Você está na página 1de 3

refluxo

Torres industriais de larga escala usam o refluxo para atingir uma


separação mais completa dos produtos. O refluxo refere-se a porção do
liquido condensado de uma torre de fracionamento que é retorna para parte
superior da torre como mostrado no diagrama esquemático típico de uma
torre de destilação industrial de larga escala. Em dentro da torre, o liquido
do refluxo descendo prove um resfriamento necessário para condensar o
vapor que sobe, desta forma aumentando a eficiência da torre de
destilação.

Filtração a vácuo

Filtração é um método para separar sólido de líquido ou fluido que está


suspenso, pela passagem do líquido ou fluido através de um meio
permeável capaz de reter as partículas sólidas. Existem filtrações de escala
laboratorial e filtrações de escala industrial.

Numa filtração qualitativa, é usado o papel de filtro qualitativo, mas,


dependendo do caso, o meio poroso poderá ser uma camada de algodão,
tecido, polpa de fibras quaisquer, que não contaminem os materiais.

Para as filtrações quantitativas, usa-se geralmente papel filtro quantitativo,


ou placas de vidro sinterizado ou de porcelana sinterizada.

Em qualquer dos casos indicados há uma grande gama de porosidades e


esta deverá ser selecionada dependendo da aplicação em questão. 3.
Filtração Com Funil de Buchner ou Cadinho de Gooch

São as típicas filtrações a vácuo, pois são realizadas com a aplicação de


vácuo para permitir, seja por motivo de tempo, seja por viscosidade do
líquido a ser filtrado, necessitar-se de um diferencial de pressão (a própria
pressão atmosférica atua como força) atuando sobre o líquido no filtro.

Funil de Buchner

É efetuada com sucção com auxílio de uma trompa de vácuo e Kitassato. No


fundo do funil, sobre a placa plana perfurada é adaptado o disco de papel
filtro molhado, aderido devido à sucção. FILTRAÇÃO A VACÚO A sucção
acelera a filtração, a separaçao ocorre na medita do posivel mas como o
vacou é pequeno

Substituindo-se o funil de Buchner por um cadinho de porcelana com fundo


perfurado temos a filtração com cadinho de Gooch. É portanto, efetuada
com sucção e o meio filtrante é polpa de papel de filtro quantitativo ou
amianto.

Para a confecção do meio filtrante de amianto ou polpa de papel filtro, deve-


se colocar o cadinho na alonga e adicionar com muito cuidado o amianto
misturado com água (ou polpa de papel filtro com água). Bate-se levemente
com a bagueta é deixa-se escorrer toda a água através de sucção. O meio
filtrante não deve ser muito espesso.

Banho Maria

Banho-maria é um método utilizado tanto na cozinha como em laboratórios


químicos e na indústria (farmacêutica, cosmética, conservas, etc.) para
aquecer lenta e uniformemente qualquer substância líquida ou sólida num
recipiente, submergindo-o noutro, onde existe água a ferver ou quase. O
processo recebe o seu nome em honra à famosa alquimista, Maria, a Judia,
a quem atribui-se a invenção do processo. As substâncias nunca são
submetidas a uma temperatura superior a 100°C no caso de utilização de
água pois sua temperatura de ebulição em condições normais de
temperatura e pressão, é exatamente 100 °C.[1] Temperaturas elevadas
podem ser atingidas usando azeite.[1]

Microondas

O aquecimento utilizando microondas possui muitas vantagens com relação


aos métodos convencionais de aquecimento, como redução no tempo de
processamento, economia de energia e melhora na uniformidade
microestrutural dos corpos cerâmicos. Assim esse trabalho tem por objetivo
a utilização da sinterização híbrida com microondas na queima rápida de
materiais cerâmicos. Foram utilizados materiais que requerem altas
temperaturas para densificação. Foram sinterizados materiais que
apresentam bruscas e acentuadas mudanças nas suas propriedades
dielétricas com a elevação da temperatura, zircônia, e materiais com baixas
perdas dielétricas na temperatura ambiente, que apresentam dificuldades
de aquecimento com microondas em baixas temperaturas, alumina e
mulita. Foi utilizando material susceptor como agente auxiliar de
aquecimento. Com base nos resultados obtidos pode-se concluir que o
sistema de sinterização híbrida desenvolvido pode ser utilizado com sucesso
na sinterização rápida e uniforme dos materiais estudados, sendo possível a
sinterização de zircônia em ciclos de 20 min, mulita em ciclos de 16 min e
alumina em ciclos de 40 min.