Você está na página 1de 13

Estudo do circuito RLC. Oscilações.

Gonçalo Almeida
December 8, 2019

Abstract
Nesta atividade foi estudado o regime transitório e o regime permanente.
No regime permanente foi estudada a zona de ressonância de um circuito RLC, em que o ganho é máximo,
por dois métodos distintos, através da amplitude do sinal obteve-se ωexp = (69800 ± 3490)Hz com um erro de
1,05% em relação ao ωteo = (70542 ± 55)Hz, através da diferença de fase obteve-se ωexp = (69743 ± 6223)Hz
com um erro de 1,13% em relação ao ωteo = (70542 ± 55)Hz.
No regime transitório estudou-se o regime de amortecimento e de amortecimento forte, tendo como objetivo
determinar Rcritico , beta(constante de dissipação do sistema) e ainda ω(pseudo-frequência do amortecimento).
Nada se pode concluir relativamente a β, no entanto verificou-se que com o aumento da resistência ω diminui.
Foi obtido o valor de Rcritico exp = (3860 ± 1)Ω que tem um erro de 1% relativamente ao Rcritico teo = 3902Ω.

1
1 Objetivos
Estudar como funciona o movimento amortecido e analisar o regime crı́tico.
Identificar o ponto de ressonância do sistema e estudar qual o impacto da variação da resistência no circuito.
Estudar o comportamento do circuito oscilante RLC no regime transitório e no regime permanente.

2 Introdução
Este trabalho foi realizado no âmbito da cadeira de Laboratório de Fı́sica II da licenciatura de Fı́sica.
Temos o seguinte circuito RLC:

2.1 Regime Permanente


Ao ser aplicada uma tensão sinusoidal, v(t)=V0 cos(ωt), através da representação fasorial complexa chegamos às
seguintes expressões:
V0
VC0 = p (1)
(RCω) + (LCω − 1)2
2

LCω 2 − 1
 
π
φC = −arctan − (2)
RCω 2
ω → Frequência angular
L → Indutância
C → Condensador
Para R6=0 o que acontece devido à resistência interna da bobina, RL , a amplitude é máxima quando a
frequência angular é dada por: √
4LC − 2R2 C 2
ω= (3)
2LC
e amplitude é dada por: r
V0 L
V(C0)max = (4)
R C
R → Resistência
O ganho em relação ao sinal original é dado por:
VC0
G= (5)
V0

É importante analisar a equação [2] pois:

φC (ω = 0) = 0
φC (ω = ω( res)) = 0
φC (ω = ∞) = −π

2
2.2 Regime Transitório
Temos a seguinte equação diferencial de corrente:

i00 + 2βi0 + ω02 i = 0 (6)

Nesta equação ω0 é a frequência própria do circuito RLC e β é a constante de amortecimento pelo que:
R 1
β= (7) ω0 = √ (8)
2L LC
A presença da resistência faz com que o sistema esteja num regime oscilatório amortecido(ω0 > β), pelo
que o uso de uma resistência com um valor muito alto β irá aumentar e o sistema entrará num regime de
sobre amortecimento(ω0 < β), o estado de transição entre estes dois sistemas chama-se de regime criticamente
amortecido em que ω0 = β, pelo que através das equações [7] e [8] podemos chegar ao valor da resistência crı́tica
através de:
r
L
Rc = 2 (9)
C
E considerando um regime oscilatório amortecido chegamos a:
r
1 R2
ω= − (10)
LC 4L2

3 Montagem experimental
3.1 Montagem do circuito
Foi feita a montagem do seguinte circuito:

Figure 1: Circuito RLC

Para ambos os regimes observados será usado o circuito anterior.


Ligou-se o gerador de sinais correspondente ao Vg (t) e Rg ao buffer pois o mesmo se comporta como uma
fonte de tensão ideal, ou seja, reproduz Vg (t) em V(t) sem a resistência interna.
Iremos considerar uma resistência R que correponde à soma de r e RL , RL corresponde à resistência interna
da bobina L, idealmente o valor desta resistência seria 0 pelo que a resistência R mais baixo possı́vel será RL .
É usado um condensador C, que tem como função acumular energia assim passará a existir uma tensão Vc (t).
A linha de baixo do circuito corresponde à terra pelo que se deve verificar que o osciloscópio, o gerador de
sinais e o Buffer deverão estar todos a esta linha pois as diferenças de potencial deverão ter como comparação
o mesmo ponto(terra). O Buffer foi ligado a uma fonte de tensão com uma diferença de potencial de 30 V e ao
gerador de sinais.

3.2 Cuidados Experimentais


Ter o sinal proveniente do gerador de sinais ligado ao osciloscópio de forma a servir como comparação com o
sinal a analisar.
Retirar bastantes pontos quando se verifica um aumento da amplitude e o decréscimo da fase.

3
Verificar que o gerador de sinais, a fonte de tensão, o Buffer e o condensador estão ligados à terra.
Não usar condensadores com capacidades com valores muito elevados para se obterem valores de frequência
médias, na gama de kHZ.
Fazer os cálculos teóricos de forma a se saber por volta de que valores devem ser retirados mais pontos.

4 Análise e Discussão
Os cálculos de incertezas usadas encontram-se no Apêndice B e os dados usados encontram-se no Apêndice A.

4.1 Regime Permanente


Para a montagem do circuito de regime permanente foram utilizados os elementos com os seguintes valores:

Foi apenas considerado R=RL , depois de feitas as medições que se encontram no Apêndice A. Observou-se
um ganho no osciloscópio da seguinte forma:

Traçou-se um gráfico do ganho(VC0 /V0 ) em função da frequência angular obtendo-se assim:

4
As barras de erro correspondem à incerteza do ganho tendo em conta uma incerteza de 5 porcento no valor
lido no osciloscópio. É de notar que a curva cresce muito rapidamente devido ao uso de um condensador com
uma capacidade muito pequena, assim ao ver o gráfico com uma gama de [55;85]krad/s têm-se a perceção que
os dados experimentais têm uma translação para a esquerda, isto deve-se ao facto da resistência interna dos
cabos do circuito, que usando um condensador tão baixo irá resultar numa variação não desprezável, no entanto
observando o gráfico numa gama maior se verifica que a aplicação teórica é a correta de acordo com os dados
experimentais.

5
Neste gráfico vê-se que os dados experimentais seguem a previsão teórica, no entanto não chegando a um
ganho perto do teórico devido ao intervalo de frequência necessário para se retirarem esses pontos ser inferior ao
que poderia ser variado no gerador de sinais. Devido a esse mesmo facto o ganho teórico previsto era de 141 e
o ganho experimental foi de 61 o que nos leva a um erro experimental do ganho de 56 porcento, este resultado
é muito diferente mas como explicado anteriormente o uso de uma resistência baixa e um condensador com uma
capacidade baixa leva a um pico muito que aumenta muito rapidamente o que mal permite serem retirados pontos
tendo em conta a prcisão do gerador de sinais.
Obtiveram-se então os seguintes resultados:

A incerteza experimental foi calculada considerando uma incerteza de 5 porcento do valor medido no os-
ciloscópio e a incerteza teórica foi através da propagação das incertezas dos valores do condensador, resistência
e da bobina. É de notar que as incertezas contém o erro percentual.
De seguida foi feito um gráfico da φC em função de ω.

As barras de erro correspondem à incerteza da fase tendo em conta uma incerteza de 5 porcento no valor lido
no osciloscópio. Novamente os dados experimentais seguem os esperados teóricamente mas de novo com uma
pequena diferença e que se pode explicar devido ao facto da resistência interna do circuito ser superior a RL
devido às resistências dos aparelhos e cabos utilizados. É possı́vel verificar o mesmo através do uso de uma linha
teórica com uma incerteza de 40 Ω verificamos que os dados experimentais são uma apicação do teórico:

6
Podemos assim verificar que a resistência interna do circuito se irá aproximar de 53 Ω. Verifica-se que a fase
é 0 até ao ponto em que a frequência se começa a aproximar da ressonância onde subitamente a fase irá passar
para 180 graus, assim o ponto em que a fase corresponde a 90 graus será o ponto da frequência de ressonância.
Traçou-se então uma reta utilizando os pontos mais próximo da interseção da reta com y=-90 da reta dos dados
experimentais e a sua interseção irá corresponde ao ω experimental:

7
Obtiveram-se então através da projeção linear:

Assim através do gráfico de φC (ω) obtiveram-se os seguintes resultados:

As incertezas teóricas e experimentais contém o erro experimental, no entanto ao contrário do previsto o erro
experimental do método da fase foi maior do que o método da amplitude, previa-se que o da fase fosse melhor
devido ao facto de se poder observar com muito menor erro no osciloscópio a zona de transição de fase podendo-se
assim tirar mais pontos nessa gama. No gráfico da amplitude seria mais difı́cil pois é mais complicado prever o
ponto em que se atinge o máximo. Apesar de os erros serem praticamente iguais, aproximadamente 1,1 porcento
nota-se que o facto de termos retirado os pontos da amplitude observando a diferença de fase naquele momento no
osciloscópio foi fundamental para a obtenção de um valor bem próximo do teórico da frequência de ressonância.

4.2 Regime Transitório


Foi gerada uma onda quadrada com frequência de (50±0,01)Hz e determinou-se experimentalmente ω(Pseudo-
frequência angular) e β(constante de amortecimento), obtendo-se os seguintes dados:

R representa a resistência RL + r. Vci e Vcj correspondem aos valores de tensão lidos com o uso dos cursores
do osciloscópio. As incertezas do ωnom foram determinadas através da propagação das incertezas das resistências
do condensador e da bobina, as incertezas do ωexp correspondem a 5 porcento do valor lido no osciloscópio.
Não foram calculadas as incertezas dos valores de β pois se verifica que existe um erro entre os valores muito
grande pelo que nada se pode concluir através dos valores, no entanto reparou-se que numa gama pequena entre
[165;475]Ω os valores teóricos e experimentais de β são bastante próximos. Este erro relativo percentual muito
elevado pode-se dever à incerteza dos cursores do osciloscópio nas medidas de Vci e Vcj.
No entanto os valores de ωexp e ωnom tem um erro relativo percentual inferior à incerteza e verificou-se que
com o aumento da resistência ω diminui, tal como esperado.
Para o regime de oscilações amortecidas observámos para R=RL o seguinte:

8
Calculou-se que o Rcritico corresponde a 3902 Ω com uma incerteza de 0,007Ω e assim podemos considerar
essa incerteza proveniente da propagação da incerteza do condensador e da bobina desprezável. A resistência
mais próxima do Rcritico utilizado corresponde R=(3860 ± 1)Ω e observou-se o seguinte no osciloscópio:

Este valor de resistência foi o mais próximo conseguido de forma a observar a transição para o regime de
amortecimento forte. Com acesso a uma resistência mais próxima do valor teórico poderia observar-se exatamente
o estado de transição, apesar de se conseguir observar perto do esperado, assim o Rcritico exp tem um erro
percentual em relação ao teórico de 1,1 porcento.

9
5 Conclusões
5.1 Regime Permanente
No regime permanente foi possı́vel observar os dados experimentais seguirem as previsões gráficas teóricas do
Ganho em função da frequência angular e da fase em função da frequência angular.
No gráfico do Ganho em função da frequência angular foi possı́vel chegar a uma frequência de ressonância
correspondente ao máximo de Ganho observado de ωexp = (69800 ± 3490)Hz com um erro de 1,05% em relação
ao ωteo = (70542 ± 55)Hz, é de notar que as incertezas contém o erro experimental pelo que obtivémos um bom
resultado de frequência de ressonância.
Devido ao uso de um condensador com um valor tão baixo assim como uma resistência baixa não foi possı́vel
observar o Ganho teórico previsto de 141 e apenas foi observado um Ganho de 61, isto deve-se ao facto de com
o valor de resistência e capacidade usado o gráfico iria aumentar muito em ligeiras variações de frequência, essas
variações eram inferiores à precisão do gerador de sinais pelo que não foi possı́vel observar o ganho previsto.
No gráfico da fase em função da frequência angular pode-se concluir que a resistência interna do sistema é
superior a RL devido a resistências internas de outros aparelhos e cabos podendo-se verificar que com R=40Ω os
nossos dados se adaptam muito melhor ao teórico.
Através de uma projeção linear chegou-se a ωexp = (69743 ± 6223)Hz com um erro de 1,13% em relação ao
ωteo = (70542 ± 55)Hz, novamente as incertezas contém o erro relativo percentual.

5.2 Regime Transitório


No regime transitório chegou-se a valores de β com erros muito elevados relativamente ao teórico pelo que
nada se pode concluir através dos mesmos. Estes erros podem acontecer devido à incerteza do osciloscópio e dos
seus cursores.
Foi também determinado o ωexp para diferentes valores de resistência e concluiu-se que com o aumento da
resistência implica uma diminuição da pseudo-frequência o que era previsto. As incertezas contém o erro relativo
pelo que podemos concluir que os dados foram retirados corretamente.
Foi utilizada uma resistência R=(3860±1)Ω onde se verificou a zona de transição para o regime forte, esta
resistência tem um erro relativo de 1,1% em relação ao Rcritico teo = (3902)Ω.
Todos os objetivos foram cumpridos.

10
6 Bibliografia
1. Departamento de Fı́sica e Astronomia. Apontamentos de Laboratório de Fı́- sica II. Porto: DFA-FCUP,
2012
2. Wikipédia.
3.Ondas e Meios contı́nuos, U.Porto Edições, 2a Edição.

11
7 Apêndice
7.1 Apêndice A
Tabela A:

12
7.2 Apêndice B
7.2.1 Regime Permanente
Para a incerteza do ωteo usou-se a propagação da incerteza de R, C e L:
s 2  2
(2Cu(L) − R2 C 2 )L − (4LC − 2R2 C 2 )u(L)) (2Lu(C) − R2 u(C)C)C − (4LC − 2R2 C 2 )u(C)
u(ωteo ) = +
L2 C LC 2
(11)
 2
RCu(R)
+ √
L 4LC − 2L2 C 2
Propagou-se também a incerteza de VC0 e V0 para o cálculo da incerteza do Ganhoexp :
s 2  2
u(VC0 ) VC0 u(V0 )
u(Gexp ) = + (12)
V0 V02

Para a incerteza do ωexp através do método da fase como o wexp foi calculado através de uma reta usaram-se
os dados da projeção linear obtendo-se:
s 2  2
(90 − b)u(m) u(b)
u(ωexp ) = + (13)
m2 m

7.2.2 Regime transitório


Para a incerteza do Rcritico obtém-se:

u u(L)√C 2  Lu(C) 2
v !
u
u(Rcritico ) = t + √ (14)
L1,5 CL1,5

Para a incerteza de ωexp temos apenas a incerteza do pseudo perı́odo que correponde a 5 porcento do valor
lido e assim:
2πu(T )
u(ωexp ) = (15)
T2
Para a incerteza do ωnom terá que ser propagada a incerteza de R, C e L:
v !2 !2 !2
u(L) u(L)R2
u
u(C) Ru(R) L2 C − 2L3
u
u(ωnom ) = t
1 R2 1,5
+ 1 R2 1,5
+ 1 R2 1,5
(16)
2LC 2 ( LC − 4L 2) 4L2 ( LC − 4L 2) 2( LC − 4L 2)

13

Você também pode gostar