Você está na página 1de 3

Ficha de orientação de leitura Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente

Faz a leitura da obra e, com a ajuda de um lápis, vai sublinhando e anotando os aspetos mais
importantes.

Não te apresses tu, Inês (vv. 1 - 72)

1. A Farsa inicia-se com um monólogo de Inês que evidencia o seu estado de espírito.
Indica as palavras e/ou expressões que o evidenciam e aponta os adjetivos que se lhes
adequam.

1.1 Procura uma enumeração, uma interrogação retórica e uma comparação e


comenta o seu valor expressivo.

2. O lamento de Inês é interrompido pela chegada da mãe. Aponta os elementos textuais que
mostrem a sua reação.

3. Salienta os argumentos de Inês e da mãe acerca do casamento desejado pela rapariga.

4. Caracteriza psicologicamente Inês, neste momento da ação, com quatro adjetivos e destaca
as expressões textuais que fundamentam a tua escolha.

Entra Lianor Vaz muito perturbada (vv. 73 - 259)

5. Anota o motivo da perturbação de Lianor Vaz.

5.1 Deteta, no seu relato, as contradições que vão sendo evidenciadas pela mãe e pela
própria Lianor Vaz.

5.2 Explicita a dimensão satírica deste episódio.

6. Lianor Vaz propõe um casamento a Inês.

6.1 Identifica o objeto que a alcoviteira entrega a Inês.

6.2 Frisa as expressões que revelam a reação de Inês à proposta que lhe é
apresentada.

6.3 Indica as réplicas da mãe e de Lianor aos comentários de Inês.

6.4 Mostra quais os provérbios e ditos populares proferidos pela mãe e pela
alcoviteira.

6.4.1 Indica o seu valor persuasivo.

7. Inês concede uma visita a de Pêro Marques.


7.1 Partindo da última fala de Inês, caracteriza as duas personagens, indicando a
relação existente entre ela.

7.2 Identifica a dimensão satírica desses versos.


Eu não casarei senão com homem discreto (vv. 258 - 482)
8. No monólogo inicial de Pêro, indica quais as expressões que contribuem para a sua
caracterização e anota os adjetivos adequados.

8.1 Indica o tipo de cómico presente neste momento da ação.

9. Completa o perfil psicológico da personagem.

10. Classifica a personagem quanto ao seu processo de construção.

11. Ao dialogar com Pêro, Inês vai tecendo alguns apartes.


11.1 Indica-os e comenta a sua expressividade.

11.2 De que modo contribuem para a sua caracterização.

12. Após a saída de Pêro, Inês e a Mãe comenta a sua visita.


12.1 Expõe a opinião da Mãe face à decisão de Inês.

12.2 Anota a firmação de Inês que revela o seu ideal de marido.

12.3 Comenta a reação da Mãe relativamente à afirmação da filha.

Pode ser maior riqueza que um homem avisado? (vv. 483 - 754)

13. Divide o excerto relativo a esta personagem em partes logicas e explicita o assunto de cada
uma delas.

14. Atenta nas falas de Latão e Vidal.


14.1 Comenta as suas falas, tendo em conta a interação discursiva de ambos, as
características da linguagem usadas e o conteúdo da informação relatada por Inês.

15. Traça o perfil do Escudeiro, tendo em consideração a forma como retrata Inês antes de a
conhecer, bem como o modo como trata o moço.

16. Procura um exemplo de cómico que contribua para evidenciar os traços de caracter do
Escudeiro.

17. Até ao momento, verificaste que Inês tem como objetivo libertar-se da «clausura» em que
vive, sendo o casamento uma forma de o conseguir.
17.1 Mostra de que modo o encontro de Inês com o Escudeiro assume uma
importância fulcral nesse desejo de liberdade.

Quem bem tem e mal escolhe (vv. 755- 913)

18. Explicita o estado de espírito do Escudeiro no início do excerto, fundamentando


textualmente as tuas referências.

19. Descreve a reação de Inês às palavras do marido.

20. Este momento da Farsa, apresenta uma situação paralela à do início da peça. Justifica a
afirmação tendo em conta o que já leste.
21. O Moço entra com uma carta.
21.1 Refere o seu conteúdo.
22. Inês entendia o casamento como uma forma de libertação.
22.1 Mostra, com base no monólogo final desta passagem, como o conceito de
libertação se alterou para a moça.

Experiência dá lição (vv. 914 - 984)

23. Descreve o estado de ânimo de Inês neste momento, justificando a tua resposta com
elementos textuais.

24. Aponta o motivo da visita de Lianor.

25. Inês refere a propósito da proposta de Lianor Vaz que «sobre quantos mestres
são/experiência dá lição».
25.1 Explica o sentido destes versos.

26. No monólogo de Inês, destaca as expressões que mostram que aquela incorpora os
ensinamentos de sua Mãe.

Em tudo é boa a concrusão (vv. 985 - 1118)


27. Mesmo antes de reconhecer o Ermitão, Inês mostra o desejo de ficar a sós com ele.
27.1 Em que medida essa atitude contribui para a caracterização da personagem.

28. Identifica os cómicos de situação presentes na última parte da peça.

29. Comenta a natureza simbólica da cantiga entoada por Inês no final da obra.

30. Após a leitura integral da Farsa, interpreta um sentido possível do provérbio «Mais quero
asno que me leve que cavalo que me derrube».