Você está na página 1de 6

COMBATE ESPIRITUAL: JEJUM DE DANIEL

A passagem acima descrita, tirada do livro de Daniel, é o exemplo clássico de um “jejum parcial”, realizado em
meio às atividades do dia a dia, com o propósito de alcançar de Deus a revelação de sua vontade. Chamamos de “jejum
parcial” porque consiste na aplicação de uma dieta limitada, ao invés da abstinência absoluta de alimentos.
Está claro que existe um valor muito grande neste tipo de jejum. Lendo os versículos seguintes deste capítulo de
Daniel, verificamos que o culminar deste jejum foi uma tremenda visitação do Anjo do Senhor com uma revelação
indispensável a respeito das batalhas que se travam nas regiões celestes (vv. 13-22). Além disso, o próprio Senhor, em sua
visita a Daniel, assegura com palavras encorajadoras a eficácia de seu jejum e penitência: “Não temas, Daniel, porque
desde o primeiro dia em que aplicaste o teu espírito a compreender, e em que humilhaste diante de Deus, tua oração foi
ouvida, e é por isso que eu vim .” (v. 12)
Em nosso Caminho Espiritual, vamos mergulhar na própria perspectiva do vigiar. Vigilância é a palavra chave
que irá, dia a dia nos fazendo mergulhar na presença de Deus, conclamando-nos a nos tornarmos atalaias, sentinelas,
vigias do Senhor. É o próprio Jesus quem diz: “O que vos digo, digo a todos: vigiai!” (Marcos 13, 37). É importante que
você esteja na sintonia do que você está meditando durante todo o dia. Portanto, não é apenas refletir e pedir, mas
também se abrir ao que Deus quer dar a você.
COMO SE FAZ ESSE JEJUM?
Por três semanas (21 dias), somos convocados a um jejum parcial. Será um tempo de maior oração e
dedicação ao Senhor. Durante este tempo, evitaremos alimentos pelos quais buscamos saciar mais nosso
gosto/prazer do que as necessidades reais do nosso organismo (doces, refrigerantes, excesso de frituras ou
outros alimentos que constituem hábitos alimentares aos quais estamos apegados).
Além disso, evitando extravagâncias, vamos escolher entre duas opções: ou iniciar a alimentação
diária só a partir das 12 horas, ou simplesmente cortar uma das refeições do dia. Cuidado somente para não
“descontar” na próxima refeição para compensar o que foi omitido. Pessoas que fazem uso de medicação
devem estabelecer o jejum em conformidade com o horário dos remédios. Pessoas com problemas de
pressão ou diabetes, ou outro tipo de limitação de saúde, devem conhecer as necessidades do seu
organismo e adaptar o jejum. Pessoas que não podem fazer nenhum tipo de restrição na alimentação podem
fazer jejum de televisão, conversa ou outras coisas. Mas lembre-se: inicialmente o jejum consta de algum
sacrifício na alimentação.
No 1º dia do jejum faça uma consagração, com um bom momento de Adoração, Louvor e se possível
participação de missa. Escreva num papel as intenções pelas quais você vai oferecer o jejum (peça ao
Espírito Santo que lhe revele o que será a motivação do seu tempo de penitência e escuta).
Faça o oferecimento diário, medite no texto bíblico e procure colocar em prática a atitude sugerida.

Oferecimento Diário da Oração e Jejum


Pai misericordioso que sondas todas as coisas e que vês o que está oculto, dedico este dia de oração e jejum para
que eu possa entrar em comunhão profunda com teu amor. Inspira-me com tua luz, defenda-me com tua graça, santifica-
me com teu Espírito. Possam me valer o preciosíssimo Sangue de Jesus, a intercessão da bem-aventurada Virgem Maria
e dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael. Quero tornar-me uma sentinela em tua Obra, movido pela força de teu
Espírito. Por Cristo, Nosso Senhor. Amém.

1º dia = Vigiar é estar desperto


Reflita: É hora de acordar do sono da inconsciência. Estar desperto é estar atento a si mesmo e às mensagens de Deus que
chegam através do universo para você. O dia a dia é cheio de lições que podem trazer um grande aprendizado, mas eles só
podem ser feitos à medida que cultivarmos uma atenção aos detalhes. Não estamos aqui apenas para repetir tarefas diari-
amente. Há um sentido muito maior para nossa existência. Mas para se viver nesta consciência é preciso despertar. Lem-
bre-se: Deus está nos detalhes.
Medite: Efésios 5, 8-14
Ore: Acorda-me do sono da inconsciência e da indiferença, Senhor. Tua bênção me visita tantas vezes e estou apenas
atento a mim mesmo. Estarei atento aos detalhes. É nas pequenas coisas que tua graça me chega. Em nome de Jesus.
Amém.
Atitude: Procure viver conscientemente o dia de hoje: ao lavar um copo, tomar banho, trabalhar, pessoas que você encon-
tra, enfim, suas pequenas tarefas e as surpresas que surgem. Deus está nos detalhes!

2º dia = Vigiar é aceitar-se


Reflita: Imagine um time de futebol. Nem todos têm a mesma função dentro de campo. Um jogo se ganha com a aptidão
de cada um. Na vida também é assim. Nem todos têm os mesmos dons e a mesma história. É claro que podemos nos
aperfeiçoar, mas tudo começa com a capacidade de aceitar o que você é hoje. “Deus aceita você do jeito que você é, para
que você se torne o que Ele deseja que você seja”, diz Santo Afonso. Deus quer usar você hoje do jeito que você está.
Portanto, reconcilie-se com sua história, aceite suas fragilidades. Você só pode evoluir lidando com sua realidade e não
com uma ficção sobre você mesmo.
Medite: 2Coríntios 12, 7-19
Ore: Hoje, neste exato momento, eu me aceito com toda minha história. Aceito minha família e todas as minhas
vivências. Aceito meu corpo e minha sexualidade. Aceito minhas qualidades e meus defeitos. Aceito-me e me coloco
aberto ao que Deus quer de mim. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Reze especialmente em relação a algum ponto de sua vida que você tem mais dificuldade em aceitar. Por outro
lado, exercite esta mesma aceitação em relação a outrem.

3º dia = Vigiar é estar atento a si mesmo


Reflita: Vigiar é olhar, observar atentamente. O que devemos observar atentamente?
A nós próprios! Faz parte do processo de autoconhecimento nos observarmos, prestando atenção aos nossos próprios
comportamentos (nossas reações emocionais) e pensamentos (nossas crenças e opiniões sobre as coisas e pessoas), que
revelam nossos sentimentos e crenças a respeito de nós mesmos.
Medite: Salmo 130
Ore: Pai, quero crescer no conhecimento de mim mesmo e de como administro minha vida. Dá-me a graça do equilíbrio
e, sobretudo, que meus pensamentos, palavras e ações brotem do amor. Aquilo que ainda não é assim, dá-me a graça de
transformar por uma sincera conversão do coração. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Observe atentamente a você mesmo e às pessoas a sua volta: como você reage a elas e como elas reagem a você.
Observe atentamente como você resolve as situações que vive. Observe atentamente cada gesto, movimento, seu compor-
tamento. Observe atentamente como você julga as situações e as pessoas. Quais são seus preconceitos? Observe a quê
você dá valor. Perceba se seu comportamento e valores correspondem um ao outro.

4º dia = Vigiar é estar à disposição


Reflita: Do que adianta uma pessoa ter muitos talentos se Deus não pode contar com ela? É preciso dispor-se por inteiro
diante d’Ele, o que você é e o que você tem. Muitos pedem coisas a Deus, mas não tem coragem de colocar nada
concretamente à disposição do Senhor. Mais do que servir a Deus, elas se servem de Deus. E o pior: não têm coragem de
admitir isto. Quando não recebem aquilo que esperam, ficam até mesmo magoadas com Deus. A Bíblia conta a história de
muitos homens e mulheres que se colocaram ao inteiro dispor do Senhor. Como a história da humanidade muda, quando
Deus encontra pessoas assim. É só olhar para Maria.
Medite: Filipenses 4, 10-20
Ore: Usa-me, Senhor, em tua obra. Usa-me com o que tenho e tudo que sou. Porque nada que eu tenha ou seja é
verdadeiramente meu. Somente meu pecado e mesmo isto aceitas. Disponho-me e te digo: eis-me aqui, para fazer tua
vontade. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Disponha algo concreto ao Senhor. Deus te deu dons e talentos que talvez você ainda não conheça ou não está
usando para o Reino do Senhor. Hoje você é desafiado a colocar em prática em benefício ao próximo. Deus quer contar
com seu talento à disposição da missão.

5º dia = Vigiar é jejuar


Reflita: O jejum é uma forma de estar alerta. É entrar na dinâmica do Reino de Deus mostrada por Jesus ao dizer que
“nem só de pão vive o homem”. Priva-se de algo que é essencial à vida do corpo, para conectar-se às realidades sutis do
espírito, muitas vezes sufocado pelas tantas demandas materiais que temos, nem todas, na verdade, essenciais. Todavia é
importante lembrar que não é simplesmente o jejum pelo jejum. Faz-se necessária aquela sintonia interna para escutar o
que o Espírito diz.
Medite: Esther 4
Ore: Uno minh’alma a ti, Senhor de minha vida. Meu sustento é a tua Palavra. Meu hálito é teu Espírito habitando em
mim. Meu desejo é ver tua vontade cumprida em minha vida e na humanidade. Por isto, consagro a ti minha oração e
meu jejum. Seja este o meu propósito. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: O jejum está intimamente ligado a passagem bíblica de Daniel. Hoje, de forma especial, aprofunde essa
consciência. Além da prática costumeira destes dias, pode você dar ainda mais um passo como sacrifício diante do Senhor
neste dia de hoje?

6º dia = Vigiar é superar-se


Reflita: Há mais força em nós do que possamos imaginar. Normalmente é na hora da provação que forças adormecidas
em nós acordam. Por outro lado, existem pessoas que passam a vida inteira “chorando o leite derramado”. Justificam-se
para permanecer na posição onde se encontram, muitas vezes na derrota ou numa vida guiada pelo egoísmo. Hoje é o dia
de começar a superar suas amarras, sejam elas quais forem.
Medite: Gênesis 45, 1-15
Ore: Liberta-me, Senhor, de todas as amarras que me impedem de ser livre. Ajuda-me a superar as mágoas, a culpa, as
perdas, as dores, o egoísmo, as justificativas que me impedem de mudar. Não quero compactuar com estas realidades em
minha vida. Liberta-me. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Tome um ponto concreto de aperfeiçoamento em sua vida. Examine-se e peça a luz do Espírito para dar o
primeiro passo de superação em relação a algo que precisa mudar em você.

7 º dia = Vigiar é entregar-se


Reflita: Entregar-se: numa profunda atitude de confiança no Deus que tem cuidado de nós. Esta confiança no amor
providente de Deus leva à entrega. É a perspectiva da “infância espiritual”, como foi vivida por Santa Terezinha. A
criança quando amparada por sua mãe ou por seu pai, segue tranquila. Sabe que está segura. Quanto mais o medo fala
mais alto, mais procura a mão de seus pais. A entrega, portanto, não afasta os sobressaltos da vida, mas leva a pessoa a
buscar ainda mais profundamente o cuidado do Pai do céu.
Medite: Mateus 7, 7-11
Ore: Creio, Pai, em teu amor providente que tem cuidado de mim. Entrego todo meu ser em tuas mãos. A ti confio meu
caminho e todas as minhas precisões. Ajuda-me a superar o medo e fortalecer-me em minha fé. Em nome de Jesus.
Amém.
Atitude: Procure não reclamar de nada hoje. Aceite toda e qualquer situação que lhe sobrevier, sempre dizendo: Bendito
seja o nome do Senhor que cuida de mim!

8º dia = Vigiar é adorar


Reflita: Antes de tudo, a atenção do atalaia (vigia) do Senhor está voltada ao que dirá o seu Senhor. Ele está a serviço do
Senhor, das suas moções e ordens. E para que isso aconteça, é preciso apurar os ouvidos, aprender a escutar, a
desenvolver a sensibilidade diante dos leves toques da graça. Isso não se dá, se não se cultiva um espírito de adoração a
Deus, autor e consumador de todas as coisas. Adorar em espírito e verdade, como Jesus afirmou que devem fazer os
discípulos. Todo lugar tornar-se, assim, lugar de vigilância e adoração.
Medite: 1Macabeus 4, 41-55
Ore: Senhor, pelo batismo, fizeste de mim templo do teu Espírito. Quero que meu coração seja um altar consagrado a ti.
Ali queimará o incenso de minha adoração; ali estará acesa a lâmpada de minha vigilância; ali estará o vaso com o óleo
de tua unção. Eu te adoro com todo meu ser. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Se for possível, dedique hoje alguns momentos para adorar o Santíssimo Sacramento. Esforce-se para ir a uma
igreja e oferecer esta adoração. Se não for possível, faça-o num lugar recolhido.

9º dia = Vigiar é capacitar-se


Reflita: Para que um bom atleta possa manter-se em forma, é preciso que continuamente se exercite. Assim, em toda
área, se um trabalhador quiser crescer na excelência de seu serviço é preciso continuamente renovar seus conhecimentos.
Na Obra do Senhor não é diferente. O vigia do Senhor capacita-se na oração e na formação. Estuda a Bíblia, a doutrina,
aprimora-se para melhor servir. Você tem priorizado isto em sua vida? Faz pelo menos um retiro anual? Separa um tempo
diário para orar? Lê publicações que o ajudem a “dar a razão de sua fé”?
Medite: 2Timóteo 2, 1-13
Ore: Tira-me, Senhor, da inércia espiritual. Perdoa-me por priorizar apenas “minhas” coisas, em detrimento da vida em
ti e do serviço à tua Obra. Quero renovar meu compromisso com a excelência. Para tanto, capacita-me com teu Espírito.
Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Programe-se, a médio prazo, para fazer um retiro e/ou um curso de aprofundamento na fé. Quem sabe, hoje
mesmo, você pode pegar um bom livro para ler.

10º dia = Vigiar é romper com as trevas


Reflita: Sempre conviveremos com as sombras. Elas estão dentro de nós e ao nosso redor. Algumas dessas sombras irão
nos acompanhar durante toda nossa vida, até sua total superação no céu. Mas a presença das sombras em nós não significa
compactuar com as trevas, que aqui significam, desde o inimigo, até certos traços de nossa personalidade e comportamen-
to. Minhas decisões aumentam a luz ou a escuridão dentro de mim. Para tanto, é preciso crescer no discernimento para
firmar ou cortar algo em minha vida.
Medite: Romanos 13, 11-14
Ore: Como fruto da minha vontade, tomo a decisão de romper com toda e qualquer treva em meu ser. Renuncio a qual-
quer pacto secreto que eu tenha feito com a escuridão. Rompo toda manipulação consciente ou inconsciente que me leve
a viver a partir das sombras. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Reserve um dia neste Jejum para você se confessar. Faça um bom exame de consciência e procure um sacerdote.

11º dia = Vigiar é aproximar-se da luz


Reflita: A única forma de vencer a escuridão é aproximando-se da luz. É à noite que o vigia precisa estar mais atento. A
escuridão facilita a aproximação do inimigo e se o vigia dorme, ele penetra na cidade. Já diz o ditado: “Não amaldiçoe a
escuridão; acenda uma luz”. Não tenha medo da escuridão que possa existir em seu interior ou ao redor de você. O melhor
a fazer – sempre – é ter pensamentos, palavras e atitudes que reforcem a luz. Faça isso com determinação e você verá
como, aos poucos, a luz se espalhará onde você está. O papa Pio XII costumava dizer que “o cansaço dos bons é o grande
mal de nossa época”. Não se canse de fazer o bem. Não se canse de iluminar, mesmo que as trevas sejam persistentes.
Medite: Filipenses 2, 12-17
Ore: Tua luz em minha mente. Tua luz em meu coração. Tua luz à minha frente. Tua luz em minha ação. Tua luz em
minhas palavras. Tua luz por onde eu passar. Tua luz a irradiar-se dentro de mim e ao redor de mim. Em nome de Jesus.
Amém.
Atitude: Ilumine os ambientes onde hoje você estiver com um sorriso, uma palavra positiva e dizendo não a toda
proposta que reforce a escuridão em seu interior. Seja luz!

12º dia = Vigiar é tornar-se um atalaia (sentinela)


Reflita: O atalaia era o vigilante colocado, normalmente, no alto de uma torre, encarregado de vigiar a cidade e alertar
sobre a possível chegada do inimigo. Nos profetas Isaías e Ezequiel ele se torna símbolo dos profetas, dos servos
encarregados de ouvir a voz de Deus e transmiti-la fielmente ao povo, assim como simboliza também o intercessor que
vigia pela sua oração. Quanto mais nos deixamos usar pelo Senhor, mais nos tornamos atalaias em sua Obra.
Medite: Isaías 21, 6-12
Ore: “Em meu posto de guarda, Senhor, eu me mantenho o dia inteiro; em meu observatório permaneço de pé todas as
noites”. Quero estar atento à tua Palavra e ao teu mover. Quero vigiar por mim e minha casa; minha Comunidade e todo
o teu povo. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Se for possível, dedique algum tempo para orar na madrugada, retardando seu horário de dormir ou acordando
na madrugada. Tenha coragem de se impor a este desafio de oração.

13º dia = Vigiar é detectar o inimigo


Reflita: O inimigo é sorrateiro. Ele não se apresenta como é, mas vem disfarçado de muitas formas. Detectar o inimigo
não é ver “demônios” em toda parte, mas, sobretudo, perceber onde estão as brechas por onde ele possa penetrar. Guardar
a brecha já é uma forma de impedir que o inimigo penetre e domine o ambiente, seja ele interior ou o meio onde estamos.
É sempre bom lembrar que o principal campo de batalha espiritual é a mente. Procure analisar-se, observando as áreas
diversas de sua vida, discernindo onde e como o inimigo pode se insinuar e oprimir.
Medite: Neemias 4, 1-17
Ore: Peço-te, Senhor, o revestimento de teu Espírito para que eu cresça no discernimento. Ajuda-me a perceber onde
estão as brechas e a colocar-me numa atitude de conversão para que o inimigo não encontre entrada em minha vida e na
vida dos meus. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Faça um bom exame de consciência e veja em que área você e sua casa são mais susceptíveis espiritualmente.
Coloque até mesmo por escrito para poder orar mais frequentemente sobre estes pontos.

14º dia = Vigiar é estar aberto à ação dos anjos


Reflita: Anjos são mensageiros em nosso caminho, ajudando-nos nesta tarefa constante que Jesus nos confiou para nos
tornarmos seus discípulos e fazermos acontecer em nosso mundo o Reino dos Céus. Eis os instrumentos que nos foram
indicados: oração e vigilância. Quanto mais fazemos amizade com os Anjos e damos abertura para que nos auxiliem, mais
próximos estarão de nós para nos ajudar a nos firmarmos no caminho do Senhor e nos defender dos ataques invisíveis dos
“anjos decaídos”. Procure estar sempre em sintonia com seu Anjo da Guarda e invoque os Arcanjos Miguel, Gabriel e
Rafael para que o auxiliem em sua vida de discípulo de Jesus.
Medite: Êxodo 23, 20-23
Ore: Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador. Já que a ti me confiou a piedade divina, sempre me rege, me guarde,
me governe, me ilumine. Amém. São Miguel Arcanjo, rogai por nós. São Rafael Arcanjo, rogai por nós. São Gabriel
Arcanjo, rogai por nós. Amém.
Atitude: Invoque durante todo o dia a presença dos Santos Anjos e esteja sensível ao sinal de sua presença.
15º dia = Vigiar é ser Igreja
Reflita: Fazemos parte de um Corpo. Mesmo orando sozinhos, oramos com a Igreja e como Igreja. É o mistério da
“comunhão dos santos”. Estamos em comunhão com todos os nossos irmãos que professam a fé em Cristo, como Igreja
Católica, Apostólica, Romana e com aqueles que, terminada a jornada nesta terra, intercedem por nós no céu. Firmados na
“Rocha” e sabendo que “as portas do inferno não poderão prevalecer sobre a Igreja”, como declara o Senhor a Pedro.
Essa profunda consciência de que somos Igreja precisa estar viva em cada servo-sentinela.
Medite: 1Coríntios 12, 12-30
Ore: Eu te bendigo, Senhor, por ser teu filho e por ter sido incorporado a este Corpo espiritual que é a Igreja, cuja
cabeça é teu amado Filho, Jesus. Sou Igreja, quero viver como Igreja, amá-la e respeitá-la como minha família e junto a
ela testemunhar minha fé e consagrar meu serviço. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Renove sua fidelidade à Igreja. Se você já serve na Comunidade, reveja como está a qualidade de seu serviço. Se
você ainda não serve, já é hora de decidir-se a fazê-lo. Pense nisso!

16º dia = Vigiar é manter a lâmpada acesa


Reflita: O símbolo mais conhecido sobre a vigilância é uma candeia, uma lamparina acesa. Lembra-nos a atitude de
mantê-la sempre com num bom nível de óleo para que a luz não se extinga. O fogo, Deus provê. É a ação do seu Espírito
em nós. Mas dependerá de você manter essa candeia sempre cheia pela sua oração e fidelidade a Deus. Esse é um tempo
separado exatamente para isso. Aproveite-o no jejum, na oração, na meditação da Palavra. E tenha certeza que o Pai o
envolverá no Espírito Santo, com luz e poder.
Medite: Mateus 25, 1-13
Ore: Senhor, manténs esta chama acesa e não a deixes apagar. Quero sempre buscar este precioso óleo que Tu mesmo
me dás. O que posso fazer é empenhar-me nesta busca, pois és Tu quem tudo me dás. Meu Santo Anjo da Guarda, ajuda-
me a assim manter-me. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Caso possa, acenda hoje uma vela em seu momento de oração. Ela simbolizará seu compromisso em conservar a
candeia sempre acesa. Peça ao Senhor este dom de uma constante vigilância.

17º dia = Vigiar é despojar-se


Reflita: Imagine a sentinela subindo a uma alta torre para manter a vigilância. Ela não pode carregar muito peso. Isto
dificultaria sua subida e retardaria sua descida para alguma missão de alerta. Ele precisa ser ágil e leve. Com a sentinela
do Senhor não é diferente. Ela, para desempenhar bem sua função, precisa despojar-se dos pesos extras que carrega. O
supérfluo sempre é um peso extra que acaba se tornando sobrecarga. Isso se aplica aos pesos da alma e também a alguns
excessos materiais. Olhe para sua vida e pergunte-se: estou precisando me despojar de algo em minha vida?
Medite: 1Samuel 17
Ore: Ajuda-me, Senhor, a perceber em mim o que é excesso, o que tem pesado sobre mim e até sobre as pessoas que
convivem comigo. Ajuda-me, numa atitude de despojamento a abrir mão daquilo que me impede de ser mais livre e leve
em meu caminho. Mais leve, poderei derrotar os gigantes que se apresentarem. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Procure refletir sobre realidades das quais você precisa se despojar. Simbolize isto ao despojar-se de algo
material, doando para alguém. Renunciar para ser mais e ir mais longe.

18º dia = Vigiar é não temer a luta


Reflita: De alguma forma, deixar-se tomar pelo medo já é o início da derrota em uma batalha. O medo paralisa as forças
de reação e lucidez. Por outro lado, é preciso estar consciente sobre os recursos disponíveis para se enfrentar as situações
que se apresentam. Portanto, conheça a si mesmo. Busque estes recursos onde podem ser achados. Em Deus, há todo um
suprimento de graça e força para você se lançar nessa empreitada. Saiba também até onde você pode ir e quando é preciso
recuar. Retroceder para melhor preparar-se. Isso não quer dizer “depor as armas”. É voltar às fontes. Lembre-se que o
Senhor sempre será uma cidadela forte onde você poderá encontrar abrigo seguro.
Medite: Efésios 6, 10-20
Ore: Diante das provações, não temerei. Se a luta difícil estiver, não temerei. Se o inimigo parecer mais forte que eu,
não temerei. Se noite se fizer, não temerei. Sei que o Senhor está comigo e és minha fonte, meu suprimento. Contigo eu
vencerei. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Entregue todas as suas lutas ao Senhor. O silêncio é a melhor forma de aguardar o melhor momento para
avançar. Experimente hoje estar mais em silêncio. Ouvir mais, falar menos.

19º dia = Vigiar é solidarizar-se


Reflita: A vigilância cristã é sempre em vista do outro. Não crescemos sozinhos. Não somos salvos ou nos perdemos
sozinhos. Estamos todos interligados, senão pela graça, pelo pecado que nos solidariza em Adão. Mas, na graça em Jesus,
somos incluídos numa outra qualidade de solidariedade: a comunhão dos santos. Consequentemente, a vida de Deus que
nos foi comunicada precisa se expandir além de nós em direção ao outro, sobretudo, em direção aos nossos irmãos mais
necessitados. Esse é o jejum que agrada a Deus, nos diz o Senhor, através do profeta Isaías. É preciso quebrar o egoísmo,
esta marca de morte que o pecado deixa em nós. O que você é e o que você tem, está voltado ao serviço do próximo?
Medite: Isaías 58
Ore: Senhor, hoje posso jejuar, abster-me de algo que possuo, enquanto muitos irmãos não têm nada para se alimentar.
Quero colocar a serviço aquilo que tua graça tem me proporcionado. Sou consciente de que é o Senhor que me dá o
sustento e que nada tenho e posso se não me abençoares. Sou agradecido e quero ser solidário. Em nome de Jesus.
Amém.
Atitude: Não se esqueça de separar gêneros alimentícios para oferecer em solidariedade aos mais pobres na entrega final
do jejum. Lembre-se que é mais do que dar uma simples “esmola”; é ser, verdadeiramente, solidário. Qual é a medida de
sua solidariedade?

20º dia = Vigiar é ter disciplina


Reflita: A raiz da palavra disciplina é a mesma de discípulo, que significa aprendiz. Não há aprendizado sem um ritmo
ordenado. Portanto, sem disciplina não há aprendizado e, consequentemente, crescimento, seja em que área for da vida. O
caminho espiritual que estamos trilhando, já exige, por si mesmo, disciplina. Muitos cristãos acabam por não evoluírem
em sua vida espiritual porque não correspondem à graça, por uma vida disciplinada. Disciplina ao separar diariamente um
tempo para seu devocional, para ler a Palavra, para estudar, etc. Algumas pessoas, naturalmente, são mais disciplinadas;
desenvolveram essa aptidão desde pequenas. Para outros, no entanto, é uma construção árdua, mas possível. Creio que
esta é uma das maiores conquistas que você pode ter em sua vida pessoal e que irá beneficiá-lo em todas as áreas. Por
outro lado, o próprio Senhor nos disciplina para que possamos crescer. Procure levar essa lição para sua vida. Você é uma
pessoa disciplinada?
Medite: Hebreus 12, 4-13
Ore: Nem sempre aceito, Senhor, tua disciplina em minha vida. Sou insubordinado e rebelde. Com isso, não tenho
produzido os frutos que poderia produzir em minha vida e acabo por responsabilizar a vida, os outros e até mesmo o
Senhor por aquilo que ainda não conquistei. Peço-te perdão e a graça de levar uma vida disciplinada para poder crescer
em todos os sentidos. Em nome de Jesus. Amém.
Atitude: Em que áreas de sua vida você está precisando ser mais disciplinado? Você tem correspondido ao chamado do
Senhor através de uma vida disciplinada? Como você vivenciou esses dias de Jejum e Oração? Que ponto concreto você
pode levar para sua vida espiritual cultivada no dia a dia?

21º dia = Vigiar é ter certeza da vitória final


Reflita: Este é o fundamento de nossa esperança. Não lutamos em vão. Não cremos em vão. Não jejuamos em vão. Tudo
isso é cultivo da esperança para que as tribulações ou tentações da vida não nos afastem do rumo certo e do prêmio que
nos aguarda. Todavia, a recompensa não está apenas no pós-morte. Aqui, agora, já podemos desfrutar daquilo que o
Senhor nos dá. É um engodo de satanás aquela ideia de que a vida cristã é sofrimento e tribulação. Sofrimentos e
tribulações vêm na vida de todas as pessoas, mas para o cristão eles têm um significado de redenção. E quanto mais nos
abrimos à providência divina que nos socorre, mais desfrutamos do que Deus tem para nos dar. E mais: teremos a
eternidade feliz junto de Deus. A vitória pertence aos filhos de Deus!
Medite: Filipenses 3, 4 – 4, 1
Ore: A vitória da cruz é minha vitória. O triunfo da ressurreição é meu triunfo. A herança em Cristo é minha herança.
Eu te bendigo, Pai, por essa certeza que me anima e me leva à frente. Sustenta minha fidelidade com tua graça. Ampara-
me em meu caminho, quando eu perder a visão. Dá-me a graça da perseverança final e que nada, nem ninguém me
afaste desse certame. Obrigado pelo caminho que fiz nesses vinte e um dias. Obrigado pela vitória que me concedeste
desde o primeiro dia. Obrigado pela maior dádiva que posso receber que é a comunhão contigo. Obrigado pelo amparo
de minha Mãe, Maria Santíssima, e a intercessão contínua de São Miguel e todos os anjos. Muito obrigado. Em nome de
Jesus, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Atitude: A certeza da vitória está na capacidade maior do Amor que é o perdão. Não há vitória enquanto não houver
perdão. Por isso hoje, libere o perdão a quem você precisa perdoar. Pois a palavra nos diz que se houver no meio de nós
alguém que você precisa perdoar, que é necessário deixar a sua oferta e ir primeiro reconciliar com seu irmão e depois
sentaremos à mesa e faremos comunhão com o Senhor. Celebremos hoje a vitória do Perdão pelo AMOR EXTREMO DA
CRUZ.

No 21º dia, faça um momento de ação de graças ao Senhor, por tudo o que Ele nos dará em função
desses dias; se possível também participe de uma missa em ação de graças.

Seleção de textos e comentários: Pe. Sérgio Luiz e Silva, C.Ss.R.