Você está na página 1de 13

DIREITO PENAL

PROFESSOR RODRIGO GOMES fundação instituída pelo poder público, os autores de


crimes contra a administração pública terão direito a
ASSUNTO: DIREITO PENAL – PARTE ESPECIAL redução de suas penas.

Crimes contra Administração Pública –


praticados por Funcionário Público ( ) CERTO ( ) ERRADO

Questões
8.) (CESPE – 2016 – PC PE) A circunstância de
DISPOSIÇÕES GERAIS funcionário público é comunicável a particular que
cometa o crime sabendo dessa condição especial do
1.) (CESPE – 2018 – PC MA) Ser membro de poder ou funcionário
exercer cargo de elevada envergadura são
circunstâncias irrelevantes para a formulação da pena- CERTO ( ) ( ) ERRADO
base dos crimes contra a administração pública.

( ) CERTO ( ) ERRADO 9.) (CESPE – PF – 2004) Lindomar foi recentemente


contratado por uma autarquia federal para exercer
função que envolve exercício de poder de polícia, sendo
2.) (CESPE – 2018 – PC MA) A circunstância elementar que tal contratação se deu mediante contrato por tempo
do crime de peculato se comunica ao coautor ou determinado para atender necessidade temporária de
partícipe, mesmo que estes não integrem o serviço excepcional interesse público. Posteriormente, ele
público. praticou conduta penalmente tipificada como peculato.
Nessa situação, apesar de não ocupar cargo nem
( ) CERTO ( ) ERRADO emprego públicos, Lindomar poderá vir a ser penalmente
condenado por crime de peculato.

( ) CERTO ( ) ERRADO
3.) Considera-se funcionário público, para os efeitos
penais, apenas quem está legalmente investido em cargo
público efetivo perante a administração direta. 10.) (CESPE – PF – 2004) Roberto, funcionário público,
e Bruno, estranho ao serviço público, exigiram, em razão
( ) CERTO ( ) ERRADO da função de Roberto, vantagem indevida no valor de R$
8.000,00. Nessa situação, tendo em vista que o fato de
ser funcionário público é circunstância pessoal de
4.) Considera-se funcionário público, para os efeitos Roberto, a qual não se comunica, apenas ele responderá
penais, quem, apenas permanentemente, exerce cargo, pelo delito de concussão.
emprego ou função pública.
( ) CERTO ( ) ERRADO
( ) CERTO ( ) ERRADO

5.) Será aumentada a pena da terça parte quando os PECULATO


autores dos crimes previstos no código penal forem
ocupantes de cargos efetivos de direção, 11.) (CESPE – 2018 – TCE PB) O funcionário público
assessoramento e consultoria de órgão da administração que, aproveitando-se de seu cargo, utilizar-se
direta, indireta, suas autarquias e fundações. ilegalmente de passagens e diárias pagas pelos cofres
públicos cometerá o delito denominado
( ) CERTO ( ) ERRADO a) prevaricação.
b) conduta atípica.
6.) Equipara-se a funcionário público quem exerce cargo, c) corrupção passiva.
emprego ou função em entidade paraestatal, e quem d) peculato culposo.
trabalha para empresa prestadora de serviço contratada e) peculato.
ou conveniada para a execução de atividade típica da
Administração Pública 12.) (CESPE – 2016 – PC PE) Configura-se o peculato
na modalidade de desvio quando o servidor público,
( ) CERTO ( ) ERRADO consciente e voluntariamente, desvia, em proveito
próprio ou de terceiro, verba que detém em razão do
cargo que ocupa na sua repartição.
7.) (CESPE – 2016 – PC PE) Se forem ocupantes de
cargos em comissão ou de função de direção ou ( ) CERTO ( ) ERRADO
assessoramento de órgão da administração direta,
sociedade de economia mista, empresa pública ou

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 1
DIREITO PENAL

13.) (CESPE – 2016 – TCE PR) A reparação do dano momento do efetivo desvio do bem que o agente público
pelo funcionário público antes do recebimento da detém ou possui em razão de seu cargo, com a
denúncia exclui a configuração do crime de peculato necessidade da ocorrência de dano para a administração
doloso. pública.

( ) CERTO ( ) ERRADO ( ) CERTO ( ) ERRADO

14.) (CESPE – 2016 – TCE PR) A qualidade de 22.) (CESPE – 2016 – PC PE) O crime de peculato-furto
funcionário público do sujeito ativo é elementar do crime ocorre quando o funcionário público, embora não tendo a
de peculato, a qual não se comunica a coautores e posse do dinheiro, do valor ou do bem, o subtrai, ou
partícipes estranhos ao serviço público. concorre para que seja subtraído, em proveito próprio ou
alheio, valendo-se da facilidade que lhe proporciona a
( ) CERTO ( ) ERRADO qualidade de funcionário.

15.) (CESPE – 2016 – TCE PR) A circunstância de o ( ) CERTO ( ) ERRADO


sujeito ativo ser funcionário público ocupante de cargo de
elevada responsabilidade justifica a majoração da pena-
base aplicada em decorrência da condenação pela
prática do crime de peculato. CONCUSSÃO E CORRUPÇÃO PASSSIVA

( ) CERTO ( ) ERRADO

16.) (CESPE – 2016 – TCE PR) A consumação do crime 23.) (CESPE – 2018 – PC MA) Uma investigadora de
de peculato-apropriação ocorre com a posse mansa e polícia exigiu de um traficante de drogas o pagamento de
pacífica do objeto material pelo funcionário público. determinada importância em dinheiro a fim de que
evitasse o indiciamento dele em inquérito policial. O
( ) CERTO ( ) ERRADO traficante pediu um prazo para o pagamento do valor
acordado e, dois dias depois, entregou o dinheiro à
17.) (CESPE – 2016 – TCE PR) A consumação do crime investigadora, a qual, então, ocultou as provas contra o
de peculato-desvio ocorre no momento em que o traficante.
funcionário público obtém a vantagem indevida com o Com relação a essa situação hipotética, assinale a opção
desvio do dinheiro, ou outro bem móvel, em proveito correta.
próprio ou de terceiro. a) A conduta da investigadora configura crime de
concussão, consumado quando ela exigiu do traficante o
( ) CERTO ( ) ERRADO pagamento do valor pecuniário.
b) A investigadora e o traficante, pela aplicação da
18.) (CESPE – 2016 – TCE PA) Com relação aos crimes teoria monista, deverão responder pelo mesmo tipo
contra a administração pública, julgue o item penal.
subsequente. c) A investigadora cometeu crime de corrupção passiva,
Será reduzida pela metade a pena de indivíduo consumado a partir do momento em que o traficante
condenado por crime de peculato culposo que reparar o efetuou o pagamento.
dano após o trânsito em julgado do acórdão. d) O cumprimento, pela investigadora, do acordado com
o traficante configura circunstância qualificadora do
( ) CERTO ( ) ERRADO crime.
e) O traficante deverá responder pelo crime de
19.) (CESPE – 2016 – PC PE) Um governador que corrupção ativa, consumado a partir do momento em que
ordenar a aquisição de viaturas policiais e o pagamento as provas contra ele foram ocultadas.
destas com recurso legalmente destinado à educação
infantil cometerá o crime de peculato. 24.) (CESPE – 2018 – TCE PB) O servidor público que
deixar de praticar ato de ofício, infringindo dever
( ) CERTO ( ) ERRADO funcional em atenção a pedido de outrem, praticará
a) condescendência criminosa.
20.) (CESPE – 2016 – PC PE) Embora o crime de b) concussão.
peculato admita a forma dolosa, ele não pune a conduta c) prevaricação.
culposa, que consiste na ação do agente público em d) corrupção passiva privilegiada.
concorrer, por imperícia, imprudência ou negligência, e) peculato.
para que outrem se aproprie, desvie ou subtraia dinheiro,
bem ou valores pertencentes à administração pública. 25.) (CESPE – 2017 – TCE PE) O vereador que, em
razão do seu cargo, solicitar parte do salário de seus
( ) CERTO ( ) ERRADO assessores em benefício próprio praticará o crime de
concussão.
21.) (CESPE – 2016 – PC PE) É material o crime de
peculato-desvio, uma vez que se consuma no exato
( ) CERTO ( ) ERRADO

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 2
DIREITO PENAL

No que se refere à situação hipotética apresentada,


26.) (CESPE – 2017 – Prefeitura de BH – MG) Em se assinale a opção correta.
tratando de crime de concussão, a situação de flagrante a) Mário cometeu o crime de corrupção ativa na
se configura com a entrega da vantagem indevida. modalidade tentada e José, o crime de corrupção
passiva consumada, sendo Caio isento de pena nesse
( ) CERTO ( ) ERRADO caso.
b) Caio e Mário cometeram o crime de corrupção ativa e
27.) (CESPE – 2016 – TCE PR) O funcionário público José, o crime de corrupção passiva, todos na modalidade
que se utiliza de violência ou grave ameaça para obter consumada.
vantagem indevida em razão de sua função comete o c) Caio e Mário cometeram o crime de corrupção ativa,
crime de concussão. mas a conduta de José não é considerada crime.
d) Caio e Mário cometeram o crime de corrupção
( ) CERTO ( ) ERRADO passiva na modalidade tentada e José, o de corrupção
ativa, também na modalidade tentada.
28.) (CESPE – 2016 – TCE PA) João, policial civil, exigiu e) Mário cometeu o crime de corrupção ativa e José, o
vantagem indevida de particular para não prendê-lo em crime de corrupção passiva, ambos na modalidade
flagrante. A vítima não realizou o pagamento e consumada, não tendo Caio cometido nenhum crime,
uma vez que agiu em obediência hierárquica.
prontamente comunicou o fato a policiais civis. Nessa
situação, como o delito de concussão é formal, o crime
consumou-se com a exigência da vantagem indevida, PREVARICAÇÃO, CONDESCENDÊNCIA CRIMINOSA
devendo João por ele responder. e ADVOCACIA ADMINISTRATIVA

( ) CERTO ( ) ERRADO
33.) (CESPE – 2016 – PC PE) O agente penitenciário
que não recolher aparelhos celulares de pessoas em
29.) (CESPE – 2016 – PC PE) Policial que exigir propina privação de liberdade cometerá crime de
para liberar a passagem de pessoas por uma estrada condescendência criminosa.
cometerá corrupção passiva.
( ) CERTO ( ) ERRADO
( ) CERTO ( ) ERRADO
34.) (CESPE – 2016 – TCE PR) Situação hipotética:
João, chefe de determinada repartição pública, deixou de
30.) (CESPE – PRF – 2013) O crime de concussão instaurar o devido procedimento administrativo disciplinar
configura-se com a exigência, por funcionário público, de para apurar a responsabilidade por falta funcional de
vantagem indevida, ao passo que, para a configuração Pedro, que, além de ser seu subordinado, era seu amigo
do crime de corrupção passiva, basta que ele solicite ou de longa data, fato que o fez atuar com um grau de
receba a vantagem, ou, ainda, aceite promessa de tolerância maior. Assertiva: Nessa situação, João
cometeu o crime capitulado no CP como
recebê-la.
condescendência criminosa.
( ) CERTO ( ) ERRADO
( ) CERTO ( ) ERRADO

35.) (CESPE – 2015 – TJ PB) Marcos, servidor público


31.) (CESPE – 2016 – TRT 8ª) Oficial de justiça que do estado da Paraíba, dirigiu-se a um órgão da
solicita determinada quantia em dinheiro a advogado, administração pública do referido estado e, sem se
para deixar de cumprir diligência de que estava identificar, requereu preferência no andamento de
incumbido, comete o crime de processo administrativo em que Rogério, seu amigo, é
a) tráfico de influência. parte. Nessa situação, a conduta de Marcos não
b) concussão. corresponde ao crime de advocacia administrativa.
c) prevaricação.
d) corrupção ativa. ( ) CERTO ( ) ERRADO
e) corrupção passiva.
36.) (CESPE – 2015 - TJ PB) Luís, guarda municipal em
32.) (CESPE – 2015 – TRE RS) Mário, chefe e advogado serviço, solicitou R$ 500 a Marcelo por este dirigir veículo
do escritório onde Caio trabalhava como estagiário, sem habilitação. Em troca, Luís não apreenderia o bem
mandou-o oferecer a José, servidor de uma serventia nem multaria Marcelo pela infração de trânsito. Nessa
judicial, o valor de R$ 1.000 em espécie, para que José situação, Luís praticou o crime de concussão.
não juntasse aos autos de um processo petição
protocolada pela parte adversa. José aceitou a oferta, ( ) CERTO ( ) ERRADO
deixou de juntar a peça processual aos autos, mas a
propina, que deveria ser paga posteriormente, não foi 37.) (CESPE – 2015 - TJ PB) João, chefe do órgão
paga. público no qual trabalhava Rodrigo, ao tomar

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 3
DIREITO PENAL

conhecimento de que este subtraiu valores em dinheiro 25 –E


do órgão público, não abriu processo administrativo 26 –E
disciplinar contra Rodrigo, em razão de compaixão pela 27 –E
origem humilde e vida difícil de seu subordinado. Nessa 28 –C
situação, João praticou o crime de prevaricação. 29 –E
30 –C
( ) CERTO ( ) ERRADO 31 –E
32 –B
38.) (CEPSE – 2015 – TJ DFT) Luiz, policial civil lotado 33 –E
em uma delegacia de polícia, deixou de dar andamento a 34 –C
inquérito no qual Francisco estava sendo investigado. Tal 35 –C
interrupção no andamento do inquérito deveu-se ao fato 36 –E
de Mauro, irmão de Francisco, ter pagado ao policial, 37 –E
voluntariamente, a quantia de dois mil reais. 38 –C
Nessa situação hipotética, Luiz cometeu, em tese, o 39 –E
crime de 40 –C
a) advocacia administrativa.
b) prevaricação. PROFESSOR ANDRÉ ADRIANO
c) corrupção passiva.
d) peculato. CULPABILIDADE
e) concussão.

39.) (CESPE – 2013 – PC DF) O agente de polícia que Um dos primeiros problemas do estudo da
deixar de cumprir seu dever de vedar ao preso o acesso culpabilidade advém do próprio significado do
a telefone celular, permitindo que este mantenha contato termo. É possível encontrar de maneira corrente na
com pessoas fora do estabelecimento prisional, cometerá doutrina ao menos três empregos distintos da
o crime de condescendência criminosa.
palavra. Um primeiro, adotado pela própria
( ) CERTO ( ) ERRADO Constituição da República, refere-se propriamente ao
processo penal. Trata-se do denominado princípio da
40.) (CESPE – 2013 – TRT 8ª) Oficial de justiça que não-culpabilidade, da presunção da inocência ou,
solicite determinado valor do réu para deixar de citá-lo simplesmente, princípio da inocência. Independente
em processo judicial comete crime de prevaricação.
da nomenclatura utilizada, o texto constitucional
( ) CERTO ( ) ERRADO brasileiro é expresso ao referir a ideia de culpa, com
a seguinte construção: “Art. 5o. [...] LVII - ninguém
será considerado culpado até o trânsito em julgado
Gabarito: de sentença penal condenatória”.
1–E
2 –C Essa acepção traz a ideia de que todo o
3 –E processo penal deve ser estruturado como uma
4 –E garantia, posto que cuida dos direitos de alguém que
5 –E até a convicção plena de ter sido o autor de um fato
6 –C
7 –E criminoso –que, de acordo com o texto expresso da
8 –C Constituição advém da sentença penal condenatória–
9 –E , é presumido não culpado ou inocente.
10 –C
11 –E Um segundo significado amplamente
12 –C
13 –E utilizado da culpabilidade é aquele empregado sob a
14 –E construção do princípio da culpabilidade. Esse
15 –C princípio, decorrência direta do próprio princípio
16 –E constitucional da dignidade humana1, significa
17 –E
18 –E 1
“A imposição de uma pena sem observância da culpabilidade
19 –E
resulta em violação do cerne da autonomia e da liberdade, já
20 –E
que se trata de uma sanção gravíssima, que atinge frontalmente
21 –E
não apenas a liberdade, mas, sobretudo, a honra do condenado
22 –C
e que deve ser a resposta a um ato reprovável. Do contrário,
23 –A
subjuga-se a pessoa, violando sua dignidade” (COSTA, Helena
24 –D
Regina Lobo da. A dignidade humana: teorias de prevenção

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 4
DIREITO PENAL

basicamente que, no Estado Democrático e Social de também serve para designar um dos elementos
Direito, para a imposição de qualquer sanção subjetivos do tipo penal, ao lado do dolo (cf. art. 18,
criminal imprescindível a demonstração da culpa2. inciso II, do Código Penal Brasileiro).
Nas palavras de HELENA REGINA LOBO DA COSTA3:
No que toca à culpabilidade como elemento
O princípio da dignidade humana constitui o do crime, a atual formulação do direito penal
princípio da culpabilidade no direito penal, que, brasileiro, é denominada de teoria normativa ou
por sua vez, confere concretude e especificidade
àquele. Isto porque a culpabilidade impõe a
teoria normativa-pura da culpabilidade. Nas palavras
4
exclusão da responsabilidade objetiva, bem do pai do finalismo, HANS WELZEL :
como um juízo sobre a reprovação da conduta
para que ela possa ser considerada típica, Culpabilidade é a reprovabilidade da resolução de
determinando o respeito ao núcleo da autonomia vontade. O autor podia adotar no lugar da
e liberdade humanas como pressuposto lógico resolução de vontade antijurídica [...] uma
para a aplicação da pena. resolução de vontade conforme a norma. Toda
culpabilidade é, pois, culpabilidade de vontade.
Nesse sentido, o princípio da culpabilidade Apenas aquilo que depende da vontade do homem
pode ser-lhe reprovado como culpável. Suas
acaba por abranger o direito penal como um todo, qualidades e suas aptidões – tudo aquilo que o
apresentando-se como um elo entre o crime homem simplesmente ‘é’ – podem ser valiosas ou
praticado e a pena. Assim, seu conteúdo perpassa de escasso valor (consequentemente, podem ser
todos os elementos do crime. também valoradas), mas apenas o que tenha
feitos delas ou como as tenha empregado – em
comparação com o que tivesse podido e devido
Já a culpabilidade como integrante do fazer delas ou como as tivesse podido e devido
conceito de infração penal tem âmbito e conteúdo empregar –, só isso pode ser-lhe computado como
mais restritos que os princípios com os quais divide ‘mérito’ ou reprovado como ‘culpabilidade’.
a nomenclatura. Refere-se, especificamente, ao juízo
de censura ao autor pela conduta humana típica e Em nosso Código Penal trabalhamos com três
ilícita por ele praticada. excludentes de culpabilidade, a saber:

Há de se registrar, ademais, que ainda há uma Erro sobre a ilicitude do fato


última divisão que costuma se fazer em relação à Art. 21 - O desconhecimento da lei é inescusável. O
expressão culpabilidade, posto que o termo culpa erro sobre a ilicitude do fato, se inevitável, isenta de
pena; se evitável, poderá diminuí-la de um sexto a
um terço.
geral positiva. São Paulo: RT, 2008, p. 123). Igualmente: “É
princípio considerado, prática e quase unanimemente,
Parágrafo único - Considera-se evitável o erro se o
indiscutível que não há pena, não há responsabilidade penal agente atua ou se omite sem a consciência da
sem culpa. Esta exigência da culpa é vista até como uma ilicitude do fato, quando lhe era possível, nas
exigência da própria dignidade da pessoa e, circunstâncias, ter ou atingir essa consciência.
consequentemente, do próprio Estado-de-Direito, na medida
em que este não pode deixar de considerar como sua pedra
angular, como sua matriz irrenunciável, a referida dignidade da
pessoa humana; dignidade esta que é (deve ser) marca indelével Coação irresistível e obediência hierárquica
de todo o ser humano, desde o mais santo ao mais criminoso” Art. 22 - Se o fato é cometido sob coação irresistível
(CARVALHO, Américo Taipa de. Direito penal: parte geral: ou em estrita obediência a ordem, não
questões fundamentais: teoria geral do crime. 2 a ed. Coimbra:
Coimbra editora, 2008, p.457).
manifestamente ilegal, de superior hierárquico, só é
2
De acordo com CEZAR ROBERTO BITENCOURT: “Segundo o punível o autor da coação ou da ordem.
princípio da culpabilidade, em sua configuração mais
elementar, ‘não há crime sem culpabilidade’. No entanto, o
Direito Penal primitivo caracterizou-se pela responsabilidade
objetiva, isto é, pela simples produção de um resultado. Porém,
TÍTULO III
essa forma de responsabilidade objetiva está praticamente DA IMPUTABILIDADE PENAL
erradicada do Direito Penal contemporâneo, vigindo o princípio
nullum crimen sine culpa” (Tratado de direito penal: parte 4
geral 1. 15a ed. rev. atual. e ampl. São Paulo: Saraiva, 2010, pp. WELZEL, Hans. O novo sistema jurídico penal. Tradução,
45-46). prefácio e notas Luiz Regis Prado. 3a ed. rev. e ampl. da
3
A dignidade humana: teorias de prevenção geral positiva. São tradução. São Paulo: RT, 2011, p.109.
Paulo: RT, 2008, p.122.

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 5
DIREITO PENAL

§ 1º - É isento de pena o agente que, por embriaguez


Inimputáveis completa, proveniente de caso fortuito ou força
Art. 26 - É isento de pena o agente que, por doença maior, era, ao tempo da ação ou da omissão,
mental ou desenvolvimento mental incompleto ou inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do
retardado, era, ao tempo da ação ou da omissão, fato ou de determinar-se de acordo com esse
inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito entendimento.
do fato ou de determinar-se de acordo com esse § 2º - A pena pode ser reduzida de um a dois terços,
entendimento. se o agente, por embriaguez, proveniente de caso
fortuito ou força maior, não possuía, ao tempo da
ação ou da omissão, a plena capacidade de entender
Redução de pena (Semi-imputabilidade) o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de
Parágrafo único - A pena pode ser reduzida de um a acordo com esse entendimento.
dois terços, se o agente, em virtude de perturbação
de saúde mental ou por desenvolvimento mental
incompleto ou retardado não era inteiramente
capaz de entender o caráter ilícito do fato ou de
determinar-se de acordo com esse entendimento. LEI DE DROGAS (LEI 11.343/2006)

Art. 45. É isento de pena o agente que, em razão da


dependência, ou sob o efeito, proveniente de caso
fortuito ou força maior, de droga, era, ao tempo da
ação ou da omissão, qualquer que tenha sido a
infração penal praticada, inteiramente incapaz de
entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se
de acordo com esse entendimento.
Parágrafo único. Quando absolver o agente,
reconhecendo, por força pericial, que este
Menores de dezoito anos apresentava, à época do fato previsto neste artigo, as
Art. 27 - Os menores de 18 (dezoito) anos são condições referidas no caput deste artigo, poderá
penalmente inimputáveis, ficando sujeitos às normas determinar o juiz, na sentença, o seu
estabelecidas na legislação especial. encaminhamento para tratamento médico adequado.
Art. 46. As penas podem ser reduzidas de um terço
 Art. 228 da Constituição Federal: São a dois terços se, por força das circunstâncias
penalmente inimputáveis os menores de previstas no art. 45 desta Lei, o agente não possuía,
dezoito anos, sujeitos às normas da legislação ao tempo da ação ou da omissão, a plena capacidade
especial. de entender o caráter ilícito do fato ou de
 Art. 2º do Estatuto da Criança e do determinar-se de acordo com esse entendimento.
Adolescente (Lei 8.069/1990): Considera-se
criança, para os efeitos desta Lei, a pessoa LISTA - F
até doze anos de idade incompletos, e LISTA DAS SUBSTÂNCIAS DE USO PROSCRITO
adolescente aquela entre doze e dezoito anos NO BRASIL
de idade
LISTA F1 - SUBSTÂNCIAS ENTORPECENTES
1.3-METILFENTANILA (N-(3-METIL 1-(FENETIL-4-
PIPERIDIL)PROPIONANILIDA)
Emoção e paixão
2.3-METILTIOFENTANILA (N-[3-METIL-1-[2-(2-
Art. 28 - Não excluem a imputabilidade penal: TIENIL)ETIL]-4-PIPERIDIL]PROPIONANILIDA)
I - a emoção ou a paixão; 3.ACETIL-ALFA-METILFENTANILA (N-[1-µ -
Embriaguez METILFENETIL)-4-PIPERIDIL]ACETANILIDA)
II - a embriaguez, voluntária ou culposa, pelo álcool 4.ALFA-METILFENTANILA (N-[1-µ -
ou substância de efeitos análogos. METILFENETIL)-4-PIPERIDIL]PROPIONANILIDA)
5.ALFAMETILTIOFENTANIL (N-[1-[1-METIL-2-(2-
TIENIl)ETIL]-4-PIPERIDIL]PROPIONANILIDA)
7.BETA-HIDROXI-3-METILFENTANILA

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 6
DIREITO PENAL

8.BETA-HIDROXIFENTANILA 25. ROLICICLIDINA (L-(L-


11. COCAÍNA FENILCICLOMEXIL)PIRROLIDINA)-PHP,PCPY
12. DESOMORFINA (DIIDRODEOXIMORFINA) 26. STP,DOM (2,5-DIMETOXI-µ ,4-
20. ECGONINA DIMETILFENETILAMINA)
24. HEROÍNA (DIACETILMORFINA) 27. TENOCICLIDINA (1-[1-(2-
32. MPPP (1-METIL-4-FENIL-4-PROPIONATO DE TIENIL)CICLOHEXIL]PIPERIDINA)-TCP
PIPERIDINA (ESTER)) 28. THC (TETRAIDROCANABINOL)
33. PARA-FLUOROFENTANILA (4-FLUORO-N-(1- 29. TMA ( (± )-3,4,5-TRIMETOXI-µ -
FENETIL-4-PIPERIDIL)PROPIONANILIDA) METILFENETILAMINA)
35. PEPAP (1-FENETIL-4-FENIL-4-ACETATO DE 30. ZIPEPROL
PIPERIDINA (ESTER)) LISTA F3 OUTRAS SUBSTÂNCIAS
43. TIOFENTANILA (N-[1-[2-TIENIL)ETIL]-4- 1.ESTRICNINA
PIPERIDIL]PROPIONANILIDA) 2.ETRETINATO

LISTA F2 - SUBSTÂNCIAS PSICOTRÓPICAS


1.4-METILAMINOREX (± )-CIS-2-AMINO-4-METIL-
5-FENIL-2-OXAZOLINA
2.BENZOFETAMINA
3.CATINONA ( (-)-(5)-2-AMINOPROPIOFENONA)
4.CLORETO DE ETILA
QUESTÕES DE CULPABILIDADE
5.DET ( 3-[2-(DIETILAMINO)ETIL]LINDOL)
6.LISERGIDA (9,10-DIDEHIDRO-N,N-DIETIL-6- 1) (CESPE - 2018) A imputabilidade é definida
METILERGOLINA-8 b -CARBOXAMIDA) -LSD como
7.DMA ((± )-2,5-DIMETOXI-µ - a) a capacidade mental, inerente ao ser humano, de,
METILFENETILAMINA) ao tempo da ação ou da omissão, entender o caráter
8.DMHP(3-(1,2-DIMETILHEPTIL)-7,8,9,10- ilícito do fato e de determinar-se de acordo com esse
TETRAHIDRO-6,6,9-TRIMETIL-6H- entendimento.
DIBENZO[B,D]PIRANO-1-OL) b) a contrariedade entre o fato típico praticado por
9.DMT (3-[2-(DIMETILAMINO)ETIL] INDOL) alguém e o ordenamento jurídico, capaz de lesionar
10. DOB ((± )-4-BROMO-2,5-DIMETOXI-µ -
ou expor a perigo de lesão bens jurídicos penalmente
METILFENETILAMINA)-BROLANFETAMINA
protegidos.
11. DOET ((± ) ?4-ETIL-2,5-DIMETOXIµ -
FENETILAMINA) c) a reprovabilidade ou o juízo de censura que incide
12. ETICICLIDINA (N-ETIL-1- sobre a formação e a exteriorização da vontade do
FENILCICLOHEXILAMINA)-PCE responsável pela conduta criminosa.
13. ETRIPTAMINA (3-(2-AMINOBUTIL)INDOL) d) a obediência às formas e aos procedimentos
14. MDA (µ -METIL-3,4- exigidos na criação da lei penal e, principalmente, na
(METILENDIOXI)FENETILAMINA)- elaboração de seu conteúdo normativo.
TENAMFETAMINA e) a necessidade de que a conduta reprovável se
15. MDMA ( (± )-N, µ -DIMETIL-3,4- encaixe no modelo descrito na lei penal vigente no
(METILENDIOXI)FENETILAMINA) momento da ação ou da omissão.
16. MECLOQUALONA
17. MESCALINA (3,4,5-
2) (CESPE – 2018) A prática de crime em
TRIMETOXIFENETILAMINA)
18. METAQUALONA decorrência de coação moral irresistível configura
19. METICATINONA (2-(METILAMINO)-1- a) inexigibilidade de conduta diversa.
FENILPROPAN-L-ONA) b) excludente de antijuridicidade.
20. MMDA (2-METOXI-µ -METIL-4,5- c) inimputabilidade penal.
(METILENDIOXI)FENETILAINA) d) circunstância atenuante de pena.
21. PARAHEXILA (3-HEXIL-7,8,9,10-TETRAHIDRO- e) atipicidade da conduta.
6,6,9-TRIMETIL-6H-DIBENZO[B,D]PIRANO-1-OL)
22. PMA (P-METOXI-µ -METILFENETILAMINA) 3) (CESPE – 2018) Luiz cometeu um crime e, em
23. PSILOCIBINA (FOSFATO DIHIDROGENADO DE sua defesa, alegou embriaguez. Após as
3-[2-(DIMETILAMINOETIL)]INDOL-4-ILO) investigações e perícias cabíveis, foi reconhecida a
24. PSILOCINA (3-[2-
hipótese de exclusão da imputabilidade.
(DIMETILAMINO)ETIL]INDOL-4-OL)

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 7
DIREITO PENAL

Nessa situação hipotética, a exclusão da e) É considerado erro evitável, capaz de reduzir a


imputabilidade deveu-se ao fato de se tratar de uma pena, aquele em que o agente atue ou se omita sem a
embriaguez consciência da ilicitude do fato, quando lhe era
a) acidental ou fortuita incompleta. possível, nas circunstâncias, ter ou atingir essa
b) preordenada. consciência.
c) não acidental culposa.
d) não acidental voluntária. 6) (CESPE – 2016) Constitui causa que exclui a
e) acidental ou fortuita completa. imputabilidade a
a) embriaguez preordenada completa proveniente da
4) (CESPE – 2016) A respeito da aplicação da lei ingestão de álcool.
penal e dos elementos e das causas de exclusão de b) embriaguez acidental completa proveniente da
culpabilidade, assinale a opção correta. ingestão de álcool.
a) O princípio da legalidade pode ser desdobrado em c) embriaguez culposa completa proveniente da
três: princípio da reserva legal, princípio da ingestão de álcool.
taxatividade e princípio da retroatividade como d) emoção.
regra, a fim de garantir justiça na aplicação de e) paixão.
qualquer norma.
b) São excludentes de culpabilidade: 7) (CESPE – 2016) Com relação a imputabilidade
inimputabilidade, coação física irresistível e penal, assinale a opção correta. Nesse sentido,
obediência hierárquica de ordem não considere que a sigla ECA, sempre que empregada,
manifestamente ilegal. se refere ao Estatuto da Criança e do Adolescente.
c) Se ordem não manifestamente ilegal for cumprida a) A embriaguez, quando culposa, é causa
por subordinado e resultar em crime, apenas o excludente de imputabilidade.
superior responderá como autor mediato, ficando o b) A emoção e a paixão são causas excludentes de
subordinado isento por inexigibilidade de conduta imputabilidade, como pode ocorrer nos chamados
diversa. crimes passionais.
d) Emoção e paixão são causas excludentes de c) A embriaguez não exclui a imputabilidade,
culpabilidade. mesmo quando o agente se embriaga completamente
e) Em razão do princípio da legalidade, a analogia em razão de caso fortuito ou força maior.
não pode ser usada em matéria penal. d) São inimputáveis os menores de dezoito anos de
idade, ficando eles, no entanto, sujeitos ao
5) (CESPE – 2016) Em relação ao fato típico e aos cumprimento de medidas socioeducativas e(ou)
elementos do crime, assinale a opção correta. outras medidas previstas no ECA.
a) É isento de pena o agente que, por embriaguez e) São inimputáveis os menores de vinte e um anos
completa, proveniente de culpa ou de caso fortuito, de idade, ficando eles, no entanto, sujeitos ao
ao tempo da ação ou da omissão, era parcialmente cumprimento de medidas socioeducativas e(ou)
incapaz de entender o caráter ilícito desse fato ou de outras medidas previstas no ECA.
determinar-se conforme esse entendimento.
b) É caracterizada como estado de necessidade a 8) (CESPE – 2016) Em relação à imputabilidade
conduta praticada por bombeiro para salvar de penal, assinale a opção correta.
perigo atual ou iminente, não provocado por sua a) Situação hipotética: João, namorado de Maria e
vontade, direito próprio ou alheio, cujo sacrifício, por ela apaixonado, não aceitou a proposta dela de
nas circunstâncias, não era razoável exigir-se. romper o compromisso afetivo porque ela iria
c) Os elementos imputabilidade, potencial estudar fora do país, e resolveu mantê-la em cárcere
consciência da ilicitude, inexigibilidade de conduta privado. Assertiva: Nessa situação, a atitude de João
diversa e punibilidade são requisitos da enseja o reconhecimento da inimputabilidade, já que
culpabilidade penal. o seu estado psíquico foi abalado pela paixão.
d) A coação física e a coação moral irresistível b) Na situação em que o agente, com o fim precípuo
excluem a conduta do agente, pois eliminam de cometer um roubo, embriaga-se para ter coragem
totalmente a vontade pelo emprego da força, de suficiente para a execução do ato, não se aplica a
modo que o fato passa a ser atípico. teoria da actio libera in causa ou da ação livre na
causa.

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 8
DIREITO PENAL

c) Situação hipotética: Elizeu ingeriu, sem saber, processado e, ao final, condenado. Considere, ainda,
bebida alcoólica, pensando tratar-se de medicamento que, no curso da ação penal, tenha sido constatado
que costumava guardar em uma garrafa, e perdeu pericialmente que João, ao tempo do crime, tinha
totalmente sua capacidade de entendimento e de reduzida a capacidade de compreensão ou vontade,
autodeterminação. Em seguida, entrou em uma comprovando-se a sua semi-imputabilidade. Nessa
farmácia e praticou um furto. Assertiva: Nesse caso, situação, caberá a imposição cumulativa de pena,
Elizeu será isento de pena, por estar configurada a reduzida de um terço a dois terços e de medida de
sua inimputabilidade. segurança.
d) Situação hipotética: Paulo foi obrigado a ingerir
álcool por coação física e moral irresistível, o que GABARITO:
afetou parcialmente o controle sobre suas ações e o 1) A;
levou a esfaquear um antigo desafeto. Assertiva: 2) A;
Nesse caso, a retirada parcial da capacidade de 3) E;
entendimento e de autodeterminação de Paulo não 4) C;
enseja a redução da sua pena no caso de eventual 5) E;
condenação. 6) B;
e) Situação hipotética: Em uma festa de 7) D;
aniversário, Elias, no intuito de perder a inibição e 8) C;
conquistar Maria, se embriagou e, devido ao seu 9) CERTA;
estado, provocado pela imprudência na ingestão da 10) ERRADA;
bebida, agrediu fisicamente o 11) CERTA;
aniversariante. Assertiva: Nessa situação, Elias não 12) ERRADA;
será punido pelo crime de lesões corporais por 13) ERRADA.
ausência total de sua capacidade de entendimento e
de autodeterminação.
TRIO CANALHA
9) (CESPE – 2013 - PF) A embriaguez completa
pode dar causa à exclusão da imputabilidade penal,
mas não descaracteriza a ilicitude do fato. TÍTULO XI
DOS CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO
10) (CESPE – 2013 - PRF) Considere que um PÚBLICA
indivíduo penalmente capaz, em total estado de CAPÍTULO I
embriaguez, decorrente de caso fortuito, atropele um DOS CRIMES PRATICADOS POR
pedestre, causando-lhe a morte. Nessa situação, a FUNCIONÁRIO PÚBLICO CONTRA A
embriaguez não excluía imputabilidade penal do ADMINISTRAÇÃO EM GERAL
agente.
Funcionário público
11) (CESPE – 2013 - PF) O ordenamento jurídico Art. 327 - Considera-se funcionário público, para os
brasileiro prevê a possibilidade de ocorrência de efeitos penais, quem, embora transitoriamente ou
tipicidade sem antijuridicidade, assim como de sem remuneração, exerce cargo, emprego ou função
antijuridicidade sem culpabilidade. pública.
§ 1º - Equipara-se a funcionário público quem exerce
12) (CESPE – 2013 - PF) Considerando a distinção cargo, emprego ou função em entidade paraestatal, e
doutrinária entre culpabilidade de ato e culpabilidade quem trabalha para empresa prestadora de serviço
de autor, julgue o seguinte item. Tratando-se de contratada ou conveniada para a execução de
culpabilidade pelo fato individual, o juízo de atividade típica da Administração Pública.
culpabilidade se amplia à total personalidade do § 2º - A pena será aumentada da terça parte quando
autor e a seu desenvolvimento. os autores dos crimes previstos neste Capítulo forem
ocupantes de cargos em comissão ou de função de
13) (CESPE – 2013 - PF) Considere que João, direção ou assessoramento de órgão da
maior de dezoito anos de idade, tenha praticado administração direta, sociedade de economia mista,
crime de natureza grave, sendo, por consequência,

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 9
DIREITO PENAL

empresa pública ou fundação instituída pelo poder Art. 316 - Exigir, para si ou para outrem, direta ou
público. indiretamente, ainda que fora da função ou antes de
assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida:
Pena - reclusão, de dois a oito anos, e multa.
 A principal diferença entre os crimes de
corrupção e concussão está na conduta
principal, ou seja, no verbo. Na corrupção
passiva o funcionário solicita (pede), enquanto
que na concussão ele exige (obriga).

Corrupção passiva
Art. 317 - Solicitar ou receber, para si ou para
Peculato outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da
Art. 312 - Apropriar-se o funcionário público de função ou antes de assumi-la, mas em razão dela,
dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, vantagem indevida, ou aceitar promessa de tal
público ou particular, de que tem a posse em razão vantagem:
do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou Pena – reclusão, de 2 (dois) a 12 (doze) anos, e
alheio: multa. (Redação dada pela Lei nº 10.763, de
Pena - reclusão, de dois a doze anos, e multa. 12.11.2003)
§ 1º - Aplica-se a mesma pena, se o funcionário § 1º - A pena é aumentada de um terço, se, em
público, embora não tendo a posse do dinheiro, valor consequência da vantagem ou promessa, o
ou bem, o subtrai, ou concorre para que seja funcionário retarda ou deixa de praticar qualquer ato
subtraído, em proveito próprio ou alheio, valendo-se de ofício ou o pratica infringindo dever funcional.
de facilidade que lhe proporciona a qualidade de § 2º - Se o funcionário pratica, deixa de praticar ou
funcionário. retarda ato de ofício, com infração de dever
funcional, cedendo a pedido ou influência de outrem:
Pena - detenção, de três meses a um ano, ou multa.

Peculato culposo
§ 2º - Se o funcionário concorre culposamente para o
crime de outrem:
Pena - detenção, de três meses a um ano.
§ 3º - No caso do parágrafo anterior, a reparação do
dano, se precede à sentença irrecorrível, extingue a
punibilidade; se lhe é posterior, reduz de metade a Corrupção ativa
pena imposta. Art. 333 - Oferecer ou prometer vantagem
indevida a funcionário público, para determiná-lo a
praticar, omitir ou retardar ato de ofício:
Peculato mediante erro de outrem Pena – reclusão, de 2 (dois) a 12 (doze) anos, e
Art. 313 - Apropriar-se de dinheiro ou qualquer multa. (Redação dada pela Lei nº 10.763, de
utilidade que, no exercício do cargo, recebeu por 12.11.2003)
erro de outrem: Parágrafo único - A pena é aumentada de um terço,
Pena - reclusão, de um a quatro anos, e multa. se, em razão da vantagem ou promessa, o
funcionário retarda ou omite ato de ofício, ou o
pratica infringindo dever funcional.
Concussão

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 10
DIREITO PENAL

Com relação a essa situação hipotética, assinale a


Corrupção Corrupçã opção correta.
passiva o ativa
Funcionário a) A conduta da investigadora configura crime de
Particular
Público concussão, consumado quando ela exigiu do
traficante o pagamento do valor pecuniário.
b) A investigadora e o traficante, pela aplicação da
Solicitar XXX
teoria monista, deverão responder pelo mesmo tipo
penal.
c) A investigadora cometeu crime de corrupção
Receber Oferecer passiva, consumado a partir do momento em que o
traficante efetuou o pagamento.
d) O cumprimento, pela investigadora, do acordado
Aceitar Prometer
promessa vantagem com o traficante configura circunstância
qualificadora do crime.
e) O traficante deverá responder pelo crime de
QUESTÕES RELATIVAS AO TRIO CANALHA corrupção ativa, consumado a partir do momento em
que as provas contra ele foram ocultadas.
1) (CESPE - 2018) Com relação aos crimes contra a
administração pública, assinale a opção correta.
3) (CESPE - 2018) Com referência à tipificação das
a) Ser membro de poder ou exercer cargo de elevada
diversas modalidades de crimes e ao processamento
envergadura são circunstâncias irrelevantes para a
desses crimes, assinale a opção correta.
formulação da pena-base dos crimes contra a
a) Configura-se o peculato na modalidade de desvio
administração pública.
quando o servidor público, consciente e
b) A corrupção ativa não pode existir na ausência de
voluntariamente, desvia, em proveito próprio ou de
corrupção passiva, pois tais condutas são tipicamente
terceiro, verba que detém em razão do cargo que
bilaterais.
ocupa na sua repartição.
c) O princípio da insignificância poderá ser aplicado
b) Não constitui causa especial de aumento de pena a
aos crimes contra a administração pública quando o
prática de lesões corporais contra cônjuge ou
agente for primário e o prejuízo causado ao erário
companheiro(a) de policial civil ou militar em razão
for inexpressivo.
dessa condição.
d) A circunstância elementar do crime de peculato se
c) O assassinato da esposa ou companheira será
comunica ao coautor ou partícipe, mesmo que estes
classificado como feminicídio apenas quando for
não integrem o serviço público.
praticado no ambiente doméstico e familiar,
e) O crime de corrupção ativa é de natureza material
sujeitando o infrator à pena de doze a trinta anos de
e se consuma com a efetiva entrega da vantagem
reclusão.
oferecida.
d) Consoante a jurisprudência do Supremo Tribunal
Federal, reputa-se tentado o latrocínio quando há a
2) (CESPE - 2018) Uma investigadora de polícia
morte da vítima, mas o agente não logra obter a
exigiu de um traficante de drogas o pagamento de
subtração da res furtiva pretendida por circunstâncias
determinada importância em dinheiro a fim de que
alheias à sua vontade.
evitasse o indiciamento dele em inquérito policial. O
e) O crime de estupro de vulnerável constitui ação
traficante pediu um prazo para o pagamento do valor
penal pública condicionada à representação da
acordado e, dois dias depois, entregou o dinheiro à
pessoa ofendida, que deve estar assistida pelo seu
investigadora, a qual, então, ocultou as provas contra
representante legal.
o traficante.

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 11
DIREITO PENAL

4) (CESPE - 2016) Considerando-se que o perito 6) (CESPE - 2018) Em relação aos crimes contra a
criminal Martim, durante sua oitiva em inquérito administração pública, assinale a opção correta.
policial que apura um crime de homicídio, tenha a) Embora o crime de peculato admita a forma
omitido informações relevantes a respeito do laudo dolosa, ele não pune a conduta culposa, que consiste
pericial que elaborou, é correto afirmar que na ação do agente público em concorrer, por
a) a finalidade de se obter prova destinada a produzir imperícia, imprudência ou negligência, para que
efeito em processo penal é elementar do tipo penal outrem se aproprie, desvie ou subtraia dinheiro, bem
praticado por Martim. ou valores pertencentes à administração pública.
b) estará caracterizado o crime de corrupção ativa b) A inserção, alteração ou exclusão de dados nos
caso o autor do fato tenha oferecido dinheiro a sistemas informatizados ou nos bancos de dados da
Martim para omitir as informações no laudo pericial. administração pública é crime material, de modo que
c) o fato deixará de ser punível se, antes da sentença a consumação só ocorre quando há prejuízo para a
no processo em que ocorreu o ilícito, Martim se administração pública e(ou) ao administrado, em
retratar e declarar a verdade a respeito do laudo benefício próprio ou de outrem.
pericial. c) É material o crime de peculato-desvio, uma vez
d) a conduta de Martim caracteriza o crime de fraude que se consuma no exato momento do efetivo desvio
processual, porque, com suas omissões, tentou do bem que o agente público detém ou possui em
induzir a erro o delegado de polícia. razão de seu cargo, com a necessidade da ocorrência
e) E estará caracterizado o crime de favorecimento de dano para a administração pública.
pessoal caso a conduta de Martim colabore para que d) O crime de peculato-furto ocorre quando o
o autor do fato não seja indiciado pela autoridade funcionário público, embora não tendo a posse do
policial. dinheiro, do valor ou do bem, o subtrai, ou concorre
para que seja subtraído, em proveito próprio ou
5) (CESPE - 2016) Assinale a opção correta com alheio, valendo-se da facilidade que lhe proporciona
relação a crimes contra a administração pública. a qualidade de funcionário.
a) Policial que exigir propina para liberar a passagem e) O crime de denunciação caluniosa consiste em dar
de pessoas por uma estrada cometerá corrupção causa à instauração de inquérito civil ou de ação de
passiva. improbidade administrativa contra alguém,
b) O agente penitenciário que não recolher aparelhos imputando-se a esse alguém infração administrativa
celulares de pessoas em privação de liberdade de que o sabe inocente.
cometerá crime de condescendência criminosa.
c) Um governador que ordenar a aquisição de 7) (CESPE – 2013 – PF) Pratica crime de corrupção
viaturas policiais e o pagamento destas com recurso passiva o funcionário público que, em razão da
legalmente destinado à educação infantil cometerá o função, solicita, recebe ou aceita vantagem indevida,
crime de peculato. ao passo que pratica crime de concussão o
d) Se forem ocupantes de cargos em comissão ou de funcionário que, também em razão da função, impõe,
função de direção ou assessoramento de órgão da ordena ou exige vantagem indevida.
administração direta, sociedade de economia mista,
empresa pública ou fundação instituída pelo poder 8) (CESPE – 2013 – PRF) Considere a seguinte
público, os autores de crimes contra a administração situação hipotética. Aproveitando-se da facilidade
pública terão direito a redução de suas penas. do cargo por ele exercido em determinado órgão
e) A circunstância de funcionário público é público, Artur, servidor público, em conluio com
comunicável a particular que cometa o crime Maria, penalmente responsável, subtraiu dinheiro da
sabendo dessa condição especial do funcionário. repartição pública onde trabalha. Maria, que recebeu
parte do dinheiro subtraído, desconhecia ser Artur
funcionário público. Nessa situação hipotética, Artur

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 12
DIREITO PENAL

cometeu o crime de peculato e Maria, o delito de


furto.

9) (CESPE – 2013 – PRF) O crime de concussão


configura-se com a exigência, por funcionário
público, de vantagem indevida, ao passo que, para a
configuração do crime de corrupção passiva, basta
que ele solicite ou receba a vantagem, ou, ainda,
aceite promessa de recebê-la.

10) (CESPE – 2013 – PF) O peculato é conceituado


doutrinariamente como crime funcional impróprio
ou misto, porquanto na hipótese de não ser praticado
por funcionário público, opera tipicidade relativa,
passando a constituir tipo penal diverso.

GABARITO:
1) D;
2) A;
3) A;
4) C;
5) E;
6) D;
7) CERTA;
8) CERTA;
9) CERTA;
10) CERTA.

“O sucesso normalmente vem para quem está ocupado demais para pensar nele!” 13