Você está na página 1de 14

3.

A explicação da redenção
Além disso, esta palavra “Cristo é tudo em todos” é a explicação da
redenção. As coisas, é claro, deram errado: o propósito de Deus
sofreu interferência. Ele não poderia nunca ser frustrado
completamente, mas houve outro que determinou, tanto quanto
estivesse em seu poder, que aquela apresentação universal de Jesus
Cristo – o “ser-tudo-em-todos” do Senhor Jesus – nunca
acontecesse. Houve alguém que desejou ter aquilo para si mesmo –
que ele pudesse ser o senhor universal da terra e céu. Esta
interferência tem feito uma grande diferença por certo tempo. Ela tem
interferido com o homem e o transformado em outro, aquém do que
Deus pretendia que ele fosse. Ela tem arruinado a imagem.
No entanto, há redenção através da cruz do Senhor Jesus. Qual é a
explicação da cruz? Por um lado, qual é a explicação de toda aquela
expiação, aquela obra redentiva do Senhor Jesus ao tratar com o
pecado, em tomar o pecado universal sobre Si, e ser feito uma
maldição por nós, em nosso lugar?
E ainda, por outro lado, como complemento disto, qual é a explicação
daquela cruz sendo operada no crente de forma que o crente se torne
unido com Ele na semelhança de Sua morte e enterro como uma
experiência espiritual? – toda aquela aplicação do Calvário que é tão
dolorosa, tão terrível de passar através: sim, a desintegração do
“velho homem”, o cortar fora do “corpo da carne”, aquele
conhecimento interior do poder da cruz, tão terrível à carne. Qual é a
explicação? Amados, é que Cristo seja tudo, e em todos.
Por que somos quebrados? Para dar lugar ao Senhor Jesus. Por que
somos trazidos ao pó pelo Espírito Santo quando Ele opera a morte
do Calvário sobre nós? De forma que o Senhor Jesus possa tomar o
lugar que nós na carne temos ocupado. Algumas vezes entendemos
errado esta aplicação da cruz. O inimigo está sempre em nosso
ombro, insinuando e sugerindo a inclemência de Deus em nos
esmagar, nos humilhar, nos reduzir a nada, e dizendo que não há fim
nisto, tentando assim nos derrubar.
Amados, a cruz foi pretendida somente para fazer o Senhor Jesus
tudo em todos, para nós. Devido ao modo como o Senhor tem tratado
conosco, o modo pelo qual Ele tem aplicado a cruz, nos plantando
naquela morte e enterro, não é verdade que nós O conhecemos de
um modo que nunca O conhecêramos antes? Não é por este modo
que Ele tem se tornado o que é para nós, cada vez mais e mais
amado dos nossos corações? O aumento do Senhor Jesus em nós
e para nós é pelo caminho da cruz. Sabemos muito bem que o nosso
principal inimigo é o nosso eu, a nossa carne. Esta carne não nos dá
descanso, nem paz, nem satisfação; não temos alegria nela. Ela é
obsessiva, nos absorve, constantemente se pavoneia atravessando
nosso caminho para nos roubar a verdadeira alegria de viver. O que
deve ser feito com ela? Bem, na cruz e pela cruz somos libertos de
nós mesmos; não apenas de nossos pecados, mas de nós mesmos;
e sendo libertos de nós mesmos somos libertos para Cristo, e Cristo
se torna muito mais que nós.
É um processo doloroso, mas gera um fim abençoado; e aqueles
dentre nós que tenham tido a maior agonia ao longo deste caminho
testificariam, eu creio, que o que isto nos trouxe do conhecimento e
das riquezas do Senhor Jesus faz todo o sofrimento valer a pena.
Assim é a obra do Senhor por nós! E a obra do Senhor em nós, pela
cruz, somente é pretendida no pensamento divino para abrir espaço
para o Senhor Jesus.
O altar de bronze do tabernáculo, assim como o do templo, era um
altar bem grande. Era possível pôr toda a mobília restante do
tabernáculo inteiro dentro dele. Sim, o altar tem que ser bem grande;
deve haver um grande espaço para Cristo Crucificado. Ele irá
preencher todas as coisas e Ele será a plenitude de tudo, e não
haverá lugar para nós no final de tudo. Isto o deixa atônito?
Certamente não. Assim a cruz, a obra de redenção através daquela
cruz, tem como sua explicação simplesmente isto, que Cristo seja
tudo, e em todos; que em todas as coisas Ele possa ter a
preeminência.
Isto, pois, é a explicação de nossas experiências – o porquê do
Senhor tratar conosco como Ele trata; o porquê dos crentes
passarem através das experiências que atravessam; o porquê eles
passam por coisas que ninguém mais parece chamado a atravessar;
o porquê de algumas vezes eles quase invejarem os incrédulos pela
vida fácil que tantos deles têm. Isto explica os tratamentos do Senhor
com Israel no deserto. Mesmo após sua libertação do cativeiro e
tirania do Egito, houve quebrantamento de corações e agonia. Por
que esta disciplina? No deserto, eles ainda pensavam no Egito. A
obra que o Senhor estava fazendo neles era de forma que Ele
pudesse ser tudo neles e para eles. Se Ele cortava seus recursos
naturais, era apenas para mostrar quais eram seus recursos
celestiais. Se Ele cortava seu poder natural, era para que eles
pudessem vir a conhecer o poder dos céus. O que quer que seja que
Ele pudesse tirar deles ou os conduzir a, era com vista a tirá-los de
si mesmos e com vista a que Ele mesmo pudesse ser tudo em todos.
Esta é a explicação de nossas dificuldades. O Senhor conhece como
melhor tratar com cada um de nós, e Ele não usa métodos
padronizados. Ele trata com você de um modo e comigo de outro. Ele
sabe como nos conduzir a experiências que são bem calculadas para
nos trazer à posição aonde o Senhor é tudo e em todos.

4. A explicação do crescimento cristão


5. A explicação de todo o serviço

8. A explicação da Igreja
O que é a igreja? O pensamento de Deus não é o Cristianismo; não
é o de ter igrejas como centros organizados do Cristianismo; não é a
propagação do ensino e empreendimento cristãos. O pensamento de
Deus é o de ter um povo na terra no qual, e no meio do qual, Cristo
é tudo em todos. Esta é a igreja. Temos que revisar nossas idéias.
No pensamento de Deus a igreja começa e termina com isto – a
absoluta supremacia do Senhor Jesus Cristo.
Não, isto passou. Nesta Igreja há apenas um novo homem – não uma
combinação onde anglicanos, metodistas, batistas, congregacionais
e todo o resto se juntam e esquecem suas diferenças por um tempo;
isto não é a Igreja. Na Igreja estas diferenças não são meramente
cobertas por um tempo – elas não existem. Há um Corpo, um
Espírito. A Igreja é isto, “Cristo é tudo em todos”. Tenha isto e tem-
se a Igreja. Chamar qualquer outra coisa de Igreja e deixar isto de
fora é uma contradição. Testem-na através disto.
Se é verdade que a vida cristã conforme o pensamento e a mente de
Deus é somente isto, “Cristo, tudo em todos”, então somos eu e você
verdadeiros cristãos? Pois temos visto que mediante a cruz nós
desaparecemos para dar lugar para o Senhor Jesus. Agora, se
professamos ter vindo pelo caminho do Calvário até o Senhor, a
implicação é que desaparecemos por intermédio desta cruz, para que
Cristo seja tudo em todos.
O que pensar? Queremos nós um pedacinho do mundo? Nós ainda
voluntariamente nos apegamos a esta ou aquela coisa fora do
Senhor, porque o Senhor Jesus não tem nos satisfeito plenamente e
precisamos ter um contrapeso? Um cristão mundano é uma
contradição de termos. Ter um pouquinho de algo fora de Cristo é
negar o Calvário e permanecer diretamente em oposição ao eterno
propósito de Deus referente a Cristo. Você assume esta
responsabilidade? Deus determinou isto desde toda a eternidade no
referente a Seu Filho. Podemos nós professar pertencer ao Senhor
Jesus e ao mesmo tempo ainda não ser verdade que Ele é tudo em
todos para nós? Se podemos, há algo errado, há uma negação, uma
contradição. Estamos nos opondo ao pensamento e propósito de
Deus. É verdade que Ele é tudo em todos? Ele será isto se tomarmos
todo o caminho.
. O pensamento de Deus sobre nós é que alguém, nada menos que
Seu Filho, Jesus Cristo, em Quem toda a plenitude da divindade
habita em forma corpórea, seja a nossa plenitude. Toda a plenitude
de Deus em Cristo para nós! Você nunca obterá isto ao rejeitá-lo.
A vida será muito menos do que precisa ser se você não for até o
fim com o Senhor.

Não é suficiente crer que Cristo morreu na cruz. Isto deve se aplicar
aqui em nossas vidas tornando-se uma experiência, uma poderosa e
operante força e fator em nosso ser. A igreja não é constituída sobre
uma base de declarações doutrinárias. Você não pode juntar
pessoas e dizer: “isto parece perfeitamente confiável, constituiremos
nossa igreja sobre esta base”. Você não pode fazer isto.
O apelo final que faço é que nós todos busquemos novamente a
entronização do Senhor Jesus como supremo Senhor em nossos
corações, em cada parte de nossa vida, em todos os nossos
relacionamentos; que se houver algo que temos segurado, que
deixemos ir; se temos tido qualquer reserva, que a quebremos agora;
se temos sido menos que completamente comprometidos com Ele,
de agora em diante isto não seja mais assim, mas que Ele seja tudo
em todos, a partir de agora. Este deve ser nosso entendimento,
nosso compromisso com o Senhor. Fará você isto? Peça ao Senhor
para quebrar cada amarra que está no caminho de Ele ser tudo em
todos. Estamos preparados para isto?

Texto base: [Colossenses 3:11].

“Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem


incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou
livre; mas Cristo é tudo em todos.” [Colossenses 3:11].

Toda pessoa regenerada em Cristo Jesus recebe do próprio


Cristo uma procuração para usar o Seu nome. Porém fica uma
pergunta: Para que me serve este nome? Para que me serve
esta procuração? Que benefício ela pode me proporcionar? O que
exatamente essa procuração representa para o povo de Deus? O
que este nome pode acrescentar para a igreja? Como devo usar este
poder a mim outorgado?

Tudo está subordinado ao que existe por trás deste nome. Qual
a sua influência? Qual a sua capacidade de domínio? Quanta
autoridade e quanto poder ele representa. Quem Ele pode dominar?
Possuí algum atributo que tenha importância e valor?

A Bíblia diz que em Jesus Cristo está a totalidade e


a plenitude de todas as coisas. “De tornar
a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da
plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que
estão na terra;” (Efésios 1:10).

“Porque foi do agrado do Pai


que toda a plenitude nele habitasse,” (Colossenses 1:19).

“12-Eu anunciei, e eu salvei, e eu o fiz ouvir... diz o


SENHOR; eu sou Deus.
13-Ainda antes que houvesse
dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas
mãos;
agindo eu, quem o impedirá?” (Isaías 43:12-13).
N’Ele fomos enriquecidos: “... fomos enriquecidos n’Ele.” (I
Coríntios 1:5).

N’Ele está a nossa salvação: “Portanto, tudo sofro por amor


dos escolhidos, para que também eles
alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória
eterna.” (II Timóteo 2:10).

Todo e qualquer aspecto e dimensão de nossa salvação é


encontrada em Cristo e, portanto, vem de Cristo.

N’Ele fomos redimidos: “Sendo justificados gratuitamente


pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.”
(Romanos 3:24).

“Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão


das ofensas, segundo as riquezas da sua graça,” (Efésios 1:7).

“Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a


remissão dos pecados;” (Colossenses 1:14).

N’Ele está a vida eterna: “E o testemunho é este: que Deus


nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho.” (I João
5:11).

“PAULO, apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus,


segundo a promessa da vida que está em Cristo Jesus,” (II
Timóteo 1:1).

N’Ele fomos eleitos: “Como também nos elegeu nele antes


da fundação do mundo, para que fôssemos santos e
irrepreensíveis diante dele em amor;” (Efésios 1:4).

N’Ele estão todos os santos: “PAULO e Timóteo, servos de


Jesus Cristo, a todos os santos em Cristo Jesus, que estão em
Filipos, com os bispos e diáconos:” (Filipenses 1:1).

N’Ele está a sabedoria: “Mas vós sois


dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabed
oria, e justiça, e santificação, e redenção;” (I Coríntios 1:30).
N’Ele está a nossa redenção: “Mas vós sois
dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabed
oria, e justiça, e santificação, e redenção;” (I Coríntios 1:30).

N’Ele estamos mortos para o pecado: “Ou não sabeis que


todos
quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na
sua morte?” (Romanos 6:3).

N’Ele estamos assentados nos lugares celestiais: “E nos


ressuscitou juntamente com
ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus;”
(Efésios 2:6).

N’Ele estamos completos: “E estais perfeitos nele, que é a


cabeça de todo o principado e potestade;” (Colossenses 2:10).

Se você experimentou sua morte com Cristo, você já não vive


mais, porém Cristo é a tua vida. A natureza perversa, pecaminosa
que herdamos de Adão foi crucificada e morta com Cristo. Uma vez
mortos; herdamos a natureza divina, por meio da Sua ressurreição,
livre do poder do pecado. Quando Deus te contempla, não te enxerga
mais. Ele vê Cristo. A nova vida aperfeiçoada,
completa n’Ele. Agora a tua vida está escondida n’Ele, é obra
acabada, definitiva n’Ele. Sendo Cristo a plenitude de todas as
coisas, somos completos n’Ele. Ele é a Vida Abundante,
transbordante, saciada e satisfeita. Não dependemos mais das
alfarrobas e das águas poluídas deste mundo.

N’Ele esperamos: “E espero no Senhor Jesus que em breve


vos mandarei Timóteo, para que também eu esteja de bom
ânimo, sabendo dos vossos negócios.” (Filipenses 2:19).

N’Ele está a nossa força: “No demais, irmãos


meus, fortalecei-
vos no Senhor e na força do seu poder.” (Efésios 6:10).

N’Ele estamos
enxertados: “Porque somos membros do seu corpo, da sua car
ne, e dos seus ossos.” (Efésios 5:30).
N’Ele está a nossa alegria: “Regozijai-
vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-
vos.” (Filipenses 4:4).

N’Ele crescemos: “19-E conhecer o amor de Cristo, que


excede todo o entendimento,
para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.
20-Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais
abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos,
segundo o poder que em nós opera,
21-A esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as
gerações, para todo o sempre. Amém.” (Efésios 3:19-21).

N’Ele estamos livres de condenação da ira


vindoura: “PORTANTO, agora nenhuma condenação há para os
que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne,
mas segundo o Espírito.” (Romanos 8:1).

Tudo o que você necessita para esta vida e também para a vida
futura está em Cristo. Não coloque tua felicidade numa pessoa ou
bens materiais. Tua prosperidade está em Cristo. No interior do ser
humano existe um vazio extremamente amplo, um vácuo da mesma
proporção da estatura de Cristo, e, que só Ele que é a plenitude de
todas as coisas pode completar. Muitos dizem: Quando eu ganhar na
mega-sena acumulada serei feliz. No dia que eu casar serei feliz. O
dia que eu sair do aluguel serei feliz. No dia que eu comprar um carro
zero serei feliz... Concentre-se somente numa
verdade. “Não existe felicidade fora da pessoa de Cristo”

O que está te afligindo? Desemprego? Nada tem dado certo na


tua vida? Tristezas? Dívidas? Angústias? Doenças? O médico disse
que é câncer e você já perdeu as esperanças? Dor de cabeça
constante? Insônias? Desmaios ou ataques? Depressão? Medo?
Síndrome do pânico? Visão de vulto? Audição de vozes? Sensação
que está sendo seguido? Desejo de suicídio? Pesadelo?
Nervosismo? Solidão? Mágoa? Esfriamento conjugal? Brigas
familiares? Separação? Inveja? Traição? Vícios? Inimizades?
Falência?... O desanimo invadiu a tua alma, já perdeu todas as suas
resistências para lutar. Não sabe mais o que fazer nem para onde
correr, visto que já correu por tantos lugares e não obteve resultado?
Agora se sente numa encruzilhada, sem saber qual caminho tomar?
Jesus te diz: “... Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém
vem ao Pai, senão por mim.” (João 14:6).

“28-Vinde a mim, todos os que estais cansados e


oprimidos, e eu vos aliviarei.
29-Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou
manso e humilde de
coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.” (Mat
eus 11:28-29).

“6-Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus,


para que a seu tempo vos exalte;
7-Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele
tem cuidado de vós.” (I Pedro 5:6-7).

Jesus é a perfeição de Deus por nós e em nós. A nenhuma igreja


de Jesus Cristo está faltando alguma coisa. Tendo Jesus, temos tudo
o que precisamos para ser bem sucedidos. Ontem vi um adesivo no
vidro traseiro de um Fiat Uno. “Não tenho crise. Tenho Cristo.”

Há uma necessidade de o Espírito aprimorar nossa inclinação


de tomar posse de tudo o que já nos foi dado em Cristo,
independentemente nossos próprios esforços. Quando estou focado
e concentrado em Jesus, o melhor em mim aparece naturalmente.
Entenda que o que predomina não é o
melhor de mim; mas em mim. Isto é: Jesus em mim. Você já viu
uma árvore se esforçando, se contorcendo de um lado para o outro
para dar frutos? Lógico que não. Ela produz seus frutos naturalmente
na estação apropriada, não é verdade? Assim é a nova criatura em
Cristo Jesus. Seus frutos aparecerão espontaneamente,
independentemente de qualquer esforço humano.

Falhamos e nos frustramos quando olhamos para o que falta,


quando prendemos a atenção para as nossas carências, quando
ficamos focalizados em nossas deficiências. Pelo contrário;
deveríamos olhar para Aquele que tudo têm. Aquele em quem está
concentrada toda a plenitude da divindade.

Olhamos a multidão dos problemas: Apenas dois peixes para


saciar a fome de tantos; somente cinco pães para uma multidão;
aglomeração de problemas; calor exaustivo da areia esbraseada do
deserto; e começamos a calcular, e chegamos à triste conclusão que
não vai dar. Jesus te diz: Traga tudo para mim... Então Ele
transforma o pouco que você tem em suas mãos em um banquete
para saciar uma multidão. Aleluia!... Creia nisso.

Onde não tinha absolutamente nada, agora há providência


divina. Onde não havia o necessário nem mesmo para o seu próprio
sustento; através do pouco que você apresenta ao Criador de todas
as coisas, há provisão, não unicamente para você; mas do mesmo
modo para uma multidão de famintos e desesperados que podem
encontrar refrigério e refúgio para suas almas aflitas através da tua
fé n’Aquele que é tudo em todos.

Que Deus, o Pai, e o Senhor Jesus Cristo deem aos irmãos


paz, amor e fé. E que a graça de Deus esteja com todos os que
amam o nosso Senhor Jesus Cristo com amor que não tem fim.

Quem é Jesus? Acredito que precisamos voltar à pergunta que


Jesus fez a seus discípulos: Quem diz o povo que eu sou? (Mt.
16.13).

Uma afirmação: Quando Cristo é TUDO para mim todas as minhas


necessidades são supridas segundo a Sua vontade e Ele é a minha
mensagem.
Introdução: 1. Cristo é Tudo porque Ele é o Deus encarnado, feito
carne, que habitou entre nós e vimos a Sua glória …(João 1.14). 2.
Para Paulo a religião judaica era tudo até ele encontrar Cristo. Tudo
fora de Cristo é vazio, vaidade, insignificante, passageiro e fútil. 3. O
texto de Paulo é precioso porque revela a verdade da suficiência de
Cristo nos nossos relacionamentos, trazendo Cristo unidade. 4.
Cristo satisfaz a alma e o coração. Há plena satisfação nele. Vejamos
as lições da suficiência que há na Pessoa e Obra de Cristo na cruz e
na ressurreição.
1. CRISTO É TUDO, quando posso dizer como Paulo: “Para o viver
é Cristo e o morrer é lucro” (Fil 1.21). Vivo de Cristo, em Cristo, por
Cristo, sob Cristo e para Cristo.
· Ele é a minha alegria (Fil 4.4)
· Ele é a minha gratidão (‘sede agradecidos’ – Cl 3.16)
· Ele é o meu contentamento
· Ele é a minha sabedoria
2. CRISTO É TUDO quando coloco as mãos no arado e não olho
para trás.
· Ele é o meu alvo supremo – ‘deixando todo o embaraço’
· Ele é o meu compromisso diário – ‘o viver é Cristo’
· Ele é a minha perseverança – ‘corramos com perseverança’
3. CRISTO É TUDO quando aceito o Seu convite: “Se alguém quiser
vir após mim….” (Mt 16.24-27). Quando Ele é a minha PRIORIDADE.
· Ele é a minha riqueza – ‘considero todas as coisas como perda…’
· Ele é o meu cântico – Paulo e Silas cantavam à meia noite …
· Ele é o Senhor da minha vida – confessá-lO como Senhor
4. CRISTO É TUDO quando busco o Reino de Deus em primeiro
lugar (Mt 6.33).
· Ele é o Rei – porque domina
· Ele é o Soberano – porque governa
· Ele tem todo o poder nos céus e na terra – porque é Deus
5. CRISTO É TUDO quando posso dizer como Paulo: “Já estou
crucificado com Cristo….” (Gl 2.20).
· Porque morri com Ele – o meu velho homem foi crucificado com Ele
· Porque ressuscitei com Ele – se já ressuscitastes com Cristo buscai

· Porque vivo dele, por ele, nele e para ele > todas as dimenções
· Estou disposto a sofrer por Ele – o discípulo não é maior do que o
seu Senhor
· Por isso, vivo pela fé – o justo por sua fé viverá (Rm 1.17)
6. CRISTO É TUDO quando trago no meu corpo as Suas marcas (Gl
6.10).
· A marca da submissão à vontade do Pai (Getsêmani)
· A marca da justiça do Pai – Ele veio cumprir toda a justiça
· A marca da renuncia – renunciou a sua vontade
· A marca da entrega absoluta – Ele se deu na cruz completamente
7. CRISTO É TUDO quando tudo o que sou e possuo pertencem a
Ele.
· Ele é o dono e eu sou o mordomo ou administrador – Sem Ele nada
do que foi feito se fez
· Ele deu a Sua vida por mim – voluntariamente Ele se entregou
· Ele é o Alfa e o ômega – o principio e o fim
8. CRISTO É TUDO quando amo as pessoas pelas quais Ele
morreu…
· Ele perguntou a Pedro: Amas-me?
· E lhes anuncio o Seu evangelho
9. CRISTO É TUDO quando amo a Sua Igreja pela qual deu a Sua
vida na cruz do calvário derramando o Seu precioso Sangue.
· Ela é o Corpo vivo de Cristo
· Ela é a Assembleia dos santos
· Ela é coluna e firmeza da verdade
10. CRISTO É TUDO quando creio e pratico as Escrituras que
testificam DELE (João 5.39).
· Jesus mesmo nos ensina a praticar a Sua Palavra
· Jesus nos ensina a testemunhar a Sua Palavra, o Seu evangelho
11. CRISTO É TUDO quando Ele é a minha alegria todas as manhãs,
a renovação das minhas forças todas as tardes e o meu descanso
todas as noites.
· A minha alegria significa minha satisfação
· A minha renovação tem a ver com as minhas forças
12. CRISTO É TUDO quando ensino os meus filhos a amá-lo de todo
o coração, alma, entendimento e com todas as forças (Dt 6.1-8).
· Aproveitando cada oportunidade
· Ensinando de forma criativa
13. CRISTO É TUDO quando os meus negócios são conduzidos de
acordo com o Seu padrão ético, com a ética do Reino de Deus.
· A minha palavra deve ser sim, sim; não, não
· Devo dar a César o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus
· Devo ser justo com os meus funcionários
14. CRISTO É TUDO quando trato o meu corpo como templo do
Espírito Santo (1 Co 6.19,20).
· O meu corpo não é para a prostituição
· O meu corpo deve estar puro
· Devo glorificar a Deus com ele
15. CRISTO É TUDO quando creio que Ele é capaz de transformar
qualquer pessoa que crê nele de todo o coração …
16. CRISTO É TUDO quando sou grato por tudo na minha vida (1 Ts
5.18).
· A gratidão é a musica da alma cristã
· Ela é a conformação com a vontade de Deus
17. CRISTO É TUDO quando faço tudo para a glória do nosso Pai
que está no céu (1 Co 10.31).
· O mérito é Dele
· A honra é Dele
18. CRISTO É TUDO quando promovo a cada dia a Sua justiça neste
mundo.
19. CRISTO É TUDO quando faço do evangelismo e de missões o
meu estilo de vida (Mt 28.18-20; At 1.8; 8.4; 1 Co 9.16).
20. CRISTO É TUDO quando tenho a segurança da vida eterna que
Ele mesmo me prometeu pela Sua morte e ressurreição (João 10.28;
João 5.24).
Conclusão: 1. Quando Cristo é TUDO tenho TUDO. “Não mais eu,
mas Cristo em mim” (Gl 2.20). Quando Jesus é tudo em todos há
unidade. 2. Quando Jesus é Tudo há segurança. Ele sendo tudo em
mim procuro testemunhar do Seu amor, do Seu perdão e da Sua
aceitação. 3. O nosso Jesus é Tudo porque Ele é sabedoria, justiça,
santificação e redenção (1 Co 1.30). Que ele seja a nossa vida e a
nossa mensagem. 4. Quando Jesus é Tudo no lar… Quando Jesus
é tudo na minha profissão … Quando Jesus é tudo na minha empresa
…. Quando Jesus é tudo no meu relacionamento… Quando Jesus é
tudo no transito… 5. Que ofereçamos o nosso nada para que Ele seja
Tudo em nós. Que os nossos corpos sejam um sacrifício vivo, santo
e agradável a Deus como culto racional (Rm 12.1,2). Graças ao Pai
Cristo, o Filho, é tudo em nós.