Você está na página 1de 5

Universidade Tecnológica Federal do

Paraná
Engenharia Elétrica

Física Experimental 1

Profº: Ivo Aparecido Goulart

Disciplina: EL21B Turma: E22

Atividade 07 – Centro de massa

Nome – João Pedro Horácio RA: 2101580


Jonas Bonoto Estevam RA: 2100576
Lucas Chaves Rosalin de Sousa RA: 2051958

Cornélio Procópio
2019
1. TÍTULO DO EXPERIMENTO
Centro de massa
2. OBJETIVO
Entender o conceito de centro de massa
3. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
O centro de massa é uma posição definida relativa a um objeto ou sistema
de objetos. É a posição média de todas as partes do sistema, ponderada de
acordo com a massa de cada objeto.

Para objetos rígidos simples com densidade uniforme, o centro de massa


está localizado na centroide. Por exemplo, o centro de massa de um disco
uniforme está em seu centro. Algumas vezes o centro de massa não cai em lugar
algum do objeto. O centro de massa de um anel, por exemplo, está localizado
em seu centro, onde não há nenhum material.

Figura 1: Centro de massa de algumas formas geométricas.

O interessante sobre o centro de massa de um objeto ou um sistema é o


ponto onde qualquer força uniforme atua sobre o objeto. Isso é útil pois torna
mais fácil resolver problemas de mecânica onde se tem que descrever o
movimento de objetos de formato estranho e sistemas complicados.

Para efeitos de cálculo, pode-se tratar um objeto de formato estranho como


se toda sua massa estivesse concentrada em um objeto minúsculo localizado no
centro de massa. Às vezes é chamado esse objeto imaginário de ponto de
massa.

Se empurrar um objeto rígido no seu centro de massa, então o objeto se


moverá sempre como se fosse um ponto de massa. Ele não girará em torno de
nenhum eixo, independente da sua forma real. Se o objeto for submetido a uma
força desequilibrada em algum outro ponto, aí ele começará a girar sobre o
centro de massa.

Para um sistema de massas discreto, formado por um conjunto de n


partículas, cada uma com posição ri e massa mi, o centro de massa R é dado
por:
1
𝑅= ∑ 𝑚𝑖 ∗ 𝑟𝑖
∑ 𝑚𝑖
Equação 1. Equação para o centro de massa.

O centro de gravidade é o ponto através do qual a força da gravidade age


2
RELATÓRIO – FISÍCA EXPERIMENTAL 1
sobre um objeto ou sistema. Na maioria dos problemas de mecânica o campo
gravitacional é considerado uniforme. O centro de gravidade está então
exatamente na mesma posição que o centro de massa. Os termos centro de
gravidade e centro de massa tendem a ser usados de forma equivalente, já que
eles estão muitas vezes na mesma localização.

4. MATERIAIS E MÉTODOS
4.1 EQUIPAMENTOS
Suporte universal, barra de alumínio, ganchos, estojo com contrapesos,
balança eletrônica, régua.
4.2 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL
4.2.1 PRÁTICA 1 – CENTRO DE MASSA DA BARRA

Determinou-se o centro de massa da barra de alumínio. R = (220 ± 0,05)mm.

4.2.2 PRÁTICA 2 – SISTEMA COM DOIS CORPOS

Foi montado o suporte e se colocou suspensa a barra de alumínio, obtendo


o equilíbrio estático (figura abaixo);

Figura 1. Exemplo da barra de alumínio suspensa.

Fixou-se um gancho(barbante) à direita e outro à esquerda do eixo de rotação


assim, foi depositado um contrapeso de massa me no gancho da esquerda. E
resultou no equilíbrio estático depositando um contrapeso de massa conhecida
md no gancho da direita. Mediu-se a distância rd e re do ponto de referência aos
contrapesos. Foi acrescentado outra massa no gancho da esquerda. E se obteu
novamente o equilíbrio estático, deslocando o gancho da direita em relação ao
eixo de rotação, depois comparou-se as massas.

Repetiu-se mais três vezes os procedimentos citado acima para outros


contrapesos. Foi-se organizado as medidas em uma tabela com colunas para o
valor da massa me e sua incerteza, da massa md e sua incerteza, da distância rd
e sua incerteza, da distância re e sua incerteza.

3
RELATÓRIO – FISÍCA EXPERIMENTAL 1
Foi calculado o centro de massa para cada caso (equação 1) e o valor médio
do centro de massa. Foi considerado a prática 1 como correta, e se determinou
o erro da prática 2.

4.2.3 PRÁTICA 3 – SISTEMA DE VÁRIOS CORPOS

Foi montado o suporte e se suspendeu a barra de alumínio, obtendo o


equilíbrio estático. Fixou-se 3 ganchos (barbante) ao longo da haste, sendo 1 à
direita e 2 à esquerda do eixo de rotação. Obteve-se o equilíbrio estático
depositando contrapesos de massa conhecida m j nos 3 ganchos. Se mediu a
distância rj do ponto de referência a cada contrapeso. Organizaram-se as
medidas em uma tabela (Tabela 2) com colunas para: o índice da medida, o valor
da massa mj e seu erro, da distância rj e seu erro. Foi calculado por fim o centro
de massa. Considerado a prática 1 como correta, determinou-se o erro da prática
3.

5. RESULTADOS

Abaixo (tabela 1) são mostrados todos os valores para as medidas de centro


de massa após a realização da prática 2.

ESQUERDA DIREITA R(mm)


Me(g) ± 0,01g Re(mm) ± 0,5mm Md(g) ±0,01g Rd(mm) ±0,5mm Centro de Massa
50,58 350,1 50,83 95,7 222,59
101,61 298,7 50,83 66,8 231,37
152,59 286,5 50,83 25,7 221,33
152,59 301,8 101,47 100,5 221,4

Tabela 1. Valores com todos os valores de centro de massa.

Após a obtenção dos valores de centro de massa foi obtido a porcentagem de


erro para a prática 2 o valor de 0,76%.

Abaixo (tabela 2) são mostrados todos os valores de centro de massa para


vários corpos suspensos na barra de alumínio obedecendo a prática 3.

ESQUERDA MEIO DIREITA


Me(g) ± 0,01g Re(mm) ± 0,5mm Mm(g) ±0,01g Rm(mm) ±0,5mm Md(g) ± 0,01g Rd(mm) ± 0,5mm
50,58 366,3 51,03 247,3 50,58 24,2
50,58 367,6 101,67 276,9 101,41 91,4
101,81 295,4 101,67 251,2 50,58 11,2

Tabela 2. Valores com todos os centros de massas para a terceira prática.

Por fim após recolhidos todos os dados para a prática 3 foi calculado da
mesma forma a porcentagem de erro obtendo um valor de 0,64%.

6. CONCLUSÃO

O objetivo do experimento foi alcançado, no qual consistia em calcular o


centro de massa da barra de alumínio disposta em diferentes composições, de
forma que a barra estivesse posicionada paralela à horizontal.

4
RELATÓRIO – FISÍCA EXPERIMENTAL 1
Embora o ambiente não estivesse isolado de alguns fatores externos como o
ar e vibrações, o resultado obtido foi muito satisfatório por apresentar erros de
0,76% e 0,64% para as práticas 2 e 3 respectivamente, no qual ambos estão
dentro da margem de tolerância.
7. Bibliografia
KAZUHIRO, Miguel. CENTRO DE MASSA. Unicamp. Disponível em:
<https://www.ifi.unicamp.br/~lunazzi/F530_F590_F690_F809_F895/F809/F809
_sem1_2005/MiguelK-Rigitano_RF.pdf>. Acesso em: 17/05/2019.

Halliday, D., Resnick, R, Walker, J., Fundamentos de Física, Mecânica, LTC,


1996.

JURAITIS, K. R.; DOMICIANO, J. B. Introdução ao Laboratório de Física


Experimental: métodos de obtenção, registro e análise de dados experimentais.
EDUEL, 2009.

VUOLO, J. H. Fundamentos da Teoria de Erros. 2. ed. São Paulo: Blucher,


1996.

5
RELATÓRIO – FISÍCA EXPERIMENTAL 1