Você está na página 1de 1

ser semelhantes e equilibrados, tanto

nn-u-.v·a

sons ou pela proporção de suas durações. Exemplos:


módulos iguais equilibram-se com módulos iguais ou, em outros ca-
sos, módulos desiguais em concordância mútua em uma proporção
3:2 ou 4:3, de fato, a música como arte sempre favorece a variação de
padrões musicais, porém sempre respeitando a proporcionalidade;
- as frases devem ter a mesma duração. Assim como os poetas líri-
cos uniram pés variados, também o compositor pode usar.módulos
variados na proporção devida. A variação é, portanto, proporcional
quando módulos e frases, moderadamente variados entre si, conti-
nuam a se equilibrar através de alguma forma de semelhança. Os
módulos substituem os pés, as frases e os versos. Os módulos podem
se apresentar como dactílicos, espondaicos ou iâmbicos e as frases
podem apresentar quatro, cinco ou seis pés. 16

Quais são as frases de Veni creator spiritus? De que maneira cada uma é defmida pelo
conteúdo musical e pela notação? Quais são seus módulos? Como esses se relacionam
com a evolução do espaço e da linguagem do canto? Qual é a função da pausa? Como o
Amen se relaciona ritmicamente com o resto do canto? Por que esta seção é necessária
para a música?

Os Exemplos 3.11 e 3.12 explicitam os diferentes níveis de estrutura rítmi-


ca do Veni creator spiritus:

frases
- duas frases, de vinte e dois e vinte e seis J\
respectivamente;
- cada frase assume metade da movimentação espacial-lingüística da
peça e conduz a um objetivo estrutural (Sol para Ré e Ré para Sol) - o
que Guido chama de "um ponto conveniente para a respiração";
- na primeira frase, a presença de uma pausa e o objetivo espacial-
-lingüístico (a nota Ré) indicam claramente que a frase termina nes-
te ponto;
- embora a segunda frase seja ligeiramente mais longa do que a pri-
meira, seu papel na estrutura espacial e lingüística é o de equalizar
e equilibrar (a variação é proporcional quando os módulos e frases,
moderadamente variados entre si, continuam a se equilibrar através
de alguma forma de semelhança).

SOM E MÚSICA: A NATUREZA DAS ESTRUTURAS SONORAS 323