por minuto. Com
velocidades mais baixas, o sistema conse-
gue mesmo suportar até 5 kg. O preço do
robot é inferior a 6000 euros. “Se os utiliza-
dores possuírem a sua própria caixa de dis-
tribuição, os custos, incluindo a integração,
situam-se entre 10 000 e 15 000 euros”, afirma
Niermann. “Os custos são amortizados após,
Figura 5. Deslocamento preciso e isento de lubrificação em 3 eixos com os novos robots lineares no máximo, meio ano. Posteriormente, a em-
multiaxiais drylin E. (Fonte: igus GmbH) presa obtém lucro com a automação.”

Apiro – um sistema modular constituído SISTEMAS LINEARES MULTIAXIAIS AUTOMATIZAR TAREFAS SIMPLES
por articulações, perfis, caixas de engre- E ROBOTS DELTA COMO OPÇÃO DE FORMA ECONÓMICA
nagens e motores de diversos tamanhos, LOW-COST A família Langhoff conta com as soluções
com os quais os projetistas podem im- O ABC da tecnologia de automação inclui de automação low-cost da igus. Na sua
Case study

plementar sistemas de automação. Até robots lineares tridimensionais e robots pequena empresa, a família cria minhocas
mesmo sistemas muito complexos! Para Delta. Desta forma, a igus desenvolveu vermelhas gigantes, que são utilizadas, por
o efeito, a igus desacoplou o motor e a para o setor low-cost robots lineares mul- exemplo, por pescadores, como alimento
caixa de engrenagens e desenvolveu tiaxiais personalizáveis, disponíveis a partir para peixes, para a caça ou por produtores
uma engrenagem sem-fim inovadora, fa- de 1799 euros. Estes consistem em mó- de fertilizante natural para jardins e estu-
80

bricada com tribopolímeros, com a qual é dulos lineares pré-configurados ou mesas fas. Os Langhoff desenvolveram máquinas
possível implementar, por exemplo, cine- lineares de alumínio e motores de passo completamente novas para automatizar,
robótica

máticas SCARA simples. As articulações NEMA. Com a pequena solução comple- totalmente, o processo de alimentação e
são unidas por um perfil multifuncional ta é possível transportar cargas até 2,5 kg irrigação das minhocas com pórticos tridi-
de alumínio. É possível ligar múltiplas num espaço de trabalho de 400 x 400 x mensionais drylin da igus, que são dura-
articulações em série, se desejado. “Gra- 100 mm, a uma velocidade máxima de douros e isentos de lubrificação.
ças ao sistema modular, existem inúmeras 0,5 metros por segundo. Duas mesas acio- Os monótonos procedimentos de
opções de combinação. Não existem quais- nadas por correia dentada ZLW e um eixo alimentação e irrigação já não têm de ser
quer limites para a imaginação”, afirma de cremalheira GRW garantem um guia- realizados por uma pessoa a tempo inteiro,
Niermann. “Desta forma, os utilizadores do mento preciso e uma operação isenta de pelo que podem concentrar-se em tarefas
sistema modular Apiro incluem não só os lubrificação. Os robots lineares multiaxiais mais exigentes. “Com a nova unidade, a ali-
fabricantes de máquinas, como também são utilizados, por exemplo, em aplica- mentação e a irrigação podem ser realizados
instituições de formação e departamentos ções Pick&Place nas áreas da tecnologia continuamente, mesmo quando há falta de
de investigação e desenvolvimento.” médica e da microeletrónica. pessoal. Além disso, os erros são reduzidos ao
mínimo indispensável”, explica Martin Lan-
ghoff, proprietário da Superwurm. Outras
empresas por todo o mundo também já
identificaram o mesmo nicho de mercado
que a família Langhoff. No entanto, a au-
tomação é quase inexistente no trabalho
intensivo de criação de minhocas. É isso
que os Langhoff pretendem mudar no seu
negócio. O seu plano consiste em duplicar
o nível de automação atual no viveiro de
minhocas. “Para a produção e armazena-
mento, as pequenas empresas precisam de
recorrer a soluções de automação simples e
Figura 6. Um robot linear tridimensional drylin da igus ajuda na furação automática de orifícios de venti- económicas, como as soluções da igus, para
lação em baldes para a criação de minhocas. A perfuradora de baldes assume uma tarefa não apreciada conseguirem acompanhar as grandes em-
pela família Langhoff e poupa custos. (Fonte: igus GmbH) presas”, afirma Martin Langhoff.
PUB
Siemens SPPAL Portugal
utiliza solução inovadora
para automação da EPLAN
Quando se fala em liderança em sistemas de automação e software aplicar interfaces de configuração e ge-
aplicados à gestão postal e de encomendas e logística aeroportuária rar documentação de forma automática.
um dos primeiros nomes que surgem é, inevitavelmente, o da “Queria tornar acessível o potencial do de-
Siemens Postal, Parcel & Airport Logistics (SPPAL). Como detentores senvolvimento automatizado de esquemas
de um portefólio extenso, a SPPAL oferece aos seus clientes uma elétricos e, assim, ganhar tempo para que
solução integrada, desde o planeamento e engenharia, à integração, se pudessem apoiar as restantes equipas in-
implementação e manutenção de projetos. Para manter o reforço ternamente, nas diversas fases de um proje-
deste portefólio contínuo, a subsidiária portuguesa da SPPAL to. Queria tempos de resposta mais rápidos,
conseguiu simplificar ainda mais os processos internos da equipa maior capacidade de reagir às necessida-
Tel.: +351 229 351 336 · Fax: +351 229 351 338

de projeto elétrico, utilizando um programa funcional e totalmente des internas e externas e maior flexibilidade
www.mm-engenharia.pt · www.eplan.pt
info@mm-engenharia.pt · info@eplan.pt
M&M Engenharia Industrial, Lda.

integrado, possibilitado pelo EPLAN. na utilização de pessoal para outras tare-


fas”, afirmou o especialista. Foi então que
lhe surgiu a ideia de criar um programa
case study

baseado no EPLAN, intitulado SEECO.

PADRÃO MULTIDISCIPLINAR
O software de automação EPLAN é uma
82

espécie de “torre de controlo”, que constrói


uma ponte entre a engenharia elétrica,
robótica

a engenharia mecânica, a tecnologia de


controlo e a documentação, fornecendo
a base técnica para a integração. E com
um conhecimento integrado não é pos-
sível ter configurações incorretas. O aces-
so centralizado e estruturado a todas as
informações relevantes de um projeto,
Os processos de engenharia são cons- em 2016 decidiram mudar e escolher combinada com avaliações abrangentes,
tantemente submetidos a crescentes exi- o EPLAN como software CAE de eleição como utilizações anteriores, traz a trans-
gências e parâmetros de execução cada para o desenho de esquemas de quadros parência necessária a todo o processo.
vez mais complexos. Para se manterem elétricos, bem como ligações de campo. O SEECO, baseado no software EPLAN,
competitivas, as empresas são obrigadas E o feedback não podia ser mais positivo. tornou-se numa verdadeira ‘máquina de
a desenvolver e lançar produtos em pe- “O EPLAN permite concentrar bastante in- engenharia’. Em termos genéricos, o SEE-
ríodos de tempo cada vez mais peque- formação relevante para o projeto e assim CO constrói o puzzle de macros a serem
nos. A subsidiária portuguesa da SPPAL, reduzir as falhas de comunicação por in- carregadas para o EPLAN, de acordo com
parte integrante do grupo Siemens, con- formação dispersa”, salienta João Carlos as configurações do utilizador. “Quando
centra o seu trabalho nos mercados que Pontes, membro da equipa de Engenha- é questionado ao utilizador, por exemplo
pretende atingir e nos que quer manter. ria da SPPAL em Portugal. qual o tipo de distribuição de potência para
Para isso, alia 2 caraterísticas que, por ve- A Plataforma EPLAN combina várias os motores que pretende (centralizado ou
zes, são conflituantes: a agilidade para soluções e forma a base para a obtenção descentralizado), a resposta será interpre-
poder ser competitiva em projetos pe- de dados digitais consistentes que estão tada pelo SEECO que, consoante a escolha,
quenos, bem como a capacidade de pro- na origem de uma engenharia eficiente. tratará de adicionar as macros corretas.
dução, de forma a conseguir conquistar De uma forma abrangente, as soluções Além da construção do puzzle, o programa
projetos maiores. Sendo o pré-requisito EPLAN oferecem um suporte metódico também tem a função de ajustar cada ma-
fundamental para a obtenção destes através da criação automática de esque- cro (nomes de cabos, nomes de armários,
objetivos a digitalização de todos os pro- mas e João Pontes viu neste software de entre outros)”, explica João Pontes.
cessos e dados de engenharia, desde o automação baseado no EPLAN Electric De uma forma mais específica, os 5
fabrico até à operação e manutenção, P8 a ferramenta certa para projetar e colaboradores que estão já a trabalhar
PUB
com o SEECO, utilizam um ficheiro agregador da informação
relevante para o projeto elétrico, intitulado Project Structure
Matrix. É neste ficheiro que encontram o tipo de armários,
o número de motores, o tipo de control stations (estações
periféricas de aquisição de sinais), o número de botoneiras
de emergência, entre outras informações. O passo seguin-
te é abrir o SEECO pelo software EPLAN. Ao projetista são,
então, solicitadas 4 configurações: Feeders Supply, Fail-Safe
Control, LLC Cabinets e LLC Field. Como as macros variam
com o tipo de padrão, a configuração inicial permite ao SEE-
CO saber quais as macros que deverá utilizar. De seguida, o
projetista utiliza a Project Structure do projeto pelo SEECO.
Este lê automaticamente a mesma e a solução EPLAN fica
preenchida. Depois basta exportar o projeto para o EPLAN.
Uma vez neste software é apenas necessário fazer algumas
ligações entre componentes, endereçar IOs e desenhar o
diagrama de rede.

ENORME POTENCIAL BASEADO NO CENÁRIO


MAIS IDEAL
Economizar tempo, dinheiro e esforço é o cenário ideal de
qualquer empresa. João Pontes congratula-se de ter criado
um programa com base no software de automação EPLAN
que simplifica os processos internos e economiza custos
para a empresa. “O programa colmata 3 dos grandes objetivos
iniciais e principais para o qual foi concebido: reduz o tempo de
criação de esquemas, diminui os erros de repetição e incentiva
a padronização dos esquemas elétricos desenvolvidos. A lon-
go prazo pretende-se que o SEECO seja capaz de detetar erros
na configuração e que seja utilizado em todos os projetos fu-
turos ganhos pela SPPAL, permitindo uma oferta de soluções
variadas para nos tornar ainda mais competitivos”, reforça o
especialista.
Rittal oferece soluções
para mobilidade elétrica
A mobilidade elétrica está a ganhar cada vez mais importância e utilizando painéis divisores, estruturas
deve estar brevemente disponível para um amplo mercado de de montagem e placas de montagem. A
utilizadores. A expansão de infraestruturas de carregamento está climatização também é necessária, espe-
a contribuir para o aumento da confiança na mobilidade elétrica e cialmente em estações de carregamento
a reduzir os problemas atuais de alcance, infraestrutura e preço. A rápido de 350 kW. Os sistemas Rittal e os
Rittal suporta toda a cadeia de valor, desde a geração de energia até armários externos garantem o controlo
ao controlo climático da estação de carregamento. Com parceiros e climático adequado da energia elétrica,
clientes, a Rittal está a projetar os elementos centrais de infraestrutura proporcionam uma distribuição de ca-
necessários para completar uma estação de carregamento e produzir lor constante, levam em consideração as
componentes para esta estrutura, como caixas externas, recipientes condições climáticas variáveis e assegu-
para baterias, estações de transformadores e sistemas de climatização ram o controlo de acesso e a proteção
para estações de recarga rápidas. As vantagens decisivas da Rittal, que pessoal.
Tel.: +351 256 780 210 · Fax: +351 256 780 219

os fornecedores e operadores de estações de recarga mais apreciam, A Rittal fabrica os armários para os
incluem disponibilidade, serviço e acessibilidade. carregadores atuais, onde os veículos
elétricos são carregados como se esti-
info@rittal.pt · www.rittal.pt

vessem numa estação de abastecimento,


case study

como armários padrão para aplicações


Rittal Portugal

industriais ou em projetos personalizados


específicos. A tecnologia dos armários
é um fator importante na configuração
da infraestrutura de carregamento – as
84

categorias de proteção, classes de resis-


tência, escalabilidade e controlo climáti-
robótica

co devem ser levadas em consideração.


Os armários de parede dupla são particu-
larmente adequados, pois satisfazem os
requisitos de resistência a impactos para
carregadores rápidos públicos e podem
ser configurados com um design particu-
larmente resiliente.
Se a densidade de potência de uma
bateria começa a esgotar, na medida em
que o veículo elétrico não pode mais
contar com uma fonte de alimentação
No início está a fonte de energia: as fon- pré-montados para controlar a tempera- adequada, a bateria pode ser usada
tes de energia que podem ser usadas tura, por exemplo, o VX25 que permite como uma fonte de alimentação alter-
para a mobilidade elétrica são as ener- que as baterias sejam rapidamente subs- nativa para uma estação de carrega-
gias renováveis do sol ou do vento e os tituídas e que pode suportar cargas até mento, por exemplo. Dependendo do
combustíveis fósseis, como o gás natu- 1400 kg. Os armários externos da Rittal cenário envolvente, estas podem estar
ral. A Rittal fornece soluções de sistema satisfazem os requisitos mais rigorosos alojadas num armário interno ou exter-
turnkey e armários de controlo para par- e estão a contribuir para introduzir a pa- no. A Rittal está empenhada em colabo-
ques eólicos e caixas de terminais para dronização na infraestrutura. rar com os seus clientes na expansão do
geradores de painéis solares. A estação Uma variedade de infraestruturas de uso de baterias de segunda vida e no
transformadora é onde a corrente da armários para energia elétrica e módulos fornecimento das soluções de armários
rede de Média Tensão é convertida na de controlo também fazem parte do par- correspondentes.
tensão elétrica usada pelas redes de que de carregamento. Estes protegem Os clientes estão a exigir que as so-
baixa tensão e alimentada à estação o fornecimento de múltiplos pontos de luções e peças de reposição estejam dis-
de armazenamento, no parque de car- carregamento e necessitam de ser bem poníveis em todo o mundo. A Rittal tem
regamento. Para esta infraestrutura de protegidos. Vários conceitos e estruturas o alcance apropriado, a experiência pro-
energia, a Rittal oferece armários para de controlo climático podem ser im- funda e organização global para atender
levar as baterias, bem como containers plementados num alojamento seguro, a estes pedidos.
PUB
Simulação de sensores
de temperatura
Desenvolvimento de um termómetro digital
mais rápido e simples.
Autor: Alain Stas, Engenheiro de marketing do produto para resistências não-lineares, Vishay

Pacientes, grelhados de domingo, água do chuveiro ou do aquário situar-se entre os +25°C e os +150°C, e a
– as suas temperaturas são cada vez mais medidas através de precisão geral deverá ser de ±2°C. Nestes
termómetros digitais em vez de analógicos. A escolha do sensor de casos [e semelhantes?], estão disponíveis
temperatura é decisiva para o seu desenvolvimento. Um programa de dois sensores de temperatura: Um ter-
Co-autor: Matthias Bossert, Gestor sénior de produtos, RUTRONIK

simulação gratuito torna esta tarefa muito mais simples, ajudando-o a místor não-linear altamente sensível e
economizar tempo e dinheiro. uma termo resistência (RTD), por exem-
plo um sensor de platina que é linear mas
RUTRONIK Elektronische Bauelemente GmbH

menos sensível.
rutronik_pt@rutronik.com · www.rutronik.com
Tel.: +351 252 312 336 · Fax: +351 252 312 338

A ESCOLHA DO SENSOR CORRETO:


NÃO É UMA DECISÃO FÁCIL
case study

Ao escolher o sensor correto é impor-


tante decidir qual deve ser utilizado para
alcançar as especificações desejadas. Não
basta responder simplesmente a cada
uma das questões listada acima, uma vez
86

que os variados parâmetros apresentam


complexas interações entre eles, isto é,
robótica

influenciam-se mutuamente.
No geral: o fator limitador de um
Figura 1. Diagrama do circuito de simulação simplificado de um termómetro digital. (Créditos: Vishay) sistema determina a precisão. Caso este
seja desconhecido é praticamente inútil
reduzir as tolerâncias dos restantes pa-
Durante o desenvolvimento de um cir- É particularmente importante determi- râmetros para quase zero. Se, por exem-
cuito de medição de temperatura digi- nar o intervalo de temperatura e a pre- plo, forem simultaneamente utilizados
tal, os aspetos puramente mecânicos do cisão da medição, já que determinam os termístores de precisão para medirem a
design devem ser previamente esclareci- passos seguintes. Por exemplo, o inter- temperatura com uma precisão superior
dos, e não serão aqui considerados. Se- valo de temperatura neste caso deverá a ±0,2°C e um simples conversor A/D de
guidos dos eletrotérmicos. Neste sentido
é necessário dar resposta às seguintes
questões:
• Qual é o intervalo de temperatura
pretendido?
• Que nível de precisão da medição é
necessário?
• Que tipo de sensor de temperatura
deve ser utilizado?
• Quão grandes são as tolerâncias das
caraterísticas elétricas do sensor?
• Qual a taxa mínima de bits que deve-
rá o conversor A/D fornecer?
• Quão alta tem de ser a taxa de amos-
tragem do sinal do sensor? Figura 2. A simulação do circuito transiente direto revela o perfil de temperatura da aplicação. Topo:
• Quão grandes são os valores e as to- Temperatura externa (V) (surf ), temperatura do termístor V(term.) e o valor medido digitalizado
lerâncias de todas as outras compo- (tom = 200 ms, n = 10). Na janela inferior: diferença entre o valor medido e a temperatura real do termís-
nentes passivas dentro da aplicação? tor. (Créditos: Vishay)
do sinal. O desvio de tempo da tempera-
tura lida pode ser visto na secção inferior.
Para tornar a digitalização mais simples
de reconhecer foram selecionadas uma
baixa resolução do conversor A/D de
10 bits e um longo tempo de amostra-
gem de 200 ms para a simulação.
As propriedades e tolerâncias do sen-
sor, neste exemplo um termístor WNTC
de 10k da série NTCALUG da Vishay e da
resistência fixa são facilmente simuladas
utilizando o Spice. A digitalização do sinal
e a conversão dos dados medidos brutos
Figura 3. Com uma resolução superior a 16 bits, a diferença entre a temperatura da leitura e a temperatu- digitalizados na temperatura, são realiza-
ra do termístor permanece constante. (Créditos: Vishay) dos com a ajuda de fontes de tensão de
modelação comportamental analógicas.
Interessantemente, o número de bits (n)
8 bits, isto prejudicaria significativamente COMPONENTES DO TERMÓMETRO dos conversores A/D é agora um parâ-
a precisão dos termístores. Seria também DIGITAL metro da simulação e pode variar entre
igual ao contrário: se for utilizado um sen- Quer escolha um termístor de NTC (coe- os 8 e os 24. A hora da amostra (tom) do
sor de precisão moderada, a aplicação de ficiente de temperatura negativo) ou um módulo da amostra/retenção é também
um conversor A/D de 24 bits apenas faz RTD de platina como o seu sensor de um parâmetro variável. Durante a utili-
algum sentido. Caso tenham de ser de- temperatura, os modelos SPICE destas zação de ADCs Sigma Delta, a amostra/
tetadas as mais pequenas diferenças de componentes são fáceis de encontrar. retenção externas podem ser omitidas,

Case study
temperatura, é recomendável um ADC Além disso, o circuito contém um divisor especialmente porque a mudança de
com linearidade de elevado diferencial de tensão que consiste num termístor e temperatura ocorre tipicamente num in-
com algoritmos de calibragem. numa resistência fixa; uma fonte de bai- tervalo de 100 ms.
Outro método possível para alcançar xa tensão alimenta a corrente de medi- Neste exemplo, a hora de amostra-
a medição mais precisa consiste na utili- ção. A tensão resultante é digitalizada gem de 10 ms é o primeiro parâmetro

87
zação de um sensor de platina classe A após amplificação e filtragem através do a definir. A resolução ideal do conversor
(±0,15°C a 0°C), com uma caraterística ADC adequado. As componentes ideais A/D pode então ser determinada através

robótica
de temperatura linear. No entanto, o seu são as novas frentes analógicas da JRC da introdução de valores entre os 8 e os
coeficiente de temperatura é inferior ao (NJRC9103), que permitem a ligação di- 24 bits. Durante o cálculo de uma função
de um termístor, isto é, o sinal de medi- reta do sensor de temperatura. Esta AFE de erro enquanto o valor real da diferen-
ção deverá ser amplificado, o que torna fornece os dados digitais diretamente e ça entre a temperatura da leitura e a tem-
necessário um hardware adicional e pro- oferece também várias funções de cali- peratura do termístor, o erro não diminui
voca o envolvimento de mais tolerâncias. bragem para compensação do desvio. mais as resoluções de n>16, conforme
Obviamente, isto torna a seleção de Um microprocessador utiliza isto para ilustrado na Figura 3.
componentes numa tarefa complexa, calcular a temperatura. Por outro lado, a resistência R1 da
que normalmente exige numerosos tes- A simulação do circuito transiente série pode também ser otimizada para
tes. E custa tempo e dinheiro. Seria mais direto (Figura 2) revela o perfil de tempe- alcançar um valor de erro mínimo. A Fi-
simples e rápido caso o sensor com as ratura da aplicação, a resposta do sensor gura 4 ilustra que a função de erro para
suas tolerâncias, a precisão do conver- com um atraso e declive e digitalização uma resistência da série Rs alcança o seu
sor de A/D e as outras componentes de
hard­ware pudessem ser selecionadas,
uma configuração de “sistema de teste de
protótipo virtual” e uma simulação realiza-
da de imediato indica a precisão alcançá-
vel. É exatamente isto que os programas
de simulação baseados no PSpice, maio-
ritariamente gratuitos, fazem – apesar de
serem um software de simulação ana-
lógica. Uma vez que o PSpice e as suas
conhecidas versões light são capazes de
simular qualquer processo do termóme-
tro digital, conforme ilustrado na Figura
1 (neste caso, um circuito baseado em
termístor, apesar de um circuito baseado
em RTD ter uma aparência semelhante). Figura 4. A função de erro é a mais baixa possível numa resistência da série de 4,7 kW. (Créditos: Vishay)
mínimo aos 4,7 kW. A função ERR (erro)
foi definida nas diretivas SPICE para a si-
Devido às imprecisões relativamente grandes da medição mulação (consulte a Figura 1).
a grandes temperaturas, elas indicam um design abaixo do No passo seguinte, as tolerâncias do
ideal. Pode também ser claramente visto que os resultados termístor e da resistência fixa R1 são va-
para os valores de tolerância da análise do pior cenário riadas e é realizada para cada uma delas e
possível não estão idealmente distribuídos. com base nestas tolerâncias uma análise
do pior cenário possível. As Figuras 5 a 7
mostram 3 casos: a Figura 5 apresenta os
resultados para um NTC com dR25/R25 =
±1% e uma tolerância B25/85 de ±0,5%,
combinada com uma resistência de chip
plano da série TNPW de película fina de
0,5% da Vishay. Neste caso, a incerteza da
medição aumenta de ±0,4% a 25°C para
±1,5% a 100°C. As simulações aplicam-se
ao pior cenário possível. Tendo em con-
sideração as tolerâncias de R25 e B25/85
do NTC e as tolerâncias para a resistência
fixa R1, 2^3 = 8 casos são obtidos; a curva
branca é a curva de referência. A simula-
ção na Figura 5 mostra que os valores de
tolerância estão equitativamente distri-
Figura 5. Incerteza da medição da temperatura com dR25=±1% e dB=±0,5% para o NTC e ±0,5% para a buídos; isto significa que as tolerâncias
Case study

resistência fixa. (Créditos: Vishay) relativas das resistências entre si foram


corretamente escolhidas.
A Figura 6 mostra que a incerteza da
medição da temperatura pode ser re-
duzida para metade ao reduzir também
88

para metade as tolerâncias da resistência


(R25 = 0,5% e B25/85 = 0,25% para o ter-
robótica

místor e 0,25% para a resistência fixa). No


entanto, este é um empreendimento um
tanto ou quanto ambicioso e é incerto
que todos os fornecedores de resistên-
cias possam garantir um valor B25/85 de
±0,25%.
Um valor comum para os coeficien-
tes B25/85 é, por exemplo, ±1,5%. Caso
seja realizada a mesma simulação com
Figura 6. Se todas as tolerâncias da resistência forem reduzidas para metade, a incerteza da medição da os mesmos valores que na Figura 5 mas
temperatura também o é. (Créditos: Vishay) com uma tolerância B de ±1,5%, serão
alcançados os resultados apresentados
na Figura 7. Devido às imprecisões relati-
vamente grandes da medição a grandes
temperaturas, elas indicam um design
abaixo do ideal. Pode também ser cla-
ramente visto que os resultados para os
valores de tolerância da análise do pior
cenário possível não estão idealmente
distribuídos.
Isto demonstra que pode ser utilizado
um circuito de simulação relativamente
simples para visualizar a precisão geral do
circuito de medição da temperatura em
linha com as dimensões das suas com-
ponentes. Este é um ponto de arranque
Figura 7. Incerteza da medição da temperatura a dR25 = 0,5% para o NTC (mas com dB = ±1,5%) e uma ideal para as experiências adicionais para
tolerância de resistência fixa de ± 0,25%. (Créditos: Vishay) a redução de tempo e custos.
PUB
Cabos para movimentos 3D
As aplicações de movimentos contínuos exigem cabos especiais exigentes em termos de resistência me-
com uma excelente resistência mecânica. Nas aplicações cânica, produtos químicos e amplitude
automatizadas e de robótica industrial, esses movimentos térmica. Concebido para suportar mi-
deterioram rapidamente a cablagem convencional. O problema lhões de ciclos de flexão, torção e tração,
é que a maioria dos cabos não é projetada para este tipo de sempre com raios de curvatura muito pe-
movimento (flexão, tração e torção) e sofrem um desgaste quenos (até 5 x d). Além de serem muito
muito rápido. resistentes a uma variedade de efeitos
ambientais adicionais, como podem ser
as temperaturas variáveis, óleos/gorduras
e produtos químicos.
Para garantir a fiabilidade dos seus
produtos, a Sumcab dispõe de um labo-
ratório técnico com sistema de ensaios
3D. Estes sistemas de teste permitem-
-nos testar os cabos com acelerações e
Tel.: +34 933 817 876 · Fax: +34 934 627 980
sumcab@sumcab.com · www.sumcab.com

desacelerações rápidas, tensão de tração,


compressão, flexão e torção contínua.
Sumcab Specialcable Group
case study
90
robótica

A flexão repetida provoca nos conduto- cobertura falhem. Com os diferentes


res de cobre um “endurecimento a frio” até elementos referimo-nos às diferentes ca-
ao ponto em que se “quebram”. Os fios madas e partes que compõem um cabo,
de cobre que fazem parte do condutor como por exemplo condutores, isola-
no estado frio estendem-se mais além mentos, ecrãs, fitas de proteção e uma
do limite elástico permitido. Quando um cobertura exterior.
condutor se dobra (curva) em torno de As máquinas de automatização de
um raio demasiado pequeno, obriga-o processos estão projetadas para funcio-
a alongar-se ainda mais. Essa ação altera nar mais rapidamente do que as gera- A utilização do cabo mais adequado tem
a estrutura interna do condutor, endure- ções anteriores e incorporam cada vez um impacto direto na fiabilidade do equi-
cendo-o até se tornar frágil e por fim, fica mais complexos sistemas de visão, con- pamento de automação. A compreensão
partido. trolo e uma grande variedade de sen- das causas, porque falha um cabo neste
Do mesmo modo, a fricção que sur- sores. Este novo ambiente operacional tipo de aplicações, permite-nos tomar
ge durante o movimento entre os vários requer cabos mais fortes e fiáveis. as precauções mais adequadas durante
elementos internos de um cabo podem Na Sumcab Tailor Made Cables cria- a fase de conceção do mesmo e, assim,
gerar calor suficiente para, no final, fa- mos o cabo Sumflex Mechatronic que aumentar a fiabilidade de todo o sistema
zer com que o isolamento, o ecrã ou a consegue responder aos requisitos mais de produção dos nossos clientes.

Na Sumcab Tailor Made Cables


criamos o cabo Sumflex
Mechatronic que consegue
responder aos requisitos
mais exigentes em termos de
resistência mecânica, produtos
químicos e amplitude térmica.
PUB
Benefícios do ecossistema UR+
Miguel Oliveira, Sales Manager da Universal Robots para Portugal grandes benefícios ao cliente: utilidade, es-
explica à revista “robótica” de que modo a plataforma de colha, segurança e facilidade”.
colaboração UR+ impulsiona o desenvolvimento de ferramentas, A amplitude e diversidade do por-
sensores e software para ajudar as empresas a automatizar as suas tefólio UR+ em comparação com os de
aplicações mais facilmente. outros fornecedores aumenta a proba-
bilidade de os clientes encontrarem as
ferramentas certas para as especificida-
des que as suas aplicações requerem.“Isso
permite que um maior número de empre-
sas possa usufruir da automação robótica
para maximizar a produtividade, a quali-
dade e a redução de custos. Escusado será
dizer que uma abordagem de ecossistema,
sales@universal-robots.com · www.universal-robots.com

com vários fornecedores a produzirem os


mesmos tipos de ferramentas, proporcio-
na aos clientes mais opções de escolha.
Para o cliente representa a possibilidade de
uma correspondência mais exata às suas
Universal Robots Spain S.L

necessidades específicas. De uma forma


case study

Tel.: +45 89 93 89 89

mais ampla significa um ecossistema mais


Miguel Oliveira
Sales Manager

dinâmico, com os parceiros a esforçarem-se


para se superarem ou encontrarem nichos
A Universal Robots (UR) lançou o primei- que correspondessem aos seus padrões para as suas soluções, o que contribui para
ro ecossistema mundial de periféricos e de qualidade, não era verosímil. impulsionar a qualidade e alargar a oferta”,
92

acessórios para braços robóticos cola- “Os periféricos são específicos para salienta Miguel Oliveira.
borativos desenvolvidos por terceiros cada indústria ou aplicação e as empresas “Quando falamos da plataforma UR+
robótica

– a plataforma UR+ – que permite que que os produzem possuem conhecimen- e de segurança, referimo-nos à segurança
tanto a empresa como os seus fornece- to altamente especializado sobre o modo do investimento do cliente em infraestru-
dores se concentrem no que cada um exato como seus produtos específicos são tura de automação”, explica o Sales Ma-
faz melhor e incentiva a um nível de co- usados e devem funcionar”, afirma Mi- nager. Um fornecedor de automação
laboração e criatividade que beneficia o guel Oliveira. “Estas empresas são espe- mais pequeno pode seduzir hoje mas
cliente final. cialistas no desenvolvimento de soluções
Ao passo que outros fabricantes op- capazes de dar resposta aos mais ínfimos
tam por desenvolver as suas próprias fer- pormenores. Enquanto especialistas em
ramentas sem a participação de terceiros, colaboração, achamos natural facilitar a A Universal Robots acredita que
a Universal Robots optou por um mode- colaboração entre os utilizadores finais e uma estratégia de ecossistema
lo de ecossistema aberto pelas seguintes os fornecedores de periféricos e acessórios. de terceiros é a melhor maneira
razões: Na UR, descobrimos que o ecossistema que de entregar soluções de cobots
• O reconhecimento de que ninguém criamos com os nossos parceiros aporta 4 completas aos clientes.
é perito em tudo, nem capaz de fazer
tudo;
• A empresa acredita que o ecossis-
tema que criou com seus parceiros
aporta mais benefícios aos clientes;
• O ecossistema ajuda os parceiros da
UR a crescer e inspira a criatividade;
• A constatação de que esta aborda-
gem garante a máxima qualidade
possível.

Um braço robótico é extremamente difí-


cil de conceber. Portanto, a ideia de que
a UR se poderia distinguir nesse aspeto,
e ainda produzir periféricos e acessórios
PUB
desaparecer amanhã, deixando o cliente final a braços com
uma tecnologia sem futuro. Além dessa segurança de “ca-
pacidade permanente”, um ecossistema maior significa mais
profissionais empenhados em resolver os desafios atuais e
futuros e uma maior probabilidade de sucesso.
Um robot colaborativo da Universal Robots pode ser ins-
talado e colocado em funcionamento muito rapidamente, e
a amplitude de ferramentas do ecossistema UR+ garante a
agilidade no processo sem acréscimos de custos. “Facilidade
significa uma implantação mais rápida e um menor custo de
tempo de formação dos operadores. Conseguimos isso através
de uma integração de hardware certificada e contínua e de um
controlo dos periféricos totalmente integrado”, assegura Mi-
guel Oliveira.

CAPACITAR AS PESSOAS
Basicamente, o ecossistema UR+ foi criado para capacitar
os clientes – assim como os próprios cobots. “O UR+ incor-
pora o espírito empreendedor do 'faça você mesmo' que leva as
empresas a dar os primeiros passos rumo à automação”, acres-
centa aquele responsável, "é mais um movimento do que
um modelo de negócio, e o envolvimento geralmente significa
uma transformação positiva.”
O ecossistema UR+ capacita os fabricantes de periféri-
cos da mesma forma que capacita as empresas que inves-
tem na automação.
“Os parceiros UR+ têm acesso a uma base instalada mun-
dial maior do que a de qualquer outro fabricante de robots
colaborativos. Ao garantir que os seus produtos são aplicados
aos melhores cobots disponíveis conseguem alcançar o me-
lhor desempenho e, simultaneamente, aumentar a satisfação
do cliente ao oferecer a compatibilidade e a facilidade de uti-
lização que o processo de certificação UR+ garante. E podem
contar com o crescimento do negócio, pois a base instalada de
cobots UR continua a expandir-se”.
Um benefício menos tangível para os parceiros UR+ é
a energia criativa que estes são capazes de extrair quando
aderem ao programa.”Admitimos que há riscos envolvidos.
Mas descobrimos que eles são controláveis, e os riscos envolvi-
dos em pretendermos que podemos pode fazer tudo sozinhos
são muito maiores”.
Para garantir a qualidade dos periféricos e outros pro-
dutos disponíveis através do programa UR+, a Universal
Robots possui um sistema de certificação comprovado. “O
desafio é dar aos developers a liberdade criativa para inventa-
rem as suas soluções de sonho, mas também insistir 100% na
compatibilidade, desempenho e facilidade de utilização”.
A Universal Robots acredita que uma estratégia de
ecossistema de terceiros é a melhor maneira de entregar
soluções de cobots completas aos clientes. A prova está no
crescente portefólio UR+ e no aumento do número de em-
presas que se perfilam para aderir ao programa.
“Para nós não há limite para as novas soluções e oportu-
nidades que a plataforma UR+ abrirá para clientes e parceiros
no futuro. À medida que a automação colaborativa continua
a crescer e a mover-se para novas áreas de aplicação, novos
developers de periféricos e acessórios com novas soluções vão
continuar a surgir”, conclui Miguel Oliveira.
Parceria da ABB e IBM para
soluções de inteligência artificial
industrial
União da ABB AbilityTM e IBM Watson para fornecer
mais ao cliente.

A parceria existente entre a ABB e a IBM (NYSE: IBM) possibilita uma de criação de soluções digitais para clien-
colaboração estratégica que reúne a oferta digital líder da ABB, ABB tes. A IBM é líder em inteligência artificial
AbilityTM, com as capacidades cognitivas da IBM Watson Internet e computação cognitiva. Juntas, a ABB e
informação técnico-comercial

of Things para desbloquear um novo valor para clientes de utilities,


comunicacao-corporativa@pt.abb.com · www.abb.pt

a IBM criam soluções poderosas para que


indústria e transporte & infraestrutura. os clientes beneficiem da 4.ª revolução
Tel.: +351 214 256 000 · Fax: +351 214 256 247

industrial.

UM CONJUNTO DE SOLUÇÕES
INOVADORAS
Um conjunto de soluções inovadoras de-
ABB, S.A.

senvolvidas pela ABB e pela IBM vão aju-


dar as empresas a abordar, de uma forma
completamente nova, alguns dos seus
94

maiores desafios industriais, como me-


lhorar o controlo de qualidade, reduzir o
robótica

tempo de inatividade e aumentar a velo-


cidade e retorno dos processos industriais.
Estas soluções vão além dos atuais
sistemas conetados que simplesmente
recolhem dados para máquinas indus-
triais cognitivas que usam dados para
entender, perceber, raciocinar e tomar
Os clientes podem, assim, beneficiar Com uma base instalada de 70 mi- ações que ajudam os trabalhadores a
do profundo conhecimento e extenso lhões de dispositivos conetados, 70 000 eliminar processos ineficientes e tarefas
portefólio de soluções digitais da ABB sistemas de controlo digital e 6000 so- redundantes. Os dados gerados pelos
combinadas com a experiência da IBM luções de software empresarial, a ABB é produtos, instalações e sistemas indus-
em Inteligência Artificial e aprendizagem um líder fiável no espaço industrial e tem triais prometem avanços exponenciais
automática, bem como em diferentes se- uma longa história, de quatro décadas, em inovação, eficiência e segurança.
tores verticais da indústria. Uma parceria
com soluções conjuntas impulsionadas
pela ABB AbilityTM e a Watson que traz
perceções cognitivas em tempo real para
o chão da fábrica e redes inteligentes.
Esta poderosa junção marca verda-
deiramente o próximo nível de tecno-
logia industrial, movendo-se além dos
atuais sistemas conetados que simples-
mente recolhem dados para operações
industriais e máquinas que usam dados
para perceber, analisar, otimizar e tomar
ações que impulsionam um maior tem-
po produtivo, velocidade e rendimento
para os clientes industriais.
LEVANDO O CONHECIMENTO
COGNITIVO EM TEMPO REAL
ATÉ AO FACTORY FLOOR
Por exemplo, a ABB e a IBM vão alavancar a
Inteligência Artificial Watson para ajudar a en-
contrar defeitos de produção através de ima-
gens captadas através de um sistema ABB e,
em seguida, analisadas usando a IBM Watson
IoT para fabrico. Anteriormente, essas inspe-
ções eram feitas manualmente, num processo
tipicamente lento e propenso a erros. Ao tra-
zer as capacidades de perceções cognitivas
em tempo real da Watson diretamente para o
chão de fábrica em conjunto com a tecnologia
de automação industrial da ABB, as empresas
estarão melhor equipadas para o aumento do
volume das linhas de produção, melhorando a
exatidão e a consistência.
Enquanto as peças fluem através do pro-
cesso de fabrico, a solução alerta o fabricante TRAZENDO PERCEÇÕES COGNITIVAS inteligentes, que atualmente enfrentam uma
para as falhas críticas – não visíveis ao olho EM TEMPO REAL ÀS REDES maior complexidade criada pelo equilíbrio
humano – na qualidade do conjunto. Isto per- INTELIGENTES entre fontes de energia convencionais e
mite uma intervenção rápida dos peritos no Outro exemplo, a ABB e a IBM aplicam as ca- renováveis.
controlo da qualidade. Uma identificação mais pacidades da Watson para prever padrões de Previsões de temperatura, luz solar e ve-
fácil dos defeitos impacta todos os bens na geração de energia e procura da mesma a locidade do vento serão usadas para prever a
linha de produção, e ajuda a melhorar a com- partir de dados históricos e meteorológicos, procura de consumo, o que ajuda as utilities a
petitividade enquanto evita recolhas onerosas para ajudar as empresas de utilities a otimi- determinar a gestão de carga ideal, bem como
e danos. zarem a operação e manutenção de redes os preços em tempo real.

PUB
Lasindustria: tecnologia ENSIS
aumenta eficiência e capacidade
de resposta
A Lasindustria, Lda. pertence ao grupo S.J. Metal Distendido e está no cortar com toda a precisão materiais até
mercado desde 1938. Com sede em Abóboda, a Oeste de Lisboa, a 25 mm de espessura. Conseguimos garan-
Lasindustria trabalha, exclusivamente, em regime de subcontratação tir um corte de alta qualidade mesmo em
oferecendo a todos os seus clientes serviços de corte laser fibra espessuras elevadas devido à utilização de
AMADA com tecnologia ENSIS, corte a jato de água Flow, quinagem, água com óleo de corte como auxiliar de
soldadura e pintura a pó eletroestática. corte nas diferentes espessuras”, explicou
Pedro Júlio, Administrador da empresa.
informação técnico-comercial

“Tendo conhecimento, há já vários


anos, da tecnologia, qualidade e prestígio
da AMADA a nível mundial, com este in-
vestimento cimentámos a nossa aposta
info@amada.pt · www.amada.pt

na qualidade, uma vez que apostámos


em equipamentos de topo. A qualidade e
Tel.: +351 308 809 511

fiabilidade dos produtos AMADA era já de


alguma forma reconhecida por nós, mas a
AMADA

qualidade e dedicação da sua equipa des-


de o comercial ao apoio técnico, foi uma
agradável surpresa,” afirmou Pedro Júlio.
96

Após a instalação da ENSIS-AJ e do


alimentador ASF-EU, todos os processos
robótica

produtivos foram melhorados e adapta-


dos à nova realidade da empresa. O au-
mento da sua capacidade produtiva no
que diz respeito ao corte a laser, levou-os
A Lasindustria foi das primeiras empresas “Antes da chegada da maquinaria da a aumentar a produtividade nos restan-
em Portugal no mercado da subcontra- AMADA fazíamos tudo o que fazemos ago- tes setores da empresa, abrindo novas
tação de corte laser e, neste momento, ra, mas com menos capacidade de resposta possibilidades de negócio e a busca de
dedica-se à transformação e acabamento e eficiência. Agora temos ao dispor dos nos- novos mercados.
de todo o tipo de metais. sos clientes um equipamento de corte laser “Este foi apenas o primeiro passo dado
Aumentar a capacidade produtiva e fibra com tecnologia ENSIS (faz a modula- na nossa parceria com a AMADA que, a
a qualidade do serviço prestado aos seus ção do feixe automaticamente de acordo nosso ver, durará por muitos anos e longos
clientes foi sempre a primeira preocupa- com o material a cortar), permitindo-nos anos.”
ção da Lasindustria. A sua visão empresa-
rial centra-se em parcerias. Não são me-
ros fornecedores, mas sim um parceiro
capaz de oferecer sempre as melhores e
mais adequadas soluções.
Em dezembro de 2018 e para dar
resposta a estas procuras, apostam na
AMADA e adquirem uma máquina de
corte a laser fibra, a ENSIS-AJ de 3 kW
com alimentador ASF-EU. Esta solução
permite-lhes não só dar mais e melhores
garantias de qualidade e rapidez de res-
posta, aumentando a confiança no traba-
lho desenvolvido e a imediata satisfação
dos seus clientes, mas também alargar o
espetro de materiais a cortar.
PUB
Internacionalmente reconhecida
BONFIGLIOLI prepara-se
para lançar novo controlador
de movimento BMC
Uma solução completa e moderna até para as aplicações mais total conformidade com as necessidades
complexas. de integração digital para uma fabricação
inteligente, mesmo baseadas na nuvem.
Caraterísticas principais:
informação técnico-comercial

• 2 portas Ethernet TCP/IP;


• 1 interface série;
Tel.: +351 229 759 634 · Fax: +351 229 752 211
Bonfitec – Equipamentos Industriais, Lda

BMV
5’’, 7’’, 10’’
• 1 porta USB;
bonfitec@bonfitec.pt · www.bonfitec.pt

• 2 interfaces CANopen;
• 1 interface EtherCAT;
• Completa integração do sistema
BMC 440 6 Controlo com servodrive ANG;
BMC 440 12 Externo
• Versão de 6 ou 12 eixos;
• Apto para a Indústria 4.0.

BMX
MÓDULOS I/O
98

MÓDULOS BMX: MÓDULOS I/O


PARA UMA RÁPIDA E EFICAZ
robótica

ANG GESTÃO DE SINAIS DE CAMPO


SERVODRIVE
A série de módulos BMX garante a aquisi-
ção rápida de sinais de campo e os módu-
los de comunicação Ethernet e EtherCAT
BMD
SERVOMOTOR permitem uma eficaz descentralização.
Redutor Epicicloidal Existem diversas opções de módulos:
de jogo reduzido
• BMX DI 16:
Figura 1. Arquitetura da solução. › 16 entradas digitais 24 V;
› Função de contador.
• BMX DO 16:
A Bonfiglioli, líder mundial no fabrico de movimento industrial para aplicações de › 16 saídas digitais 24 V;
soluções para transmissão de potência, elevada dinâmica e precisão. › PWM.
tem previsto o lançamento de um con- • BMX AO4:
trolador de movimento para inícios de › 4 saídas analógicas (tensão
2020. Este controlador tem sido testado BMC 440: CONTROLADOR 0…10 V/-10 V…10 V ou corrente
em Itália nos últimos 2 anos e ficará dis- DE MOVIMENTO MULTI-EIXO 0…20 mA/4…20 mA);
ponível nos restantes países europeus COMPACTO E FIÁVEL › Função de osciloscópio interna.
em breve. Os integradores de soluções O controlador BMC 440 une altas presta- • BMX MIX:
de automação poderão solicitar uma ções a um design compacto, sendo uma › Função de contador;
versão beta a partir do último trimestre ótima solução para aplicações multi- › Controlador para motor de passo;
de 2019. -eixo de grandes dimensões e elevada › 3 entradas analógicas 0…10 V;
Esta nova gama de soluções para exigência de controlo. O BMC 440 tem › 1 saída analógica 0…10 V;
controlo de movimento, BMC, BMV e funcionalidades de movimento com o › 8 entradas/saídas digitais
BMX da Bonfiglioli, com os pacotes de servodrive ANG 410, sendo ideal para exe- multifunção.
software de configuração BMotion e cutar movimentos complexos com uma • BMX PT100 PT1000 EI:
BView, representam um complemento sincronização precisa. As suas caraterísti- › Gama de temperatura:
natural da ampla e consolidada pro- cas de webserver, email e OPC-UA garan- -50…+850ºC;
posta de soluções para o controlo de tem uma conetividade local e remota em › Resolução: 0,01ºC.
LED de estado
Porta USB
Seletor modo de start

Porta Ethernet TCP/IP Interface CANopen

Interface Série Porta EtherCAT

Alimentação 24Vdc

Figura 2. Controlador de movimento BMC. Figura 3. Módulo BMX.

BMOTION: AMBIENTE › Cartesiano 2D; Principais caraterísticas:


DE CONFIGURAÇÃO › Cartesiano 3D; • Tamanhos disponíveis: 5'', 7'' e 10'';
BMotion é o ambiente de configuração da › Eixo virtual; • Configuração simples e rápida através do
plataforma de Motion Control da Bonfiglioli e › Came eletrónica. ambiente gráfico BView;
inclui as funcionalidades necessárias para rea- • Disponibilidade de soft-PLC integrado
lizar todo o ciclo de desenvolvimento da apli- para funções lógicas avançadas;
cação: desde a estruturação da arquitetura do BMV – HMI: COMPACTO E FACILMENTE • Disponibilidade de API em C#.
sistema, até à programação do controlador de INTEGRÁVEL
movimento usando a linguagem STX em con- Os painéis de controlo touchscreen de alto de-
formidade com a Norma IEC 61131-3, assim sempenho BMV são caraterizados por um de-
como uma depuração avançada de software e sign essencial e compacto e pelo alto nível de
comissionamento do sistema. proteção frontal (até IP66). O painel BMV pode
Principais caraterísticas: ser facilmente integrado em redes de comu-
• Programação orientada aos objetos; nicação locais ou remotas, graças à disponi-
• Programação em texto estruturado; bilidade de duas portas Ethernet com switch
• Várias funções de movimento como: integrado. Figura 4. Painel tátil BMV.

PUB
Clientes satisfeitos
com integração simples
35 parceiros da Open Integration reuniram-se na Endress+Hauser em Cada problema que os especialistas em
Reinach, na Suíça, para partilhar as suas experiências e pensamentos integração descobrem antes da entrada
pela primeira vez. Um dos destaques do evento foi uma apresentação em funcionamento pode ser resolvido
de representantes das indústrias química e farmacêutica, que com um custo muito menor quando
descreveu como beneficiam do programa de parceiros durante a comparado com um problema no cam-
digitalização de processos – e o que eles gostariam de ver no futuro. po num momento posterior. Os clientes
recebem recomendações concretas e
validadas para automatizar os seus siste-
mas, que vão muito além da conformi-
dade estabelecida e dos testes de inte-
roperabilidade, garantindo a integração
informação técnico-comercial

perfeita. Por último, mas não menos im-


portante, economizam tempo e dinheiro.
info.pt.sc@endress.com · www.pt.endress.com
Tel.: +351 214 253 070 · Fax: +351 214 253 079

Com desenvolvimentos como o IIoT e


o APL, os utilizadores enfrentarão novos de-
Endress+Hauser Portugal, S.A.

safios e os testes de integração receberão


um peso adicional, o que torna ainda mais
importante os parceiros de Open Integra-
Figura 1. Na reunião de Open Integration em Reinach, na Suíça, no início de junho, representantes das
indústrias química e farmacêutica explicaram como beneficiar do programa de parceiros durante a tion a trabalharem juntos a longo prazo. Os
digitalização dos seus sistemas de controlo. representantes dos clientes e fornecedores
que participam concordaram plenamente
O objetivo do programa Open Integration Fuchs, Phoenix Contact, Rockwell Auto- com este ponto. A segurança cibernética,
100

iniciado pela Endress+Hauser pode ser mation, Schneider Electric e Turck. além da questão da conetividade, terá um
reunido rapidamente: uma integração papel fundamental no futuro. Além disso
robótica

simples, rápida e independente do fabri- concordaram que as estratégias eficazes


cante de componentes e dispositivos em STANDARDS ABERTOS COMO BASE necessitam de ser desenvolvidas para com-
vários sistemas de automação. E, ainda A base deste esforço são standards de co- bater novas entradas na indústria da auto-
mais importante, clientes satisfeitos. Em- municação abertos (Hart, Profibus, Foun- mação como IBM ou Amazon.
bora pareça simples em teoria, quando dation Fieldbus, EtherNet/Ip ou Profinet)
se fala de uma operação do sistema no bem como standards de integração aber-
dia-a-dia, está longe de o ser. Até mesmo tos (FDT, EDD, FDI). Com uma seleção DESENVOLVIMENTOS
os especialistas em automação mais expe- quase ilimitada de opções, as tipologias ORIENTADOS PARA O CLIENTE
rientes têm um grande respeito pelos sis- de referência representam combinações Uma coisa ficou clara durante o encontro
temas de vários fornecedores, e isto tam- práticas adequadas para as aplicações de Reinach no início de junho: a indústria
bém se aplica às soluções completas “de nas indústrias química, ciências biológi- de controlo de processos quer sistemas
uma única fonte” afinal as comunicações cas, alimentos e bebidas, petróleo & gás, abertos e interoperáveis, ao invés de so-
digitais – uma pré-condição para a utiliza- energia & potência, indutor & metal e luções proprietárias. Um dos utilizadores
ção extensiva da inteligência existente em água & águas residuais. quer um acesso uniforme e estruturado a
dispositivos e sistemas de campo – colo- As topologias de referência levam informações estáticas através de placas tipo
cam sérias exigências na integração. em conta os requisitos típicos do setor QR e RFID, segundo a norma DIN 91406. O
Com o programa de parceiros Open como a proteção contra explosão, dispo- diagnós­tico standard segundo o NE 107
Integration, a Endress+Hauser está a con- nibilidade e redundância. Cada topologia também está no topo da lista de desejos.
vidar fornecedores de tecnologia de con- é exaustivamente testada e documenta- A curto prazo, a Endress+Hauser quer
trolo, infraestrutura fieldbus, tecnologia da no laboratório em Reinach juntamen- trabalhar com os seus parceiros para re-
de medição e sistemas de atuadores para te com os parceiros, após o qual as reco- solver esses e outros problemas abertos
testar e documentar a interação dos seus mendações são publicadas. com o objetivo de utilizar o Open Integra-
produtos de uma forma ainda mais am- tion para oferecer aos clientes ainda mais
pla no interesse dos seus clientes. Os par- valor agregado durante a digitalização
ceiros de cooperação incluem a Auma TESTES DE INTEROPERABILIDADE dos seus processos. O objetivo comum:
Riester, Bürkert, Festo, Flowserve, Hima CRIAM VALOR AGREGADO os clientes satisfeitos que podem utilizar
Paul Hildebrandt, Honeywell Process E como é que os clientes beneficiam do extensivamente as oportunidades que a
Solutions, Mitsubishi Electric, Pepperl+ programa de parceiros Open Integration? digitalização traz com pouco risco.
PUB
Novo EPSON SCARA T6
com controlador integrado
Inteligente, eficiente e rentável, a abrangente gama alimentação internos incorporados em todos os sistemas robó-
de produtos Série T foi concebida para garantir ticos da Epson asseguram a sua fiabilidade e a rápida entrada
um funcionamento mais tranquilo de aplicações em funcionamento.
simples de Pick&Place. O consumo energético dos robots da Série T é até 30% in-
ferior ao dos robots SCARA convencionais. A unidade do motor
sem bateria e amiga do ambiente na Série T permite reduzir ain-
da mais os custos de funcionamento.
A Série T suporta as seguintes opções de software:
• Vision Guide 7.0: software de processamento de imagem da
Epson para câmaras de alta resolução e câmaras a cores;
informação técnico-comercial

• RC+ API 7.0 para a integração prática de bases de dados e


software externos e o desenvolvimento de interfaces de uti-
lizador personalizadas;
• Ponto de controlo externo (ECP) para um ensino simples de
info@epl-si.com · www.epl-si.com
EPL – Mecatrónica & Robótica

cantos e curvas;
• GUI Builder 7.0: para conceber a sua própria interface de
Tel.: +351 210 997 456

utilizador com base na linguagem de programação simples


SPEL+ da Epson;
• Reconhecimento ótico de carateres (OCR) para a deteção e
controlo seguros de tipos de letra e símbolos.
102

EPSON ROBOTIC SOLUTIONS As aplicações típicas da Série T da Epson incluem aplicações de


A Epson Robotic Solutions é uma das principais fornecedoras Pick&Place realizadas manualmente ou através de eixos lineares,
robótica

de sistemas robóticos inovadores de alta tecnologia, conheci- com uma repetibilidade de 0,02 mm; tarefas de alimentação,
da em todo o mundo pela sua fiabilidade. A gama de produtos posicionamento e inspeção de componentes; tarefas de mon-
inclui robots de seis eixos, robots SCARA, os modelos SCARA de tagem, inclusive as tarefas suportadas pelo Epson Vision System;
entrada de gama LS e T, o Spider especialmente desenvolvido aplicação de primário, a velocidades moderadas, entre outras.
pela Epson e os tipos de robot N, bem como o robot pioneiro de
dois braços (Dual Arm). Acrescem ainda os controlos de proces-
samento de imagem e o sensor de força da Epson para aplica- EPSON SCARA T6
ções com controlo de força. Isto dá à Epson Robotic Solutions O SCARA T6 foi criado a pensar nas restrições de orçamento, for-
uma das gamas mais abrangentes de robots industriais de alta necendo as funcionalidades essenciais sem caraterísticas supér-
precisão do mundo, o que os torna pioneiros tecnológicos nos fluas. Adicionalmente também irá beneficiar do baixo consumo
processos de automação de controlo inteligente. energético, do tempo de inatividade não planeada e dos redu-
zidos custos de funcionamento.
O novo robot T6 consegue transportar objetos maiores e
MODELOS SCARA mais pesados, com uma capacidade de carga de 6 kg – o dobro
A Epson oferece uma das gamas de modelos SCARA mais ex-
tensas do mundo, que inclui robots de 6 eixos, controladores e
software. Os seus produtos funcionam em conjunto, com preci-
são, mesmo a velocidades impressionantes, muitas vezes duran-
te 24 horas por dia.

SÉRIE T – DESEMPENHO NOTÁVEL


A Série T inclui robots SCARA plenamente desenvolvidos, que
podem ser combinados com um conjunto de ferramentas. Os
robots incluem 6 entradas e 4 saídas para manipuladores ter-
minais. O controlador integrado não só permite poupar espa-
ço, como também simplifica muito a instalação, a entrada em
funcionamento e a posterior substituição do robot. Os cabos de
PUB
da do robot T3. O T6 pode ser equipado com manipuladores
terminais pesados, como manipuladores terminais duplos
para agarrar dois objetos em simultâneo, para ajudar os fa-
bricantes a aumentarem a produtividade das fábricas.

Caraterísticas principais
• Excelente alcance e manuseamento de carga útil: até
6 kg de carga útil e um alcance de 600 mm;
• Poupança de energia: baixo consumo energético e uni-
dade de motor sem bateria;
• Base pequena: controlador incorporado e cablagem
simples para um funcionamento económico em termos
de espaço;
• Robot de entrada de série acessível: sem funcionalida-
des desnecessárias;
• Flexibilidade: excelente amplitude de movimentos com
quatro eixos.

A Série T da Epson oferece uma excelente relação preço/


desempenho. A gama de potentes robots de 4 eixos com
controladores integrados está disponível a partir de um valor
bastante económico. Pode escolher entre diversas opções de
ligação, incluindo Profibus e Profinet. A Série T suporta tam-
bém um processamento de imagem e pode ser integrada
com software externo. Tem até a opção de desenhar uma
interface de utilizador personalizada para executar nos robots.
O Scara T6 é o novo modelo lançado pela Epson que
expande a sua Série T.
Controlos numéricos e tecnologia
de medição da HEIDENHAIN
Processos seguros: produza com precisão, dinâmica e eficiência. Com a monitorização de componen-
tes, a HEIDENHAIN também apresenta
uma nova opção de controlos numéricos
do TNC que protege os processos e má-
quinas contra as avarias devido à sobre-
carga e desgaste através de uma monito-
rização específica:
• Uma supervisão permanente da car-
ga do fuso evita que se exceda os
valores limite predefinidos e, assim,
informação técnico-comercial

danificar o fuso;
• Uma monitorização cíclica dos eixos
Tel.: +351 229 478 140 · Fax: +351 229 478 149

de avanço permite tirar conclusões


sobre o desgaste dos fusos de esferas
FARRESA ELECTRÓNICA, Lda.

fep@farresa.pt · www.farresa.pt

e sobre uma possível falha.

Isto aumenta a fiabilidade do processo, a


produtividade e o tempo de vida útil da
máquina, e ao mesmo tempo reduz as
paragens inesperadas da máquina e os
Figura 1. Processos e pedidos sempre à vista: graças à sua tela dividida, o novo TNC 640 com tela de 24” seus significativos custos associados.
104

e o Extended Worksapce Compact oferece em paralelo 2 áreas de trabalho, uma para a tela de controlo Com demonstrações ao vivo na área
numérico e outra para a visualização de outros aplicativos “mav industrie 4.0”, as empresas HEIDE-
robótica

NHAIN, OPS-Ingersoll e Haimer mostra-


Dominar com segurança os processos as mais diversas combinações e possíveis rão que a gestão inteligente de dados de
muito complexos de fresagem e tornea- soluções para otimizar processos. um ambiente de fabrico automatizado,
mento representa uma clara vantagem incluindo o planeamento antecipado
competitiva. As máquinas-ferramenta de pedidos, funciona de maneira fiável e
equipadas com controlos numéricos, NOVAS OPÇÕES, FUNÇÕES eficiente. O controlo numérico TNC 640,
sistemas de medição e tecnologia de E HARDWARE PARA o Batch Process Manager e o software
acionamento da HEIDENHAIN fornecem OS CONTROLOS NUMÉRICOS HEIDENHAIN StateMonitor permitem
os melhores requisitos técnicos para isso. Os controlos numéricos da HEIDENHAIN processos perfeitamente organizados e
Isto será mostrado, de forma espetacular, já convencem desde o tamanho de lote 1 totalmente digitais.
com demonstrações e apresentações ao com segurança, precisão e produtividade
vivo no stand da HEIDENHAIN e na área do processo. Também permitem a inte-
da Indústria 4.0 durante a EMO 2019. gração digital fácil e segura da máquina UMA SOLUÇÃO DE SISTEMA DE
Com o objetivo de que utilizadores TNC na cadeia de processo. Os pacotes de MEDIÇÃO PARA CADA EIXO ROTATIVO
altamente qualificados trabalhem nestas funções estão disponíveis, como a Preci- Os sistemas de medição da HEIDENHAIN
máquinas, a HEIDENHAIN está ativa no são Dinâmica, a Eficiência Dinâmica e a para a determinação da posição em eixos
TNC Clube e Fundação Jovens Talentos Maquinagem Conetada, além de inúme- lineares e rotativos são o padrão indus-
para Engenharia Mecânica para um trei- ras opções adicionais. trial para a regulação do circuito fechado,
no básico e avançado. O novo TNC 640 com tela de 24” e o onde o preciso fabrico dimensional de
Para fabricar produtos que respon- Extended Workspace Compact oferecem 2 contornos não é afetado por mudanças
dam aos mais altos requisitos em termos áreas de trabalho graças à sua tela divi- induzidas termicamente na mecânica do
de precisão e qualidade num proces- dida: em paralelo à tela de controlo nu- avanço. Na EMO 2019, a HEIDENHAIN irá
so fiável, económico e eficiente, há um mérico, o utilizador pode visualizar outras focar-se, especialmente, nos sistemas an-
grande número de componentes em tor- aplicações. Com isso, possui uma estação gulares de medição e mostrará, em con-
no da máquina-ferramenta que devem de trabalho especialmente confortável junto com a AMO, soluções para cada
encaixar-se e interagir na perfeição. Na para poder organizar os pedidos de for- eixo de rotação, tais como:
EMO 2019, a HEIDENHAIN mostrará, com ma totalmente digital diretamente no • Os sistemas de medição angular óti-
demonstrações ao vivo e apresentações, controlo numérico. ca do tipo RCN 2001 com o seu pró-
prio rolamento e acoplamento de ALINHAMENTO E MEDIÇÃO • Com os motores de torque das linhas
estator integrado foram fundamen- INOVADORES TMB e TMK, a ETEL apresenta sistemas
talmente reprojetados, oferecendo As sondas de medição HEIDENHAIN e suspensos para máquinas-ferramenta.
agora uma precisão de sistema ainda os numerosos ciclos de palpação dos Os seus principais pontos fortes são
melhor e uma velocidade de rotação comandos numéricos da HEIDENHAIN seu design livre de engrenagens, óti-
máxima mais alta. Possibilidades ex- aumentam a precisão dimensional das ma estabilidade de velocidade e a
pandidas para monitorizar a tempe- peças acabadas. O alinhamento e a me- sua extraordinária qualidade de regu-
ratura aumentam a segurança do dição de peças e ferramentas, bem como lação. Com a tecnologia de medição
processo. Para este efeito, os sistemas a calibração da cinemática da máquina, HEIDENHAIN formam uma combina-
de medição angular RCN 2001 trans- são realizados de forma rápida e fácil ção perfeita para eixos rotativos avan-
mitem, através de uma interface digi- antes da maquinação ou durante o pro- çados. A sua ótima precisão dinâmica,
tal, além dos valores de temperatura cesso. Para este propósito, as sondas de altos torques e velocidades e diagnós-
do sensor de temperatura integrado, medição estão otimamente coordena- ticos perfeitamente coordenados são
outros dados do sensor, em especial das com os ciclos de palpação do TNC. absolutamente convincentes.
a temperatura do motor de binário. Além disso, a tecnologia de sensores sem
• A nova geração de sistemas de me- desgaste mecânico das sondas de palpa-
dição ótica modular ERA está agora ção, bocais de sopro para a limpeza do TNC CLUB: PONTO DE ENCONTRO
também equipada com o ASIC HSP ponto a ser palpado, a monitorização da DE ESPECIALISTAS COM NOVAS

informação técnico-comercial
1.0 de processamento de sinais da bateria e o protetor efetivo contra coli- OFERTAS DE TREINO
HEIDENHAIN. O HSP 1.0 foi usado até sões garantem resultados de medição O stand do TNC Club da HEIDENHAIN
agora, exclusivamente, em sistemas com fiabilidade do processo. na EMO será, mais uma vez, o ponto de
de medição lineares abertos e com- encontro de especialistas de todos os uti-
pensa quase completamente as flu- lizadores do TNC. Aqui tudo gira em tor-
tuações na amplitude do sinal como MAIOR DESEMPENHO E SEGURANÇA no do treino avançado de especialistas
resultado de uma interferência. DE PROCESSO ATRAVÉS DE NOVAS experientes, assim como o treino básico
• A AMO apresenta na EMO a sua solução GERAÇÕES DE DRIVES de novos funcionários qualificados. Para
de fita modular WMKA para diâmetros Os motores e a tecnologia de controlo da isso, o TNC Club apresenta pela primeira
especialmente grandes com protocolos HEIDENHAIN e da ETEL contribuem para vez um novo programa de treino para
EnDat e DRIVE-CLiQ para aplicativos re- um controlo dinâmico e muito preciso do operadores de outras áreas da EMO: um

105
lacionados com a segurança. movimento em máquinas-ferramenta. programa de treino para se tornar um
• A nova geração de unidades HEIDE- especialista da HEIDENHAIN. Com isto, a

robótica
Uma unidade de demonstração com 4 di- NHAIN GEN 3, que será apresentada HEIDENHAIN deseja apoiar os membros
ferentes sistemas de medição angular re- em primeira mão na EMO, garante o Premium do Clube TNC para enfrentar a
vela a influência do princípio de medição máximo desempenho, oferecendo falta de trabalhadores qualificados.
na dinâmica e precisão dos eixos rotativos. uma tecnologia de transmissão in-
Também mostra a arquitetura do sistema teligente, diagnósticos poderosos e
para uma monitorização digital de tempe- uma tecnologia simples de monta- HEIDENHAIN É PARCEIRA DA UMATI
ratura de um motor de torque ETEL. gem e conexão. A interconexão digital e as possibilidades
relacionadas com ela para a captura de
dados de máquinas, bem como para a
monitorização de sistemas e processos,
exigem interfaces universais standards.
Apenas podemos trocar informações pa-
dronizadas entre os participantes através
de todos os sistemas e é possível cone-
tar, de forma simples, soluções como o
software de monitorização StateMonitor,
podendo assim desenvolver todo o seu
potencial. É por isso que a HEIDENHAIN
suporta o projeto de interface umati do
VDW. Jan Braasch, Diretor de Marketing
da DR. JOHANNES HEIDENHAIN GmbH
explica que “como fabricante de coman-
dos numéricos e sistemas de medição, a
HEIDENHAIN dá as boas-vindas à iniciati-
va VDW e apoia o projeto umati. Na EMO
Figura 2. Tecnologia de controlo para o movimento inteligente: a nova geração de acionamentos mostraremos a conexão de máquinas fer-
HEIDENHAIN GEN 3 oferece um desempenho máximo através de tecnologia de transmissão inovadora ramenta com o HEIDENHAIN StateMonitor
e diagnósticos poderosos. através de umati.”
Festo apresenta na ITMA
novidades de automatização
para a indústria têxtil
O programa básico “Estrelas da tecnologia de automação” oferece segundo os fluxos de valor, assim como a
mais de 2200 componentes para executar 80% das aplicações com a aplicação consequente dos métodos de
máxima rapidez e o mínimo esforço. Operation Excellence (OPEX) como o Lean
Management ou Six Sigma reduzem a
As solicitações têxteis crescem sem pa- opção, uma vez que o seu arranque é tão distância entre as diferentes estações de
rar em todo o mundo. Os especialistas simples como se fosse um cilindro pneu- produção e reduzem os prazos de produ-
estimam que as atuais 80 milhões de mático graças à Optimised Motion Series. ção. Isto contribuirá para que a Festo au-
informação técnico-comercial

unidades têxteis irão aumentar até al- mente, nos próximos anos, a eficácia e a
cançar os 120 milhões no ano de 2030, produtividade dos centros de produção,
Tel.: +351 226 156 150 · Fax: +351 226 156 189

mas a preços cada vez mais económicos. 2200 COMPONENTES DE AUTOMAÇÃO montagem e logística.
Festo – Automação, Unipessoal, Lda.

Isto obriga os fabricantes têxteis a adap- NO PROGRAMA BÁSICO


info.pt@festo.com · www.festo.pt

tarem-se às necessidades do mercado e Entre a “Estrelas da tecnologia de automa-


aos fabricantes de equipamentos a de- ção” estão mais de 2200 componentes NOVIDADES
senvolverem máquinas e sistemas cada de todos os níveis da cadeia de controlo Entre as aplicações do programa bási-
vez mais rápidos e produtivos. Para isso, pneumática e elétrica, desde a prepara- co da Festo, com uma entrega rápida
a Festo, referência mundial em soluções ção do ar comprimido até aos acessórios (24 horas) em todo o mundo, destaca o
de automação, apresentou no ITMA 2019 como os tubos flexíveis e as uniões asso- mini carro DGDT que é muito compacto
o programa básico “Estrelas da tecnologia ciadas, passando pelas válvulas e pelos e o atuador como o carro mais pequeno
106

de automação” com mais de 2200 com- cilindros. Com o programa básico da do mundo. Também oferece uma má-
ponentes fiáveis e económicos. Festo, os fabricantes de maquinaria têxtil xima precisão, resistência, domínio dos
robótica

realizam 80% de todas as aplicações com movimentos, vida útil e fiabilidade.


uma velocidade máxima, o mínimo esfor- Além disso o compacto e leve cilin-
“ESTRELAS DA TECNOLOGIA ço e a um bom preço, até mesmo quan- dro ADN-S, fabricado praticamente com
DE AUTOMAÇÃO” do falamos de grandes quantidades. uma única peça, realiza micro-movimen-
Os componentes standard da tecnolo- tos nos espaços mais reduzidos.
gia de automação da Festo adaptam- Por outro lado, os reguladores e os
-se às máquinas de fiar compactas e de TEMPOS DE CICLO MAIS CURTOS filtros reguladores da série de unidades
fiar com anel standard uma vez que são Com esta abordagem de engenharia em de manutenção MS2 foram projetados
muito resistentes e trabalham, de forma simultâneo, a Festo conseguiu reduzir em para uma utilização durante os processos,
impecável, em espaços com muita poei- quase 50% os tempos de ciclo do DGST tanto na máquina como nas aplicações re-
ra proveniente dos materiais fibrosos dos e o cilindro guiado DFM que permite às lacionadas com o braço. São leves e com-
têxteis, tal como nos ambientes tropicais fábricas fabricar o DFM em intervalos pactos e possuem uma grande capacida-
quentes e húmidos dos países produto- de um minuto, e que a linha de fabrico de para acomodar fluxos até 350 l/min.
res do Sudeste Asiático. completamente automatizada da válvula A combinação de tubo flexível e cone-
Entre estes estão os cilindros pneu- standard VUVG forneça, a cada 12 segun- tor PUN-H/QS é responsável pela alimenta-
máticos DSNU (cilindros redondos), DSBC dos, uma válvula previamente montada. ção fiável do ar comprimido nas aplicações
(cilindros standard) e ADN (cilindros com- Os novos métodos de organização standard, mas também nas zonas húmidas
pactos) com o sistema de amortização au- como a gestão do fabrico e a montagem e em contacto com os alimentos.
torregulável PPS, pela sua longa vida útil
tal como as válvulas VUVS e os terminais
de válvulas VTUG. Além disso, o circuito de
regulação pneumático é complementado
pelas unidades de manutenção flexíveis
e modulares da série MS e com os tubos
flexíveis e os acessórios correspondentes.
Se for necessária uma abordagem precisa
para uma determinada posição, o cilin-
dro elétrico EPCO representa a primeira
PUB
F.Fonseca apresenta
o scanner laser de segurança
outdoorScan3 da Sick
Fonte: outdoorScan3 - The safety laser scanner for outdoor automation (8024061/2019-04-02 ∙ BEM ∙ Pre USmod en48)

O scanner laser de segurança para aplicações


de automação outdoor.
ffonseca@ffonseca.com ∙ www.ffonseca.com · /FFonseca.SA.Solucoes.de.Vanguarda

Com o lançamento do outdoorScan3, a Sick mostra mais uma vez a CARATERÍSTICAS MAIS
sua inovação sustentável e liderança tecnológica. RELEVANTES
• Certificado de acordo com a ISO 13849
informação técnico-comercial

e IEC 62998 para proteção de pes-


soas em ambientes indoor e outdoor;
Tel.: +351 234 303 900 · Fax: +351 234 303 910

• Tecnologia de varrimento outdoor


safeHDDM®;
• Configuração de campos individuais;
• Desenho de produto otimizado para
utilização outdoor;
Tiago Carvalho

F.Fonseca, S.A.

• Alcance de proteção máximo:


4 metros;
• Até 128 campos de programação
livre;
108

• Interligação segura com o controla-


O primeiro scanner laser de segurança de varrimento outdoor safeHDDM®, o dor de segurança Flexi Soft.
robótica

no mundo para utilização outdoor certi- outdoorScan3 funciona mesmo em


ficado de acordo com a IEC 63998, o que condições ambientais adversas, aumen-
garante a segurança e simplicidade de tando drasticamente a produtividade. VANTAGENS MAIS RELEVANTES
sistemas de automação em dimensões O outdoorScan3 destaca-se pelo seu • Elevada produtividade graças a uma
completamente novas. Quer na monito- corpo robusto, conetividade inteligente cooperação segura entre homem e
rização de áreas perigosas em processos e funções de diagnóstico avançadas. O máquina em ambientes outdoor;
logísticos ou na produção, quer em pon- software de configuração Safe Designer • Disponibilidade impressionante
tes de embarque de passageiros, o scan- da Sick permite uma operação simples e mesmo em condições ambientais
ner laser de segurança outdoorScan3 da intuitiva. adversas;
Sick assegura a segurança das pessoas, • Flexibilidade para processos seguros
garantindo o mesmo nível de fiabilidade de automação;
e eficiência a que os clientes se habitua- • Intuitivo mesmo para uma utilização
ram com os scanners laser de segurança outdoor;
indoor. As influências ambientais tais • Acesso simplificado a dados de
como chuva, neve, luz exterior e nevoei- diagnóstico;
ro são filtradas facilmente pelo equipa- • Localização precisa graças aos dados
mento. Como resultado, o outdoorScan3 de medição de elevada precisão;
oferece um potencial virtualmente ilimi- • Fluxo de material contínuo em pro-
tado, permitindo um aumento de produ- cessos intralogísticos entre edifícios.
tividade e abrindo novos campos de ne-
gócio. Adicionalmente, este sensor utiliza
a mesma plataforma do microScan3, faci- INDÚSTRIAS EM QUE O PRODUTO
litando a sua integração. SE ENQUADRA
O scanner laser de segurança ou- • Automóvel;
tdoorScan3 protege as pessoas numa • Logística;
vasta gama de aplicações outdoor, sejam • Pneus;
elas estacionárias ou móveis. Graças aos • Robótica;
algoritmos inteligentes e à tecnologia • AGVs.
PUB
Tecnologia SmartRunner:
novas oportunidades de deteção
A tecnologia SmartRunner da Pepperl+Fuchs é uma família de
sensores de alta precisão cuja tecnologia assenta na combinação de
uma secção de luz e visão 2D, adaptada para um determinado tipo de
aplicações. Esta tecnologia permite analisar dados de um determinado
perfil e gerar um sinal digital, tornando a integração no processo de
controlo extremamente simples.
INOVASENSE – Automação, Energia e Visão Artificial, Lda.

DIAGNÓSTICO AVANÇADO
DE SENSORES DE VISÃO 2D
informação técnico-comercial

A câmara integrada permite a gravação


de imagens para documentar todo o
Tel.: +351 234 247 550 · Fax: +351 234 247 559
geral@inovasense.pt · www.inovasense.pt

processo e garantir o controlo da quali-


dade. As imagens de erro registadas po-
dem ser carregadas remotamente, evi-
tando deslocações à zona de inspeção
e permite monitorizar facilmente áreas
de difícil acesso em máquinas. Os LEDs
de alto desempenho fornecem imagens
consistentes e bem iluminadas.
110
robótica

TECNOLOGIA DE SECÇÃO um espelho de deflexão para estender o


DE LUZ – PRECISA E FIÁVEL alcance base permite criar uma zona de
A medição é fiável e de alta precisão, inspeção extremamente compacta, sem
independentemente da textura ou cor comprometer o desempenho.
da superfície. A tecnologia de luz laser
é ideal para detetar, monitorizar e ana-
lisar até mesmo os objetos de menor
dimensão. A altura de um perfil ou de DESTAQUES
um contorno é analisada e avaliada com
precisão através da triangulação. • Tecnologia com base na com-
binação de uma secção de luz
e visão 2D, adaptada a novos FÁCIL CONFIGURAÇÃO
PRÉ-CONFIGURADOS tipos de aplicações; COM BOTÕES DE APRENDIZAGEM
E PRONTOS A USAR • Sensores otimizados, pré-confi- OU CÓDIGOS DATA MATRIX
Os sensores SmartRunner são otimiza- gurados e calibrados conforme Uma caraterística desta família de sen-
dos e pré-configurados para lidar com a aplicação; sores é a fácil configuração. Através do
aplicações específicas. A ótica, a câmara, • Transformação de dados com- botão de aprendizagem podemos, em
a luz e a lógica de avaliação estão inte- plexos de um perfil num sinal segundos, configurar uma aplicação.
gradas num invólucro compacto que digital, para otimizar o processo Outro método de configuração consiste
transformam dados complexos de perfis de integração; na utilização de códigos Data Matrix. Ao
em sinais digitais fáceis de processar. In- • Facilidade de configuração atra- apresentar o código em frente do sensor,
dependente da tarefa, o utilizador rece- vés de códigos Data Matrix ou o código será detetado, descodificado e
be apenas um sinal, “bom” ou “mau”, que botão de aprendizagem; o sensor guardará automaticamente os
é enviado diretamente ao sistema de • A tecnologia de secção de luz parâmetros de configuração contidos
controlo. permite medições fiáveis em no código. Esta funcionalidade possibili-
O formato compacto e uma ligação qualquer tipo de material, su- ta que um elevado número de sensores
giratória simplificam a integração, mes- perfície ou cor. possa ser colocado em funcionamento
mo nos espaços mais confinados. Usar de forma simples e rápida.
SmartRunner Matcher – especialista na comparação de perfis
O SmartRunner Matcher está otimizado a localização é a correta assim como o
e pré-configurado para a comparação espaçamento. Se estes valores são idên-
de perfis. Esta funcionalidade ajuda a evi- ticos ou aproximados o suficiente é ge-
tar danos em sistemas de montagem ou rado um “Ok” na comparação, caso con-
serem produzidas peças com defeito. Ao trário será gerado um “Nok”. No caso de
efetuar a comparação com os perfis de existirem discrepâncias, evitam-se desta
referência armazenados, é identificado o forma danos, colisões e tempos de inati-
posicionamento correto/incorreto de um vidade de máquinas.
objeto. Isso garante precisão, por exemplo,
em sistemas de montagem robotizados.
POSTA EM MARCHA EM MINUTOS
O comissionamento do SmartRunner
PREVENIR ERROS E COLISÕES Matcher é simples: depois de o sensor ser
O processador do SmartRunner Matcher montado e alinhado com o perfil deseja-
foi programado de fábrica para reportar do, executa-se a tarefa de aprendizagem
desvios referentes aos valores de perfis/ pressionando o botão de aprendizagem

informação técnico-comercial
contornos aprendidos. Através da com- para que desta forma o perfil de refe-
paração de perfis, o sensor verifica o rência seja guardado. De seguida, pode
contorno guardado de um objeto e se iniciar-se o processo de produção.

111
1 2

robótica
Distância mín. = 60 mm

Distância máx. = 350 mm

Zona de deteção do SmartRunner Matcher (exemplo).

ALTERAÇÕES DOS SISTEMAS – MAIS FÁCIL E MAIS RÁPIDO


É cada vez mais importante a adaptação dos sistemas às diferenças das condições
nas linhas de produção. Cada vez mais assistimos a diferentes tipos de peças, dife-
rentes tamanhos, novas referências, novos posicionamentos, o que obriga a reposi-
cionar e a configurar os sistemas previamente instalados. Essa tarefa fica facilitada
com esta família de sensores, uma vez que as novas configurações podem ser feitas
através do botão de aprendizagem ou através de códigos Datamatrix.
Deteção fiável do perfil do objeto, posicionamento e distância.
informação técnico-comercial

SmartRunner Detector – o especialista


em monitorização de alta precisão
O SmartRunner Detector é o MONITORIZAÇÃO DE MÁQUINAS
sensor indicado quando se COM TECNOLOGIA DE SECÇÃO DE LUZ
pretendem proteger peças O SmartRunner Detector monitoriza as
sensíveis em máquinas, ou áreas sensíveis da máquina, deteta a sa-
ferramentas de precisão. Este liência do produto e, se for o caso, pode
112

sensor foi concebido para efetuar desligar a máquina. Isto aumenta o tem-
a monitorização de um perfil po de atividade da máquina e ajuda a
robótica

de alta precisão para detetar evitar reparações caras e substituição de


qualquer falha. peças. Com a tecnologia de secção de luz
de alta precisão, o sensor deteta qualquer
desvio do plano de fundo anteriormente
ensinado. O sensor deteta objetos com
1 mm na totalidade da faixa de deteção
trapezoidal. Um sinal “nok” na saída digital
indica claramente uma violação ao perfil
previamente aprendido.
1 2
informação técnico-comercial
DEFINIÇÃO DE ÁREA DE DETEÇÃO FÁCIL COMISSIONAMENTO DUPLA AVALIAÇÃO
LIVRE PARA MAXIMIZAR A configuração de fábrica do Smart­ O sensor também deteta objetos que
A FLEXIBILIDADE Runner Detector torna o comissiona- não são visíveis para a câmara, por
O SmartRunner Detector oferece a capa- mento extremamente fácil: o utiliza- exemplo, a superfície de um objeto
cidade de definir livremente a região de dor projeta a linha do laser num fundo pode estar a refletir a luz de tal for-
interesse (ROI) dentro da área de dete- fixo e, com o botão de aprendizagem, ma que a câmara não consiga ver o
ção. Os objetos que entram na zona de grava essa mesma área. Não é neces- objeto.
deteção fora da região de interesse (ROI) sário recorrer a nenhum PC e os tem- Como o detetor SmartRunner
serão detetados, mas a saída digital não é pos de exposição não precisam de ser avalia tanto a linha de laser no objeto

113
acionada. Podem ser definidos os tama- ajustados manualmente. Se um objeto como o fundo, os resultados do sensor
nhos mínimos ou máximos dos objetos, entrar no campo de monitorização (re- são sempre fiáveis. Uma linha de fun-

robótica
o que permite ao utilizador evitar falsos gião de interesse), o sensor ativará um do interrompida ou um objeto na zona
alarmes causados por objetos fora da to- sinal digital protegendo desta forma de deteção fará com que o alvo seja
lerância ensinada. partes sensíveis da máquina. detetado.
Su efle
pe to
r

rfí ra
cie
OBJETO

FUNDO

ALIMENTAÇÃO

DIAGNÓSTICO

OBJETO

FUNDO

ALIMENTAÇÃO

DIAGNÓSTICO

OBJETO

FUNDO

ALIMENTAÇÃO

DIAGNÓSTICO

Avaliação simultânea da linha laser do objeto e do fundo.


Microchip – FPGAs
A Microchip Technology Inc. é líder no fornecimento de Integrados de Nível de Sistema Progra-
microcontroladores, componentes analógicos, FPGAs, mável em Campo) combinam 5 - 50K do
conetividade e semicondutores de gestão de energia. As suas AT40K AL FPGA com até 36K de SRAM e
ferramentas de desenvolvimento são fáceis de usar e o seu um AVR MCU de 25 MHz.
abrangente portefólio de produtos permitem que os clientes A família AT40K AL são FPGAs com a
criem projetos ideais que reduzem o risco e, ao mesmo tempo, capacidade de implementar o design do
a redução do custo total do sistema e o tempo de colocação no Cache Logic, onde parte do FPGA pode
mercado. ser reprogramada sem perda de dados
de registo, enquanto o restante do FPGA
continua a operar sem interrupção. Isso
é ideal para a construção de filtros adap-
LusoMatrix – Novas Tecnologias de Electrónica Profissional

tativos, multiplicadores de coeficiente


variável e outros projetos em que o ca-
informação técnico-comercial

minho de dados pode ser alterado para


aumentar o desempenho do sistema.
Tel.: +351 218 162 625 · Fax: +351 218 149 482

Os FPGAs da Série AT6000 da Micro-


chip Mature, assim como o AT40K [ver-
são 5 V], são projetados para acelerar o
desempenho do sistema com base no
processador e, ao mesmo tempo, re-
www.lusomatrix.pt

duzir a potência, a contagem de peças


As soluções da empresa atendem a FPGA (FIELD PROGRAMMABLE e, obviamente, o custo. As contagens
mais de 130 000 clientes nos mercados GATE ARRAY) massivas de registos (de 1024 a 6400 re-
industrial, automóvel, de consumo, ae- Os FPGAs de co-processador da família gistos) tornam estes FPGAs ideais para
114

roespacial e de defesa, comunicações e AT40K AL da Microchip dispõem de uma uma utilização nos coprocessadores DSP
computação. Com sede em Chandler, no faixa de 5K a 50K portas utilizáveis e são reconfiguráveis.
robótica

Arizona, a Microchip oferece um exce- projetados para DSP de alta densidade, Todos os FPGAs da Microchip podem
lente suporte técnico, além da entrega e com um uso intensivo de computação e ser projetados usando ferramentas pa-
qualidade fiáveis. Os produtos da Micro- outros designs lógicos rápidos. A família drão EDA utilizadas neste setor, tais como
chip são distribuídos em Portugal pela AT40K AL resolve o problema da troca o Mentor’s Precision Synthesis para VHDL
Lusomatrix, Lda. entre a informação lógica e a SRAM ao e o Verilog em plataformas de PC. A Mi-
O Sistema de Qualidade da Micro- fornecer um FreeRAM™ de 10 ns, rápido crochip oferece um software de Sistema
chip é baseado nos elementos e critérios e flexível, distribuído, sem usar recursos de Desenvolvimento Integrado [IDS] que
especificados pelo IATF16949. Esta enti- lógicos valiosos. As funções lógicas es- permite virtualizar a localização da FPGA
dade realiza a certificação dos sistemas truturadas, incluindo multiplicadores de e a sua rota, permitindo que os projetis-
de alta qualidade exigida pelos principais array variáveis, podem ser implemen- tas sintetizem os seus projetos usando as
clientes do ramo automóvel do mundo. tadas diretamente em células núcleo ferramentas adequadas.
Os controlos especificados aplicam-se a sem usar quaisquer recursos de bussing, A Microchip tem uma família de
todos os estágios de design e fabrico. proporcionando melhorias drásticas na FPGAs que permite a configuração de
Da vasta gama de produtos da repre- velocidade, utilização, energia e custo do EEPROMs por série numa gama de capa-
sentada da Lusomatrix, iremos destacar sistema. A tecnologia FPGA da Microchip cidade que varia de 256 K a 32 Mb. Esta
os FPGAs. está agora disponível como um núcleo família única de produtos oferece repro-
FPGA é um chip que suporta a imple- integrado. A primeira família de produ- gramabilidade no sistema, bem como a
mentação de circuitos lógicos relativa- tos baseada nessa tecnologia é a família capacidade de programar usando um
mente grandes. Permitindo um elevado FPSLIC™. Os dispositivos FPSLIC (Circuitos programa standard.
arranjo de células lógicas ou blocos ló-
gicos configuráveis contidos num único
circuito integrado. Cada célula contém Família Resumo Aplicações

uma capacidade computacional para Contagens de registo massivo


Célere o desempenho do sistema
implementar funções lógicas e realizar AT40K FPGAs (1024 a 6400 registos). Ideais para
com base no processador, reduzindo a
(5 V) utilização como coprocessadores DSP
um roteamento para comunicação entre energia, o número de peças e o custo.
reconfiguráveis.
elas.
DSP de alta densidade, com uso
AT40K AL FPGAs Rápido, flexível, distribui 10 ns FreeRAM™
Na Microchip temos a família FPGA e intensivo de computação e outros
(3,3 V) sem usar recursos lógicos valiosos.
designs lógicos rápidos.
FPGA Configuration Memory.
FPGA CONFIGURATION MEMORY Família -FPGAs Resumo Aplicações Tecnologia
A família de configuração baseada em Flash
AT17F da Microchip pode ser usada para con- Substitui as soluções de
figurar FPRAs SRAM de baixo custo, bem como Capacidade ampla com várias configuração OTP;
EEPROM Configuration
opções de formato; Networking; EEPROM
FPGAs de alto desempenho de maior capaci- Memory – AT17LVxxx
Interface de 2 fios para ISP. Telecomunicações;
dade da Xilinx e da Altera. A família AT17F é Automóvel;

oferecida na gama de capacidades de 4 Mb até


16 Mb e pode ser usada para configurar a fa- Interface com SRAM FPGAs da Xilinx
mília Spartan e Virtex de FPGAs oferecida pela e Altera;
Broad Density Range; Industrial;
Flash Configuration 3,3 V a 5,0 V;
Xilinx. Esta família tem capacidade de progra- LAP Package para aplicativos Médicas;
Memory – AT17Fxxx Flash
portáteis. Transmissão/Emissão;
mação no sistema (ISP) e pode ser usada como Instrumentação Portátil;
armazenamento de dados para os FPGAs mais Equipamento de mão.
populares e os SoCs programáveis. A família
Microchip AT17F é suportada com o Softwa-
re de Programação de Configuração (CPS) de
fácil utilização e é recomendada para os novos Os populares AT17LV FPGA, configuradores
projetos de FPGA. Os componentes de reduzi- de memórias EEPROM da Microchip, podem
das dimensões da Microchip são compatíveis ser usados com os dispositivos Microchip FP-
com ROHS e reduzem a quantidade de espaço SLICTM e qualquer FPGA baseado em SRAM
necessário nas placas. de qualquer fornecedor, incluindo a Família
Microchip AT40KxxAL FPGA, bem como pro-
dutos da Xilinx, Altera. Estão disponíveis numa
gama de capacidade de 256 K a 4 Mb e são
reprogramáveis a 5 V ou 3,3 V, usando um bar-
ramento série de 2 fios padrão da indústria.
Novos formatos de pequenas dimensões com
8 pinos foram recentemente adicionados a
esta família de dispositivos.

PUB
Destacar, de forma fácil,
o potencial da criação de valor
Como pode a cadeia de valor ser otimizada especificamente para a do retorno sobre o investimento fornece
construção de quadros? Qual é a opinião das empresas em relação informações sobre, por exemplo, quando
aos métodos de trabalho informatizados e automatizados disponíveis um investimento em software se paga a
atualmente? si próprio.

ACONSELHAMENTO
PROFISSIONAL – RESULTADOS
VÁLIDOS
A EPLAN utiliza a PAM a nível global des-
informação técnico-comercial

de o início de maio de 2019 e o feed­back


dos primeiros clientes nos EUA é empol-
Tel.: +351 229 351 336 · Fax: +351 229 351 338

gante. “Com a PAM, a EPLAN combinou


www.mm-engenharia.pt · www.eplan.pt
info@mm-engenharia.pt · info@eplan.pt
M&M Engenharia Industrial, Lda.

as suas décadas de experiência na cons-


trução de painéis num plano de retorno
sobre o investimento viável e personaliza-
do para a nossa oficina”, declara Wright
Sullivan, Presidente da A&E Engineering.
Jacob Wilson, Diretor de Engenharia,
Vendas e Desenvolvimento da Design
A EPLAN apresenta a Panel Building Auto- um estudo de campo de 150 empresas Ready Controls, afirma: “A PAM conseguiu
116

mation Matrix (PAM). Este produto é basea- de todo o mundo para determinar o po- reproduzir fielmente as nossas operações
do num estudo de campo de 150 empre- tencial de otimização, fácil de alcançar, e tempos de produção atuais após uma
robótica

sas, incluindo estudos de caso definidos. em estreita cooperação com a EPLAN e avaliação de apenas 20 minutos.” Natu-
Os consultores da EPLAN usam a PAM para a Rittal no que diz respeito a máquinas, ralmente isto motiva a EPLAN e a Rittal
analisar o estado atual e individual de pro- software e consultoria. Um bem-vindo a acrescentar futuramente etapas de
cessos específicos de clientes, em termos efeito complementar desta implemen- processo adicionais à análise. Os planos
de construção de quadros em apenas al- tação é um grau mais elevado de infor- incluem a integração de ferramentas de
guns minutos. Uma comparação com um matização na produção e a automação software adicionais da Rittal, bem como
termo de referência revela um potencial de de tarefas repetitivas. “A Panel Building uma revisão do retorno sobre o investi-
poupança específico que pode ser imple- Automation Matrix (PAM) é uma ferra- mento para adquirir o novo Rittal Wire
mentado, simultaneamente, pela EPLAN e menta que desenvolvemos para analisar Terminal para automação de cablagens,
pela Rittal na área da tecnologia, software e os métodos de trabalho das empresas em por exemplo, ou o centro de maquina-
consultoria de máquinas. termos de engenharia de controlo e cons- gem totalmente automático Perforex.
A digitalização ao longo de toda a ca- trução de painéis, bastando praticamente A análise da PAM é realizada pelo De-
deia de valor e consistência de dados em premir um botão que mostra potencial partamento de Vendas é, naturalmente,
todos os processos e sistemas são os pré- não aproveitado em processos de produ- gratuito e não depende da compra de
-requisitos para automatizar processos ção”, informa Haluk Menderes, Diretor- produtos EPLAN ou Rittal.
em engenharia de controlo e construção -Geral da EPLAN.
de quadros. No entanto, qual é o grau de A PAM permite analisar e avaliar o
informatização no setor? Onde é que ain- fluxo de trabalho atual de armários de ESTUDO DEMONSTRA: CABLAGEM
da podemos encontrar potencial? Muitas controlo elétrico de produção no que DIGITAL EM VEZ DE MANUAL
empresas simplesmente não sabem por se refere à rentabilidade e à eficiência. O tempo de que um eletricista necessi-
onde começa a cadeia. A avaliação inclui recomendações para ta, em média, para instalar uma ligação
otimização e a respetiva implementação elétrica a partir do respetivo esquema
e os investimentos necessários. Um ele- na forma de ligação física no armário
MÉTODOS DE TRABALHO mento interessante para os clientes são de controlo é de 4,5 minutos. Cerca de
ANALISADOS COM RECURSO as listas de poupanças de tempo exatas 31% do tempo necessário é dedicado a
A TERMOS DE REFERÊNCIA em diversas áreas do fluxo de trabalho, tarefas puramente preparatórias, incluin-
A EPLAN pode ajudar nesta área: um novo incluindo cablagem, etiquetagem de do a leitura de esquemas e a localização
método baseado em software recorre a dispositivos e produção NC. Uma análise de origens e destinos. 13% do tempo de
trabalho é investido na preparação de cabos, dispositivos, ferramentas baseadas em softwa-
nomeadamente a estimar o comprimento dos re e interfaces padronizadas na produção são
mesmos. Os restantes 56% do tempo são de- os pré-requisitos para a concretização.
dicados às ligações propriamente ditas: corte
dos cabos com o comprimento necessário,
instalação de terminais, cravação, encaminha- ANTECEDENTES
mento. (1) A complexidade cada vez maior da tecnologia
O facto de os eletricistas terem de con- de controlo e dos respetivos componentes,
sultar os esquemas diversas vezes durante o as pretensões de personalização dos clientes,
processo de cablagem para obterem as in- as normas nacionais e internacionais, as alte-
formações necessárias e complementá-las se rações de última hora e os prazos de entrega
necessário é mais a regra do que a exceção. cada vez mais apertados estão a colocar uma
Isto resulta na perda de cerca de um terço do enorme pressão em termos de custos na
tempo de trabalho na leitura e interpretação construção de painéis. Ao invés de um futuro
especializada dos documentos. Na verdade assente em pastas de ficheiros com listas de
isto pode ser feito muito mais facilmente - di- equipamento operacional, planos de insta-
gitalmente, por exemplo! O sistema de eleição lação e esquemas que constituem os docu-
para isto é o EPLAN Smart Wiring, no qual os mentos centrais para a produção, os processos
dados são baseados num protótipo digital já que criam valor na engenharia de controlo e
verificado que, por isso, apenas permite resul- software, tecnologia de sistemas, máquinas e construção de painéis têm que ser tornados
tados corretos. serviços. O valor acrescentado é óbvio: as solu- mais rápidos, mais económicos e mais exatos.
ções integradas também permitem, entre ou- Isto exige uma mudança de paradigma neste
tros, aumentos integrados de produtividade e setor que, de um modo geral, se tem mantido
O OBJETIVO DECLARADO: eficiência em processos de produção de pro- preso à tradição. Não obstante, as empresas
PROCESSOS INTEGRADOS dutos. Para isso são integrados, por um lado, a têm vindo a reconhecer que o maior potencial
Através da associação de engenharia e produ- engenharia e o design e, por outro, a prepara- para se destacarem da concorrência e criarem
ção, a EPLAN e a Rittal criam combinações har- ção do trabalho e a produção de modo a for- argumentos de venda exclusivos está no de-
moniosamente coordenadas de soluções de mar um processo contínuo. Dados digitais de sign personalizado das suas cadeias de valor.

PUB
Como os engenheiros de design
podem alcançar um novo
padrão de referência em termos
de eficiência
As funções dos engenheiros de design estão a mudar à medida que onde essas melhorias podem ser aplica-
desempenham um papel cada vez mais ativo na cadeia de valor das e a adaptar os processos padrão em
das empresas de engenharia. Marcus Schneck, CEO na empresa conformidade.
líder fabricante e distribuidor de peças normalizadas norelem,
informação técnico-comercial

aborda algumas das técnicas que os engenheiros de design


podem utilizar para conseguir poupar tempo e dinheiro, garantir a DESCARREGUE MODELOS
disponibilidade preditiva de componentes e fabricar produtos mais CAD EXISTENTES EM VEZ
eficientes. DE DESENHAR OS SEUS PRÓPRIOS
Na era da engenharia autossuficiente,
muitas empresas preferem manter o má-
norelem Ibérica, S.L.

ximo possível a produção de 1/3 da en-


www.norelem.pt

genharia a nível interno, eliminando os


longos prazos de entrega e a dependên-
cia de fornecedores. Contudo, embora
isso permita às empresas de engenharia
118

terem um maior controlo sobre os seus


processos de produção na íntegra, exige
robótica

um investimento significativo de tem-


po que implica vários custos associados
adicionais.
Por exemplo não é incomum que
as empresas de engenharia produzam
os seus próprios parafusos para peças
de trabalho. Mesmo para componentes
comparativamente simples como es-
tes, os engenheiros têm que dedicar de
15 a 20 minutos para criar um desenho
O papel dos engenheiros de design está criação de protótipos, permitindo que as adequado para produção, com todas as
a mudar, uma vez que já não são respon- empresas produzam mais rapidamente dimensões calculadas.
sáveis pela estética concetual nem pelos maiores volumes de produtos. Se considerarmos que o preço ha-
aspetos ergonómicos do design de novos No entanto, e consequentemente, bitual dos processos para uma hora de
produtos, mas são cada vez mais respon- os engenheiros de design estão a sentir trabalho é de 50 a 100€, dependendo
sáveis pelos custos associados ao desen- uma maior pressão para trabalharem de do sistema CAD usado e da empresa
volvimento de produtos, da forma mais forma mais produtiva, mantendo sempre em questão, isso representa um custo
eficaz e eficiente possível. Consequente- os mais elevados padrões de trabalho. de cerca de 13€ para cada componente
mente verifica-se em todo o setor uma Consequentemente, o menor ganho apenas em tempo de desenho. E tudo
pressão para criar produtos e sistemas marginal que possa ser conseguido no isto antes sequer de chegar à fase de
mais funcionais, com custos inferiores processo de engenharia de design repre- produção. Se, além disso, uma empresa
sem comprometer a qualidade. senta uma enorme diferença nos calen- desenhar um grande número de com-
Os engenheiros de design estão, sem dários dos projetos. ponentes standard, é bastante evidente
dúvida, entre os profissionais que mais Existem muitas técnicas que os en- que os custos e tempo associados para
têm beneficiado com as tecnologias re- genheiros de design podem utilizar para fazer esses desenhos possam aumentar
centes. A introdução da impressão 3D os ajudar a serem mais produtivos, muito rapidamente.
está a acelerar os prazos até à colocação frequentemente ao reduzirem os custos Sendo um componente standard
no mercado e a agilizar a fase inicial de no processo. Tudo se resume a identificar é frequentemente desnecessário para
Consequentemente, os componen-
tes standard têm muito, frequentemente,
Por exemplo não é incomum
posições de tensionamento e definições
que as empresas de engenharia
mais fáceis, o que pode resultar em tem-
produzam os seus próprios
pos de montagem mais rápidos - outro
parafusos para peças de trabalho.
ganho marginal que pode ajudar os en-
Mesmo para componentes
genheiros de design a serem ainda mais
comparativamente simples como
produtivos ao longo do tempo.
estes, os engenheiros têm que
dedicar de 15 a 20 minutos para
criar um desenho adequado
REDUZA OS CUSTOS DE DESIGN
para produção, com todas as
E PRODUÇÃO
dimensões calculadas.
O tempo dos engenheiros de design é
precioso. Desempenhando uma função
as empresas de engenharia desenha- que lida com enormes volumes de infor-
rem os seus próprios parafusos para série durante o processo de produção mação, os engenheiros de design já têm
peças de trabalho, se for possível antes de começarem a trabalhar nos seus um trabalho suficiente com tarefas técni-
obtê-los junto de fornecedores pro- próprios designs é sempre um exercício cas e informáticas para ainda terem que

informação técnico-comercial
fissionais de componentes standard útil para os engenheiros de design. dedicar mais tempo à procura de infor-
a preços inferiores e com uma ampla O estabelecimento de parcerias mações sobre determinados componen-
disponibilidade. com fornecedores competentes de tes ou a redesenhar peças normalizadas
Atualmente, a aquisição externa de peças também pode trazer benefícios do zero.
parafusos, batentes ou grampos para pe- caso os componentes falhem durante Foi, por isso, que a norelem lançou o
ças de trabalho é complementada com a produção. Em vez de voltarem a de- THE BIG GREEN BOOK em 2003 na forma
todos os desenhos e dados de design senhar componentes com as mesmas de guia de referência completo de pe-
relevantes, que podem ser integrados dimensões e designs que os apresenta- ças normalizadas para engenheiros de
em sistemas CAD existentes. Isso permi- dos no desenho CAD, os engenheiros design.
te que os desenhos CAD fiquem dispo- de design podem voltar a encomendar O THE BIG GREEN BOOK não só apre-
níveis como referências estáticas, elimi- os mesmos componentes, usando catá- senta o amplo portefólio de mais de

119
nando os tempos e custos associados à logos ou números de referência. Através 45 000 produtos da norelem, 98% dos
configuração e desenho manuais destes da implementação de um processo de quais estão disponíveis em inventário,

robótica
componentes. Através da utilização do recolha e colocação, é possível reduzir como também inclui todas as informa-
máximo de componentes standard, os substancialmente os prazos até à colo- ções de que os engenheiros de design
engenheiros de design podem tornar- cação no mercado. precisam para transformar as suas ideias
-se mais eficientes e, de um modo geral, Também é importante não esquecer em realidade.
poupar dinheiro. que os componentes standard forneci- Foi estruturado, de forma lógica, para
dos por parceiros externos já terão sido orientar os leitores para explicações so-
testados e comprovados e terão desem- bre como as peças standard podem ser
PROCURE PEÇAS QUE RESULTEM penhos, capacidades e tolerâncias reco- integradas para auxiliar ainda mais nos
EM QUALIDADE DE SÉRIE nhecidos. Isto, por sua vez, reduz o tem- processos de design, ajudando os enge-
Dedicar algum tempo para perceber po que seria necessário para os testar e nheiros de design a reduzir custos e tem-
quais os componentes disponíveis de desenvolver internamente. pos gastos.

O tempo dos engenheiros


de design é precioso.
Desempenhando uma
função que lida com enormes
volumes de informação, os
engenheiros de design já
têm um trabalho suficiente
com tarefas técnicas e
informáticas para ainda terem
que dedicar mais tempo à
procura de informações sobre
determinados componentes
ou a redesenhar peças
normalizadas do zero.
Monitorização inteligente
da proteção contra descargas
atmosféricas e outras sobretensões
Product Marketing Surge Protection, Business Unit Trabtech, Phoenix Contact GmbH & Co. KG, Alemanha

Os descarregadores de sobretensão são componentes de segurança módulo de recolha de sinais dos sensores
e, como tal, essenciais à disponibilidade de funcionamento de e de transmissão de dados para a Profi-
sistemas elétricos. A informação acerca do estado de operação e da cloud, através da Internet. Os sensores
performance dos descarregadores é relevante para prevenir situações são acoplados aos cabos de potência
sem proteção contra descargas atmosféricas e outras sobretensões. do DST por braçadeiras de serrilha e vão
O ImpulseCheck capta essa informação e coloca-a à disposição na medir a amplitude e a forma de onda das
Internet das Coisas. correntes de descarga, assim como dete-
informação técnico-comercial

tar os picos de sobretensão. Estes dados


estarão disponíveis para visualização e
Tel.: +351 219 112 760 · Fax: +351 219 112 769
Tradução e revisão: Eng.º Carlos Coutinho

análise na Proficloud, assim como o re-


sultado da análise dos sinais: a amplitu-
Dipl.-Phys. Claas Rittinghaus

de e a energia da corrente de descarga


(Figura 2).
www.phoenixcontact.pt
Phoenix Contact, S.A.

O desenho modular do sistema,


com sensores externos e uma unidade
de medição e de comunicação, permite
uma utilização abrangente de aplica-
ções. Especialmente em grandes fábricas
120

com vários subsistemas, os qu