Você está na página 1de 44

COMPARAÇÃO DAS FORMAS DE UTILIZAÇÃO 

à Ã
DOS MATERIAIS DE PAREDES NA CONSTRUÇÃO 
DE EDIFICIOS NAS REGIÕES  DOS
SUB TRÓPICOS E TRÓPICOS.
SUB TRÓPICOS E TRÓPICOS.
INTRODUÇÃO
Desde sempre, o Homem sentiu a necessidade de satisfazer
as suas necessidades básicas mais elementares.
elementares Com
Imaginação, o Homem foi paulatinamente recriando um
novo mundo menos agressivo ao seu bem‐estar.
As razões para utilizar alguns materiais muito comuns na
construção podem ser:
‐ Análise do seu Ciclo de Vida,
‐ Avaliação de Impacto Ambiental, (analise de custo
energética e uso de recursos materiais ) ,
‐ Avaliação de Impacto sobre a Saúde
(poluição, radioactividade e toxicidade ).
O objectivo da indústria da construção é a realização de
um produto
d que satisfaça
i f a funcionalidade
f i lid d requerida
id pelol
dono da obra, com as necessárias condições de segurança
para o efeito das acções tanto naturais como humanas e
com características de durabilidade que permitam a
redução
ç da deterioração ç ao longo g do seu ciclo de vida.
O ambiente, questões, sociais e económicas, apresentam
uma elevada interligação com dimensões do
“D
“Desenvolvimento
l i S
Sustentável”
á l” da
d construçãoã d
dos
edifícios.
OBJECTIVO DA COMPARAÇÃO
‐ Para obter a sustentabilidade dos materiais da construção é
necessário analisar a climatização, e os seus efeitos
negativos e positivos.
‐ Apresentar exemplos de sistemas de apoio e
reconhecimento da construção sustentável nas áreas
subtropicais e tropicais.
tropicais
‐ Apresentar uma metodologia adequada à análise da
climatização
ç e sustentabilidade de soluções
ç construtivas .
‐ O desenvolvimento sustentável procura integrar as
preocupações económicas, ambientais e sociais.
‐ Aplicando metodologias simplificadas é possível, avaliar as
características da envolvente dos edifícios.
MOTIVAÇÃO
‐ Para definir materiais para uma construção melhor ou uma
construção moderna é preciso ter atenção o ambiente,
ambiente
sociedade e a economia.
‐ O
Obter uma boa g gestão p para contribuir p para q que a
construção se aproxime cada vez mais das metas e
objectivos do Desenvolvimento Sustentável.
‐ Ao longo da evolução da Humanidade, o Homem sempre
soube tirar partido do clima e das condições naturais de que
dispunha para construir habitações que lhe
proporcionassem as melhores condições de conforto.
Os métodos podem avaliar a sustentabilidade a 
diferentes escalas: 
Escala local/regional (só podem ser utilizados no 
l l/ í  d   i
local/país de origem))
‐ Baseado em regulamentos locais;
‐ O utilizador
ili d não pode
d definir
d fi i as condições
di d
de
referência (melhor solução e solução convencional);
‐ O peso dos parâmetros e indicadores na avaliação da
sustentabilidade é pré‐definido de acordo com as
realidades sócio ‐ cultural,
cultural ambiental e económica do
local;
‐ Escala global (podem ser utilizados em diferentes países)
‐ Introdução de maior quantidade de dados;
‐ O utilizador pode definir as condições de referência
(melhor solução e solução convencional);
‐ O peso dos parâmetros e indicadores pode ser ajustado.
A economia é a parte mais importante para definir a
qualidade da construção. Porque a maioria da população
principalmente em Timor Leste, ainda utiliza os materiais
simples e a construção tradicional conforme a possibilidade
simples,
económica de cada uma pessoa.
. Na natureza, existe um conjunto de matérias ‐primas
primas que
pelas suas características foram largamente utilizadas desde
tempos imemoráveis pelo Homem na construção . São elas o
barro, a madeira, a palha, as fibras vegetais, a pedra, a cal, as
folhas, as ervas, bambu e muitos outros.
Figura das Palmeiras : Arenga pinnata
Figura das Palmeiras : Arenga pinnata ( Latina)  
( Latina)
Nome Local/Tetun : Tua Metan
Arenga 
pinnata
Figura : Vista aproximada de Arenga Pinnata

Arenga 
Pinnata
Figura: Corypha
Fi C h utan
t Lam.
L (L ti )
(Latina) 
Nome Local/Tetun: Tali
o e oca / etu : a
Figura dos Coqueiros ou Coco Nucifera (Nu hun)
Figura de Bambus
Figura das Ervas : Imperata cylindrical L.
Imperata
cylindrical l.
Figura: Imperata cylindrical L. (Nome Latina)
Nome local: Tetun: Du’ut
Nome local: Tetun: Du ut manlai

Imperata cylindrica L.
Nome Local/Tetun : Du´ut Manlai
Definições de DS ( Desenvolvimento sustentável )
Promover o progresso económico e social para os seus
povos, …princípios
i í i d DS no contexto de
de d atingir
i i a
protecção do mercado interno, a coesão interna
reforçada e a protecção ambiental,
ambiental e para implementar
politicas que assegurem que os avanços na integração
económica são acompanhados
p por p
p progressos
g paralelos
p
noutras áreas
Conservar a vitalidade e diversidade da Terra
P i í i Ambientais
Princípios A bi t i de d DS
Conservar os sistemas de apoio à vida
Usar os recursos renováveis sustentáveis,
sustentáveis
Minimizar o uso de recursos não renováveis,
Minimizar a poluição e danos à vida de seres vivos,
Conservar o ambiente cultural e histórico
Princípios Económicos de DS
‐ Promover a equidade entre nações e gerações
‐ Evitar as desigualdade
g
‐ Não empobrecer um grupo para enriquecer um outro
‐ Assegurar o preço real de custo
‐ Encorajar
E j os procedimentos
di éi
éticos
‐ Promover a distribuição equitativa de custos e benefícios
Princípios Sociais de DS
‐ Permitir a melhoria da qualidade da vida humana
‐ Promover a equidade
q social entre todos os p
povos
‐ Permitir a integridade cultural e social
‐ Permitir o direito à autodeterminação
‐ Encorajar
E j a participação
i i ã e cooperação ã de
d todos
d nos
processos de decisão a todos os níveis
‐ Fortalecer os povos e propiciar as oportunidades para
desenvolver as suas capacidades
METODOLOGIA
A metodologiag das construções melhoradas ou as
construções simples são os seguintes :
1. Diminuir os custos
2. Garantir as condições
d d higiene
do h e segurança nos
trabalhos
3 Utilizar materiais eco ‐ eficientes
3.
4. Maximizar a durabilidade
5 Assegurar a salubridade dos edifícios
5.
6. Planear a conservação e a reabilitação
77. Diminuir o ppeso
8. Minimizar a produção de resíduos
9. Economizar a utilização
9 ç da energia
g e água
g
IMPLICAÇÃO DOS MATERIAIS UTEIS E ENSAIOS DE 
ACORDO.
‐ A utilização
l d materiais adequados,
de d d que signifiquem
f um
menor custo energético, social, económico e ambiental, que
provenham de fontes renováveis,
renováveis não poluentes e não
tóxicas, sejam duráveis e/ou com possibilidade de
reciclagem/
g reutilização
ç ou diminutos desperdícios
p e q
que
além do mais não afectem a saúde, são os requisitos para
fazer das nossas construções um lugar ambientalmente
sensível,
í l economicamente
i sustentável
á l e humanamente
h
habitável.
‐ Durante o processo de adaptação às condições climatéricas,
seleccionaram‐se
seleccionaram se materiais e tipologias de construção que
optimizassem o conforto com um dispêndio mínimo de
recursos, e numa tentativa de melhorar as suas características
técnicas e construtivas, os materiais foram submetidos a
transformações proporcionais ao desenvolvimento técnico.
A i
Assim, f
fomos substituindo
b tit i d muitos
it dosd anteriores
t i materiais,
t i i
melhorando as suas características, mas infelizmente
causando vários impactes ambientais negativos (elevadas
radioactividade, toxicidade e electricidade estática, baixa
“transpiração” dos materiais, interferência nos campos
magnéticos e eléctricos naturais, etc.)
PRINCIPAIS TECNOLOGIAS
Avaliação das necessidades tendo em conta 10 questões :
1. Planeamento Urbano
2. Aspectos do Uso do Solo
p
3. Aspectos Ambientais
I. Desempenho na Iluminação
II  D
II. Desempenho na Ventilação
h    V il ã
III  Desempenho Energético Global 
4  Aspectos Arquitectónicos
4. Aspectos Arquitectónicos
I. Aspectos Funcionais
II. Estética
5. Aspectos Estruturais
6. Física da Construção
I Materiais perigosos
I.
II. Isolamento térmico
III. Isolamento à humidade
IV. Isolamento acústico
7. Aspectos Culturais
8 Aspectos
8. A t Sociais
S i i
9. Aspectos Administrativos
10 Aspectos Financeiros.
10. Financeiros
Comparação das formas de utilização das 
materiais como janela e porta
materiais como  janela e porta 
Edifício do subtropical  Edifício do tropical 
Edifício do subtropical 
Ventilação utilizada em áreas  tropicais

Caixilharia de janela com Ventilação

Caixilharia de porta com ventilação
Janelas em ventilação
ç
Ventilação
‐Medida eficiente p
para reduzir o sobreaquecimento
q no
verão;
‐Reduz a carga térmica através do arrefecimento da massa
térmica do
d edifício
df d
durante a noite;
‐Caso a abertura das janelas não seja suficiente para garantir
uma humidade relativa adequada,
adequada utilizam‐se
utilizam se ventiladores.
ventiladores
P t j
Porta e janela de subtropicais
l d bt i i
Porta Janela
A principal técnica usada para restaurar
fachadas consiste em aplicar uma camada
externa que inclua isolamento térmico.
1) Rebocos delgados armados aplicados directamente
sobre o isolamento térmico – Sistemas de Isolamento
Térmico pelo Exterior (external thermal insulation
composite systems – ETICS);
2) Fachadas ventiladas;
3) Revestimento com barreira para ‐ vapor, aplicada à
parede existente com isolamento térmico (“external
thermal insulation dry system – ETIDS
ETIDS”);
);
4) Nova parede exterior com isolamento na caixa‐de‐ar.
As paredes exteriores em subtropicais
Poliestireno  Poliestireno 
Espaço de ar  expandido  Espaço de ar  expandido 
(2cm) extrudido (2cm) (2cm) extrudido (3cm)

Pedra 
Tijolo vazado  Tijolo vazado de  aparelhada 
de 15cm 11cm (30cm)
Tijolo vazado 
d  
de 11cm

Reboco tradicional  Reboco 
(1,5 cm) tradicional 
(1,5cm) Reboco 
tradicional 
(1,5cm)
As paredes em subtropicais
p p
Poliestireno  Mantas de lã de 
expandido moldado  Painel OSB (1,2cm) rocha (14cm)
Reboco armado de  em placas (4cm)
ligantes minerais 
(1cm)

Tijolo vazado de  Poliestireno 
22cm expandido moldado 
em placas (1cm) Perfil de 
P fil d  
aço 
galvanizado

Reboco 
tradicional 
(1,5cm) Reboco de ligantes  2xPainel de gesso 
minerais armado  cartonado 
(1cm) (2x1,25cm)
Evolução das soluções de paredes 
exteriores em Portugal
exteriores em Portugal

Ate aos anos 40                anos 40               anos   60          anos  80        anos  90
Paredes de áreas tropicais
p

Parede exterior Parede interior
As paredes em áreas Tropicais em geral são 
simples
Parede Exterior Parede Interior
Figuras das Casas Típicas de TL 1964
Figuras das Casas Típicas de TL 1964
Casa típicas de Lospalos Casa típicas de Lospalos
Casas típicas das Populações
Casas típicas das Populações 
Casas em Pedra e Bambus
Palácio do Governo 
Mercado Municipal de Dili
Edifício do Tropical 
Residência do 1º Ministro TL
Pousada de Baucau
CONCLUSÕES 
Com vista a uma construção sustentável é importante :
y Aumentando a durabilidade de um material,
material maior será a
sua vida útil e consequentemente menor será o seu impacto
ambiental.
y A satisfação das necessidades sem pôr em perigo a
possibilidade das gerações futuras em satisfazerem também
as suas necessidades.
necessidades
y Executar um balanço térmico e obter a energia necessária
para aquecer
p q ou arrefecer o edifício de forma a q
que esteja
j a
uma temperatura considerada de conforto.
y Procura uma maior compatibilidade entre os ambientes
artificial
ifi i l e naturall sem contudo
d comprometer os requisitos
i i
funcionais dos edifícios e dos seus elementos, assim como a
viabilidade económica do produto.
p
Obrigado pela atenção !!!