Você está na página 1de 3

IFC - Industry Foundation Classes

1) Conceitos:
- É o formato de arquivos padrão para troca/transferência de dados entre modelos BIM.

- IFC é um conjunto de dados organizados na linguagem Express. Para que um software seja
considerado “BIM”.

- É desenvolvido e mantido pelo instituto internacional BuildingSMART, instituição


internacional que reúne empresas desenvolvedoras de softwares e profissionais do mercado,
com intuito de promover um produto neutro capaz de dar suporte a todo ciclo de vida da
edificação (MANZIONE, 2013).

- No caso dos desenvolvedores de software, o estudo do IFC está bem documentado no


cenário atual, porém, ainda existem inúmeras lacunas de conhecimento para os usuários da
AEC, que recorrentemente necessitam trabalhar com esse padrão de troca de informação
(KHEMLANI, 2004).

- Um dos grandes desafios da BuildingSMART é a lapidação do formato de troca de dados que


atenda, de forma pratica e padronizada, as necessidades dos profissionais da AECO
(Arquitetura, Engenheria, Construção e Operação), envolvidos desde os estudos preliminares
de um empreendimento até a operação e manutenção.

- Manzione (2013) afirma que o IFC, disponível para definição livre de objetos AEC, emerge
num contexto como um modelo de dados da traduzidos de softwares, em sua forma “não
nativa” deste, sem padronizar as estruturas de dados em softwares mas se restringi apenas a
padronizar as informações compartilhadas entre eles.

- Mantém padrões Open BIM, visando o trabalhado em BIM de maneira aberta e


compartilhada.

- Proprety Sets: Conjuntos de propriedades que permitem definir as informações de cada


elemento de um modelo.

- Objeto BIM: Possuem atributos que possuem propriedades e apresentam relações entre si,
capacidade de receber, interligar, transmitir e suportar conjuntos de atributos.

- Registrado como ISSO-PAS-16739 (2005).

2) Dados:
- Um arquivo IFC pode ser aberto em um software de nota de texto (Wordpad/Bloco de notas),
onde sua lógica de estruturação é revelada. Cada linha é iniciada através do símbolo “#”,
seguido de um número que representa a GUID (Global Unique Identificator), que representa
um elemento único do arquivo. Elementos são quaisquer entidades, materiais ou não, dotados
de informação, em um modelo BIM. Um tipo de elemento (IFCx) representa a “classe” deles,
enquanto o elemento por si só, representa a instância.

- Entender o mínimo da lógica de programação do IFC permite a checagem dos processos de


troca de informação quando é detectado uma falha na exportação/importação de um arquivo
entre softwares. É possível e desejável programação em cima da arquivo IFC, de forma que se
possa otimizar o processo de troca de dados.
- Em softwares que exportam/importam IFC, nem todos os dados nativos estão preparados
para esse formato de troca de informações.

- Interoperabilidade: Capacidade de diferentes programas comunicarem-se pela troca,


utilização e edição de informações entre si

- Model VIew Definitions (MVD): Permite a criação de “vistas de informação” em IFC, que são
subconjuntos de dados, contém apenas as informações necessárias para determinado uso.

-Hierarquia: Classes de níveis inferiores herdam as propriedades das classes de nível superior.

- O IFC permite a criação de vários tipos de relacionamentos, como a associação de uma


“parede” à entidade “espaço”, em uma relação de encapsulamento.

- Para exportação/importação de um arquivo IFC, é necessário checar as configurações de


tradução de informações para cada situação. Os tradutores pré-carregados são um norte para
essa preparação da informação. É possível configurar o tipo de arquivo IFC, o MVD,
organização e conversão de geometria, atribuição de propriedades a elementos (Como
associar propriedades internas do software em propriedades “extras”). Em caso de
programação sobre o IFC, é recomendado a configuração da “seleção de unidades”

- Finalizada a preparação da tradução do arquivo para exportar, basta “salvar como” o arquivo
em formato “.ifc” e se atentar a seleção dos elementos, se são apenas os visíveis ou o projeto
inteiro, por exemplo.

- Durante experimento de exportação IFC de uma parede, foi verificado que é possível se
exportar a parede complexa como elemento único (composto por camadas de revestimento e
núcleo rígido) e importa-la de modo que as camadas dela se transformem em elementos
únicos, “quebrando” o elemento. Foram detectados alguns problemas na configuração
proposta, por exemplo, os elementos, em vez estarem configurados como “parede”, eles
voltam para o software como “objeto”, perdendo algumas informações, como área.

3) Esquema de definição de objetos:


Fonte: Adaptado de Manzione (2013) apud Khemlani (2004).

Uma entidade “parede” e outras entidades físicas, como lajes, vigas,


pilares, etc., são definidas por uma hierarquia de entidades. Na prática, isso
significa que a entidade “parede” (ifcWall) é definida como um subtipo da
entidade “elementos do edifício” (ifcBuildingElement), que por sua vez é um
subtipo da entidade “elemento” (ifcElement) e assim por diante, até a
entidade “raiz” (ifcRoot) (MANZIONE, 2013).