Você está na página 1de 74

Equipamentos

Elétricos
Notas de aula - Seccionadores
1º semestre/2017
Profª Janaína Gomes da Costa
SECCIONADORES
• As 3 mais importantes funções dos seccionadores
nos Sistemas Elétricos de Potência podem ser
resumidas em:
o Manobrar (abrir e fechar) os circuitos elétricos, quando solicitadas a tal;
o Transportar continuamente a corrente nominal do circuito sem que
ocorra sobreaquecimentos e
o Suportar, na posição fechada, as correntes momentâneas (ou sob
condições de falta).

Fonte: Equipamentos do
Sistema elétrico de potência
CEFET-MG
Professor:José Eustáquio Venuto Borel
SECCIONADORES
• Os disjuntores, por si só, não são capazes de oferecer
esta garantia, devido à pequena distância de
isolamento entre os contatos após a abertura.
• Do ponto de vista dielétrico, o seccionador deve
garantir a perfeita coordenação de isolamento para
terra e entre contatos abertos (open-gap).
• Dessa forma, ainda que em condições extremas, se
uma disrupção for inevitável, esta deverá ocorrer para
terra, e nunca no gap.
• Além das solicitações dielétricas, como tensão
suportável à frequência industrial, impulsos atmosféricos
e de manobra, o equipamento também deverá ser
capaz de operar normalmente sob corrente nominal e
suportar os esforços dinâmicos e térmicos de curto-
circuito do sistema.

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES
• O meio dielétrico nos dispositivos de manobra
usualmente é o ar atmosférico (dielétrico pobre)
• Podemos considerar os seccionadores como
“barramentos móveis”.
• Os seccionadores podem desempenhar nas
subestações diversas funções, sendo a mais
comum a de seccionamento de circuitos por
necessidade operativa, ou por necessidade de
isolar componentes do sistema (equipamentos ou
linhas de transmissão) para a realização de
manutenção destes.

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
Seccionador - Especificação
de Características Técnicas
• De forma geral, as informações mínimas do ponto de
vista dielétrico são:
o NI – Nível de isolamento
• NBI – Ou nível básico de impulso atmosférico do sistema.
• NBM – Ou nível básico de manobra do sistema (somente tensões acima
de 362 kV).
o Nível de escoamento ou grau de poluição (para especificação dos
isoladores).
• Também, de forma geral, estas são as informações
mínimas do ponto de vista de potência:
o In – Ou a corrente nominal do equipamento.
o Icc – Ou nível de curto-circuito do sistema.
o It/t – Ou valor de pico de curto-circuito com a duração ou tempo de atuação
da proteção.
• Outras informações necessárias:
o Esforços mecânicos sobre os terminais
o Tensão nominal de alimentação dos dispositivos de operação e/ou circuitos
auxiliares
SECCIONADORES

Fonte: Equipamentos do
Sistema elétrico de potência
CEFET-MG
Professor:José Eustáquio Venuto Borel
SECCIONADORES

Fonte: Equipamentos do
Sistema elétrico de potência
CEFET-MG
Professor:José Eustáquio Venuto Borel
SECCIONADORES –
Tipos Construtivos
• Existem diversos tipos de seccionadores com varias
modalidades de aberturas e infindáveis maneiras e
modos de instalações.
• São um dos equipamentos mais complexos em termos
de gestão e projetos de aplicação.
• Os seccionadores específicos para cada aplicação são
escolhidos, geralmente, em função do tipo de abertura,
resultado na maioria das vezes do espaçamento
disponível no local da instalação.
• Por exemplo, se existe espaço disponível
horizontalmente, os tipos com abertura (gap) horizontal
são os preferidos, pois suas lâminas operam no plano
horizontal, já se o espaço disponível e vertical, lâminas
com abertura neste plano são as escolhidas.
Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão
Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES –
Tipos Construtivos
• Os principais pontos que influenciam a escolha do
tipo construtivo dos seccionadores são:
o Nível de tensão.
o Esquema de manobra.
o Limitação de área ou de afastamento elétrico.
o Tradição (tipo padrão utilizado pela empresa).

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES –
Tipos Construtivos
• Seccionadores com Gap Horizontal
o Abertura Lateral
o Abertura Central
o Abertura Central em “V”
o Dupla Abertura Lateral
o Abertura Vertical
o Abertura Semipantográfica Horizontal

• Seccionadores com Gap Vertical


o Abertura Vertical Reversa
o Abertura Semipantográfica Vertical
o Abertura Pantográfica
SECCIONADORES -
Abertura Lateral
• Um dos tipos mais simples de seccionador,
geralmente com tensão de trabalho até 145 kV,
devido ao desbalanço provocado pelo peso da
lâmina no mancal do isolador de acionamento.
• Um dos isoladores faz o acionamento da lâmina.
• Por sua própria geometria, este modelo não é
recomendado para níveis de curto-circuito acima
de 25 kA.

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Lateral

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Central
• Ambos os isoladores são montados sobre mancais
rotativos, cada um é responsável por acionar uma
metade da lâmina principal, sendo um contato
chamado de “macho” e seu complemento de
“fêmea”.
• Seccionadores de abertura central acarretam
espaçamentos entre eixo de fases maiores para
manter o espaçamento fase-fase especificado.
• Este tipo de seccionador é tipicamente
configurado em montagens com pólos paralelos,
podendo ainda ser montado em linha para
aplicações que requeiram otimização de espaço
físico.
Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão
Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Central

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Central
SECCIONADORES –
Abertura central
SECCIONADORES –
Abertura central
SECCIONADORES – Abertura
central – pólos alinhados
SECCIONADORES -
Abertura Central em “V”
• Seccionador pouco usado no mercado brasileiro.
• Aplicado em sistemas 72,5 e 145kV. Indicado para
montagens em estrutura suporte ou pórticos
compactos, pois possui a parte baixa em tamanho
reduzido quando comparado ao tradicional
modelo de abertura central. Possui geometria
flexível, podendo ser montado na posição vertical
e até mesmo invertida.

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES-
Abertura Central em “V”

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES-
Dupla Abertura Lateral
• Três colunas isolantes suportam a parte ativa.
Muitas pessoas confundem este tipo com abertura
central.
• O isolador central faz o acionamento da lâmina.
• Seccionadores de dupla abertura acima de 362kV
tem lâminas principais muito longas e ficam sujeitas
a deformações, principalmente se o esquema de
manobra determinar que ela opere normalmente
aberta.
• Para estes casos, uma alternativa e aplicarmos um
seccionador com abertura semipantográfica
horizontal.

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Dupla Abertura Lateral
SECCIONADORES -
Dupla Abertura Lateral

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Dupla Abertura Lateral

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Vertical
• Este equipamento possui três colunas isoladoras.
• Para tensões acima de 145 kV inclusive, o seccionador é
formado por dois isoladores tipo suporte e um isolador
rotativo. Estes seccionadores são muito requisitados pelo
mercado devido ao pouco espaço horizontal requerido
para a operação.
• Seccionadores AV de tensão nominal maior que 362 kV
tem lâminas principais muito longas (atingindo
comprimento superior a cinco metros em 550 kV) e
ficam sujeitas a deformações, principalmente se o
esquema de manobra determinar que ela opere
normalmente aberta, acarretando dificuldade no
fechamento sob vento. Uma alternativa interessante é o
modelo de abertura semipantográfica horizontal (SSP-
SH).

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Vertical

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Vertical

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Vertical
• Para regiões geográficas expostas as fortes
intempéries (nevascas, acúmulo de gelo), há
modelos com torque de comando diferenciado e
operação em dois estágios para quebra do gelo
acumulado (geralmente ate 20mm) nos contatos e
na cadeia cinemática dos equipamentos
(mancais, alavancas, articulações etc.).

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Vertical

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES - Abertura
Semipantográfica Horizontal
• Geralmente este tipo de seccionador e utilizado em tensões
acima de 245 kV.
• A parte da base do seccionador pode ou não, dependendo do
fabricante, ou do cliente, ser interligada fisicamente, seja com
tubo de aço seja com perfis metálicos, isso ajuda a garantir a
rigidez mecânica entre os contatos devido as grandes
dimensões deste modelo.
• Três isoladores configuram este tipo de equipamento, sendo um
isolador rotativo e responsável pelo acionamento da lâmina
principal.
• Por possuir a parte ativa “dobrável”, possui excelente
estabilidade operativa, ainda que sob condições extremas de
vento, constituindo-se em alternativa ao modelo AV para
tensões a partir de 362 kV.
• Outro ponto a favor das semipantográficas horizontais é a
economia de espaço vertical (em torno de 60%), principalmente
quando há barramentos instalados em nível superior.

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES - Abertura
Semipantográfica Horizontal

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES
SECCIONADORES -
Abertura Vertical Reversa
• A posição da lâmina neste tipo é contrária ao tipo
AV. Quando a lâmina está a 90° com o plano
horizontal, a chave se encontra fechada.
• O contato superior pode ser instalado diretamente
em barramento ou, com auxílio de um isolador
invertido, diretamente em viga de sustentação.
• Também existe com contato móvel no sistema de
pinça, proporcionando a instalação do conector
superior diretamente em cabos.

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Vertical Reversa

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES -
Abertura Vertical Reversa
SECCIONADORES - Abertura
Semipantográfica Vertical
• Este modelo e bastante utilizado para transferência de barras.
Existem algumas variações deste modelo, como o contato
móvel ser com pinças, possibilitando o uso do conector de
alta tensão diretamente derivando de cabos, ou com tipo
pino, onde há um dispositivo antigelo para locais de baixa
temperatura.
• Existe também a possibilidade de que o conector de alta
tensão fixo possa ser instalado sob viga ou pórtico,
necessitando então de um isolador suporte tipo invertido
para conexão do contato fixo. O acionamento da lâmina é
feito pelo isolador do tipo rotativo.
• Geralmente este seccionador é disponível no mercado em
classes de tensão acima de 145 kV.
• Seus pólos podem ser montados de modo alinhado ou em
diagonal (para transferência de barras).

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES - Abertura
Semipantográfica Vertical

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES - Abertura
Semipantográfica Vertical
SECCIONADORES - Abertura
Semipantográfica Vertical
SECCIONADORES - Abertura
Semipantográfica Vertical
SECCIONADORES - Abertura
Semipantográfica Vertical
SECCIONADORES –
Abertura Pantográfica
• São seccionadores com altas capacidades ou
suportabilidade a curtos-circuitos, geralmente com altas
correntes nominais. Podem ser utilizados em
transferência de barras. O acionamento é feito pelo
isolador, geralmente, do tipo rotativo.
• Utilizada em regiões sujeitas ao acúmulo de gelo,
devido à elevada transferência de torque para a
cadeia cinemática. Possui, em vantagem aos
seccionadores semipantográficos verticais, maior
facilidade de ajuste da área de contatos (fixo/ móvel).
• A exemplo do TIPO SSP-V, pode ser instalada sob pórtico
(com auxílio de isoladores invertidos) ou diretamente
sob barramento (sem isoladores invertidos). Seus polos
podem ser montados de modo alinhado ou em
diagonal (para transferência de barras).

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES –
Abertura Pantográfica

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
SECCIONADORES –
Abertura Pantográfica
Chaves de Aterramento
• Podemos classificar o tipo de chave de
aterramento quanto ao tipo de contato físico:
o Entrada direta: suporta menores níveis de curto-circuito (40 kA)
dependendo do fabricante.
o Entrada indireta (duplo movimento): suporta maiores níveis de curto-
circuito (63 kA) dependendo do fabricante.

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
Chave de aterramento –
entrada direta

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
Chave de aterramento –
entrada indireta

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
Seccionadores de Operação
em Carga (Circuit Switchers)
• Os seccionadores para operação em carga são
utilizados muitas vezes em substituição ao disjuntor
em operações de interrupção ou de
reestabelecimento de correntes significativas
como, por exemplo, nos chaveamentos de
grandes bancos de capacitores, de reatores ou de
filtro de harmônicos em subestações conversoras
CA-CC. Este equipamento é muito utilizado no
mercado norte-americano.

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
Seccionadores de Operação
em Carga (Circuit Switchers)
• A decisão de utilização dos seccionadores sob
carga deve ser balizada em considerações
técnicas e econômicas:
o Avaliação da capacidade de interrupção do seccionador para a
corrente nominal capacitiva ou indutiva correspondente a potencia do
banco, ou de limitação da corrente de inrush durante a energização do
banco. Estes seccionadores não são utilizados para a interrupção das
correntes de falta nos bancos.
o Comparação do custo do seccionador com o disjuntor para o mesmo
nível de tensão. Nesta comparação, é importante incluir o custo dos
seccionadores associados ao disjuntor.

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
Seccionadores de Operação
em Carga (Circuit Switchers)

Fonte: Livro Equipamentos de Alta Tensão


Prospecção e Hierarquização
de Inovações Tecnológicas
Seccionadores –
Componentes principais
• Os seccionadores são constituídos por diversos
subconjuntos, cada qual com sua função, seja ela
estrutural mecânica ou elétrica.
Seccionadores – Componentes
principais
Seccionador - Parte Ativa
• Também conhecida por lâmina principal. Confeccionada em tubo ou
barra de material altamente condutor normalmente em alumínio.
Entretanto, alguns clientes, devido às condições agressivas do ambiente
(excessiva poluição etc.), solicitam que a parte ativa seja fabricada em
cobre.
• Em locais com presença de gás sulfídrico (H2S), como na indústria
petroquímica, deve-se proteger a parte ativa com uma camada de
tinta e base, sendo um processo industrial específico para este caso.
Algumas empresas solicitam aos fabricantes a aplicação de pintura na
parte ativa, ainda que em ambiente livre de ataques químicos, com
finalidade de sinalização. Este procedimento não é recomendado, pois
eleva a resistência deste componente.
• Quando na posição fechada, o seccionador conduz a corrente elétrica
de um terminal a outro e, na posição aberta, assegura a distância de
isolamento.
• É um dos componentes mais desafiadores do projeto, pois além de
reunir alta condutividade e boa rigidez mecânica, a lâmina deve ser,
sobretudo, leve o suficiente para permitir a operação de seccionador
sem esforço demasiado. Dependendo da forma construtiva deste, a
lâmina influi consideravelmente na vida útil do equipamento.
Seccionador - Parte Ativa
Seccionador - Parte Baixa
• Responsável pela sustentação mecânica do conjunto. A esta
estrutura são fixados os isoladores. Fabricada em aço
galvanizado a quente, com perfis “U”, “I”, “U dupla” ou tubos
de aço de parede reforçada. Não confundir com estrutura
suporte.
• Os fornecimentos de seccionadores, salvo exceções, não
contemplam as estruturas suporte. Uma alternativa para
evitar surpresas desagradáveis na montagem em campo e
no gerenciamento do contrato, é antecipar junto ao cliente
final o desenho dimensional da estrutura suporte para que o
fabricante projete uma sub-base de adaptação do
seccionador a estrutura suporte existente, se necessário.
• Caso seja uma subestação ou bay novos, o fabricante
poderá enviar o dimensional de seu equipamento para que o
cliente projete suas estruturas suporte a partir do projeto
padrão do fabricante, otimizando os custos da obra.
Seccionador - Parte Baixa
Seccionador - Isoladores
• Parte integrante dos seccionadores, os isoladores
cumprem duas funções básicas no funcionamento
dos seccionadores:
o um do ponto de vista mecânico, onde todos os esforços provenientes de
curto-circuito, vento, terminais e do próprio acionamento do
equipamento devem ser suportados;
o o outro, e não menos importante, do ponto de vista dielétrico, onde
todas as sobretensões, transitórios provenientes de impulsos atmosféricos
e de manobra devem ser perfeitamente suportados.
• A escolha correta dos isoladores deve satisfazer
estas condições acima características de interface
com o equipamento (flanges e circulo de
furações), intercambialidade dentro do mesmo
fornecimento, posição de montagem (horizontal,
vertical ou invertida), desenho de contorno do
isolador.
Seccionador - Isoladores
• A padronização de alguns fatores pode levar aos fabricantes
alguma economia em escala, como, por exemplo, flanges e
distancia de escoamento, algumas outras características
dependem de informação dos clientes, como NI (nível de
isolamento), RIV (tensão de radiointerferência), cor, tensões
suportáveis, etc.
• Atualmente utiliza-se apenas os isoladores manufaturados em
porcelana, dado que os de vidro encontram-se em desuso
no mercado, e os poliméricos ainda constituem reduzida
demanda.
• Dentre os modelos de isoladores de porcelana, o mais
aplicado são os do tipo núcleo sólido (station post). Há
também os modelos multicorpo e pedestal.
• De forma geral, devem-se especificar os isoladores, seja para
orçamento, seja para projetos, de forma completa.
Seccionador - Mecanismo
de Acionamento
• O mecanismo de operação dos seccionadores pode ser
manual ou motorizado.
• Em casos específicos, aplica-se um comando híbrido, ou seja,
manual com redutor, para redução dos esforços mecânicos
nos casos de instalação do seccionador em altura. A
operação manual pode ser feita através de uma alavanca
acoplada à arvore de manobra.
• Já a operação motorizada pode ser feita por um único
mecanismo que, através de hastes (tirantes), comanda a
operação conjunta dos três polos (comando tripolar), ou por
mecanismos independentes para cada polo do seccionador
(comando monopolar).
• Os comandos monopolares são utilizados com mais
frequência em níveis de tensão a partir de 362kV. Os
comandos motorizados são dotados de mecanismo de
operação manual usados em caso de falta de tensão em
campo e ajuste local das lâminas.
Seccionador - Mecanismo
de Acionamento
Seccionador - Mecanismo
de Acionamento
Seccionador - Mecanismo
de Acionamento
Seccionador - Árvore de
Manobra
• Elemento fundamental
da cadeia cinemática.
Transmite a rotação do
motor ou alavanca
manual para os tirantes
com consequente
acionamento das
lâminas (principais e de
aterramento). Acopla-se
diretamente a árvore de
manobra a caixa de
contatos auxiliares para
indicação de posição
(aberto, fechado etc.).
Seccionador - Acessórios
Restritor de Arco
• Utilizado como
contato de
sacrifício,
preservando as
lâminas principais.
Seccionador – Acessórios
Terminais de Linha
• Responsável pela conexão do seccionador com a
rede elétrica. Pode ser apropriado para conexão
de cabos ou tubos de alumínio.
• Cuidado especial deve-se tomar com a corrosão
galvânica (ex: cabos de cobre acoplados a
conectores não estanhados).
Seccionador – Acessórios
Conectores de Linha
• Quando os cabos e ou barramentos possuem
terminação incompatível com a do seccionador,
utilizamos os conectores de linha para realizar a
interface cabo/ barramento – terminal de linha.
Seccionador – Acessórios
Dispositivos para Manobras de Transferência de Barras
• Restritores de arco (contatos de sacrifício)
especiais, confeccionados em atendimento ao
anexo B da ABNT NBR IEC 62271-102, o qual indica
que a corrente nominal na transferência de barras
devera ser de 80% do valor da corrente nominal
limitada a 1.600A.
• O princípio de funcionamento é o mesmo para
todos os tipos de abertura de seccionadores,
entretanto detalhes construtivos, como seu
posicionamento, variam caso a caso.
Seccionador – Acessórios
• Bloqueio Kirk
o Dispositivo para bloqueio
mecânico (travamento da
cadeia cinemática) e elétrico
(desenergiza o motor de
acionamento), permitindo
maior segurança durante a
manutenção.

• Desacoplamento
Mecânico
o Aplicado com o objetivo de
testar o motor em campo sem
desajustar o encaixe das
lâminas.
Seccionador – normas
técnicas
• ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas
o ABNT NBR IEC 62271-102:2006 - Seccionadores e chaves de aterramento.
o ABNT NBR 7571:2011 - Seccionadores – Características técnicas e
dimensionais.
• IEC – International Electrotechnical Commission
o IEC 62271-102: 2001 - High-voltage switchgear and controlgear – Part 102:
Alternating current disconnectors and earthing switches.
o IEC 62271-1: 2007 - High-voltage switchgear and controlgear – Part 1:
Common specifications.
• IEEE – Institute of Electrical and Electronics Engineers
o C37.30.1-2011 - IEEE standard requirements for AC high-voltage air
switches rated above 1.000 V.
o C37.34-1994 - IEEE standard test code for high-voltage air switches.
o C37.35-1995 - IEEE guide for the application, installation, operation, and
maintenance of high-voltage air disconnecting and interrupter switches.
Seccionador – Ensaios
• Ensaios de Rotina
o Ensaios de funcionamento mecânico conforme ABNT NBR IEC 62271-102
item 7.101.
o Ensaios dielétricos conforme ABNT NBR IEC60694/2006 item 7.1.
o Ensaios dielétricos nos circuitos auxiliares conforme ABNT NBR
IEC60694/2006 item 7.2.
o Medição da resistência do circuito principal conforme ABNT NBR
IEC60694/2006 item 7.3.
o Verificação visual e dimensional conforme ABNT NBR IEC60694/2006 item
7.5.
o Ensaios dielétricos no circuito principal a seco.
Seccionador - Ensaios
• Ensaios de Tipo
o Item 6.2 da ABNT NBR IEC 60694/2006 ensaios dielétricos.
o Item 6.3 da ABNT NBR IEC 60694/2006 RIV.
o Item 6.4 da ABNT NBR IEC 60694/2006 medição da resistência do circuito
principal.
o Item 6.5 da ABNT NBR IEC 60694/2006 ensaio de elevação de
temperatura.
o Item 6.6 ABNT NBR IEC 60694/2006 ensaio de corrente suportável de curta
duração e valor de crista da corrente suportável.
o Item 6.102 ABNT NBR IEC 62271-102/2006 ensaios mecânicos.
Seccionador - Ensaios
• Ensaios de tipo – Opcionais:
o Item 6.101 ABNT NBR IEC 62271-102/2006 ensaios para provar capacidade
de estabelecimento em curto-circuito de chaves de aterramento.
o Item 6.103 ABNT NBR IEC 62271-102/2006 ensaios para provar operação
satisfatória sob severas condições de gelo.
o Item 6.104 ABNT NBR IEC 62271-102/2006 ensaios para provar operação
satisfatória sob temperatura máxima e mínima do ar ambiente.
o Item 6.105 e anexo A ABNT NBR IEC 62271-102/2006 ensaios para verificar
a função adequada do indicador de posição.
o Item 6.106 e anexo B ABNT NBR IEC 62271-102/2006 ensaios para
comprovar a capacidade de manobra de corrente de transferência de
barramento de seccionadores.
o 6.107 e anexo C ABNT NBR IEC 62271-102/2006 ensaios para comprovar a
capacidade de manobra de correntes induzidas nas chaves de
aterramento.
Seccionador - Manutenção
• A – Inspeção menor (a cada dois anos)
o Verificação das partes mecânicas e tratamento de superfície do
equipamento.
o Verificação dos cabos de baixa tensão e de aterramento.
o Verificação e limpeza dos isoladores.
o Verificação do mecanismo de operação.
• B – Inspeção no seccionador (a cada cinco anos ou
1.000 operações) – Seccionador fora de serviço
o Verificações grupo A.
o Verificação da limpeza da parte ativa.
o Medição da resistência de contato.
o Verificação do aperto dos parafusos.
o Verificação do funcionamento dos controles locais.
o Verificação da operação manual.
o Verificação do correto acoplamento dos contatos principais.
o Verificação da condição das superfícies de contato.
Seccionador - Manutenção
• C – Inspeção do mecanismo de operação (a cada
cinco anos ou 1.000 operações)
o Verificação de todos os componentes, mecânicos e elétricos cabos e
conexões de aterramento.
o Verificação da lubrificação das engrenagens.
o Verificação da operação da resistência de aquecimento, proteção do motor
e intertravamento eletromecânico.
• D – Inspeção principal (a cada 10 anos ou 2.000
operações)
o Verificações grupos A e B.
o Verificação da condição e do desgaste dos componentes principais (parte
ativa, isoladores etc.).
o Verificação dos ajustes mecânicos, restauração das condições iniciais, caso
necessário.
o Substituição de unidades e componentes conforme manual, e, se necessário,
contato com o fabricante.