Você está na página 1de 4

Disciplina: Patologias em Geotecnia.

Identificação da tarefa: Tarefa 4. Unidade 4. Envio de arquivo.


Pontuação: 15 pontos.

Tarefa 4

Orientações:
 Tome cuidado com o plágio;
 Dê preferência a utilizar as suas palavras;
 Faça a devida referência de cada material de autoria diversa que utilizar;
 Leia o tutorial de referências e citações que se encontra na biblioteca;
 Para tarefas respondidas por meio digital, o formato utilizado deve ser .doc ou
.docx. Para tarefas manuscritas, as mesmas devem ser digitalizadas e
entregues em formato .pdf.

1) Discorra sobre as principais patologias relacionadas à execução de fundações


superficiais. (5 pontos)

As patologias relacionadas com as fundações são aquelas que implicam um


maior custo na sua reparação por serem complexas de solucionar, porque implicam
grandes alterações na estrutura e podem provocar uma interrupção das funções
para a qual a estrutura foi projetada. A análise deste tipo de patologia não é simples
nem imediato, é necessário analisar todas as modificações que surgem na estrutura,
as principais que devemos levar em conta são as fissuras, deslocações,
assentamentos e rotações que a estrutura possa sofrer, para a partir delas deduzir
qual é a principal causa.
As fundações superficiais podem apresentar patologias relacionadas ao processo
construtivo envolvendo o solo ou com a estrutura dos elementos de fundação, tais
quais, solo com diferentes comportamentos, amolgamento e má compactação do
solo, sapatas próximas à tubulações e quando há a presença de solos moles ou
solos que não possuem as especificações necessárias para receber estruturas.
Já sobre os problemas envolvendo a estrutura da fundação, pode-se citar:
concreto inadequado, ausência da regularização do concreto magro, dimensões e
geometrias incorretas, presença de água na cavidade e adensamento ineficiente.
2) Discorra sobre as principais patologias relacionadas a fundações profundas. (5
pontos)

Devido à ineficiência da investigação geotécnica, é possível que durante a


execução dessas estruturas sejam encontradas limitações para atingir as exigências
de projeto.
Dentre as principais patologias relacionadas à fundações profundas podemos
citar:
 Erros de locação: esse tipo de erro é muito comum em obras que não há a
verificação de projeto. Isso traz esforços não previstos em vigas de equilíbrio,
em blocos de coroamentos e nas próprias estacas.
 Desvios de execução: desvios na execução podem acontecer devido a
obstruções no subsolo, como matacões, fundações antigas, entre outros.
Contudo, essas situações devem ser avaliadas com cautela.
 Erros na geometria: os erros na geometria podem ser consequência
concepção de projeto ou a execução. De qualquer forma, isso gera
resistência insuficiente da estrutura, que pode levar ao colapso.
 Inclinação em desacordo com projeto: em alguns projetos são previstas
estacas inclinadas. Caso seja executado com inclinação diferente da prevista,
os esforços podem não ser os esperados levando à insegurança da estrutura.
 Pilares sobre estacas: um erro muito comum é executar pilares sobre estacas
sem bloco de coroamento. Essa prática não é segura e ainda faz com que o
pilar fique excêntrico à estaca, ou seja, fora do centro.
 Falta de limpeza na cabeça das estacas: quando é feito o bloco do
coroamento é necessário que se faça a limpeza na cabeça da estaca para
evitar deformações indevidas durante o carregamento.
 Falta de vinculação estaca e bloco: é comum em obras de ponte que devido à
elevação do nível do rio haja a erosão do concreto fresco do bloco, deixando
a estaca e o bloco sem vínculos. Além disso, isso pode acontecer devido ao
posicionamento indevido da armadura, não transmitindo a solicitação entre
elas.
 Cota de arrasamento inadequada: uma situação que pode levar à
instabilidade da estrutura é quando a concretagem da estaca não atinge a
cota correta, e é necessário completar com concreto simples.
 Concreto inadequado: mais grave que apenas fazer a espera da estaca
de um concreto simples, é executá-la totalmente com um material inferior ao
de projeto. Isso é inadmissível, e pode levar à ruptura de toda a estrutura.

3) Fale sobre a necessidade de existir fundações especiais para casos de solos


colapsíveis e expansíveis. (5 pontos)

Fundações especiais para solos expansíveis


Os solos expansivos que sofrem significativa variação volumétrica quando
submetidos a uma variação no teor de umidade podem causar danos estruturais
com custos de reparação elevados nas construções que se apoiam sobre ele.
Quando há solos expansivos na superfície do terreno, em geral, é feita a
escolha por fundações profundas, mesmo que a solicitação da edificação leve as
fundações diretas como apropriadas. Os dimensionamentos das fundações devem
levar em consideração o comportamento especial desses materiais, uma vez que os
solos são responsáveis por diversas patologias encontradas nas fundações e nos
elementos em contato com elas.

Fundações especiais para solos colapsíveis


Solos argilosos, arenosos ou que receberam aterro com lixo geralmente
sofrem colapso, um fenômeno observado em solos que apresentam redução de
volume diante do aumento de umidade. O colapso acontece quando há uma brusca
perda de resistência do solo, causada pela quebra das ligações cimentantes entre
suas partículas, fato que acontece com frequência maior em situações de solo não
saturado.
Sendo assim, pode-se dizer que a redução de volume, por mais súbita que
seja, terá uma velocidade menor no adensamento de um solo argiloso saturado.
Para realizar empreendimentos em áreas que apresentam tais condições, é de
extrema necessidade um projeto de fundações em solos colapsíveis com a intensão
de evitar acidentes no futuro.
REFERÊNCIAS

AFLITOS, A.O., PEREIRA, J.H.F., CAMAPUM de CARVALHO, J. et al. (1990).


“Projeto Formoso A - Implantação de Obras Localizadas com Fundações em Solos
Colapsíveis”. XI CBGE e IX COBRAMSEF. Salvador. Vol.2, p.101-108.

BARBOSA, F.M.D.R e CONCIANI, W. (2000). “Estudo de Caso de um Pequeno


Edifício com Fundação em Solo Colapsível”. SEFE IV. São Paulo, vol.2, p.202-
209.

MATERIAL DE APOIO DA DISCIPLINA DE PATOLOGIAS.