Você está na página 1de 10

Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar – Metodologias de 6ª Sessão Online, 2ª

operacionalização (Conclusão) Tarefa

Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito da BE nos relatórios de


avaliação da Escolas pela IGE
Após análise dos documentos verifica-se que, nos seguintes subdomínios, nenhuma BE é
referida: 1.1 Sucesso académico, 1.3. Comportamento e disciplina; 1.4. Valorização e impacto das
aprendizagens; 2.1. Articulação e sequencialidade; 2.2. Acompanhamento da prática lectiva em sala 1

de aula; 2.3. diferenciação e apoios; 3.4. Participação dos pais …; 3.5. Equidade e justiça, 4.1. Visão e
estratégia; 4.2. Motivação e empenho; 5.1. Auto-avaliação.
Nos restantes, é mencionada de forma mais sistemática no respeitante à “Abrangência do
currículo e valorização dos saberes e da aprendizagem”, quatro ocorrências; “Gestão dos recursos
humanos”, “Gestão dos recursos materiais e financeiros” e “Abertura à inovação” com três
ocorrências; “Parcerias, protocolos e projectos” com duas ocorrências e, com uma ocorrência, os
pontos 1.2. “Participação e desenvolvimento cívico”, 3.1. “Concepção, planeamento e
desenvolvimento da actividade” e 5.2. “Sustentabilidade do progresso”, se bem que nem sempre de
forma precisa. Um dos relatórios da minha amostra inclui um dos pontos fortes relacionado com a
Biblioteca.
Estes relatórios também não especificam os níveis de colaboração entre a equipa da
Biblioteca e os docentes do Agrupamento, na identificação de recursos e no desenvolvimento de
actividades conjuntas orientadas para o sucesso do aluno. Referem de forma pouco precisa, o seu
contributo para as aprendizagens, não identificando, dentro do plano de acção das bibliotecas,
factores determinantes e com um impacto positivo no ensino e na aprendizagem dos alunos.
Destaca-se o relatório da Escola Secundária com 3º ciclo de Sacavém, onde a Biblioteca como
espaço de promoção das aprendizagens bem equipado e acessível aos alunos do ensino nocturno e
comunidade é apontada como um dos pontos fortes da Escola e, como se verifica no quadro abaixo,
a alusão a bibliotecas de algumas Escolas/ Agrupamentos encaradas como espaços dinâmicos, bem
organizadas e apetrechadas, respondendo às múltiplas e distintas necessidades de alunos e
professores, que organizam actividades motivadoras e, por tudo isto, são vistas como espaços de
eleição.
Deste modo, podemos concluir que ainda não é prática corrente fazer-se, de facto, uma
articulação entre a avaliação da biblioteca escolar e a avaliação interna da Escola e entre esta e a
avaliação externa, pelo menos no que concerne à biblioteca.
Com a aplicação do novo modelo de auto-avaliação e visto que a sua operacionalização
implica, necessariamente, o envolvimento de vários actores, para além da equipa da BE e pressupõe
a articulação da BE com as estruturas de coordenação e orientação pedagógica e demais agentes
educativos, a situação actual, espera-se, vai sofrer alguma alteração.

Cristina Romba
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar – Metodologias de 6ª Sessão Online, 2ª
operacionalização (Conclusão) Tarefa

Nesta breve amostra de relatórios, a Biblioteca Escolar/Centro de Recursos não é um factor


preponderante para a Inspecção-geral da Educação avaliar as escolas, mas com a implementação do
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar será primordial a sua integração no Modelo de
Avaliação Externa das Escolas. É patente que entre 2007 e 2009, nos relatórios analisados, não existe
uma evolução quanto às referências à BE nos relatórios da IGE. Fica-se com a noção que os 2

professores responsáveis pelas BE das escolas avaliadas não tiveram intervenção nos painéis ouvidos
pela IGE aquando da inspecção.
Estou convicta de que a implementação do modelo de auto-avaliação vai mudar a
mentalidade, a maneira de actuar dos agentes responsáveis e possibilitar o reconhecimento da BE
como centro de aprendizagens e como o verdadeiro pulsar da escola.

Cristina Romba
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar – Metodologias de operacionalização (Conclusão) 6ª Sessão Online, 2ª Tarefa

Agrupamentos de Escolas

Escola Secundária Agrupamento de


Campos e Escola Secundária Agrupamento de Escola Secundária
com 3º ciclo Dr. Escolas Dr.ª Maria Agrupamento de 3
Tópicos Poeta António Escolas do Freixo, com 3º ciclo de
Mário Sacramento, Alice Gouveia, Escolas de Vila Flor
da IGE Aleixo, Portimão Ponte de Lima Sacavém
Aveiro Coimbra
2009
2007 2008 2009
2007 2008

1.1. Sucesso
académico

Faz referência à
1.2 Participação e atribuição de tarefas
desenvolvimento de responsabilidade
1. Resultados

cívico dos alunos, referindo


a sua “colaboração
na BE.”

1.3. Comportamento
e disciplina

1.4. Valorização e
impacto das
aprendizagens

2.1. Articulação e
2. Prestação do serviço

sequencialidade
educativo

2.2.
Acompanhamento
da prática lectiva…

2.3. Diferenciação e
apoios

Cristina Romba
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar – Metodologias de operacionalização (Conclusão) 6ª Sessão Online, 2ª Tarefa

Agrupamentos de Escolas

Escola Secundária Agrupamento de


Campos e Escola Secundária Agrupamento de Escola Secundária
com 3º ciclo Dr. Escolas Dr.ª Maria Agrupamento de 4
Tópicos Poeta António Escolas do Freixo, com 3º ciclo de
Mário Sacramento, Alice Gouveia, Escolas de Vila Flor
da IGE Aleixo, Portimão Ponte de Lima Sacavém
Aveiro Coimbra
2009
2007 2008 2009
2007 2008

“O Clube de Teatro, o “A EB 2,3 oferece um “A Língua “…são ainda


Programa Regional conjunto de outras Portuguesa, a dinamizadas pela
de Educação actividades e Matemática e as Biblioteca
Ambiental pela Arte projectos de ciências foram concursos de
e as actividades enriquecimento beneficiadas pela desenho, texto
desenvolvidas com a curricular que os adesão ao Plano (poesia e prosa) e
comunidade no alunos consideram Nacional de Leitura, fotografia, uma
âmbito da Rede de muito motivadoras, …” feira do livro e
2.4. Abrangência do Bibliotecas Escolares designadamente exposições
“A relevância
currículo e (Concursos de Poesia através dos clubes, temáticas.”
reconhecida por
valorização dos e de fotografia, feira da BE/CRE…”
todos nas temáticas
saberes e da do livro…) são
que envolvem as
aprendizagem também contributos
actividades, os
para tornar a Escola
projectos de
um verdadeiro
enriquecimento
espaço cultural e
curricular e a
formativo.”
Formação Cívica, por
exemplo: …, as
dinâmicas da
Biblioteca…”

Cristina Romba
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar – Metodologias de operacionalização (Conclusão) 6ª Sessão Online, 2ª Tarefa

Agrupamentos de Escolas

Escola Secundária Agrupamento de


Campos e Escola Secundária Agrupamento de Escola Secundária
com 3º ciclo Dr. Escolas Dr.ª Maria Agrupamento de 5
Tópicos Poeta António Escolas do Freixo, com 3º ciclo de
Mário Sacramento, Alice Gouveia, Escolas de Vila Flor
da IGE Aleixo, Portimão Ponte de Lima Sacavém
Aveiro Coimbra
2009
2007 2008 2009
2007 2008

Refere que caso um


e gestão escolar
3 – Organização

docente falte de
3.1. Concepção, imprevisto, os alunos
planeamento… estão informados
que devem dirigir-se
para a BE/CRE ou
para os clubes

Cristina Romba
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar – Metodologias de operacionalização (Conclusão) 6ª Sessão Online, 2ª Tarefa

Agrupamentos de Escolas

Escola Secundária Agrupamento de


Campos e Escola Secundária Agrupamento de Escola Secundária
com 3º ciclo Dr. Escolas Dr.ª Maria Agrupamento de 6
Tópicos Poeta António Escolas do Freixo, com 3º ciclo de
Mário Sacramento, Alice Gouveia, Escolas de Vila Flor
da IGE Aleixo, Portimão Ponte de Lima Sacavém
Aveiro Coimbra
2009
2007 2008 2009
2007 2008

“A gestão dos Refere que o número “O plano de


recursos humanos de elementos do formação do pessoal
realizada garante o pessoal auxiliar “é docente e não
funcionamento dos insuficiente, o que docente contempla
diversos serviços de inviabiliza, por um conjunto de
apoio escolar exemplo, o acções que
(biblioteca, cantina, funcionamento da privilegiam … a
…).” Biblioteca a tempo animação da
integral.” Biblioteca Escolar...”
3.2. Gestão de Mais à frente refere,
recursos humanos a respeito das
unidades educativas,
que “a par de
unidades educativas
bem equipadas e
com bibliotecas,
existem outras com
insuficiência de
espaços, …”

Cristina Romba
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar – Metodologias de operacionalização (Conclusão) 6ª Sessão Online, 2ª Tarefa

Agrupamentos de Escolas

Escola Secundária Agrupamento de


Campos e Escola Secundária Agrupamento de Escola Secundária
com 3º ciclo Dr. Escolas Dr.ª Maria Agrupamento de 7
Tópicos Poeta António Escolas do Freixo, com 3º ciclo de
Mário Sacramento, Alice Gouveia, Escolas de Vila Flor
da IGE Aleixo, Portimão Ponte de Lima Sacavém
Aveiro Coimbra
2009
2007 2008 2009
2007 2008

“A Biblioteca Escolar/ “… requalificou-se o “A Biblioteca/


Centro de Recursos Polivalente e a Centro de
Educativos foi Biblioteca, Recursos
ampliada de modo a constituindo-se como Educativos é um
integrar a Rede espaços de eleição espaço de
3.3. Gestão dos Nacional de dos alunos.” promoção das
recursos materiais e Bibliotecas aprendizagens
financeiros Escolares.” bem equipado,
acessível também
aos alunos do
ensino nocturno e
à comunidade
educativa.”
3.4. Participação dos
pais …

3.5. Equidade e
justiça

4.1. Visão e
4. Liderança

estratégia

4.2. Motivação e
empenho

Cristina Romba
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar – Metodologias de operacionalização (Conclusão) 6ª Sessão Online, 2ª Tarefa

Agrupamentos de Escolas

Escola Secundária Agrupamento de


Campos e Escola Secundária Agrupamento de Escola Secundária
com 3º ciclo Dr. Escolas Dr.ª Maria Agrupamento de 8
Tópicos Poeta António Escolas do Freixo, com 3º ciclo de
Mário Sacramento, Alice Gouveia, Escolas de Vila Flor
da IGE Aleixo, Portimão Ponte de Lima Sacavém
Aveiro Coimbra
2009
2007 2008 2009
2007 2008

“O funcionamento “A abertura à “A requalificação da


dos diversos serviços inovação presente no Biblioteca Escolar/
(designadamente Agrupamento Centro de Recursos
serviços manifesta-se na Educativos e do
administrativos e adesão a uma Polivalente… são
Biblioteca) reflecte a diversidade de realidade já
importância e o projectos de âmbito conseguida.”
impacto da utilização nacional (…, Plano
4.3. Abertura à dos recursos Nacional de Leitura,
inovação informáticos na …, Rede Nacional de
gestão diária da Bibliotecas Escolares,
Escola.” …), o que lhe tem
permitido,
simultaneamente,
obter recursos
materiais e garantir a
formação dos
docentes.”
“Também a Escola “Também aderiu a
tem promovido e alguns projectos
4.4. Parcerias, participado em nacionais, entre os
protocolos e projectos quais …, Rede de
projectos institucionais e Bibliotecas
outros: Rede de Escolares, o Plano
Bibliotecas Nacional de
Escolares…” Leitura…”

Cristina Romba
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar – Metodologias de operacionalização (Conclusão) 6ª Sessão Online, 2ª Tarefa

Agrupamentos de Escolas

Escola Secundária Agrupamento de


Campos e Escola Secundária Agrupamento de Escola Secundária
com 3º ciclo Dr. Escolas Dr.ª Maria Agrupamento de 9
Tópicos Poeta António Escolas do Freixo, com 3º ciclo de
Mário Sacramento, Alice Gouveia, Escolas de Vila Flor
da IGE Aleixo, Portimão Ponte de Lima Sacavém
Aveiro Coimbra
2009
2007 2008 2009
2007 2008

5.1. Auto-avaliação
5. Capacidade de auto-regulação
e melhoria da escola

“Também tem
permitido identificar
e aproveitar algumas
oportunidades para
5.2. alcançar os seus
Sustentabilidade do objectivos, de que
processo são exemplo a
implementação do
PTE, a integração na
Rede Nacional de
Bibliotecas
Escolares.”

Cristina Romba
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar – Metodologias de operacionalização (Conclusão) 6ª Sessão Online, 2ª Tarefa

Agrupamentos de Escolas

Escola Secundária Agrupamento de


Campos e Escola Secundária Agrupamento de Escola Secundária
com 3º ciclo Dr. Escolas Dr.ª Maria Agrupamento de 10
Tópicos Poeta António Escolas do Freixo, com 3º ciclo de
Mário Sacramento, Alice Gouveia, Escolas de Vila Flor
da IGE Aleixo, Portimão Ponte de Lima Sacavém
Aveiro Coimbra
2009
2007 2008 2009
2007 2008

“A Biblioteca
Escolar/ Centro de
Recursos
Educativos como
espaço de
promoção das
Pontos Fortes aprendizagens
bem equipado e
acessível aos
alunos do ensino
nocturno e à
comunidade
educativa.”

Pontos Fracos

Cristina Romba