Você está na página 1de 11

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

EDUCAÇÃO FÍSICA BACHAREL

EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA

Esporte e Saúde

ELAINE MARIA DE CARVALHO VELLOZO POZZATO


FLÁVIO DAVI DE AMARAL ARAUJO
MICHELE PEREIRA DA CRUZ
JOSÉ CICERO ELOY
Petrópolis, Rio de Janeiro
2019
Esporte e Sáude

Relatório de Estágio apresentado ao Curso


de Educação Física Bacharel do Núcleo de
Educação a Distância NEAD – Unopar –
Universidade Pitágoras do Paraná como
requisito obrigatório para cumprimento da
disciplina:
ATIVIDADES INTERDISCIPLINARES 5º
PERÍODO.
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO ................................................................................................... 4
DESENVOLVIMENTO........................................................................................ 5
CONSIDERAÇÕES GERAIS ........................................................................... 10
REFERÊNCIAS: ............................................................................................... 11
INTRODUÇÃO
No decorrer desta produção de texto iremos notar que não é possível na
era contemporânea falar sobre Esporte e Saúde, sem interdisciplinaridade na
Educação física, como aptidão física (medidas, atividades físicas, biomecânica),
esporte (fundamentos de treinamento esportivos) e outras áreas afins, como
nutrição, psicologia, medicina, indústrias de suplementação e farmaceutica
produção cultural, etc.....

Também, teremos a oportunidade de observar o desenvolvimento da


Educação Física no tocante a aptidão física, treinamento esportivo,
responsabilidade e criação de formação acadêmica e utilização de metodologias
cientificas e alternativas para o bom desenvolvimento do atleta, bem como social
e psicológica para os consumidores do esporte de forma geral, seja no âmbito
esporte rendimento, saúde, lazer, social e educacional.

4
DESENVOLVIMENTO
Para falarmos sobre o Tema Esporte e Saúde começaremos falando
sobre aptidão física.

Embora a importância da Aptidão física seja discutida globalmente, não


existe uma definição literal universalmente aceita. Mas de acordo com Hebbelink
(23(, a aptidão total se refere a totalidade biopsicossocial do homem como
espécie, ao fato de o individuo estar apto para a todas necessidades do ponto
de vista biológico, psicológico e social, levando-o a uma integração adequada ao
seu meio ambiente; é uma é um resultado da interação das características
genéticas com o meio ambiente. Está relacionada diretamente com o fenótipo do
individuo.

Do período pós-guerra até a década de 1960, a aptidão física era muito


ligada só ao físico no tocante motor, capacidade motora geral, mas no tocante
movimento, apensas composição massa corporal, ou seja, aptidão motora, corpo
com máquina.

Na década de 70 foi iniciado um movimento mundial a respeito da aptidão


física a respeito de quais componentes de atividade física deveriam ser mais
valorizados. Tal movimento ocorreu ao devido ao aumento de pesquisas no
tocante aos benefícios do treinamento físico de determinados componentes da
aptidão física para saúde e prevenções de doenças hipocinéticas, decorrente
vida sedentária, e de pouco exercício físico.

Na década de 80 a Associação Americana de Saúde, Educação Física,


Esporte e Dança- AAHPERD enfatizou a relação entre saúde e atividade física,
e considerou que a aptidão física é um, contínuo de múltiplas características que
se entende do nascimento à morte. A aptidão física é afetada pela atividade física
que o indivíduo pratica e é diferenciada em três níveis: Alto, ótimo e baixo, até
limitações severas, de doenças e disfunções.

5
O esporte tem como estrutura de palavra vinda do latim deportare (se
divertir), é uma denominação dada a todo movimento, jogo, forma de competição
expressa pelas atividades físicas do ser humano.

De acordo com Tubino (36,37), o primeiro registor da concepção de


esporte moderno data de 1828 na Inglaterra por meio de Thomaz Arnold, diretor
do Colégio Rugby. Este educador utilizou jogos físicos praticados pela
aristocracia e burguesia inglesa, codificando-os e incorporando-os aos métodos
de educação escolar.

Em 1892, o Barão Francês Pierre de Coubertin iniciou um movimento para


a restauração dos jogos olímpicos, com a filosofia humanista que o esporte
poderia estimular as relações humanas, como meio da preservação da paz
mundial. Em 1986, como resultados desse trabalho, foram realizados os
primeiros jogos modernos.

Com desenvolvimento do esporte moderno no final do século XIX até os


meados do século XX surgiram novas modalidades esportivas, e ao crescimento
do número de participantes, foram aparecendo as federações internacionais e
assim se tornando um interesse governamentais, uma vez que o esporte estava
interagindo de uma forma significativa, com a saúde, educação, sociedade e
economia dos países.

6
Entre o final de 1950 e 1960 houve uma reação intelectual no mundo,
rompendo como a visão do esporte apenas pela perspectiva única de rendimento
e jogo e sim como incorporação social, econômica, saúde, lazer e educacional.
Em 1978 foi publicada uma carta da UNESCO de Educação física e esporte com
uma nova visão mundial.
Treinamento Esportivo, a palavra treinamento é utilizada tanto na
linguagem coloquial como na linguagem acadêmica e em outros ares de
conhecimento. Trata-se de um processo que tem como objetivo a melhoria de
terminado desempenho, seja este na área cognitiva, psicossocial ou motora;
para p alcance do objetivo almejado, utiliza-se na maioria das vezes, o recurso
da repetição de determinada atividade, por meio de exercício.

De acordo com Dantas (17), a evolução do treinamento está ligada à


história dos jogos olímpicos, dividido em sete períodos:

 Da arte (da I Olimpíadas da antiga Grécia - 778 a.c. até a I Olimpíadas da


era moderna 1896).
 Da improvisação (da I Olimpíadas da era moderna 1896 até a VII, da
Anteuérpia – 1920).
 Do Empirismo (da VII até XV, de Helsinque – 1920 a 1952).
 Do período pré-científico (da XV até a XVIII, de Tóquio – 1952 a 1964).
 Do período Científico (XVIII até a XXII, de Moscou - 1964 a 1980).
 Do período Tecnológico (da XXII até XXV, de Barcelona – 1980 a 1992).
 Do período do Marketting esportivo (a partir da XXV até as atuais).

Na literatura de ciência/teoria do Treinamento Esportivo (26), treinamento


é definido como um processo de ações complexas, planejadas, orientadas que
visa melhor desempenho esportivo possível em situações de comprovação
especialmente na competição esportiva.

Cabe lembrar que no âmbito escolar, da saúde, do lazer este treinamento


deve ser de acordo com cada objetivo sendo o tema que vamos abordar daqui
para frente observando a matéria Biomecânica, sempre tomando o cuidado do
limite fisiológico, anatômico e psicológico do indivíduo.

7
Biomecânica é o estudo do movimento humanos, e a cineseologia
é a ciência que a biomecânica se utiliza para analisar através de imagens o
movimento humano. A Biomecânica precede sua analise a partir de um prisma
particular: o da lei da física, mais que simplesmente aplicar as leis da Física, a
Biomecânica leva em consideração as características do aparelho locomotor.
Para tanto ale, da Física e da Matemática, enquanto disciplinas fundamentadas
e suportam a analise do movimento humano, a Biomecânica ainda se utiliza de
conhecimentos da Anatomia e Fisiologia que delimitam características
estruturais e funcionais do aparelho locomotor. Configura-se uma disciplina de
forte caráter multidisciplinar, cuja meta central é a análise dos parâmetros físicos
do movimento, em relação, em função das características anatômicas e
fisiológicas do corpo humano. Para isso a Biomecânica se utiliza de quatro
grandes áreas: a cinemetria, a dinanometria, a eletromiografia e a antropometria.

A cinemetria objetiva a determinação da posição, da velocidade e da


aceleração, enquanto descritores ds características da cinemática do segmento
e do próprio corpo humano, podem ser utilizados vídeos, acelerômetros, opto-
eletrônicos, etc.

A dinamometria tem como objetivo determinar a força que prudzem um


movimento, pode utilizar plataformas de força para mensurar algumas
grandezas.

A eletromiografia estuda atividade dos músculos a partir da capitação dos


eventos elétricos vinculados a contração muscular.

A antropométria descreve a partir de técnicas experimentais e ou


analíticas, as características físicas dos seguimentos corporais.

Com a evolução da educação física e do esporte ao longo dos anos forma


percebidos os benefícios a saúde para os praticantes de esportes, seja alto
rendimento, lazer, educação. Não há como ignorar que além de outros benefícios
que a atividade física diminui o risco das doenças cardiovasculares. Trazemos
aqui um artigo de estudo em Muzambinho Minas Gerias elaborados pelos

8
profissionais de educação física João Paulo dos Santos, Luciano Basso, Teresa
Bartolomeu, Antônio Prista, Januária Rezende, Jorge Alberto de Oliveira, Go
Tani, José Antonio Maia e Cláudia Lucia Forjaz. Tais profissionais chegaram a
conclusão que a relação negativa entre atividade física, aptidão física e riscos
cardiovasculares está bem estabelecida em populações com baixo níveis de
atividade física. O estudo investigou essa relação em adultos de Muzambrinho,
em Minas Gerais, uma população com alta taxa de indivíduos, fisicamente ativos.
Participaram deste estudo 237 indivíduos, (132 mulheres), na maioria jovens
(44% entre 29 e 39 anos). Foram avaliados indicadores de riscos
cardiovasculares (IMC, circunferência cintura, glicemia em jejum, colesterolemia
de jejum, e pressão arterial sistólica e diastólica), atividade física (volume
semanal de atividade física total) e aptidão física (aptidão física aeróbica e forma
manual relativa. Resultado mais 90% dos indivíduos foram classificados com
ativos (praticavam atividades físicas por mais 150min/semana). A regressão
linear identificou associação negativa e força manual relativa e da aptidão física
aeróbica ao IMC e cintura, bem como associação positiva de força manual
reativa a pressão arterial diastólica. Os indicadores de atividade física e aptidão
física não se associaram ao risco cardiovascular global. Foi percebido que nessa
população, a relação inversa entre atividade física, aptidão física e risco
cardiovascular limitou-se a indicação de aptidão física e obesidade. Sugerindo
que em população com alta taxa de indivíduos fisicamente ativos, o aumento da
aptidão física, mas não atividade física pode ajudar a reduzir a obesidade.

9
CONSIDERAÇÕES GERAIS
Conclui-se com a evolução da educação física ao longo dos anos foram
necessários a associação de varias disciplinas , ou seja a interdisciplinaridade
para que através do esporte pudéssemos melhoras a aptidão físicas das
pessoas, pois conforme obervado no artigo: Relação entre atividade física e
risco, aptidão física re risco cardiovascular em Muzambinho em Minas Gerais foi
o aumento da aptidão física que ajudou no controle da obesidade, ou seja o
Esporte pode ser um grande auxiliador no controle de doenças hipocinéticas,
porem para chegar a este ponto, houve uma grande evolução no que diz respeito
ao esporte e treinamento esportivo, a utilização de ciências e disciplinas par que
a melhora da aptidão física fosse significativa, ao ponte de poder beneficiar esta
populações que carecem de um programa de treinamento para melhora de sua
aptidão física.

10
REFERÊNCIAS:
Fórum de Biomecânica em Educação física e Esporte do próprio portifolio
Relação entre atividade física, aptidão física e risco cardiovascular em
Muzambrinho Minas gerais do próprio portifólio
Relação entre aptidão física, espor e treinamento esportivo do próprio
portifólio

11