Você está na página 1de 3

Alicerces da República Federativa do Brasil

A Carta Magna (ou Constituição) determina que os alicerces da República


Federativa do Brasil são:

a) A soberania.
b) A cidadania.
c) A dignidade da pessoa humana.
d) Os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa.
e) O pluralismo político.

III - a dignidade da pessoa humana;

Dita nossa Carta Magna que o Estado está centrado no ser


humano, e não em qualquer outro referencial. A razão do Estado Brasileiro
não está consubstanciado na propriedade, em classes, em corporações,
em organizações religiosas, muito menos em si mesmo – como ocorre em
regimes totalitários – mas sim na pessoa humana; essa concepção afasta
a possibilidade de predomínio das ideias transpessoalistas do Estado e da
Nação em detrimento da liberdade pessoal. Do ideal de “dignidade da
pessoa humana”, vários outros valores constitucionais decorrem deste
como, por exemplo, o direito à vida, à intimidade, à honra, à imagem e
etc.. Duas posições jurídicas consubstanciam a questão da dignidade
humana. A primeira apresenta-se como Direito de proteção individual não
só em relação ao Estado mas também frente aos demais indivíduos. A
segunda constitui dever fundamental de tratamento igualitário dos
próprios semelhantes.

IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;

Nosso Estado fundamenta-se, também, no valor social do


trabalho e da livre iniciativa. Nosso constituinte determinou que o Estado
1/3
brasileiro configura-se como obrigatoriamente capitalista e, ao mesmo
tempo, nas relações entre capital e trabalho, será, sempre, reconhecido o
valor social do último. No artigo 170, CF1, a A A A Constituição reforça e
apresenta este fundamento aos estatuir que a ordem econômica está
fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tendo por
fim assegurar a todos uma existência digna, conforme os ditames da
justiça social.

Art. 2º São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o


Executivo e o Judiciário.

Nesse artigo, temos a visão do legislador ao consagrar o


princípio da separação dos poderes ou o princípio da divisão funcional do
poder do Estado. Essa divisão funcional consiste em atribuir
independência entre esses órgãos, junto ao exercício das suas funções
estatais essenciais. Nesse caso, cabe ao Poder Executivo, tipicamente,
exercer as funções de Governo e Administração; ao Poder Legislativo cabe

1
Art. 170. A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim
assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios:

I - soberania nacional;

II - propriedade privada;

III - função social da propriedade;

IV - livre concorrência;

V - defesa do consumidor.

VI - defesa do meio ambiente, inclusive mediante tratamento diferenciado conforme o impacto ambiental
dos produtos e serviços e de seus processos de elaboração e prestação; (Redação dada pela Emenda
Constitucional nº 42, de 19.12.2003)

2/3
principalmente a elaboração das leis; ao Poder Judiciário atribui-se o
exercício da jurisdição, significando isso dizer qual o direito aplicável ao
caso concreto na hipótese de litígio.

3/3