Você está na página 1de 36

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE – UNINORTE

CURSO DE ARQUITEURA E URBANISMO

REVITALIZAÇÃO DO PARQUE MESTRE CHICO

MANAUS - AM

2019
SAMANTHA PASSOS DE OLIVEIRA MARINHO

REVITALIZAÇÃO DO PARQUE MESTRE CHICO

MANAUS- AM
2019
AGRADECIMENTO

Agradeço aos meus familiares, principalmente a minha mãe Sandra e meu


pai Elton e também os meus irmãos, por terem me dado total apoio nas minhas es-
colhas e sempre me darem forças para prosseguir, que Deus abençoe grandemente
cada um deles.

Agradeço aos intérpretes que me acompanharam nessa caminhada, dentre


elas, Raquel e Amanda por toda a ajuda nas aulas.

Aos meus colegas, em especial Claudiane, Natanael, Mariana, Robson e Ra-


ellen, colegas que se tornaram amigos que vou levar pra sempre em meu coração.

Agradeço também o meu namorado Gregory, que me deu total apoio e me in-
centivou sempre e que ainda continuar a me ajudar muito, fico grata pelo carinho e
amor que tem me dado, sou muito feliz por tê-lo em minha vida, que Deus nos aben-
çoe grandemente. Sempre me ajudando e me acalmando sempre.

E agradeço a todos os professores me ajudaram.

Enfim a todos que contribuíram de alguma forma para minha vitória, muito
obrigada essa conquista.

Que Deus abençoe a todos.


DEDICATÓRIA

Decido a presente monografia a todos os professores do curso e ao orienta-


dor Mauricio do trabalho.

Aos meus pais Elton e Sandra que são base da minha vida, á minha família,
amigos e meu namorado por todo apoio nessa etapa fundamental na minha vida.
Sumário

TEMA ............................................................................................................ 9

DELIMITAÇÃO DO TEMA ............................................................................. 9

FORMULAÇÃO DO PROBLEMA ................................................................................ 9

OBJETIVOS ................................................................................................................ 9

OBJETIVO GERAL ....................................................................................... 9

OBJETIVO ESPECÍFICO .............................................................................. 9

JUSTIFICATIVA DO PROJETO .................................................................................. 9

METODOLOGIA DE PESQUISA .............................................................................. 10

ESTUDOS DE CASOS ............................................................................................. 10

CASO NACIONAL - ALPAPATO, Anna Laura Parques Para Todo, São


Paulo, SP. .............................................................................................................. 10

CASO INTERNACIONAL - Parque Klyde Warren / The Office of James


Burnett, DALLAS, EUA. ......................................................................................... 13

CASO INTERNACIONAL – Projeto urbanístico: o rio Cheonggyecheon,


Seul, Coreia do Sul. ............................................................................................... 19

ESCOLHA E JUSTIFICATIVA DO TERRENO .......................................................... 24

HISTÓRICO DO BAIRRO ........................................................................... 25

HISTÓRICO DO PARQUE MESTRE CHICO ............................................. 27

ATUALMENTE NO IGARAPÉ MESTRE CHICO ........................................ 28

USO E OCUPAÇÃO DO SOLO ................................................................................ 30

TIPOLOGIA ............................................................................................................... 31

GABARITO DE ALTURA ........................................................................................... 32

SISTEMA VIÁRIO ..................................................................................................... 33

TOPOGRAFIA DO TERRENO .................................................................................. 34

ESTUDO PRELIMINAR ............................................................................................ 34


PROGRAMA DE NECESSIDADES E PRÉ-DIMENSIONAMENTO ............ 34

ESBOÇO DO PROJETO ........................................................................................... 35

CONCLUSÃo ............................................................................................................ 36

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .......................................................................... 37


TEMÁTICA

Projeto Urbanístico de um parque linear acessível

TEMA
Parque linear acessível

DELIMITAÇÃO DO TEMA
Parque linear acessível se encontra no Bairro Centro, localizado na Zona
Centro da cidade de Manaus.

FORMULAÇÃO DO PROBLEMA

A Zona Centro de Manaus possui as áreas de lazer mais antigas por conta
do centro histórico. A procura por lugares de lazer para a prática de esporte e de
passeios está se tornado cada vez mais importante nas cidades, tanto pelo seu uso
quanto pelo meio ambiente. Além disso, o público portador de deficiência sofre bas-
tante com a falta de locais apropriados na cidade. Por isso, a qualidade espacial de
um parque para atender todos os públicos é um grande avanço para a cidade e
seus habitantes, proporcionado assim melhoras nas áreas de lazer e meio urbano.

OBJETIVOS

OBJETIVO GERAL

Elaborar um parque linear acessível, proporcionando um espaço de lazer e


interatividade para toda população, além de usar o paisagismo como melhoria do
local em relação a beleza e meio ambiente.

OBJETIVO ESPECÍFICO

Proporcionar um ambiente estruturado para que o PCD possa se sentir aco-


lhido nas áreas de lazer da cidade.

Oferecer estrutura no parque de acordo com as normas, leis de inclusão e a


acessibilidade.

Permitir à convivência das pessoas a socialização, favorecendo autoestima


e bem estar e saúde aos usuários.

JUSTIFICATIVA DO PROJETO

Atualmente os parques estão sendo cada vez mais requisitados nas cidades,
pois proporcionam saúde física e mental aos moradores. Seus espaços oferecem
9
não só de socialização, mas também de lazer, atividades físicas e mantais entre
seus usuários.

O parque visa promover o bem-estar social, incentivando o uso de atividades


que possam melhorar e aproximar pessoas com e sem deficiência física, proporci-
onando em um ambiente agradáveis soluções que propiciem conforto e divertimen-
to aos que frequentam o local.

A escolha do tema e local da implantação desde trabalho, o Parque linear


acessível, como forma de inclusão social, percebemos a falta de ambientes de la-
zer, falta de acessibilidade, tornar um parque linear acessível de várias atividades
de pesquisa população melhorando o aprendizado e incentivando.

METODOLOGIA DE PESQUISA

A medologia do trabalho partiu das pesquisas, tantos textos históricos, evo-


lução do munícipio, mapas locais, levantamentos de dados, projetos paisagístico
sobre arquitetura inclusiva, acessibilidade, encontradas em calçada e sinalizações
buscando suas qualidades e problemas, será realizado estudos sobre localização,
mapa de uso e ocupação solo, infraestrutura e também para realizar atividade será
detalhando com planta e programa como o autoCAD e perspectivas em 3D para
apresentação da monografia.

ESTUDOS DE CASOS

CASO NACIONAL - ALPAPATO, Anna Laura Parques Para Todo, São


Paulo, SP.

Aspectos Contextuais

O Projeto Anna Laura parques para todos foi inaugurada no dia 25.01.2014,
é um espaço que disponibiliza estrutura que proporcionam alegria, integração e
desafios para todos. O parque fica localizado na Rua Taquari 549 em São Paulo,
SP. O horário do funcionamento é segundas, quartas e sextas das 10h00 às 12h00
e terças e quintas das 15h00 às 17h00.

10
Figura 1 - Implantação do parque Mooca, AACD.

Fonte: http://annalaura.org.br/plantas/, 2019.

Figura 2 - Vista de satélite do parque Mooca, AACD.

Fonte: Google Maps, 2019.

Aspectos Funcionais

O projeto foi criado para tornar brinquedos acessíveis às crianças com e


sem deficiência.
No parque existem ao todo 15 brinquedos adaptados, são ideias para a re-
cuperação e desenvolvimento de forma lúdica dos usuários, sendo eles: balanço
duplo dois assentos astronauta, balanço frontal, balanço ciça, balanço gafanhoto,
cobrinha, escorregador taquari, bancada de areia borboleta, mola coletiva girassol,
painel ábaco, painel espelho caleidoscópio, painel pictograma, painel xilofone, tre-
pa -trepa U invertido com 12 arcos e ginger azul.

11
Figura 3 - Balanço frontal

Fonte: http://annalaura.org.br/brinquedos/.

Figura 4 - Balanço duplo dois assentos astronauta

Fonte: http://annalaura.org.br/brinquedos/.

12
Os objetivos básicos do projeto Anna Laura parques para todo são:

SOCIALIZAÇÃO - Permitir a convivência de crianças com e sem deficiência

TERAPIA - Cada aparelho trabalha uma ou mais funções relacionadas a di-


versas deficiências

LAZER - Oferecer espaços de recreação acessíveis a todas as crianças

TECNOLOGIA - Criar e ofertar sem ônus, tecnologia de parques acessíveis


ao ar livre para todos.

NÚCLEO DE AÇÃO - Criar polos de ação e de eventos para crianças com e


sem deficiências

“Os brinquedos do Parque Anna Laura são desenvolvidos para que crianças
com mobilidade reduzida e/ou alterações sensoriais e intelectuais tenham a opor-
tunidade de brincar de forma segura e ampliar experiências motoras, cognitivas e
sensoriais, gerando sensações prazerosas que favorecem a melhora da autoesti-
ma, promovendo a acessibilidade social, caminho que conduz a uma sociedade
sem preconceitos.” (LETÍCIA LEITE (acesse)).

Aspectos Estéticos

“Visitar um parque não acessível para uma criança com deficiência pode ser
frustrante, assim, quem tem acesso a um parque acessível como o „Anna Laura‟
voltará sempre, pois além de todos os benefícios que ele proporciona ainda é um
parque bonito, com paisagismo, que muda a experiência dos pais e permite que a
criança brinque em um lugar que seguro”, conclui. (Letícia Leite apud. Rodolfo).

Aspectos Construtivos

“O Projeto disponibiliza espaços estruturados que proporcionam alegria, in-


tegração, motivação para todos, uma vez que é composto por diversos recursos
lúdicos que propiciam às crianças com e sem deficiência um momento de troca ao
compartilharem as mesmas experiências.”

CASO INTERNACIONAL - Parque Klyde Warren / The Office of James Bur-


nett, DALLAS, EUA.

Aspectos Contextuais

“Projetado pelo The Office of James Burnett, o Parque Klyde Warren serve
como um local central de encontro para os moradores e visitantes de Dallas, para
desfrutar o coração da cidade. O parque de 5,2 hectares cria um espaço verde ur-
13
bano existente sobre o Woodall Rodgers Freeway entre as ruas Pearl e St. Paul, no
centro de Dallas, sendo inaugurado em 2012.” (ARCHIDALY,2012).

Figura 5 - Vista aérea do parque Klyde Warren completo.

Fonte: Aerial Photography, Inc, 2012.

Aspectos Funcionais

“O parque inclui um palco para espetáculos, restaurante, parque para cães,


parque infantil, um grande gramado, instalações de água, jardins texanos nativos,
caminhos sombreados para pedestres, uma área para jogos e muito mais. Além
disso, está planejado para ser um centro de atividades com quatro a cinco eventos
por dia. A programação será livre e varia de yoga a boot camp, aulas de dança e
torneios de xadrez, para as noites de cinema e concertos ao ar livre.” (ARCHDA-
ILY, 2012).

14
Figura 6 - implantação do projeto do parque Klyde Warren.

Dil-
Fonte: lon Diers Photography, 2012.

Figura 7 - Prática de atividade no parque, exemplo: yoga.

Fonte: Dillon Diers Photograph, 2012.

Aspectos Estéticos

"Nós criamos o Parque para ser apreciado por todos", disse James Burnett,
fundador e presidente do The Office of James Burnett. “O parque foi concebido
como uma série de salas ao ar livre que estão em constante mudança e que são
fascinantes para os visitantes”. (ARCHDAILY, 2012)

15
Figura 8 - Vista da paisagem de uma das partes do parque.

Fonte: Dillon Diers Photograph, 2012.

Figura 9 - Vista dos passeios e áreas contemplativas do parque.

Fonte: Klyde Warren Park - Dallas - Tourism Media.

16
Aspectos Construtivos

“Caminhe pelo Chase Promenade para um percurso panorâmico ou si-


ga a Hart Boulevard, com suas várias instalações de água, para chegar à
área artística de Dallas. Siga a calçada em granito para chegar ao Jardim
Botânico da cidade ou leve as crianças para as áreas dedicadas a atividades
infantis do parque.”

Figura 10 - Ligação natural entre a área artística do centro.

Fonte: Klyde Warren Park - Dallas - Tourism Media.

“Várias atrações do parque são acessíveis pelas várias pistas de caminhada


que percorrem o local.”

17
Figura 11 - Áreas de mesas e campo aberto de grama.

Fonte: Klyde Warren Park - Dallas - Tourism Media.

Aspectos Ambientais
“O aumento do tráfego de pedestres deve ser o catalisador para as institui-
ções em torno das artes e abrirá oportunidades de negócio ao nível da rua. O Par-
que Klyde Warren também promoverá o uso dos pedestres, também o uso de pa-
tins e bicicletas, entre o Downtown, Uptown e Arts District, contribuindo para um
centro da cidade mais tranquilo. Conectividade é o conceito central para o propósi-
to do Parque.” (ARCHDAILY, 2012).
Figura 12 - Vista aérea do parque Klyde Warren.

Fonte: Dillon Diers Photography, 2012.

18
O interessante é que o objetivo é incentivar os visitantes a deixarem seus
carros em casa, pois o Park conta com as melhores faixas de pedestres e bicicletá-
rios.

CASO INTERNACIONAL – Projeto urbanístico: o rio Cheonggyecheon,


Seul, Coreia do Sul.

Aspectos Contextuais

Cheonggyecheon (em Hangul: 청계천) é um riacho urbanizado localizado


em Seul, Coreia do Sul, que possui em suas margens um moderno espaço público
de recreação. Teve início em 2002 e finalização em 2005.

“Após muitas discussões e planejamento para a restauração do Che-


onggyecheon como um córrego aberto, as obras foram iniciadas em 2002, seguin-
do as concepções do projeto concebido pelo governo metropolitano de Seul, sob a
direção do urbanista e paisagista Yun-Jae Yang, vice-prefeito da cidade.” (Aryane
Lima)
Abaixo vemos a via expressa elevada antes do início da construção de
2003 no projeto de restauração do córrego.

Figura 13 - Via expressa elevada do projeto Cheonggyecheon Stream.

Fonte: Governo Metropolitano de Seul.

“Na ideia de ajudar Seul a se tornar uma cidade moderna e ecologi-


camente correta, a prefeitura tomou como prioridade a eliminação da autoes-

19
trada, demolindo, assim, os leitos carroçáveis que encobriam o rio e todas as
suas vias elevadas.” (Aryane Lima)

Na imagem abaixo vemos o Cheonggyecheon Stream restaurado após a


construção foi concluída em 2005.

Figura 14 - Vista da área do Cheonggyecheon Stream depois de modificado.

Fonte: Governo Metropolitano de Seul.

Aspectos Funcionais

Plano conceitual do local apresentado em 2002 pelo diretor do Centro de


Pesquisa do Instituto de Desenvolvimento de Seul.

Figura 15 - implantação do parque Cheonggyecheon.

Fonte: Plataforma Urbana.

20
“Como uma maneira de otimizar os pequenos negócios realizados na
área adjacente ao rio, foram reconfigurados todas as interações entre os pe-
destres e veículos, modificando seus direitos de passagem.”
Algumas melhorias feitas no projeto são as ruas de pedestre ao longo das
margens; 17 entradas de acesso à orla e 22 pontes de conexão; 3,6 Km de área
verde contínua para pedestres e ciclistas; Investimento no transporte público e me-
lhoria na malha viária;

Aspectos Estéticos

“Com a abertura e ampliação do rio, foram introduzidos instalações de


artes públicas, espaços para o pedestre, com corredores que variavam em
sua forma de cruzar o córrego, a plantação de novas árvores ao longo de
toda a sua extensão e implantação de um centro comunitário.” (Aryane Lima)

Figura 16 - Comparação com as três fases do projeto: antes, durante e depois.

Fonte: Namsung.

21
Figura 17 - Caminhos que possuem o Rio Cheonggyecheon.

Fonte: Rio Cheonggyecheon, Seul. Fonte: Wikimedia.org

Aspectos Construtivos
As pedras naturais são usadas para criar passagens para pedestres e ajudar
a regular a velocidade e os níveis da água e vários pontos ao longo do riacho.

Figura 18 - Área com caminhos de pedras naturais no parque.

Fonte: Alexander Robinson

22
Paredes em socalcos fornecem espaço para arte pública e permitem acesso,
mesmo quando os níveis da água variam.

Figura 19 - Paredes usadas para amostra de artes públicas.

Fonte: Alexander Robinson

Aspectos Ambientais
“Além de desenterrar o córrego, foi aberto cerca de 20% a mais da sua lar-
gura anterior, levando em conta grande possíveis cheia.” (Aryane Lima)
Áreas de água mais lenta ou parada são construídas no córrego para melhor
apoiar a biodiversidade das aves e da vida aquática.

Figura 20 -Áreas construídas para manter a biodiversidade.

Fonte: Alexander Robinson

23
Oferece proteção contra inundações por até 200 anos e pode sustentar uma
taxa de fluxo de 118 mm / h.

Aumento da biodiversidade geral em 639% entre os trabalhos de pré-


restauração em 2003 e o final de 2008, com o número de espécies de plantas au-
mentando de 62 para 308, espécies de peixes de 4 a 25, espécies de aves de 6 a
36, espécies de invertebrados aquáticos de 5 a 53, espécies de insetos de 15 a
192, mamíferos de 2 a 4 e anfíbios de 4 a 8.

Reduz o efeito de ilha de calor urbano com temperaturas ao longo do fluxo


de 3,3 ° a 5,9 ° C mais frias do que em uma estrada paralela a 4-7 quadras de dis-
tância. Isso resulta da remoção da via expressa pavimentada, do efeito de resfria-
mento do córrego, do aumento da vegetação, da redução de viagens automáticas e
de um aumento de 2,2 a 7,8% na velocidade do vento que se move pelo corredor.

Redução da poluição do ar por partículas pequenas em 35%, de 74 para 48


microgramas por metro cúbico. Antes da restauração, os moradores da área tinham
duas vezes mais chances de sofrer de doenças respiratórias do que os de outras
partes da cidade.

ESCOLHA E JUSTIFICATIVA DO TERRENO

A escolha do bairro foi o Centro da cidade, localizado na Zona Centro, no se-


tor 1, com acesso pela Avenida Lourenço da Silva Braga, Rua Gen. Glisério e ave-
nida Ipixuna.

O terreno foi escolhido através dos problemas internos que enfrenta atual-
mente, sendo principalmente pela sua falta de cuidado e uso, além disso, os espa-
ços públicos pensados para usuários com necessidades especiais deixam a dese-
jar em Manaus, a localização privilegiada e histórica da região ajuda não só o uso
para o bem comum, como recupera um local importante na cidade, com isso, o ob-
jetivo é abrange maior público, aproveitando-se da facilidade de acesso pelas ave-
nidas.

A fim de implantar o novo projeto na área que possibilitasse espaços que


possam igualar o uso para todos. O Parque será construído num terreno de
59.592m², observe abaixo:

24
Figura 21 - Vista Satélite do terreno usado.

Fonte: Google Earth, 2019.

HISTÓRICO DO BAIRRO

A história do centro de Manaus começou desde 1791 às margens do rio Ne-


gro, a partir do momento em que houve a mudança da sede da Capitania de São
José da Barra do Rio Negro, da cidade de Barcelos, antiga Mariuá, para a ilha de
São Vicente, onde hoje está localizado o 9º Comando Naval, sob o comando do
vice-almirante Domingos Sávio Almeida Nogueira.
Figura 22 - Manaus antiga, 1900, O Centro Histórico possui edificações do início do século.

Fonte: No amazonas é assim, 2014.

25
De acordo com o historiador Gaitano Antonaccio, essa urbanização iniciou
às margens do Rio Negro, em razão do clima quente. Depois se expandiu em dire-
ção à praia do mercado, onde os sírios-libaneses tornaram-se responsáveis pela
implantação de casas comerciais e residências que vêm desde o final do século 19.

Localizado na Zona Sul de Manaus, o Centro faz limites com os bairros Ca-
choeirinha, Praça 14 de Janeiro, Nossa Senhora das Graças, São Geraldo, Presi-
dente Vargas e Aparecida, tornando-se separado dos bairros de São Raimundo e
Glória pelo igarapé do São Raimundo e do Educandos, pelo igarapé homônimo.

Figura 23 - Vista em Mapa do bairro Centro em Manaus – AM.

Fonte: Google Maps, 2019.

Está erguido no centro de Manaus o Teatro Amazonas, o Tribunal de Justi-


ça; o Mercado Adolpho Lisboa; o Palácio Rio Negro; o Porto de Manaus; o prédio
da Alfândega com a Guardamoria; o Relógio Municipal; a catedral de Nossa Se-
nhora da Conceição; as igrejas de Nossa Senhora dos Remédios; de São Sebasti-
ão; de Nossa Senhora Auxiliadora; o Colégio Estadual do Amazonas; o prédio da
antiga Faculdade de Direito do Amazonas; o Palacete Provincial; o prédio do Cen-
tro de Artes Chaminé; o Colégio Dom Bosco com sua Igreja, o Paço da Liberdade,
o Palácio Rio Branco, a Santa Casa de Manaus de Misericórdia; o Atlético Rio Ne-
gro Clube e etc.

26
HISTÓRICO DO PARQUE MESTRE CHICO

Figura 24 - Imagem da ponte e residências antes do Parque Mestre Chico.

Fonte: Tibor Jablonsky e Lúcio de Castro. IBGE

Igarapé do Mestre Chico, 1953. A Ponte Benjamim Constant fora reconstruí-


da em 1938 durante o governo de Álvaro Maia. No igarapé, as palafitas que passa-
riam a dominar a paisagem até a construção do Largo do Figura: Mestre Chico
(2009). Ao fundo, à direita, o prédio do tradicional Centro Educacional Santa Tere-
sinha.

Figura 25 - Garapé do Mestre Chico antigamente.

Fonte: Paulo Downey

27
ATUALMENTE NO IGARAPÉ MESTRE CHICO
O Largo do Mestre Chico foi o primeiro dos parques a serem entregues co-
mo parte dos resultados do Prosamim. Localizado já no fim do centro histórico da
cidade, o Largo ocupa uma área que há alguns anos era povoada por uma densa
favela de palafitas. O que se vê hoje é um dos maiores exemplos de revitalização
de um espaço público.

Figura 26 - Inícios das obras no Igarapé Mestre Chico

Fonte: Durango Duarte. Acervo: Fotos Aéreas Manaus – 2007.

O igarapé do Mestre Chico, que dá nome ao Largo, foi parcialmente aterrado


e deu lugar a uma extensa área de lazer, com quadras poliesportivas, trilhas para
caminhada, ciclovia, parquinhos para crianças e diversos bares e lanchonetes.

Figura 27 - Vista aérea do Parque Mestre Chico em Manaus.

Fonte: Alfredo Fernandes

28
Como principal atrativo do Largo, reina a imponente Ponte Benjamin Cons-
tant. Também conhecida como Ponte de Ferro, Ponte dos Ingleses ou ainda Ter-
ceira Ponte, ela corria sérios riscos de desabamento há alguns anos, mas hoje se
encontra restaurada em sua totalidade. A visão que se tem dela à noite, completa-
mente iluminada, é uma das mais bonitas de toda a cidade.
Destaque também para as fachadas à esquerda do Largo. De longe, pare-
cem casas históricas. Mas à medida que nos aproximamos percebe-se que são
pinturas, feitas sobre o muro da centenária Cadeia Municipal Raimundo Vidal Pes-
soa.

Figura 28 - Vista de um dos atrativos do parque, a Ponte Benjamin Constant.

Fonte: Fronteira Mao

29
USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

Figura 29 - Mapa do Uso e Oupaçao do entorno do terreno.

Fonte: AutoCAD, 2017.

30
TIPOLOGIA

Figura 30 - Mapa da tipologia do entorno do terreno

Fonte: AutoCAD, 2017.

31
GABARITO DE ALTURA

Figura 31 - Mapa do Gabarito de Altura do entorno do terreno

Fonte: AutoCAD, 2017.

32
SISTEMA VIÁRIO

Figura 32 - Mapa do Sistema Viário do entorno do terreno

Fonte: AutoCAD, 2017.

33
TOPOGRAFIA DO TERRENO

Figura 33 - Mapa de Topografia do entorno do terreno

Fonte: AutoCAD, 2017.

ESTUDO PRELIMINAR

PROGRAMA DE NECESSIDADES E PRÉ-DIMENSIONAMENTO

Tabela 1 - Programa de necessidades e pre - dimensionamento

PROGRAMA QUANTIDADE ÁREA (M²) ÁREA TOTAL


BANHEIROS PCD 2 12 m² 24 m²
PLAYGROUND 3 11,59 m² 34,77 m²
QUADRA DE FUTSAL 2 40 m² 80 m²
QUADRA DE AREIA 2 24 m² 48 m²
QUADRA POLIESPORTIVA 2 43,00 m² 86 m²
34
JARDIM SENSORIAL 5 4 m² 20 m²
ACADEMIA AO AR LIVRE 2 21,66 m² 43,32 m²
CICLOVIA 1 2 m² 2 m²
PISTA DE CAMINHADA 1 2 m² 2 m²
AREA ZEN 1 5 m² 5 m²
ESTACIONAMENTO 14 7,5 m² 105 m²
ÁREA LIVRE 1 5 m² 5m²
TOTAL DE ÁREA

ESBOÇO DO PROJETO

Fonte: AutoCAD,2017.

35
CONCLUSÃO

No presente trabalho conclui-se que a implantação de um parque acessível


na cidade, trará melhorias não só para seus habitantes como também para o meio
ambiental, já que vemos poucos dessas áreas existentes em Manaus. Além disso,
o terreno escolhido se localiza em uma área de valor histórico que possui diversas
áreas verdes desde seu fundamento, o que faz com que ela seja bastante utilizada
pelas pessoas que passam ou moram próximo ao local.

O Parque será construído no Bairro Centro numa área de 59.592m², que


possui boa infraestrutura e acesso, entretanto, o principal foco deste trabalho é
propor uma necessidade de atender a população dentro do parque. Durante o per-
curso desse trabalho, a utilidade de construir um parque acessível, sendo ele um
local de lazer ou de atividades para pessoas deficientes, significa um método de
desenvolvimento para a cidade e sua população.

36
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

O EUDORADO É AQUI. DISPONÍVEL EM: <


HTTP://OELDORADOEAQUI.BLOGSPOT.COM/2010/08/LARGO-DO-MESTRE-CHICO-
MANAUS.HTML>. ACESSO EM 25 DE SETEMBRO DE 2019.

PARQUE ANNA LAURA. DISPONÍVEL EM: < HTTP://ANNALAURA.ORG.BR/.HTML>. ACESSO EM


30 DE SETEMBRO DE 2019

IDD. DISPONÍVEL EM:< HTTPS://IDD.ORG.BR/ACERVO/IGARAPE-MESTRE-CHICO/

>. ACESSO EM 10 DE OUTUBRO DE 2019.

MANAUS DE ANTIGAMENTE. DISPONÍVEL EM:


<https://www.facebook.com/Manausdeantigamente/photos/a.423507407712723/13
32154773514644/?type=1&theater>. ACESSO EM 15 DE OUTUBRO DE 2019.

MANAUS DE ANTIGAMENTE. DISPONÍVEL EM: <


https://www.facebook.com/Manausdeantigamente/photos/a.423507407712723/648
784531851675/?type=1&theater>. ACESSO EM 15 DE OUTUBRO DE 2019.

DESCOBRINDO O AMAZONAS. DISPONÍVEL EM: <


HTTPS://DESCOBRINDOOAMAZONAS.WEBS.COM/LARGODOMESTRECHICO.HTM>. ACESSO EM
25 DE OUTUBRO DE 2019

NO AMAZONAS É ASSIM. DISPONÍVEL EM: < HTTPS://NOAMAZONASEASSIM.COM/VIDEOS-


ANTIGOS-DE-MANAUS/>. ACESSO EM 25 DE OUTUBRO DE 2019

PARQUE KLYDE W ARREN / THE OFFICE OF JAMES BURNETT" [KLYDE W ARREN PARK / THE
OF-FICE OF JAMES BURNETT] 22 DEZ 2012. ARCHDAILY BRASIL. (TRAD. DELAQUA, VIC-
TOR) ACES-SADO 10 NOV 2019. <HTTPS://WWW .ARCHDAILY.COM.BR/85701/PARQUE-
KLYDE-WARREN-SLASH-THE-OFFICE-OF-JAMES-BURNETT> ISSN 0719-8906

Parque Klyde Warren / The Office of James Burnett" [Klyde Warren Park / The Of-
fice of James Burnett] 22 Dez 2012. ArchDaily Brasil. (Trad. Delaqua, Victor) Aces-
sado 10 Nov 2019. <https://www.archdaily.com.br/85701/parque-klyde-warren-
slash-the-office-of-james-burnett> ISSN 0719-8906

ARCHDAILY. DISPONÍVEL EM: < HTTPS://WWW.ARCHDAILY.COM.BR/BR/01-168964/OITO-


EXEMPLOS-DE-QUE-E-POSSIVEL-DESPOLUIR-OS-RIOS-URBANOS/>. ACESSO EM 25 DE OU-
TUBRO DE 2019

EXPEDIA. DISPONÍVEL EM: < https://www.expedia.com.br/Klyde-Warren-Park-


Dallas.d6310377.Guia-de-Viagem />. ACESSO EM 28 DE OUTUBRO DE 2019

PROJETO BATENTE. DISPONÍVEL EM: HTTPS://PROJETOBATENTE.COM.BR/PROJETO-DE-


RESTAURACAO-DO-CHEONGGYECHEON/>. ACESSO EM 30 DE OUTUBRO DE 2019

37
LANDSCA PEPERFORMANCE. DISPONÍVEL EM: <
HTTPS://WWW .LANDSCAPEPERFORMANCE.ORG/CASE-STUDY-BRIEFS/CHEONGGYECHEON-
STREAM-RESTORATION />. ACESSO EM 25 DE OUTUBRO DE 2019

ARCHDAILY. DISPONÍVEL EM: < https://www.archdaily.com.br/br/01-168964/oito-


exemplos-de-que-e-possivel-despoluir-os-rios-urbanos/>. ACESSO EM 25 DE OUTU-
BRO DE 2019

38