Você está na página 1de 93

Direito Constitucional

Luiz Oliveira

www.masterjuris.com.br
Forma
organizacional 1) Território definido;
O que é
1) Política; 2) Governo soberano;
o
Estado? 2) jurídica e; 3) Constituição escrita
(regra)
3) social

www.masterjuris.com.br
Elementos integrantes SOBERANIA;
do Estado
FINALIDADE; *

POVO;

TERRITÓRIO.

* Outros doutrinadores, todavia, referem apenas três elementos: soberania, povo e território.

www.masterjuris.com.br
ESTADO NAÇÃO
➢ Pessoa jurídica formada
por uma sociedade que ✓ Agrupamento humano,
vive num determinado cujos membros, fixados
território e subordinada a em um território,
uma autoridade soberana.
➢ Conjunto de poderes ✓ Ligada por
políticos e administrativos laços históricos, culturais,
de uma nação. econômicos e linguísticos.

www.masterjuris.com.br
2
Ano: 2017 Banca: VUNESP Órgão: DPE-RO
Prova: Defensor Público Substituto

1) Atualmente entende-se que

a) os elementos constitutivos do Estado são o governo, o


território, a população e a finalidade.

b) não existe Estado sem território.

www.masterjuris.com.br
2
c) nação é uma ordem jurídica soberana, que tem por fim o
bem comum de um povo situado em determinado território.

d) os conceitos de Estado e nação são coincidentes, já que


ambos representam uma comunidade com vínculo jurídico
entre seus componentes.

e) Estado é uma comunidade exclusivamente de base


histórico-cultural.

www.masterjuris.com.br
2
Ano: 2017 Banca: CESPE Órgão: TRE-TO
Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa

2) O Estado é formado pela união de três elementos


originários e indissociáveis. Esses elementos são

a) o território, o povo e o governo.


b) o povo, a Constituição Federal e o território.
c) o território, a autonomia e a Constituição Federal.
d) a autonomia, o povo e o governo.
e) a Constituição Federal, o governo e a autonomia.

www.masterjuris.com.br
1
O que caracteriza o
Estado?

www.masterjuris.com.br
•De acordo com Max Weber, o que caracteriza o Estado é
o monopólio do exercício legítimo da força em uma
sociedade. Enquanto máfias e outras organizações armadas
disputam entre si o controle sobre territórios e indivíduos
pelo simples uso da força. O Estado se diferencia destas pela
legitimidade com que se encontra investido para exercer, em
última instância, a força física sobre os indivíduos.
•Fonte: https://www.trabalhosgratuitos.com/Outras/Diversos
/Exerc%C3%ADcio-p%C3%B3s-585645.html

www.masterjuris.com.br
Banca: IBFC Órgão: HEMOMINAS
Prova: Técnico de Enfermagem

3) O Estado é:

a) Uma organização que tem o reconhecimento da população para


estabelecer regras a serem obedecidas por todos. Entretanto, outras
organizações sociais apresentam legitimidade para suas ações acima do
Estado.

b) Caracterizado como o monopólio do exercício legítimo da força em uma


sociedade.

www.masterjuris.com.br
2
c) Uma organização que exerce o poder sobre os indivíduos que
ocupam um determinado território, sem legitimidade.

d) Uma unidade federativa de um país, sem autonomia


administrativa, subordinada à Presidência da República.

www.masterjuris.com.br
2
Elementos da Constituição
(Professor José Afonso da Silva)
Agrupamento da
normas conforme a
finalidade

Elemento Elementos
Elemento Elemento Elementos de
s formais de
s s estabilização
socioideol aplicabilid
orgânicos limitativos constitucional
ógicos ade

www.masterjuris.com.br
Elementos Orgânicos Elementos limitativos
Normas que regulam a estrutura do Normas que compõem o elenco
Estado e do Poder. dos direitos e garantias
fundamentais, limitando a atuação
Exemplos: a) Título III (Da dos poderes estatais.
Organização do Estado); b) Título IV
(Da Organização dos Poderes e do Exemplo: Título II (Dos Direitos e
Sistema de Governo); c) Capítulos II Garantias Fundamentais),
e III do Título V excetuando o Capítulo II do referido
(Das Forças Armadas e Da Título II (Dos Direitos Sociais),
Segurança Pública); d) Título VI (Da estes últimos definidos como
Tributação e elementos socioideológicos;
do Orçamento);

www.masterjuris.com.br
Elementos de estabilização
Elementos socioideológicos
constitucional
Revelam o compromisso da Consubstanciados nas normas
Constituição entre o Estado constitucionais destinadas a
individualista e o Estado social, assegurar a solução de conflitos
intervencionista. constitucionais, a defesa da
Constituição, do Estado e das
instituições democráticas.
Exemplos: a) Capítulo Constituem instrumentos de defesa
II do Título II (Dos Direitos Sociais); do Estado e buscam garantir a paz
b) Título VII (Da Ordem Econômica e social.
Financeira); c) Título VIII (Da Ordem
Social); Exemplos:
www.masterjuris.com.br
Exemplos dos Elementos de estabilização constitucional

a) art. 102, I, "a" (ação de inconstitucionalidade);

b) arts. 34 a 36 (Da intervenção nos Estados e Municípios);

c) arts. 59, I, e 60 (Processos de emendas à Constituição);

d) arts. 102 e 103 (Jurisdição constitucional);

e) Título V (Da Defesa do Estado e das Instituições Democráticas, especialmente o


Capítulo I, que trata do estado de defesa e do estado de sítio, já que os Capítulos II
e III do Título V caracterizam-se como elementos orgânicos);

www.masterjuris.com.br
Elementos formais de
aplicabilidade

Estabelecem regras
de aplicação das
Constituições.

Preâmbulo ADCT Art. 5º, § 1º

www.masterjuris.com.br
Banca: FCC Órgão: AL-RN
Prova: Assessor Técnico de Controle Interno

4) Sobre os elementos das Constituições, são considerados


elementos orgânicos as normas

a) que revelam o compromisso da Constituição entre o Estado


individualista e o Estado Social.

b) que regulam a estrutura do Estado e do Poder.

www.masterjuris.com.br
2
c) destinadas a assegurar a solução de conflitos
constitucionais, a defesa da Constituição, do Estado e das
instituições democráticas.

d) que estabelecem regras de aplicação de outras normas


constitucionais.

e) que compõem o elenco dos direitos e garantias


fundamentais, limitando a atuação dos Poderes estatais.

www.masterjuris.com.br
2
Banca: FGV Órgão: SEFAZ-RJ Prova: Fiscal de Rendas
5) São elementos orgânicos da Constituição:
a) a estruturação do Estado e os direitos fundamentais.
b) a divisão dos poderes e o sistema de governo.
c) a tributação e o orçamento e os direitos sociais.
d) as forças armadas e a nacionalidade.
e) a segurança pública e a intervenção.

www.masterjuris.com.br
2
6-(CESPE-PC/PB) O dispositivo constitucional que determina a
competência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para julgar
crimes cometidos por governador de estado insere-se no
chamado elemento formal de aplicabilidade.

7-(CESPE- TRF - 5ª REGIÃO) São denominados elementos


limitativos das Constituições aqueles que visam assegurar a
defesa da Constituição e do estado democrático de direito.

www.masterjuris.com.br
2
2
8-(CESPE- BACEN) Quanto aos elementos, o ADCT configura
exemplo de elemento formal de aplicabilidade da CF.

9-(CESPE- TRF - 1ª REGIÃO) Segundo a doutrina, os elementos


orgânicos da constituição são aqueles que limitam a ação dos
poderes estatais, estabelecem as balizas do estado de direito e
consubstanciam o rol dos direitos fundamentais.

CESPE/ANALISTA JUD./ÁREA JUDICIÁRIA/STJ


10) Os direitos e garantias fundamentais são considerados
elementos limitativos das constituições.

www.masterjuris.com.br
1
2
1
Banca: IBFC Órgão: SEPLAG-MG Prova: Direito

11) Acerca dos elementos das constituições, assinale a


alternativa INCORRETA:

a) Orgânicos: elementos contidos nas normas que dispõem


sobre a estrutura do Estado e do poder.

b) Limitativos: elementos consagrados nas normas que cuidam


da defesa da constituição e das instituições democráticas.

www.masterjuris.com.br
2
c) Sócio-ideológicos: insculpidos nas normas que fixam os
compromissos sociais do Estado.

d) Formais de aplicabilidade: elementos assentados nas regras


de aplicação das constituições.

www.masterjuris.com.br
2
Banca: CESPE Órgão: PC-RN Prova: Delegado de Polícia

12) O elemento de estabilização constitucional é consagrado nas


normas destinadas a assegurar a solução de conflitos
constitucionais, a defesa da Constituição, do Estado e das
instituições democráticas.

13) O elemento socioideológico é assim denominado porque


limita a ação dos poderes estatais e dá a tônica do estado de
direito, consubstanciando o elenco dos direitos e garantais
fundamentais.

www.masterjuris.com.br
1
2
Art. 18. A organização político-administrativa da República
Federativa do Brasil compreende a União, os Estados, o Distrito
Federal e os Municípios, todos autônomos, nos termos desta
Constituição.

SOBERANIA

AUTONOMIA

www.masterjuris.com.br
CAPACIDADES DA AUTONOMIA FEDERATIVA

Auto-organização Autogoverno Autoadministração


Ter governo
Autonomia para
próprio, a ser
organizar e prestar
Criação de normas eleito pela
os serviços que
respectiva
lhe são próprios.
população

www.masterjuris.com.br
Qual a diferença entre
Estado Federado e Estado
Federal?

www.masterjuris.com.br
Estado Federado Estado Federal
Relaciona-se ao ente Relaciona-se a
federativo; federação;

Sinônimo: estado- Sinônimo: República


membro Federativa do Brasil.

www.masterjuris.com.br
Banca: FCC Órgão: PGE-RJ
Prova: Técnico Assistente de Procuradoria

14) É uma característica do Estado Federal brasileiro a

a) delegação de competência remanescente à União.


b) autonomia dos Municípios.
c) centralização político-administrativa das unidades federadas.
d) autonomia dos Territórios.
e) soberania dos Estados-Membros e do Distrito Federal.

www.masterjuris.com.br
2
Ano: 2016 Banca: CESPE Órgão: TRT - 8ª Região
(PA e AP) Prova: Analista Judiciário - Tecnologia da
Informação

15) Cabe à União o exercício de atribuições da


soberania do Estado brasileiro, razão por que esse
ente se confunde com o próprio Estado federal.

www.masterjuris.com.br
2
Banca: FUMARC Órgão: DPE-MG Prova: Defensor Público

16) NÃO constitui característica do Estado federal:

a) A existência de um corpo próprio de funcionários de cada


Estado federado, não subordinado às autoridades federais.

b) A participação dos Estados federados na vontade criadora da


ordem jurídica nacional.

www.masterjuris.com.br
3
c) A existência de delegação de poderes feita por lei ordinária
pelo órgão legislativo central, possibilitando a edição de leis
pelos legislativos regionais.

d) A previsão de distribuição de competências na Constituição


Federal.

e) A autonomia dos Estados federados.

www.masterjuris.com.br
3
Banca: Prefeitura do Rio de Janeiro – RJ Órgão: SMA-RJ
Prova: Contador (Procuradoria Geral)

16) Constitui pessoa jurídica de Direito Público Interno:

a) o Estado Federal;

b) a União;

c) a Presidência da República;

d) o Governo Federal.

www.masterjuris.com.br
2
PESSOAS/ENTIDADES PESSOAS/ENTIDADES
POLÍTICAS ADMINISTRATIVAS

1) União; 1) Autarquias
2) Estados; 2) Empresas Públicas;
3) Municípios; 3) Sociedade de Economia
4) Distrito Federal Mista;
4) Fundação Pública.
Possuem capacidade
legislativa. Poder político. Executam as normas
Ex: Art. 22 (competência (atividade administrativa)
privativa da União) www.masterjuris.com.br
Banca: CESPE Órgão: PC-ES Prova: Perito
Papiloscópico

17) Julgue os itens a seguir, acerca da classificação


dos órgãos da administração pública.

O Distrito Federal é considerado uma entidade


administrativa.

www.masterjuris.com.br
2
REVISÃO Exige lei para criar ou
autorizar a criação de
outra entidade
Descentralização
Dá origem a
Por outorga administração indireta
(2) Pessoas
Jurídicas (por serviços, Transfere Titularidade e
técnica ou serviço
distintas funcional)
Presunção de
Não há
definitividade
hierarquia
Tutela ou controle
Especialização finalístico
www.masterjuris.com.br
REVISÃO Por ato administrativo:
autorização de serviço
Por público (precariedade)
Descentralização colaboração
ou delegação 1) Por contrato
(2) Pessoas Administrativo: concessão;
Jurídicas
2) Por contrato de Adesão:
distintas permissão
Não há
hierarquia Territorial Capacidade
ou administrativa
Especialização geográfica genérica

www.masterjuris.com.br
REVISÃO
AUTORIZAÇÃO PERMISSÃO CONCESSÃO
Unilateral Unilateral Bilateral
Precário Precário Não Precário
Sem licitação Com licitação Com licitação
Pessoas Físicas ou Pessoas Físicas ou Pessoas Jurídicas ou
Jurídicas Jurídicas Consórcio de empresas

Ato Administrativo Contrato de Adesão Contrato Administrativo


Gratuito ou Oneroso Gratuito ou Oneroso Oneroso
www.masterjuris.com.br
Ano: 2016 Banca: CESPE Órgão: TRE-PI
Prova: Analista Judiciário – Judiciária

18) A adoção da Federação como forma de Estado pela


CF é embasada na descentralização política e na
soberania dos Estados-membros, que são capazes de
se auto-organizar por meio de suas próprias
constituições.

www.masterjuris.com.br
2
Banca: FGV Órgão: AL-BA
Prova: Técnico de Nível Superior - Assessoria Legislativa

19) Em relação à classificação das entidades da administração


pública em entidades políticas e entidades administrativas,
analise as afirmativas a seguir.

I. Entidades políticas e administrativas são sempre pessoas


jurídicas de direito público.

www.masterjuris.com.br
2
II. Entidades políticas detêm poder político, ao contrário das
entidades administrativas.

III. Entidades políticas, ao contrário das entidades


administrativas, possuem capacidade legislativa.

Assinale:
a) se apenas a afirmativa I estiver correta.
b) se apenas a afirmativa II estiver correta.
c) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.
d) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
e) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
www.masterjuris.com.br
5
Com qual setor se
identifica o estudo da
Organização do Estado?

www.masterjuris.com.br
1º Setor 2º Setor 3º Setor
Mercado

Estado ✓ Iniciativa
privada com fins Sociedade Civil.
✓ Administração lucrativos. Sistema S, OS e
pública direta e OSIP.
indireta). Ex:
Concessionárias e
permissionárias.

www.masterjuris.com.br
Art. 18 § 2º - Os Territórios Federais integram a União, e sua
criação, transformação em Estado ou reintegração ao Estado
de origem serão reguladas em lei complementar.

NÃO SÃO COMPONENTES DA FEDERAÇÃO

INTEGRAM A UNIÃO

AUTARQUIAS

PODEM SER SUBDIVIDIDOS EM MUNICÍPIOS


www.masterjuris.com.br
CARACTERÍSTI CÂMARA DOS
SENADO FEDERAL
CAS DEPUTADOS
Representantes do Estado Representantes do
Composição e do D. F. povo
(Territórios Federais) (E, DF e T. Federais)
1E/DF = mínimo 8
1E/DF = 3 senadores máximo 70
Nº de 1 senador = 2 T. Federais = 4
parlamentares suplentes (art. 45 § 2º)
Total = 81 senadores Total = 513
(LC 78/93)
www.masterjuris.com.br
Art. 33§ 3º Nos Territórios Federais com mais de cem mil
habitantes, além do Governador nomeado na forma desta
Constituição, haverá órgãos judiciários de primeira e segunda
instância, membros do Ministério Público e defensores públicos
federais; a lei disporá sobre as eleições para a Câmara Territorial
e sua competência deliberativa.

Art. 56. Não perderá o mandato o Deputado ou Senador:


I - investido no cargo de Ministro de Estado, Governador de
Território, Secretário de Estado, do Distrito Federal, de Território,
de Prefeitura de Capital ou chefe de missão diplomática
temporária;
www.masterjuris.com.br
Art. 84. Compete privativamente ao Presidente da República:

XIV - nomear, após aprovação pelo Senado Federal, os Ministros


do Supremo Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores, os
Governadores de Territórios, o Procurador-Geral da República, o
presidente e os diretores do banco central e outros servidores,
quando determinado em lei;

www.masterjuris.com.br
Banca: CONSULPLAN Órgão: TSE Prova: Analista
Judiciário - Área Administrativa

20) São entes federativos que podem ser divididos em


municípios

a) somente os Estados.
b) Estados e Distrito Federal.
c) Estados e Territórios.
d) Estados, Distrito Federal e Territórios.
www.masterjuris.com.br
1
Banca: CESPE Órgão: TCE-RN
Prova: Conhecimentos Básicos para o Cargo 5 (+
provas)

21) Por possuírem autonomia política, os territórios


federais têm sua criação, transformação em estado ou
reintegração ao estado de origem dependente da
aprovação, por plebiscito, da população diretamente
interessada e da ratificação do Congresso Nacional.

www.masterjuris.com.br
2
CESPE/UNB - TJ-RR

22) Os territórios federais integram a União, e sua


criação, transformação em estado ou reintegração ao
estado de origem depende de consulta prévia mediante
plebiscito às populações dos estados envolvidos, não
sendo necessária aprovação do Congresso Nacional.

www.masterjuris.com.br
2
ESTADOS
Art. 18 § 3º - Os Estados podem incorporar-se entre
si, subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem
a outros, ou formarem novos Estados ou Territórios
Federais, mediante aprovação da população
diretamente interessada, através de plebiscito, e do
Congresso Nacional, por lei complementar.

www.masterjuris.com.br
PLEBISCITO

2 Estados ou mais perdem Seguida de aprovação pelo 1 novo Estado ou


a primitiva personalidade Congresso Nacional Território Federal com
nova personalidade

www.masterjuris.com.br
PLEBISCITO
Estado 1
Nova
1 Estado perde a sua Seguida de aprovação pelo Personalidade
Estado 2
personalidade Congresso Nacional ou Nova
Território Personalidade
ou
www.masterjuris.com.br
Território
PLEBISCITO

Estado NOVO ou
O Estado NÃO perde a Seguida de aprovação pelo
Território Federal
sua personalidade Congresso Nacional NOVO
Nova
Personalidade

www.masterjuris.com.br
✓O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta quarta-feira
(24-8-2011), por unanimidade, que o plebiscito para o desmembramento de
um estado da federação deve envolver não somente a população do
território a ser desmembrado mas a de todo o estado.
✓Preconiza esse dispositivo que, nas consultas plebiscitárias sobre
desmembramento de estados e municípios, previstas nos artigos 4º e 5º da
mesma lei, entende-se por “população diretamente interessada” tanto a
do território que se pretende desmembrar quanto a do que sofrerá
desmembramento.

www.masterjuris.com.br
PARÁ

www.masterjuris.com.br
CESPE TJ (TRE PI)/TRE PI/Administrativa

23) Para que ocorra o desmembramento do território


de um estado, é necessário que a população da área a
ser desmembrada e a população do território
remanescente sejam consultadas.

www.masterjuris.com.br
1
CESPE/UNB DELEGADO DE POLÍCIA SUBSTITUTO
PC ES

24) O processo de formação dos estados-membros


exige a participação da população interessada por meio
de plebiscito, medida que configura condição prévia,
essencial e prejudicial à fase seguinte. Assim,
desfavorável o resultado da consulta prévia feita ao
povo, não se passará à fase seguinte do processo.

www.masterjuris.com.br
1
CESPE/UNB ANÁLISE DE COMPROVANTES MPS

25) Para a criação de um novo estado na Federação


brasileira, é necessária a realização de plebiscito
nacional, de forma a garantir o equilíbrio federativo.

www.masterjuris.com.br
2
CESPE/UNB - MPU

26) Considere que determinado estado da Federação


tenha obtido aprovação tanto de sua população
diretamente interessada, por meio de plebiscito, como do
Congresso Nacional, por meio de lei complementar, para
se desmembrar em dois estados distintos. Nesse caso, foi
cumprida a exigência imposta pela Constituição para
incorporação, subdivisão, desmembramento ou formação
de novos estados ou territórios federais.

www.masterjuris.com.br
1
EXAME DE ORDEM II - OAB
27) Considere que, para o estado de Minas Gerais (MG) ter acesso ao mar, alguns
parlamentares desse estado advoguem a incorporação a MG do território do Espírito
Santo (ES). Nessa situação, a referida incorporação
a) seria inconstitucional, por violação do princípio federativo.

b) somente poderia ser realizada por meio da edição de uma emenda à Constituição da
República.

c) deveria ser realizada mediante lei complementar federal, que somente entraria em
vigor caso fosse referendada pela maioria absoluta dos eleitores domiciliados tanto em
MG quanto no ES.

d) dependeria da prévia aprovação tanto da população de MG quanto da população do


ES.

www.masterjuris.com.br
4
Art. 18 § 4º A criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento
de Municípios, far-se-ão por lei estadual, dentro do período
determinado por Lei Complementar Federal, e dependerão de
consulta prévia, mediante plebiscito, às populações dos Municípios
envolvidos, após divulgação dos Estudos de Viabilidade Municipal,
apresentados e publicados na forma da lei.

ESTADOS MUNICÍPIOS
(Art. 18 § 3º) (Art. 18 § 4º)
✓ Plebiscito na população ✓ Plebiscito nas populações
diretamente interessada. dos municípios envolvidos.
www.masterjuris.com.br
✓ Lei Estadual (ordinária)
✓ Criação ✓ Prazo: Lei
✓ Incorporação Complementar Federal
✓ Estudo de viabilidade
✓ Fusão
municipal
✓ Desmembramento ✓ Plebiscito
* Art. 30. Compete aos Municípios:
IV - criar, organizar e suprimir distritos, observada a legislação
estadual; www.masterjuris.com.br
Súmulas e
Jurisprudências
Importantes
www.masterjuris.com.br
STF - Criação de novos Municípios

Para a criação de novos Municípios, o art. 18, § 4º da CF/88 exige a


edição de uma Lei Complementar Federal estabelecendo o procedimento
e o período no qual os Municípios poderão ser criados, incorporados,
fundidos ou desmembrados.
Como atualmente não existe essa LC, as leis estaduais que forem
editadas criando novos Municípios são INCONSTITUCIONAIS por
violarem a exigência do § 4º do art. 18.
STF. Plenário. ADI 4992 MC/RO, rel. Min. Gilmar Mendes, 26/6./2013
(Info 712).

www.masterjuris.com.br
Alteração dos limites de um Município exige plebiscito
Para que sejam alterados os limites territoriais de um
Município é necessária a realização de consulta prévia,
mediante plebiscito, às populações dos Municípios envolvidos,
nos termos do art. 18, § 4º da CF/88.

STF. Plenário. ADI 2921/RJ, rel. orig. Min. Ayres Britto, red. p/ o
ac. Min. Dias Toffoli, julgado em 9/8/2017 (Info 872).

www.masterjuris.com.br
Jurisprudências e Súmulas

1) Horário de funcionamento Município (S.V. 38)


de estabelecimento comercial
Bancos
2) Horário do funcionamento União (matéria civil) S 19
de instituições bancárias STJ

3) Segurança bancária Município (interesse local)

4) Tempo de fila no banco Município (interesse local)


www.masterjuris.com.br
Livre concorrência
5) estabelecimentos Ofende o princípio da livre
comerciais do mesmo ramo concorrência (S.V. 49)

Estacionamento
6) cobrança de
estacionamento em União (matéria civil)
propriedade particular

www.masterjuris.com.br
7) tempo razoável de
espera em fila dos usuários
dos serviços prestados Município
pelos cartórios
extrajudiciais.

8) legislar sobre questões


relacionadas a edificações Município
ou a construções
realizadas em seu
território.
www.masterjuris.com.br
COMPETÊNCIA DO MUNICÍPIO –TEMAS VARIADOS

9) “O Município é competente para legislar sobre meio ambiente


com União e Estado, no limite de seu interesse local
Condição: tal regramento seja e harmônico com a disciplina
estabelecida pelos demais entes federados (art. 24, VI c/c 30, I
e II da CRFB).”

(STF - RE 586.224, rel. min. Luiz Fux, julgamento em 5-3-2015,


Plenário, DJEde 8-5-2015, com repercussão geral.)

www.masterjuris.com.br
28 - (Banca: FGV Órgão: TCE-RJ)....à luz da jurisprudência do
Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça, é
correto afirmar que:

no conflito entre lei estadual e lei municipal que versem sobre


matéria ambiental e controle da poluição, deve prevalecer a
norma editada pelo Estado-membro, independente de qual seja a
mais protetiva ao meio ambiente, visto que o regramento local
deve ser harmônico com a disciplina estabelecida pelos demais
entes federados;

www.masterjuris.com.br
1
Banca: FCC Órgão: SEFAZ-PI
Prova: Auditor Fiscal da Fazenda Estadual
29) Em meio a diversas medidas voltadas para o combate à violência, o
Secretário de Segurança Pública de determinado Estado da federação edita
uma Portaria limitando o horário de funcionamento, no período noturno, dos
estabelecimentos que comercializem bebidas alcoólicas no território do
Estado. Nesse caso, à luz da Constituição da República,
a) o ato normativo é inconstitucional, por usurpação de competência
privativa da União para legislar sobre produção e consumo.

www.masterjuris.com.br
3
b) o Estado somente poderia editar lei ou ato normativo sobre a
matéria, e ainda assim para atender a suas peculiaridades, se
para tanto dispusesse de autorização prévia em lei complementar
federal.

c) o ato normativo é inconstitucional, por usurpação de


competência dos Municípios para legislarem sobre assuntos de
interesse local.

www.masterjuris.com.br
3
d) a matéria relativa à preservação da ordem pública é de
competência do Estado, que para esse fim, no entanto, deve
estabelecer por lei, e não por ato normativo de autoridade
administrativa, o horário de funcionamento de estabelecimentos
comerciais em seu território.

e) a matéria relativa à preservação da ordem pública é de


competência do Estado, que pode, para esse fim, estabelecer
por meio de ato normativo de autoridade administrativa o
horário de funcionamento de estabelecimentos comerciais em
seu território.

www.masterjuris.com.br
3
Banca: VUNESP Órgão: Prefeitura de Rosana – SP Prova: Procurador do
Município

30) É aprovado projeto de lei na Câmara Municipal de Rosana que estabelece


observância de distância mínima da farmácia ou drogaria existente para a
instalação de novo estabelecimento no perímetro. Seguindo o autógrafo para
sanção do Prefeito Municipal, é correto afirmar que o Prefeito deve

a) sancioná-lo, no prazo de 15 (quinze) dias úteis, pois o entendimento do


Supremo Tribunal Federal é que leis municipais com tal conteúdo encontram-
se dentro da competência municipal de legislar sobre matéria de interesse
local.

www.masterjuris.com.br
2
b) vetá-lo, no prazo de 15 (quinze) dias úteis, pois o Supremo Tribunal Federal
considera inconstitucionais as leis municipais que façam tal restrição, em
ofensa à livre concorrência e à liberdade do exercício da atividade econômica.

c) sancioná-lo, no prazo de 20 (vinte) dias úteis, pois não há entendimento em


sentido contrário, pela inconstitucionalidade da previsão legal, no âmbito da
jurisprudência do Supremo Tribunal Federal.

d) vetá-lo, no prazo de 20 (vinte) dias úteis, pois embora não haja vício de
inconstitucionalidade, já que legislar sobre comércio é competência municipal,
o projeto não atende ao interesse público, que é pela mais ampla oferta de
medicamentos.

www.masterjuris.com.br
2
e) devolver o projeto à Câmara Municipal, solicitando parecer da
Comissão de Constituição e Justiça, que se manifeste, em caráter
vinculante, no prazo de 15 (quinze) dias úteis, sobre a
constitucionalidade da restrição.

www.masterjuris.com.br
2
BENS REGRA EXCECÃO

AGUAS EM DEPÓSITO FEITO POR OBRA


FEDERAL ( Ex. USINAS HIDRELETRICAS)
ESTADO UNIÃO ✓ Em terreno de domínio federal
AGUAS Lagos e Rios ✓ Que banhem mais de um
Estado
✓ Limite com outro país
✓ Que passam por outro país

TERRAS
Indispensáveis a defesa (de fronteiras, fortes
ESTADO UNIÃO e vias de comunicação) e a preservação
DEVOLUTAS
ambiental

www.masterjuris.com.br
BENS REGRA EXCECÃO
ILHA Município Quando contiver a sede de
OCEÂNICA Município
UNIÃO
E Estado, Município ou terceiro, quando for de seu
COSTEIRA domínio.

ILHA
FLUVIAL E ESTADO UNIÃO Limite com outro pais
LACUSTRE

www.masterjuris.com.br
Banca: CESPE Órgão: TCU
Prova: Procurador do Ministério Público

31) De acordo com a CF, são bens indisponíveis ao domínio


patrimonial da União

a) as ilhas costeiras que contenham sede de municípios.

b) os potenciais de energia hidráulica localizados integralmente


no território de um único estado.

www.masterjuris.com.br
1
c) as cavidades naturais subterrâneas localizadas em sede de
municípios.

d) as terras devolutas indispensáveis à defesa das fronteiras,


quando não alcançarem mais de um estado.

e) as praias marítimas localizadas nas capitais de estados.

www.masterjuris.com.br
1
Banca: IBFC Órgão: PC-SE Prova: Escrivão Substituto
32) Segundo a Constituição Federal, no título “Da Organização do
Estado”, incluem-se entre os bens dos Estados Federados:
a) As águas superficiais ou subterrâneas, fluentes, emergentes e
em depósito, ressalvadas, neste caso, na forma da lei, as
decorrentes de obras da União
b) Os recursos minerais, inclusive os do subsolo
c) Os terrenos de marinha e seus acrescidos.
d) As terras tradicionalmente ocupadas pelos índios.
www.masterjuris.com.br
1
Banca: VUNESP Órgão: SAP-SP
Prova: Executivo Público

33) Nos termos da Constituição da República, são bens dos


estados federados:

a) as áreas, nas ilhas oceânicas e costeiras, que estiverem no


seu domínio, incluídas aquelas sob domínio da União,
Municípios ou terceiros.
b) todas as terras devolutas.

www.masterjuris.com.br
3
c) as ilhas fluviais e lacustres não pertencentes à União.

d) as águas superficiais ou subterrâneas, fluentes, emergentes


e em depósito, incluindo-se, neste caso, na forma da lei, as
decorrentes de obras da União.

e) os potenciais de energia hidráulica.

www.masterjuris.com.br
3
O que são bens Públicos?

www.masterjuris.com.br
2
RESPOSTA

São bens públicos os de domínio nacional pertencentes as


pessoas jurídicas de direito público interno; todos os outros são
particulares, seja qual a for a pessoa jurídica a que pertencem
(CC, art. 89).

www.masterjuris.com.br
BENS PÚBLICOS
São bens afetados
Características (destinação pública)*

Regra: Bens ✓ Podem ser utilizados por


impenhoráveis e todos em igualdade de
Públicos de
imprescritíveis
Uso condições.
Exceção: bens Comum
públicos ✓ Independe de autorização
afetados: pela administração pública
1) impenhoráveis; (Di Pietro).
2)imprescritíveis;
3) inalienáveis;
4) indisponíveis.
www.masterjuris.com.br
BENS PÚBLICOS
Bens
Características
✓ Busca do interesse
Públicos de
público, não o
Regra: Uso
coletivo.
impenhoráveis e Especial
imprescritíveis

AFETADOS
Exceção: bens
públicos
afetados: Dividem-se em
1) impenhoráveis; Diretos e Indiretos
2)imprescritíveis;
3) inalienáveis;
4) indisponíveis.
www.masterjuris.com.br
Bens Públicos de Uso Especial

Direto Indireto

* Utilizado pelo O Estado não usa


Estado; diretamente mas ele
* Compõe a máquina conserva com uma
administrativa. finalidade específica.
Ex: prédio, Ex: terras indígenas;
computadores de uma terras de proteção
repartição, etc. ambiental.
www.masterjuris.com.br
BENS PÚBLICOS ✓ Constituem patrimônio
disponível do Estado;
Características Bens
✓ Sem destinação especial e
Regra: Públicos sem finalidade pública;
impenhoráveis e Dominicais
imprescritíveis ✓ Podem ser alienados.
ou
Exceção: bens
públicos
dominiais ✓ Regra: decorre de lei ou ato
afetados: administrativo formal.
1) impenhoráveis;
Bens 2)imprescritíveis;
desafetados* 3) inalienáveis;
4) indisponíveis. www.masterjuris.com.br
Banca: FUNIVERSA Órgão: PC-DF
Prova: Delegado de Polícia

34) Com relação aos bens públicos, é correto afirmar que

a) as terras devolutas pertencem, em regra, à União.

b) os bens públicos são impenhoráveis, inalienáveis,


imprescritíveis e indisponíveis.

www.masterjuris.com.br
3 2
c) as terras tradicionalmente ocupadas pelos índios são bens
públicos de uso especial.

d) a autorização de bem público para fins particulares se


concretiza por meio de contrato administrativo após processo de
licitação.

e) o aforamento é uma forma de aquisição do domínio


eminente do bem público por particular na qual há o pagamento
de um laudêmio ou foro, sendo dispensada a licitação.

www.masterjuris.com.br
3 2
MENSAGEM DO PROFESSOR
”Nunca se deve consentir em rastejar
quando se sente um impulso para
voar."
HELEN KELLER
prof.luisalberto@gmail.com
www.masterjuris.com.br