Você está na página 1de 4

Agrupamento de Escolas Dr.

Ginestal Machado
Escola Básica 1 dos Leões - Biblioteca Escolar (Pólo 3)

Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares - Metodologias de Operacionalização (Conclusão)


1 Objectivos (do guia da sessão):
- Conhecer os campos e respectivos descritores da análise de desempenho que a IGE utiliza nas suas avaliações externas às escolas;
- Compreender as relações que se podem estabelecer entre estes campos e os indicadores que o MAABE implica em cada um dos seus domínios;
- Conhecer genericamente os relatórios de avaliação da IGE e verificar como a BE é equacionada nessa avaliação;
- Conhecer por uma via diversa o próprio MAABE;

Referência Unidade Regional Unidades de Gestão Ano da Avaliação


A Agrupamento de Escolas D. Sancho I (Cartaxo) Março de 2009
B DRELVT Agrupamento de Escolas de Campelos (T. Vedras) Fevereiro de 2007
C Agrupamento de Escolas de São Gonçalo (T.Vedras) Dezembro de 2008

– MABE: Metodologias de Operacionalização (Conclusão) –


Agrupamento de Escolas Dr. Ginestal Machado
Escola Básica 1 dos Leões - Biblioteca Escolar (Pólo 3)

Avaliação Externa da IGE (Avaliação por Factor)


Escolas 1-Resultados 2. Prestação do serviço 3. Organização e Gestão 4. Liderança 5. Auto-regulação e Biblioteca Escolar
educativo Escolar melhoria
2
“ Resultados “Implementação de rotinas “A leitura como estratégia “Alargamento da “Não existe uma equipa de Apenas são referidos os
A satisfatórios” (…) pouca de leitura e de actividades global, no âmbito do PNL.” oferta educativa.” (…) auto-avaliação que proceda à seguintes aspectos:
eficácia nas acções de que valorizam o análise sistemática” (…)
“Não se verifica uma “Uso regular das TIC - “Biblioteca bem
valorizar o impacto das conhecimento” (…)
efectiva articulação entre reduzido” (…) “Os procedimentos não apetrechada”
aprendizagens
“baixa incidência de o PE e o PAA.” asseguram a implementação
- “Promoção da leitura e
práticas experimentais” de estratégias que sustentem
apoio a actividades das
o progresso da Instituição”
áreas disciplinares”
- “Baixa incidência de
práticas experimentais.”
“Resultados fracos e sem “Organização de apoios “Com o empenhamento “A gestão é “A capacidade de auto- Não há referência à
B evolução nos últimos educativos diversificados dos órgãos de gestão, com determinada e define regulação que o Agrupamento Biblioteca Escolar.
anos”. para os alunos com o apoio da autarquia e as prioridades” (…) tem demonstrado resulta da Apenas se indicam os
dificuldades de com a participação em determinação e persistência recursos tecnológicos
“Os objectivos “o esforço de
aprendizagem ou com projectos variados e da liderança, e não tanto uma existentes.
identificados nos envolvimento do
necessidades educativas parcerias, tem realizado prática sistemática e
documentos Agrupamento no
especiais permanentes, na uma melhoria das consolidada de diagnóstico e
orientadores do processo de auto-
criação de condições para a condições das escolas e reflexão (…)”
Agrupamento realçam a avaliação constituem,
utilização das TIC.” um alargamento da oferta
importância central das outros pontos fortes “A estabilidade das equipas
educativa.”
aprendizagens, mas não “Falta de alguma articulação de liderança que educativas e ou o
há avaliação suficiente e sequencialidade de demonstram visão, empenhamento da gestão
acerca do contributo dos aprendizagens curriculares”. estratégia, motivação e intermédia são vertentes que
projectos, (…), do centro empenho.” carecem ainda de melhoria
de recursos e dos meios acentuada.”
tecnológicos para a
melhoria do sucesso
académico dos alunos.”

– MABE: Metodologias de Operacionalização (Conclusão) –


Agrupamento de Escolas Dr. Ginestal Machado
Escola Básica 1 dos Leões - Biblioteca Escolar (Pólo 3)

Avaliação Externa da IGE (Avaliação por Factor)


Escolas 1-Resultados 2. Prestação do serviço 3. Organização e Gestão 4. Liderança 5. Auto-regulação e Biblioteca Escolar
educativo Escolar melhoria
3
“a taxa global dos “Existe articulação “ O PE do Agrupamento “ Quer as lideranças, “Existem práticas de auto- “As Lideranças
C alunos, situa-se acima interdepartamental nas identifica áreas de quer todos os avaliação que influenciam as desenvolveram
dos valores da média tarefas de planeamento, na intervenção e define intervenientes tomadas de decisão com iniciativas na abertura à
nacional” (…) elaboração de materiais, linhas gerais de actuação, partilham a visão de reflexos positivos nos Inovação:
definição de estratégias de orientadas para o sucesso Escola dinâmica e resultados dos alunos e no
“os alunos são - A plataforma Moodle
diferenciação pedagógica.” escolar e a inclusão.” (…) interventiva, orientada ambiente educativo.” (…)
envolvidos em facilita a comunicação
para o sucesso
actividades e projectos “O agrupamento promove “O ano lectivo é planeado “Estas práticas têm tido entre as várias unidades
educativo e inclusão,
promotores de respostas adequadas e de acordo com as áreas de influência na tomada de e a eficiência de alguns
expressa nos
competências sociais e eficazes para os alunos com intervenção definidas (…) decisão, com reflexos serviços (…)”
documentos
cívicas que facilitam a necessidades educativas A formação profissional é positivos nos resultados dos
orientadores.” - A criação de um fórum
aprendizagem.” especiais (…) valorizada e incentivada.” alunos.”
centrado nas actividades
acompanhando “A motivação é
“a comunidade “ A associação de pais “A ausência de um projecto da Biblioteca Escolar em
sistematicamente o seu generalizada e elevada.
educativa reconhece o articula com os órgãos de de auto-avaliação que abranja que os alunos propõem
percurso.” A gestão e a
trabalho desenvolvido gestão na procura de todas estas dimensões do temas de discussão que
comunidade
como relevante para o “Os departamentos soluções para problemas funcionamento também é rentabilizado
reconhecem o trabalho
futuro dos jovens e tem curriculares identificam existentes e a autarquia organizacional, conduzindo à pelos directores de
desenvolvido.”
desenvolvido um áreas de sucesso e tem um papel importante elaboração de planos turma, no âmbito da
trabalho colaborativo”. dificuldades, decorrentes do no bom funcionamento de “Há muitas iniciativas estratégicos de melhoria, Formação Cívica. O
trabalho desenvolvido.” actividades de reveladoras da compromete o progresso acesso remoto a esta
enriquecimento capacidade de aderir sustentado.” plataforma possibilita,
“As actividades
curricular.” às novas tecnologias entre outros, o
experimentais e criativas
da comunicação e de conhecimento pelos
são muito estimuladas nos
intervenção encarregados de
alunos (…) estão presentes
pedagógica, revelando educação de informação
nas abordagens curriculares,
um grande dinamismo diária relevante sobre os
na utilização de materiais,
na mobilização e seus educandos.”
na realização de
actualização dos
actividades.”
recursos.”

– MABE: Metodologias de Operacionalização (Conclusão) –


Agrupamento de Escolas Dr. Ginestal Machado
Escola Básica 1 dos Leões - Biblioteca Escolar (Pólo 3)

Comentário final
As Bibliotecas Escolares na avaliação externa
4
É com relativa surpresa que se assiste a relatórios da IGE de diferentes anos e de locais distintos, embora pertencendo à mesma Direcção Regional, com referências
marginais à BE ou até a sua completa ausência dos referidos documentos. A questão tem várias implicações.
A avaliação externa que o Ministério promove leva em consideração aspectos cruciais na gestão de uma organização. São assim considerados, nos níveis de
desempenho da organização os resultados dos alunos, a qualidade e dinâmica do serviço educativo prestado, as formas, modos e processos da organização e gestão
escolar, os tipos de liderança e a capacidade de auto-regulação para sustentar progressos. Notando-se um cuidado da inspecção em verificar os mecanismos de auto-
avaliação que sustentem a criação de uma informação crítica, capaz de viabilizar melhorias e o aproveitamento de oportunidades de crescimento, mais se estranha esta
persistente ausência.
Ela demonstra o que já sabemos e que fomos vivendo nas escolas nos últimos anos. A Biblioteca foi durante muitos anos um espaço onde alguém se encontrava,
onde se atendiam os utilizadores, onde se forneciam recursos e serviços. A Biblioteca como centro de aprendizagem, como factor de construção do conhecimento,
como elemento, capaz de influenciar a aprendizagem e a pertença à escola é ainda uma criança muito jovem. O próprio Ministério não esperava muito desse espaço
onde se alojam fantasmas criativos que guardam a memória do que sabemos e do que sonhamos.
O crescimento das Bibliotecas, a sua influência na promoção da aprendizagem, a transformação que promove na circulação da informação, os projectos nacionais e
internacionais que pode dinamizar e a avaliação que faz da organização nos seus aspectos essenciais certamente alterarão no curto prazo aquela ausência. A sua
justificação, a sua óbvia necessidade como instrumento na organização e gestão escolar darão à BE outro protagonismo e outra responsabilidade em futuras avaliações
da IGE.
A leitura destes três relatórios de avaliação externa da IGE, assim como certamente de outros revela-nos que uma avaliação externa com resultados
satisfatoriamente positivos e enriquecedores para todos dependem muito de factores que o MAABE também evidencia: 1- o planeamento articulado das estruturas da
escola; 2 – a gestão pedagógica organizada em prioridades de aprendizagem interligadas entre o PE e o PAA; 3 – a medição da auto-avaliação e transformada em
informação crítica; 4 – a liderança, com abertura à inovação e a um sentido experimental das actividades e do conhecimento e 5 – conhecimento detalhado do
funcionamento organizacional de modo a vincular um plano de melhoria sustentado.
A existência de uma BE activa e empenhada em cumprir a sua função numa organização que faz da aprendizagem, da gestão da informação e da promoção de
oportunidades formativas a sua função estratégica será ela no futuro um dos pontos a destacar nos relatórios da IGE. Desejemos que na maioria dos casos ela, BE, seja
uma oportunidade de crescimento e progresso sustentado nas escolas, um dos seus pontos fortes. Quando a IGE chegar a essa dimensão nas avaliações externas, as
Bibliotecas Escolares terão já feito prova do seu papel transformador e indispensável na escola e na sociedade onde vivemos.

– MABE: Metodologias de Operacionalização (Conclusão) –