Você está na página 1de 6

RECONHECIMENTO E CLASSIFICAÇÃO SISTEMÁTICA DE PRAGAS/DOENÇAS/ANOMALIAS EM OLERICULTURA.

RECOMENDAÇÕES
PARA O CONTROLE E/OU CONVIVÊNCIA.
Legenda: URA = Umidade Relativa do Ar.

CULTURA: PEPINO

CARACTERIZAÇÃO DE DANOS/INJÚRIAS – NÍVEL DIAGNÓSTICO - CAUSAS E PROVIDÊNCIAS PREVENTIVAS/CURATIVAS


DE DANO (ND) – ESTÁGIO CRÍTICO (EC). CONDIÇÕES FAVORÁVEIS
DA
PRESENÇA/OCORRÊNCIA
DE
PRAGAS/DOENÇAS/ANOM
ALIAS
Folhas mais velhas apresentam pequenos pontos Mancha Zonada – Plantios em locais menos sujeitos a alta umidade;
circulares a angulares, amarelados no centro e Leandria momordicae Plantio menos adensado; Rotação de culturas; Uso de
marrom-alaranjados nos bordos. Com a evolução da Rangel adubação orgânica; Evitar o uso de irrigação por
doença, as lesões crescem e coalescem abrangendo aspersão e longos períodos de molhamento foliar;
grandes áreas do limbo foliar que se tornam A doença é favorecida por Eliminação de restos culturais, plantas voluntárias e
esbranquiçadas e quebradiças, com aspecto altas umidade e temperatura, curcubitáceas silvestres (melão de São Caetano) ao
rendilhado. Frutificações do fungo, caracterizada por por longos períodos. redor do plantio; Utilização de fungicidas registrados.
pequenos corpúsculos pretos podem ser observadas Folicur 200 CE (Tebuconazole) – 1 litro/ha.
na face inferior das folhas. Pode ser facilmente
confundida com antracnose.

ANEXOS – IMAGENS – GRAVURAS – DESENHOS – INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES – Fonte de consulta


CARACTERIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICO - CAUSAS E PROVIDÊNCIAS PREVENTIVAS/CURATIVAS
DANOS/INJÚRIAS – NÍVEL DE CONDIÇÕES FAVORÁVEIS
DANO (ND) – ESTÁGIO DA
CRÍTICO (EC). PRESENÇA/OCORRÊNCIA DE
PRAGAS/DOENÇAS/ANOMA
LIAS
Oídio –Erysiphe Folicur 200 CE (Tebuconazole) – 1 litro/ha.
cichoracearum

ANEXOS – IMAGENS – GRAVURAS – DESENHOS – INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES – Fonte de consulta

CARACTERIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICO - CAUSAS E PROVIDÊNCIAS PREVENTIVAS/CURATIVAS


DANOS/INJÚRIAS – NÍVEL DE CONDIÇÕES FAVORÁVEIS
DANO (ND) – ESTÁGIO DA
CRÍTICO (EC). PRESENÇA/OCORRÊNCIA DE
PRAGAS/DOENÇAS/ANOMA
LIAS
Abortamento de flores, Problema relacionado a Observar o plantio de pepino após haver clima adequado para o pepino se
inexistência de frutos ou temperaturas extremas, semeado em campo aberto.
abortamento de fruto em cultivar principalmente com Observar a completa proteção das plantas nas estufas ou em túneis
partenocárpicos. temperaturas baixas. baixos, principalmente à noite quando a temperatura baixa muito.
Problema de manejo no cultivo protegido.
Abortamento de flores, Problema relacionado a Plantio de uma certa percentagem de sementes de cultivar polinizadora
inexistência de frutos ou fecundação e polinização. (15%).
abortamento do fruto. Não aplicar defensivos agrícolas que interferem na presença de abelhas
principalmente no turno da manhã.

ANEXOS – IMAGENS – GRAVURAS – DESENHOS – INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES – Fonte de consulta


Temperaturas abaixo de 13ºC normalmente provoca abortamento de flores.
CARACTERIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICO - CAUSAS E PROVIDÊNCIAS PREVENTIVAS/CURATIVAS
DANOS/INJÚRIAS – CONDIÇÕES FAVORÁVEIS
NÍVEL DE DANO (ND) DA
– ESTÁGIO CRÍTICO PRESENÇA/OCORRÊNCIA
(EC). DE
PRAGAS/DOENÇAS/ANOM
ALIAS
MILDIO – Bremia lactucae. Algumas medidas podem ser tomadas, antes da doença acontecer:
O fungo sobrevive em restos - Sempre que for possível, escolher áreas fora de baixadas;
vegetais e hospedeiros - Verificar a posição do vento antes de demarcar as áreas de plantio, de
alternativos. É disseminado
forma que as áreas de cultivos novos não fiquem a jusante de cultivos
pelo vento e água de
irrigação. Alta URA e ºT entre mais velhos com cucurbitáceas;
15 a 18ºC favorecem o seu - Eliminação de plantas severamente infectadas;
desenvolvimeto. - Eliminação dos restos de cultivo;
- Experiência junto a agricultores tem demonstrado o uso de calda à base de Bicarbonato
de sódio, na dose 200 gramas por 100 litros (uma colher de sopa em 10 litros), em 5 a 7
aplicações preventivas.
Ver orientações gerais para o controle alternativo.
Controle/prevenção com agrotóxicos: Dithane, Cúpricos e Captan apresentam controle
preventivo. Ridomil,Curzate e Folio são eficientes ao controle de fungos que causam
mildio porém não têm registro para cucurbitáceas.

ANEXOS – IMAGENS – GRAVURAS – DESENHOS – INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES – Fonte de consulta


CARACTERIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICO - CAUSAS E PROVIDÊNCIAS PREVENTIVAS/CURATIVAS
DANOS/INJÚRIAS – NÍVEL DE CONDIÇÕES FAVORÁVEIS DA
DANO (ND) – ESTÁGIO PRESENÇA/OCORRÊNCIA DE
CRÍTICO (EC). PRAGAS/DOENÇAS/ANOMALIAS
Plantas mostram prostração, leve Temperaturas altas, em excesso, Em cultivos protegidos do tipo estufa, verificar a altura do pé
murchamento ou flacidez nas provocam esses sintomas. Afetam os direito da estufa (o ideal é de no mínimo 2,5 a 3 metros) para uma
folhas, como que desequilibradas, processos de fotossíntese e boa ventilação, somado a aberturas da estufa durante o dia.
e até paralisação do crescimento respiração.Causam excesso de Em cultivos protegidos do tipo estufim (túnel baixo) pintar a lona
transpiração, principalmente em de cobertura com tinta branca para reflexão do calor.
estufas não ventiladas
adequadamente.
Malformação em folhas e frutos. Temperaturas noturnas iguais ou Em cultivos protegidos, proceder um bom vedamento da estufa e
Paralisação do crescimento. inferiores a 15ºC ocasionam essa seu fechamento antes do por do sol nos dias muito frios.
injúria. O limiar mínimo crítico noturno
é de 12ºC.

ANEXOS – IMAGENS – GRAVURAS – DESENHOS – INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES – Fonte de consulta


No estágio de formação e desenvolvimento do fruto a temperatura diurna deve ser de 19 a 21ºC e a noturna em 16 a 19ºC. Abaixo de 15° C a planta não
se desenvolve adequadamente, podendo ter seu crescimento paralisado.

CARACTERIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICO - CAUSAS E PROVIDÊNCIAS PREVENTIVAS/CURATIVAS


DANOS/INJÚRIAS – NÍVEL DE CONDIÇÕES FAVORÁVEIS
DANO (ND) – ESTÁGIO DA
CRÍTICO (EC). PRESENÇA/OCORRÊNCIA DE
PRAGAS/DOENÇAS/ANOMA
LIAS
Queimaduras nas folhas, Excesso de CO2 no interior de Arejamento das estufas.
desenvolvimento deficiente. estufas.

ANEXOS – IMAGENS – GRAVURAS – DESENHOS – INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES – Fonte de consulta


Há referências de que excesso de CO2 produz injúrias devido ao fechamento dos estômatos prejudicando a fotossíntese e pode ainda provocar
queimaduras nas folhas. As quantidades adequadas para a cultura do pepino varia entre 500 a 900 ppm de CO2.
CARACTERIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICO - PROVIDÊNCIAS PREVENTIVAS/CURATIVAS
DANOS/INJÚRIAS – CAUSAS E CONDIÇÕES
NÍVEL DE DANO (ND) – FAVORÁVEIS DA
ESTÁGIO CRÍTICO (EC). PRESENÇA/OCORRÊNC
IA DE
PRAGAS/DOENÇAS/AN
OMALIAS
Plantas mostram Ocorrência de nematóides Controle preventivo e práticas culturais:
prostração, leve nas raízes. Adubação orgânica incorporada no solo antes do plantio.Cuidar para não entrar na
murchamento ou flacidez Meloidogyne javanica, M. lavoura com calçado contaminado.Verificar a fonte de água se não há contaminação.
nas folhas, como que javanica, M. arenaria y M. Uso de cultivares resistentes. Desinfestação do solo em áreas com histórico de
desequilibradas, nanismo, incognita (TYLENCHIDA: nematóide. Plantio de espécies antagonistas de nematóides em rotação de culturas ou
clorose nas folhas e até HETERODERIDAE) consorciadas, como Tagetes, Mucuna, Crotalária, Gramíneas). Uso de mudas sadias
paralisação do (substrato desinfestado).
crescimento, nas horas de Controle biológico:
maior calor. Uso de fungos e bactérias nematófagos.Há no mercado regional do Vale do Taquari um
produto comercial com o nome de BIONEMA.
Controle por métodos físicos:
Esterilização do solo ou substrato com vapor (inviável em lavouras). Solarização do solo
ou substrato durante 30 dias.
Controle químico: Nematicidas.

ANEXOS – IMAGENS – GRAVURAS – DESENHOS – INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES – Fonte de consulta


Gramíneas como Brachiaria decumbens, Eragrostis curvula, Panicum maximum cv. guiné, B.
brizantha e Digitaria decumbens cv. pangola mostraram um efeito antagonista ao nematóide muito
pronunciado. Fonte:(Silamar Ferraz;Leandro Grassi de Freitas).