Você está na página 1de 71

CAPÍTULO V

MICROIRRIGAÇÃO
(Irrigação Localizada
Localizada))
INTRODUÇÃO
Forma de aplicação da água
Neste método de irrigação a água é aplicada ao solo sob a forma de
gotas (gotejamento) ou como uma pequena chuva (microaspersão)
sobre a superfície.

Gotejamento Microaspersão
Adaptabilidade do sistema
Solos
De modo geral, a modalidade por gotejamento se adapta a qualquer
tipo de solo, independente de sua textura, estrutura e velocidade de
infiltração. A modalidade por microaspersão, na grande maioria das
situações, também não apresenta limitações quanto às características
citadas, exceto quando a declividade do terreno for muito acentuada e
utilizando microaspersores com maior capacidade de aplicação de
água, cuidado especial deverá ser tomado com o possível escoamento
superficial.

Topografia
Independentemente da modalidade empregada, a topografia não é
fator limitante para o emprego do sistema localizado.
Adaptabilidade do sistema

Clima
Uma das grandes vantagens do sistema localizado é a adaptação à
qualquer condição climática. Este é o principal motivo do sistema ser
praticamente o único empregado em regiões áridas à exemplo de
Israel e o Estado da Califórnia nos EUA.

Culturas

O sistema é fundamente empregado para frutíferas mas, atualmente,


está sendo empregado comercialmente em culturas como a cana-
de-açúcar, preferencialmente o gotejamento subterrâneo.
Vantagens do sistema

Maior eficiência no uso da água;


Maior produtividade: como a irrigação é diária, há maior uniformidade da
umidade do solo e, com isso, maior desenvolvimento da cultura;
Maior eficiência de adubação;
Maior eficiência de controle fitossanitário;
Não interfere nos tratos culturais;
Pode ser adotado para qualquer tipo de solo e qualquer topografia;
Pode ser usado com água salina ou em solos salinos; e,
Maior economia de mão-de-obra.
Limitações do sistema

Apresenta elevado custo inicial quando comparado a outros sistemas;

Pequeno diâmetro dos emissores: pode apresentar problemas de


entupimento, causado principalmente por partículas de areia,
fertilizantes, algas, bactérias, óxido de ferro e precipitados químicos,
tornando-se necessário então, manutenção periódica;

Pode ocorrer o acúmulo de sais na superfície do solo e no perímetro


do bulbo molhado, o que pode trazer prejuízos às plantas;
Limitações do sistema

Pode ocorrer a limitação no desenvolvimento das raízes das plantas,


devido ao fato das raízes tenderem a se desenvolverem somente na
região do bulbo molhado, próximo ao emissor ao longo de cada linha
lateral;

Como um pequeno volume do solo é umedecido, limita-se a habilidade


da planta em crescer em busca de água e fertilizantes em locais
afastados da zona úmida, o que pode acarretar prejuízos na produção,
caso haja interrupção da irrigação;

As linhas de polietileno podem ser danificadas por roedores e


formigas.
Componentes do sistema de irrigação
Componentes do sistema de irrigação

- Motobomba

- cabeçal de controle

Localizado após a motobomba, no início da linha principal, é


constituído pelos seguintes equipamentos:
- medidor de vazão;
- filtros (areia e tela);
- injetor de fertilizantes;
- válvulas de controle de pressão;
- registros e manômetros.
Componentes do sistema de irrigação
- Injetor de fertilizantes

- Bomba injetora
Componentes do sistema de irrigação
- Injetor de fertilizantes

- Venturi
Componentes do sistema de irrigação
- Filtros

- Areia: responsável pela eliminação de partículas


grosseiras em suspensão, algas, matéria orgânica,
microorganismos e partículas coloidais.
Componentes do sistema de irrigação
- Filtros

- Tela: eficientes na retenção de partículas, porém


facilmente obstruídos por matéria orgânica. São responsáveis pela
eliminação de impurezas menores que ultrapassam o filtro de areia,
bem como partículas insolúveis advindas de fertilizantes.
Componentes do sistema de irrigação

- emissores
- gotejadores 0,5 a 12 L h-1
- microaspersores 20 a 150 L h-1
Componentes do sistema de irrigação
Componentes do sistema de irrigação

Qe = Cd A 2 g Ps q = k hx
Componentes do sistema de irrigação
- Linhas adutoras e linha principal

São constituídas por tubos em polietileno ou em PVC.


Podem ser superficiais ou enterradas.

- Linhas de derivação

Transporta a água da LP até as linhas laterais. São sempre


em polietileno ou em PVC. Normalmente são instaladas válvulas
para controle de pressão no início das LD para controle de vazão do
sistema.

- Linhas laterais

São constituídas por tubos em polietileno, com o diâmetro


variando de 12 a 32 mm. O espaçamento entre as LL é dependente
do espaçamento entre as fileiras de plantio.
Quantidade de água necessária
AMe AS
PAM = PAS =
AT AT

Na determinação do valor do PAM, há dois casos a considerar:

- Quando se irriga uma faixa contínua do solo, o que é mais


comum na irrigação por gotejamento;

- Quando se irriga por árvore, não se formará uma faixa molhada


contínua, mas sim bulbos molhados ou áreas molhadas, mais
comuns na microaspersão.

O valor mínimo recomendado para a PAM é dependente do clima. Em


clima úmido PAM > 20%, e em regiões áridas e semiáridas
PAM > 33%.
Quantidade de água necessária
Quantidade de água necessária
Quantidade de água necessária
- Evapotranspiração
ETc loc = ETc .K L

Keller & Bliesner (1990) K L = 0,1 P

sendo P o maior valor entre PAM e PAS.


Quantidade de água necessária
- Lâmina e intervalo de irrigação

 U − UPM   PAM 
L loc =  CC .Ds.Z.f. 
 10   100 

 U − Ua   PAM 
L loc =  CC .Ds.Z. 
 10   100 

Quando as irrigações são diárias, a IRNloc é igual à ETcLoc.

L loc
LB loc =
Ea
Quantidade de água necessária
- Lâmina e intervalo de irrigação

L loc
TR =
ETc loc

Na irrigação localizada é comum prefixar um valor de TR em função


do solo e das especificidades do manejo de água, normalmente de
1 a 3 dias. Uma vez definido o valor de TR, calcula-se a lâmina de
irrigação:

L loc = TR . ETc loc


Dimensionamento do sistema de irrigação
localizada
- Intensidade de aplicação e tempo de irrigação

Nemissores por planta . qe LB loc


Ia = Ti =
Áreaocupada por planta Ia

TR .nh
- Número de unidades operacionais N=
Ti

A.LB loc
- Vazão necessária ao sistema Q=
N. Ti
Dimensionamento do sistema de irrigação
localizada

O dimensionamento do sistema de irrigação utiliza os mesmos


conceitos e critérios estudos no capítulo referente à irrigação por
aspersão.

- Linhas laterais

“A variação de vazão entre o primeiro e o último gotejador não poderá


ser maior que 10%. Para essa condição, a perda de carga ao longo da
LL não poderá exceder à 20% da pressão de serviço do gotejador.”
Dimensionamento do sistema de irrigação
localizada
1,852
Q
  1,852
C  C 
hf = 10,646 . . L . F.  
D 4,87  Cg 

Cg é o coeficiente de rugosidade do tubo com gotejadores, que varia de


80 a 140; em termos médios, adota-se Cg = 100.

- Linhas de derivação

São instaladas na direção da maior declividade do terreno e


podem ser usados mais de um diâmetro em seu dimensionamento.
Dimensionamento do sistema de irrigação
localizada

- Linhas de derivação

O limite de hf na LD somado ao limite na LL não poderá


ultrapassar a 30% da Ps do gotejador. Caso, no dimensionamento, seja
utilizado um limite de hf inferior a 20% na LL, esta diferença deverá ser
transferida para a LD, de modo que a soma entre os dois limites não
ultrapasse 30% da Ps do gotejador.

- Linha Principal

O dimensionamento é feito pelo mesmo critério utilizado para


aspersão, ou seja, a velocidade média na tubulação deverá estar entre
1,0 e 2,5 m s-1.
Dimensionamento do sistema de irrigação
localizada

Ao contrário do que foi feito no dimensionamento da irrigação


por aspersão, ao invés de encontrarmos um diâmetro comercial para as
linhas laterais, esse deve ser atribuído (≤ ¾”) e, a partir dele, efetuados
os cálculos de perda de carga e pressão no início da linha.
Avaliação do sistema
Apresenta o mesmo princípio da avaliação de outros sistemas.
Consiste na coleta de vazões ou lâminas aplicadas e as efetivamente
utilizadas pelas plantas. Existem algumas metodologias, porém a mais
utilizada é o método proposto por Keller e Karmeli (1975).

 n

 ∑ qi − q 
CUC = 100 1 − i=1 
 nq 
 
 

q25
CUD = 100
q
Ex. Após montagem em campo, foi realizado um teste de uniformidade em
um sistema de irrigação por gotejamento. O teste teve duração de 20 min,
sendo obtidos os seguinte volumes (mL): 1440, 1328, 1236, 1355, 1628,
1224, 1134, 1245, 1532, 1356, 1224, 1632, 1425, 1212, 1312 e 1432.
Avalie o sistema de irrigação em questão e indique na Figura quais devem
ter sido os gotejadores avaliados. Discuta o resultado.
Projeto de um sistema
Dimensionar um sistema de irrigação por gotejamento, sendo dados:

•área: 540 x 180 m;


•cultura: figo, com espaçamento de 3 x 3 m;
•evaporação medida pelo tanque Classe A: 5,1 mm d-1 (maior demanda);
•velocidade do vento: 190 km d-1;
•umidade relativa do ar média: 60%;
•tanque circundado por grama: R = 10 m;
•kc = 1,0;
•turno de rega pré-fixado = 3 dias;
•vazão do gotejador = 3,5 L h-1;
•pressão de serviço do gotejador = 10 mca;
•espaçamento entre gotejadores = 1,5 m;
•serão utilizados 2 gotejadores por árvore;
•considerar número de horas de irrigação diária igual a 24;
•PAS = 60%; PAM = 45%
•considerar Ea = 90%
Projeto de um sistema

Resolução

1) Evapotranspiração
2) Lâminas real e total necessárias
3) Tempo de irrigação por posição
4) Número de unidades operacionais
5) Dimensionamento das linhas laterais
6) Pressão no início da LL
7) Dimensionamento das linhas de derivação
8) Pressão no início da LD
9) Dimensionamento da linha principal
1) Evapotranspiração

Kt = 0,108 − 0,0286 .2,2 + 0,0422 . ln (10) + 0,1434. ln( 60) − 0,000631 . [ln(10)] . ln( 60)
2

Kt = 0,71
KL = 0,1 P = 0,1 60 = 0,78
ETc loc = (5,1 . 0,71 . 1,0 ). 0,78 = 2,82 mm d−1

2) Lâminas real e total necessárias


IRN = ETc loc . TR = 2,82 × 3 = 8,5 mm

IRN 8,5
ITN = = = 9,4 mm
Ea 0,90

3) Tempo de irrigação por posição


Como a irrigação será por árvore:
ne .qe 2 x 3,5 mm ITN 9,4
Ia = = = 0,78 Ti = = = 12,0 h
A planta 3x3 h Ia 0,78
4) Número de unidades operacionais

TR . nh 3 x 24
N= = =6
Ti 12

Como a área total do projeto é 9,72 ha (540 x 180), cada unidade


operacional terá 1,62 ha.

Neste caso, cada unidade operacional de 1,62 ha será irrigada a cada


12 horas, fazendo-se 2 irrigações por dia, ou seja, irrigar-se-á 2 unidades
operacionais por dia (3,24 ha).
5) Croqui da área
6) Dimensionamento das linhas laterais
De acordo com o croqui, o comprimento das LL é de, aproximadamente,
90 m. Como o espaçamento entre gotejadores é de 1,5 m, cada LL terá 60
gotejadores.

- limite de hf = 20% x 10 mca = 2,0 mca


- QLL = 60 x 3,5 L h-1 = 210 L h-1 = 5,83 x 10-5 m3 s-1
- L = 90 m
- F60 = 0,36
- C = 144
- Cg = 100 1,852
Q
  1,852
 C 
D4,87 = 10,646.  
C
.L .F .  
hf  Cg 
1,852

 5,83 × 10 5
 
 144  1,852
 144 
D4,87 = 10,646 .   . 90 . 0,36 .   = 0,0123 m
2  100 
Esse é praticamente o diâmetro comercial de 0,012 m e por isso será considerado.
7) Pressão no início da LL

PinLL = Ps + 0,75. hfLL ± 0,5. ∆Z


PinLL = 10 + 0,75. 2,0 = 11,50 mca

8) Dimensionamento das linhas de derivação

De acordo com o croqui, cada LD terá 90 m de comprimento, com 60 LL


cada uma (30 LL de cada lado).

- limite de hf = 10% x 10 mca = 1,0 mca


- QLD = 60 x 210 L h-1 = 12600 L h-1 = 0,0035 m3 s-1
- L = 90 m
- F60 = 0,36
- C = 140 (PVC) ou 144 (polietileno)
- Cg = 100
1,852
Q
  1,852
 C 
D4,87 = 10,646 .  
C
.L .F .  
hf  Cg 
1,852
 0,0035 
  1,852
 140 
D4,87 = 10,646 .  
140
. 90 . 0,36 .   = 0,0671 m
1,0  100 

Adotando diâmetro de 75 mm, a perda de carga na LD será de 0,58 m.

9) Pressão no início da LD

PinLD = PinLL + hfLD + ∆Z


PinLD = 11,50 + 0,58 = 12,08 mca
10) Dimensionamento da linha principal

Como cada unidade operacional só tem uma LD, conclui-se então que a
vazão da LP é a mesma da LD. Pelo croqui, a LP apresenta um comprimento
de 450 m e a pior situação será aquela quando as unidades operacionais 5
ou 6 estiverem sendo irrigadas. Utilizando o critério de velocidade:

para D = 50 mm V = 1,78 m s-1 hf = 31,15 mca


para D = 75 mm V = 0,79 m s-1 hf = 4,32 mca
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares
Exercícios complementares

Você também pode gostar