Você está na página 1de 12

EAOF – 2018

PORTUGUÊS 06

“Tempos difíceis não são tempos para parar de tentar.”

(Miley Cyrus)

MCA concursos - PAIXÃO PELO SEU FUTURO!


mcaconcursos.com
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO

REFERENTE
6

EMISSOR ▬▬▬ MENSAGEM ▬▬▬ RECEPTOR


1 2 3
∕ \
CÓDIGO CANAL
5 4

1) emissor: é aquele que envia a mensagem (pode ser uma única pessoa ou um grupo de pessoas).

2) mensagem: é o conteúdo (assunto) das informações que ora são transmitidas.

3) receptor: é aquele a quem a mensagem é endereçada (um indivíduo ou um grupo), também conhecido como
destinatário.

4) canal de comunicação: é o meio pelo qual a mensagem é transmitida.

5) código: é o conjunto de signos e de regras de combinação desses signos utilizado para elaborar a mensagem: o emissor
codifica aquilo que o receptor irá decodificar.

6) referente: é o objeto ou a situação a que a mensagem se refere.

FUNÇÕES DA LINGUAGEM

1 – FUNÇÃO EMOTIVA ou EXPRESSIVA: Associa-se diretamente ao EMISSOR. Caracteriza-se pela transmissão de emoções,
sentimentos, sensações, opiniões, pontos de vista, julgamentos etc. relacionados ao sujeito-emissor. Há, como
característica básica, embora não necessária, o predomínio da primeira pessoa verbal (EU/NÓS), bem como o emprego
frequente de interjeições e exclamações. Podem-se citar, como bons exemplos, as confissões, as cartas de amor
apaixonadas, poemas líricos em primeira pessoa etc.

Síntese:

➢ Subjetividade – predomínio da primeira pessoa (do singular – eu ou do plural – nós)


➢ Visão intimista
➢ Unilateralidade
➢ Preocupação com o “eu”
➢ Opiniões e relatos pessoais

2 – FUNÇÃO POÉTICA: Liga-se à própria MENSAGEM e se caracteriza pela ênfase da mensagem em si mesma de modo a que
seja, ela própria, uma espécie de obra de arte, construída por uma linguagem especialmente elaborada. O melhor exemplo
são textos artísticos de modo geral.

Síntese:

➢ Preocupação estética
➢ Linguagem repleta de figuras
➢ Combinações sonoras, visuais
➢ Provoca impacto quer seja visual, emotivo ou mesmo sonoro
➢ Jogo de palavras
➢ Pode agir conjuntamente em quase todas as outras funções

3 – FUNÇÃO APELATIVA ou CONATIVA: É a que se liga ao RECEPTOR no processo da comunicação procurando persuadi-lo,
seduzi-lo, convencê-lo, enganá-lo, etc. Há um certo predomínio de sujeito-receptor (TU/VÓS, VOCÊS, VOSSA SENHORIA...).
Bons exemplos são a linguagem publicitária, a linguagem dos vendedores, as “cantadas” e, em muitos casos, a linguagem
dos professores em sala de aula.

2
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

Síntese:

➢ Verbos no imperativo
➢ Orações optativas (expressam desejos)
➢ Referência direta ao receptor
➢ Predomínio da 2ª Pessoa
➢ Interação através de ponto de interrogação e, muito raramente, exclamação.
➢ Mudar hábitos / Influenciar
➢ Convencer / Persuadir

4 – FUNÇÃO FÁTICA: Associa-se ao CANAL da comunicação, verificando se está em funcionamento, ligando-o ou desligando-
o. Caracterizam-na mensagens que, única e simplesmente, façam uma espécie de “exame” do canal. Alguns exemplos são
saudações e cumprimentos diários como BOM DIA! COMO VAI? TUDO BEM? Chavões telefônicos como ALÔ, ESTÁ ME OUVINDO?
POSSO FALAR?, etc.

Síntese:

➢ Testar o canal de comunicação


➢ Avaliar o nível de entendimento

5 – FUNÇÃO METALINGUÍSTICA: Relaciona-se ao próprio CÓDIGO de comunicação linguística (VERBAL ou NÃO-VERBAL) que
estiver sendo utilizado. Caracteriza-se pela referência da linguagem a si mesma ou pela referência de um tipo de linguagem
a outro. Alguns exemplos são a crítica literária, metapoemas (poemas que se referem à própria poesia), dicionários em
geral, etc.

Síntese:

➢ Código abordando o próprio código


➢ Poema que fala de poema
➢ Música que fala de música
➢ Teatro que fala de teatro

6 – FUNÇÃO REFERENCIAL, INFORMATIVA, COGNITIVA, DISSERTATIVA, DENOTATIVA, TÉCNICA , JORNALÍSTICA: Liga-se ao


assunto, ao REFERENTE, ao contexto. Sua característica mais fundamental é a transmissão de informações e
conhecimentos. Como exemplos essenciais têm-se a linguagem dos jornalistas, os livros didáticos, aulas, palestras,
conferências, etc.

Síntese:

➢ Objetividade
➢ Ênfase na informação
➢ Conhecimento e esclarecimento
➢ Linguagem denotativa (predomínio)
➢ Visão universal
➢ Preferência pela 3ª pessoa
➢ Teses, textos jornalísticos, científicos
EXERCÍCIOS
1) Desabafo
Desculpem-me, mas não dá pra fazer uma cronicazinha divertida hoje. Simplesmente não dá. Não tem como disfarçar: esta
é uma típica manhã de segunda-feira. A começar pela luz acesa da sala que esqueci ontem à noite. Seis recados para serem
respondidos na secretária eletrônica. Recados chatos. Contas para pagar que venceram ontem. Estou nervoso. Estou
zangado. CARNEIRO, J. E. Veja, 11 set. 2002 (fragmento).

Nos textos em geral, é comum a manifestação simultânea de várias funções da linguagem, com o predomínio, entretanto,
de uma sobre as outras. No fragmento da crônica Desabafo, a função da linguagem predominante é a emotiva ou
expressiva, pois
a) o discurso do enunciador tem como foco o próprio código.
b) a atitude do enunciador se sobrepõe àquilo que está sendo dito.
c) o interlocutor é o foco do enunciador na construção da mensagem.
d) o referente é o elemento que se sobressai em detrimento dos demais.
e) o enunciador tem como objetivo principal a manutenção da comunicação.
3
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

2) Aula de Português
A linguagem
na ponta da língua
tão fácil de falar
e de entender.
A linguagem
na superfície estrelada de letras,
sabe lá o que quer dizer?
Professor Carlos Góis, ele é quem sabe,
e vai desmatando
o amazonas de minha ignorância.
Figuras de gramática, esquipáticas,
atropelam-me, aturdem-me, sequestram-me.
Já esqueci a língua em que comia,
em que pedia para ir lá fora,
em que levava e dava pontapé,
a língua, breve língua entrecortada
do namoro com a priminha.
O português são dois; o outro, mistério.
Carlos Drummond de Andrade. Esquecer para lembrar. Rio de Janeiro: José Olympio, 1979.

Explorando a função emotiva da linguagem, o poeta expressa o contraste entre marcas de variação de usos da linguagem
em
a) situações formais e informais.
b) diferentes regiões dos pais.
c) escolas literárias distintas.
d) textos técnicos e poéticos.
e) diferentes épocas.

3) Assinale a alternativa que contenha a sequência correta sobre as funções da linguagem, importantes elementos da
comunicação:

1. Ênfase no emissor (lª pessoa) e na expressão direta de suas emoções e atitudes.

2. Evidencia o assunto, o objeto, os fatos, os juízos. É a linguagem da comunicação.

3. Busca mobilizar a atenção do receptor, produzindo um apelo ou uma ordem.


4. Ênfase no canal para checar sua recepção ou para manter a conexão entre os falantes.

5. Visa à tradução do código ou à elaboração do discurso, seja ele linguístico ou extralinguístico.

6. Voltada para o processo de estruturação da mensagem e para seus próprios constituintes, tendo em vista produzir um
efeito estético.

( ) função metalinguística.
( ) função poética.
( ) função referencial.
( ) função fática.
( ) função conativa.
( ) função emotiva.

a) 1, 2, 4, 3, 6, 5.
b) 5, 2, 6, 4, 3, 1.
c) 5, 6, 2, 4, 3, 1.
d) 6, 5, 2, 4, 3, 1.
e) 3, 5, 2, 4, 6, 1.

4
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

4) Leia a tirinha de Calvin e Haroldo para responder à questão:

As funções da linguagem podem ser encontradas em vários tipos de textos, inclusive nas histórias em quadrinhos. Para
tentar convencer o pai a comprar seu desenho, Calvin empregou uma função de linguagem específica. Assinale a alternativa
que indica a resposta correta:
a) função metalinguística.
b) função fática.
c) função poética.
d) função emotiva.
e) função conativa.

5) Rua na Aclimação amanhece coberta por gelo


A intensa chuva de granizo que caiu sobre a cidade na tarde de domingo (18) deixou a cidade em estado de atenção, que
durou até as 17h35. Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), as chuvas foram mais intensas nas zonas
Sul e Oeste, mas moradores da zona Leste também registraram o fenômeno climático. Placas de gelo formadas . no chão
chamaram a atenção dos paulistanos, que postaram fotos da neve cobrindo as ruas nas redes sociais. No bairro da
Aclimação, no centro, a Rua Pedra Azul amanheceu coberta por gelo nesta segunda-feira (19).
(Fonte: http:/ /vejasp.abril.com.br)

Qual é a função da linguagem que prevalece?


a) Função metalinguística.
b) Função emotiva.
c) Função fática.
d) Função conativa.
e) Função referencial.

6) Assinale a alternativa que indica corretamente a função de linguagem predominante no texto:

“A estação Júlio Prestes, marco histórico e turístico de São Paulo, completou 70 anos nesta semana. Atualmente, o local
abriga a Sala São Paulo, sede da Orquestra Sinfônica do Estado, além de ser o ponto de partida da atual Linha 8 (Júlio
Prestes-Itapevi) da CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos].”

a) emotiva b) apelativa c) referencial d) fática

7) Para transmitir mensagens, é fundamental que haja uma fonte e um destino, distintos no tempo e no espaço. A fonte é a
geradora da mensagem e o destino é o fim para o qual a mensagem se encaminha. Nesse caminho de passagem, o que
possibilita à mensagem caminhar é o canal. Na verdade, o que transita pelo canal são sinais físicos, concretos, codificados.
(Samira Chalhub) No texto acima:
a) resumem-se os papéis desempenhados pelos principais componentes de um sistema de comunicação.
b) demonstra-se como se estabelecem as diferentes funções da linguagem num discurso em prosa.
c) afirma-se que a verdadeira comunicação ocorre quando o falante tem plena consciência dos procedimentos da fala.
d) fica claro que o elemento essencial para qualquer ato de comunicação está no pleno domínio das formas cultas.
e) argumenta-se que a efetividade da comunicação está condicionada pelo tipo de canal em que se decodificará a
mensagem.

8) Quando a intenção do emissor está voltada para a própria mensagem, quer na seleção e combinação das palavras, quer
na estrutura da mensagem, com as mensagens carregadas de significados, temos a função de linguagem denominada
a) fática b) poética c) referencial d) metalinguística

5
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

9) No texto: “Com formato de guarda-chuva aberto, a Chrysaora hypocella pertence à classe dos cifozoários, animais
celentrados, da classe Scyphozoa, aeróspedos, caracterizados por terem medusas grandes, em forma de campânula,
marginadas por tentáculos.”, a função de linguagem predominante é
a) metalinguística.
b) fática.
c) apelativa.
d) expressiva.
e) referencial.

10) A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas
ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que
regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e migrações. DUARTE, M.O guia dos
curiosos. São Paulo: Companhia das Letras.

Predomina no texto a função da linguagem:


a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.
b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.
c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem.
d) conativa, porque o texto procura orientar comportamentos do leitor.
e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.
11) O texto seguinte é de natureza poética. Nele, qual a função secundária da linguagem?

Lutar com as palavras


é a luta mais vã.
Entanto lutamos
mal rompe a manhã.
(Carlos Drummond de Andrade)

a) Função emotiva.
b) Função conativa.
c) Função referencial.
d) Função metalinguística.
e) Função fática.

12) “Ele é feio, mas te leva lá”, afirmava, numa revista americana, em 1969, a frase colocada logo abaixo de uma
fotografia da nave espacial Apolo 11, semelhante a um inseto, que tinha acabado de levar os primeiros homens à Lua. No
canto inferior da página, havia o logotipo da Volkswagen. Tratava-se de uma propaganda do “fusca”, o velho modelo de
automóvel da fábrica, então pouco aceito nos Estados Unidos por ser considerado feio.

Na mensagem destacada, predomina a


a) função emotiva. b) função conativa.
c) função referencial. d) função metalinguística.

13) “Não faças versos sobre acontecimentos.


Não há criação nem morte perante a poesia.
Diante dela, a vida é um sol estático
Não aquece nem ilumina.”

Nos versos acima, de Carlos Drummond de Andrade, além da função poética, que é predominante, destaca-se
a função
a) emotiva b) conativa c) referencial d) metalinguística

14) !Se eu não vejo a mulher que eu mais desejo,


Nada que eu veja vale o que eu não vejo.”

Nesses versos do poeta Bernart de Ventadorn (século XII), vertidos para o português pelo poeta Augusto de Campos, é
evidente o predomínio da função poética da linguagem, notável nos ritmos, nos jogos sonoros e no fraseado. Ao lado dessa
função, destaca-se a presença da
a) função emotiva.
b) função conativa.
c) função referencial.
d) função metalinguística.
e) função fática.

6
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

15) Qual a função da linguagem predominante no texto abaixo, adaptado de uma bula de remédio?
Durante o tratamento com Cloridrato de Benzidamina drágeas e solução oral (gotas), as pessoas mais sensíveis à
benzidamina podem apresentar, ainda que raramente, ansiedade, insônia, agitação, convulsões e alterações visuais. Podem
ocorrer também náusea e sensação de queimação retroesternal. Informe imediatamente o seu médico caso ocorram
reações adversas desagradáveis com o uso do produto.
a) Função emotiva.
b) Função conativa.
c) Função referencial.
d) Função metalinguística.
e) Função poética.

16) Assinale a alternativa em que o(s) termo(s) em negrito do fragmento citado NÃO contém (êm) traço(s) da função
emotiva da linguagem.
a) Os poemas (infelizmente!) não estão nos rótulos de embalagens nem junto aos frascos de remédio.
b) A leitura ganha contornos de “cobaia de laboratório” quando sai de sua significação e cai no ambiente artificial e
na situação inventada.
c) Outras leituras significativas são o rótulo de um produto que se vai comprar, os preços do bem de consumo, o tíquete do
cinema, as placas do ponto de ônibus (...)
d) Ler e escrever são condutas da vida em sociedade. Não são ratinhos mortos (...) prontinhos para ser desmontados
e montados, picadinhos (...)

17) Assinale a alternativa em que a função apelativa da linguagem é a que prevalece:


a) Trago no meu peito um sentimento de solidão sem fim... sem fim...
b) “Não discuto com o destino o que pintar eu assino.”
c) Machado de Assis é um dos maiores escritores brasileiros.
d) Conheça você também a obra desse grande mestre.
e) Semântica é o estudo da significação das palavras.

18) Identifique a frase em que a função predominante da linguagem é a REFERENCIAL:


a) Dona Casemira vivia sozinha com seu cachorrinho.
b) Vem, Dudu!
c) Pobre Dona Casemira...
d) O que ... O que foi que você disse?
e) Um cachorro falando?

19) A função metalinguística predomina em todos os fragmentos, exceto em:


a) “Amo-te como um bicho simplesmente de um amor sem mistério e sem virtude com um desejo maciço e permanente.”
(Vinicius de Morais)
b) “Proponho-me a que não seja complexo o que escreverei, embora obrigada a usar as palavras que vos sustentam.”
(Clarice Lispector)
c) “Não narro mais pelo prazer de saber. Narro pelo gosto de narrar, sopro palavras e mais palavras, componho frases e
mais frases.” (Silviano Santiago)
d) “Agarro o azul do poema pelo fio mais delgado de lã de seu discurso e vou traçando as linhas do relâmpago no vidro
opaco da janela.” (Gilberto Mendonça Teles)
e) Que é Poesia? Uma ilha cercada de palavras por todos os lados.” (Cassiano Ricardo)

20) BILHETE
Se tu me amas,
Se me queres,
ama-me baixinho
enfim,
Não o grites de cima dos telhados
tem de ser bem devagarinho, Amada,
Deixa em paz os passarinhos
que a vida é breve,
Deixa em paz a mim!
e o amor mais breve ainda... (Mário Quintana)

Além da função poética, outra função que se percebe no poema é:


a) função emotiva.
b) função conativa.
c) função referencial.
d) função metalinguística.
e) função fática.
7
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

21)

Considerando a tirinha, pode-se concluir que, nela, está presente a função da linguagem denominada:
a) fática, pois vários termos, embora desprovidos de significado, permitem o início do processo comunicativo.
b) metalinguística, pois se reflete sobre o valor das palavras, isto é, sobre o uso da língua e sua função social.
c) apelativa, pois está ausente a intenção de atingir o receptor com o intuito de modificar o seu comportamento.
d) emotiva, pois o eu lírico pode expressar livremente as emoções com as quais está em conflito.
e) poética, pois o importante é passar as informações de forma clara e objetiva, desprezando-se a preocupação com a
elaboração da linguagem.

22) Leia os seguintes versos:

O todo sem parte não é todo,


a parte sem o todo não é parte;
mas se a parte o faz todo, sendo parte,
não se diga que é parte, sendo o todo.

Nessa estrofe de Gregório de Matos, além da poética, é evidente a presença da função:


a) fática
b) conativa
c) emotiva
d) referencial

23) O texto abaixo apresenta, além de outras funções da linguagem, a função expressiva, por, em certos trechos, orientar-
se para a:

“Olhe, eu podia mesmo contar-lhe a minha vida inteira, em que há outras coisas interessantes, mas para isso era preciso
tempo, ânimo e papel, e eu só tenho papel: o ânimo é frouxo, e o tempo assemelha-se à lamparina de madrugada. Não
tarda o sol do outro dia, um sol dos diabos, impenetrável como a vida. Adeus, meu caro senhor, leia-me isso e queira-me
bem: perdoe-me o que lhe parecer mau, e não maltrate muito a arruda, se lhe não cheira a rosas. Pediu-me um documento
humano e ei-lo aqui. Não me peça também o império do Grão-Mogol, nem a fotografia dos Macabeus, peça, porém, os meus
sapatos de defunto e não os dou a ninguém mais.” (Machado de Assis. O enfermeiro.)

a) primeira pessoa do discurso.


b) segunda pessoa do discurso.
c) terceira pessoa do discurso.
d) mensagem por ele mesma.
e) explicação da linguagem.

TEXTO I

Mulher Assassinada

Policiais que faziam a ronda no centro da cidade encontraram, na madrugada de ontem, perto da Praça da Sé, o corpo de
uma mulher aparentando 30 anos de idade. Segundo depoimento de pessoas que trabalham em bares próximos, trata-se de
uma prostituta conhecida como Põe Nenê. Ela foi assassinada a golpes de faca. A polícia descarta a hipótese de assalto,
pois sua bolsa, com a carteira de dinheiro, foi encontrada junto ao corpo. O caso está sendo investigado pelo delegado do
2º distrito policial. (Jornal da Cidade)

8
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

TEXTO II
Pequena Crônica Policial

Jazia no chão, sem vida,


E estava toda pintada!
Nem a morte lhe emprestava
A sua grave beleza...
Com fria curiosidade,
Vinha gente a espiar-lhe a cara,
As fundas marcas da idade,
Das canseiras, da bebida...
[...]
Sem nada saber da vida,
De vícios ou de perigos,
Sem nada saber de nada...
Com sua trança comprida,
Os seus sonhos de menina,
Os seus sapatos antigos! (Mário Quintana)

24) Os textos I e II trazem certa semelhança entre si. O que há de semelhante nos textos acima?
a) A temática.
b) A organização da linguagem.
c) A forma de abordagem ao tema.
d) A intenção discursiva.
e) O posicionamento do narrador diante a matéria narrada.

25) Que aspectos distinguem os textos I e II, a partir da análise dos mesmos, considerando sua linguagem?
a) denotação – função referencial (texto II).
b) função poética – ênfase no assunto (texto II).
c) criatividade linguística – função poética (texto II).
d) ênfase na mensagem – função referencial (texto I).
e) texto jornalístico – Ênfase no leitor (texto I).

O texto abaixo será utilizado nas questões 26 e 27

TEXTO III
Nova Poética

Vou lançar a teoria do poeta sórdido.


Poeta sórdido:
Aquele em cuja poesia há a marca suja da vida.
Vai um sujeito,
Saí um sujeito de casa com a roupa de brim branco
[muito bem engomada, e na primeira esquina passa um
[caminhão, salpica-lhe o paletó ou a calça de uma nódoa de lama:
É a vida
O poema deve ser como a nódoa no brim:
Fazer o leitor satisfeito de si dar o desespero [...]
(M. Bandeira)

26) As funções de linguagem predominante no Texto III são:


a) Poética e metalinguística.
b) Conativa e referencial.
c) Referencial e emotiva.
d) Metalinguística e conativa.
e) Emotiva e referencial.

27) As funções de linguagem predominantes no texto acima se justificam pelos seguintes fatores.
a) sentimentalismo e informatividade.
b) metadiscursividade e interpelação ao leitor.
c) informatividade e sentimentalismo.
d) interpelação ao leitor e informatividade.
e) criatividade linguística e metadiscursividade.
9
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

28) Leia a estrofe abaixo:

"Oh! ter vinte anos sem gozar de leve


A ventura de uma alma de donzela!
E sem na vida ter sentido nunca
Na suave atração de um róseo corpo
Meus olhos turvos se fechar de gozo!”
(Álvares de Azevedo)

A presença da interjeição, as exclamações e a 1ª pessoa gramatical identificam no texto a função da linguagem:


a) Poética.
b) Conativa.
c) Referencial.
d) Metalinguística.
e) Emotiva.

29) Leia o texto e assinale a alternativa correta:

A um passarinho
Para que vieste
Na minha janela
Meter o nariz?
Se foi por um verso
Não sou mais poeta
Ando tão feliz!
Se é para uma prosa
Não sou Anchieta
Nem venho de Assis
Deixe-te de histórias
Some-te daqui. (Vinícius de Morais)

Quanto à análise do texto acima, pode-se afirmar que:


a) A facilidade com que se pode reconstruir o fato narrado e as informações precisas veiculadas pelo texto provam a não
existência de elementos ficcionais; a função de linguagem predominante é a referencial.
b) No quinto verso, o próprio autor esclarece que seu texto não tem caráter poético, o que lhe confere a função
metalinguística da linguagem.
c) Apesar de escrito em versos, o texto acima não é literário, porque, nos dois últimos versos, o autor diz claramente não
querer contar histórias, neles, ocorre a função apelativa ou conativa, própria da linguagem de propaganda.
d) Embora haja referência a dados concretos da realidade circundante, o texto é literário, uma vez que, a par de exemplos
de função emotiva e conativa, a criatividade linguística dá o tom do texto e confere a função poética como predominante.
e) No sétimo verso, o próprio autor esclarece que seu texto não está escrito em prosa; é, portanto, um texto não literário.

30) Leia o excerto abaixo extraído de uma suposta entrevista com Riobaldo, de Grande sertão: veredas.

“Mire e veja o leitor e a leitora: se não houvesse Brasil, não haveria ‘Grande sertão: veredas’, não haveria Riobaldo.
Deviam ter pensado que pelo menos para isso serviu. E o resto é silêncio. Ou melhor, mais uma pergunta senhor Riobaldo. O
que é silêncio? O senhor sabe o que o silêncio é? É a gente mesmo, demais.” (Alberto Pompeu de Toledo, Veja.)

Acima, predominam as seguintes funções da linguagem:


a) Poética e fática.
b) Conativa e metalinguística.
c) Referencial e expressiva.
d) Metalinguística e emotiva.
e) Emotiva e poética.

31) Assinale a alternativa que traz função fática:


a) "O homem letrado e a criança eletrônica não mais têm linguagem comum." (Rose-Marie Muraro)
b) "O discurso comporta duas partes, pois necessariamente importa indicar o assunto de que se trata, e em seguida a
demonstração. (...) A primeira destas operações é a exposição; a segunda, a prova." (Aristóteles)
c) "Amigo Americano é um filme que conta a história de um casal que vive feliz com o seu filho até o dia em que o marido
suspeita estar sofrendo de câncer."
d) "Se um dia você for embora
Ria se teu coração pedir
Chore se teu coração mandar." (Danilo Caymmi & Ana Terra)
10
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

e) "Olá, como vai? Eu vou indo e você, tudo bem?


Tudo bem, eu vou indo em pegar um lugar no futuro e você?
Tudo bem, eu vou indo em busca de um sono tranquilo..." (Paulinho da Viola)

32) Marque a opção que encerra uma frase cujos principais focos da argumentação sejam, a um só tempo, o emissor e a
mensagem:

a) "Volta, vem viver outra vez ao meu lado"


(Lupiscínio Rodrigues)
b) "Da primeira vez que me assassinaram,
Perdi um jeito de sorrir que eu tinha"
(Mário Quintana)
c) "Um trem-de-ferro é uma coisa mecânica,
Mas atravessa a noite, a madrugada, o dia
Atravessou minha vida,
Virou só sentimento"
(Manuel Bandeira)
d) "Vaias e aplausos marcaram a passagem do presidente Lula pelo Fórum Social Mundial, evento no qual costumava ser
ovacionado" (O Globo - 28 de janeiro de 2005).
e) "Lembrando B. Russel: para todo problema complicado há uma solução simples, rápida, de baixo custo e... errada"
(Gilberto C. Leifert).

33)
A violência não é uma fantasia
A violência nasce conosco. Faz parte da nossa bagagem psíquica, do nosso DNA, assim como a capacidade de cuidar,
de ser solidário e pacífico. Somos esse novelo de dons. O equilíbrio ou desequilíbrio depende do ambiente familiar,
educação, exemplos, tendência pessoal, circunstâncias concretas, algumas escolhas individuais. Vivemos numa época
violenta. Temos medo de sair às ruas, temos medo de sair à noite, temos medo de ficar em casa sem grades, alarmes e
câmeras, ou bons e treinados porteiros. As notícias da imprensa nos dão medo em geral. Não são medos fantasiosos: são
reais. E, se não tivermos nenhum medo, estaremos sendo perigosamente alienados. A segurança, como tantas coisas,
parece ter fugido ao controle de instituições e autoridades.
Nestes dias começamos a ter medo também dentro dos shoppings, onde, aliás, há mais tempo aqui e ali vêm
ocorrendo furtos, às vezes assaltos, raramente noticiados. O que preocupa são movimentos adolescentes que reivindicam
acesso aos shoppings para seus grupos em geral organizados na internet.
(...)
(Revista Veja. Editora ABRIL. Edição 2358 - ano 47 - nº 5. 29 de janeiro de 2014. Por Lya Luft - p. 20)

Sempre que produzimos enunciados nas modalidades oral ou escrita da língua, a nossa linguagem, considerando-se
os fatores implicados nessa produção linguística, realiza- se segundo determinadas funções. Assim sendo, no texto acima
predomina a função da linguagem reconhecida como

a) expressiva.
b) metalinguística.
c) fática.
d) poética.
e) referencial.

34) O termo oikonomía, ou economia, surgiu na Grécia Antiga para designar a arte de administrar o lar. E, durante séculos,
o estado dos fenômenos relativos à produção, distribuição, acumulação e ao consumo de bens materiais simplesmente não
existiu ou permaneceu limitado à esfera individual e familiar.
[...] Com a abertura dos caminhos das Índias e das Américas, diferentes civilizações, até então isoladas, se integraram à
economia europeia. Iniciava-se aí a expansão do mercado em escala mundial. Diante de tal expansão, intelectuais de várias
nações europeias desenvolveram reflexões no intuito de transformar o comércio numa fonte ainda maior de riqueza.
Surgiram então diferentes políticas econômicas, destinadas a orientar os governos quanto às intervenções que
eventualmente deveriam efetuar, a fim de aumentar a prosperidade nacional.

No período “O termo oikonomía, ou economia, surgiu na Grécia Antiga para designar a arte de administrar o lar”,
predomina a seguinte função da linguagem:

a) fática
b) poética
c) emotiva
d) metalinguística

11
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)
Língua Portuguesa – Prof. Wendel

GABARITO – FUNÇÕES DE LINGUAGEM


01 02 03 04 05 06 07 08 09 10
B A C E E C A B E E
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
D B B A C C D A A B
21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
B D A A C A E E D B
31 32 33 34
E B A D

12
www.mcaconcursos.com – WhatsApp: (21) 97260-0817 / (21) 3420-4522 (Vivo)

Você também pode gostar